Debate sobre imortalidade da alma (Lucas Banzoli vs Francisco Tourinho)

Resultado de imagem para debate

O debate foi gravado em meados do mês passado, mas como o meu áudio ficou extremamente ruim e bastante incompreensível em algumas partes, eu decidi passar algumas semanas legendando as minhas falas antes de repostá-lo no meu canal no Youtube. É um debate exaustivo, com 3h 20m de duração, mas bastante agradável e respeitoso, vale a pena assistir:


Algumas semanas após o debate eu fiz um vídeo de considerações sobre o mesmo, como eu já havia prometido antes que faria, e que recomendo bastante a todos os interessados no tema:


Se você ainda não é inscrito no meu canal, inscreva-se. Até hoje eu sempre priorizei a parte escrita (blogs e livros), mas, pelo menos pelos próximos tempos, pretendo seguir mais focado nos vídeos, que é algo que eu ainda preciso aprimorar muito. O blog não irá parar por completo, mas quem quiser acompanhar as atualizações recomendo seguir meu canal e minha página no facebook onde posto os novos vídeos. E sempre que o assunto de algum vídeo tiver relação com algum tema católico, divulgarei por aqui também, assim como os novos debates que surgirem. 

Paz a todos vocês que estão em Cristo.

Por Cristo e por Seu Reino,

-Meus livros:

- Veja uma lista de livros meus clicando aqui.

- Confira minha página no facebook clicando aqui.

- Acesse meu canal no YouTube clicando aqui.


-Não deixe de acessar meus outros blogs:

LucasBanzoli.Com (Um compêndio de todos os artigos já escritos por mim)
Apologia Cristã (Artigos de apologética cristã sobre doutrina e moral)
O Cristianismo em Foco (Artigos devocionais e estudos bíblicos)
Desvendando a Lenda (Refutando a imortalidade da alma)
Ateísmo Refutado (Evidências da existência de Deus e veracidade da Bíblia)
Fim da Fraude (Refutando as mentiras dos apologistas católicos)

Comentários

  1. Lucas, vc viu o debate do Izzy Nobre contra o vlog" Dois dedos de teologia"? O Izzy Nobre fez um vídeo flando sobre "quem inventou o cristianismo" , depois os DDdT fizerem um video comentando sobre o video do Izzy Nobre, embora eu ache que a resposta do Dois dedos de teologia poderia tido explicações um pouco melhores, o video deles ficou bom.

    Mas depois o Izzy Nobre ficou nervoso e fez outro vídeo "refutando " o Dois Dedos, vc viu isso? O que vc achou da suposta refutação dele?

    Ele falou coisas muito estranhas, do tipo que os evangelhos foram escritos por apóstolosde segunda geração e ter provas e evidencias disso

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mais ou menos, eu não vi tudo, só algumas partes. Comecei pelo final, assistindo a primeira parte da "refutação da refutação" feita pelo Izzy, como ele mostra todo o vídeo do Dois Dedos integralmente, achei meio sem sentido ir assistir no canal deles para depois ter que ver tudo de novo com a refutação, é melhor poupar tempo e assistir a refutação e a refutação da refutação juntas. Mas por causa do tamanho do vídeo ele preferiu soltar em partes, por isso estou esperando ele concluir o trabalho dele para então tirar alguma conclusão particular sobre o debate, mas pelo que eu vi nessa primeira parte, os caras cristãos argumentaram muito mal, muito mal mesmo. Pode ser que tenha melhorado depois, até torço pra isso, mas julgando apenas pela primeira parte, achei que eles poderiam ter dado muito mais consistência à argumentação deles.

      Mas como eu disse, prefiro terminar de assistir todo o debate (o que só será possível quando o Izzy postar as outras partes) para então dizer o que eu penso do mesmo, em vez de palpitar baseado em 10% do debate que pode ainda ter muitas reviravoltas. Quando ele terminar, pode me cobrar que eu talvez até escreva algo a respeito ou faça um vídeo, mas eu prefiro comentar só depois de as refutações se esgotarem e de poder analisar todos os argumentos, não é correto refutar argumentos que ainda não foram construídos até o final ou que ainda serão tratados mais adequadamente.

      Excluir
  2. Olá Lucas.
    Bem vindo novamente.
    Seu blog é muito esclarecedor pra quem quer estudar com honestidade. Eu ainda estou dando os primeiros passos como estudante de teologia embora já estude filosofia há algum tempo. Só gostaria de uma opinião sua sobre a teologia do processo. Outra coisa no seu entender a multiplicidade de idéias na teologia enriquece ou não a nossa fé como acontece em outras ciências?
    Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, não creio na teologia do processo, embora uma minoria de coisas que eles digam seja verdade. Quanto à multiplicidade de ideias na teologia eu sou totalmente a favor, o que emperra o avanço do conhecimento teológico é justamente a mentalidade retrógrada e bitolada de se apegar à "tradição" a qualquer custo e não estar aberto a novos entendimentos e a novas perspectivas, o que acaba por manter de pé doutrinas falsas que não tem qualquer amparo bíblico ou histórico consistente. Eu desenvolvo este pensamento no seguinte artigo:

      http://heresiascatolicas.blogspot.in/2015/04/quanto-custa-liberdade.html

      Abs.

      Excluir
  3. Olá Lucas o que você pensa do dízimo????

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Veja aqui:

      http://ocristianismoemfoco.blogspot.in/2015/08/sobre-o-dizimo-na-nova-alianca.html

      Abs.

      Excluir
  4. Tu vai continua com os artigos sobre a inquisição?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, mas com menos frequência do que o ritmo de antes.

      Excluir
  5. Oi Lucas, eu vi o seu video sobre o dom de linguas em Atos 2 mas se vc for no grego mesmo vc vera que tudo isso que vc disse não pode ser verdade. Vc precisa ir no grego ai.veja esse debate de 1 hora no vejam so onde o pastor Carlos vailati explica muito bem o texto de atos 2 sobre o dom de línguas e o grego ...tem como vc refutar ele se ele estiver errado?

    https://www.youtube.com/watch?v=vwlstlHN90g&t=2866s

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Depois de ver esse vídeo eu comento.

      Excluir
    2. Além disso, em Atos 2.4, a palavra “língua” é GLOSSA, que na Bíblia significa o idioma de um povo ou nação. A expressão de Atos 2.6, “própria língua”, e de 2.8, “língua materna”, vem do grego DIALECTOS, de onde vem nossa palavra “dialeto”, ou seja, a língua de um povo particular.

      mas depois que vc ver o video do vailatti isso ficará mais claro, pois ele de aprofunda mais no assunto.

      Excluir
    3. Irrelevante, já que em 1 Coríntios 13:1, que fala da língua dos anjos, também é "glossa" a palavra que aparece. Mas eu ainda não vi o vídeo então comentarei sobre ele depois.

      Excluir
    4. Não existe língua dos anjos. Você ou alguém já viu algum anjo falar? Em 1 Co 13:1 foi uma hipérbole usada por Paulo. Na Bíblia nem os próprios anjos falam assim.Hipérbole é uma exagero como 1 Co 4:15 : ´´ainda que vcs tivessem milhares de tutores, mesmo assim não teriam muitos pais´´.Isso é hipérbole e foi esse tipo de linguagem usada em 1 Co 13, onde Paulo utiliza outras hipérboles como saber toda a ciência, saber todos os mistérios.Não existe ninguém que sabe toda a ciência e nem todos os mistérios. Isso é hipérbole. E as linguas de anjos são hipérboles. Essas línguas não existem. Ninguém fala línguas de anjos.Paulo só fez isso pra realçar que nada é maior que o amor.

      Excluir
    5. Não existe língua dos anjos? Então eu já até imagino o que Paulo quis dizer no texto em questão:

      "...ainda que eu fale as línguas dos homens e uma língua IMPOSSÍVEL DE FALAR PORQUE NÃO EXISTE, se eu não tiver amor..."

      Ok, é uma "hipérbole", mas você sabe como as hipérboles funcionam? Você pega algo que EXISTE, e então EXAGERA. Mas se aquilo não existe, então não há "hipérbole" alguma, oras bolas. Não há como "exagerar" algo que não existe! Você deu bons exemplos, a ciência e os mistérios. Mas a ciência EXISTE, e mistérios também EXISTEM. A hipérbola é somente dizer que é possível saber tudo delas. Mas você diz que a língua dos anjos NEM SEQUER EXISTE! E o pior: ainda insinua que os anjos falam em línguas humanas! OMG!!!

      Ok, quando os anjos desceram à terra eles falaram no idioma que a pessoa humana entendia, mas você queria o que? Que eles falassem na língua deles e ninguém entendesse nada? Eles queriam ser COMPREENSÍVEIS às pessoas que os estavam ouvindo, e isso só seria possível se falassem em línguas humanas. Agora, seria o fim da picada dizer que os anjos lá no céu estão falando português, inglês, hebraico, grego... quando esses idiomas todos foram desenvolvidos por homens e só surgiram bem depois da criação dos anjos, que é anterior à criação do homem. Quer dizer: os anjos falavam idiomas humanos quando nem sequer existiam homens ainda? Really?

      Eu até gostaria de ser tradicional, gostaria mesmo, não é ironia, me identifico mais culturalmente com os tradicionais do que com os pentecostais, mas sinceramente, não dá, quando vejo argumentos assim simplesmente não tem como deixar de ser pentecostal, querendo eu ou não.

      Excluir
    6. E quem ouviu algum anjo falar para saber como é essa tal língua dos anjos? E essas palavras que quase todos os pentecostais falam como ´´labaxurias, decantas lavanaias, xuribicanta´´. Da onde veio isso? Isso é língua dos anjos?

      E o video vc viu? E em Atos 2.4, a palavra “língua” é GLOSSA, que na Bíblia significa o idioma de um povo ou nação. A expressão de Atos 2.6, “própria língua”, e de 2.8, “língua materna”, vem do grego DIALECTOS, de onde vem nossa palavra “dialeto”, ou seja, a língua de um povo particular.Vc ignora isso?

      Excluir
    7. Não há como provar que as línguas pentecostais citadas por você são as línguas dos anjos, da mesma forma que não dá pra provar que Maria deu a luz virgem, ou que a cobra e a jumenta falaram, ou que Jesus andou sobre as águas, ou que ele irá voltar, etc. Isso é questão de fé. O que dá para se provar é que as línguas dos anjos NÃO SÃO as mesmas línguas faladas pelos homens aqui na terra, ou senão a distinção que Paulo faz entre "língua dos homens" e "língua dos anjos" seria completamente incoerente e sem sentido, tendo em vista que as línguas dos anjos nada mais seriam senão as próprias línguas dos homens, e neste caso Paulo poderia falar: "...línguas dos homens, QUE SÃO as dos anjos", mas nunca: "...línguas dos homens E dos anjos" (como sendo duas coisas diferentes). Então se as línguas pentecostais não são as línguas dos anjos (o que você tem todo o direito de se manter cético ou incrédulo a este respeito), me mostre em que lugar do mundo alguém fala essas tais "línguas dos anjos".

      Suas outras objeções já foram respondidas, eu não vou entrar em um debate em círculos, onde toda hora se repetem as mesmas objeções e as mesmas respostas de antes. "Glossa" não serve para afirmar que se trata de um idioma humano porque é EXATAMENTE A MESMA PALAVRA grega usada em 1Co.13:1 na parte que fala da língua DOS ANJOS (e não dos homens), e "dialectos" dos versos 6 e 8 diz respeito à língua que aqueles ouvintes estavam ENTENDENDO, e não ao idioma que de fato estava saindo da boca dos apóstolos, sobre isso eu explico direitinho no vídeo. A língua que os apóstolos falavam não era humana, mas o que as pessoas entendiam, era sim humano, no "dialectos" de cada um deles.

      Excluir
    8. Lucas eu gostei da sua resposta.Mas ainda eu quero saber se isso que o pessoal está falando hoje é realmente língua dos anjos. Repare que hj não se falam mais idiomas em se tratando de linguas estranhas. Raramente vc verá isso.

      Da onde veio essas palavras ´´decantas lavanaias´´, ´´xiribicanta´´,´´babaxuria´´? Porque 99% dos pentecostais falam exatamente essas palavras ou algo parecido com elas? Seria essa a lingua dos anjos? Qual argumento vc usará para provar que isso é linguagem celestial? Você já parou pra pensar que todo esse povo pode estar no erro do mesmo modo que a maioria das igrejas está em relação a alma e vida após morte e inferno eterno?

      Excluir
    9. Você tem razão quanto à falta de línguas no sentido de idiomas, há falta de interpretação de línguas da mesma forma que há falta de profetas julgando profetas (da forma que existia no NT). Creio que isso ocorra porque as pessoas não tem o hábito de buscar esses dons em específico, mas apenas as línguas no sentido particular (de linguagem espiritual a sós com Deus) e de profecia no sentido geral (de dar alguma revelação), e muitas acabam nem sabendo da existência desses outros dons, ou dessas outras manifestações dos dons.

      Sobre as línguas pentecostais que você se refere, pelo fato de a Bíblia não trazer uma pronúncia escrita dessas línguas (por uma razão óbvia, porque senão haveria pessoas apenas copiando ou repetindo os fonemas), não é possível "provar" que sejam as línguas dos anjos, da mesma forma que não dá pra provar que não sejam. E eu creio e sei que vários pentecostais que falam essas línguas não o falam por Deus, mas por emoção ou repetição. Mas outros falam por Deus mesmo. Um amigo meu da época do colégio, que sempre havia sido católico e nunca nem soube o que eram línguas estranhas, se converteu em um retiro evangélico e no mesmo dia passou a falar em línguas. Ele não estava copiando ninguém e nem sequer já tinha ouvido as línguas antes. Aquilo ali foi um dom real.

