A Igreja Católica é o "baluarte" do conservadorismo de direita no mundo?


Este artigo é uma continuação ao meu artigo mais recente, que trata da mesma questão em âmbito nacional (clique aqui para ler). A argumentação dos tradicionalistas católicos consiste que a Igreja Romana detém o monopólio das boas virtudes, é a “guardiã” da moral e dos bons costumes, o “baluarte” do conservadorismo de direita no mundo e a única força que pode deter e vencer o comunismo, o ateísmo, o Islã e qualquer outra coisa ruim que você possa imaginar. É o Goku da vida real. Dentro desse conto de fadas católico, a instituição que antes praticava genocídios e terrorismo para se manter no poder à custa do sangue e da vida de pessoas inocentes de outras religiões precisa agora voltar com urgência, porque só assim é que estaremos “seguros”.

O argumento católico, portanto, assume que se a nossa sociedade fosse católica como era antigamente, todos os males do mundo inexistiriam em função da Igreja. Assim, a tarefa de averiguar a veracidade de tal afirmação fantasiosa torna-se extremamente simples: basta que analisemos a história dos países que foram (ou que ainda são) extremamente católicos, e então constatarmos se essa realidade se fez presente nestes países, ou seja, se eles estiveram mesmo livres das mazelas que eles dizem que defenderiam tão bem se a sociedade voltasse a ser católica como outrora. Aqui eu listarei e comentarei de forma breve alguns dos maiores países católicos da história, países onde a população sempre foi 99% católica, pelo menos até bem pouco tempo (na época destes acontecimentos).


PARTE 1 - FASCISMO

Itália

A Itália foi o primeiro país do mundo a afundar no fascismo, uma corrente política ditatorial, autoritária e tirânica que foi responsável por 300 mil mortes só na Itália e que tinha como aspecto central de sua ideologia um Estado forte (no que se aproximava do conceito de socialismo), nas palavras de Mussolini: Tudo no Estado, nada contra o Estado, e nada fora do Estado. A Itália esmagadoramente católica não apenas colocou esse ditador no poder com o apoio popular, como também contou com a expressa colaboração e favorecimento da Igreja Romana em todo o período.

A Igreja legitimou o líder fascista ao assinar o Pacto Lateranense (1929), no qual o papa Pio XI enalteceu Mussolini como sendo “um homem necessário que a providencia colocou em nosso caminho: um homem que não partilha as preocupações da escola liberal (=da direita)... é então com grande satisfação que cremos com isso ter dado a Deus à Itália e a Itália a Deus” (Discurso do dia 5 de fevereiro de 1929, publicado no jornal da Igreja Católica “Osservatore Romano”).

O Pacto firmava ainda que a Santa Sé e a Itália reconhecem que convém descartar toda causa de diferença existente entre as duas e acertar um regulamento definitivo entre suas relações recíprocas que esteja de acordo com a justiça e a dignidade das duas Altas Partes. Passados vários anos, o papa seguinte, Pio XII, continuou exaltando a pessoa de Mussolini, a quem reconhecia ser um grande homem sem reparos e profundamente bom.

Uma obra que conta sobre essas e muitas outras falcatruas da Igreja Romana atrelada ao que há de pior no fascismo italiano é o livro “O Papa e Mussolini”, do historiador David I. Kertzer, reconhecido e premiado, vencedor do Prêmio Pulitzer na categoria biografia em 2015 por este livro:


O livro pode ser comprado aqui, e está parcialmente disponível no Google Books, aqui.


Espanha

A Espanha trilhou um rumo nada diferente da Itália, e também colocou um ditador fascista sanguinário no poder: o general Franco. Ele deu um golpe de Estado na Espanha em 1936 que resultou na Guerra Civil Espanhola, redundando em mais de 400 mil mortos e numa queda astronômica da economia do país. Mas o total de indivíduos exterminados pelo fascismo espanhol ao longo de todo o período vai muito além, chegando à cifra dos dois milhões. Basicamente, qualquer um que se opusesse ao regime franquista era perseguido e morto.

De que lado a Igreja estava? É claro: do ditador facínora, como não poderia ser diferente. A Igreja Romana apoiou os fascistas ao longo de todo o período, e já em 1953, depois de tanto morticínio consumado, assinou uma Concordata com o ditador, onde ambos fazem amplas concessões em favorecimento mútuo (veja aqui). O papa Pio XII exaltava a ascensão de Franco ao poder como um símbolo da vitória do catolicismo no país, sem se importar se milhões de vidas tiveram que ser exterminadas para este propósito.

O mais inacreditável de tudo é que ainda nos dias de hoje muitos católicos tradicionalistas continuam enaltecendo a figura de Franco e sua relação com a Igreja Romana, como típicos monstros morais que são. O motivo? Franco também perseguia e matava os comunistas, dizem eles. O que eles se esquecem de avisar é que Hitler fez a mesma coisa na Alemanha, e que ninguém matou mais comunistas na história do que Stalin. Detalhes, apenas detalhes...


Portugal

Da mesma forma que na Itália e na Espanha, e aproximadamente no mesmo período, ocorreu a ditadura fascista em Portugal, outro país tão esmagadoramente católico quanto os outros dois. O nome do ditador português foi Salazar, um homem de formação e militância católica, também apoiado pela Igreja. O resultado? Mais censura, fuzilamentos, prisões políticas, exílios forçados, tortura e totalitarismo. Assim como fez com a Espanha, a Igreja Romana legitimou o governo de Salazar assinando uma Concordata em 1940, e a relação da Igreja com o regime fascista português pode ser conferida neste artigo acadêmico.


Argentina e Brasil

A Argentina, mais um país católico quase em sua totalidade, também afundou no fascismo a partir de 1946, no regime peronista, embora o fascismo stricto sensu de Perón ainda seja debatido pelos historiadores. Caso semelhante pode-se dizer do Brasil, que viveu uma ditadura do Estado Novo sob Getúlio Vargas (1937) com características do fascismo europeu, embora com o diferencial do populismo getulista.

Como vemos, os países católicos sempre estiveram mais expostos ao fascismo, que contava com o apoio essencial da própria Igreja Romana, sem a qual tais ditadores jamais teriam conseguido o apoio popular que tiveram (de um povo profundamente católico e bastante religioso). A desculpa usada na apologética católica para essa aliança inescrupulosa entre Igreja e fascismo é que a mesma era necessária para impedir um mal maior (o comunismo). Mas note que nenhum país protestante jamais aderiu ao fascismo, e nem por isso acabou caindo nas garras do comunismo.

Esse tipo de argumento falacioso apenas mostra da forma mais clara possível que os países católicos eram tão moralmente desprezíveis que estavam mais expostos não apenas à ameaça fascista, mas também ao próprio comunismo, para chegar ao ponto caótico de ter que optar por uma ditadura facínora para impedir uma ditadura mais facínora ainda. Mas nem isso os países católicos conseguiram impedir totalmente, como veremos a seguir.


PARTE 2 – COMUNISMO

Cuba

Cuba era um país profundamente católico na época do golpe comunista de Fidel Castro, em 1959, tão católico quanto o Brasil e a Argentina. O mais impressionante de tudo não é o fato de a revolução ter obtido êxito no país, mas principalmente o fato de ter obtido grande aceitação popular na época. Figuras como Che Guevara (um assassino) tinham um sucesso espetacular e eram tratadas como verdadeiros heróis da pátria, mito que se tornou tão comum nos países católicos latino-americanos que até hoje tem gente endeusando essa figura e usando camisas com o rosto do revolucionário comunista.

Embora houvesse setores inconformados com a revolução e pessoas perseguidas, como um todo não houve um levante popular anticomunista na ilha católica, o que mostra que o povo já tinha uma mentalidade alinhada aos princípios da esquerda. O próprio Fidel era muito popular, e mesmo depois de tantas décadas de pobreza e miséria decorrentes do socialismo cubano, até hoje não se ergueu uma mobilização popular com peso suficiente para reivindicar a volta da democracia no país ou mesmo uma nova revolução aos moldes da de 1959, mas para tirar os ditadores do poder. A mentalidade popular dos cubanos católicos, como vemos, foi em geral tolerante e condescendente com o que há de pior na esquerda.


Polônia e Angola

A Polônia católica aderiu ao comunismo em 1944, ocasião na qual foi consolidado o Estado socialista polonês sob o nome de "República Popular da Polônia", e o país se manteve comunista por longas décadas, até 1989, apenas dois anos antes da dissolução da União Soviética. Ao longo de todo o período de comunismo a Polônia se manteve fortemente católica, e até os dias de hoje mantém esse padrão, com 86% de cidadãos declaradamente católicos. Caso semelhante ocorreu em Angola, outro país católico sob o domínio português até 1975, quando houve a revolução de caráter socialista que afundou a nação no comunismo até 1992, quando a URSS já havia entrado em colapso e eles foram forçados a mudar o sistema de governo.

Casos como esses são realmente assombrosos, pois o que ocorreu em Angola nada mais foi senão o povo (católico) escolhendo o comunismo de forma deliberada, em vez de uma minoria ter assumido o poder e oprimido a maioria. Ou seja, a própria mentalidade da população católica era favorável e conformista ao comunismo, recebendo-o de braços abertos na primeira oportunidade. Caso semelhante a estes você nunca irá encontrar em países protestantes, pois jamais em toda a história humana um país de tradição ou maioria protestante aderiu ao comunismo.


PARTE 3 – DITADURAS

Embora os últimos exemplos citados (do fascismo e do comunismo) já sejam casos de ditaduras, nos países católicos também se multiplicaram ao longo do tempo outros tipos variados de ditaduras, o que inclui o próprio caso do Brasil, que passou recentemente por uma ditadura militar que durou mais de vinte anos, de 1964 a 1985, supostamente para evitar a ameaça comunista, o que mostra que o comunismo já era forte, influente e organizado em meados do século passado (em um país católico, é claro). Além do Brasil, da Argentina e de Cuba, a Venezuela, o Peru e a Nicarágua (todos também com esmagadora maioria católica) também passaram por ditaduras recentes (ou ainda estão).

Além disso, os países católicos latino-americanos têm ainda a tendência de adotar um tipo de socialismo moderno conhecido pelo nome de “bolivarianismo”, articulado pelos comunistas do Foro de São Paulo, o qual é bastante visível em países católicos como Bolívia, Colômbia, Equador, Panamá, Peru e Venezuela. Nestes países em tese há eleições, mas com a lavagem cerebral esquerdista e com urnas totalmente confiáveis que quase sempre elegem o candidato do governo por uma diferença de votos de 1%, os esquerdistas conseguem se perpetuar no poder tal como os ditadores dos moldes tradicionais.

O caso atual mais grave certamente é o da Venezuela, país que se tornou tão conivente ao esquerdismo que colocou no poder um ditador comunista de extrema-esquerda (Nicolás Maduro) que prende por terrorismo qualquer um que diverge dele, que executa manifestantes de rua contra o seu governo, que pisa na Constituição como bem quer e que levou a uma crise tão severa que os venezuelanos passaram a fazer filas quilométricas na fronteira para a Colômbia para poderem comprar itens básicos como papel higiênico. Com o perdão da expressão, o país católico se tornou tão complacente ao esquerdismo que não consegue nem limpar a bunda mais, condição essa que tende a não ser diferente em outros países latino-americanos que, pelo andar da carruagem, estão a trilhar o mesmo caminho. 

Caso bem diferente é o dos países protestantes da América – Estados Unidos e Canadá –, os quais além de ricos e desenvolvidos nunca passaram por fascismo, nem por comunismo, nem por bolivarianismo, nem por ditaduras de qualquer natureza. Mesmo assim, na cabeça dos lunáticos da apologética católica, é o catolicismo que vai trazer estabilidade política ao mundo novamente e que vai vencer o comunismo e todas as outras formas de autoritarismo. É pra você ver o nível pesado de lavagem cerebral que fizeram nessas mentes.


PARTE 4 – A ESQUERDA NO MUNDO ATUAL

Como se não bastasse todo esse histórico catastrófico relacionado aos países católicos, em parte com o aval da própria hierarquia da Igreja de Roma, no mundo atual a coisa não anda muito diferente. Os países que mais favorecem a esquerda (Estado forte e supressão das liberdades) são países de tradição católica, e os que mais favorecem a direita (Estado mínimo e liberdade de pensamento) são os países de tradição protestante. Esquerda e direita existem no mundo todo, mas o que é considerado esquerda e direita varia de país a país.

