Nova resposta ao Sr. Rogério Espantalho sobre as universidades

Resultado de imagem para espantalho
(Como o Sr. Rogério não quer que eu poste fotos do Emerson e do Conde, decidi postar uma dele)

Mais uma vez o Sr. Rogério decidiu “refutar” (risos) o meu texto sobre as universidades (se quiserem ler a mais nova pérola, cliquem aqui). A coisa desta vez foi tão pitoresca que superou os limites do surreal. Eu disse no meu último artigo, sobre o texto anterior dele onde ele tenta rebater o meu artigo original, que ele havia dado resposta a apenas 5% do que foi abordado no meu texto (e respostas ruins, para piorar). Mas agora a coisa foi mais feia: em seu artigo mais recente, ele deu resposta a literalmente 0% do que eu argumentei, seja em meu artigo original, seja em minha primeira refutação. Nenhuma, absolutamente nenhuma das questões que eu expus a qualquer apologista católico que quisesse “refutar” o meu texto, foi sequer mencionada no texto dele, muito menos refutada.

Confiram a minha resposta anterior, onde eu expus os dez pontos aos apologistas católicos que quisessem realmente refutar o meu artigo (inclusive ao Sr. Rogério), que eu transcrevo aqui em vermelho, seguidos de breves comentários sobre o que ele abordou em cada uma das questões:

1º Prove que a UNESCO é mentirosa e está em uma conspiração mundial anticatólica para esconder a “verdade” do povo.

Na resposta anterior dele ele havia atacado a UNESCO com teorias de conspiração malucas nas quais a mesma estaria envolvida em uma conspiração política anticatólica e que por isso mentiu sobre a primeira universidade. Eu o obriguei a provar sua tese conspiracionista e ele nem tocou no assunto, mas continuou insistindo que a UNESCO está errada e ele está certo, sem nenhuma evidência.

2º Prove que um padre católico reconhecido e renomado (Claude Fleury) estava metido em uma conspiração anticatólica para esconder a verdade sobre as maravilhosas universidades católicas, e ele, como confessor de um rei católico, por ele escolhido justamente por sua lealdade ao catolicismo, fez questão de propagar mentiras demoníacas sobre a má qualidade de ensino presente nestes lugares, apenas para difamar a Igreja dele mesmo.

Não provou nada, apenas continuou atacando o padre Fleury com argumentos ad hominem, dizendo que ele não pode ser usado, e ainda fazendo analogias pífias, patéticas e que beiram o cúmulo do ridículo. Vejamos algumas delas:


Eu não sei da onde que o cidadão tirou que “Voltaire era católico”, essa é a pérola do ano. Qualquer indivíduo que se preze, que faça um mínimo de pesquisa e que tenha um mínimo de estudo, sabe que Voltaire era deísta, uma visão condenada e repudiada pela Igreja Católica, que, assim como o protestantismo e as demais religiões cristãs, são teístas. Voltaire, como todo e qualquer deísta, não acreditava em milagres, em intervenções divinas na natureza, em inspiração da Bíblia ou em dogmas católicos, portanto apenas um maluco incluiria ele no rol de “católicos”, eu nunca tinha visto alguém fazer isso antes do Sr. Rogério. Um sujeito que chama Voltaire de “católico”, além de insultar a memória do mesmo, merece ter o diploma de história rasgado ao meio.

O que existe é uma lenda correndo a solta na internet dizendo que Voltaire se converteu momentos antes da morte, mas essa lenda é tão ridícula, sem fundamento e sem crédito que nenhum historiador do planeta levou a sério tal invencionice, e tampouco consta em qualquer biografia oficial de Voltaire, apenas em sites apologéticos católicos tendenciosos e mentirosos (mas que são o bastante para convencer o ilustre Sr. Rogério, é claro, um exímio pesquisador de sites católicos via Google). E mesmo se a lenda fosse verdadeira e que Voltaire tivesse se convertido no leito de morte, isso não tornaria a analogia válida, uma vez que Voltaire não teria escrito obra nenhuma como católico, apenas como deísta, já que teria morrido logo depois de se “converter”. Portanto, para o lixo esse argumento fracassado.

A outra analogia que ele passou foi a do Frei Betto. Outra analogia fracassada, visto que os apologistas católicos afirmam que o mesmo está excomungado (vejam, por exemplo, aqui, aqui e aqui). O mesmo chegou a dizer que “Deus é gay” (veja aqui). Duvido provarem o mesmo em relação ao padre Fleury, que nunca foi excomungado, que jamais aderiu a ideologias esquerdistas e nem a nenhuma das ditas “heresias” de seu tempo. Pelo contrário, sua fidelidade e lealdade à Igreja Católica, sua ortodoxia e sua seriedade eram tamanhas que ele foi nomeado confessor do rei católico Luís XV, em 1716.

Ou seja, ele não apenas era um padre católico devoto, mas era tão católico e leal à Igreja que foi, dentre tantos, o escolhido para este cargo em especial, de muito prestígio na época. E, além disso, Fleury era um historiador eclesiástico bastante reconhecido, à diferença de Voltaire e Frei Betto. Portanto, as duas analogias do Sr. Rogério para tentar atacar Fleury com ad hominem fracassam miseravelmente. Mas a coisa ainda piora, quando ele traz uma analogia ainda mais estapafúrdia e grotesca para tentar rechaçar o testemunho histórico de Fleury. Acompanhem:


São tantos erros que fica difícil escolher o que desmascarar primeiro. Comecemos com o fato de ele dizer que “um historiador moderno procura ter uma crítica às fontes”, mas eu não vi ele criticar nenhuma fonte das que ele usa em seu favor. Por que será? Ele só critica as minhas, e não com contra-argumentos, mas apenas com ad hominem e desonestidades intelectuais já desmascaradas no meu artigo anterior. Na primeira resposta dele, ele havia confessado que não sabia nem mesmo a religião dos que ele citava.

Depois ele cita o movimento chamado “Historiadores pela Democracia”, omitindo logicamente o fato de que estes historiadores são de esquerda, e por isso é óbvio que eles vão abraçar este discurso fajuto de “golpe”. A analogia aqui é novamente totalmente inválida, porque Fleury não era um anticatólico predisposto a atacar a Igreja Romana, mas sim um padre católico ortodoxo e leal à Igreja. Para que a analogia fosse válida, ele teria que destacar algum historiador de direita e bastante reconhecido que dissesse que o impeachment de Dilma foi um “golpe”. Será que ele consegue?

Mas o pior de tudo é quando ele escreve com todo o cinismo do mundo:


Note a desfaçatez do cidadão. Em sua resposta anterior, ele havia atacado Fleury com ad hominem, insinuando que ele não deveria ser usado porque era um jansenista, que ele sequer soube escrever direito, escrevendo “janseanista”. Depois que eu destruí a manobra dele e provei que Fleury foi nomeado confessor do rei católico justamente por NÃO ser um jansenista, ele vem com o papo furado de isso não faz diferença, porque jansenistas são católicos e não budistas! Ora, se é assim, por que raios implicou no seu artigo anterior sobre o suposto jansenismo de Fleury? E por que não prova essa afirmação de uma vez? Por que disse anteriormente que Fleury era um jansenista, e depois de ser refutado não faz a menor questão de defender sua tese mentirosa?

Quero que o leitor note que eu, no meu texto destacado por ele, fiz menção ao termo “católico verdadeiro”, no sentido de “ortodoxo”, porque sabemos que os católicos não consideram como “católicos verdadeiros” aqueles que não seguem toda a doutrina oficial e formal da Igreja de Roma. Eles não consideram católicos aqueles que apenas dizem ser católicos. Por exemplo, os apologistas católicos não consideram os sedevacantistas, os católicos ortodoxos orientais e os veterocatólicos como “católicos verdadeiros”, porque eles negam uma ou mais doutrinas papais. Alguns desses apologistas negam até mesmo que a RCC seja um catolicismo legítimo. E foi neste sentido que eu usei o termo “verdadeiro” em contraste com o tipo de catolicismo que o jansenismo ensinava.

O jansenismo, de acordo com o dicionário, se refere ao conjunto de princípios estabelecidos por Cornélio Jansênio (1585-1638), bispo de Ipres condenado como herege pela Igreja Católica, que enfatizam a predestinação, negam o livre-arbítrio e sustentam ser a natureza humana por si só incapaz do bem. Ou seja, o jansenismo era um ensinamento condenado pela Igreja Romana, e por isso eu usei o termo “católico verdadeiro” em relação a Fleury, porque ele NÃO era um jansenista, ou seja, ele não adotava nenhuma doutrina condenada como herética pela Igreja Católica.

O show de desinformação e desconhecimento do Sr. Rogério se torna ainda mais patente quando avançamos para as demais questões, que ele sequer respondeu.

3º Prove que historiadores antigos (como Ivan Lins) não podem ser usados como fonte em uma obra acadêmica, e que o que eles dizem é sempre mentira por estarem engajados em uma conspiração mundial anticatólica (um tipo de prévia da Nova Ordem Mundial).

Não falou nada sobre isso, se silenciou totalmente.

4º Prove que Ivan Lins nunca indica as fontes de nada que cita, e refute as centenas senão milhares de referências que ele mostra no final do livro. Prove que essas referências não existem e que Ivan Lins, um membro da Academia Brasileira de Letras, não tinha nenhuma credibilidade e citava dados históricos tirados da sua mente maligna.

Mais uma vez, ficou totalmente calado sobre este ponto. Nesta resposta mais recente, Ivan Lins e sua obra sequer são mencionados. Desaparecem completamente depois da minha última refutação.

5º Prove que as universidades muçulmanas e a bizantina, que surgiram antes da primeira universidade católica sonhar em existir, não eram universidades de verdade, eram apenas de mentirinha, e que a primeira universidade de fato foi uma fundada pela Igreja Católica. Mas para isso eu não quero o seu achismo ou a sua opinião de apologista católico, que vale menos que nada. Prove isso com documentos históricos, com organizações sérias ou com historiadores mundialmente aceitos e reconhecidos na área.

Novamente não provou nada, apenas repetiu as pouquíssimas citações que tinha de dois historiadores católicos que, segundo ele, defendem a tese de que a Igreja criou as universidades. Vejamos uma delas:


Onde aí diz que a Igreja Católica criou as universidades? Em lugar nenhum. O texto explica o que eram as madrassas na visão do autor, e o Sr. Rogério conclui que ele está dizendo que a Igreja criou as universidades! Há autores que defendem que as madrassas eram universidades públicas, que ensinavam não apenas disciplinas religiosas mas também a língua árabe, a literatura, a poesia, a aritmética, etc. Só podiam ser admitidos estudantes que já tivessem terminado os cursos das escolas ou círculos das mesquitas (veja aqui um exemplo). O Sr. Rogério não interage com estes autores, apenas toma como verdade absoluta a priori que nenhuma madrassa podia ser considerada universidade e assim deturpa afirmações de historiadores que sequer citaram a Igreja Católica como criadora das universidades.

Mas de pouco adianta citar um ou outro historiador que defenda essa ou aquela tese. Isso reduziria o debate a um compilado de citações de tantos historiadores que defendem uma coisa versus um compilado de citações de outros tantos historiadores que defendem outra coisa. Se estudarmos a história das universidades a fundo, encontraremos historiadores que defendem todas as teses abaixo:

• Que a escola de escribas sumérios Eduba, criada por volta 3500 a.C., foi a primeira universidade. Ela ensinava a escrita cuneiforme suméria e a matemática.

• Que a primeira universidade foi a Academia, fundada em 387 a.C por Platão, em Atenas. Nela os estudantes aprendiam filosofia, matemática e ginástica.

• Que a primeira universidade foi a universidade de Nalanda, em Bihar, na Índia, durante o século V. Ela contava com mais de 10 mil estudantes e 1.500 professores. O currículo dessa universidade era extenso e envolvia áreas como teologia, filosofia, matemática, astronomia, alquimia e anatomia.

• Que a primeira universidade foi fundada em 670 d.C, na Turquia, na mesquita de Cairuão, onde se ensinava o idioma árabe, teologia, história islâmica, jurisprudência maliquita, matemática, astronomia, medicina e botânica.

• Que a primeira universidade foi a Universidade de Constantinopla, fundada em 425 d.C e reconhecida como universidade em 848 d.C.

• Que a primeira universidade foi a Universidade de Al Quarawiyyia, fundada em Fez, no Marrocos, no ano de 859 d.C.

• Que a primeira universidade foi a Universidade de Bolonha, em 1088.

Você irá encontrar historiadores que corroboram com todas as opções acima (e com outras mais que eu sequer fiz questão de citar aqui) como sendo a “primeira universidade do mundo”, e, portanto, simplesmente usar o historiador x ou y para definir qual foi a primeira seria arbitrário, seletivo e tendencioso. Seria apelar para a mesma tática do Sr. Rogério, que cita apenas dois historiadores católicos, os deturpa e os toma como palavra final e cabal sobre o tema. Coisa típica de debatedores infantilóides e imaturos.

Se quisermos chegar o mais próximo da verdade de modo mais consensual e menos tendencioso possível, será só mesmo através de fontes oficiais, entidades reconhecidas e imparciais. É por isso que o reconhecimento da UNESCO (e também do Guinness Book) a Universidade de Al Quarawiyyia como a mais antiga faz dela a opção mais provável e razoável dentre as que possuímos. Exceto para quem já está comprometido a uma apologética tendenciosa e manipuladora, que não aceita senão a opinião de historiadores que concorda consigo. Tal é o caso do Sr. Rogério e de outros tantos apologistas católicos desesperados em exaltarem a Igreja Romana acima da devida medida.

6º Refute tudo o que Fleury disse e que eu transcrevi no artigo anterior, com provas históricas cabais que desmontem com cada frase e cada parágrafo ali transcrito. E não simplesmente com “Fleury não vale”.

Não refutou nada. Apenas continuou sustentando que “Fleury não vale”.

7º Faça o mesmo em relação a todos os outros historiadores por mim citados neste e no outro artigo.

Ibidem.

8º Explique o porquê que os países influenciados pela Reforma se desenvolveram muito mais rápido do que os países que permaneceram católicos, sem apelar a teorias da conspiração, aos maçons, aos illuminatis, à máfia ou a eventos que deveriam influenciar todas as nações europeias por igual (ex: Revolução Industrial).