      E embora a grande maioria fale apenas os "labaxúrias" que você disse, há também os que falam outras línguas não-humanas. A minha mãe, por exemplo, fala em cinco idiomas espirituais. Um é esse que todo mundo fala, mas os outros quatro não tem nada a ver e eu nunca vi alguém falar nessas línguas além dela. Uma é parecida com o inglês, outra com o turco e outra com o japonês, mas as palavras em si são completamente diferentes. O pastor da minha igreja (Luciano Subirá) também fala em várias línguas diferentes, incluindo umas que eu também nunca vi ninguém falar algo parecido. O problema é que quase todo mundo se conforma em meramente "falar em línguas", e não buscam ir além, para aquilo que Paulo chama de "VARIEDADE de línguas". Aí acabam falando só a língua mais comum que todo pentecostal fala, mas não vão além disso. Você não precisa acreditar nestes testemunhps se não quiser, apenas os estou citando porque você mencionou casos práticos e eu então decidi responder citando casos práticos também.

      Excluir
    10. Resumindo tudo : não podemos falar que isso que os pentecostais falam hoje são línguas dos anjos. São apenas uma linguagem que eles mesmos falam, afinal ninguém na face da terra ouviu um anjo falar com outro.

      Excluir
    11. Por essa mesma lógica, não podemos afirmar que Jesus nasceu de uma virgem; afinal, ninguém da face da terra viu uma virgem dar a luz. Da mesma forma, não podemos afirmar que Jesus ressuscitou dos mortos; afinal, eu pelo menos nunca vi um morto ressuscitar. Sua "lógica" é a lógica de um ateu.

      Excluir
    12. É claro que podemos afirmar que Jesus nasceu de uma virgem e que Ele ressuscitou, afinal a Bíblia DIZ E ENSINA ISSO. Agora, a Bíblia não mostra como os anjos falam entre. Aliás, eu nem sabia que anjo ficava lá do céu falando com outros anjos.

      Excluir
    13. Eu sou presbiteriano, embora não seja calvinista, e vou entrar na discussão numa boa. Anônimo, a grande maioria das pessoas se impressiona com as coisas e seguem padrões e símbolos para se sentirem aceitos ou se sentirem pertencentes a algum grupo. Por isso essa repetição dessas frases que você diz. Com certeza muitas são fingimento, talvez a maioria. Mas isso não significa que elas não existem, nem que todos os que falam são mentirosos. O relato bíblico do evento de pentecostes é verdadeiro, e as pessoas foram tratadas como embriagadas. Portanto há um relato bíblico sobre o falar em línguas, por isso não podemos negá-lo. Mas podemos ser céticos sim e repudiar os eventos que são falsos. Mas dizer que não existe o falar em línguas é negar a Bíblia.

      Excluir
    14. "É claro que podemos afirmar que Jesus nasceu de uma virgem e que Ele ressuscitou, afinal a Bíblia DIZ E ENSINA ISSO"

      E a Bíblia também DIZ E ENSINA que existe o dom de línguas. E que não tem nada a ver com línguas humanas e terrenas, mas sim com algo que NINGUÉM ENTENDE (1Co.14:2), que são MISTÉRIOS falados EM ESPÍRITO (1Co.14:2), e que serve apenas para edificação PESSOAL e não coletiva (1Co.14:4), como seria caso o dom fosse para pregar o evangelho a outra pessoa no idioma dela (neste caso seria de edificação do próximo e não de si mesmo, tal como o dom da profecia, com o qual Paulo traça o contraste no verso em questão). Portanto o dom de línguas é questão de fé em relação a algo expresso na Bíblia, tanto quanto a ressurreição, virgindade de Maria, milagres extraordinários, etc. Mas eu compreendo a incredulidade de quem não quer crer na Bíblia.

      "Agora, a Bíblia não mostra como os anjos falam entre. Aliás, eu nem sabia que anjo ficava lá do céu falando com outros anjos"

      É sério isso? De novo? Como você acha que os anjos louvam a Deus? Mudos?

      E essa coisa de que anjo fala em língua humana, é totalmente sem pé nem cabeça. As várias línguas humanas existentes hoje foram criadas na confusão da torre de Babel, os anjos já existiam antes disso, antes mesmo da criação de Adão. Como eles falavam entre si uma língua humana, antes mesmo de as línguas humanas terem surgido? Isso é igual dizer que eu nasci antes do meu pai. Totalmente nonsense.

      Excluir
    15. Realmente, tem que ter muita fé pra ficar toda hora falando " labaxurias " e " decantas lavanaias " e achar que essas palavras ou outras parecidas com elas sejam línguas estrangeiras ou dos anjos. É preciso muita fé pra crer nisso. O engraçado é que os melhores pastores do mundo são os reformados e eles não crêem em nada disso. O maior evangelista do século XX foi Billy Ghram e ele não cria nisso. Se esse dom existe, ele faz mais mal do que bem porque veja que toda a bagunça e confusão gira em torno desse dom.

      Excluir
    16. Suas argumentações estão piorando cada vez mais, agora tudo o que sobrou foi zombaria e preconceito contra os pentecostais, além daquela velha soberba típica dos tradicionais que se acham os melhores e maiores teólogos do planeta, os bam-bam-bam, os maiorais, os únicos que entendem de Bíblia, pura arrogância e prepotência, é A MESMA COISA que os católicos fazem. Pra começo de conversa, se isso fosse um argumento, então a Reforma nunca teria acontecido, pois Lutero estava contra 99,9% dos teólogos de sua época, inclusive dos mais doutos e cultos, portanto se você vivesse na época dele, iria acompanhar os romanistas e não os reformados quando os reformados sequer existiam, ou quando eram uma minoria insignificante no cenário teológico da época. Ou seja, o fato de tal visão possuir "mais teólogos" ou teólogos de mais gabarito, não significa NADA que essa visão seja a verdadeira. Isso sem falar que essa coisa de "melhores teólogos" é relativa e subjetiva, o que pra você pode ser um bom teólogo, pra mim pode ser um teólogo mediano ou ruim, e vice-versa.

      Agora, se você quer tanto brigar com nomes, se é nisso que a teologia se resume pra você e se a Bíblia não contribui em nada para resolver a questão e a gente precisa desesperadamente de "pastores de peso" para saber quem está certo, então saiba que John Piper, o pastor mais aclamado pelos reformados no mundo, crê no dom de línguas:

      https://www.youtube.com/watch?v=LePVc-w1KRI

      E eu também poderia citar aqui um monte de teólogos pentecostais com PhD e reconhecidos academicamente, não vale a pena citar um por um, então segue uma lista:

      https://pt.wikipedia.org/wiki/Lista_de_teólogos_pentecostais

      É claro que você e outros tradicionais nem fazem ideia de quem sejam 90% desses teólogos, pelo simples fato de que vocês vivem enclausurados no seu mundinho, onde apenas teólogos de vertente tradicional são lidos, divulgados e admitidos, da mesma forma que os católicos em suma maioria só leem os teólogos católicos e nem conhecem a esmagadora maioria dos teólogos protestantes, mesmo dos tradicionais. Ou seja, vocês próprios elegem entre vocês mesmos quem são os "melhores teólogos", assim é fácil de ganhar.

      Pra terminar, já vi que seus argumentos bíblicos se encerraram, depois que já foram todos refutados um a um só sobrou zombaria e deboche contra os pentecostais, se continuar assim seus comentários não serão mais aprovados, não vou nem perder meu tempo mais, tenho coisas importantes a fazer. Estou respondendo este tempo todo porque até agora você elencou um ou outro argumento bíblico e eu rebati na Bíblia e na lógica, mas agora que você percebeu que foi derrotado na Bíblia, só sobrou o escárnio contra o dom de línguas e contra os pentecostais, além de glorificação dos teólogos tradicionais, é a mesma tática suja que os imortalistas usam, "temos muito mais teólogos do nosso lado estão estamos certos", a falácia mais estúpida e covarde do mundo dos debates.

      Excluir
    17. Só pra acrescentar e esclarecer: mesmo eu sendo pentecostal, eu nunca fiz deboche com tradicionais, nem neste blog nem em qualquer outro meu, nunca disse que vocês são "frios", "carnais" ou que não tem o Espírito Santo (como muitos pentecostais afirmam), nunca sequer fiz uma crítica, sempre respeitei, nunca ridicularizei suas crenças, e é justamente por isso que não admito que vocês façam isso contra nós pentecostais, como por exemplo ridicularizar o dom de línguas pentecostal como você fez até agora. Se você quer escarnecer, debochar ou ridicularizar a crença alheia, ESTE AQUI NÃO É O SEU LUGAR. Procure algum dos trocentos sites por aí que escarnecem os pentecostais e suas crenças, igual os ateus fazem com os cristãos e as crenças cristãs como um todo, e seja feliz.

      Excluir
    18. Bem, temos outros teólogos renomados como John MacArthur que refuta todo o pentecostalismo no livro " fogo estranho ". Engraçado vc citar John Piper, pois pelo que sei do pentecostalismo existe a segunda bênção também chamada de batismo no Espírito Santo e daí a pessoa recebe o dom de línguas. Já o renomado John Piper não crê em batismo no Espírito Santo. Portanto, o dom de línguas defendido por John Piper vai contra aquilo ensinado no pentecostalismo. Aliás, falar esses supostos "labaxurias" e "decantas lavanaias" até os católicos romanos falam. Mais engraçado ainda é que não vemos quase nenhum dos outros 8 dons espirituais atuando hoje em dia. Só vemos o dom de línguas é ainda usado erradamente. Eu até creio no dom de línguas, desde que seja da forma bíblica: que seja um idioma terreno onde ocorra pregação do evangelho para um outro povo na linguagem que ele entenda. Isso é dom de línguas. O resto é emoção e meninice.

      Excluir
    19. "Bem, temos outros teólogos renomados como John MacArthur que refuta todo o pentecostalismo no livro 'fogo estranho'"

      Legal, o cara "refuta" todo o pentecostalismo na opinião de um... antipentecostal. Que bom que você é o juiz universal do conhecimento e está na condição de bater o martelo quanto a quem refutou em definitivo o que. Eu não li este livro ainda, mas se os argumentos que ele usa são parecidos com os que você está usando aqui, nem preciso ler para perceber que ele não refutou coisa nenhuma. E continuar usando a falácia batida do apelo à autoridade para provar algo é, simplesmente, deprimente.

      "Engraçado vc citar John Piper, pois pelo que sei do pentecostalismo existe a segunda bênção também chamada de batismo no Espírito Santo e daí a pessoa recebe o dom de línguas. Já o renomado John Piper não crê em batismo no Espírito Santo"

      Não crê? Me passe aqui o vídeo, artigo ou livro com a citação e página onde Piper diga expressamente: "EU NÃO CREIO EM BATISMO NO ESPÍRITO SANTO". Pode ser que ele tenha afirmado que o batismo no Espírito Santo não é a mesma coisa que o dom de línguas e que não necessariamente está atrelado a ela, se ele disse isso então é exatamente o mesmo que eu entendo. Agora, dizer que "não creio" neste batismo quando o mesmo está explicitamente em tantas passagens na Escritura, aí eu só creio vendo. E mesmo que ele tenha dito isso mesmo, isso em NADA mudaria o fato de ele crer no dom de línguas como línguas sobrenaturais tal como no pentecostalismo, e não em pregações em línguas humanas para estrangeiros, que é o que está sendo discutido aqui.

      "Aliás, falar esses supostos 'labaxurias' e 'decantas lavanaias' até os católicos romanos falam"

      Sim, mas falam ENSINADOS, meramente REPETEM o que lhes é dito para fazer, veja o vídeo do padre Jonas ensinando a falar em línguas no Youtube, já recebi cartas de católicos da RCC admitindo o mesmo, as línguas no catolicismo carismático é um mero plágio e repetição racional de palavras sem nexo, e não no pentecostalismo protestante que, embora possa existir pessoas que também fingem, é em grande parte constituído por gente que passou a falar em línguas de modo sobrenatural, de uma hora pra outra, sem nenhum treinamento prévio ou coisa do tipo.

      "Mais engraçado ainda é que não vemos quase nenhum dos outros 8 dons espirituais atuando hoje em dia"

      Eu vejo muitos, mas não vou discutir os outros dons aqui, estamos debatendo o das línguas, oras.

      "Eu até creio no dom de línguas, desde que seja da forma bíblica: que seja um idioma terreno onde ocorra pregação do evangelho para um outro povo na linguagem que ele entenda"

      Ah, então você crê? Engraçado que logo antes disso você reclama por não ver os outros oito dons em atuação, e agora aplica este conceito errôneo do dom de línguas que simplesmente não existe em LUGAR NENHUM, eu pelo menos nunca entrei numa igreja tradicional e vi pessoas falando nesse tipo de "línguas", nem conheço evangelistas presbiterianos ou missionários luteranos aprendendo outro idioma "sobrenaturalmente". Então pra você este dom está ativo, #sqn. Entendi.

      E esse conceito seu das línguas, já disse aqui, é antibíblico. O dom de línguas bíblico não tem nada a ver com línguas humanas e terrenas, mas sim com algo que NINGUÉM ENTENDE (1Co.14:2), que são MISTÉRIOS falados EM ESPÍRITO (1Co.14:2), e que serve apenas para edificação PESSOAL e não coletiva (1Co.14:4), como seria caso o dom fosse para pregar o evangelho a outra pessoa no idioma dela (neste caso seria de edificação do próximo e não de si mesmo, tal como o dom da profecia, com o qual Paulo traça o contraste no verso em questão). O resto é distorção bíblica e meninice.

      Excluir
    20. Lucas vc ora em línguas? A sua vida foi edificada em que? Billy Graham foi o maior evangelista do século XX e não tinha esse dom. O que iria mudar na vida dele se ele tivesse esse dom de linguas? Se sem o dom de línguas ele levou o evangelho a 50 países, imagine se ele tivesse o dom de línguas.
      Eu disse que creio no dom de línguas se ocorrer da mesma forma que foi na Bíblia para casos de evangelização em países onde a pessoa não entenda o idioma do outro. Agora isso que os pentecostais fazem hoje é uma bagunça.