Vamos ilustrar isso com a comparação entre Brasil e Estados Unidos. Aqui há muitos partidos de esquerda abertamente socialistas (ex: PSOL, PSTU, PCO, PSB, PT, PC do B, etc), e mesmo aqueles que não se declaram abertamente socialistas muitas vezes favorecem a ideologia socialista na prática. Em contraste, não vemos nenhum partido declaradamente de direita que defenda aberta e explicitamente os princípios direitistas conservadores nos valores e liberal na economia. O que é tradicionalmente considerado o mais perto da direita aqui no Brasil é o DEM (Partido Democrata). A ironia nisso tudo é que esse partido foi fundado com base nos princípios do Partido Democrata mais famoso, o dos Estados Unidos. Mas nos EUA os Democratas são a esquerda, e não a direita! Para ser mais claro: o que é chamado de “direita” no Brasil católico, é a esquerda dos EUA protestante. Isso já mostra o quão abismal é a diferença entre um e outro no que tange à tolerância ao esquerdismo.

Um outro exemplo claro e simples disso é o alvoroço que foi feito em tempos recentes com a pré-candidatura do primeiro candidato a presidente abertamente socialista na história dos Estados Unidos, Bernie Sanders, que concorreu com Hillary Clinton e perdeu. Quer dizer: os Estados Unidos demoraram mais de duzentos anos para ter o primeiro candidato socialista à presidente na história (e mesmo assim é um que perdeu nas prévias do próprio partido Democrata e que nem sequer chegou a concorrer na eleição nacional), enquanto nós aqui estamos tão infestados de candidatos socialistas de todos os lados que é difícil achar um que não seja!

Para deixar isso ainda mais interessante, peguemos carona para a França, o país mais “católico por excelência”, que só por pura coincidência foi também o primeiro a passar por uma revolução de caráter secular humanista (em 1789). Neste país tradicionalmente católico, também por pura coincidência, é onde um presidente socialista mais tempo se manteve no poder de forma consecutiva e democrática em toda a Europa. Trata-se de François Mitterrand, do Partido Socialista, que governou a França por incríveis 14 anos consecutivos (entre 1981 e 1995) – e sem dar golpe de Estado nem nada, simplesmente se reelegendo vez após vez pelo povo católico. A França aprendeu a lição? É claro que não. O atual presidente (Abril/2017) é outro do Partido Socialista, François Hollande. 

Os países mais católicos, sejam da América ou da Europa, sempre foram os mais propensos a colocar esquerdistas no poder, seja por meio do voto ou por golpes de Estado. Vale lembrar que, contraditoriamente ao discurso típico dos esquerdistas, o próprio fascismo foi uma forma de governo de esquerda, que zelava por um Estado grande e autoritário, o contrário do que é universalmente reconhecido como sendo de direita, e a Igreja Romana sempre favoreceu esse tipo de regime onde quer que ele se instalasse. Também já fez diversos pronunciamentos oficiais onde condenou abertamente o capitalismo da mesma forma que faz um esquerdista fanático por Marx, citações essas que não irei passar aqui porque já estão todas presentes neste meu outro artigo mais antigo.

Os apologistas católicos costumam tentar contornar esses fatos inegáveis dizendo que os países protestantes se tornaram os mais liberais na questão do aborto, casamento gay e legalização das drogas, citando como exemplo os Países Baixos, que aderiram a essas pautas progressistas. Isso é simplesmente uma tática desonesta, em primeiro lugar porque isso só veio a acontecer depois que esses países europeus tradicionalmente protestantes se secularizaram em grande parte, e em segundo lugar porque o mesmo padrão ocorre hoje nos países de tradição católica, inclusive naqueles que continuam sendo ainda hoje religiosamente católicos romanos.

A realidade é que os países historicamente e majoritariamente católicos foram os que mais legalizaram o aborto e o casamento homossexual até aqui (2017), mas a apologética católica faz questão de só apontar o erro dos países protestantes, misteriosamente. Quando os Estados Unidos aprovaram o casamento gay (em 2015), uma enxurrada de sites apologéticos católicos passou a atacar furiosamente o protestantismo, como se os evangélicos fossem os culpados por isso. Nenhum deles fez menção ao fato de que a França, um dos países mais esmagadoramente católicos desde sempre, já tinha legalizado o casamento gay antes disso (em 2013). O erro só é percebido quando é praticado pelos evangélicos. Quando é praticado por católicos, eles somem (ou acusam os evangélicos mesmo assim!).

O caso dos Estados Unidos é ainda mais interessante, pois eles não legalizaram o casamento homossexual por meio de voto popular ou do congresso eleito pelo povo. Em vez disso, foi pelo voto de nove juízes da Suprema Corte, todos eles católicos ou judeus. Obama deliberadamente (de propósito) tirou todos os evangélicos da Suprema Corte, porque sabia que eles seriam os mais propensos a votar contra. Deixou lá os que eram da confiança dele. Deu no que deu. Em vez dos apologistas católicos concluírem o quão perigoso que é tirar os evangélicos do cenário político para a moralidade de um país, eles concluem que a culpa é dos evangélicos – os principais na luta contra o casamento gay nos Estados Unidos.

Enquanto isso, uma torrente de países católicos já tinha aprovado o casamento gay há muito tempo. Aconteceu com a Bélgica em 2003 (60% católica), com a Espanha em 2005 (76% católica), com Portugal em 2010 (81% católico), com a Argentina em 2010 (76% católica), com o Uruguai em 2013 (45% católico), com a já mencionada França em 2013 (83% católica), com Luxemburgo (não o técnico) em 2014 (87% católico), e por aí vai. Aconteceu com países majoritariamente protestantes também, mas só um cretino sem escrúpulos poderia culpar o protestantismo por algo que está acontecendo no mundo todo, inclusive – e principalmente – nos países católicos.

Em relação ao aborto, apenas quatro países na América Latina legalizaram o aborto até o momento: Cuba, Porto Rico, Guiana e Uruguai, todos de maioria católica. Na Europa, quase todos os países legalizaram o aborto, mas isso também inclui os países católicos mais tradicionais como Bélgica, Espanha, França, Áustria, Portugal e até mesmo no quintal do papa, a Itália. Deve ser culpa do protestantismo também. Novamente, apenas um ser de monstruosa desonestidade seria capaz de culpar os evangélicos por algo que prevalece mais nos países católicos do que nos protestantes.

A calúnia antiprotestante relacionada à legalização da maconha também é totalmente sem fundamento, arbitrária e tendenciosa, fruto de ignorância seletiva sem precedentes. Aqui há uma lista de 33 países onde a maconha é legalizada ou tolerada. Abaixo segue uma lista dos mesmos, com uma marcação nos países de maioria católica, nos de maioria protestante e um “x” nos que não são de nenhuma das duas vertentes religiosas:

País
Religião Predominante
Argentina
Catolicismo
Austrália
Protestantismo
Bangladesh
X
Bélgica
Catolicismo
Camboja
X
Canadá
Protestantismo
Chile
Catolicismo
Colômbia
Catolicismo
Coreia do Norte
X
Costa Rica
Catolicismo
Croácia
Catolicismo
Equador
Catolicismo
Espanha
Catolicismo
Estônia
X
Holanda
Protestantismo
Ilhas Maldivas
X
Índia
X
Iraque
X
Islândia
Protestantismo
Israel
X
Itália
Catolicismo
Jamaica
Protestantismo
México
Catolicismo
Nepal
X
Paquistão
X
Peru
Catolicismo
Portugal
Catolicismo
República Tcheca
Catolicismo
Rússia
X
Suíça
Protestantismo
Ucrânia
X
Uruguai
Catolicismo
Venezuela
Catolicismo
Como vemos, desses 33 países que mais toleram o uso de drogas como a maconha, 15 são católicos, 6 são protestantes e 12 são de outras religiões. Mesmo considerando o maior número de católicos (1,2 bilhões) do que de evangélicos (800 milhões) no mundo (evangélicos são 2/3 do percentual de católicos), ainda assim os católicos permanecem sobrestimados na lista, com quase a metade de países do mundo entre os listados e mais que o dobro de países protestantes. Portanto, os apologistas católicos deveriam ser os últimos a abrir a boca para falar qualquer coisa sobre a questão relativa às drogas, uma vez que os países católicos ganham de goleada de qualquer outra religião, até mesmo do Islã, no que tange à tolerância às mesmas. Muito menos tem moral para abrir o bico contra os protestantes.


PARTE 5 – CONCLUSÃO

As conclusões deste estudo são evidentes e falam por si mesmas:

a) Os países católicos são os que mais favoreceram o surgimento do fascismo em toda a história, e com o apoio da Igreja e dos papas.

b) Os países católicos estão entre os que mais favoreceram a ascensão do comunismo em toda a história.

c) Os países católicos estão entre os que mais favoreceram o advento de ditadores de todas as espécies em todos os lugares, especialmente na América Latina.

d) Os países católicos são os que mais favorecem o esquerdismo atual em todo o mundo, são o braço direito do bolivarianismo e o coração do populismo.

e) Os países católicos foram os que mais legalizaram o aborto no mundo.

f) Os países católicos foram os que mais legalizaram o casamento gay no mundo.

g) Os países católicos são os mais tolerantes ao uso de maconha no mundo.

Em contraste a isso, os países protestantes:

a) Nunca aderiram ao fascismo.

b) Nunca aderiram ao comunismo.

c) Costumam se opor a qualquer forma de ditadura em qualquer lugar que seja.

d) São os que mais defendem princípios da direita política de liberdade econômica e conservadorismo moral.

e) Se não fosse pelos países protestantes, como Estados Unidos e Reino Unido, o mundo provavelmente já teria desabado na esquerda, no comunismo ou em ditaduras intermináveis há mundo tempo. Foram os países protestantes que mantiveram a democracia no mundo mesmo quando os países católicos estavam em completa decadência e crise moral, e foram esses mesmos países protestantes que financiaram os países católicos para que os mesmos pudessem se recuperar dessas crises. Foram os países protestantes que sempre trouxeram estabilidade ao mundo mesmo quando os países católicos estavam em colapso interno.

E mesmo diante de todos esses fatos inegáveis que qualquer um pode concluir por si mesmo em uma breve pesquisa histórica e com um pouco de estudo e bom senso, ainda assim os sofistas sem vergonha que representam aquilo que há de pior na apologética católica (mentirosos, canalhas e desonestos como sempre, que não se cansam de mentir e enganar o gado doutrinado para manter de pé o mito da “Santa Igreja”) preferem ensinar aos seus fieis adestrados que o catolicismo é a única força no mundo e o único “baluarte” do conservadorismo que pode impedir o avanço do esquerdismo no planeta – e dizem isso enquanto o papa Francisco, seu líder maior e supremo, defende a “Pátria Grande” do Foro de São Paulo explicitamente (veja aqui).

Para se ter ideia do nível de canalhice e sem-vergonhice presente nestes meios, um dos principais conspiradores que fazem a cabeça desses alienados mentais é um astrólogo sem formação que vive atacando o protestantismo com toda a fúria e enaltecendo a Igreja Católica, mas não pisa um pé no Brasil e prefere se refugiar nos Estados Unidos, o país mais protestante do planeta, e mais especificamente na Virgínia, na zona do “cinturão bíblico”, o lugar mais protestante do país mais protestante. Isso é para ter uma pequena e leve noção do nível de cinismo, safadeza e falta de escrúpulos desses pretensos “mestres” que sabem que estão enganando o gado, mas enganam mesmo assim, pois não tem qualquer comprometimento com a verdade. Sua moral já foi jogada tão ao fundo do poço quanto a dos ridículos países católicos que foram sempre o baluarte – o baluarte do que há de mais sujo, sangrento e nefasto na história humana na terra. 

Paz a todos vocês que estão em Cristo.

Por Cristo e por Seu Reino,

-Meus livros:

- Veja uma lista de livros meus clicando aqui.

- Confira minha página no facebook clicando aqui.

- Acesse meu canal no YouTube clicando aqui.