Essa é a parte mais engraçada, porque no artigo anterior dele ele dedicou vários parágrafos no final para tentar rebater minhas afirmações, mas depois que eu destruí as artimanhas dele ele nem sequer tocou no ponto do desenvolvimento protestante em comparação com o desenvolvimento católico! Simplesmente fingiu que essa parte do debate nem existia. E olha que eu não usei nem 1% dos argumentos que tinha para usar...

9º Prove que o historiador conservador e mundialmente reconhecido, Geoffrey Blainey, mentia descaradamente quando disse que o protestantismo foi decisivo na melhora dos índices de alfabetização (em detrimento dos países católicos).

Nem mencionou Geoffrey Blainey, e nem defendeu a sua tese fracassada de que o protestantismo não contribuiu para a alfabetização em contraste com os países católicos mais atrasados. Simplesmente foi refutado neste ponto também e ficou quieto.

10º Explique o porquê que as colônias protestantes (ex: EUA, Austrália) se desenvolveram muito mais, e hoje são muito superiores, em relação às colônias católicas (ex: países da América Latina).

Nem sonhou em falar sobre isso.

***

A esta altura do campeonato, você deve estar se perguntando: o que um ser humano que não respondeu a NADA do meu texto anterior fez escrevendo 18 parágrafos de pura encheção de linguiça que ele chamou de “refutação” ao meu texto? A resposta é isso:


Você deve estar se perguntando: Lucas, o que é isso? Isso se chama: ataque a espantalho. É uma artimanha falaciosa muito usada por debatedores fracos que percebem que não tem capacidade de vencer um debate: em vez de refutar os argumentos que foram abordados (o que ele não é capaz de fazer), o debatedor escreve e “refuta” um monte de coisas que não foram sequer mencionadas. Em vez de atacar aquilo que realmente foi argumentado, ele monta um espantalho e começa a dar murros nele. Mas ele não está atacando o argumento do oponente; está apenas atacando algo que ele inventou e usou para atacar, já que não tem como rebater o argumento real.

Qual foi o espantalho usado pelo falacioso Sr. Rogério? A resposta também é simples, e se resume nesta palavra: CIÊNCIA.


Note que o cidadão citou em seu texto quase 30 vezes a palavra ciência(!), isso sem contar todas as referências indiretas e implícitas. Em comparação, qualquer um que ler o meu artigo anterior (clicando aqui) poderá notar um ERROR 404: eu não faço sequer menção à ciência em lugar nenhum! Se o leitor digitar “ciência” no campo de busca, irá encontrar apenas uma referência a um livro de história publicado por uma editora chamada “Academia das Ciências”. As outras referências são da caixa de comentários e se referem à palavra “consciência”. Em resumo, eu nem falei em ciência no meu texto. Mas o atacante profissional de espantalhos só fala em ciência em todo o seu texto. Alguma coisa está errada!

Um leitor do Logos que não conheça o meu blog e nem tenha lido o meu artigo, mas somente o dele, deve pensar que eu fiquei o tempo todo falando sobre ciência, do início ao fim. Se este leitor decidir dar uma olhada no meu artigo anterior, irá ter uma surpresa. Eu devo até imaginar o que passava na cabeça do Sr. Rogério Espantalho antes de escrever sua mais nova “refutação” a pedido do covarde do Emerson de Oliveira: “Eu não tenho como refutar as informações dele, então o que eu faço? Já sei: vou falar de ciência!”. Então enche o texto dele com um monte de linguiça, ataca espantalhos e acha que “refutou” algo. Não é à toa que o artigo dele recebeu zero comentários já passados duas semanas: ninguém entendeu nada do que ele tentou fazer desta vez. Acho que nem ele.

É até um caso sério para se pensar se o Sr. Rogério Espantalho realmente chegou a ler o meu texto. É altamente provável que não. Fica parecendo que mandaram ele escrever qualquer coisa, então ele foi lá e escreveu qualquer coisa. Ou então tem outro “Lucas Banzoli” escrevendo por aí, e eu ainda não me toquei que a resposta dele é para o texto desse outro e não para mim. Isso explicaria o porquê que a resposta dele não teve nada a ver com o meu texto e nem com o assunto tratado: esse outro Lucas Banzoli deve ter escrito umas quinhentas páginas sobre ciência. Deve ter sido isso. São várias as possibilidades, façam as suas apostas.

O atacante profissional de espantalhos escreve como se eu fosse um historiador marxista neo-ateu com o viés de que a religião emperrou a ciência na Idade Média, quando nada está mais longe da verdade do que isso. Em meu livro “Deus é um Delírio?”, na página 627, eu escrevo:


E na página 628, eu escrevo também:


Isso já derruba por completo todos os espantalhos criados pela mente falaciosa do Sr Rogério Espantalho a meu respeito. Embora eu nunca tenha dito que a Igreja Católica criou as universidades ou que a qualidade do ensino nelas presente fosse boa (o que seriam mentiras grosseiras), eu também jamais afirmei que o catolicismo medieval emperrou a ciência. O fato de que o protestantismo foi melhor não significa que o catolicismo proibia a prática científica, significa apenas que dava menos liberdade do que no protestantismo. Isso é consenso em toda a comunidade acadêmica.

Eu poderia passar muito mais tempo aqui mostrando as provas incontestáveis de que o protestantismo fez muito mais pela ciência do que o catolicismo a partir da revolução científica, a começar pelo próprio fato de que a Reforma do século XVI foi uma das causas da revolução científica do mesmo século, sem falar no fato de que a esmagadora maioria dos cientistas mais famosos que contribuíram para a construção da ciência moderna foram protestantes (mesmo com a população total de católicos sendo bem maior que a de protestantes), ou que os protestantes não exigiam que seus cientistas prestassem contas de suas descobertas à Igreja, como Roma fez com Galileu, por exemplo.

Mas tudo isso desviaria do tema do debate, que é justamente o que o Sr. Rogério Espantalho quer, já que ele já está derrotado no tema central desde seu primeiro artigo. Por isso, irei simplesmente ignorar os desvios de temas do Sr. Rogério Espantalho, que, se não foi capaz de sequer esbanjar uma resposta aos dez tópicos por mim tratados no artigo anterior, é óbvio que não seria capaz de responder àqueles dez e outros dez que eu elaborasse agora. Eu não vou exigir algo a mais de alguém que claramente não tem capacidade para isso. Seria covardia de minha parte. Não sou tão malvado assim.

Que o Sr. Rogério Espantalho irá tentar escrever mais qualquer abobrinha que chamará de uma nova “refutação” ao meu texto, disso não resta dúvidas. Afinal, ele tem o Emerson de Oliveira o obrigando a escrever qualquer coisa no site dele, só para não parecer que ele foi refutado e que suas asneiras foram reduzidas a nada. Um sujeito que apela à falácia do espantalho em 100% do seu texto não irá abrir mão da outra falácia, a do ad nauseam (quando se tenta vencer pelo cansaço, pensando que quem fala por último “ganhou” o debate).

Ele irá escrever qualquer nova bobagem desviando do assunto e novamente sem responder a nenhuma das minhas dez questões, apenas para poder dizer que “refutou” o Lucas Banzoli. Eu não caio mais nessa. Tenho mais o que fazer. Se quiser minha atenção novamente, que se foque no tema, que não desvie do assunto, que esqueça os espantalhos, que responda às minhas questões e, principalmente, que prove que a Igreja Católica criou as universidades. Enquanto isso não for feito, farei com ele o mesmo que faço com outros apologistas católicos desesperados e carentes de atenção: deixarei falando sozinho. 

Paz a todos vocês que estão em Cristo. 

Por Cristo e por Seu Reino,

-Meus livros:

- Veja uma lista de livros meus clicando aqui.

- Confira minha página no facebook clicando aqui.

- Acesse meu canal no YouTube clicando aqui.


-Não deixe de acessar meus outros blogs:

LucasBanzoli.Com (Um compêndio de todos os artigos já escritos por mim)
Apologia Cristã (Artigos de apologética cristã sobre doutrina e moral)
O Cristianismo em Foco (Artigos devocionais e estudos bíblicos)
Desvendando a Lenda (Refutando a imortalidade da alma)
Ateísmo Refutado (Evidências da existência de Deus e veracidade da Bíblia)
Fim da Fraude (Refutando as mentiras dos apologistas católicos)

Comentários

  1. LUCAS O QUE SIGNIFICA PRATICAR O FRUTO DO ESPIRITO SANTO NA PRATICA. ABS!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É praticar o amor, ter alegria, sentir paz, ser paciente, amável, bondoso, fiel, manso e com domínio próprio, conforme Gálatas 5:22-23. Abs!

      Excluir
  2. Lucas, saudações
    Vão te refutar assim: Não existia a palavra "universidade" e a icar foi a primeira a usar, então nós fomos os primeiros.
    É o "argumento" que os ateus usam pra falar dos dinossauros.

    E depois acham ruim quando os comparam a um zumbi

    Ricardo Soares

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse argumento é realmente muito bom, eu me lembro do Fakenando Nascimento e de outros zumbis terem usado (o Sr. Rogério Espantalho ainda hesita em passar tanta vergonha). É um argumento tão bom e verdadeiro quanto aquele que diz que não havia meses do ano antes do imperador romano Julio Cesar nomeá-los da forma que conhecemos hoje.

      Excluir
  3. Lucas, peço encarecidamente que desde já você pare de ler tanto João Calvino. Comece a ler mais Armínio, Wesley, entre outros.
    É cada fatality monstruoso que você tá dando! HAHAHAHAHA Me ensina a ser mito?

    ResponderExcluir
  4. Tu vai faze mais uma refutação e voltar pros artigos sobre inquisição?

    ResponderExcluir
  5. Olá Lucas.
    Na sua opinião os conselhos dos amigos de Jó são palavras humanas ou palavra de Deus?
    Grato amigo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Apenas palavras humanas. Na maior parte das vezes, os "amigos" de Jó estavam completamente equivocados, razão pela qual Deus os repreende no último capítulo. O único que disse a verdade foi Eliú, que só falou no final.

      Excluir
  6. Nossa Lucas,não sabia que existiam tantos católicos apologistas e todos de baixo nível kkk,porque os católicos que conheço, nenhum deles é militante do catolicismo,meus pais por exemplo,são católicos apenas por tradição,e meu pai ate está frequentando a Assembléia de Deus comigo,e meu irmão vai às vezes,minha mãe só foi uma vez,mas não é anti protestante, tanto que não se opôs a minha conversão ao protestantismo e sempre se deu muito bem com minha tia,que já é protestante ha mais de 15 anos,tenho primos que são da Renovação Católica Carismática,mas que também não são opositores do protestantismo,cursei história na faculdade,li sobre a Reforma Protestante,e sobre como a Inquisição perseguiu os chamados "hereges", massacre de São Bartolomeu,as guerras religiosas na Irlanda,sabia de certa rivalidade até mesmo nos EUA,e dos dois lados,enquanto que o catolico chama o protestante de herege,lá o chamado WASP,descendente dos colonizadores ingleses puritanos discriminavam os imigrantes irlandeses e italianos católicos,mas ainda não havia percebido a mesma rivalidade no Brasil,já li no livro "Dicionário do Movimento Pentecostal"publicado pela CPAD,sobre a perseguição que o clero católico impôs aose primeiros missionários suecos e fiéis pentecostais no Brasil,em alguns casos houve agressão física, o missionário sueco Otto Nelson quando se encontrava em Maceió por exemplo perdeu um filho bebê,o sacerdote católico queria impedir o sepultamento deste no cemitério, que na época eram exclusivos para católicos, e incitou seus fiéis a impedirem na marra o enterro,este só pode ser feito sob escolta policial,mas conforme os anos foram passando,me pareceu que essas perseguições foram se exaunindo,aqui no Brasil nunca se chegou a um nível de massacres como houve na Europa, hoje noto até uma relação amistosa entre as duas religiões,posto que hoje a maioria dos católicos no Brasil não é praticante,então foi surpresa saber que existem apologistas católicos,já o fato de serem péssimos e ignorantes não é surpresa, já que o catolicismo sempre cresceu e lucrou em cima da ignorância do povo, apesar de alguns segmentos neopentecostais como a Igreja Universal e Mundial não ficarem atrás.

    ResponderExcluir
  7. Mas Lucas a maior parte dos católicos que você conhece são hostis ao protestantismo? E você possui muitos amigos católicos? Eu disse que foi surpresa para mim existirem no Brasil apologistas católicos que combatem o protestantismo,porque em meu caso,a maioria dos católicos que conheço só o sao por tradição,e mesmo os praticantes,o caso de meus primos, não demonstram rejeição ao protestantismo, até simpatizam com cantores evangelicos , minha prima gosta do Thalles Roberto,da Aline Barros,o próprio Padre Marcelo,que ela ama regravou a música "Anjos de Deus",que originalmente foi composta por um evangélico,o tempo de hostilidade me pareceu superado,o caso do missionário Otto Nelson e do padre que queria impedir o sepultamento de seu filho,ocorreu durante os anos 20,desde que eu nasci o único caso público de animosidade entre católicos e protestantes que eu me lembro é o do pastor da Universal chutando a imagem da Aparecida. Quero te perguntar também você acha que um católico pode ter um encontro com Deus e continuar católico?Eu li nos últimos dias uma história que meu chamou a atenção,foi a história de Maria Goretti,uma adolescente camponesa de uma pequena cidade italiana do começo do século XX,em 1902 aos 12 anos ela foi assassinada por seu vizinho,um rapaz chamado Alessandro Serenelli,ele queria ter relações sexuais com ela,e como ela resistiu,ele a matou,porém no leito de morte,ela que era uma católica bem devota,o perdoou, o que tocou o coração de Serenelli,tanto que depois que ele saiu da prisão foi viver junto de uns frades,e pouco antes de morrer escreveu uma carta aberta,lamentando ter cometido esse crime,e afirmando que a religião e a convivência com os frades,ajudaram ele a se tornar um homem de bem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é que existam tantos assim, provavelmente seja menos de 1% de total da população católica no Brasil, mas isso já significa centenas de milhares de pessoas, pois há mais de 100 milhões de católicos neste país (a grande maioria não-praticante ou com tendências de tolerância e respeito, diferentemente dos fanáticos apologistas). O que acontece é que do Concílio Vaticano II para cá a Igreja Romana tem adotado uma postura ecumênica, o próprio papa João Paulo II já pediu perdão pela Inquisição, o papa Francisco se reúne constantemente com lideranças evangélicas, faz culto com eles, já entrou numa igreja da Assembleia de Deus, já se desculpou em nome do catolicismo pelos crimes praticados contra nós, etc.