      Quanto ao dom de línguas o pastor Thomas Tronco e o Leandro Boer já escreveram sobre isso provando até que a área do cérebro fica inerte a isso que vcs pentecostais fazem. Veja :

      http://igrejaredencao.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=146:odomdelinguashoje&catid=25:artigos&Itemid=123#.WKmn2tIrKzc
      .

      http://igrejaredencao.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=2098:o-dom-de-linguas-hoje-adendo-cientifico-para-leigos-parte-1&catid=25:artigos&Itemid=123#.WKmmf9IrKzc
      .
      O Marcos Grancoanto já refutou isso de que quem fala em línguas não fala a homens. Veja só:

      ´´ Muitos pentecostais acreditam, com base em 1Coríntios 14.2, que o dom de línguas deve ser usado particularmente, numa espécie de devocional isolada, em que o crente fica falando com Deus apenas, longe das demais pessoas.

      Esse entendimento, porém, está errado. Como todo dom concedido pelo Espírito Santo, as línguas, quando ainda existiam, deviam edificar a igreja. É verdade que as pessoas que tinham esse dom eram edificadas quando o exerciam, mas isso é um efeito próprio de qualquer dom.

      O fato é que, em seus objetivos centrais, as línguas deviam servir como um sinal de juízo para os judeus incrédulos daquela geração e também, por meio da interpretação, como um veículo de edificação pública. Assim, a ideia do uso das línguas como um recurso devocional particular deve ser rejeitada.

      O que dizer, então, de 1Coríntios 14.2? Esse texto diz: "Quem fala em outra língua não fala a homens, senão a Deus...". A resposta é simples! Um dos grandes e claros objetivos de Paulo nesse capítulo é mostrar o quanto as línguas eram inúteis quando não havia interpretação. Nesse sentido, ele até faz um contraste entre esse dom e o dom de profecia (veja o v. 1). O versiculo citado é, portanto, apenas parte de seus argumentos nesse sentido.

      Na verdade, o apóstolo está como que a dizer: "Dêem preferência ao dom de profecia, pois quem fala em outra língua sem que haja interpretação não comunica nada aos homens, senão a Deus, de forma que isso não produz edificação alguma para a igreja".

      É somente isso que Paulo quer dizer. Ele não está defendendo as línguas como um recurso devocional particular, mas sim condenando o seu uso sem intérprete como algo que não diz nada aos homens, mas somente a Deus. Ele próprio dá o sentido da frase "não fala aos homens" ao dizer em seguida "visto que ninguém o entende". Logo, "não fala aos homens" significa "não comunica nada ais homens".

      Note-se que, na compreensão de um texto bíblico, é preciso sempre levar em conta a intenção autoral. Isso faz toda a diferença. Conforme dito, um dos grandes objetivos de Paulo ao escrever esse texto era mostrar quão inúteis eram as línguas faladas sem um intérprete. Quem as usava, diz ele, não falava absolutamente nada aos homens. Somente Deus entendia, permanecendo a igreja sem qualquer benefício.´´

      Excluir
    21. Veja também que até a neurociência se manifestou contra isso:

      O fato de que as línguas faladas pelos pentecostais na atualidade são falsas, além de receber o apoio da exegese bíblica, passou também a contar com provas científicas. Isso porque em 2006, uma equipe de cientistas da Universidade da Pensilvânia realizou experimentos num grupo de pentecostais enquanto eles praticavam a glossolalia.

      Usando técnicas específicas de medicina nuclear, os cientistas avaliaram o fluxo sanguíneo em determinadas porções do cérebro dessas pessoas e descobriram que as regiões associadas à linguagem não eram ativadas durante o exercício do "dom", mostrando que os pentecotais não estavam falando língua alguma.

      Por outro lado, a análise revelou que porções do cérebro fortemente associadas ao aprendizado inconsciente e à memorização implícita (regiões ricas em "neurônios espelho") ficavam mais ativas durante o "falar em línguas", deixando claro que os pentecostais estavam apenas reproduzindo ou imitando sons que ouviram em suas igrejas ou em outras reuniões.

      A equipe de cientistas verificou ainda que durante a experiência de "línguas estranhas", a parte do cérebro que coordena e integra atividades conscientes e inconscientes (o tálamo) entra em atividade mais intensa. Em meio a isso tudo, a pessoa "sente" que o "dom" está "fluindo naturalmente", tem uma sensação agradável e experimenta certo alívio do estresse.

      Todas essas conclusões tiraram o debate sobre línguas do campo da opinião pessoal, revelando de forma objetiva que a glossolia moderna não tem nada de sobrenatural, sendo algo muito diferente do que os cristãos experimentaram em Atos 2 e nas igrejas do século 1.

      Excluir
    22. Mais uma vez usando o argumento do apelo à autoridade, agora saiu o John MacArthur e voltou de novo o Billy Graham, haja a paciência. Chega uma hora que passa a ser desanimador continuar respondendo.

      Ninguém possui todos os dons, alguns possuem uns e outros possuem outros, basta dar uma olhada em 1ª Coríntios 12:29-30 para perceber isso, e agora você vem com o argumento de que Billy Graham tinha necessariamente que falar em línguas ou senão esse dom não existe? Fala sério. E pra piorar, seu argumento se volta contra você mesmo, pois você diz crer no dom de línguas como línguas humanas para pregar o evangelho a um estrangeiro, então veja só que legal, eu vou usar o seu argumento contra você agora: Billy Graham foi o maior evangelista do século XX e não tinha esse dom (=de falar em idiomas terrenos a um estrangeiro). O que iria mudar na vida dele se ele tivesse esse dom de línguas? Se sem o dom de línguas ele levou o evangelho a 50 países, imagine se ele tivesse o dom de línguas.

      Viu só como é divertido? Seu argumento volta-se como um bumerangue contra você mesmo!

      A “explicação” do Granconato é terrível e eu nunca vi coisa pior na vida. O que não é surpresa, vindo de alguém que toda hora cria espantalhos e ataca o arminianismo de forma risível, e ainda defende o pré-tribulacionismo (risos). O texto paulino é claro: quem fala em línguas EDIFICA-SE A SI MESMO (1Co.14:4), aí vem o Granconato e diz que não edifica a ninguém, nem a si mesmo kkkkkkkkkkkkkkk é pra matar de rir mesmo. A questão aqui é muito simples: ou ficamos com o que diz o Granconato, ou ficamos com o que diz o apóstolo Paulo. Os dois claramente não estão ensinando a mesma coisa. E, na dúvida, eu prefiro Paulo.

      Mas vamos lá, porque além de refutar o apóstolo Paulo, Granconato ainda arremata contra o próprio tipo de “dom de línguas” que você diz crer. Vejamos o que Paulo afirma:

      “Pois quem fala em língua não fala aos homens, mas a Deus. De fato, ninguém o entende; em espírito fala mistérios. Mas quem profetiza o faz para a edificação, encorajamento e consolação dos homens. Quem fala em língua a si mesmo se edifica, mas quem profetiza edifica a igreja” (1ª Coríntios 14:2-4)

      Vamos lá:

      1) Paulo diz que quem fala em línguas NÃO FALA A HOMENS, mas somente a Deus. Se o dom de línguas é como você crê ser, ou seja, de falar em um idioma humano a um estrangeiro, então ESTARIA FALANDO A HOMENS, carambolas. É tão difícil entender isso???

      2) Paulo diz que quem fala em línguas, NINGUÉM O ENTENDE. Mas se o dom de línguas é como você crê ser, ou seja, de falar em um idioma humano a um estrangeiro, então o estrangeiro que está ouvindo estaria ENTENDENDO, não é mesmo? Então o “ninguém o entende” foi pro brejo junto com a vaca.

      3) Paulo diz que quem profetiza faz para a edificação e consolação dos homens. Opa, mas peraê: o dom de línguas do seu tipo também não é para edificar e consolar os homens? Sim, pois estaria pregando o evangelho a um estrangeiro na língua dele, e, portanto, estaria edificando esse outro indivíduo. Mas para Paulo era justamente o contrário!

      4) E aí vem a parte de que quem fala em línguas edifica a si mesmo, o que o Granconato, de forma patética e risível, “interpreta” que é uma “força de expressão” para querer dizer, na verdade, que NÃO edifica a si mesmo! Uau!!! Com um exegeta tão bom assim, é melhor eu não me meter! O cara é tão fera que vira o texto ao avesso e transforma o que Paulo disse no INVERSO do que ele disse!!! Huehuehuehuehuehue

      Excluir
    23. Sobre a experiência científica em questão, eu já comentei sobre ela no meu livro, portanto vou transcrever a parte aqui:

      Um pastor pentecostal chamado Gerry Stoltzfools foi chamado à Universidade para que tivesse seu cérebro avaliado enquanto falava em línguas. Primeiro pediram a ele que orasse em língua comum (o inglês). Depois, pediram que começasse a orar em línguas. O doutor Newberg estudou o que acontece no cérebro durante o falar em línguas e ficou espantado com o que constatou. Ao contrário do que os céticos pensavam, ele descobriu que “isso não é uma língua; ou melhor, não é uma língua regular que normalmente ativa o lóbulo frontal”. Esta foi a forma mais cientificamente correta de dizer que “isto não é uma língua humana, mas espiritual” – exatamente como a Bíblia diz!

      Ele publicou um estudo sobre os americanos que falam em línguas, onde fala da sua descoberta sobre o que acontece com os pentecostais neurologicamente, que se parece muito com o que eles dizem que acontece espiritualmente. Ao se comparar o exame de quando o pastor estava orando em inglês com o que ele orava em línguas, constatou-se que o lóbulo frontal (a parte do cérebro que controla a linguagem) estava ativa quando ele orava em inglês, mas sua maior parte ficou inativa quando ele orava em línguas. O doutor Newberg afirmou:

      “Quando eles estão realmente engajados nesta intensa prática religiosa, seus lóbulos frontais tendem a diminuir sua atividade, e eu acredito que isso acontece pelo tipo de experiência que eles têm, porque eles dizem que não são responsáveis por aquilo. É a voz de Deus, é o Espírito de Deus que está movendo através deles”

      Isso não é apenas a confirmação de que os pentecostais não estão “inventando” humanamente línguas desconexas para enganar os descrentes, mas também é a confirmação exata daquilo que Paulo escreveu aos coríntios, quando disse que “se oro em línguas, meu espírito ora, mas a minha mente fica infrutífera” (1Co.14:14). Paulo disse que a mente ficava inativa ao falar em línguas, e isso dois mil anos antes da ciência constatar este fato. Como é o Espírito Santo quem ora através da pessoa, o indivíduo praticamente não usa o lóbulo frontal para falar; sua mente fica inativa enquanto o Espírito Santo fica ativo!

      Em outra ocasião, os participantes do estudo ficaram ouvindo música enquanto falavam em línguas, onde a pessoa falava em línguas sem um comando direto, como foi com o pastor Stoltzfools. Nas palavras do doutor Newbelg, os resultados foram “ainda mais evidentes”. Newberg também investigou o que acontece nos cérebros dos monges budistas enquanto estão meditando, e também o que ocorre nas orações dos franciscanos, mas o resultado foi notavelmente diferente do que acontece com os que falam em línguas:

      “É bem evidente o contraste. Os budistas e os franciscanos quando meditam ficam inteiramente focados, e isso faz com que seus lóbulos frontais aumentem a atividade”

      A ciência não pode afirmar que foi Deus, porque esta é uma conclusão fora do seu alcance. Mas ela pode confirmar que, de fato, não é uma linguagem humana, e que a oração em línguas deixa a mente “livre” para as demais atividades, exatamente como a Bíblia dizia há dois mil anos! A conclusão de que isto faz uma ponte com o Deus cristão pode não ser estritamente científica, mas é absolutamente racional e lógica. Por que este “fenômeno” só ocorre entre os cristãos? Se tudo não passa de um fenômeno “inexplicável”, então por que não vemos ateus que falam em línguas?

      Alguns respondem que é porque isto ocorre em função de um “êxtase religioso”, coisa que os ateus não sentem. Isso simplesmente não é verdade. Boa parte dos cristãos que falam em línguas não começaram a falar depois de um êxtase religioso. Conheço muitos que começaram a falar enquanto estavam em situações totalmente comuns, alguns enquanto esperavam na fila do banco, outros enquanto tomavam banho, outros ainda enquanto estavam dirigindo.

      Excluir
    24. Os exemplos vãos aos montões, e a ciência desmentiu a hipótese de que os milhões de pentecostais que falam em línguas estão fazendo de enganação. Há uma mudança real e extremamente significativa no cérebro do que fala em línguas, em comparação com o cérebro dos que falam qualquer outra coisa. Claramente é algo não-natural, que não vêm da própria pessoa. Quem fala em línguas não precisa pensar nas palavras que vai dizer, nem soltar a língua e começar a repetir qualquer coisa, mas simplesmente permitir que o Espírito Santo fale através dela, na linguagem espiritual de oração.

      Se fosse êxtase emocional, nada explicaria os inúmeros casos onde não havia qualquer êxtase, e muito menos por que os que têm este “êxtase” permanecem com o dom para poder usá-lo na hora que quiser e em qualquer situação cotidiana, mesmo sem estar em êxtase. Se a objeção dos “céticos” fosse levada a sério, na melhor das hipóteses os crentes só poderiam voltar a falar em línguas quando tivessem um novo êxtase emocional. Os cristãos têm uma resposta fácil para isto – “os dons de Deus são irrevogáveis” (Rm.11:29) – mas os ateus são obrigados a manter a incredulidade de pé mesmo sem ter resposta convincente para nada.