-Não deixe de acessar meus outros blogs:

LucasBanzoli.Com (Um compêndio de todos os artigos já escritos por mim)
Apologia Cristã (Artigos de apologética cristã sobre doutrina e moral)
O Cristianismo em Foco (Artigos devocionais e estudos bíblicos)
Desvendando a Lenda (Refutando a imortalidade da alma)
Ateísmo Refutado (Evidências da existência de Deus e veracidade da Bíblia)
Fim da Fraude (Refutando as mentiras dos apologistas católicos)

Comentários

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    3. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    4. o lucas banzoli vc poderia me dar uma resposta sobre esse post de uma ateia desmentindo a história de moisés contada na bíblia: https://jarconsian.wordpress.com/2017/03/23/a-verdadeira-historia-de-moises-e-dos-hebreus-4/ e sobre esse artigo no qual ela diz que o Deus de israel odeia os gentios:https://jarconsian.wordpress.com/2014/08/24/israel-x-gentios-contexto-biblico/

      Excluir
    5. e porque os filhos, as ovelhas e gado de Acã foram apedrejados se eles não tinham culpa? e se puder me de uma resposta sobre esses posts: https://porquenaosoucristao.blogspot.com.br/2013/01/um-corno-chamado-abrao-renomeado-para.html
      https://porquenaosoucristao.blogspot.com.br/search/label/A%20mentira%20divina
      sem contar que eu ficaria agradecido se vc respondesse esses posts pra mim, pois tem argumentos aqui que vc não tratou no blog ateismo refutado e eu queria saber muito a resposta a eles, pois eles causam dúvida: https://porquenaosoucristao.blogspot.com.br/2013/04/jesus-nao-e-o-messias.html
      http://www.recantodasletras.com.br/artigos/3777775
      e esses:
      https://porquenaosoucristao.blogspot.com.br/search/label/Corno%20chamado%20Os%C3%A9ias
      https://porquenaosoucristao.blogspot.com.br/search/label/Ananias%20e%20Ac%C3%A3

      porque deus ordena tanto matar?

      https://porquenaosoucristao.blogspot.com.br/search/label/Deus%20Sangrento
      https://porquenaosoucristao.blogspot.com.br/search/label/A%20Ira%20de%20Deus

      e esses: https://porquenaosoucristao.blogspot.com.br/2013/01/um-corno-chamado-abrao-renomeado-para.html
      https://porquenaosoucristao.blogspot.com.br/search/label/Deus%20pede%20ajuda

      e porque os evangelhos que não estão na bíblia não são aceitos?

      por favor me responda tenhos muitas dúvidas.

      Excluir
    6. e quanto a esse? https://porquenaosoucristao.blogspot.com.br/search/label/Deuterocan%C3%B4nico

      Excluir
    7. Cara, andei lendo os artigos que você passou, mas essa ateia chuta demais, pega apenas umas histórias e deduz a partir disso o todo. Ela também erra cronologicamente a análise, o que é básico. Não é assim que se analisa história. Além disso, esses chutes são bastantes esparsos, qual a sua dúvida específica, fica melhor para responder. Um abraço

      Excluir
    8. Outra coisa, o apedeuta que fez o texto parte da premissa que tudo o que a bíblia relata, atenção, relata, é correto e moral. Isso é um erro de gente primária. Por exemplo, Abraão pecou quando mentiu sobre sua mulher. Abraão não tem livre conduto para pecar. Ninguém tem. E disso ele deduz que a Bíblia é um livro amoral. Isso é infantil, pueril e nenhuma pessoa com metade do cérebro pode errar dessa forma, ainda mais quando se apresenta com a arrogância de ser o porta voz da razão. Os textos são fraquíssimos e tendenciosos, sem a busca da verdade. Mas apresente as suas dúvidas especificamente que seria melhor para responder.

      Excluir
    9. "Qual sua opinião sobre a lenda da tal papisa Joana"

      É lenda, apenas.

      "Zuar pentecostais é ser antipentecostal? Me desculpe, mas não dá!:https://youtu.be/kfDXVRhUUHk"

      Esse vídeo ficou engraçado, mas não tão engraçado quanto essa página:

      https://www.facebook.com/arminianismodazueira/?ref=br_rs

      Excluir
    10. Respondendo ao Paulo Henrique:

      São muitos artigos, muitos mesmo, se eu fosse ler todos e refutar cada coisa uma a uma ficaria um mês inteiro só nisso e infelizmente eu não disponho de tanto tempo assim. Você disse que leu os artigos do blog, mas tem algumas coisas que já foram refutadas ali dentre as que você pede para refutar aqui, como por exemplo a questão dos evangelhos apócrifos:

      http://ateismorefutado.blogspot.com.br/2015/04/refutando-argumentos-contra-veracidade.html

      Eu recomendo ler o meu livro "Deus é um Delírio?" e também "As Provas da Existência de Deus". Quase tudo desses livros está no blog, mas no livro dá pra ler de forma mais organizada e com um pensamento mais fechado e conexo. Dá pra baixar nesses links:

      http://www.lucasbanzoli.com/2017/04/0.html

      Sobre o argumento de que o êxodo nunca existiu historicamente, é falso. O êxodo já foi provado pela arqueologia e você pode ler mais sobre isso aqui:

      http://ateismorefutado.blogspot.com.br/2015/01/as-provas-do-exodo.html

      Outras provas da veracidade da Bíblia pela arqueologia você pode conferir aqui:

      http://apologiacrista.com/veracidade-biblica-p2

      Ou então seguindo essa divisão temática de artigos:

      http://www.lucasbanzoli.com/2015/07/artigos-sobre-existencia-de-deus.html

      Sobre Deus mandar matar:

      http://ateismorefutado.blogspot.com.br/2015/04/a-pena-de-morte-na-lei-do-antigo.html

      Se tiver alguma dúvida mais específica, que não seja um monte de coisa em um monte de artigos, pode postar o link aqui ou resumir o argumento. Só se torna inviável quando são muitos textos falando sobre um monte de coisas, sendo que cada uma delas tomaria um tempo significativo para refutá-las apropriadamente. Tomara que entenda. Abs!

      Excluir
    11. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    12. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    13. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    14. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    15. Ir além do que está escrito não é ir além do que apenas o próprio Paulo escreveu, mas ir além do que a Escritura como um todo afirma. O termo "está escrito" na Bíblia sempre se refere às próprias Escrituras, então Paulo não estava falando apenas das suas cartas escritas a eles até porque era a primeira carta que ele lhes escrevia. E que os coríntios estavam "indo além", isso é pressuposto do fato de Paulo lhes advertir sobre isso, o que não seria necessário caso eles já estivessem obedecendo a este princípio, a não ser que fosse uma forma de admoestação para continuarem seguindo este caminho.

      Excluir
    16. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    17. Acho que eles deveriam ler mais esse blog:

      http://testemunhasdeyahoshuarefutados.blogspot.com.br

      Excluir
    18. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  2. É até covardia comparar os países de tradição protestante e católica. Salvo exceções, os países protestantes foram mais livres, mais desenvolvidos e não experimentaram ditaduras fascistas ou socialistas.

    Já os católicos..... Enfim, não é de hoje que a tradição protestante tem se mostrado muito mais benéfica para a sociedade, romanismo é causa de atraso em todos os sentidos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Bruno, obrigado pelo comentário!

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    3. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  3. Com relação à França: aquele país não é demasiado secular nos dias atuais (dificilmente eu chamaria de "povo católico")? E com relação aos países protestantes: a Inglaterra atual, a Alemanha, a Escandinávia e outros não são também verdadeiros ninhos do secularismo e do ateísmo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As últimas estimativas em relação à religião na França são de 2003, uma delas mostra 62% de católicos e a outra 83%. Claro que a grande maioria deve ser de não-praticantes como no Brasil, mas não muda o fato de que ainda é um "país católico". O fato de estar se secularizando com o tempo só desmonta o outro mito católico, de que essa secularização é fruto somente dos países protestantes (como se os católicos fossem imunes a isso). Na Europa a secularização não conhece fronteiras religiosas quaisquer que sejam. Sobre isso inclusive eu já tratei neste meu artigo mais antigo (que responde a sua segunda pergunta):

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2015/12/o-protestantismo-e-o-pai-do-comunismo-e.html

      Excluir
    2. Quais seriam as principais causas da secularização?

      Excluir
    3. A principal causa foi o mar de obscurantismo e intolerância causada pela Igreja Católica desde a época das Cruzadas, da Inquisição e do Index, que imprimiu nos intelectuais e pensadores do século XVIII em diante a mentalidade de que religião é sinônimo de atraso, repressão e alienação (mentalidade essa que continua presente ainda hoje em grande parte dos ateus e agnósticos de nosso século, mesmo depois que a ICAR foi "domesticada"). Algumas igrejas evangélicas modernas ajudaram a agravar este conceito, especialmente aquelas que só pedem dinheiro e "sacrifícios", e como elas são as que mais aparecem na mídia, criou-se o engano de que o movimento evangélico se resume a isso. No caso da Europa especificamente, talvez tenha contribuído também as duas Grandes Guerras, quando cristãos tiveram que pegar em armas contra outros cristãos, o mundo foi perdendo a fé e o amor foi se esfriando cada vez mais.

      Excluir
  4. Sejo que vc esta falando mais sobre assuntos de economia e política. Eu recomendo um livro de economia muito bom chamado "livre para escolher" de Milton Friedman ( professor e Nobel em economia)

    No livro, ele defende fortemente o livre mercado, ele argumenta que mesmo um Estado bem intencionado pode atrapalhar a economia

    Ele fala um pouco dos EUA do século 19. Apesar de com alguns defeitos, o EUA era um pais muito admirável, era muito liberal e havia desenvolvimento e oportunidades

    ResponderExcluir
  5. Mas o Olavo de Carvalho ele disse que o catolicismo é o que impede o mundo de virar comunista, e a Igreja Católica foi quem denunciou os fetos abortados na pepsi (caso vc não saiba) e é a Santa Igreja Católica que luta contra o socialismo nos EUA. Aproveito pra te dar uma aulinha: vc sabia que o atentado de 11 setembro nas torres gêmeas foi ordenado por Lutero? E que Stalin era calvinista? Claro que não, vai estudar! A santa igreja católica é igreja verdadeira, seu erége !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu noto que você é bem-intencionado, mas está confundindo um pouco a ordem dos fatos e ignorando a sua ligação de causa-efeito. Na verdade o que ocorreu foi o seguinte: Lutero, logo após sua rebelião satânica contra a Santa Igreja Católica, planejou o atentado de 11 de setembro enquanto implantava fetos abortados numa versão alemã mais antiga da Pepsi. A consequência disso foi o comunismo protestante que a Igreja Católica salvou nos EUA, ocasião na qual Stalin difundia o calvinismo na União Soviética. Agora sim tudo faz sentido. Já posso morrer em paz.

      Excluir
    2. É o que eu tava falando! Até que enfim vc aprendeu! Graças a imaculada medianeira criadora dos céus e da Terra, a alfa e ômega, a Virgem Maria, vc abraçou o verdadeiro Cristianismo!

      Excluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Já já vão ta negando Cristo em nome do biblismo"

      Como se a própria função da Bíblia não fosse apontar a Cristo, focar nele e nos levar a ele. Diferente da Igreja Romana, que foca em Maria, nos santos, no papa, na própria instituição romana, em tudo menos em Jesus. De qualquer forma eu não assisto vídeos desse sujeito há mais de um ano, é de embrulhar o estômago a quantidade de lixo pseudointelectual e filosofadas de esgoto que saem da boca daquele vândalo deformado.

      Excluir
  7. "Luxemburgo (não o técnico)" Kkkkkkkkkkkkkkkkkk, Ótimo artigo Luquinhas.
    Qual sua visão sobre o regime militar brasileiro Luquinhas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sou contra qualquer regime político que use de cerceamento de liberdade de pensamento alheio para qualquer finalidade que seja. Em outras palavras, mesmo se surgisse um ditador pregando exatamente todas as coisas que eu defendo do início ao fim, mas que quisesse impor essas coisas na sociedade pela força e restringir a liberdade dos contrários a se opor a isso, eu seria contra. Ainda mais o governo militar, que embora tenha tido alguns êxitos, falhou nos dois aspectos principais que se propôs originalmente a sanar: (1) a economia, com o controle da inflação que só cresceu nos 25 anos militares e que só foi solucionada com o Plano Real do governo de Itamar; (2) A esquerdização, que com o fim do governo militar já era maior do que era antes de eles tomarem o poder pela força. No fim das contas, não é errado dizer que o governo militar apenas ajudou a esquerda a controlar a política do país a partir de finais dos anos 80, cujos efeitos permanecem visíveis até hoje.

      Excluir
  8. Lucas, acho importante enriquecer o seu artigo com alguns detalhes a mais. Segue a minha resposta, em linha com o seu artigo:

    (...) As conclusões deste estudo:
    a) Os países católicos são os que mais favoreceram o surgimento do fascismo em toda a história, e com o apoio da Igreja e dos papas.
    Eu: Na verdade, o que os católicos die-hard chamam de direita e a Igreja como o seu baluarte é justamente o fascismo.

    b) Os países católicos estão entre os que mais favoreceram a ascensão do comunismo em toda a história.
    Eu: como mea-culpa por ter apoiado o fascismo até a segunda guerra mundial, a Igreja decidiu bandear-se para a esquerda no Concílio Vaticano II.