      Mas ao mesmo tempo em que a Igreja de Roma adota essa nova postura mais tolerante, ainda existem os católicos mais tradicionalistas, fanáticos e "zumbis", os quais ainda lutam pela volta à Idade Média e tem a perseguição aos não-católicos e a luta pela teocracia católica (contra o Estado laico) como bandeiras de vida. Esse tipo de gente, que não aceita a mudança e o progresso, sempre vai existir. Da mesma forma que o nazismo morreu, mas neo-nazistas permanecem existindo (em bem menor número do que antes), o poder papal desenvolvido na Idade Média até o século XIX morreu, mas católicos fanáticos tridentinos permanecem existindo (em bem menor número do que antes).

      Sobre católicos serem salvos, eu creio que isso é possível, embora difícil. Vai depender do quanto ele centraliza Cristo na sua vida e o reconhece como seu salvador pessoal, único e suficiente.

      Abs!

      Excluir
  8. Mas também notei que o Alessandro Seranelli não citou Cristo em sua carta,atribuiu o fato de Maria o ter perdoado no leito de morte,e o fato de conviver com os frades a sua transformação, não duvido que tenha se arrependido do homicídio que cometeu,e que tenha se tornado um homem bom e pacífico,mas também fiquei pensando se de fato ele tenha conhecido Cristo,ou se apenas se tornou um mero religioso católico,mas de qualquer modo o arrependimento é uma atitude cristã.

    ResponderExcluir
  9. LUCAS MAIS UMA DUVIDA ESSE PRATICAR DO FRUTO DO ESPIRITO DESCRITO EM GALATAS 5:22 E DE NOSSA CAPACIDADE HUMANA COM OS NOSSOS ESFORÇOS OU COM AJUDA DO ESPIRITO SANTO. ABS!

    ResponderExcluir
  10. Gostaria de ver um debate, por escrito, entre você e o pastor Marcos Granconato, sobre calvinismo ou arminianismo. O que você acha?
    *Tenho meios de conseguir marcar esse debate com ele.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aceito, mas primeiro tem que definir as regras, especialmente o limite de caracteres por resposta e a quantidade de rodadas.

      Excluir
    2. Então, eu queria que o debate fosse infinito: até você se tornar calvinista ou até ele se tornar arminiano. O que você acha?

      Excluir
    3. Nem precisa disso, aposto deizão que em 2 min de debate ele já se torna um arminiano convicto e militante ;p

      Excluir
    4. Tá brincando, né? Você sabe que o Granconato é de alto nível, né? Grancomito?

      Excluir
    5. Cuidado com as coisas que você fala... O Granconato pode ficar irritado e pegar pesado com você :p

      Excluir
    6. Aceita o debate infinito?

      Excluir
    7. Infinito é muito tempo, Jesus vai voltar e o debate vai continuar? Eu vou ter mais coisas pra fazer, voar nas nuvens, tocar harpas, beber leite de ambrósia, bater um papo com os anjos... não vou ter tempo pro Granconato. É melhor definir um limite.

      Excluir
    8. Cara, tu é demais!!! hahahahaha

      Não necessariamente infinito, só até você se tornar calvinista, o que acha?

      Excluir
  11. Se no meio de uma conversa diária com seus amigos um deles lhe perguntasse: "Como é que voçê pode acreditar em Deus" e vc tivesse que dá uma respostas simples e boa o que vc diria ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu rebateria a pergunta: "Como é que você pode acreditar que tudo veio do nada?".

      Excluir
    2. mas é se esse cará nem conhecese essa teoria do universo vindo do nada,Tipo fosse mas um Ateu modinha,Provavelmente se eu falasse isso ele me chamaria de leso,Ai o q vc falaria se fosse um modinha que nem conhece essas teorias

      Excluir
    3. Hoje em dia nenhum cientista sério nega mais o Universo vindo do nada, não é nem mais uma "teoria", é um fato. Ele tem a obrigação de saber essas coisas, se ainda não sabe, teria que dizer isso a ele na cara dele e deixar que ele pesquisasse por conta própria e chegasse à mesma conclusão.

      Excluir
    4. Nunca precisei, eu não costumo entrar em debates pessoais ou em uma roda de amigos, quando eu estou com alguém é para conversar numa boa com a pessoa, pra debater já basta os debates da internet...

      Excluir
  12. Lucas,vc conhece o pastor Gilberto Araújo??Se sim o que acha das ministrações dele??

    ResponderExcluir
  13. Lucas assista o vídeo por favor, e me diga algo a respeito da opinião do cientista a respeito da existência do Deus de Israel:
    https://youtu.be/PgV5bbtc1UI

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já tinha visto esse vídeo há um tempo atrás, muito bom mesmo.

      Excluir
  14. Lucas o que você acha dos crentes falarem que o ator da novela Velho Chico ter morrido no rio por conta dos espíritos malígnos e que isso seria vingança de Deus? Eu acho que muitos crentes estão equivocados, e muitos deles vêm a morte como algo negativo. A morte seria algo negativo para você? Outra pergunta sobre esse assunto: Digamos que essa morte tenha sido obra do malígno. Deus permite que isso aconteça sem intervir ou Ele é quem dá o veredicto final?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não tinha visto nenhum crente dizendo isso, mas se disseram, tem que ser muito idiota pra pensar assim, igual aqueles que dizem que Deus matou os Mamonas Assassinas, os Beatles, etc.

      A morte em si não é nem algo bom nem algo ruim, ela é simplesmente o final de uma etapa para o início de outra. O que vai determinar se ela FOI boa ou ruim no final das contas é como você estava no momento da morte. Se estava firme com Deus, pode ser encarado como algo positivo, exceto se você ainda tinha alguma ambição de fazer algo a mais pelo Reino de Deus enquanto vivo aqui na terra (Fp.1:20-24). Mas se estava sem Deus, a morte implica no fim da possibilidade de salvação, e, portanto, em algo negativo, evidentemente.

      Sobre a última pergunta, depende. Cada caso é um caso. No meu livro sobre calvinismo e arminianismo, na parte referente ao determinismo, eu defendo a tese de que nem tudo é determinado por Deus, mas que algumas coisas o são. Eu entendo que a maioria das coisas Deus apenas permite, mas em outras, é ele quem faz com que aconteçam (que em caso contrário não aconteceriam). Mas é lógico que isso varia de caso a caso, e que só alguém que conhecesse a mente de Deus poderia definir se Deus determinou a morte deste ator ou se apenas permitiu.

      Excluir
  15. Lucas, o que você acha do fato de boa parte dos líderes evangélicos atuais serem muito despreparados?

    Por exemplo, ontem fui conversar com o pastor da minha igreja, e ele foi completamente ignorante. Perguntei para ele sobre dicotomia ou tricotomia, sabe o que ele me respondeu? "Você tinha que saber isso", e começou a falar. Poxa, eu faço engenharia - que é um curso difícil, ainda mais em faculdade federal -, faço estágio, com o dinheiro que ganho pago cursos de inglês, alemão e excel, e ainda tenho que saber sobre dicotomia ou tricotomia? Isso não é trabalho dos teólogos?

    Por isso eu gosto mais da IPB, apesar de ser contra muita coisa que a teologia deles ensina, pelo menos os pastores são muito bons naquilo que se espera que seja o mínimo: tratar o humano bem, com paciência e explicando com amor. Só que não tem nenhuma IPB na minha cidade, então congrego em uma pentecostal. E por aqui todos os pastores são assim mesmo.

    O que acha?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É um absurdo um líder religioso tratar os membros da sua igreja deste jeito. É como um pastor de ovelhas não querer cuidar das suas ovelhas. Ele é PAGO para isso, tem no mínimo a obrigação de dar o máximo de cuidado e atenção para com todos os fieis da igreja que precisam da ajuda dele. Eu não ganho um centavo com este blog que tenho por passatempo e mesmo assim faço questão de responder a todo mundo da melhor forma possível, quanto mais um pastor que tem isso por profissão. Só discordo que isso seja um mal específico dos pentecostais, eu por exemplo sempre congreguei em igrejas pentecostais e a grande maioria dos pastores tratavam bem seus membros.

      Na minha atual igreja, embora o pastor seja muito famoso e tenha 250 mil seguidores no facebook, ele nunca foi arrogante comigo, sempre foi super gentil, prestativo e atencioso, até para debater comigo quando eu tinha 17 anos e, convenhamos, ele não tinha nenhuma obrigação de fazer isso se não quisesse. Não estou desdenhando do seu testemunho, pode ser que aí na sua cidade seja assim mesmo, só estou dizendo que a minha experiência pessoal no pentecostalismo foi diferente da sua.

      Excluir
    2. Sim claro, não digo que em todos os lugares seja assim, provavelmente não é na maioria dos lugares, mas aqui é assim mesmo, até pelo fato de morar em um lugar pobre e tal.

      Então como quero ter comunhão com os irmãos (conversar, ir nos passeios da igreja etc), vou nessa igreja, mas não gosto do pastor. Quando tenho dúvidas mais sérias, marco com antecedência com o pastor da IPB da outra cidade e levo para ele, e ele sempre me atende muito bem - meu pastor não sabe disso, e obviamente não vai gostar se eu disser.

      Você acha que eu estou agindo corretamente?

      Excluir
    3. Está agindo corretamente sim, se o seu pastor não é suficientemente capacitado ou se não dá a devida atenção, você tem todo o direito de ir consultar quem está mais qualificado para tanto.

      Excluir
    4. Entendi. Você é dicotomista ou tricotomista?

      Excluir
    5. Nenhum dos dois, sou holista. Inclusive por coincidência fiz um vídeo sobre isso dia desses:

      https://www.youtube.com/watch?v=9AfVFY-Qro0

      Excluir
    6. Valeu! Vou assistir o vídeo, é sempre bom aprender mais. Obrigado pela explicação. Abraço.

      Excluir
    7. Ok, se tiver alguma consideração a fazer é só falar. Abs!

      Excluir
  16. Olá Lucas.
    Me tire uma dúvida: o Marcos, pivô do desentendimento entre Paulo e Barnabé (At 15,39) era o mesmo Marcos que escreveu o segundo evangelho? Qual a sua opinião sobre entrevero entre esses dois grandes homens de Deus? Paulo estava certo em não querer mais contar com quem pisou na bola? Ou Barnabé quando ficou ao lado de que fracassou uma vez e precisava de uma mão amiga mesmo que isso significasse o fim da parceria Paulo-Barnabé?
    Grato amigo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, era o mesmo Marcos. Na minha opinião, Paulo estava certo. Marcos já havia falhado com eles uma vez, e poderia ser um peso e uma preocupação para uma segunda. Ele tinha razão em querer Marcos longe. No entanto, o mais interessante é observar que, décadas mais tarde, Marcos já havia voltado a se fortalecer na fé de tal modo que o próprio Paulo disse:

      "Traga Marcos com você, porque ele me é útil para o ministério" (2 Timóteo 4:11)

      Ou seja, na sua última carta escrita, Paulo já estava de bem com Marcos e este já havia crescido tanto na fé que o mesmo apóstolo que havia rejeitado anteriormente a sua presença nas viagens fez questão de dizer que queria a presença dele consigo porque ele era útil no ministério.

      Abs.

      Excluir
  17. Vou te fazer uma pergunta que não tem a ver com o artigo, mas que muito está me preocupando.
    Meu Pr. frequentemente diz que ele cega, emudece, ensurdece, paralisa e coloca doenças em pessoas que discordam das doutrinas dele, e que se levanta contra seu ministério. E outra, ele em todo o culto que manifesta "supostos demônios" ele pede pro demônio sair da pessoa e ficar do lado dela, daí a pessoa fica aparentemente lúcida, depois pede pro demônio voltar a entrar novamente nela para ele "brincar de judiar do demônio" gritando sempre para o demônio queimar e ainda diz para anjos enfiarem as espadas nos demônios e etc, além de trocar ideia com o demônio por horas, daí só após tudo isso, ele "expulsa" o suposto demônio. Ele sempre usa a passagem de Atos 13 onde Paulo cega o magico Elimas para se defender de qualquer acusação de heresias. Ele diz: "Se Paulo fez, eu também posso porque sou ungido tanto quando Paulo foi, essa é minha fé!"
    Primeiramente poderia me explicar essa passagem de Atos 13 e me orientar como poderei ajudar as pessoas da igreja a não caírem nesses tipos de "terrorismos neo-pentecostais" ? Poderíamos comparar essas maldições jogadas por ele com feitiçaria e/ou bruxaria?
    Agradeço a atenção.
    Deus o abençoe!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você disse tudo, o que o seu pastor faz é puro TERRORISMO, não há nenhuma razão para ameaçar as pessoas endemoniadas, elas são vítimas de um mal maior (o demônio), ele tem que se preocupar com o demônio e não com o endemoniado. Jesus disse que veio para os doentes, e não para os sãos (Mc.2:17). São os pecadores que precisam de arrependimento, e para eles que Jesus veio. Ele nunca ameaçou ou fez qualquer tipo de mal a alguma pessoa endemoniada. A mulher adúltera com certeza tinha demônio, mas você não vê Jesus tacando pedras nela, mas exatamente o contrário. Maria Madalena tinha sete demônios, e mesmo assim Jesus apenas expulsou os demônios e a aceitou no ministério.

      Não existe essa de conversar com o demônio, a Bíblia é clara sobre a forma que Jesus os repreendia:

      "Ao anoitecer foram trazidos a ele muitos endemoninhados, e ele expulsou os espíritos COM UMA PALAVRA e curou todos os doentes" (Mateus 8:16)

      Em relação a Atos 13, em primeiro lugar, é necessário observar que essa era uma circunstância especial e extraordinária. Não existem paralelos na Bíblia de alguém mais agindo desta maneira para com algum não-cristão. Também não há ordenanças na Bíblia para que as coisas sejam feitas desta maneira. O relato de Atos 13 é DESCRITIVO, e não PRESCRITIVO. Está apenas relatando o que aconteceu, e não prescrevendo como as coisas devem ser. Pergunte ao seu pastor se ele anda pelado na rua igual Isaías andou por anos, ou se ele come estrume de vaca igual Deus mandou Ezequiel comer. Acho que não. Esses casos, como tantos outros - o de Atos 13 incluso -, são apenas descritivos e não prescritivos. Não relatam o modus operandi de como as coisas devem ser.