      Além disso, por que não há nenhum registro histórico deste dom haver ocorrido em algum momento antes do Pentecoste? Se não passa de um fenômeno qualquer, então seria totalmente provável que todos os outros povos em tempos mais antigos que 32 d.C falassem em línguas também. Mas não temos. E por que não vemos religiosos de outras religiões, como o budismo, o hinduísmo, o judaísmo ou o islamismo falando em línguas também? Se isso é somente êxtase religioso ou um fenômeno que pode vir a qualquer um – e eles são pessoas e são religiosos – seria totalmente lógico que este “fenômeno” alcançasse cristãos e não-cristãos por igual, estatisticamente falando. Mas isto está longe de ser verdade.

      No máximo o que vemos são pessoas de outras religiões que convivem muito próximas dos pentecostais e tentam imitar o dom de uma forma humana e natural (como o padre Jonas Abib que ensina os fieis a soltarem a língua e o imitarem), mas não há sequer um único relato de algum indiano, judeu ou árabe que convive naquelas regiões e que fale em línguas estranhas. Não há nem um único para servir de exemplo, nem mesmo como exceção à regra.

      Leia o artigo completo aqui:

      http://ateismorefutado.blogspot.com.br/2015/04/o-dom-de-linguas-sob-uma-perspectiva.html

      Ou seja, você apenas DISTORCEU o que foi comprovado naquela experiência! O vídeo em questão, para qualquer pessoa HONESTA tirar as suas próprias conclusões, está aqui:

      https://www.youtube.com/watch?v=5O14ei7vaJY

      Para terminar: eu só continuo debatendo com você se você sair do anonimato e SE IDENTIFICAR. Você pode escolher uma conta fake se quiser, pode tentar enganar quem quiser, ou pode ser honesto e usar sua identidade real, MATHEUS CARREL. Vai continuar disfarçando e fingindo até quando? Não é porque você é decepcionado com Deus, que tem que começar a arrematar contra doutrinas bíblicas que VOCÊ SABE que são verdadeiras. Minha paciência esgotou.

      Excluir
    25. kkkkkkkkkkk agora teve profecia e tebta desvendar meu nome? O Matheus Carrel eu conheço pessoalmente e por sinal ele que me indicou seu blog contra o catolicismo e ele está na mesma ignorancia dos pentecostais nisso. Aliás o coitado tb é pré-tribulacionista se ele que ele sabe da onde surgiu essa heresia ai. Mas apesar disso ele é boa pessoa. Além do mais pelo que sei não é verdade que não existia dom de línguas antes de Pentecostes.Vc está desinformado.O granconato já explicou isso:

      A glossolalia não está associada apenas ao cristianismo em sua vertente pentecostal. Registros históricos informam que, no Egito, ao tempo de Ramsés XI (1100 – 1070 a.c), um jovem adorador de Amon, após ter oferecido sacrifícios ao seu deus, foi por ele possuído e começou a falar uma língua estranha. Séculos depois, Platão afirmou na sua obra, “Fédon”, que nos seus dias várias pessoas praticavam a fala extática sob possessão ou inspiração divina. No século 1 a.C., Virgílio disse na “Eneida” que as pitonisas sibilinas da Ilha de Delfos falavam línguas estranhas como resultado da sua união com o deus Apolo. Em transe, elas diziam coisas sem nexo, palavras confusas e enigmáticas, sem nenhum sentido. Fenômenos semelhantes ocorriam no culto egípcio a Osíris, no mitraísmo dos persas e nos Mistérios Eleusianos.

      Em tempos mais recentes, a glossolalia pode ser encontrada no catolicismo da Renovação Carismática, no espiritismo, onde o fenômeno é chamado de xenoglossia ou mediunidade poliglota (havendo também alegações de se falar línguas extraterrestres), nos rituais indígenas, no xangô, no candomblé e no xamanismo, onde as línguas faladas são reproduções de sons emitidos por animais.

      Esses dados deveriam promover uma cautela maior por parte dos pentecostais e não uma postura tão aberta às línguas como se verifica nesse meio. Também deveriam servir como incentivo para a revisão de seu conceito de línguas como evidência de alta condição espiritual.

      Excluir
    26. Unhum, realmente, você não é ele não, só é um "amigo pessoal" dele, só escreve igualzinho a ele, só usa os mesmos argumentos que ele, só é um admirador do Vailati e do Granconato igual ele, até as aspas que usa é do jeitinho que ele sempre faz (´´, em vez do tradicional " que todo mundo faz), e, também por uma enorme coincidência, o conhece pessoalmente(!) e foi ele que recomendou esse blog a você(!)... como esse mundo é pequeno não é mesmo? Acho que vou te chamar de "Gêmeo Carrel" então, assim fica melhor?

      Indo ao que realmente interessa: o que o Granconato disse aí, não refuta em nada o que eu apresentei, porque todos esses exemplos de línguas incompreensíveis no paganismo são sempre em ESTADO DE ÊXTASE ou TRANSE ESPIRITUAL, e não como ocorre entre os evangélicos pentecostais, que falam em línguas andando, na fila de um banco, dirigindo o carro, dentro do quarto, e assim por diante. Ou seja, no pentecostalismo (bíblico), o dom de línguas não está necessariamente atrelado a êxtase ou transe coletivo, não obstante haja pessoas que falem assim na igreja (o que é condenado por Paulo em 1Co.14). Isso diferencia completamente uma coisa da outra. Um (o do paganismo) são palavras sem sentido causadas exclusivamente por êxtase espiritual e sentimental, enquanto outro (o do pentecostalismo) é um legítimo dom espiritual que proporciona a capacidade de se falar em línguas desconhecidas até mesmo em particular, sem absolutamente nenhum estado de transe ou histeria coletiva. Se você ainda não sabia disso, então não tem conhecimento e nem capacidade nenhuma para falar sobre pentecostalismo e línguas estranhas. Eu falo do que eu conheço e vivo.

      Gêmeo Carrel? Acho que eu errei. Melhor chamar de "Fã do Granconato", já que até agora ao longo de toda essa discussão você abriu a Bíblia ZERO VEZES, em ZERO VERSÍCULOS, não refutou nada dos argumentos bíblicos que eu passei, mas em contrapartida, cita Granconato do início ao fim, fica até parecendo que a sua autoridade teológica é o Granconato e não a Bíblia. A Bíblia é um mero acessório, que só vale quando interpretada pelas lentes granconatonianas (sim, eu inventei esse termo de qualquer jeito). De fato há pouca ou nenhuma diferença entre você e um católico típico: um só aceita interpretar a Bíblia se for com a interpretação do papa romano, e o outro só aceita interpretar a Bíblia se for com a ótica do "papa" Granconato, ou "Grancomito", como é chamado nesses meios...

      Excluir
    27. Não me compare com o Matheus Carrel. Eu vou no mesmo curso que ele vai de Teologia de segunda e terça. Só que ele não faz nada lá e não aprende nada. Aliás, ele diz tb ter esse suposto dom de línguas igual vc tem mas não sabia debater isso pessoalmente e me indicou seu blog. O granconato eu conheço de Internet e não concordo com tudo dele pois ele é pré Tribulacionista e eu sou pós tribulacionista. Mas não posso negar que ele refuta o pentecostalismo de forma fantástica. O Vailatti eu tb conheço de debates do vejam só, entre outros que conheço. O engraçado é que o dom de línguas hj só serve pra fazer bagunça na igreja, retete e escandalizar os outros. Mais engraçado ainda é que os maiores teólogos e pastores do mundo são reformados e não tem esse dom. Até o Edir Macedo que deturpa o evangelho e que rouba tem o dom de línguas e o Nicodemus que tem uma grande bagagem teológica não tem o dom de línguas. Estranho o dom de línguas se manifestar só em quem não tem cultura teológica e faz coisas erradas.

      Excluir
    28. Não há mais o que debater, seus argumentos sempre se repetem, voltando a pontos que já foram tratados antes. Depois que é refutado em alguma coisa, em vez de rebater essa coisa, volta a repetir os mesmos argumentos que já foram apropriadamente tratados e debatidos anteriormente, fazendo o debate andar em círculos. Tudo o que você disse aí, sobre os teólogos reformados serem os "melhores", sobre o seu preconceito ridículo contra os pentecostais, sobre o abuso dom dom de línguas em certos meios pentecostais, etc, tudo isso já foi abordado, não vou perder tempo repetindo aqui o que eu já passei um longo tempo escrevendo. Se você realmente acha que todos os teólogos pentecostais do mundo "não tem cultura", então de fato você não passa de um preconceituoso que não merece que eu continue perdendo tempo com você aqui.

      Você confunde as coisas, achando que Deus dá o dom de línguas para quem tem mais "bagagem teológica", como se o dom fosse fruto de estudo ou mérito pessoal, quando é só graça e favor divino, o qual é manifestado àqueles que BUSCAM os dons (1Co.14:1), e é essa a razão pela qual ele não se manifesta em Nicodemus, Granconato e cia, porque eles são cessacionistas e, como tais, não creem na atualidade dos dons espirituais. Como eles não creem que esse dom exista hoje, então não o buscam, afinal ninguém busca algo que acha que não existe. E exatamente por isso não recebem. Você pode achar que todos os pentecostais são burros, incultos, pobres e sem instrução, dentro da visão preconceituosa que você possui e nessa generalização grosseira que faz, mas eles pelo menos buscam humildemente o dom, e por isso recebem. A própria Bíblia diz que os apóstolos eram incultos e sem instrução na época do Pentecoste (At.4:13), e mesmo assim, foi a eles que Deus quis dar o dom, e não aos grandes "mestres" da época, os grandes "teólogos", os que tinham muito mais estudo e "cultura", os "bam-bam-bam", que seriam os fariseus e saduceus. Infelizmente o tempo passa, mas vocês continuam sem aprender a lição. A mesma arrogância e prepotência dos que se julgam os "grandes" pela letra, mas que tem o espírito morto. Sorte que, na Bíblia, é os últimos que são os primeiros.

      O debate está encerrado.

      Excluir
  6. Lucas, como refutar Thomas Woods, pois sempre vejo chatólicos usando o livro dele para dizer que a ICAR construiu o ocidente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não precisa, ele já foi refutado por um PhD há muito tempo:

      http://religiaoeveneno.org/discussion/1303/a-igreja-catolica-nao-construiu-a-civilizacao-ocidental-coisa-nenhuma-os-erros-de-thomas-woods-jr

      Excluir
    2. E você já leu "Todos os caminhos levam a Roma", Scott Hamm?

      Excluir
    3. Eu ia ler, mas um amigo meu que sabe bem menos de teologia leu e falou que o livro é uma piada, então eu perdi o interesse.

      Excluir
  7. Mais uma do Olavo: "1) A Igreja Católica é rigorosíssima ao examinar alegações de milagres, rejeitando implacavelmente a maioria delas, ao passo que as protestantes fazem uma propaganda obscena em torno de qualquer simulacro vagabundo. Isso já deveria bastar para quem tem um pingo de discernimento dos espíritos.
    2) A Reforma protestante matou mais gente em umas poucas décadas do que a Inquisição em quatro séculos.
    3) As igrejas protestantes -- todas elas, sem exceção -- conduzem há cinco séculos a mais vasta e prolongada campanha de difamação em torno do que chamam "a" Inquisição. Por que os apóstolos da verdade precisam tanto de mentiras?
    4) Uma discussão honesta pressupõe igualdade de direitos e obrigações de parte a parte. Isso é IMPOSSÍVEL numa discussão com protestantes, porque o católico sempre tem de responder pela sua Igreja como um todo e o protestante tem sempre o subterfúgio de alegar que a SUA denominação em particular é diferente, Nenhum protestante responde pela Reforma como um todo nem pelas suas conseqüências globais. Discutir com protestante é como lutar com um toco de sabonete numa banheira cheia."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 1) A Igreja Católica é tão "rigorosa" em analisar os "milagres" que até um padre os desmascara:

      http://heresiascatolicas.blogspot.in/2015/02/padre-desmascara-as-de-fatima-e-diz.html

      2) Informação sem nenhuma base, fonte ou evidência, típica de um picareta mentiroso e dissimulado.

      3) Ninguém precisa "difamar" uma aberração moral como a Inquisição ou o Holocausto, para isso basta usar os escritos deles próprios. No caso da Inquisição, basta ler o "Manual dos Inquisidores", escrito pelos inquisidores Eymerich e Peña, para ver que qualquer "acusação protestante" chega a anos-luz de distância daquilo que OS PRÓPRIOS INQUISIDORES afirmavam sobre a sua própria máquina de matar. A não ser, é claro, que os próprios inquisidores fossem "protestantes disfarçados para caluniar a Inquisição"... aí já é coisa de doente mental.

      4) E não é a mesma coisa que os católicos fazem? Se acusa a RCC, dizem que a RCC é modernismo infiltrado na Igreja e portanto "não vale". Se usa o discurso olavete, dizem que é coisa de um guru astrólogo que nem católico de verdade é. Se se usa os sedevacantistas, alega-se que eles não são mais católicos de fato. O mesmo em relação aos episcopais, aos veterocatólicos, aos libertários, etc e etc. A Igreja Católica nunca pode ser acusada de nada, porque ela sempre se transmuta na forma que o católico em particular bem entender. Os outros nunca são os "católicos verdadeiros", apenas ele mesmo é que é.

      Excluir
    2. O problema do Olavo quando fala dos protestantes é que, deliberadamente, e de uma forma não vou dizer desonesta, mas tendenciosa para exaltar a "Santa Igreja" dele, coloca todo mundo na mesma barca, desde Thomas Muntzer e Savonarola, até os hereges e até satânicos Edir Macedo e Valdemiro Santiago, juntamente com os homens que foram realmente importantes para a reforma, como John Huss, John Knox, Lutero e Calvino. Há uma diferença grandiosa em cada um deles, e ignorar isso é não analisar o objeto em seus devidos termos. Além disso, talvez por desconhecimento dele, há uma clara tradição sobre o que os protestantes tem como doutrina, então os protestantes se sentem unidos quando se fala dos puritanos, presbiterianos, batistas, metodistas, luteranos, e outras igrejas mais sérias quanto a doutrina, inclusive pentecostais. Então não é verdade que não respondemos pelas outras congregações. E isso também é transferir a discussão para outro campo, pois o que nos une é o respeito à autoridade bíblica. Nisso qualquer igreja que assim verdadeiramente se coloque está no nosso barco. Agora, querer dizer que universal, internacional, plenitude e outras seitas vagabundas são protestantes é ser ignorante.