    (...) os países protestantes:
    a) Nunca aderiram ao fascismo.
    Eu: essa é uma simplificação. O governo Roosevelt estabeleceu um culto à personalidade e prendeu cidadãos nipo-americanos, Woodrow Wilson perseguiu ferozmente os dissidentes na grande guerra, e Abraham Lincoln estabeleceu uma ditadura militar no Sul americano.

    De modo geral, nos países europeus reinava a concepção racista de dar tudo o que era bom para os irmãos de raça e a ditadura militar para as colônias.

    b) Nunca aderiram ao comunismo.
    Eu: e a Alemanha Oriental? E o golpe comunista de Munich nos anos pré-Hitler?

    c) Costumam se opor a qualquer forma de ditadura em qualquer lugar que seja.
    Eu: exceto se ela for pró-ocidental. Neste caso os países protestantes a apóiam com armas e dinheiro.

    (...) e) e não fosse pelos países protestantes, como Estados Unidos e Reino Unido, o mundo provavelmente já teria desabado na esquerda, no comunismo ou em ditaduras intermináveis há mundo tempo.
    Eu: será? Valeram a pena a guerra fria, o colonialismo, a guerra civil americana, a perda do império Britânico, a secularização, e todas as contradições que o Ocidente trouxe? Você dirá que não existe perfeição. Mas duvido que o mundo estaria pior ou mais comunista (o comunismo clássico caiu por si só na Rússia e na China) se o Ocidente fosse mais isolacionista.

    O mundo protestante é bem mais complicado do que parece. Mas o católico é pior, sem dúvida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Alemanha Oriental é um caso à parte, porque a Alemanha nunca foi totalmente protestante ou protestante na grande maioria, sempre foi bastante dividida entre católicos e protestantes (como também o era na época da guerra) e, atualmente, entre católicos, protestantes e ateus. Pode até ser considerada um país de “tradição protestante” como de fato o é, no sentido de ter sido influenciada por princípios da Reforma desde o início, mas não de uma forma tão livre, plena e irrestrita no mesmo grau que outros países como os EUA, os Países Baixos, o Reino Unido e países nórdicos, por exemplo. E também conta com um diferencial: o comunismo da Alemanha Oriental lhe foi IMPOSTO como sanção depois da guerra, não foi uma medida livre da própria população local colocando um líder comunista no poder, a população local sempre foi contra a separação das duas Alemanhas e os alemães orientais sempre tentaram fugir para o lado ocidental do muro, mesmo sob risco de morte.

      No caso do colonialismo, trata-se de uma mentalidade presente em todos os países do mundo da época (que chegavam a alguma condição de poder e influência) e foi praticado indistintamente por países protestantes, católicos e muçulmanos na época em que essas respectivas vertentes religiosas eram dominantes em cada lugar (sem falar do Império Bizantino-ortodoxo). Mas mesmo os lugares colonizados por protestantes tiveram uma tendência de desenvolvimento superior se comparado aos de dominação católica ou árabe. Pode não ter sido do desejo da população local, e eu não estou defendendo o colonialismo, mas ao menos em termos de desenvolvimento e progresso como civilização, o saldo foi positivo para aqueles que foram colonizados países protestantes.

      Discordo da sua conclusão final sobre o comunismo. Se não fosse pelos EUA terem se colocado como uma superpotência mundial ao final da Segunda Guerra, os soviéticos não teriam qualquer oposição forte se colocando entre eles e seu projeto de dominação e poder. Basta observar que mesmo com os EUA oferecendo uma forte resistência na Guerra Fria, ainda assim os soviéticos conseguiram estender sua influência política para grande parte da Ásia e da Europa Oriental, que aderiu ao modelo socialista. O mundo ocidental só permaneceu capitalista por causa da influência do outro gigante, os EUA. Depois que a URSS caiu, esses países orientais voltaram em grande parte ao capitalismo. Até poderíamos pressupor que sem os EUA o comunismo cairia por si mesmo da mesma forma que sucedeu à URSS, mas o dano que teria causado ao mundo e o atraso universal que seria gerado seria certamente muito maior, e o desenvolvimento do mundo ocidental moderno certamente não seria o mesmo. A influência, o alcance e o domínio dos soviéticos sem os EUA durante o período da Guerra Fria (que também não existiria) seria imensamente maior.

      Apenas comentando:

      “Na verdade, o que os católicos die-hard chamam de direita e a Igreja como o seu baluarte é justamente o fascismo”

      Verdade. Isso que é o mais assustador.

      Excluir
    2. Lucas,

      Eu penso que a minha explicação é mais simples. Todas as religiões viram um ou outro país representante seu cair perante o comunismo. Até o Islã. Isso devido a um mérito ou demérito delas? Não, porque na época, todas eram integralistas.

      Ocorreu que duas guerras mundiais eclodiram. Guerras não destroem apenas prédios, mas também a fibra moral de um povo. As guerras despertam sentimentos e coragem bestiais. Foi por isso que o comunismo chegou onde chegou: por causa da devastação das guerras mundiais e civis, e das ocupações. Não é porque o protestante alemão, o ortodoxo russo, e o católico polonês não sabem o que é propriedade privada. É porque os três viram os seus países perderem graves guerras civis e globais, ou porque viram os seus países serem ocupados.

      Quanto ao bolivarianismo, a Venezuela não é como o Brasil ou a Colômbia. A Igreja católica venezuelana é oficialmente contra o governo chavista. Aqui e na Colômbia, a Igreja é de esquerda, logo a sua tese cabe. Mas lá, onde o bolivarianismo virou uma política de Estado, não.

      Em todo caso, sei o que tenta fazer e concordo, em parte. Porque a Igreja tem vergonha do seu passado fascista e foi à esquerda desde o Vaticano II. Mas ela era integralista, oficialmente anti-comunista, a despeito das tratativas de Eugênio Pacelli com a URSS, enquanto os soviéticos devoravam os ortodoxos "cismáticos". Você deveria escrever um artigo sobre isso. É vil. Pio XII foi o pior papa da história da Igreja. Onde havia um genocídio, ele estava com a caneta em punho, pronto para fazer um acordo.

      É isso, meu caro. De resto o seu artigo está impecável.

      Excluir
    3. “Quanto ao bolivarianismo, a Venezuela não é como o Brasil ou a Colômbia. A Igreja católica venezuelana é oficialmente contra o governo chavista. Aqui e na Colômbia, a Igreja é de esquerda, logo a sua tese cabe. Mas lá, onde o bolivarianismo virou uma política de Estado, não”

      Mas é este o ponto. O chavismo não surgiu na Venezuela por causa de um golpe de Estado contra a vontade popular. Ao contrário: ele foi colocado lá JUSTAMENTE PELO POVO. Foi o povo que adorava Chávez e que elegeu Maduro. Só agora (depois de provar do seu próprio veneno) é que o povo venezuelano está acordando e levantando oposição a esse tipo de regime. Então a grande charada é: um povo extremamente católico, de tradição e cultura católica, não se importaram em seguir um projeto de poder socialista mesmo quando em oposição à própria Igreja. Isso é um caso sério. Só mostra, mais uma vez, que a cultura católica romana não é boa o suficiente para inculcar nas pessoas a mentalidade de que esse tipo de regime deve ser evitado e rejeitado em qualquer circunstância – algo que a população de países protestantes assimila muito melhor, não precisando nem mesmo que os líderes das igrejas fiquem dizendo em quem votar.

      “Mas os venezuelanos são não-praticantes”, pode-se argumentar. Isso só comprovaria o outro problema que eu expus no artigo anterior: isso só serve para denunciar o quanto o catolicismo é uma religião em decadência que já não tem poder real nenhum para mover uma palha contra o inimigo esquerdista/marxista/ateísta/comunista e todos os outros “ista”. Se o catolicismo romano não é suficientemente atrativo nem mesmo para os seus próprios adeptos, de modo a mantê-los afastados de sua própria igreja, quanto menos tem qualquer poder significativo para derrotar todas as forças do mal no mundo. Uma religião que não consegue nem ao menos influenciar seus próprios fieis ali batizados, muito menos deve ser levada a sério no que diz respeito a vencer um mal externo.

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2017/04/a-igreja-catolica-e-o-baluarte-do.html

      Excluir
  9. Olavo de carvalho postou isso no facebook dele, queria que você comentasse?

    Mateus 24,13 – Mas aquele que perseverar até o fim, esse será salvo.
    Perseverar não é OBRA?

    Mateus 7, 21-23: Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor, entrará no reino dos céus, mas aquele que fizer a vontade de meu Pai que está nos céus.
    Cumprir os mandamentos não é OBRA?

    A fé sem caridade existe e tem o poder de salvar?
    E existe caridade que nada faça pelo próximo?
    Se a resposta a essas duas perguntas for "Não", a "Sola fide" já vem nula no seu próprio enunciado.

    Obrigado. Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso só denuncia o quanto que este sujeito não conhece porcaria nenhuma das coisas que ele se propõe a refutar “teologicamente”. Não sabe nem o que é a Sola Fide, porque se tivesse um estudado um pouquinho que fosse, teria sabido que a crença protestante não é o de que as obras são inúteis ou dispensáveis (calúnia católica que os protestantes sofrem desde o início e que o próprio Lutero teve que se defender já naquela época), mas sim que as obras são uma CONSEQUÊNCIA da fé genuína, ou seja, ninguém se salva sem obras, mas o que salva é a fé e não as obras em si (que são um fruto da fé). Isso explica todos esses textos (e muitos outros) que falam da necessidade da prática de boas obras. Recomendo a leitura dos artigos deste blog que abordam o assunto:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/search/label/Sola%20Fide%20%28Justificação%20somente%20pela%20Fé%29

      Engraçado que há poucos anos atrás a Igreja Católica assinou uma declaração conjunta com os luteranos sobre a justificação pela fé, de caráter bem protestante no conteúdo:

      http://www.vatican.va/roman_curia/pontifical_councils/chrstuni/documents/rc_pc_chrstuni_doc_31101999_cath-luth-joint-declaration_po.html

      Onde estava o Olavo de Carvalho na ocasião para denunciar esse erro tão grotesco de interpretação da justificação no modelo protestante quando todos os maiores bispos, cardeais e o próprio papa estavam dizendo o contrário?

      Tudo o que esse senhor faz é repetir falácias e espantalhos toscos que já foram refutados há cinco séculos e que são totalmente inúteis em uma discussão inteligente, mas que permanecem surtindo algum efeito sobre mentes leigas e néscias.

      Excluir
    2. Esse comentário demonstra que o Olavo, por preconceito dele próprio, não estudou a fundo a base teórica do protestantismo. O erro dele é primário. Mas já que ele perguntou, a resposta para a primeira questão é sim, e o exemplo do ladrão na cruz é o maior. Ou ele teve como fazer obras?

      Excluir
  10. Olá Lucas bom dia,excelente artigo,parabéns!Gostaria de acrescentar um outro ditador amado pelos católicos e que não foi citado no texto,o Augusto Pinochet,a questão do Pinochet é polêmica,porque ao mesmo tempo em que foi ditador e reprimiu opositores com violência e restringiu liberdades civis,ele adotou o liberalismo econômico e isso o diferencia de ditadores fascistas como Mussolini,Franco e Salazar,assim como dos ditadores militares brasileiros e argentinos que eram bem estatistas,então o Pinochet costuma ter mais defensores por conta dessa diferença,mas aqui nesse vídeo o Nando Moura ataca o Pinochet,afirmando que o contexto de Guerra Fria e o desastre que era a administração do Salvador Allende,o socialista que o sucedeu seja desculpa para implantar uma ditadura,https://www.youtube.com/watch?v=kzA3Gx0Kew4, e qual sua opinião sobre o Pinochet?E por que achas que ele economicamente seguiu a Escola de Chicago?É bem raro um ditador ser liberal na economia,costumam ser bem nacionalistas e estatistas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, bom dia! Eu reitero aquilo que disse a outro leitor que perguntou algo parecido, mas em relação ao governo militar brasileiro: eu sou contra qualquer regime político que use de cerceamento de liberdade de pensamento alheio para qualquer finalidade que seja. Em outras palavras, mesmo se surgisse um ditador pregando exatamente todas as coisas que eu defendo do início ao fim, mas que quisesse impor essas coisas na sociedade pela força e restringir a liberdade dos contrários a se opor a isso, eu seria contra.