      Além do mais, deve ser observado que a circunstância ali era, realmente, excepcional. Elimas não era simplesmente um herege que se opunha à doutrina de Paulo. Milhares de judeus se opunham do mesmo jeito e até o perseguiam, e Paulo nunca orou para Deus cegar nenhum deles. Acontece que Elimas estava impedindo a conversão do procônsul daquela cidade, Sérgio Paulo. A conversão de Sérgio Paulo era estratégica, pois se o procônsul se convertia, abria-se a porta para a conversão de muitas pessoas dentro do seu consulado. Ou seja, o que estava em jogo eram muitas e muitas conversões, e não só a do procônsul. E a cegueira em Elimas não foi uma represália a ele, ou algum tipo de vingança, mas apenas um meio de realizar uma intervenção divina extraordinária que acabou por fazer com que o próprio procônsul cresse. Ou seja, a cegueira de Elimas foi com finalidade salvífica (para Sérgio Paulo e para seu consulado), e não de caráter vingativo ou retributivo. E não é prescritiva para os dias atuais, apenas descritiva sobre o que aconteceu naquela situação específica.

      O modus operandi (modo de operação ou norma pela qual um cristão deve se pautar no dia-a-dia) são as prescrições que Jesus nos passou: amar os nossos inimigos e orar por eles em vez de amaldiçoá-los; dar a outra face e andar a segunda milha; não resistir ao perverso e não pagar mal com mal. Não existe terrorismo psicológico e bruxaria em uma igreja legitimamente cristã. Se quer uma dica, SUMA o mais rápido possível dessa igreja e procure outra - qualquer outra.

      Abs!

      Excluir
  18. Mais uma ajuda. Um amigo meu leu seu artigo sobre "o que detém o anticristo", onde você diz que não é nem o Espírito Santo e nem a Igreja, mas possivelmente um anjo. Eu concordo plenamente com esse pensamento, e vejo mais evidências para crer assim que nas citadas anteriormente. Porém ele disse o seguinte:

    "Creio que a sua discordância seja com relação a conjugação do pronome "Aquele". Quando temos dúvidas com relação a tradução partimos para o original.

    Como eu não sou letrado no grego, então utilizo o Dicionário Strong.
    E nela observei que a palavra grega utilizada fora "το".
    E temos a seguinte descrição sobre essa palavra...

    G3588 (Strong Português)
    G03588 ο ho que inclue o feminino η he, e o neutro το to
    em todos as suas inflexões, o artigo definido; artigo
    1) este, aquela, estes, etc.
    Exceto “o” ou “a”, apenas casos especiais são levados em consideração.

    Portanto não é uma questão antigramatical e sim de TRADUÇÃO.

    E pegando o comentário da LTT2009, temos o seguinte:

    “Aquele”(neutro) = O ESPÍRITO SANTO. "Aquele" é neutro, mas lembremos que neutros são frequentemente (embora não sempre) usados para o Espírito Santo, pessoa da tri-una Divindade.

    Porém, eu não considero que seja o Espírito Santo e sim a Igreja influenciada pelo Espirito Santo, pois durante a Grande Tribulação ocorrerá conversões e sem o Espírito Santo isso não é possível como explica o artigo do Lucas.
    Bom, devemos então lembrar das Bodas do Noivo, onde a Noiva está pronta, mas o pai pede que chamem outros convidados para completar a festa.
    Então teremos dois tipos de gente que compõe o Povo de Deus, os que fazem parte da Noiva e os que são convidados.
    Aqueles que se convertem após o arrebatamento são os convidados. Santos e Salvos, mas não serão considerados a Noiva e nem a Esposa do Senhor.

    E veja que com o atual recuo do Cristianismo, da Igreja, a enorme decadência humana vem se acentuando.
    Cada vez mais a Igreja se encontra recuada. E o mal vem prosperando. Enquanto a Igreja estiver aqui para exercer resistência, o Anticristo não será pleno.
    Pois nós iremos o reconhecer e não nos submeteríamos ao seu comando, pelo contrário, denunciaríamos suas más obras ao mundo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele não entendeu o que a Concordância de Strong está dizendo aí, ela não está afirmando que a mesma palavra "ho" também pode significar "a", pelo contrário, está dizendo que quando significa "a" a palavra utilizada é "he", que vem da mesma família mas são palavras diferentes. A palavra "Igreja" (ekklesia) aparece 114 vezes no Novo Testamento, e adivinhe quantas vezes ela é precedida pelo "ho"? É claro: nenhuma! A palavra grega que sempre acompanha a Igreja nas referências neotestamentárias sobre A Igreja é της, e em 2 Tessalonicenses 2:7 não é ela que aparece, mas sim outra palavra, "ο", que é MASCULINO, e que nunca aparece em relação à Igreja e nem poderia aparecer, justamente por ser antigramatical, e não mera "questão de tradução", como o autor diz.

      Na caixa de comentários eu não tenho como mostrar prints, portanto eu postei em um endereço da web o texto de 2 Tessalonicenses 2:7 no grego com tradução em português de acordo com o Novo Testamento Interlinear Analítico de Paulo Sérgio Gomes e Odayr Olivetti, em destaque está a palavra "ο", que é masculino traduzido por "o", conforme pode ser visto no print abaixo:

      http://i1065.photobucket.com/albums/u381/lucasbanzoli/52_zpsuyipsa8x.png

      Já a palavra utilizada para a igreja (της), por exemplo, em Atos 12:5, é essa:

      http://i1065.photobucket.com/albums/u381/lucasbanzoli/53_zpseqdoqcki.png

      Seria absurdo e inaceitável se no texto de Tessalonicenses Paulo tivesse amputado a gramática para inserir a "Igreja" após um pronome masculino, e ainda mais absurdo se a palavra sempre usada para se referir à Igreja em 114 vezes tivesse sido misteriosamente esquecida bem justamente no texto enigmático que supostamente fala da Igreja sendo arrebatada antes da grande tribulação...

      Sobre ser uma referência ao Espírito Santo eu nem vou comentar, pois o próprio autor refutou a própria tese, então eu não preciso fazer isso. E sobre a interpretação dele da parábola de Jesus eu só lamento, pois a Igreja por definição é a noiva de Cristo, não sei da onde ele tirou que agora alguns da Igreja são noiva, e outros são apenas "convidados" (???), quando todos fazem parte de um só Corpo, e a ekklesia por definição é o conjunto de todos os salvos de todos os tempos, sejam eles de antes, durante ou depois da tribulação.

      Excluir
  19. O site do Lucas é uma bença

    Cantora MARgarethe robeiRO

    ResponderExcluir
  20. posta algo sobre os tradicionais pentecostais neo pentecostais protestantes seitas e adventistas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este blog é sobre catolicismo apenas, se quiser ler matérias sobre doutrinas protestantes confira esses outros blogs de minha autoria:

      http://apologiacrista.com

      http://ocristianismoemfoco.blogspot.in

      Excluir
  21. LUCAS VOCE CONSIDERA OS ADVENTISTAS DO SETIMO DIA UMA SEITA. PORQUE VEJO BLOGS PROTESTANTE QUE AFIRMAM QUE OS ADVENTISTAS SAO UMA SEITA. SUA OPINIAO SOBRE ISSO. ABS!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não considero. Eles não tem nenhuma doutrina que seja errônea ao ponto de perder a salvação. Falham apenas em questões secundárias da mesma forma que qualquer outra igreja. Abs!

      Excluir
  22. Olá Lucas.
    Já que você não considera os adventistas do sétimo dia uma seita, eu te pergunto: qual a sua opinião sobre os ensinos de Ellen G. White. No seu entender, existe o "dom de profecia" para orientar a igreja (Atos 2) que seus seguidores atribuem a ela? o que você acha da escatologia dela?
    Obrigado amigo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não vejo ela como uma profetiza inspirada, como os adventistas a veem. E discordo da escatologia deles, que é historicista enquanto a minha é futurista. Além de discordar de interpretações particulares da IASD em torno de elementos apocalípticos, como a tese de que uma das bestas são os Estados Unidos e que o domingo é a marca da besta enquanto o sábado é o selo de Deus.

      Mas eu creio que os dons de profecia continuam até hoje, não na forma de um profeta infalível como a "boca de Deus na terra" (no estilo dos profetas inspirados do Antigo Testamento), mas apenas para trazer uma mensagem de correção, consolo, instrução, revelação ou auxílio a uma pessoa em particular, ou a um grupo de pessoas (como é o caso de Ágabo no Novo Testamento). Mas estes profetas não podem estabelecer doutrinas na Igreja, primeiro porque eles não são mestres, segundo porque a doutrina já está completa e é aquilo que nos foi legado na Escritura Sagrada. Ou seja, embora eu creia na existência atual de profetas na terra, é de uma forma bem diferente daquela que os adventistas pensam a respeito de Ellen White.

      Abs.

      Excluir
  23. Oi Lucas.
    Você é a favor que a igreja ordene mulheres ao pastorado?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sou sim, escrevi sobre isso aqui:

      http://ocristianismoemfoco.blogspot.in/2015/08/o-pastorado-feminino-e-correto.html

      Excluir
  24. Lucas o que achas do pastor Caio Fábio? Ele tem umas posições bem polemicas tanto em relacao aos protestantes historicos como em relação aos pentecostais,ele hoje tem o "Caminho da Graça"em Brasilia,que ele afirma não ser uma igreja no sentido instituição religiosa,e sim igreja no sentido original da palavra,eklesia,que significa chamado,ele diz que Jesus não fundou uma religião, o que é verdade,a idéia original de fato era apenas reuniões em casas,somente a partir de Constantino, que a igreja se tornou instituição, e posteriormente se corrompeu,respeito a idéia dele,mas acho que ele exagera nas críticas ao sistema religioso,há muitas igrejas boas,onde não se prega heresia,eu particularmente acho desnecessário,querer sair do sistema.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente o Caio Fábio se tornou um teólogo de linha mais liberal depois do conhecido adultério que cometeu e que escandalizou todo o mundo evangélico da época. A comunidade evangélica se voltou contra ele, ele pegou raiva dos crentes e agora ataca a tudo e a todos atirando para todos os lados. O engraçado é que mesmo as suas críticas sendo por revanchismo ainda assim muitas delas são verdadeiras, são um retrato real do que vive parte da comunidade evangélica, só que de forma exagerada e generalizada, como quando ele disse no programa do Danilo Gentili que todos os evangélicos são burros e não tem cérebro. Tudo o que ele faz é por vingança e não por amor.

      Poderia aqui elencar uma série de críticas que tenho em relação a ele, mas para resumir um pouco, destaco o seu apoio ao casamento de casais homossexuais na igreja, o seu liberalismo na questão sexual (masturbação não é pecado para ele), o jeito ridículo e infeliz com que ele tratou seu próprio caso de pedofilia que ele sofreu quando criança e que retrata da forma mais maravilhosa possível endossando a prática como normal e saudável, etc. Ele também tem muitas qualidades, é um homem sábio e inteligente, realmente bastante culto, mas se for para gostar de um pastor pelo simples fato de ser um intelectual eu fico um milhão de vezes mais com Ed René Kivitz.

      Em relação aos templos, é verdade que os cristãos se congregavam em casas nos primeiros séculos, mas isso porque eles eram perseguidos e por isso não podiam nem ter templos, tinham que se reunir em segredo, por isso congregavam em casas, e não por terem uma teologia "anti-templo". Pode ver no começo de Atos que os apóstolos costumavam se reunir no templo também, mas logo depois começou a perseguição e os líderes do sinédrio expulsaram os cristãos do templo, e assim eles passaram a se reunir somente em casas. Isso mudou a partir da tolerância de culto no século IV. Hoje em dia não tem diferença se reunir em casa ou em templo. O que importa é cultuar a Deus, mesmo que seja ao ar livre ou em qualquer lugar aberto ou fechado. O templo acabou virando uma convenção social na igreja simplesmente porque consegue reunir um número grande de pessoas em um só lugar, algo que as casas não conseguem.

      Excluir
    2. De uma coisa eu tenho certeza, tem
      mais de um Lucas Banzoli escrevendo nesse blog

      Excluir
    3. Tem tantos Lucas Banzoli escrevendo neste blog que todos eles juntos não estão tendo tempo pra postar mais de um artigo por semana...

      Excluir
  25. E você acha que foi Constantino o principal responsável pela corrupção da igreja?Ou os imperadores posteriores,porque pelo que eu estudei foi só com Teodósio, que a igreja se uniu ao estado,esse fato que vejo como grande responsável pela apostasia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De fato, o Cristianismo como religião oficial do império foi só com Teodósio, mas a coisa começou a desandar com Constantino, porque ele não deu apenas liberdade de culto aos cristãos, ele também concedeu muitos favores e regalias ao Cristianismo tornando-o mais atrativo aos pagãos e preparando o caminho para a oficialização que viria com Teodósio. De qualquer forma, é necessário ressaltar que não se pode jogar todos os males do Cristianismo nas costas de Constantino como alguns fazem. Houve heresias que entraram muito antes de Constantino, e outras que só entraram muitíssimos séculos mais tarde. A parte que pode e deve ser colocada na sua conta é no que diz respeito à paganização, ao sincretismo com as religiões romanas em sua volta, e isso começou com Constantino e foi consolidado com Teodósio em Roma.

      Excluir
  26. Você gosta do Ed René Kivitz? Vi o Granconato acusando esse pastor de universalista...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele não disse que era universalista, só disse que GOSTARIA que o universalismo fosse verdadeiro, até aí nada de mais. E francamente, entre universalismo e tormento eterno, eu acho o tormento eterno infinitamente pior e mais grave, e nem por isso eu fico atacando os pastores que creem no tormento eterno (que são a esmagadora maioria dos que existem).

      Excluir
  27. O que acha?

    https://www.youtube.com/watch?v=Bd5AG5UOvUE

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agora virou moda essa demagogia de dizer que "não sou nem arminiano nem calvinista, sou de Jesus", como se fosse possível não aderir nem a um sistema e nem a outro, e como se calvinistas e arminianos não pudessem ser de Jesus. Tais pessoas querem apenas parecer mais "espirituais" ao se colocar em um "meio-termo" imaginário criado pela cabeça deles, para fazer um discurso bonitinho fazendo de conta que estão mais próximos de Cristo por não serem nem arminianos nem calvinistas, mas no fundo eles mesmos são sempre uma coisa ou outra, embora não admitam expressamente. Eu falei sobre essa forma de dissimulação nas páginas 20 a 23 do meu livro sobre o tema (na versão digital). Se você baixou o livro, vale a pena dar uma olhada nessas páginas.