      Excluir
  8. Muito importante as legendas. E muito interessante seus argumentos de defesa. A classe tradicional evangélica vai ter que refazer seus conceitos sobre alma e espírito. A coisa não é como se ouve pela maioria. O problema é que a tradição viciada em almas penadas e espíritos que andam, não muda. Já acostumaram a ouvir tanta besteira sobre a vida além da morte que nem a Bíblia funciona mais para esse povo.

    Meus parabens pelo debate. Eu acho que você saiu-se melhor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Alon. Isso sobre a tradição é uma das coisas que eu digo no meu vídeo de considerações sobre o debate, recomendo que assista:

      https://www.youtube.com/watch?v=nbN2kXatJNE

      Abs!

      Excluir
  9. Olá Lucas , eu gostaria de saber um bom livro que você recomendaria para a defesa da sola fide e também artigos para a defesa de tal doutrina ( fora os seus) . E também poderia responder os argumentos católicos contra tal doutrina como : " o texto de Tiago " , " A biblia não usa o termo Somente pela fé " , " A sola fide e umá invenção de Lutero " desde já grato

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Todos esses argumentos contra a Sola Fide já foram refutados em artigos deste blog, como por exemplo:

      http://heresiascatolicas.blogspot.in/2014/01/tiago-ensinava-justificacao-pelas-obras.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.in/2014/01/a-sola-fide-na-biblia-justificacao.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.in/2012/08/somente-fe.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.in/2016/05/agostinho-e-justificacao-pela-fe.html

      Também no blog do Hugo:

      http://conhecereis-a-verdade.blogspot.in/2013/04/sola-fide-em-tomas-de-aquino_19.html

      http://conhecereis-a-verdade.blogspot.in/2013/03/a-doutrina-de-sola-fide-como-entenderam.html

      http://conhecereis-a-verdade.blogspot.in/2012/05/sola-fide-justificacao-pela-fe-na.html

      http://conhecereis-a-verdade.blogspot.in/2010/07/clemente-romano-e-sola-fide.html

      Também no blog do Bruno:

      http://respostascristas.blogspot.in/2016/04/justificacao-somente-pela-fe-sola-fide.html

      http://respostascristas.blogspot.in/2016/04/justificacao-somente-pela-fe-sola-fide_29.html

      E também no do Elisson:

      http://resistenciaapologetica.blogspot.in/2015/08/breve-resposta-sobre-algumas-objecoes.html

      Abs!

      Excluir
  10. Pra vc jogar jogos de tiro e pecado?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não, eu também jogo e não vejo problema algum.

      Excluir
    2. Só por curiosidades msm,Quais vc joga ?

      Excluir
    3. Age of Empires 3. Tenho até um canal com alguns dos meus jogos online:

      https://www.youtube.com/user/lucasceni123/videos

      Excluir
  11. Lucas, isso pode soar estranho, mas estou apaixonado por uma Youtuber. O nome dela é Farkile, ela é cristã e está solteira. Mas acho que é um pouco difícil entrar em contato com ela, pois o canal dela no Youtube tem 800 mil seguidores. Além disso, moramos a 3500 quilômetros um do outro.
    Como acha que devo proceder para conhecê-la?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Neste caso, melhor não "proceder". As chances de namorar uma famosa que mora tão longe e que certamente não vai nem ler sua mensagem e muito menos ter tempo para uma conversa é zero. Me desculpe, mas às vezes é melhor a gente não se iludir.

      Excluir
    2. Lucas, pra que estragar o sonho de amor do cara? Kkkkk.

      Excluir
    3. Mas Lucas, eu realmente quero muito conhecê-la. E farei todo o possível para conseguir.
      Mesmo quando as pessoas colocam aquilo como sendo impossível, mas a sua fé é tão grande que sabe, "a fé move montanhas"?

      Como devo proceder?

      Excluir
    4. A fé é grande, mas o juízo é pequeno...

      Excluir
  12. Lucas, pode me explicar a passagem de Atos 5:32? Nela o apóstolo parece dizer que só os obedientes recebem o Espirito Santo (como se precisássemos obedecer primeiro pra depois receber o Espírito), como essa passagem deve ser interpretada?
    Agradeço desde já a resposta, abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas é verdade, para receber o Espírito Santo é preciso primeiro aceitar a graça preveniente, então o Espírito Santo vem e ocorre a regeneração, Deus não coloca o Espírito Santo no coração de um ímpio. E este texto não precisa ser interpretado necessariamente desta forma, ele pode estar fazendo referência aos que na atualidade obedecem a Deus, e não aos que o obedeciam já há "x" tempo antes de recebê-lo. Neste caso o sentido do texto seria simplesmente que aquelas pessoas que obedecem a Deus tem o Espírito Santo. Abs!

      Excluir
  13. Dos apologistas atuais, quais você acha os melhores? James White, William Craig...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Além desses, Keith Thompson, Norman Geisler e William Webster.

      Excluir
  14. LUCAS VOCE PODE ME INDICAR BONS LIVROS QUE FALAM DA HISTORIA DA IGREJA COMO A IGREJA E AS DOUTRINAS BIBLICAS FORAM FORMADAS ABRAÇOS!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "História da Igreja e o Evangelismo Brasileiro" (Saulo de Melo)

      "História da Teologia Cristã" (Roger Olson)

      "Uma breve história do Cristianismo" (Geoffrey Blainey)

      "História da Igreja Cristã" (Wiliston Walker)

      Abs!

      Excluir
  15. Lucas, eu sei que não tem completamente a ver com esse blog, mas veja isso:

    http://brunosunkey.blogspot.com.br/2017/01/resposta-ao-questionario.html

    É de um amigo meu do Facebook, ele começou um blog sobre Teologia há algum tempo e eu o estava explorando (é muito bom) só que aí achei esse, texto, o que me diz? Sinceramente não achei muito fortes as "refutações", mas quero saber de ti.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom, na verdade, ele fez um favor pra mim. No meu artigo eu não argumento nada, apenas mostro os versículos e coloco as "opções" embaixo, o propósito não é fazer uma exegese dos versos (como eu faço nos livros), mas apenas mostrar o óbvio: que a interpretação imortalista é algo forçado, como alguém que "tortura" os textos até que eles digam o que ele quer ouvir. E foi exatamente isso o que este autor fez no texto dele, um festival de malabarismos sem fim para tentar negar o significado óbvio dos textos, ou seja, ele apenas evidenciou tudo aquilo que eu expus no meu artigo, só comprovou o que eu disse.

      Excluir
    2. E mais uma coisa (não tem diretamente a ver com imortalidade da alma)... poderia dar uma conferida nesse texto? Achei interessante, mas coloca umas dúvidas desconfortáveis na Teologia:

      http://www.evo.bio.br/LAYOUT/CAOS.html

      Basicamente, o que o autor diz é: (1) segundo a Bíblia o "céu" que é criado no Segundo Dia é um domo sólido que cobre uma Terra plana, (2) e acima desse domo Deus coloca uma porção de água (as águas sobre o firmamento) e outra fica abaixo da Terra (o Abismo); (3) Deus não "criou" de fato o Universo, e sim o formou a partir do "caos"(que seriam as "águas" mencionadas lá no início de Gênesis 1), e levando em conta a natureza desse caos ou ordem primordial, infere-se que a água é um elemento coeterno com Deus.

      Gostaria de saber o que você diria desse texto aí (que impõe não apenas dúvidas com relação à cosmogonia bíblica e ao processo da Criação, mas também à natureza de Deus, já que o autor também insinua que Deus não seria "Eterno" em um sentido literal).

      Excluir
    3. As águas não são eternas, elas foram criadas depois de Gênesis 1:1. Em Gn.1:1 é dito que Deus criou os céus e a terra, a partir daí as coisas começam a existir, e só depois, no verso 2, é dito que havia a terra (ainda sem forma e vazia até então) e as águas. Ou seja, a terra e as águas surgem depois da criação de Gênesis 1:1. E a palavra ali usada é "criou", que passa a ideia de que aquilo não existia antes. Portanto Deus é eterno e sua criação é finita.

      Excluir
    4. Mas o artigo ainda traz muitos questionamentos sobre o "Universo" da Bíblia (além de fazer alusão à Terra plana).

      Excluir
    5. Mesmo assim, eu acho que é bem interessante (e divertido) assistir os terraplanistas tentando ressuscitar a crença na Terra plana, que o Espaço na verdade é um domo, que há uma conspiração mundial, etc.

      Excluir
    6. Não vi ele citar texto nenhum, além da questão das "águas". Ele só citou Eclesiastes 1:5, mais pro final, mas todo mundo sabe que a linguagem do sol se pôr é uma força de expressão, de acordo com a perspectiva do observador. É como dizer que Fulano "chorou rios de lágrimas", isso não significa que haja literalmente um rio formado pelo choro.

      Excluir
  16. Sou Católico Apostólico Romano, por que devo considerar me tornar evangélico?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Porque a doutrina evangélica é mais próxima das Escrituras do que a do catolicismo romano, que é uma religião apóstata.

      Excluir
  17. LUCAS VOCE ME INDICA TAMBEM BONS COMENTARIOS BIBLICOS DE CONFIANÇA PARA MELHOR ENTENDIMENTO BIBLICO QUAIS OS MELHORES AUTORES QUE VOCE ME INDICARIA. ABRAÇOS!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, isso vai depender muito do que você considera "de confiança". Se o que você busca é um comentário ou comentarista bíblico que acerte 100% em todas as coisas de modo que você possa lê-lo e concordar com tudo o que ele escreve sem nenhum senso crítico ou ceticismo, então eu não recomendaria ninguém, nem eu mesmo. Todos os comentaristas são falhos, e tudo o que qualquer um deles diz deve ser estudado e analisado criticamente em vez de aceitar de forma acrítica e incondicional. Agora, se o que você tem em mente são comentaristas bíblicos bons, embora humanamente imperfeitos, mas que tem muito a contribuir, então eu poderia recomendar teólogos como Norman Geisler, F. F. Bruce, Roger Olson, Dave Hunt e etc, e Bíblias de Estudo como a NVI e o "Comentário Bíblico Atos", além do meu próprio comentário aos evangelhos:

      http://lucasbanzoli.no.comunidades.net/os-evangelhos-comentados

      Excluir
  18. Hj eu tive aula de biologia,Meu professor disse que acreacreditava + ou - em Genesis,Ele estudou Antropologia e segundo ele Adão e Eva representavam Duas tribos de hominídeos e que a entrada do pecado através da serpente e meio que uma metáfora pra entrada do mel,E que Cain e Abel eram duas tribos que guerriaram e aquela história de Caim matar Abel e apenas uma metáfora ou simbolismo,O q vc acha sobre isso ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, anônimo. Eu sei que as perguntas foram endereçadas ao Lucas, e sei que ele logo, logo vai responder, já que sempre responde aos comentários, apesar de com certeza ter uma vida corrida. Mas se eu puder humildemente ajudar, eu não acredito nessa analogia dele não. Eu acredito que o relato bíblico em Gênesis é literal, tendo Deus criado o mundo em 6 dias mesmo, descansado no sétimo, Caim matou realmente o seu irmão Abel e tenho um ceticismo muito grande com a antropologia atual pois ela quer empurrar goela abaixo as suas idéias, porém não conseguem comprová-las efetivamente. Caso tenha interesse há sites ótimos sobre esse assunto: http://creationtoday.org/
      http://answersingenesis.org/pt/
      Alguns ótimos livros:
      the six days of genesis, Paul F. Taylor
      biblical creationism, Henry M. Morris
      defeating darwinism, Philip Johnson

      Excluir
    2. Concordo com o Gustavo. Além dos sites e livros que ele recomendou sobre o assunto, também posso adicionar esses aqui em português, caso você não tenha um inglês bom:

      - Livro: "Como Tudo Começou" (Adauto Lourenço)

      - Sites:
      http://www.criacionismo.com.br
      https://darwinismo.wordpress.com
      http://creationwiki.org/pt/Página_principal

      - Canal no Youtube:
      https://www.youtube.com/channel/UCDoPuIvx88nh69fS5VJCNWg/videos

      Excluir
  19. Oi Lucas.
    Qual a sua opinião sobre o estado laico. Você é a favor ou contra? Por quê?
    Obrigado amigo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Totalmente a favor. O Estado tem que ser neutro para evitar a perseguição a outras religiões distintas da "oficial" (ex: Inquisição e perseguições em países muçulmanos) ou a todas elas (ex: comunismo ateísta dos regimes totalitários do século XX).

      Excluir
  20. Lucas, é verdade que "do crente ao ateu, ninguém explica Deus"?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Explicar plenamente, ninguém mesmo. Só o conheceremos plenamente quando o vermos face a face, na eternidade.

      "Agora, pois, vemos apenas um reflexo obscuro, como em espelho; mas, então, veremos face a face. Agora conheço em parte; então, conhecerei plenamente, da mesma forma como sou plenamente conhecido" (1 Coríntios 13:12)

      Excluir
  21. Lucas, desculpa, tenho muitas dúvidas sobre a salvação. Pode me ajudar?

    1). O que é a salvação?
    2). Como posso ganhar a salvação?
    3). Como posso perder a salvação?
    4). Como posso saber se uma pessoa vai para o inferno ou para o céu?
    5). Só serei salvo se frequentar uma igreja?

    Desculpa tantas dúvidas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 1) Salvação é o ato de Deus impedir a morte final de uma pessoa, a qual ela estaria inevitavelmente fadada, concedendo-lhe, em vez disso, uma vida eterna.

      2) Crendo em Jesus como salvador único e suficiente, e seguindo os seus mandamentos.