      O caso de Pinochet é um desses casos emblemáticos, pois até onde se sabe, essa foi a única ditadura que "deu certo" (em termos econômicos, me refiro), mas isso não justifica as atrocidades que se cometem para se chegar a este fim (o fim não justifica os meios!). De fato, é quase impossível surgir um ditador liberal porque isso contraria os próprios princípios liberais, mas isso às vezes pode acontecer porque pessoas de coração duro e de mente autoritária existem em qualquer lugar, não só na esquerda, e podem inclusive passar por cima de seus próprios valores teóricos se julgar ser mais vantajoso na prática.

      Excluir
  11. Por que será que o Conde não tem namorada?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande mistério, extremamente difícil de ser desvendado...

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    3. Para isso acontecer (parar de só xingar e chorar) ele teria que passar por umas cinquenta sessões de exorcismo primeiro. E mesmo assim acho que não adiantaria, é um caso perdido.

      Excluir
    4. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    5. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  12. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A morte é a cessação total de existência do ser racional para qualquer ser humano, seja justo ou ímpio. A diferença é que o justo ressuscita para uma vida eterna, enquanto o ímpio ressuscita para ser castigado proporcionalmente aos seus pecados pelo tempo respectivo e então ser condenado ao inverso da vida: a morte. Além de todo o arsenal bíblicos de versículos sobre esse tema, há ainda uma questão de lógica: não seria justo se alguém como Caim ficasse queimando no inferno por seis mil anos até a volta de Jesus, enquanto um assassino idêntico a Caim que morresse poucos segundos antes de Jesus voltar queimasse só por alguns secundos e pronto. Isso faz pouca ou nenhuma diferença para os crentes no tormento eterno (pois no fim das contas os dois queimariam eternamente do mesmo jeito), mas tem implicações enormes para aqueles que aceitam o "estado intermediário" sem crer no tormento eterno (como conheço vários casos).

      Excluir
  13. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é racional aceitar a "predestinação única" e rejeitar a "dupla predestinação", pois a partir do momento em que você tem dois casos (A e B) e predestina apenas A para ser salvo sem dar absolutamente nenhuma chance de B ser salvo também, automaticamente você está condenando B ao destino inverso, e no caso ele também está "predestinado".

      Esses outros que você citou também são caluniados pelos católicos sim, eu já li algumas calúnias, a diferença é que Lutero e Calvino se tornaram muito mais conhecidos e tiveram uma influência muito maior no protestantismo do que esses outros homens, por isso eles preferem caluniar os "da linha de frente" mais que os demais.

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    3. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    4. Nunca vi essa afirmação de que Melanchton teve duas esposas em nenhum livro de história. Deve ser coisa de fanático católico maluco pra variar, tem uns aí que eu já vi até dizendo que Lutero teve umas seis ou sete esposas, esse povo não se cansa de mentir e nem tem vergonha na cara. Criatividade é o que não falta.

      Quanto a Savonarola, pelo menos as profecias dele constam nos livros, então tem uma chance real de ser verídico.

      Excluir
    5. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    6. Alguém não se torna "herege" por causa disso. E não, eu não me referia a livros didáticos, mas isso não significa que todos os livros didáticos sejam ruins, ou que não haja proveito na leitura deles. Eu por exemplo só passei a gostar de História após ler um livro didático inteiro do Anglo há uns dez anos atrás, muito bom.

      Excluir
    7. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  14. Esses apologistas católicos são iguais ao que criticam no pessoal de esquerda. Acusam de tentar ganhar argumentos no grito, através guerras de narrativas fraudulentas. Como o povo não tem tanto conhecimento, acaba caindo no engodo, mas vem mudando um pouco. A população ta mais atenta com partidos de esquerda ou extrema-esquerda.

    Os apologistas usam a mesma, por isso conseguem ser ainda piores que o pessoal do PSOL, PCdoB, PT, etc. Tentam ludibriar mesmo afirmando que isso é algo sujo e errado.

    ResponderExcluir
  15. Oi Lucas.
    Gostei do artigo, excelente. Mas gostaria de fazer uma pergunta fora do tema: O arcanjo Miguel e Jesus Cristo são a mesma pessoa? A conclusão que se trata da mesma pessoa é um ensino claro das Escrituras ou uma interpretação? Obrigado amigo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não creio que sejam a mesma pessoa, escrevi sobre isso aqui:

      http://lucasbanzoli.no.comunidades.net/jesus-e-miguel

      Abs!

      Excluir
  16. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não conheço nenhum. Aceitar um primado de honra é diferente de crer em um primado jurisdicional (se aceitassem o primado jurisdicional, teriam que se submeter ao papa e portanto deixariam de ser protestantes, por lógica).

      Eu tento responder a todos os comentários, especialmente os que exigem resposta, mas as vezes demora um pouco (como nessa última vez que levei dois dias). Portanto acho que o James Swan ganha :)

      Excluir
  17. Os fascistas se identificam como terceira via, eles se acham superior a direita e a esquerda também(apesar de Mussolini ter se inspirado em George Sorel). Eu não tira rasões de apoia Franco, pois o que os republicas faziam eram coisas horríveis. E e o quadro fala sobre o uso medicinal da maconha, tem países ai que não é legalizado o uso). -Desculpa se não entende alguma coisa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O fato de um regime praticar coisas horríveis não justifica a adesão a outro regime que também pratica coisas horríveis. Pegue como exemplo a Alemanha de Hitler, que tinha os comunistas (que mataram milhões naquele século) em oposição ao Partido Nazista (que cometeu toda a barbárie que conhecemos bem). Qual lado devemos "defender"? Nenhum. Os dois estão errados. O problema é que algumas pessoas veem tudo em "preto e branco", acham que sempre tem que ter um vilão e um mocinho pra tudo, quando em História as coisas não são bem assim.

      Sobre a questão do uso da maconha, o quadro não diz respeito somente aos países que legalizaram a maconha mas também aos que mais a toleram, mas se eu considerasse apenas os que a legalizaram de fato, o resultado seria o mesmo.

      Excluir
  18. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pregação temática é quando você pega um tema (ex: o amor de Deus) e disserta sobre ele de forma geral e livre. Pregação expositiva é quando você pega um versículo bíblico em específico (por exemplo, João 3:16) e a partir dele constrói todo o restante da pregação, fazendo exegese do contexto, relacionando com outros versículos e tirando aplicações práticas.

      Excluir
  19. Eu vejo o meninão-carente-de-atenção repetindo toda hora que, para haver uma "heresia" é necessário haver uma "ortodoxia", e que se você diz que a ICAR é herética, logo, você é o exemplo de ortodoxia. Como responder isso?
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. O padrão de heterodoxia não é a ICAR, mas a Bíblia. Mesmo porque o que a Igreja de Roma ensina hoje como "ortodoxo", não é necessariamente o mesmo que ensinava antigamente. E doutrinas não são "mutáveis". É só nas Escrituras que encontramos essa imutabilidade que determina o padrão de ortodoxia.

      Excluir
    3. Esse tal Conde tenta passar que somente existe no mundo católicos e protestantes. É bem bizarro no que fala.

      Se os católicos erraram por 1500 anos, precisaria provar através da história que a doutrina protestante é a correta. Esse é o argumento que ele levanta, mas não tem nenhum respaldo histórico, nem mesmo lógico. Ele usa apenas de falácia e tenta ganhar argumentos sem demonstrar nenhuma evidência do que diz.

      Em primeiro lugar, existe outros grupos que tb alegam tem uma tradição apostólica (ortodoxos, coptas e outros) e discordam da doutrina católica. Cabe a ele demonstrar que estes grupos não tem uma doutrina ortodoxa e não é através de falácia que irá conseguir.

      E se for analisar os pais da igreja, verá que a doutrina católica não está em ortodoxia com estes ensinos.

      Excluir
  20. A Alemanha foi um exemplo de país protestante que caiu na ditadura? E houveram outros?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Respondi sobre isso aqui:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2017/04/a-igreja-catolica-e-o-baluarte-do_28.html?showComment=1493564673291#c8809329082470550655

      Excluir
  21. Se satanás sabia que a morte de Jesus salvaria o mundo, porque satanás colaborou com isso entrando em judas? Mas há momentos tb que parece que satanas tenta evitar Jesus de ir a cruz influenciando Pedro que tentou fazer Jesus desistir da cruz ? Parece uma contradição isso ?

    Outra pergunta: há momentos que está escrito na bíblia que tentam jogar Jesus de um precipicio e a biblia diz que Jesus passou no meio deles. Como assim? parece que ele era um fantasma que passa no meio das pessoas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Talvez Satanás não soubesse exatamente A FORMA com a qual Jesus iria salvar o mundo, e pensava que matando ele "antes da hora" iria evitar isso, quando na verdade estava justamente colaborando pra isso.

      Sobre Jesus passar no meio das pessoas, os intérpretes se dividem a este respeito. Alguns entendem que Jesus simplesmente abriu espaço no meio da multidão e fugiu como uma pessoa comum, enquanto outros acreditam que houve uma espécie de arrebatamento terreno, tal como o que aconteceu com Filipe em Atos 8:39-40 e talvez com o próprio Senhor Jesus em Mateus 4:1. Neste caso Deus teria poupado a vida de Cristo vendo que ele estava prestes a ser morto antes de cumprir plenamente a sua missão e impediu milagrosamente que isso acontecesse.

      Excluir
  22. https://youtu.be/bqzQ5LCjiWo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seus comentários sobre a a unidade católica.

      Excluir
    2. Veja nesses artigos:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2015/03/o-ufc-catolico.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2015/05/o-que-podemos-aprender-com-o-fight.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2015/08/mais-uma-prova-da-unidade-catolica.html

      E mais sobre a temática nesta tag:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/search/label/Unidade%20Católica%20e%20Divisão%20Protestante

      Excluir
  23. Acho você e o Gledson Meireles(católico) dois apologistas de alto nível, que tem um conhecimento verdadeiro sobre o que a religião do outro ensina/professa, e adoraria ver um debate entre os dois. O que acha?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também gostaria. É um dos poucos apologistas católicos que eu admiro pela educação, inteligência e honestidade intelectual que demonstrou ter até hoje e que eu torço que continue tendo sempre. Talvez alguém poderia organizar um hangout um dia desses, mas aí teria que ver com ele as questões de disponibilidade.

      Excluir
  24. Teve um movimento fascista na Croácia chamado Ustaše ou Ustaška que parece que queria(não tenho certeza) mata todos os ortodoxos da Servia pra forma uma teocracia católica. Tu podia pesquisa mais sobre isso?

    ResponderExcluir
  25. você poderia a partir de agora fazer estudos sistemáticos de história da igreja? Poe exemplo, vc faz um artigo somente de como era a igreja no século 1 em tudo o que ela cria e era desenvolvida. Depois vc faz outro artigo de tudo como a igreja era no seculo 2 e assim por diante, qdo as coisas começam a mudar, o que cada igreja pensava em cada época, etc... creio que isso seria enriquecedor para nós. graças

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu pretendo fazer isso em um curso sobre história da Igreja, mas não é pra agora. De forma bem mais resumida, escrevi algo a este respeito neste artigo:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2015/05/um-pequeno-resumo-da-historia-da-igreja_8.html

      Excluir
  26. Lucas meu irmão , mudando de assunto fiquei chocado o Pe. Fábio de Melo pregando na Igreja do "Pastor" Kléber Lucas chamada de "igreja Batista"... o cara que foi casado 2 vezes não tem moral de ser considerável verdadeiro homem de Deus , com letras Heréticas, dando abertura cada vez mais para o Ecumenismo, com essa a Canção Nova vai dizer que os irmão separados no qual eles nos chamam, os protestantes iram voltar ao Catolicismo...ver se pôde Lucas?Sabe o que isso é falta de respaldo Bíblico e conhecimento profundo teológico, contrariando os reformadores que combateu tanto essa mistura por tão perigoso e maculando a Igreja de Cristo.Qual a sua opinião a esse triste acontecimento? pelo que vejo isso pode virar moda , tentando diminuir e destruir as bases da reforma se é que você me entende.Abraço e fica com Deus!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse ecumenismo só serve às intenções da Igreja Romana, que perdendo cada vez mais fieis em um ritmo cada vez mais acelerado e sem mais os seus instrumentos de perseguição, tortura, intimidação e assassinato que tinha antes (como a Inquisição) só lhe restou apelar ao ecumenismo, numa forma de fazer com que as pessoas pensem que todas as religiões são iguais e que portanto não há qualquer necessidade de sair de uma religião e aderir a uma outra. É o jeito que eles encontraram para frear essa onda de conversões ao protestantismo, algo totalmente diferente do que eles praticavam na época em que eram eles que estavam no poder e quando todo mundo era católico por obrigação. Primeiro eles perseguiam e matavam todo mundo; agora que não podem mais continuar fazendo isso, apelam ao "diálogo" e se fazem de "amiguinhos" para ver se assim os protestantes ficam na sua ao invés de continuar convertendo católicos.