      Excluir
    2. Lucas tu conhece o trabalho do rapaz desse canal:

      https://www.youtube.com/user/MrLuiz6003

      Eu acho bom os vídeos e a teologia dele, ele sempre busca o velho testamento para contextualizar as passagens do Novo. Nos vídeos que tratam sobre calvinismo x arminianismo, ele também diz que não é nem um e nem outro, mas como você disse: dá para perceber que ele puxa uma brasa pro arminianismo! e graças a Deus por isso!

      Abraço e a Paz do Senhor

      Vai nessa força!

      José Domingos do blog Exateus

      Excluir
    3. Olá, não conhecia os vídeos dele, obrigado por me enviar, vou dar uma checada. Abs!

      Excluir
  28. Lucas,quando foi que começou essa adoração da ICAR por Maria e pra os demais "Santos"?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Epifânio, um Pai da Igreja do século IV, já denunciava em seus dias um princípio de adoração a Maria e aos santos. Mas a idolatria mais descarada da forma que existe hoje é fruto mais direto dos teólogos católicos romanos medievais e da época da Reforma. Nomes como Afonso de Ligório e São Luís de Montfort foram notórios ícones da mariolatria que permanece até os dias de hoje.

      Excluir
  29. e pecado ouvir essa músicahttps://m.vagalume.com.br/fall-out-boy/the-phoenix-traducao.html

    ResponderExcluir
  30. Paz e graça, tens algum artigo sobre o Catolicismo e o nazismo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou fazer um sobre isso neste fim de semana.

      Excluir
  31. O que acha?

    https://www.youtube.com/watch?v=DemEBOh_gas

    ResponderExcluir
  32. Lucas os católicos ortodoxos também se dizem os fundados por Cristo como os católicos romanos dizem? segundo vc quem foi o primeiro bispo da igreja ortodoxa? O granconato diz que o dízimo não se aplica mais nos dias de hoje e que isso é israelizar a igreja e que na igreja dele só se aceita ofertas e de crentes e não incrédulos.o que vc acha?

    https://www.youtube.com/watch?v=nentcPLBLIg

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os ortodoxos sustentam as mesmas prerrogativas dos romanos, portanto eles também alegam que a Igreja Católica [Ortodoxa] foi a igreja fundada por Cristo, da mesma forma que um romanista alega que a Igreja Católica [Romana] foi a igreja fundada por Jesus. A contagem de bispos de ambas as igrejas (romana e ortodoxa) deve começar a partir do momento em que tal ruptura surgiu e deu início às duas facções, ou seja, a partir de 1054 d.C. Portanto, do lado ortodoxo o primeiro bispo foi Miguel Cerulário.

      Acho ridículo só aceitar ofertas de crentes. Se um descrente depositar um milhão de reais na minha conta do banco, eu vou ficar super feliz e nem vai passar pela minha cabeça devolver o dinheiro só porque um ímpio me deu. Se o próprio Satã sair do quinto dos infernos e surgir no meu quarto com uma mala preta cheia de dinheiro eu vou agradecer e pegar pra mim. É muito melhor usar esse dinheiro para coisas boas, incluindo fazer caridade e investir em missões para o avanço do Reino de Deus que tanto precisa da nossa ajuda financeira, do que ser mesquinho, demagogo e falso moralista recusando o dinheiro e deixando nas mãos do ímpio, que certamente irá investir em coisas ruins.

      Da mesma forma que nós não temos que fazer acepção de pessoas na hora de escolher para quem vamos dar dinheiro (se para um ímpio ou um crente), também não temos que fazer acepção de pessoas na hora de receber dinheiro. Se um ímpio desse dinheiro diretamente a uma pessoa necessitada, você seria contra? Óbvio que não. Então por que você não poderia aceitar que ele dê esse mesmo dinheiro de oferta, e você o use para ajudar aquela mesma pessoa necessitada? Sinceramente, não dá pra entender a lógica de pensamento granconiana. E duvido encontrar qualquer texto bíblico que faça esse tipo de proibição.

      Em relação ao dízimo, você pode ver minha posição sobre o tema aqui:

      http://ocristianismoemfoco.blogspot.in/2015/08/sobre-o-dizimo-na-nova-alianca.html

      Excluir
    2. Mas o ortodoxo tb diz que o primeiro bispo ortodoxo foi pedro, depois lino, etc..? a mesma listinha de bispos que os católicos romanos usam os ortodoxos tb usam?

      Excluir
    3. Não, essa é a lista de bispos de Roma usado pelos católicos romanos. Os ortodoxos tem outras listas com suas próprias sucessões que remetem a cada uma das igrejas orientais, uma delas (a de Antioquia) também tem Pedro como primeiro bispo, você pode conferir aqui:

      http://sor.cua.edu/patriarchate/patriarchschronlist.html

      Mas a principal sucessão que eles tem é a de Bizâncio, visto que o bispo de Constantinopla é o "primeiro entre iguais" entre eles. Essa sucessão tem André por primeiro e pode ser vista aqui:

      https://pt.wikipedia.org/wiki/Lista_sucessória_dos_patriarcas_ecumênicos_de_Constantinopla

      Excluir
    4. Existiam várias igrejas orientais? E pq a igreja de Roma tem uma lista só? André foi bispo de que lugar? Não sabia que os ortodoxos tinham várias listas de bispos. Achei que fosse uma só.

      Excluir
    5. Existem 14 igrejas orientais que hoje fazem parte da Igreja Ortodoxa, você pode ver cada uma delas aqui:

      http://www.ecclesia.com.br/igreja-ortodoxa/

      A Igreja de Roma possui uma lista só porque ela é uma igreja só, a de Roma. Já a Igreja Ortodoxa é a reunião de várias igrejas orientais, "Ortodoxa" não é o nome de uma localidade só, como "Roma" é com a Igreja Romana. André teria sido bispo de Bizâncio (Constantinopla), que viria a ser uma das igrejas ortodoxas.

      Excluir
    6. Esclarecendo um pouco melhor: no início da Igreja haviam várias igrejas, como a igreja de Jerusalém, igreja de Antioquia, igreja de Alexandria, igreja de Roma, etc. Havia igreja em cada lugar em que os cristãos iam levar o evangelho, e algumas dessas igrejas foram fundadas por apóstolos que se tornavam o primeiro bispo dali. Roma era só mais uma dentre tantas outras igrejas (comunidades cristãs locais).

      Com o tempo, a igreja de Roma rebelou-se contra as demais igrejas, usurpando um lugar de autoridade suprema que não lhe era devida. Por conta desta ostentação soberba ela se desligou das igrejas orientais, e assim foram criados os dois polos, a Igreja ocidental liderada pela Igreja de Roma, e a Igreja oriental liderada pela Igreja de Constantinopla. A primeira veio a se chamar "Igreja Romana", enquanto a segunda veio a se denominar "Igreja Ortodoxa". Ambas querem ostentar para si o título de "Católica", que era o nome dado à Igreja antiga, que não era nem Romana e nem Ortodoxa.

      É por isso que hoje em dia você verá os romanistas usando o termo "Igreja Católica" não no sentido original que denominava toda a Igreja universal (que é o significado do nome "católico"), mas sim em sentido estrito e particular, ou seja, de Igreja "Romana". Ou seja, para eles só a Igreja Romana é "católica", violando o significado original e primitivo do termo.

      Excluir
    7. Mas André foi mesmo bispo de Constantinopla ou isso é lenda igual pedro nunca ter sido bispo de roma e a igreja romana dizer isso na maior mentira.
      alias, ouvi dizer que nenhum dos 12 apostolos e paulo foram bispos de igreja alguma.o maximo que ele fizeram foi fundar igrejas, mas jamais ser bispos das mesmas.

      Excluir
    8. A fonte mais antiga que se tem é de Eusébio na História Eclesiástica, mas é do século IV, não é de se desprezar mas também não é de se colocar a mão no fogo. Tem uma vantagem em relação ao episcopado de Pedro em Roma porque neste caso nem Eusébio fala, a fonte mais antiga é do século V, mas ainda assim não é tão confiável. É perfeitamente possível que André tenha pregado ali sem ter sido bispo, e que posteriormente os Pais da Igreja de séculos posteriores confundiram as coisas e entenderam que ele ocupou um episcopado monárquico.

      Excluir
    9. Antes de Eusébio nenhum pai da igreja como Irineu, Inácio ou outro fala de André ter sido bispo de Constantinopla? Vc poderia citar o texto de Eusébio? Aliás, as outras 13 igrejas Ortodoxas não alegam tb terem como fundação um apóstolo? As 14 igrejas tem o mesmo valor ou uma governa e manda nas outras?

      Excluir
    10. O primeiro a sugerir isso foi Hipólito, um Pai da Igreja entre os séculos II e III. Ele escreveu sobre André ter pregado na Trácia (onde ficava Constantinopla), na sua obra "Dos apóstolos e dos discípulos":

      "Andrew preached to the Scythians and Thracians, and was crucified, suspended on an olive tree, at Patrae, a town of Achaia; and there too he was buried"

      http://www.newadvent.org/fathers/0524.htm

      Outra fonte mais antiga que Eusébio que mostra André ali são os "Atos de André", um apócrifo escrito no século II ou III d.C:

      http://www.newadvent.org/fathers/0819.htm

      Claro que nenhuma das fontes é perfeitamente confiável, trata-se de registros bem posteriores ao tempo dos apóstolos.

      Das 14 igrejas ortodoxas quatro alegam terem tido um apóstolo como primeiro bispo (Jerusalém, Alexandria, Antioquia e Constantinopla). Elas tem uma posição de honra acima das outras dez. E entre as quatro, o patriarca de Constantinopla é considerado o "primeiro entre iguais", ou seja, ele detém um primado de honra entre os ortodoxos, é considerado o mais importante entre eles, mas ainda assim de um modo totalmente diferente do papa romano. O patriarca de Constantinopla não sustenta para si poderes tais como infalibilidade ou jurisdição universal, nem tampouco obriga submissão de todas as outras igrejas ortodoxas. Portanto, não existe um "governo" sobre as demais igrejas, embora haja uma escala de importância de um para outro.

      Excluir
  33. Oi Lucas.
    Ainda sobre os adventistas do sétimo dia, gostaria de te fazer outra pergunta: Um famoso adventista disse que a constelação do Órion é o lugar por onde Cristo voltará. O que você acha Lucas? O mesmo pastor chega a afirmar que existem "mundos não caídos". Você acredita? Se existem "mundos não caídos" existem outros mundos caídos como o nosso? Gostaria de conhecer sua opinião sobre o tema.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não creio em nada disso, na verdade não sei de onde ele tirou essas coisas, certamente da Bíblia é que não foi. Não há como precisar se existem seres inteligentes de outros planetas ou não, eu particularmente creio que não por causa dos argumentos expostos por Geisler e Turek no livro deles sobre ateísmo onde eles provam que a possibilidade de existir vida como a nossa fora da terra é virtualmente nula, então afirmar de forma tão categórica que estes outros seres existem e que ainda "não caíram" é uma baita precipitação e irresponsabilidade, na minha opinião. Para mim, nosso mundo foi o único criado com Deus com vida inteligente, se existissem mundos caídos como o nosso Jesus teria que morrer várias vezes, uma vez em cada mundo, não tem cabimento uma coisa dessas.

      Excluir
    2. Lucas, o que você acha dessa teoria da Terra Plana? Vejo que essa coisa está virando uma sensação na internet. Os tais conspiracionistas usam até Isaias 40:22 para querer mostrar que nosso planeta é um disco.

      Excluir
    3. O Gustavo abaixo me perguntou a mesma coisa, então confira lá a minha resposta.

      Excluir
  34. Lucas e você acha que os católicos apologistas,que odeiam os protestantes,sejam a minoria destes? Porque como comentei em alguns posts acima,eu pessoalmente não conheço nenhum católico que seja hostil ao protestantismo,os da minha família, mesmo os meus primos que são católicos praticantes,frequentam a RCC,,gostam da música gospel evangélica,e algumas dessas músicas foram até regravadas pelo Padre Marcelo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas esses católicos da sua família que você citou não são apologistas, são apenas católicos praticantes, é preciso distinguir uma coisa da outra. Existem milhões de católicos praticantes, assim como existem mais milhões ainda de católicos não-praticantes, mas ser apologista é outra coisa, é militar em favor dessa religião, é tentar refutar as outras, debater, discutir doutrina, etc. Isso aí menos de 1% dos católicos, praticantes ou não, fazem.

      A esmagadora maioria dos católicos praticantes apenas vão à missa e seguem a sua religião sem discutir sobre as outras, e há apologistas que são não-praticantes, que vivem batendo boca na internet defendendo a "Igreja" mas que nunca entram em uma paróquia. Mas claro que dentre os APOLOGISTAS (não confundir com os "praticantes"), a grande maioria tem um verdadeiro e profundo ódio aos evangélicos sim, é só entrar em qualquer comunidade de debates pra ver o nível.

      Excluir
  35. E uma outra pergunta que gostaria de te fazer,eu a fiz alguns posts acima,acho que talvez não tenhas tido tempo de ler,porque são muitas as perguntas,é o fato de se alguém pode mudar de vida,ser tocado por Deus e salvo por Cristo,eu citei o exemplo do Alessandro Serenelli,um criminoso italiano do começo do século passado, que tentou estuprar e matou uma jovem chamada Maria Goretti em uma cidade pequena da Italia,a Maria Goretti foi até canonizada por ter perdoado seu assassino no leito de morte e por ter resistido as investidas dele,o fato de ter sido perdoado,fez com que Serenelli se arrependesse,e depois de sair da cadeia pediu perdão a mãe de Maria,o tendo obtido, e ele foi morar com frades posteriormente,eu acho o perdão uma bela atitude cristã, um mandamento do próprio Cristo,mas só Cristo poderá dizer se o Alessandro Serenelli foi salvo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sobre a possibilidade de católicos serem salvos eu respondi sim, só que resumidamente, na parte que eu disse:

      "Sobre católicos serem salvos, eu creio que isso é possível, embora difícil. Vai depender do quanto ele centraliza Cristo na sua vida e o reconhece como seu salvador pessoal, único e suficiente"

      Não acho que seja impossível Deus tocar no coração de um descrente com arrependimento, mas quase sempre que isso acontece a pessoa sai da ignorância e deixa para trás as falsas doutrinas que aprendeu desde criança, por isso tanta gente tem um encontro com Deus e depois abandona o catolicismo. Agora, isso não significa necessariamente que é sempre assim, é possível que alguém seja tocado ao ponto de se arrepender de sua vida de pecado, mas que feche o seu coração para as coisas mais profundas (doutrinárias e teológicas), de modo que permaneça na ignorância, ainda que bem intencionado. Mas se este é o caso do Sr. Alessandro Serenelli ou não, isso só Deus sabe.