      3) Deixando de crer e de praticar os mandamentos, vivendo deliberadamente em pecado.

      4) Você não sabe, só Deus sabe. Exceto nos casos mais extremos, onde alguém comete pecado abertamente e sem nenhum pudor ou consciência, não temos como saber se alguém vai pro inferno, e muito menos se vai pro céu. Até porque é impossível saber se uma pessoa não comete pecados secretos que só ela e Deus sabe (como, por exemplo, trair a mulher, sem ela e sem outras pessoas ficarem sabendo da vida de adultério). Por isso é melhor deixarmos o juízo com Deus e não com os homens.

      5) Não necessariamente, ir à igreja é importante, mas não absolutamente necessário para a salvação. Se você orar a Deus, adorar, louvar, ler a Bíblia, fazer o bem ao próximo, viver em santidade e aperfeiçoar seu caráter, não vai ser condenado pelo mero fato de não congregar em igreja visível, mas é recomendável pelo menos se reunir em grupos pequenos, em casas mesmo, já que a Bíblia ressalta a importância da coletividade na edificação mútua do corpo de Cristo.

      Desculpe a demora em responder.

      Excluir
  22. Já viu esse debate?

    https://www.youtube.com/watch?v=pWCB91F1NfU

    Se sim, o que achou?

    ResponderExcluir
  23. Lucas, há uma corrente teológica que afirma que o AT não é mais válido ara os dias de hoje, o que você acha disso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sei a opinião do Lucas, mas isso é bizarro e mentiroso. O próprio Deus falando com o seu povo pode ser inválido? O que há é uma incapacidade de discernimento e resposta por teólogos fracos que, ao invés de compreender melhor o antigo testamento, preferem colocá-lo como inválido.

      Excluir
    2. O AT é válido sim, o que é preciso é distinguir entre o que se aplica literalmente a nós nos dias de hoje e o que não se aplica. Por exemplo, nós não vamos matar cordeiros nos dias de hoje, nem precisamos praticar a circuncisão no oitavo dia, ou fugir para cidades de refúgio por mortes acidentais, ou apedrejar alguém até a morte por causa de adultério ou por não guardar o sábado, e por aí vai. Isso porque tais preceitos faziam parte da lei civil e cerimonial de Moisés, que teve seu prazo de validade em Cristo. Mas os princípios éticos e morais permanecem existindo até hoje, bem como todo o aspecto doutrinário que não seja parte da lei cerimonial judaica.

      Excluir
  24. Oi Lucas, eu já ouvi alguns cristãos defenderem a pena de morte pois, no entender deles, consta no velho testamento preceito a favor de tal prática. Como o cristão deve se posicionar sobre esse tema? Ajudaria a diminuir a violência?
    obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O AT não tem nada a ver com isso já que a lei mosaica não está mais em vigor. Mas por outro lado a pena de morte para crimes mais extremos seria uma boa saída para o problema carcerário brasileiro, onde há falta de presídios e superlotação dos mesmos, as vezes nem há locais para se colocar os presos e por isso não os prendem ou os deixam em liberdade. Mas em circunstâncias ideais, entendo que a prisão perpétua seja uma melhor alternativa à pena de morte.

      Excluir
  25. Pq a Inglaterra se degenerou tanto? No século 17 ela formou verdadeiros cristãos e dominou o mundo durante 3 séculos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não foi só a Inglaterra, foi toda a Europa. Fruto do relativismo secular, do ateísmo e agnosticismo que tomou conta da Europa e que continua esvaziando as igrejas de lá até hoje. Mas não é nada além do que Jesus previu, que na sua vinda o amor de muitos se esfriaria e a fé também.

      Excluir
    2. Qual uma possível causa ou evento que levou a Europa ao estado de hoje?

      Excluir
    3. No início do século XX houve uma forte onda de ateísmo e ceticismo impulsionada por homens como Friedrich Nietzsche e Sigmund Freud. Alguns diziam inclusive que Deus estava "morto", e que nas gerações seguintes ninguém mais creria nele. As previsões se mostraram falhas, pois até hoje as pessoas creem em Deus, mas pelo menos na Europa, teve um efeito visível sim.

      Excluir
  26. Vamos continuar aquela entrevista, o que vc costuma comer no café da manhã?
    Eu: uma fatia de pão de forma, dois ovos mexidos, duas fatias de peito de peru, uma fatia de queijo minas, 1 iogurte desnatado, 1 fruta da estação.

    ResponderExcluir
  27. Qual Bíblia você usa? Devo usar a NVI? Li que ela é perigosa, pois uma editora que produz o livro do satanismo comprou os direitos de produzir a NVI... Algo assim...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uso a NVI sim. Ela é a melhor em português. Essa história aí é balela. Aqui você pode ver algumas razões pelas quais a NVI é a melhor:

      http://www.dc.golgota.org/nvi/nvi.html

      Excluir
    2. A melhor tradução de Bíblia e a mais proxima dos originais é a TEB que é ecumênica e tem os 7 apócrifos da ICAR. Compre uma e vc verá. Só ignore os 7 apócrifos.

      Excluir
    3. Ela só vende em livrarias católicas. Ela tem informações que nenhuma Bíblia evangélica tem. E custa por torno de 90 reais.

      Excluir
  28. O que tu acha do Mario Persona? E do John Nelson Darby?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mario Persona é ótimo. Darby foi quem inventou o pré-tribulacionismo, então evidentemente, como pós-tribulacionista, não curto ele não.

      Excluir
  29. Olá Lucas.
    O que você acha de Eclesiastes 7:28? O escritor bíblico estava sendo sincero ou exagerou? Como cristã confesso que, pra mim, o texto soa um tanto machista.
    obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá. Bom, é necessário entender, em primeiro lugar, que o escritor bíblico não estava ali dizendo como as coisas são de fato, mas apenas escrevendo sobre a experiência pessoal dele. E se por um lado o texto de fato parece machista por falar desse jeito sobre as mulheres, ninguém realmente machista iria dizer quase o mesmo sobre os homens, sobre só haver um homem justo entre mil. Se essa ótica for preconceituosa, então é preconceituosa contra ambos, 100% contra as mulheres e 99,9% contra os homens. Portanto eu não entendo que seja um texto machista, mesmo porque o mesmo autor (Salomão), em outro livro, fala sobre a existência de mulheres virtuosas (veja Provérbios 31:10), portanto provavelmente a descrição de Eclesiastes foi feita em um contexto histórico específico daquela fase da vida dele, onde a imoralidade que ele via era muito grande.

      Para mais explicações sobre o texto, recomendo este breve estudo abaixo:

      http://wol.jw.org/pt/wol/d/r5/lp-t/2007048

      Excluir
    2. Me intrometendo na pergunta, eu não achei ela nada machista. O autor apenas descreveu, caso não seja profética a palavra, a descrição momentânea de sua realidade. Ele poderia muito bem ter dito, achei 5 dignas, 10 dignas, caso estas existissem. Não é uma opinião sobre as mulheres em geral, e sim sobre a sociedade na qual o autor estava vivendo. Ele achou um homem justo e nenhuma mulher justa. De nenhuma forma isso pode ser expandido para a realidade de todos os tempos, como diversos textos bíblicos são. Portanto, qualquer um de nós pode analisar um certo grupo de pessoas e chegar a mesma conclusão dele, sem machismo ou feminismo algum, apenas analisando friamente a realidade. E podemos chegar ao contrário, dizendo que todas as mulheres ali eram dignas, e nenhum homem, desde que se analise de forma justa a situação.

      Excluir
  30. Lucas, concorda com isso?
    No nascimento de Cristo, os presentes foram simbólicos. Além de possivelmente inferir na trindade (o que, pessoalmente discordo um pouco).
    Ouro: simbolizando que Cristo era (Seria?) rei:
    Incenso; Naquela época usada para cultuar deuses, Simbolizando a divindade de Cristo.
    Mirra: pela minha pesquisa, demonstra ter sido usada para preparo de cadáveres, possivelmente a morte (e) ou talvez o sacrifício dEle?


    Se discordar, me avise :D
    Paz
    Nate

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nunca tinha analisado por essa ótica, é um pensamento interessante, talvez os presentes tivessem um significado espiritual por detrás mesmo, mas não negando que eles tenham existido literalmente. Abs.

      Excluir
  31. Posso provar que algo NÃO EXISTE? Ou só é possível provas coisas que existem?
    Muitos ateus falam que só se prova o que existe, e, portanto, não seria possível
    (para eles) provar que Deus NÃO EXISTE. As vezes, fico em dúvida sobre essa questão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tem como provar que algo não existe, a não ser que se delimite no tempo ou no espaço, ou que seja uma contradição lógica. Por exemplo, eu não posso provar que não existe um dinossauro no mundo todo, mas posso provar que não existe um dentro do meu quarto. A respeito de Deus a questão é mais complexa, porque seria possível provar que Deus não existe, simplesmente provando que o Universo é eterno assim como pensavam até o início do século passado. Se o Universo fosse eterno, ele não teria tido um Criador, e consequentemente Deus não poderia ter criado o Universo, e neste caso o Deus cristão não poderia existir (exceto se fosse um Deus do tipo panteísta, como no budismo e hinduísmo por exemplo).

      Mas as evidências científicas mais modernas trataram de liquidar essa visão antiga e provar que o Universo é finito, o que não apenas coloca Deus de volta ao "jogo", como ainda praticamente exige a sua existência, para dar início a um Universo finito e portanto criado por algo ou alguém. Mas eu concordo que neste debate, em tese, o ônus da prova recai sobre o cristão, e não sobre o ateu. Só que o ônus da prova em si não prova nada, exceto se a outra pessoa não tem argumentos, e os cristãos estão cheios de argumentos, enquanto os ateus não tem nenhum, nem ao menos contra-argumentações sólidas aos argumentos teístas mais clássicos (como o argumento cosmológico ou o teleológico, por exemplo).

      Excluir

  32. Olá Lucas.
    A paz de Cristo amigo
    Me tire uma dúvida:
    Vi um pregador dizer que era preciso Cristo ressuscitar e subir aos céus para que o Espírito Santo fosse dado a igreja dando a entender que a ação do Espírito Santo é posterior a sua morte . Se esse raciocínio estiver correto eu te pergunto:
    O "Espírito do Senhor" citado em Isaías 61 e outras partes do Velho Testamento é o Espírito Santo do Novo Testamento? Se for, por que algumas versões bíblicas grafam com E minúsculo? Os autores Veterotestamentários faziam ideia do Espirito Santo? Ou trata-se de algo recente aos autores do Novo Testamento?
    Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Espírito Santo é o mesmo, a diferença é que no AT ele vinha sobre algumas pessoas temporariamente, ou seja, por tempo passageiro, e logo ia embora (como nos casos de Sansão, Saul, dos profetas, etc). Por isso era tão comum a expressão de que "o Espírito do Senhor veio sobre tal pessoa...", porque o Espírito não estava lá antes. A diferença no NT é que somos moradas permanentes do Espírito, isto é, pelo tempo em que estivermos comprometidos com Deus, na fé. E isso de fato só aconteceu depois que Jesus soprou o Espírito em seus discípulos, no período entre sua ressurreição e ascenção.

      Não sei por que essas versões colocam com "e" minúsculo, mas tanto no hebraico como no grego não havia diferenciação entre maiúsculo e minúsculo, portanto isso foi opção dos tradutores e não algo que refletisse um texto original. Ao meu ver, sempre que a Bíblia fala sobre espírito sem ser do espírito humano ou de um anjo ou demônio, está falando do Espírito Santo. Não sabemos ao certo a noção que os escritores veterotestamentários tinham do Espírito Santo, mas possivelmente eles não criam da forma que cremos hoje, pelo menos eu não vejo provas no AT da personalidade do Espírito Santo, como vejo no NT. Mas por outro lado, também não há nada no AT que negue isso, ao menos expressamente.

      Abs.

      Excluir
  33. Como você interpreta os conflitos entre Esaú e Jacó? Vejo dessa maneira: por Jacó ter tomado as bençãos do irmão, ele foi castigado a trabalhar como servo durante 14 anos para ter Lia e Raquel. Você também enxerga dessa maneira?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também vejo assim, Jacó sofreu muito em função de suas próprias escolhas erradas.

      Excluir
    2. Como que você vê José do Egito e Judá. Judá sugeriu que José fosse vendido como servo. E no fim da história, para que Benjamin o filho pequeno não ficasse como servo, Judá sugeriu ser servo de José. Judá estava pagando pelo fato de ter vendido o irmão por 20 moedas e prata? Ou José já estava destinado a ser servo e depois governador do Egito? Eu acredito nessas duas lições que podemos abstrair da história de José do Egito.

      Excluir
    3. Sim, mas não apenas Judá, todos os outros irmãos também, visto que todos eles (exceto Benjamim é claro) concordaram com o que fizeram com José, e no fim todos se tornaram servos dele e do Faraó. Mas a Bíblia também diz que José foi designado para isso, ou seja, Deus conseguiu converter o mal praticado pelos irmãos de José em um bem que ajudaria a solucionar um problema global da época.

      Excluir
  34. Pq a Bíblia de Genebra ainda não foi traduzida para o português? Há uma Bíblia bem tosca que se diz de Genebra mas que usa a versão de João Ferreira de Almeida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Porque a linguagem é arcaica (como toda Bíblia ou livro antigo), se fosse traduzir literalmente ao português, iria ficar algo que ninguém iria querer ler. É por isso que a versão de João Ferreira de Almeida passou por trocentas revisões e atualizações, é por isso que os católicos não costumam mais usar a versão de Figueredo, e assim por diante. As palavras mudam com o tempo, a linguagem, o estilo, tudo muda.

      Excluir
  35. Qual sua posição política? Eu me considero um federalista, defensor da liberdade econômica e do Estado laico. E sou protestante, graças a Deus!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sou republicano, conservador nos valores e liberal na economia, de centro-direita, rejeitando todos os extremos de ambos os lados (comunismo, socialismo, estadismo, nacionalismo, ditadura militar, monarquia, anarquia, ultraconservadorismo, teocracia, etc).