      Abs!

      Excluir
  27. Caro Lucas, boa tarde.

    Serei breve, desculpe-me pelo off-topic. Descobri recentemente seu blog, e lhe pergunto sem rodeios. Quais traduções bíblicas indicaria?

    ResponderExcluir
  28. Qual a diferença do significado de Idade Média e Idade das trevas?fique na paz !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Idade Média é o termo técnico, "Idade das trevas" é uma designação que alguns fazem da Idade Média, considerando-a um período de obscurantismo puro.

      Excluir
  29. Marcos Trinitariano1 de maio de 2017 19:14

    Lucas, irmão agradeço a Deus pelos seus excelentes artigos que tem ajudado bastante a nossa comunidade Protestante.Cada vez mais você está esclarecendo sem hipocrisia os podres do romanismo...apesar dos ataques ferozes dos romanos ainda temos Apologistas de renome como você, o Bruno Lima e entre outros, apesar de poucos apologistas em relação ao Catolicismo, mas você e outros apologetas Protestantes respondem a altura e com ousadia do Espírito e é isso que me conforta e que continue assim irmão destemido na força do poder de Cristo te iluminando cada vez mais, por que Lucas tens ajudado e muitos evangélicos. concerteza , digo isso pelos meus amigos, colegas daqui do nordeste principalmente líderes da denominação do qual faço parte Aliança em Cristo estamos estudando e instruindo muitos nossos irmãos da nossa congregação com vários de seus artigos, principalmente em se tratando do ano que a Reforma faz no dia 31 de outubro 500 anos que nós fomos libertos das garras da tirania romana...graças ao bom Deus.fica com Deus!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelas suas gentis palavras Marcos, Deus lhe abençoe igualmente!

      Excluir
  30. Olá Lucas, Não que Lutero esteja para o protestantismo como Maomé está para o islã, mas que outros dogmas católicos (se é que existem) Lutero acreditava além da virgindade perpetua de Maria?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem no dogma da virgindade perpétua Lutero acreditava. É diferente acreditar numa coisa, e acreditar nessa coisa COMO DOGMA. Lutero nunca dogmatizou em torno da questão da virgindade perpétua de Maria, embora acreditasse nisso (claro, influenciado pela visão de todos os católicos de sua época).

      Excluir
    2. Toda vez que alguém citar que Lutero acreditava em tal e tal coisa devemos lembrar que ele foi um bispo católico e que ao longo da vida foi buscando a verdade, logo ele acreditou em algumas coisas, porém ao fim da vida ele deve ter deixado diversos dogmas de lado.

      Excluir
  31. Sobre o porque o Conde não tem namorada, veja esse tópico e dê umas boas risadas:
    http://forum.jogos.uol.com.br/pq-o-conde-loppeux-nao-tem-namorada_t_3687602

    Abs!

    ResponderExcluir
  32. Lucas tenho lidado com muitos ateus, devido isso tenho buscado cada vez mais informações pra formulação de argumentos, você pode auxiliar com alguma dica de livro ou estudo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Veja aqui:

      http://ateismorefutado.blogspot.com.br/2014/12/livros-recomendados.html

      Os meus livros na lista você pode baixar gratuitamente em pdf ou em Word, assim como os outros livros da tabela:

      http://www.lucasbanzoli.com/2017/04/0.html

      Dos outros livros, alguns você encontra pra download, outros é só comprando mesmo. Também poderá ser útil essa lista de sites e blogs abordando a mesma temática:

      http://ateismorefutado.blogspot.com.br/2014/12/sites-e-blogs-recomendados.html

      Abs!

      Excluir
  33. O reverendo Frank Brito postou isso em um grupo do facebook, pode comentar?

    " O sistema dispensacionalista, em sua totalidade, depende de uma única premissa básica: que é possível que, sob o Novo Pacto, Deus tenha um templo físico em Jerusalém. Sem essa premissa, não há dispensacionali
    smo. Todavia, Hebreus 9 nega que possa existir um templo físico sob o Novo Pacto. Logo, o dispensacionalismo é falso."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nada a ver. Hebreus 9 não fala que "não pode existir templo físico" no Novo Pacto, até porque na época em que o autor de Hebreus escrevia, já na nova aliança (inaugurada com a morte de Cristo), AINDA EXISTIA O TEMPLO. Ele só foi ser destruído em 70 d.C, mas existiu perfeitamente bem entre 33 e 70 d.C, já na nova aliança, e não há nada que impeça de voltar a existir nos tempos do fim. O que o autor de Hebreus escreve não é sobre a inexistência do templo de Jerusalém, mas sim sobre a inutilidade do mesmo, agora que o Cordeiro de Deus já se fez sacrifício perfeito e permanente pelos pecados e portanto não há mais a necessidade de sacrifícios (que se faziam no templo). É por isso que no fim dos tempos o templo será reconstruído pelos judeus (que ainda seguem a antiga aliança), e não por cristãos.

      Excluir
  34. Lucas tem como vc corrigir pra mim esse texto de um calvinista? Aí vai :

    Se Deus DETERMINAR o pecado,fosse o mesmo que Ele COMETER o pecado que Ele próprio DETERMINOU,
    Então a Bíblia jamais poderia ensinar que, pelo menos os pecados que algumas pessoas cometeram(cf.Atos2.23) contra Jesus, foram anteriormente determinados(προορίζω) pela mão(χείρ/fig. de poder) e conselho(βουλή) do Deus Santíssimo da Bíblia
    (Cf. Atos, 4:27-28).
    Portanto, a assertiva de que Deus determinar o pecado é o mesmo que cometer o pecado que Ele próprio determinou, contradiz claramente o ensino de Atos 4.27-28.

    Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que foi determinado não foi o pecado praticado por pessoas específicas, mas a morte de Jesus para pagar o preço do pecado humano após Adão ter falhado. O "o que" foi predestinado, mas o "quem" e o "como" não, de modo que os indivíduos que praticaram aquilo são responsáveis pelos seus atos.

      Excluir
  35. Sou homem, é pecado usar maquiagem?
    *Vários apresentadores de televisão usam para melhorar a pele.
    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Depende da finalidade, se a maquiagem for para ficar parecido com uma mulher (como um travesti, por exemplo) aí a Bíblia proíbe sim, mas neste caso que você citou é lógico que não, porque visa apenas cuidar da pele e nada mais. Abs!

      Excluir
  36. Lucas, você acredita que Deus "Vê" ou conhece o futuro, em acordo com a Onisciência dele?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, é o que a Bíblia ensina.

      Excluir
    2. Sua pergunta esta imperfeita. Deusnem sempre faz as coisas acontecerem, principalmente o lado mau.

      Deus não está na porta do banco amanhã esperando o ladrão para ajudá-lo no assalto, mas o anjo do Senhor é enviado para livrar seus servos.

      Saber o que pode acontecer não significa que ele viu de antemão que já aconteceu. Deus nao fica tramando o mau contra ninguém.

      As coisas que acontecem amanhã nao foram determinadas na eternidade, em minúcias.

      Excluir
  37. Lucas, eu estava debatendo com um espirita e, eu rebati cada argumento deles, seja sobre alma, espirito, quem e o que é o Espirito Santo, Se jesus é apenas um ser evoluido, enfim, o debate estava "fluindo".

    daí, ele me mostrou um versiculo de lucas, que jesus entrou em uma casa que estava fechada, e tipo, do nada!
    queria saber sua opinião sobre isso, abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que aconteceu naquela ocasião é um caso de arrebatamento terreno semelhante ao que ocorreu com Filipe em Azoto:

      "Quando saíram da água, o Espírito do Senhor arrebatou Filipe repentinamente. O eunuco não o viu mais e, cheio de alegria, seguiu o seu caminho. Filipe, porém, apareceu em Azoto e, indo para Cesaréia, pregava o evangelho em todas as cidades pelas quais passava" (Atos 8:39-40)

      Não é que Filipe fosse um ser imaterial ou incorpóreo, mas apenas que Deus por milagre decidiu tirar ele de um lugar e colocá-lo em outro, da mesma forma que fez com Jesus naquela ocasião, quando apareceu para os seus discípulos.

      Excluir
  38. Então você considera alguém como Gledson Meireles como seu irmão em Cristo? Ou: existem católicos que são irmãos em Cristo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Respondi aqui:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2017/03/novo-livro-biblia-e-escravidao.html?showComment=1490090589109#c299153263629197149

      Excluir
    2. 1. Heresia separa alguém do corpo de Cristo.
      2. Catolicismo Romano é heresia (seu conceito de "comunhão dos santos" e "justificação", e toda eclesiologia, são inimigos do Evangelho)
      3. Quem afirma plenamente a doutrina da ICAR, é herege, portanto não pode ser irmão.

      É essa a verdade, sem firulas. Há católicos lato sensu irmãos e eleitos, mas esses não estão de acordo com a doutrina da ICAR, por definição lógica. Quantos Wycliffes e Huss quietos será que existem ou existiram pela Polônia e Itália? Eu acredito vários. No Brasil diversificado contemporâneo é mais complicado, como alguém que foi tocado pelo Espírito Santo permanece num ambiente herético por simples e espontânea vontade? Se fizermos essa "boa ação"(que na verdade é muito má) com os católicos, seremos induzidos a fazer também com neopentecostais e testemunhas de Jeová, o que para mim está fora de questão

      Excluir
  39. De todos os católicos (Leitão, Olavo, conde, Paulo Ricardo, Macabeus, Fakenando) prefiro o Leitão. É sincero e se baseia em fontes verídicas (do Vaticano) pra justificar o catolicismo e as próprias convicções. Paulo Leitão é o reflexo da doutrina católica.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não conheço esse Leitão, mas você falou uma verdade.

      Uma vez já li discordâncias do grupo Montfort com o pessoal do site Veritatis sobre o concílio do vaticano 2, e dá pra ver que esses grupos tradicionalistas (Montfort, Conde, Olavo) interpretam tudo como bem convém, sem nenhum respaldo histórico ou teológico. Apenas aceitam da doutrina católica o que fazem eles se sentir melhor.

      Excluir
  40. Banzoli veja o texto que o pastor Gabriel Porto postou sobre o salvo não perder a salvação. Onde ele erra? Veja:

    Antes de afirmar que a salvação pode ser perdida, precisamos entender como ela é concedida. Deus, em sua presciência, já sabia desde a eternidade passada, quem iria crer e permanecer fiel, e quem não iria crer, ou iria abandonar a fé. Com esse conhecimento prévio nas mãos, Deus, ainda na eternidade passada, antes da criação do mundo, já elegeu para salvação aqueles que haveriam de crer e perseverar (Rom. 8.29-30; 1Pe. 1.1-2) e escreveu seus nomes no livro da vida (Ap. 13.8; 17.8)
    Sendo assim, aqueles que não crerão ou abandonarão, nunca tiveram seus nomes escritos no livro da vida, pois Deus já sabia que o estado final deles é a perdição. Como seus nomes nunca tiveram escritos no livro da vida, eles nunca foram eleitos, e por consequência. nunca foram verdadeiramente salvos.
    Portanto, afirmar que exista de fato, perda de salvação, ou afirmar que Cristo risque/tire o nome de alguém do livro da vida, NEGA A PRESCIÊNCIA DIVINA, pois infere que no momento em que escreveu os nomes, Cristo ainda não sabia quem iria permanecer e quem não iria, e que Ele precisa acompanhar a vida da pessoa para só então, descobrir se ela permanecerá fiel ou não. Isso não é arminianismo irmãos, isso se chama TEÍSMO ABERTO.
    Resumindo, afirmar perda de salvação, nega a presciência (onisciência) divina, e é meio caminho andado em direção ao teísmo aberto.
    Outro ponto a ser observado é que EM NENHUM LUGAR DA BÍBLIA, nem no AT nem no NT, está escrito que Deus risca/tira o nome de algum salvo do livro da vida. Pelo contrário, SEMPRE está escrito que ele NÃO APAGA, o nome do eleito.
    É importante entendermos que Deus não tem um livro só. Textos como Dn. 7.10 e Ap 20.12 nos mostram que Deus tem vários livros, ou pelo menos 2 grupos distintos. Um deles é o livro da Vida onde está escrito os nomes dos salvos.
    O outro (ou outros) são os chamados livros de Deus, "teu livro" ou "livros dos viventes". Esses livros, são uma representação da presciência divina, eles contém o histórico da vida de cada pessoa que já viveu, vive ou viverá nesse mundo. Textos como Êxodo. 32.32; Salmos 40.7; 56.7; 69.28; 139.16 são todos eles, textos que falam do livro dos viventes, o livro de Deus, que é o registro da onisciência divina. Nenhum desses textos fala a respeito do livro da vida.
    E o que seria ser riscado do livro dos viventes, o livro de Deus? A cultura hebraica do AT, entendia que a própria existência da pessoa estava vinculada ao nome dela estar nesse livro, então se ele fosse apagado, do livro, a pessoa morreria e deixaria de existir nesse mundo. Alguns textos nos sugerem que eles tinham a ideia de que a existência dessa pessoa seria totalmente apagada, como se ela nunca tivesse existido.
    Resumindo, ser riscado do livro dos viventes, significa apenas morrer fisicamente, e nada tem a ver com perda de salvação.