      Excluir
  36. Lucas, bom dia. O que você acha da teoria da Terra Plana?

    Abs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sou qualificado para responder a questão, meu conhecimento astronômico é zero, mas acompanho a discussão e acho até divertida.

      Excluir
  37. Eu, particularmente, creio que há sim vida inteligente em outros planetas. Isso não precisa estar nas Escrituras, pois há coisas que o Senhor não revela. Mas, são de carne, osso e sangue. Tal como nós somos.
    Isso não significa que são iguais a nós. Minha é exclusiva em Deus. Não é abalada por eu crer em vida inteligente em outros mundos. Até por que, tudo que existe foi o Deus de Israel que criou. No entanto, há muitos espantalhos, como aqueles que te atacam, que promovem inverdades. Esses promovem divisões dentro da Igreja pelo fato de serem dissimulados.
    Você Lucas, é usado por Deus para ser um farol neste mundo de trevas. Não desanime nem se importe com pessoas que mais se assemelham a Janes e Jambres.
    Abraça! Deus o abençoe.

    ResponderExcluir
  38. De zero a dez, que nota você dá para as Institutas de Calvino?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Depende. Se a nota que você se refere é o tanto de coisas que eu apoio em contraste com o tanto de coisas que eu rejeito, seria uma nota 6, acredito. Isso porque ele passa bastante tempo defendendo o determinismo e o batismo infantil (doutrinas que discordo). Agora, se essa nota se refere à qualidade da argumentação, mesmo nos pontos que eu divirjo, eu daria um 9.

      Excluir
  39. Lucas o que achas das múmias católicas ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se você se refere aos chamados "corpos incorruptos", eu escrevi sobre isso aqui:

      http://heresiascatolicas.blogspot.in/2015/04/o-pior-argumento-catolico-de-todos-os.html

      Excluir
  40. Lucas se você namorasse uma menina mas ela não fizesse questão de casar na igreja de
    vestido de noiva e véu, e nem quisesse fazer festa de casamento, você casaria com ela
    mesmo assim?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claro, eu também nem ligo para essas questões cerimoniais, o que importa mesmo é o reconhecimento jurídico do casal.

      Excluir
  41. Tenho visto mts pastores ou pessoas evangélicas falando que sexo anal, oral e outras formas de prazer rs não são pecado se consentido pelo casal, o que você acha disso? Deus condena um casal homossexual que tenha essas práticas, mas e o casal hétero recebe essa condenação? Você acha que havia condenação para Adão e Eva no Éden se fizessem isso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vamos por partes:

      1) O fato de Deus condenar o casal homossexual não tem a ver com a prática do sexo oral ou anal em si, mas sim porque o próprio relacionamento homossexual já é pecaminoso, então consequentemente qualquer ato entre eles será pecaminoso também, desde um beijo até uma relação sexual.

      2) Sexo anal é pecado, porque biblicamente tudo o que faz mal ao corpo deve ser evitado a um cristão, nosso corpo é templo do Espírito Santo e por isso não deve ser usado para práticas que lhe causem dano. Hoje em dia todos reconhecem os problemas fisiológicos causados pelo sexo anal, se você ainda não conhece recomendo que assista a este vídeo:

      https://www.youtube.com/watch?v=F-GuvKrSd-Q

      3) Em relação ao sexo oral não vejo restrições, desde que praticado por um casal (não por namorados ou ficantes) e por mútuo consentimento, é claro. O mesmo vale para as outras posições sexuais.

      4) O que valia para Adão e Eva é o mesmo que vale para nós hoje, não vejo diferença nisso. Mas o que levou à Queda não teve nada a ver com isso.

      Excluir
    2. 1. Quais doenças podem ser transmitidas no sexo oral?
      Sem proteção, tanto quem faz quanto quem recebe sexo oral está sujeito a contrair doenças sexualmente transmissíveis (DST). As mais comuns são HPV e herpes, que são transmitidas pelo simples contato da pele. As doenças genitais podem ser transmitidas para a boca e vice-versa, por exemplo: uma pessoa com herpes labial pode transmitir a doença para os genitais, e uma pessoa com herpes genital pode transmitir a doença para os lábios de seu parceiro. Além de HPV e herpes, outras DST como clamídia, gonorreia, sífilis, hepatite e AIDS podem ser transmitidas pelo contato com o sêmen, líquido pré-ejaculatório e lubrificação vaginal.

      Excluir
    3. 6. Há problemas em engolir o sêmen durante o sexo oral?
      Sim. O sêmen pode ser meio de transmissão de muitas DST como HPV, AIDS, clamídia, herpes, hepatite e sífilis entre outras. Se o homem tiver alguma DST, é grande a chance de acontecer contaminação ao engolir o sêmen. Se a mulher tiver alguma ferida na boca, como afta, corte ou alguma ulceração, as chances de contaminação são ainda maiores.

      Excluir
    4. 10. Fui fazer sexo oral nele e não tem ferida, verruga nem bolhas. Posso dispensar o preservativo?
      Não dispense o preservativo em nenhum caso. Algumas doenças bastante graves, como o HIV, não têm sintomas aparentes. Use o preservativo em todas as suas relações sexuais, inclusive no sexo oral.

      Excluir
    5. Acho que sexo oral não é consentido por Deus, pois pode passar doença aos praticantes.

      Excluir
    6. Mas isso é só no caso de quem faz sexo casual, o que já é em si mesmo proibido por Deus, porque tais pessoas fazem sexo com muita gente diferente que nem conhece direito e que podem ser afetadas por doenças sexualmente transmissíveis. Isso não se aplica a um casal cristão que já se conhece há muito tempo e que já tenha feito os exames para ver se possuem alguma DST, e, em caso negativo, não possuiriam restrições em relação a isso.

      Excluir
    7. Lucas,hoje em dia é possível fazer exames, mas nos séculos passados não tinha como fazer e as pessoas provavelmente já tinham DST.Eu sinceramente não concordo com o sexo oral, já fiz e já fizeram
      em mim, quando eu estava no "mundão" já hoje, o Espírito Santo me constrange! Um abraço,a paz do Senhor.

      Excluir
  42. Já foi em algum show "secular" (não gosto dessa palavra, mas só pra você entender rs). Se tivesse alguma banda "secular" que você gostasse você iria ao show deles?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nunca fui, porque não gosto de ir a ambientes com muita gente, prefiro muito mais ficar em casa do que sair, mas se um dia me desse vontade eu poderia ir sim, não vejo nenhuma restrição moral em relação a isso. Claro que isso se aplicaria às bandas seculares que eu gosto, e não a shows de bandas mundanas, o que aí sim haveria restrições morais.

      Excluir
  43. Lucas gostaria que você me dissesse sua opinião sobre um debate que eu tive sobre um tema teológico. Seguinte: Eu afirmei, que no meu entender, tanto Abraão quanto Sara NÂO ACREDITAVAM que seriam pais mesmo já velhos. Um amigo meu discordou e afirmou que APENAS Sara duvidou e Abraão, sendo o Pai da Fé, em momento algum duvidou que seria pai mesmo já sendo velho. Assim posto eu te pergunto. Abraão creu ou não creu que seria pai já velho? Apenas Sara duvidou?
    Obrigado Amigo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele creu, mas titubeou também, assim como Sara. Se ele não tivesse hesitado ou vacilado em nenhum momento, jamais teria pensado em ter relações com Hagar, para forçar de modo humano o cumprimento da promessa. Ele teria recusado isso terminantemente, o que ele não fez. Se ele aceitou isso, é porque ele também oscilou em algum momento, ainda que como um todo ele tenha exercido bastante fé, senão não seria considerado o "pai da fé".

      Excluir
  44. LUCAS VOCE CONHECE O SITE WWW.O QUE RESPONDI.COM.BR DO MARIO PERSONA. ELE DISSE QUE FOI UM CATOLICO MUITO FIEL E SAIU DA IGREJA CATOLICA SEGUNDO ELE COMEÇOU A LER A BIBLIA E VIU MUITOS ERROS DOUTRINARIOS DA DOUTRINA CATOLICA QUE NAO BATIA COM A BIBLIA ELE DISSE QUE FOI PARA UMA IGREJA BATISTA REFORMADA DISSE ELE QUE TAMBEM LA HAVIA MUITA TRADIÇAO DE HOMENS E TAMBEM NAO FICOU HOJE ELE FAZ REUNIOES EM RESIDENCIAS TIPO EM CELULAS E FAZ O CULTO DESSA MANEIRA COMO O CRISTIANISMO PRIMITIVO DE ANTIGAMENTE SEGUNDO ELE O CULTO NAO PRECISA SER PRECISAMENTE NA IGREJA NAO QUE O CULTO NAS IGREJAS SEJA ELA QUAL FOR FOI COISA DE HOMENS NA SUA OPINIAO ELE ESTA CORRETO PODE UMA PESSOA SER SALVA MESMO CULTUANDO A DEUS DE FORMA BIBLICA EM GALPOES ARMAZENS EM RESIDENCIAS MAIS NAO SOMENTE NA IGREJA SEGUNDO ELE QUAL SUA OPINIAO SOBRE O QUE MARIO PERSONA DISSE. ABS!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Conheço sim, e não vejo problema algum em cultuar a Deus em uma casa em vez de uma igreja denominacional dentro de um templo. Esses dias alguém me perguntou o mesmo, então vou sumariar aqui a minha resposta a ele:

      "Em relação aos templos, é verdade que os cristãos se congregavam em casas nos primeiros séculos, mas isso porque eles eram perseguidos e por isso não podiam nem ter templos, tinham que se reunir em segredo, por isso congregavam em casas, e não por terem uma teologia "anti-templo". Pode ver no começo de Atos que os apóstolos costumavam se reunir no templo também, mas logo depois começou a perseguição e os líderes do sinédrio expulsaram os cristãos do templo, e assim eles passaram a se reunir somente em casas. Isso mudou a partir da tolerância de culto no século IV. Hoje em dia não tem diferença se reunir em casa ou em templo. O que importa é cultuar a Deus, mesmo que seja ao ar livre ou em qualquer lugar aberto ou fechado. O templo acabou virando uma convenção social na igreja simplesmente porque consegue reunir um número grande de pessoas em um só lugar (algo que as casas não conseguem), mas não pelo templo ser obrigatório"

      Abs!

      Excluir
  45. O calvinismo faz de Deus um ser mau?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se levado às suas últimas consequencias, sim.

      Excluir
  46. Seu blog está ficando muito reconhecido. As duas últimas postagens tiveram mais de 100 comentários. Parabéns.

    ResponderExcluir
  47. Oi Lucas.
    O que você acha do argumento católico que a devoção a Maria é algo tão antigo quanto o próprio cristianismo e que não há registro histórico de algum santo (ou teólogo) contrário a tal ensino da igreja, mas a sua contestação é algo recente com o protestantismo.
    Obrigado amigo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ridículo e falso argumento, os primeiros Pais da Igreja nem sequer mencionavam Maria em obra nenhuma deles, muito menos defendiam alguma doutrina mariana católica romana. Os Pais dos primeiros dois séculos praticamente a ignoravam o tempo todo, assim como as epístolas apostólicas, onde ela sequer é citada em parte alguma de Romanos ao Apocalipse. Inácio escreveu sete cartas. Em cinco, Maria nem sequer é mencionada. Ela é citada três vezes na carta aos efésios e uma vez na carta aos tralianos, mas somente de passagem, em contextos onde o foco estava em Jesus, e era apenas dito que ele nasceu de uma virgem chamada Maria. Nenhum dogma mariano é mencionado.

      Dos outros Pais da Igreja, o resultado é esse:

      • Aristides não cita Maria nominalmente nenhuma vez.

      • Policarpo não cita Maria nominalmente nenhuma vez.

      • Clemente de Roma não cita Maria nominalmente nenhuma vez.

      • Hermas não cita Maria nominalmente nenhuma vez.

      • Taciano não cita Maria nominalmente nenhuma vez.

      • Papias não cita Maria nominalmente nenhuma vez.

      • Teófilo não cita Maria nominalmente nenhuma vez.

      • Barnabé não cita Maria nominalmente nenhuma vez.

      • A Didaquê não cita Maria nominalmente nenhuma vez.

      • Polícrates não cita Maria nominalmente nenhuma vez.

      • Justino não cita Maria nominalmente nenhuma vez em sua 1ª Apologia, nenhuma vez em sua 2ª Apologia, nenhuma vez em seu Oratório aos Gregos, nenhuma vez em sua obra sobre o Governo de Deus, nenhuma vez em sua obra sobre a Ressurreição, nenhuma vez em seus fragmentos, nenhuma vez em seu Discurso aos Gregos, e nove vezes em seu Diálogo com Trifão, em contextos onde contava a Trifão a história do nascimento de Jesus ou onde dizia que Jesus nasceu de uma virgem, sem citar absolutamente nenhum dogma mariano papista.

      Compare isso tudo com os pedantes católicos dos dias de hoje, que citam Maria até na introdução de uma simples carta (“Salve Maria”), independentemente do teor ou conteúdo da mesma.

      Excluir
  48. Respostas
    1. Teve ataques e massacres contra os hussitas sim, mas não é tão correto chamar de "cruzadas", a rigor só houveram as 8 cruzadas contra os muçulmanos, mais a quarta cruzada que se desviou para atacar os gregos, e outra contra os albigenses.

      Excluir
  49. Quando Cristo fala que quando alguém bater na nossa cara é para a gente
    oferecer a outra (sem reagir), essa passagem da bíblica deve ser interpretada de forma
    literal?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não de forma literal, quando bateram na face de Jesus ele não virou a outra face, apenas respondeu:

      "Se eu disse algo de mal, denuncie o mal. Mas se falei a verdade, por que me bateu" (João 18:23)

      Nem teria sentido virar a outra face em sentido literal, o inimigo entenderia isso como uma provocação e então ficaria ainda mais irritado e partiria para a briga mesmo. O que Jesus queria ensinar foi o princípio da não-retaliação, ou seja, de não revidar, não apenas em questões de agressões físicas mas também de qualquer natureza.