      Excluir
    2. Também sou republicano, federalista, conservador em aspectos morais, liberal em questões econômicas e defesa defensor do Estado laico.

      Excluir
    3. Ah, também sou contra o financiamento de templos católicos.

      Excluir
    4. Dom Pedro II seria um excelente imperador se reinasse em um país protestante. Teria menos trabalho. Infelizmente nosso país nasceu católico e não corrigiu deficiências na constituição católica de 1824.

      Excluir
  36. LUCAS O QUE VOCE ACHA DA IGREJA EVANGELICA CRISTA MARANATA.ABS!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nunca congreguei nessa igreja, então não tenho competência para responder a este respeito. Abs!

      Excluir
  37. O que está acontecendo com seu blog? Vc nao posta nada a muito tempo. Não tem nada de novidade no seu blog? E seu curso de historia da igreja? Parece que vc desanimou e largou o blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agora está difícil, mas vou voltar em breve, talvez já nas próximas semanas, mas continuo respondendo as pessoas por aqui nos comentários ou pelo facebook e email. Não me lembro de ter prometido um curso de história da Igreja, o que eu tinha falado uma vez era sobre um curso sobre catolicismo, eu já gravei uns vídeos e preparei quase todo o material escrito, mas ainda falta bastante pra concluir, quando eu terminar publico aqui.

      Excluir
  38. Deus te abençoe, caro Lucas!

    ResponderExcluir
  39. Lucas, o que esse texto diz é verdade?
    http://solascriptura-tt.org/EscatologiaEDispensacoes/TeoriaArrebatamentoPostribulacionista-JDPentecost.htm


    Além disso,o que acha do site em questão (Solascriptura-tt.org)?.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não, tudo isso já foi refutado no meu livro sobre o tema (A Igreja na Grande Tribulação). O site em questão tem alguns bons estudos, mas é abertamente e declaradamente fundamentalista, segue uma linha radical na teologia que quase teólogo nenhum segue hoje em dia, basicamente é uma visão bitolada e cega onde o Textus Receptus é o único "texto verdadeiro" e supostamente 100% autêntico sem nenhum erro, e a partir daí todas as versões que seguem outro texto estão em erro mortal, e as que seguem à risca o Receptus são as únicas válidas (é por isso que eles atacam a NVI com toda a fúria possível, porque a NVI segue o Texto Crítico e não o ultrapassado Receptus). Além disso eles já fizeram artigo atacando os Pais da Igreja, dizendo que todos eles eram hereges e romanistas, sem falar em outros extremismos do tipo que toda hora vejo por lá, e a fúria com que eles atacam QUALQUER doutrina que fuja da confissão de fé deles (basicamente, se você não concorda com tudo o que eles creem, você é um herege).

      Enfim, é difícil dizer se no fim das contas eles fazem mais bem ou mais mal, porque embora tenham artigos bons, eles misturam isso com muito extremismo e fundamentalismo, como eu nunca vi em outro lugar.

      Excluir
  40. O que você acha de congregar sem pastores e igrejas, só com a Sagrada Escritura como John Nelson Darby e George Fox?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O ideal é que existam pastores e igrejas, tal como no modelo bíblico do Novo Testamento, mas se pelo menos a doutrina ensinada nesses lugares for autêntica e a busca a Deus for sincera e verdadeira, não acho que eles estejam em pecado mortal por isso.

      Excluir
  41. A paz e graça de Jesus esteja sobre ti, caro Lucas.
    Qual país você moraria se tivesse oportunidade? O meu seria EUA, na Pensilvânia. :)

    ResponderExcluir
  42. O que tu pensa dá bíblia NVT? Devo comprar a bíblia NVI normal ou a bíblia NVI ministerial?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tenho a NVT, pelo que pesquisei a respeito, é uma Bíblia nova que saiu há poucos meses atrás. Vi uns vídeos sobre ela e me parece boa, porque segue a mesma linha e metodologia que a NVI, que é a minha versão favorita. Mas é claro que eu teria que lê-la por inteiro antes de tirar uma conclusão mais concreta a respeito dela.

      Excluir
  43. Eu li que a NVT é bem melhor do que a NVI.

    ResponderExcluir
  44. John Owen vs Tomás de Aquino? Explique quem é melhor e pq?

    ResponderExcluir
  45. Jonathan Edwards vs Conde Loppeux?

    ResponderExcluir
  46. John Bunyan vs Logos Apologética ?

    ResponderExcluir
  47. Jacob Arminius vs Cris Macabeus?

    ResponderExcluir
  48. John Wesley vs Paulo Leitão?

    ResponderExcluir
  49. João Calvino vs Pe. Paulo Ricardo?

    ResponderExcluir
  50. George Fox vs Fakenando N.?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muitas perguntas, vou responder todas elas aqui abaixo, embora creio que as respostas já sejam autoevidentes:

      1) Jonathan Edwards vs Conde Loppeux
      Vence: Conde Loppeux

      2) John Bunyan vs Logos Apologética
      Vence: Logos Apologética

      3) Jacob Arminius vs Cris Macabeus
      Vence: Cris Macabeus

      4) John Wesley vs Paulo Leitão
      Vence: Paulo Leitão

      5) João Calvino vs Pe. Paulo Ricardo
      Vence: Pe. Paulo Ricardo

      6) George Fox vs Fakenando Nascimento
      Vence: Fakenando Nascimento

      Você ainda se esqueceu de outros "confrontos" igualmente relevantes e com respostas óbvias, do tipo:

      7) Martinho Lutero vs Rafael Rodrigues
      Vence: Rafael Rodrigues

      8) Norman Geisler vs Alessandro Lima
      Vence: Alessandro Lima

      9) William Lane Craig vs Orlando Fedeli
      Vence: Orlando Fedeli

      10) John Piper vs Astrolavo de Carvalho
      Vence: Astrolavo de Carvalho

      Excluir
    2. John Owen vs Tomás de Aquino foi verdadeira. Quero saber quem você prefere e o motivo. Já os outros é por puro sarcasmo e ironia.

      Excluir
    3. Como teólogo, é claro que Owen era superior. Aquino forçava a barra para dar subsídio às doutrinas católicas de seu tempo, distorceu a filosofia aristotélica para dar base à transubstanciação, defendeu e justificou atrocidades morais como a Inquisição e as cruzadas, dava argumentos rasos para por exemplo afirmar que quem se suicida já está automaticamente condenado ao inferno, é superestimado pelos apologistas católicos pelo simples fato de que eles não tem ninguém melhor para colocar em um pedestal. Por outro lado, Aquino foi o primeiro filósofo cristão a oferecer argumentos de linha mais racional e filosóficos para a existência de Deus, argumentos estes que foram melhor desenvolvidos mais tarde, mas ele quem deu o passo inicial, então em termos de apologética contra o ateísmo Aquino é bem mais importante, mas como teólogo, era fraco.

      Excluir
    4. Catolicismo se resume em Aquino e Agostinho de Hiponatremia. De resto não acrescenta muito para a humanidade.

      Excluir
    5. Concordo, com uma correção: Agostinho não era católico romano.

      Excluir
    6. Sim, mas os católicos adoram citar ele, mesmo não sendo.

      Excluir
  51. https://youtu.be/uXkRj-SHdAw
    Avalie esta música?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sou músico para fazer uma análise do tipo.

      Excluir
    2. Quero saber se achou a música bonita.

      Excluir
    3. Com todo o respeito, não achei não, meu estilo musical é mais pop-rock, mas respeito quem tem um gosto diferente do meu.

      Excluir
  52. A paz de Cristo, irmão Lucas!
    Você poderia fazer no YouTube uma série comentando sobre os diversos tipos de congregações protestantes e sua opinião a respeito delas (mórmons, batistas, anabatistas, puritanos, irmãos Plymouth, quakers, calvinistas, luteranos, ortodoxos, coptas, metodistas e etc...)
    Deus te abençoe sempre! Amém.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Posso fazer, embora isso irá triplicar o meu número de haters :)

      Excluir
    2. Haters (trolls católicos). hehe

      Excluir
  53. Testemunhas de Jeová - sua opinião sobre eles.

    ResponderExcluir
  54. É possível compreender a trindade sem cair no modalismo ou "partialism"?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, eu sou trinitariano e não sou nenhuma dessas duas coisas.

      Excluir
  55. Paz, Lucas :)
    Eu aceitei Jesus e, eu acredito que quando aceito Cristo como salvador e Senhor, eu já sou batizado com o Espírito Santo.

    O problema é que minha mãe (sim, ela mesma...) Não acredita no meu batismo por eu não falar em línguas...

    Você tem algum artigo que me ajude a entender mais sobre o assunto?

    Desde já agradeço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O batismo com o Espírito Santo não é a mesma coisa que a conversão, em Atos 19:1-7 Paulo encontra crentes convertidos de Éfeso e já batizados nas águas, e que no entanto não eram batizados no Espírito Santo ainda (e nem sabiam o que era o Espírito Santo). Atos 18:25 fala de Apolo, que já era convertido e que falava com exatidão sobre Jesus, mas só conhecia o batismo de João (batismo nas águas). Em Atos 10, Cornélio e sua casa, que já eram convertidos, recebem o batismo no Espírito Santo e depois o batismo nas águas. Portanto da mesma forma que o batismo nas águas é um acontecimento distinto da conversão, o batismo no Espírito Santo também o é. Aliás nem faria sentido ser a mesma coisa que a conversão, o que reduziria tal batismo a mera redundância.

      Por outro lado, em Atos 19 algumas pessoas falaram em línguas e outras profetizaram, então nem sempre é o dom de línguas o sinal do batismo no Espírito Santo, qualquer dom recebido (o que inclui a profecia, por exemplo) já implica que a pessoa foi batizada no Espírito Santo (ainda que ela não tenha especificamente o dom das línguas, o que nem todo mundo tem, porque o Espírito distribui os dons a cada um da forma que quer).

      Abs.

      Excluir
  56. Ola Lucas.
    Li, certa vez, um comentário onde o escritor afirmava que a expressão "Imagem e semelhança de Deus" referia-se exclusivamente a Adão e Eva e nós, seres caídos, mesmo após sermos regenerados ainda continuamos sem tais virtudes (Imagem e semelhança) e que ocorrerá somente quando encontrarmos com Cristo na eternidade.
    O que você acha?
    obrigado amigo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não concordo, Tiago diz claramente que continuamos sendo a semelhança de Deus:

      "Com ela bendizemos a Deus e Pai, e com ela amaldiçoamos os homens, feitos à semelhança de Deus" (Tiago 3:9)

      Abs!

      Excluir
  57. O que acha da frase: "Todo calvinista deve respeitar aquele que foi predestinado a ser arminiano, e todo arminiano deve respeitar aquele que escolheu ser calvinista"?

    ResponderExcluir
  58. Lucas,
    Se Jesus foi o primeiro a subir aos céus, e Enoque?
    É dito que foi transladado para perto de Deus, certo?
    Abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jesus não foi o primeiro a subir aos céus. Enoque foi o primeiro, e depois dele, Elias. Abs.

      Excluir
    2. Ja Li Jesus Afirmando que "Ninguém Subiu" a não ser Ele
      E ai?

      Excluir
    3. O Leandro Quadros explicou esse texto aqui:

      http://novotempo.com/namiradaverdade/ninguem-subiu-ao-ceu-joao-313/

      Excluir
  59. Será que Enoque e Elias foram mesmo levados ao céus?
    http://judeu.org/2017/01/11/misterios-do-tanakh-elias/
    http://judeu.org/2016/12/28/misterios-do-tanakh-enoque/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Há tempos atrás eu estudei ambos os argumentos e a minha conclusão pessoal foi que os argumentos em favor de que Enoque e Elias foram mesmo levados ao céu eram mais fortes. Inclusive sobre Enoque escrevi este artigo:

      http://ocristianismoemfoco.blogspot.com.br/2015/09/enoque-morreu.html

      Mas se você também estudou os dois lados e chegou a uma conclusão diferente, respeito seu ponto de vista, e não tenho interesse de estabelecer um longo debate sobre isso aqui (já fiz isso no passado e é simplesmente cansativo e desgastante, e com o tempo os argumentos de ambos os lados vão se tornando repetitivos, visto que não há muitos para os dois lados).

      Excluir
    2. Eu dei uma lida nesse site judeu, e passei pelo "material anti-missionário", e veja o que encontro:

      http://judeu.org/2013/04/23/1123/
      http://judeu.org/2013/04/10/os-samaritanos-e-o-novo-testamento/

      Excluir
    3. Irei ler seu texto e se possível, leia os que indiquei, pois levantam questionamentos interessantes.

      Excluir
  60. Boa tarde Lucas !

    Como você explicaria este versículo; Quando ele abriu o quinto selo, vi debaixo do altar as almas daqueles que haviam sido mortos por causa da palavra de Deus e do testemunho que deram.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Escrevi sobre isso aqui:

      http://desvendandoalenda.blogspot.com.br/2012/12/as-almas-debaixo-do-altar.html

      Excluir
    2. Tenho lido seus artigos e notado muita seriedade no que você diz Lucas, mas acho complicado interpretar apocalipse de forma simbólica como muitos fazem, até porque as partes simbólicas são explicadas no próprio livro ou contextualmente são facilmente identificáveis. E como você explicaria Mt 10;28 ???

      Excluir
    3. Não tem como não interpretar o Apocalipse de forma simbólica, porque o próprio conceito de visão na Bíblia IMPLICA em algo simbólico e não em algo real ou literal. Veja por exemplo esse caso:

      "E, saindo, Pedro o seguiu, não sabendo que era real o que se fazia por meio do anjo; tudo lhe parecia uma visão" (Atos 12:9)

      Note que Pedro pensava que aquilo NÃO ERA REAL, justamente pelo fato de que ele achava que fosse uma VISÃO! Ou seja, para a Bíblia, visão é algo simbólico, uma figura a ser desvendada ou interpretada, e não algo literal. A razão pela qual 99% dos exegetas que conheço interpretam o Apocalipse simbolicamente é pela simples razão de que quase todo ele são VISÕES que João recebeu, e portanto são figuras, e não literalidade.