    Obs:Dessas citações que eu fiz do chamado livro de Deus, ou livro dos viventes, a citação do Salmo 69.28 carece de uma atenção especial. Pois algumas versões da Bíblia, traduzem o termo "MISEFER HAYIM como "livro da vida", mas essa não é a tradução mais correta, porque o termo (HAY = vida) está no plural, logo a tradução literal seria livro DAS VIDAS.

    Nossa mentalidade ocidental acabada dando ao termo "vida" um significado muito abstrato, mais a mentalidade hebraica tem significado muito mais literal e prático aos termos. Então essas vidas a mencionadas, são as vidas das pessoas, ou seja, o histórico de tudo que a pessoa fez durante a sua vida.

    Por isso, traduções como a ACF e a tradução literal (O livro) traduzem como "Livro dos Vivos" ou livro dos viventes. que é a tradução mais correta com a gramática do texto e com a ideia que ele expressa.

    Portanto, eu reafirmo o que disse na publicação inicial, não há na Bíblia NENHUM texto que diga que Deus apaga ou risca o nome de algum eleito do livro da vida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deus apagar não tem nada a ver com sua presciência tem falhado, isso seria a mesma acusação dos ateus que usam o caso da prova de Abraão no monte com Isaque como uma "prova" de que Deus não era presciente já que se ele fosse presciente ele já saberia que Abraão seria fiel e portanto não teria pedido "prova" nenhuma para ver se era ou não. O mesmo vale para o pecado de Adão, para a rebelião de Satanás no céu (que Deus criou mesmo sabendo que se rebelaria), e assim por diante. Acontece que Deus, embora seja onisciente, não pauta as suas ações com base na sua onisciência, ou seja, na maioria das vezes ele age da mesma forma que agiria caso não fosse onisciente, essa é a razão pela qual vemos tantos exemplos do tipo na Bíblia, o que inclui o caso do livro da vida e dos nomes apagados dele – que, diga-se de passagem, é dito EXPLICITAMENTE que são apagados mesmo, veja aqui:

      http://apologiacrista.com/e-possivel-perder-a-salvacao

      Se não quiser ler o artigo inteiro (que é grande), procure por “livro da vida” pelo localizador (ctrl + f).

      A alegação de que se tratam de “livros diferentes” é completamente ridícula, o termo “livro da vida” no Novo Testamento não é nada a mais do que uma tradução do mesmo termo no hebraico do Antigo Testamento. João no Apocalipse não estava inventando nenhum livro novo, ele estava apenas fazendo alusão ao mesmo livro, e cabe lembrar que João constantemente faz alusões veterotestamentárias no Apocalipse, sendo este apenas mais um caso. Inclusive eu me lembro de já ter respondido a essa mesma pergunta feita há uns anos atrás, quando eu fui buscar os termos no hebraico e no grego, comparei e vi que se tratava da mesma coisa.

      Excluir
    2. Os nomes das pessoas no livro da vida foram escritos foi escrito desde a fundação do mundo ou ele está sendo escrito até agora? Eu vi que o debate entrou até nesse campo de tempo verbal. Ouvi falar que Arminio defendia que o salvo não perde a salvação, outros dizem que a questão ficou em aberto e agora? Segundo alguns para Armínio existem 2 tipos de crentes o eleito e o crente, e o eleito jamais perderá a salvação já o crente pode perder sim ,o crente é aquele que apostatou da fé , andou nos caminhos mas por algum motivo abandonou a fé.

      Excluir
    3. Sobre a posição de Armínio, veja aqui:

      http://www.cacp.org.br/arminio-e-a-possibilidade-de-perca-da-salvacao/

      Sobre quando o nome das pessoas é escrito no livro da vida, veja aqui:

      http://apologiacrista.com/como-entender-a-predestinacao

      A parte sobre o livro da vida é o tópico anterior à conclusão, lá no final.

      Excluir
  41. Lucas noto que entre os países protestantes africanos há um histórico maior de ditaduras, por exemplo no Zimbábue,Robert Mugabe está no poder há 30 anos, e antes dele havia um regime de apartheidad similar ao que ocorreu na África do Sul,aliás na própria África do Sul, Nelson Mandela apesar de ser celebrado como pacifista,estava longe de ser o homem bondoso e amoroso que a mídia mostrava,diversas fontes o apontam como autor de diversos atentados a bombas praticados nesse país durante os anos 60,por isso foi preso,outro país protestante,Uganda ficou célebre por um ditador bem cruel que praticava canibalismo,Idi Amin Dada, acreditas que o protestantismo africano seja sincretizado com a cultura tribal e politeísta predominam ente no continente antes da colonização européia? Eu lembro que durante o funeral de Mandela haviam ritos similares ao candomble brasileiro,acreditas que muito protestantes africanos ainda estejam influenciados pelo sincretismo religioso?Falando em África,o que achas do pastor David Owuor? Ele é chamado por muitos de "O Profeta da Chuva",já que por diversas vezes em cultos realizados no Quênia, seu país natal ,enquanto orava a chuva caiu,e o país passava por uma seca de vários meses,e ele já preveu vários terremotos, há vídeos de uma visita dele no Haiti,poucas semanas antes do terremoto e ele avisou,assim como avisou do terremoto que ocorreu na Itália ano passado,inclusive tendo falado da janela azul que apareceu nos noticiários, muitos podem o achar sensacionalista,mas ele me parece pregar o verdadeiro evangelho,de salvação, arrependimento e não pede dinheiro, é contra a teologia da prosperidade

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sobre a primeira parte do que você disse, o problema não é apenas esse, mas principalmente o fato de que esses países se tornaram evangélicos há apenas algumas décadas, ou seja, não são países de matriz ou tradição protestante, não são países com uma cultura moldada por séculos de protestantismo, isso sem falar que nenhum deles é tão protestante assim, na maior parte dos casos só tem uma maioria por uma porcentagem pequena em relação às demais religiões, às vezes não chega nem a 50% da população total. Como não se muda uma cultura inteira do dia pra noite, a mentalidade daqueles povos continuou parecida com a que tinham antes, por isso não surtem o mesmo efeito, embora mesmo assim seja possível falar em algum progresso em relação a outros países africanos que não passaram por conversão.

      Sobre a segunda questão, eu confesso não conhecer esse pastor antes de você mencioná-lo, embora ele pareça ser bem famoso. Fui pesquisar um pouco sobre ele depois disso, assisti a algumas entrevistas e me pareceu alguém com uma mente bem centrada no evangelho, e não como alguns lobos que conhecemos por aí que só querem saber de dinheiro. Eu creio na atualidade dos dons espirituais, inclusive no de profecia, talvez ele seja um profeta sim, agora isso não cabe a mim determinar, teria que conhecer melhor a vida dele pra saber. Ainda mais pelo seu último comentário, onde você faz menção a uma profecia dele que (pelo menos até agora) não foi cumprida. Por isso aqui cabe o conselho de Paulo - examinar tudo e reter o que é bom.

      Abs!

      Excluir
  42. O Gledson Meireles já disse que aceitaria um debate com você também, e perguntou qual tema especificamente. O que você sugere?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poderia ser sobre Pedro ser papa, um tema que ele escreve muito.

      Excluir
    2. Esse debate aconteceu?

      Excluir
    3. Então ainda vai acontecer?

      Excluir
    4. Por mim poderia ser hoje, poderia ser qualquer dia que ele quisesse. Mas não sou eu que estou organizando nada, eu apenas respondi o comentário do leitor que queria ver esse debate, mas depois não voltou mais.

      Excluir
  43. Olá Lucas.
    Baixei oito de seus livros e estou sendo abençoado com boa e edificante leitura. Deus continue lhe abençoando amigo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, fico feliz por saber que os livros estão sendo úteis. Abs!

      Excluir
  44. Mas o Dr David Owuor,o chamam assim porque ele fez de fato doutorado em ciências médicas em uma universidade dos EUA,foi professor universitário é de fato um médico e largou uma carreira promissora para pregar o evangelho,por isso sempre o escuto com atenção,me parece pregar o evangelho verdadeiro,no entanto ele fez uma profecia sobre um forte terremoto atingir o Brasil,no Brasil nunca houve terremotos fortes,não temos essa tradição,mas claro que com a permissão de Deus pode ocorrer,o que achas Lucas? Aqui está o vídeo da profecia https://www.youtube.com/watch?v=SeatW-_tD8U

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Comentei sobre ele acima (no seu outro comentário). Abs!

      Excluir
  45. Qual sua opinião sobre a alma em si? Parece-me claro que ela é dependente do corpo, e vice versa, mas se ignorarmos que ela é além disso também uma substância supernatural, o problema ateísta da unidade do eu e a própria Incarnação e união hipostática do Filho se tornam conflitos insolúveis.

    É interessante também que a doutrina da aniquilação após o tormento enfraquece o argumento emocional arminiano de que "Deus está predestinando as pessoas para o inferno(!!!!!!)"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A alma é o que o ser humano é como um todo. Uma alma vivente é um ser vivo. Eu falo sobre isso no livro, se quiser pode baixar aqui:

      http://www.lucasbanzoli.com/2017/04/0.html

      Ou então veja nesse resumo simples e rápido:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2014/05/resumo-simples-sobre-o-estado-dos-mortos.html

      A união hipostática (doutrina que eu não creio, por outras razões) não tem nada a ver com a alma em si, mas sim com a divindade unida ao corpo físico de Cristo, independentemente de existir uma alma separada do corpo ou não. Ou seja, para existir uma união hipostática basta a existência das duas naturezas (humana e divina) em uma só, e isso existe no sistema holista e é por isso que muitos holistas (como os adventistas) creem na união hipostática.

      "É interessante também que a doutrina da aniquilação após o tormento enfraquece o argumento emocional arminiano de que "Deus está predestinando as pessoas para o inferno(!!!!!!)"

      Sim, mas não totalmente, porque continua havendo a arbitrariedade para com os não-eleitos, que no caso ficariam ausentes de uma vida eterna e ainda seriam castigados por um tempo e aniquilados, enquanto outros pela pura sorte de terem sido os escolhidos seriam salvos e herdariam uma vida eterna sem nenhum tipo de castigo e sofrimento. Então ameniza um pouco, mas não refuta o argumento em si. A arbitrariedade e aceptação de pessoas continua existindo.

      Excluir
  46. Lucas, o credo de Niceia é de autoria de santo Atanásio? Li em um livro (A história da teologia cristã - Roger E. Olson - Ed. Vida) que a origem é desconhecida e remota, talvez, ao I ou II século e provavelmente era citado no batismo dos primeiros cristãos. O que você acha?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem certeza que ele disse isso? Eu não me lembro dessa citação no livro, e agora que você falou eu reli rapidamente a parte que fala do Credo de Niceia e também não encontrei. Se puder me indicar a página onde ele afirma isso, eu agradeço. Que eu saiba, não há dúvidas de que o Credo é de autoria de Atanásio, que foi o grande homem do Concílio de Niceia. Seria estranho dizer que vinha desde o século I, sendo que ao longo dos séculos houve muita confusão sobre esse assunto e muita gente sustentando o contrário. E na descrição de Justino sobre o batismo na Apologia não tem nada do Credo de Niceia também, então não tem base dizer que era citado no batismo dos primeiros cristãos (a não ser que ele tenha alguma outra fonte antiga que eu desconheça).

      Excluir
  47. Olavo postou isso, o que acha?