      Excluir
    2. Obrigada pela resposta. É porque, infelizmente, quando eu era criança me ensinaram dessa forma, e eu cresci com a noção de que cristãos são pacifistas, e que quando pisam neles, eles aceitam toda e qualquer humilhação sem falar nada. Mas estou no processo de desmistificação e vendo que as coisas não funcionam da forma como eu aprendi. Abs.

      Excluir
  50. Olá Lucas.
    Eu já escutei (e li) dezenas de explicações sobre os conflitos entre árabes e israelenses, mas sua opinião, qual deve ser o entendimento do cristão sobre o tema . É o cumprimento de alguma profecia bíblica? Rivalidade religiosa? Disputa territorial?..
    Obrigado amigo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, a minha opinião sobre a guerra entre árabes e judeus eu já explanei neste artigo postado em meu outro blog:

      http://ocristianismoemfoco.blogspot.in/2015/08/minha-opiniao-sobre-guerra-em-israel_7.html

      Muitos teólogos veem nisso um cumprimento de profecia sim, principalmente por causa da profecia do anjo que disse que Ismael viveria em hostilidade contra todos os seus irmãos (Gn.16:11-12). Sabe-se que os árabes são os descendentes de Ismael, enquanto os judeus são os descendentes de Isaque, o outro filho de Abraão. Abraão fez uma escolha errada e precipitada ao tentar forçar o cumprimento da promessa de ter um filho na velhice, ao se relacionar com sua escrava Hagar, e a consequência é tudo isso que vemos hoje em dia. Por isso eu entendo como algo bíblico sim, mais do que apenas uma "disputa territorial".

      Abs.

      Excluir
  51. LUCAS VOCE DISSE QUE CONHECE O SITE DO MARIO PERSONA VOCE CONCORDA COM A TEOLOGIA QUE ELE ENSINA. ASSISTO OS VIDEOS DELE E EU PARTICULARMENTE VEJO QUE ELE SE FUNDAMENTA BEM NA BIBLIA QUANDO FALA A RESPEITO DE DOUTRINAS. QUAL A SUA OPINIAO. ABS!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As únicas coisas em que eu discordo dele é no que tange a doutrinas errôneas comuns no meio evangélico, como a imortalidade da alma e o arrebatamento pré-tribulacional. No mais, ele defende as doutrinas pentecostais históricas tal como eu defendo, embora eu não tenha navegado em todo o site para descobrir ao certo se eu concordo com ele em tudo. Abs!

      Excluir
  52. Olá Lucas,


    Irmão, analisando uma página "Luterana" no Facebook vi muitos ensinamentos parecidos com as doutrinas católicas se vc puder desenvolver um artigo sobre isso seria interessante.


    Olha aqui a página👉https://www.facebook.com/TeologiaLuterana/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu dei uma lida nos últimos posts deles e são todos sobre anjos, mas não vi ali ele ensinar oração aos anjos, culto aos anjos ou adoração aos anjos, como os católicos romanos fazem. O máximo que ele faz é chamar Miguel de "São Miguel", mas isso não é errado desde que se entenda no sentido bíblico, onde os anjos são várias vezes chamados de "santos". O problema é que a maioria das pessoas que ler eles empregando este tipo de linguagem irá confundir as coisas e tomar o "São" no sentido católico romano do termo, talvez fosse importante eles diferenciarem o conceito deles de "santo" em relação ao conceito romanista do mesmo.

      No mais, a única coisa que eu discordo é de celebrar uma festa para Miguel, não vejo necessidade para isso, não há qualquer base bíblica para se fazer festas em honra aos anjos, nenhum anjo jamais recebeu esse tipo de coisa na Bíblia e nem cobraria uma coisa dessas. Pode ser que a página tenha mais erros, mas pelo menos no que eu vi hoje, não encontrei nada a mais, se você puder especificar ou trazer o link de algum post deles em especial onde eles defendam alguma doutrina realmente católica, é só me passar.

      Excluir
  53. Os reformados/protestantes estão com medo de dizer publicamente o que todos sabem: Lucas Banzoli é um herege e devia ser banido do evangelicalismo brasileiro. Mas pelo fato de ele ter bons artigos contra o catolicismo e bons artigos sobre o ateísmo, coisa que falta no nosso país atrasado, os evangélicos temem dizer isto.
    O problema é que bons textos contra o ateísmo e contra o catolicismo não fazem de alguém um bom teólogo!!!
    Esse rapaz, de apenas 24 anos, defende heresias como o aniquilacionismo. James R. Edwards; Mark A. Seifrid; D.A Carson; Colin G. Kruse; Roy E. Ciampa; G. Walter Hansen; David G. Peterson; Douglas J. Moo; Peter H. Davids; Gene L Green; Leon Morris.

    Todos doutores em Novo Testamento. Todos autores que, se o Lucas Banzoli tivesse lido, não defenderia o tipo de heresia que ele defende.

    Mas não precisa se preocupar, Lucas. Sua hora de ser banido do meio evangélico chegará. O Espírito Santo nos iluminará, com o passar do tempo, e nos mostrará quem é quem.

    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. HAHAHAHAHAHAHAHAHA como eu me divirto com esses néscios como você, agora eu fui "banido" do meio evangélico kkkkkkkkkk Meu Deus, o que eu faço agora? Acho que eu vou queimar a bula de excomunhão! HSUAHSUAHSUASH

      Você pensa que é o papa do protestantismo para excomungar quem você quiser? Huehuehuehuehuehue fazia tempo que eu não ria tanto...

      Um néscio desses que pensa que a verdadeira doutrina se faz por MAIORIA DE VOTOS entre os teólogos, realmente, merece apenas risos eternos. Você se diz "Luterano", mas se vivesse na época do início da Reforma jamais teria aderido ao luteranismo, visto que 99,9999% dos teólogos cristãos da época ensinavam o contrário das doutrinas ensinadas por Lutero. O mesmo que você faz agora comigo. Mas é claro que um ser abjeto irá preferir seguir o que diz a maioria do que seguir a Palavra de Deus. Mesmo que isso atente contra a sua própria religião; afinal, o luteranismo nunca foi "maioria" entre teólogos de vertente nenhuma, e mesmo assim você adere a este ramo do protestantismo e também às suas doutrinas peculiares que são rejeitadas por 99% dos teólogos do planeta (por exemplo, a consubstanciação). Viu como é bom construir teologia em cima de maioria de votos?

      E só para não deixar barato essa sua lista de teólogos imortalistas, segue abaixo uma lista de teólogos aniquilacionistas, sem serem adventistas ou testemunhas de Jeová:

      John Stott (Anglicano), F.F. Bruce (Casa de oração), Oscar Cullmann (Luterano), N.T. Wright (Anglicano), Herman Ridderbos (Igreja holandesa reformada), Ben Witherington (Metodista), George Ladd (Batista), E.W. Bullinger (Anglicano), William Tyndale (Reformador), Martinho Lutero (Reformador), Philip Edgcumbe Hugues (Anglicano), John Wenham (Anglicano), Michael Green (Anglicano), Basil Atkinson, Clark Pinnock, William Branham, George Storrs, Henry Grew,Charles Fitch, Roger Foster, Edward Fudge, Charles Gore (Anglicano), Homer Hailey, Emmanuel Pétavel-Olliff, Oliver Chase Quick (Anglicano), Ulrich Ernst Simon (Anglicano), William Temple (Anglicano), David Edwards (Anglicano).

      Todos doutores em Novo Testamento. Todos autores que, se o anônimo retardado tivesse lido, não defenderia o tipo de heresia que ele defende.

      Mas realmente, alguém será banido mesmo. Não eu, mas você. Poste mais qualquer coisa no meu blog que será sumariamente deletada antes de eu ler.

      Ah, e a primeira edição das Institutas de Calvino, uma das obras mais importantes da história do protestantismo, foi escrita quando ele era mais novo do que eu sou hoje. Mas claro, só eu que não posso escrever.

      Excluir
  54. Lucas, a respeito da salvação, poderia me ajudar?
    Entendo que a salvação é pela fé somente e não pelas obras, que aquele que crê em Jesus ja está salvo etc. mas o que dizer de versículos onde Jesus fala que se não fizermos uma determinada coisa não entraremos no céu? Devemos então crer em Jesus e ao mesmo tempo nos esforçar para entrar no reino? Isso não faria com que as obras fossem parte da salvação e não somente a fé? Tbm queria saber se aquele que creu em Jesus passará pelo julgamento de suas obras no dia do juízo
    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As obras são necessárias sim, mas elas são uma CONSEQUÊNCIA da salvação, e não a CAUSA da salvação. Portanto quando Jesus diz que precisa fazer tal coisa para ser salvo, é o mesmo que dizer que sem essa coisa não tem como ser salvo, porque quem tem a fé genuína irá sempre produzir essa coisa como frutos.

      Todos passarão pelo juízo, mas há dois juízos distintos, um dos justos e outro dos ímpios. Os justos irão ao juízo para serem julgados e recompensados, e os ímpios irão ao juízo para serem julgados e condenados.

      Abs!

      Excluir
  55. http://www.aigrejaprimitiva.com/dicionario/BARBA.html
    Essas citações sao reais?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tem como saber, ele não trouxe referência nenhuma, nem de livro, nem de capítulo ou versículo, nada. Algo típico de quem está inventando citações. Verdadeiras ou não, elas não tem credibilidade até que se cite as fontes.

      Excluir
  56. Com que idade você beijou pela primeira vez?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho 20 e nunca beijei. Me sinto estranho. Acho que sou o único com essa idade que nunca beijou ninguém. :(

      Excluir
    2. Claro que não, isso é bobeira, futilidade total, o que você tem que se preocupar é em arrumar alguém pra casar, mas com essa idade nem com isso você tem que se preocupar, quando estiver chegando à casa dos 30 e ainda estiver sem ninguém aí sim se preocupe, por enquanto você ainda tem muito tempo para curtir a vida sem preocupações do tipo.

      Excluir
    3. Lucas, pensei em ir em uma balada e tentar beijar as meninas, aí quando eu tiver uma namorada vou saber como se faz. Um amigo meu que não é cristão ficou de me ajudar com isso.

      O que acha?

      Excluir
    4. Acho ridículo, ninguém precisa pecar para "aprender a beijar", se a sua futura namorada amar você de verdade ela não vai te abandonar só pelo beijo ser ruim, você pode aprender a beijar com ela e não com garotas que você nem vai lembrar do nome e nunca mais verá na vida.

      Excluir
  57. Pelo que eu vi em outro site, as citações do Clemente de Alexandria são do livro "The fathers of the church"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso não é um livro de Clemente, significa apenas "Os Pais da Igreja", nenhum Pai da Igreja escreveu um livro com este título. Deve ser um livro de algum autor contemporâneo que coloca citações na boca dos Pais da Igreja.

      Excluir
  58. Nessa versão em inglês tem as fontes: http://www.earlychristiandictionary.com/Beards.html oq vc acha disso? Acha q devemos seguir os conselhos dos pais?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nenhuma das referências é de um livro escrito pelos Pais da Igreja, são apenas de livros escritos sobre eles, não tem a fonte primária de nada que afirmam.

      Excluir
  59. Você poderia fazer um texto refutando o movimento chamado feminismo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é a minha área, mas posso desenvolver alguma coisa sim. Recomendo os escritos de quem é do ramo, principalmente a Cris Corrêa que entende bastante do assunto.

      Excluir
  60. O teologo John MacArtur diz que o texto de Exodo 32:33 não se refere ao livro da vida. Você poderia dizer algo sobre isso.Veja o trecho dele:

    DESTRUINDO a HERESIA do "riscarei o nome do livro da vida"!
    Êxodo 32.33, alguns argumentam, apóia a ideia que Deus pode remover o nome de alguém do Livro da Vida. Nessa passagem, o Senhor diz a Moisés que “aquele que pecar contra mim, a este riscarei do meu livro”. Não há contradição, contudo, entre essa passagem e a promessa de Cristo em Apocalipse 3:5. O livro mencionado em Êxodo 32:33 não é o Livro da Vida descrito em Filipenses 4:3, e mais tarde em Apocalipse (13:8; 17:8; 20:12, 15; 21:27). Pelo contrário, refere-se ao livro dos vivos, o registro daqueles que estão vivos (cf. Sl. 69:28). A ameaça, então, não é a condenação eterna, mas a morte física.
    Nos dias de João, os governantes mantinham um registro dos cidadãos da cidade. Se alguém morresse, ou cometesse um crime sério, seu nome era riscado desse registro. Cristo, o Rei do céu, promete jamais riscar o nome de um cristão verdadeiro do rol daqueles cujos nomes foram “escritos,desde a fundação do mundo, no livro da vida do Cordeiro que foi morto” (Ap. 13:8)

    Fonte: Trecho do capítulo 4 do Macarthur’s New Testament Commentary: Revelation, de John Macarthur, Jr.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Argumentação boba, ele faz uma distinção completamente inexistente no hebraico, o termo "עונם ואל" pode perfeitamente ser traduzido por "livro da vida", porque a palavra hebraica "chay" significa tanto "viventes" como "vida" (Strong, 2416). É por isso que várias versões traduzem o Salmo 69:28 como "livro da vida", em vez de "livro dos viventes" (ex: NVI e SBB). O que os textos citados do NT fazem é simplesmente traduzir a mesma expressão ao grego, para "livro da vida". Trata-se DO MESMO livro. O Novo Testamento simplesmente faz alusão ao mesmo livro descrito no Antigo, o próprio apóstolo João fazia muitas alusões ao Antigo Testamento no Apocalipse. Portanto a distinção que ele faz é grosseira e supérflua.

      O texto do Apocalipse NÃO DIZ o que ele afirma que diz, em momento nenhum é dito que nenhum nome jamais é riscado do livro da vida, pelo contrário, é afirmado:

      "O vencedor será igualmente vestido de branco. Jamais apagarei o seu nome do livro da vida, mas o reconhecerei diante do meu Pai e dos seus anjos" (Apocalipse 3:5)

      Ou seja, apenas aquele que vencer (ou seja, que perseverar até o fim) é que nunca será apagado do livro da vida. O texto deixa implícito que o que não perseverar terá seu nome apagado sim, senão não faria sentido dizer isso. Se só o que vence não tem o nome riscado, é porque é possível ter o nome riscado (ou seja, ao que não vence).