      E no caso específico das "almas debaixo do altar", além das várias incongruências e incompatibilidades com o teor da Bíblia (como por exemplo almas no céu gritarem por vingança contra os seus inimigos, quando a mesma Escritura retrata o céu como um lugar de paz, conforto, satisfação e alegria plena), ainda o próprio texto diz para as almas REPOUSAREM por mais um pouco de tempo, e essa parte os imortalistas interpretam alegoricamente já que eles não creem que a alma dorme. Ou seja, eles tomam como alegórico o que lhes convém (a parte da alma dormir), e o que não lhes convém (a alma falando) eles tomam como literal. Não há qualquer critério, seriedade ou hermenêutica na interpretação deles, apenas mera conveniência. Os mortalistas (e não apenas os mortalistas, mas grande parte de imortalistas que interpretam o Ap. alegoricamente) são mais consistentes em tomar todo o relato como alegórico, em vez de selecionar uma parte que lhes convém e tomar como literal, e jogar o resto que não lhes convém e tomar como alegoria.

      Sobre Mateus 10:28, comentei aqui:

      http://desvendandoalenda.blogspot.com.br/2012/12/podem-matar-o-corpo-mas-nao-alma.html

      Mas sinceramente, não recomendo que você estude o tema de forma "picada", pegando a refutação a uma ou outra coisa aqui ou ali, em vez disso recomendo ler de uma vez todo o meu livro sobre o tema (disponível gratuitamente para download) e aí chegar às suas próprias conclusões, uma vez que as próprias refutações fazem mais sentido à luz da doutrina holista como um todo, que precisa ser bem compreendida antes de partir para o campo das refutações.

      Excluir
  61. Bom dia Lucas !

    Considero contextos bem diferentes essa passagem de Pedro que você citou para João que foi arrebatado em espirito até o céu. Jesus dividiu o apocalipse em 3 partes; as coisas que tens visto, as que são e as coisas que haviam de acontecer. Apocalipse é simbólico em boa parte, mas não podemos negar os fatos reais que acontecem nele. Até mesmo os eventos simbólicos o próprio livro nos oferece chaves de interpretação !!!
    Eu acredito na imortalidade da alma e este texto de Ap 6 corrobora com isso, tem algumas traduções que traduziram como "Repousassem", mas o termo em grego é ( Anapauo ) que significa: calma, paciência.Tanto é que a NVI que é uma das melhores traduções da biblia traduziu este termo como "Esperassem um pouco mais".
    Acho bem interessante como os mortalistas creem, mas quando chega em Mt 10;28 as argumentações entram em conflito (contradições ), li seu artigo, você fez boas reflexões, mas foi passional na hora da conclusão.
    A biblia oferece dois sentidos para alma (psychê ), vida humana, mais comum em traduções antigas da biblia e alma no sentido componente do nosso ser ( sou tricotomista ).
    Em Mt 10;28 é muito difícil não reconhecermos a imortalidade da alma neste texto, Jesus disse; "Não temeis os que matam o corpo e não podem matar a alma". Neste trecho constatamos duas coisas.
    1- Há uma distinção de alma para corpo
    2- Um é mortal e o outro imortal
    Na segunda parte ele diz: Temei antes aquele que pode fazer perecer ( ou destruir ) no inferno a alma e o corpo. Talvez é neste trecho que está o abismo de nossos pontos de vista. A palavra grega para perecer é ( Apollumi ) esta palavra tem vários sinônimos, um deles é o sinônimo destruir, porém usando este, fica contraditório com o que o próprio Jesus disse na primeira parte ( o que é pouco provável ) do trecho. Agora se colocarmos os sinonimos, fazer perder, tornar inutil, arruinar, fica claro que é uma referencia a condenação ou separação eterna do Criador e não a destruição da alma.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom, primeiramente, não houve qualquer refutação ao argumento de que visão é, por definição bíblica, algo que NÃO É REAL. Eu passei o texto claríssimo de Pedro que não deixa nenhuma margem de dúvida a respeito, você não explicou e nem refutou, apenas disse que são “casos diferentes” sem justificar nada. Disse que o Apocalipse é dividido em três partes, não sei em que isso corrobora com a visão de que o mesmo não é alegórico, já que AS TRÊS PARTES SÃO VISÕES! Seu argumento só faria sentido se uma das partes não fosse (ou a parte específica de Ap.6:9-11). O texto que eu citei esclarece bem a situação, e existe sim uma diferença, a diferença é que Pedro PENSAVA que estava tendo uma visão (porém era real), enquanto João não “pensava” que era uma visão, ele estava REALMENTE tendo uma. Ou seja, o que Pedro pensava que não era real (mas era), DE FATO não era real para João. Você apenas insiste em bater na tecla do “Apocalipse não-simbólico”, sem argumentar em favor disso e sem refutar os argumentos contra.

      Em relação ao seu argumento de que no texto em questão o certo não é “repousar” mas sim “esperar”, eu fiz questão de ir no grego, nos léxicos e nos aplicativos de hermenêutica que possuo e, como sempre, vi que a interpretação mortalista vence de novo (que surpresa). Em 8 anos estudando o tema a fundo, não vi uma única ocasião que fugisse desse padrão. A palavra grega ali utilizada significa DESCANSAR ou REPOSUAR, como você pode ver no léxico de Strong:

      anapano
      an-ap-ow'-o
      from 303 and 3973; (reflexively) to repose (literally or figuratively (be exempt), remain); by implication, to refresh: --take ease, refresh, (give, take) rest. See GREEK g303. See GREEK g3973

      E sempre que essa palavra aparece na Bíblia, é justamente no sentido de DESCANSAR, repousar ou encontrar refrigério, NUNCA no sentido simples de “esperar”. Você pode ver aqui todas as 12 ocorrências do termo no NT e constatar por si mesmo se for honesto intelectualmente para reconhecer que estava errado:

      http://biblehub.com/str/greek/373.htm

      Por outro lado, se a intenção de João fosse dizer simplesmente “esperar” (como você alega), ele já tinha uma palavra específica para isso, chamada “ekdechomai”, pronta, à mão, que poderia ter sido perfeitamente utilizada caso ele quisesse. Essa é justamente a palavra que significa ESPERAR no grego:

      ekdechomai
      ek-dekh'-om-ahee
      from 1537 and 1209; to accept from some source, i.e. (by implication) to await: --expect, look (tarry) for, wait (for). See GREEK g1537. See GREEK g1209

      E em todas as ocorrências dela no NT, ela significa ESPERAR mesmo, como você pode ver aqui:

      http://biblehub.com/str/greek/1551.htm

      Não há mais o que se discutir sobre isso, qualquer intérprete ou exegeta sério e honesto intelectualmente há de reconhecer que ali é “descansar” mesmo a tradução correta. Só quem estivesse muito desesperado a “refutar” o mortalismo colocaria o “esperar” ali. Não é à toa que, pesquisando nas versões mais famosas e renomadas, como a King James, a Reina Valera, a Vulgata, etc, TODAS elas traduzem por “descansar” ou “repousar”. A tradução por “esperar”, ao que parece, é uma tendência de versões mais recentes que simplesmente não aceitam que aquelas almas estivessem “dormindo”, porque vai contra a sua teologia.

      Então voltamos ao ponto anterior: ou você toma todo o relato como literal, e neste caso as almas dormem (embora tenham despertado naquele momento em específico, mas voltaram a dormir em seguida) e estão apertadas debaixo de um altar(!), gritando por vingança contra inimigos(!!) mesmo estando no céu(!!!), ou então todo o registro é alegórico e neste caso as almas nem precisam estar dormindo, nem falando. A única alternativa a isso para salvar a interpretação imortalista é ser desonesto e tendencioso, tomando a parte que lhe convém como literal (alma falando) e rejeitando a parte que não lhe convém como literal (alma dormindo). Espero que este não seja o seu caso, até agora você me parece uma pessoa honesta e interessada na verdade, apenas não está informado o suficiente.

      Excluir
    2. Em relação a Mateus 10:28, não há muito o que discutir sobre isso, eu mesmo já expliquei o texto no artigo e, da mesma forma que Ap.6:9-11, você não rebateu argumento nenhum, apenas repetiu a argumentação imortalista como todos fazem. A continuação lógica de um texto que diz que os homens podem apenas matar o corpo mas não podem matar a alma é que Deus destruirá tanto um como o outro. Não há a menor lógica em dizer que os homens podem matar apenas o corpo e não a alma se Deus também só matasse o corpo e não a alma. A mensagem sobre temer a Deus MAIS do que temer aos homens só faria sentido caso Deus matasse MAIS do que os homens são capazes de fazer, isto é, se os homens pudessem dar fim a existência apenas do corpo enquanto Deus dá fim a existência do corpo e da alma.

      Aqui a destruição está claramente no sentido de aniquilação, e não apenas de “fazer perder” ou de “lançar”, você deseja que seja. De outra forma, o texto estaria dizendo que os homens matam apenas o corpo e não a alma e Deus também mata apenas o corpo e não a alma. Isso obviamente anularia toda a mensagem de não temer quem pode dar um fim apenas ao corpo, se Deus da mesma forma também só desse um fim ao corpo!

      A conclusão imortalista de que não é para temer aqueles que só podem matar o corpo, mas era para temer aquele que TAMBÉM SÓ MATA O CORPO, não é nem um pouco razoável. O texto implica na destruição final do corpo e da alma dos ímpios. “Alma”, neste texto, está no sentido de vida póstuma (a vida que se obtém com a ressurreição), como muitas vezes ocorre nos evangelhos (Mt.16:26; Lc.21:19; Jo.12:25), e não no sentido primário de um ser vivo (Gn.2:7). O sentido do texto é que os homens podem dar um fim somente a esta vida terrena (representada pelo corpo), mas não podem fazer nada em relação à outra vida (a vida eterna). Deus, contudo, tem o poder tanto para dar um fim à existência terrena, como à eterna. Um ímpio pode matar um crente nesta vida, mas não pode tirar a vida eterna dele. Deus, porém, pode destruir um ímpio nesta vida e por toda a eternidade.

      Esta interpretação também é corroborada por dois elementos textuais. O primeiro é que Jesus não falou do Hades, mas do geena, no original grego. Hades é o nome dado à sepultura coletiva onde todos vão após a morte e antes da ressurreição, enquanto o geena é o local final de punição aos ímpios, após a ressurreição. Jesus não diz que após a destruição corporal a alma seria lançada no Hades, mas no geena, o que mostra que ele não contemplava um estado intermediário, mas estava falando do estado final – da vida que se obtém após a ressurreição.

      O segundo é que Lucas, ao transcrever este mesmo texto em seu evangelho, RETIRA o termo “alma”, preferindo ir direto ao SIGNIFICADO do texto (Lc.12:4-5). A razão pela qual Lucas optou em não transcrever as palavras exatas de Jesus, mas o seu significado, é que o discurso poderia possivelmente ser mal interpretado, com alma em um sentido diferente do expresso por Cristo (Lucas escrevia a leitores gregos, que podiam ter em mente o conceito platônico de alma). E na transcrição de Lucas não há nenhum indício de sobrevivência da alma, o que mostra que ele não entendia o texto de Mateus da mesma forma que os imortalistas o entendem. Se o sentido fosse que a alma sobrevive após a morte, ele não teria feito qualquer alteração, pois isso não seria necessário.

      Agora, pegar um texto que fala claramente em DESTRUIR A ALMA e ainda conseguir transformar isso em um “tormento eterno” em vez de destruição, aí é desprezar a exegese e assumir de uma vez que a única coisa que importa é fazer malabarismos em cima do texto bíblico, torturando-o até que ele diga finalmente aquilo que você quer ouvir. E mesmo que neste texto destruir não fosse destruir, não importa, pois temos MAIS DE 150 PASSAGENS que falam da destruição final dos ímpios em MAIS DE 30 SUBSTANTIVOS DIFERENTES, para não deixar nenhuma margem de dúvida sobre a questão:

      http://desvendandoalenda.blogspot.com.br/2013/08/152-versiculos-biblicos-de.html

      Excluir
    3. A minha recomendação sincera é que você estude mais o tema e com mais atenção, eu também tentava “refutar” o aniquilacionismo quando entendia o tema de forma bem superficial (embora pensasse saber muito), e depois que comecei a estudar a fundo, vi que não existe doutrina mais antibíblica, absurda e inconsistente do que a imortalidade da alma. E infelizmente o meu tempo é curto e nem sempre eu posso passar bastante tempo escrevendo e debatendo como fiz hoje (por ser domingo), por isso insisto que leia o livro, e depois de lê-lo inteiro, volte aqui e continuamos o debate, pois não tem sentido repetir aqui as coisas que já foram abordadas lá, ou debater sobre algo tendo que explicar as coisas em vez de ir direto aos argumentos.

      Por exemplo, você na sua argumentação usou Mt.10:28 como prova de que existe distinção entre corpo e alma, NENHUM imortalista que entendesse a doutrina holista iria argumentar isso, já que os holistas também creem que alma e corpo não são a mesma coisa. Ou seja, é preciso estudar para entender a visão contrária antes de tentar “refutá-la”, para não acabar batendo em espantalhos como você faz, e isso também pouparia o meu tempo de ter que explicar como é a doutrina holista ao mesmo tempo em que argumento em favor dela. Acho que em algumas semanas você consegue terminar de ler o livro, então já pode retornar e continuar o debate, isso se continuar sendo imortalista, já que a maioria dos que leem mudam de opinião durante a leitura. Mas se não quiser “perder tempo” lendo o livro, então eu também não vou “perder tempo” continuando essa discussão.

      Abs.

      Excluir