    "Se Jesus bate à porta e quer Se apresentar, o teologuinho brasileiro vai expulsá-Lo, dizendo: "Não quero conhecer Você. Quero ser salvo pela fé.""
    Abraço. Não esquece de me mandar um abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      É tão tosco e risível que não dá nem vontade de parar de rir para responder. Falando sério, é INACREDITÁVEL que um senhor com a idade dele esteja pagando um mico desses em rede social, e mais inacreditável ainda que ele leve a sério esse tipo de "argumento" e que tenha seguidores acéfalos o suficiente para levarem a sério tamanha burrice.

      Por acaso essa fé que os protestantes dizem que salva é a fé em Buda, em Alá, em Maria, em discos voadores ou NO PRÓPRIO CRISTO? E quem é que tem fé genuína em Cristo, fazendo-o o centro da sua vida, e não quer conhecê-lo? Já sei: quem realmente quer conhecer a Cristo são aqueles que só falam em Maria e buscam a salvação pelas obras. Esses sim estão loucos por conhecê-lo!

      Abs...

      Excluir
    2. Cara, o Olavo não sabe nada sobre teologia cristão, não pode ser. Será que ele não consegue perceber que há um processo para o conhecimento de Cristo, e que o passo a ser dado por nós é o passo da fé, exatamente esse aí que ele ironizou. Cristo se apresenta e cabe a nós, por meio da fé, aceitá-lo como salvador. É tão difícil entender? Mas é claro, isso confronta o sacrossanto catolicismo, então, ai meu Deus, deixa eu fazer uma ironia aqui para convencer os incautos...

      Excluir
    3. Até onde vai os desvaneios desse senhor herege fumador de charuto e que reside e desfruta num país protestante é além da compreensão.
      Pode até ser bom quando debate política mas a ironia é que os esquerdistas que ele tanto refuta está no mesmo nível de estupidez e cegueira que ele como catoleigo esta.
      O cara é tão ignorante qué não percebe o nível da heresia que ele cometeu ao falar isso. E é burro: porque ninguém hoje em dia vivo viu Jesus, e ele crê Nele como? Pela fé. Mesmo os discípulos, como poderiam crer que Aquele era o Messias? Pela fé. A fé (VERDADEIRA, sr. Olavo) é fonte de tudo.
      Além de que está bem claro que a fé é o que salva. E fica esse fariseu do século 21 tentando desmerecer a Palavra do próprio Deus.
      Parabéns Olavo. Se superou!!!!!!

      Olha aí os fariseus com seus adeptos no século 21.......

      Excluir
    4. Tem que ver o que colocaram no charuto do velho...

      Excluir
  48. em relação a perda da salvação do comentário acima que li, saiba que Arminio disse que a pessoa ''perde e também não perde a salvação''. E isso não é ambiguidade não. Confira esse vídeo a partir dos 1 h e 35 minutos onde o pastor irá dizer o que Armínio realmente pensava sobre a questão :https://www.youtube.com/watch?v=If2_LwT5gO8&feature=youtu.be

    Segundo Jacó Armínio, “[...] crentes e eleitos não são corretamente tidos pelas mesmas pessoas”. (ARMINIUS, James. The Works of James Arminius. [Vol. 1]. Grand Rapids, Christian Classics Ethereal Library, S.d., p.284 [p.350 – Port.]). Essa distinção ocorre com base na presciência. Deus, desde a eternidade passada, previu que alguns indivíduos cumpririam aquilo que ele soberanamente impôs, isto é, uma fé iniciatória (através da graça) e um crer contínuo até o fim de suas vidas, sendo assim ele os escolhe para a salvação. Esses são os eleitos. Os crentes fieis ou verdadeiros como comumente alguns arminianos chamam, são aqueles indivíduos que Deus previu que teriam uma fé inicial mais que subsequentemente por suas próprias vontades apostatariam Cf. 1 Co 15:1-2; 1 Timóteo 1:19; 4:1; Hebreus 6:4-6 etc.... Resumindo: “todo eleito é um crente fiel/verdadeiro, mas, nem todos crentes são eleitos”. Só lembrando que essa distinção está intrinsicamente ligada à presciência de Deus. Nesse aspecto, os eleitos não podem perder a salvação, não porque é imposto irresistivelmente por Deus e sim porque a presciência de Deus não falha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entrando na discussão sem ser chamado, não vejo contradição alguma. Deus é soberano, então Ele realmente separou alguns para a missão, sendo João Batista o melhor exemplo disso, tendo até uma profecia sobre ele. Esse Deus efetivamente predestinou. Porém a grande maioria dos seres humanos, no qual eu me incluo, pessoas comuns com as dificuldades diárias do pecado e da vida, essas só são salvas mediante a fé. Não vejo onde está a contradição.

      Excluir
    2. Eu penso um pouco diferente. Deus predestina pessoas específicas para um ministério, mas não para a salvação. Ou seja, o fato de João Batista ter sido predestinado para ser o precursor do Messias não lhe garantia a salvação final mais do que Judas ter sido predestinado como um discípulo de Jesus ou Salomão como o grande e sábio rei de Israel (que depois se tornou um idólatra).

      Excluir
    3. Banzoli mas e esse final do vídeo ai postado por esse anonimo onde o Carlos Vailati explica como Arminio pensava o que vc achou?

      Excluir
    4. O que eu penso eu expus logo acima. Discordo da eleição individual para a salvação, então não creio em algo como "crente eleito" e "crente não-eleito". O crente (verdadeiro) é eleito por definição enquanto estiver integrado ao Corpo de Cristo (Igreja), a comunidade dos eleitos à vida eterna.

      Excluir
  49. Mas então Arminio foi ambíguo nesse assunto, pois eu já vi gente usando textos dele tanto pra defender ou não a perda de salvação. E agora apresentam um texto onde ele diferencia crentes e eleitos devido a salvação ser pela presciência. Que estranho.

    ResponderExcluir
  50. Saiu um livro em português agora, escrito pelo historiador David Kertzer, chamado "O Papa e Mussolini". Um livro que revela a associação entre o papa Pio XI e Mussolini. Mais um para vergonha da Igreja Católica. Não sei se esse autor é confiável, mas conhecendo o que a ICAR já fez ao longo da história, e como os papas são bem humanos na questão do pecado, parece ser um livro confiável. Mas é claro, vão dizer que a culpa é dos protestantes, da maçonaria, do Concílio de Jamnia, de John Huss, da Dona Mariza, etc, etc e etc.....

    ResponderExcluir
  51. Essa confusão sobre salvos e perdidos parece que não vai acabar nunca!

    Precisamos apenas simplificar as coisas. Por exemplo: Apocalipse diz sobre aqueles que nao foram escritos no Livro da Vida do cordeiro desde a fundação do mundo. Quem são esses? Não é o João que mora na rua b casa 12. Não é o José, que vai nascer daqui três anos, mas dizem que já esta predestinado à perdição. Não é dessa forma que se explica perdição e salvação. Àqueles que nao foram escritos no Livro da Vida do cordeiro desde a fundação do mundo, e que não herdarão o reino de Deus de forma alguma, são os "cães e os feiticeiros, e os que se prostituem, e os homicidas, e os idólatras; e qualquer que ama e comete a mentira", Apocalipse 22:15.

    Paulo nos esclarece da mesma forma sobre quem está predestinado à perdição. Ele diz que nem "os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões; nem os avarentos, nem os bêbedos, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus", 1 Cor 6:10.

    Em Galatas ele repete sobre quem são os perdidos. São os que se envolvem em "Invejas, homicídios, bebedices, glutonarias, e coisas semelhantes a estas, ácerca das quais declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o reino de Deus", Gal 5:20.

    Alon

    ResponderExcluir
  52. Excelente artigo, aliás também vale ressaltar que nos Estados Unidos a maioria dos Protestantes americanos assim como a maioria dos Protestantes brasileiros se autodenominam conservadores, certa vez fui procurar uma pesquisa que mostrou que 60% de todos os conservadores americanos são protestantes, e 58% dos Republicanos são protestantes.

    Veja: Dentre os conservadores: http://www.pewforum.org/religious-landscape-study/political-ideology/conservative/
    Dentre os "liberais" (Nos Estados Unidos liberal é sinônimo de esquerdista): http://www.pewforum.org/religious-landscape-study/political-ideology/liberal/
    Dentre os Republicanos: http://www.pewforum.org/religious-landscape-study/party-affiliation/republicanlean-rep/
    e Dentre os Democratas: http://www.pewforum.org/religious-landscape-study/party-affiliation/democratlean-dem/

    Como pode-se ver há muito mais Protestantes conservadores do que Católicos conservadores nos Estados Unidos, sem falar que 50% dos protestantes americanos preferem o Partido Republicano e 34% preferem o Partido Democrata, já dentre os Católicos 45% preferem o Partido Democrata e 38% preferem o Partido Republicano. E ainda os Protestantes americanos dentre os conservadores e membros do Partido Republicano as vantagens dos protestantes sob os católicos são de 36 pontos percentuais para os Republicanos e 40 pontos percentuais para os conservadores, Ou seja o Protestantismo é de igual tanto nos EUA quanto no Brasil o principal pilar do conservadorismo de direita. Na última eleição o candidato republicano Donald Trump só conseguiu o voto católico por conta das políticas extremamente pró-aborto da candidata democrata Hillary Clinton (que defende o aborto até o nono mês de gestação!), essa pesquisa mostra que também além dos católicos americanos terem sido por décadas os principais eleitores do Partido Democrata, Enquanto os Protestantes foram (e são até hoje) os principais eleitores do Partido Republicano (Veja:http://www.gallup.com/poll/11911/protestant-catholic-vote.aspx) E nos Estados dos Estados Unidos onde o número de católicos é mais significante como na Califórnia, Novo México e Rhode Island o número de votos dos Democratas disparam, enquanto nos estados onde é menos significante como a Virgínia, Indiana, Missouri, Ohio e Dakota do Sul, os votos dos Democratas despencam (os últimos citados tem uma larga população protestante, superior em até 30 pontos percentuais os católicos).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito bom o seu comentário, muito bom mesmo, se fosse possível eu o fixaria no topo dos comentários, é uma pena que aqui no blogger não tenha essa opção. Eu já sabia que os católicos eram o carro-forte do Partido Democrata americano e os protestantes dos Republicanos, mas faltava esses dados de pesquisas para comprovar isso sem dar margem a contestações. Esses dados serão bastante úteis na escrita do livro que estou fazendo, em complemento importante a este artigo. Abs!

      Excluir

  53. O católico certamente irá argumentar que países como Portugal, Espanha, Itália e Polônia, Argentina e os outros países da América latina ainda possuem uma população altamente católica; e que ainda, certas ditaduras foram impostas pelo força, e não com o consentimento da população, como em cuba na Polônia, e que, além disso, as ditaduras de Francisco franco e de Salazar foram regimes conservadores.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "O católico certamente irá argumentar que países como Portugal, Espanha, Itália e Polônia, Argentina e os outros países da América latina ainda possuem uma população altamente católica"

      É exatamente esse o problema, serem católicos e aceitarem os regimes mais ditatoriais e genocidas que o mundo já viu, o que mostra que há alguma coisa errada na tese de o catolicismo ser o "baluarte" de qualquer coisa boa.

      "e que ainda, certas ditaduras foram impostas pelo força, e não com o consentimento da população"

      Não é verdade, figuras como Franco, Salazar e etc tinham uma popularidade muito grande nestes países católicos, e se o povo como um todo se opusesse a um regime ditatorial esse regime não teria como predominar. Você citou o exemplo de Cuba, mas desde quando o povo cubano se organizou para acabar com o comunismo internamente? Vira e mexe milhões saem às ruas para comemorar a "revolución". Grande parte nem católica é mais. Fidel sempre contou com o carisma e apoio de grande parte da população, se não fosse por isso nunca teria conseguido se manter no poder por tanto tempo, alguém já o teria assassinado há muito tempo.

      "as ditaduras de Francisco franco e de Salazar foram regimes conservadores"

      Isso vai depender do seu conceito de "conservador". Pra mim conservadorismo e totalitarismo são duas coisas que se opõem de tal forma que não há como um regime totalitário ser autenticamente "conservador". E mesmo que isso fosse possível, é uma lástima que em países católicos só se consiga impor o conservadorismo pela força. Há algo bem errado aí.

      Excluir

Postar um comentário

Comente abaixo. Sua participação é importante e será publicada após passar pela moderação. Todos os tipos de comentários ou perguntas educadas são bem-vindas e serão respondidas cordialmente, mas ofensas, deboches, divulgação de páginas católicas (links), control c + control v e manifestações de fanatismo não serão aceitos.