      A outra distinção que ele faz é novamente espúria, o texto de Êxodo 32:33 não está falando de morte física, porque fisicamente TODOS morrem, tanto o justo como o ímpio. E também não está falando de um registro dos "governantes da cidade", porque Deus diz claramente "o MEU livro", e não um livro humano. Ele estava falando claramente do seu próprio livro, o livro dos salvos e perdidos, e não de um livro de governantes terrenos sobre uma morte física.

      Excluir
  61. Lucas gostara se possível fosse, que desse uma olhada e avaliada nas ideias desse post que escrevi! https://exateus.com/2016/10/01/contribuicoes-do-protestantismo-para-a-civilizacao-ocidental/

    A Paz,

    José Domingos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito bom o seu artigo, bem escrito e bem fundamentado, parabéns! A única coisa que eu recomendaria seria tirar a citação a Tolkien na parte referente à literatura, pois ele era católico e não cai bem numa lista que visa ressaltar autores protestantes como C. S. Lewis e os outros citados.

      Grande abraço!

      Excluir
    2. Obrigado pela atenção Lucas!

      Alteração feita!

      Abraço!

      Excluir
  62. Lucas vc sabia que alguns pastores repudiam o divorcio ate mesmo em caso de traição e dizem que o texto de mateus 19:9 que abre uma exceção ao divorcio está sendo interpretado errado, pois o correto para isso é ir no original grego. Assim, mesmo que a pessoa tome chifre ela tem que ficar solteira e não pode casar de novo. Só se casa de novo em caso de viuvez. Portanto, a confissão de westminster está errada nisso.Até o granconato disse que a CFW está errada nisso.Veja a explicação dele de Mt 19:9 a a partir dos 44 min: https://www.youtube.com/watch?v=9KMsJQme4MQ

    Veja esses outros links:A leitura dessa explanação exegética acerca do tema foi muito bem feita. Leia quando puder:
    http://joaopaulopadilha.blogspot.com.br/.../divorcio-nao...

    Este texto também é ótimo:
    https://www.facebook.com/jp.camila.5/posts/1050148485104118:0

    Esse vídeo que o JP citou é um ótimo vídeo sobre o assunto:
    https://www.facebook.com/jp.camila.5/posts/1053018208150479?pnref=story.unseen-section

    Esta explicação é suficiente para esclarecer o assunto:
    https://www.youtube.com/watch?v=HhqnevSw8j8

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Respeito a opinião deles, mas não é isso o que os léxicos do grego afirmam. Neste caso específico, a maioria dos teólogos está certa, o divórcio é permitido em casos de adultério.

      Excluir
    2. Mas eles usaram o grego nisso. Veja os vídeos ou leia os artigos. Eles diferenciam a palavra porneia de morkeia.

      Excluir
    3. Todos os dicionários de grego do planeta incluem adultério no conceito de porneia. Pra mim isso basta.

      Excluir
  63. Olá Lucas.
    Qual é a mensagem que o enigmático Eclesiastes quis dizer em seu livro? Qual a razão de seu aparente pessimismo (ou ceticismo)? Por que tão poucos cristãos se interessam por sua mensagem? O que fez todo otimismo de provérbios desaparecer no Eclesiastes?
    Obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eclesiastes parte do princípio de que esta vida não faz sentido, exceto se com vista à outra (a vida póstuma que se obtém na ressurreição). Essa vida em si mesma, por si só, é completamente sem sentido, e ele está certo em fazer aquelas reflexões.

      Há grande diferença entre Eclesiastes e Provérbios porque o primeiro é mais uma reflexão filosófica, ao passo em que o segundo são sentenças que servem de instrução para a vida. O tom dos livros é diferente porque a natureza deles é distinta.

      Muitas pessoas não se interessam por Eclesiastes porque não se interessam em literatura filosófica ou reflexiva, por isso preferem os livros de outros gêneros. Mas isso varia do gosto de cada um, eu pessoalmente gosto de Eclesiastes mais do que de Provérbios.

      Abs.

      Excluir
  64. Lucas você abandonou o blogue "Ateísmo Refutado"?Eu recentemente te fiz uma pergunta por lá,sobre o trabalho de Bart Ehrman, um historiador ex cristão, que inclusive é formado em teologia e já foi pastor de uma igreja,eu tenho dois livros dele,"Como Jesus se tornou Deus ",e o "O que Jesus disse e o que a Jesus não disse",sua teoria é a de que Jesus foi um profeta apocalíptico,que segundo ele estes se tornaram comuns conforme o imperialismo grego,e posteriormente o romano ocuparam a região da Palestina,os judeus ansiavam por libertação,e a partir daí esses profetas pregavam a intervenção divina contra os invasores, e a vinda do Messias para liberta-los,João Batista foi um desses profetas,e de acordo com Ehrman,Jesus começou como seu seguidor,e construiu seu próprio ministério.Segundo ele,a idéia da divindade de Cristo surgiu porque depois de sua crucificação,a mensagem foi se espalhando entre os vários habitantes da Palestina,e conforme as idéias circulavam só pela oralidade por décadas, as histórias são deturpadas, já que ele diz que o próprio Cristo nunca afirmou ser divino,já que o livro que o apresenta como divino, é apenas o Evangelho de João, o último a ser escrito,o de Marcos,o primeiro a ser escrito,quando o jovem rico o chama de bom mestre,ele diz que bom é Deus,notando uma separação, ele afirma tbm que os evangelhos não foram escritos pelos apóstolos que o assinam,já que estes,com excecao de Lucas seriam provenientes da classe baixa da Galiléia, e não saberiam a língua grega,ele afirma que seguidores gregos posteriores assinaram como se fossem os discípulos, eu sou cristão praticante,firme na fé, não acredito na teoria do Bart Ehrman, mas não sei como refuta-la

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dizer que os discípulos não poderiam saber grego só porque eram da Galileia é uma generalização barata e uma conclusão bastante precipitada. Seria o mesmo que dizer, por exemplo, que ninguém no sertão do nordeste sabe inglês. É claro que muita gente lá não sabe, mas afirmar que são todas, seria uma generalização descabida. Além disso, é preciso observar que eles não escreveram o evangelho nos anos em que conheceram Jesus, mas décadas mais tarde. É perfeitamente possível que eles tenham aprendido o grego ao longo destas décadas que se passaram. Nesta época eles não eram mais meros pescadores. Por fim, é preciso observar que em muitos casos não eram os próprios apóstolos que escreviam, mas um escriba. Se realmente um evangelista não sabia grego, ele podia recitar em hebraico e o escriba (conhecedor do grego) escrevia traduzido para este idioma. Portanto, absolutamente nada impede que o conteúdo presente nos evangelhos tenha vindo mesmo dos apóstolos, e assim a Igreja sempre reconheceu desde os seus primórdios.

      Não é verdade que João é o único evangelho que fala da divindade de Cristo. Ele entendeu errado o texto do "bom mestre" em Marcos. Jesus não estava dizendo que ele não é Deus, é justamente o contrário, ele estava mostrando àquele jovem que o que ele dizia levava à conclusão de que ele era Deus. Ele o havia chamado de "bom", Jesus não nega isso, ele não diz "eu sou ruim e não bom", ele apenas diz que só Deus é bom, o que leva à conclusão inevitável de que ele era Deus. Ou seja, Jesus estava mostrando àquele rapaz que as suas próprias palavras o levavam a assumir algo que, provavelmente, ele hesitava em reconhecer (a divindade de Cristo).

      Abs!

      Excluir
  65. Ao menos a afirmação que os discípulos não seriam os autores originais do evangelho está correta?Porque eu já ouvi essa versão, mesmo de cristãos, que por exemplo João que era um pescador simples da Galiléia seria analfabeto inclusive,só falava aramaico,não poderia escrever em grego,eu acho que pode até ser real, mas ele usa esse argumento para dizer que como este evangelho foi o último a ser escrito,a idéia da divindade de Cristo só surge nesse evangelho,já que Marcos,Mateus e Lucas,não o apresentAM com divino,Marcos,o primeiro evangelho a ser escrito,nem menciona o nascimento miraculoso,ele acha que os evangelhos se contradizem

    ResponderExcluir
  66. Eu sou cristão, amo a Cristo, e peço que me ajudes a descontruir os argumentos do Ehrman,porque por exemplo, a idéia de que João fosse analfabeto, faz sentido,de fato as pessoas da classe baixa no mundo antigo eram analfabetas, e não falavam grego,grego era o idioma elegante da época, universal, um pescador palestino não saberia grego,como dificilmente um pescador do litoral nordestino, ou um camponês da mesma região sabera inglês, a Galiléia era um região bem pobre.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gabriel Tavares, desculpe
      Me intrometer no seu debate. Eu
      Não sei onde arrumaram que alguns discípulos - se não todos - eram analfabetos. Por outro lado, ser pescador numa região onde a indústria da pesca imperava, não significa que o quadro apresentado seja pequeno: pescadores, humildes, vilas, ignorantes e analfabetos.

      Pedro e João eram grandes. Tiago e João eram sócios de Pedro no ramo da pesca (Lc 5:10). Algumas traduções trazem a palavra sócios ao invés de companheiros.

      A pesca era um negócio próspero. Além disso, alguns deles eram proprietários de barcos e empregavam outros homens.

      Alon


      Excluir
    2. Veja isso

      Os neo-ateus que fazem essa afirmação se baseiam em Atos 4:13:

      "Então eles, vendo a ousadia de Pedro e João, e informados de que eram homens sem letras e indoutos, maravilharam-se e reconheceram que eles haviam estado com Jesus".
      Atos dos Apóstolos 4:13

      A palavra grega traduzida como "sem letras" ou "iletrados" nesse versículo foi "άγράμματοί". Ao usar essa palavra, Lucas, o autor de Atos não está afirmando que Pedro e João eram analfabetos, mas que eles eram homens "comuns", "humildes", "sem muita instrução". Eles não eram eruditos ou doutores da Lei, mas homens do povo.

      Ben Whiterington III é um acadêmico norte-americano e autor de mais de 30 livros de investigações sobre o Jesus histórico. É também professor no Seminário Teológico de Asbury, nos Estados Unidos e no programa de doutoramento na Universidade de St Andrews, na Escócia. Segundo ele, o melhor significado para o termo [άγράμματοί] seria algo como "não treinado na lei judaica". Pedro e João estavam sendo acusados de não terem recebido instrução de rabinos e, portanto, não tinham o direito de citar as Escrituras Hebraicas, como eles estavam citando e interpretando (he Acts of Apostles: A Socio-Rhetorical Commentary (Grand Rapids, MI: Eerdmans, 1988), p. 195-197).

      Russell N. Champlin, Ph.D em línguas clássicas e bacharel em literatura bíblica parece concordar com Ben Whiterington III:

      “A referência especial [...] sem dúvida diz respeito a cultura rabínica, e não a educação elementar dos apóstolos. Pedro não exibia o refinamento de linguagem que um rabino culto geralmente empregava. [...] Não haviam os apóstolos sido criados aos pés dos doutos, em qualquer das escolas e universidades dos judeus”. (Russell N. Champlin, Ph.D - Novo Testamento, Interpretado Versículo por Versículo).

      Ao contrário do que muita gente pensa, dificilmente existiria um analfabeto entre os judeus daquela época, pois nas sinagogas existiam também escolas, onde os jovens eram instruídos no ensino da Torá. Aos 13 anos de idade os meninos já estavam aptos a fazer o rito de iniciação chamado Bar Mitzvah. Durante esse rito o menino lia e interpretava uma passagem das Escrituras diante da comunidade.

      “Os judeus do primeiro século eram um povo inteligente, com forte senso de apreciação da cultura. [...] Na época do Novo Testamento, muitas famílias possuíam exemplares do Torá, e os pais ensinavam regularmente a seus filhos.[...] A maioria do povo sabia ler não apenas em, sua língua nativa, mas também em grego e latim. [...] Nos dias de Cristo, a escola já era coisa comum, e que o povo não era apenas alfabetizado, mas realizava estudos avançados em filosofia, línguas, matemática e outras disciplinas. [...] Para avaliação da aprendizagem, os alunos tinham que recitar longas passagens das Escrituras com perfeição. É por isso que tanto Jesus quanto outros conheciam tão bem as Escrituras. [...] Embora as Escrituras fossem a base da educação de um israelita, não era absolutamente a única disciplina. Eles estudavam também literatura, escrita, música, matemática, engenharia, direito.”(Coleman, Manual dos Tempos e Costumes Bíblicos, Ed. Betânia).

      Pedro

      Que Pedro era um homem rude e humilde, todo leitor da bíblia sabe. Mas nem por isso podemos dizer que ele era analfabeto. Pedro se identifica como autor de dois livros do Novo Testamento (1Pedro e 2Pedro). O primeiro livro foi escrito com a ajuda de um escriba chamado Silvano (1Pedro 5:12), mas o segundo livro parece ter sido escrito de próprio punho, onde Pedro empregou seu próprio grego galileu singelo.

      Fonte: http://neoateismodelirante.blogspot.co.uk/2014/03/pedro-e-joao-eram-analfabetos.html?m=1

      Excluir
  67. Conhece Abraham Kuyper? Caso positivo, o que acha dele?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não conheço o bastante para formar uma opinião sobre ele, mas todos falam bem dele.

      Excluir
  68. Caraca, 182 comentários no blog! Vai chegar aos 200! Sendo o #Anti-First em muitas postagens, quero participar disso!

    #PostDeNúmero200

    ResponderExcluir
  69. O que vc pensa sobre usar a cruz vazia na igreja ou no pescoço? E crucifixos (na igreja e no pescoço)? Sem prestar culto mas só por enfeite. vejo que muitos luteranos usam crucifixos ou imagens nas igrejas deles. Em cima do altar e até se viram para elas, qual sua opinião sobre isso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não vejo problema algum, é como um enfeite, usa quem quiser. O problema é quem usa isso como uma espécie de amuleto da sorte, mas não acho que algum luterano esclarecido pense assim, tal como muitos leigos católicos fazem.

      Excluir
  70. Lucas,como a salvação era vista pelos pais da Igreja? Oq vc acha do didaquê?
    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A maioria dos Pais cria na justificação pela fé tal como os reformados, sobre isso o Bruno Lima escreveu estes artigos:

      http://respostascristas.blogspot.in/2016/04/justificacao-somente-pela-fe-sola-fide.html

      http://respostascristas.blogspot.in/2016/04/justificacao-somente-pela-fe-sola-fide_29.html

      A Didaquê é um ótimo escrito, praticamente todo ele com forte embasamento bíblico e sem nenhuma heresia.

      Excluir