22 de dezembro de 2014

O novo e bombástico argumento católico: "Vocês são ridículosssssssss!" (by Papalfa)


Antes de tudo, eu não morri, não fiquei três meses de férias no Caribe e muito menos me “converti” ao catolicismo. Peço desculpas a todos os leitores deste blog pelo tempo de inatividade (creio que o maior desde a sua criação), pois meu último artigo data do dia 13 de setembro, há mais de três meses, portanto. Neste período eu dediquei meu tempo de escrita totalmente ao meu novo livro (ainda em construção), que é uma refutação ao livro “Deus, um Delírio” (de Richard Dawkins), que deve ser em número de páginas o maior livro que já escrevi até hoje.

Como não conseguiria conciliar bem os assuntos deste blog com a escrita do livro, decidi dar um tempo no blog, e neste período eu propositalmente não li quase nenhum comentário enviado pois sabia que não teria como responder a todo mundo. Peço, portanto, minhas sinceras desculpas a todos os que me escreveram nestes três meses. Ontem eu li e aprovei (e em muitos casos respondi) a dezenas de comentários que me foram enviados neste intervalo, e não pretendo novamente ficar tanto tempo ausente, mesmo porque o livro já está em seus capítulos finais e creio que ficará pronto no começo do ano que vem.

Mas para que este post seja algo mais interessante que uma simples notificação, decidi selecionar um comentário de um hater que comentou o seguinte no artigo "Os horrores da transubstanciação", no dia 17 do mês passado:

“Lucas, como todo protestante vc usa de malabarismos para tentar justificar a doutrina herética que segue, só para ilustrar as passagens que citou inutilmente “Eu sou a luz do mundo” (João 9:25), só que vc tem que ter em mente que Jesus nunca falou realmente que ele era verdadeiramenteuma lampada encandecente, fluorescente ou led; “Eu sou a porta” (João 10:9) só que nunca Jesus falou que ele era verdadeiramenteuma porta de madeira, metal ou vidro; ou “Eu sou o caminho” (João 14:6) só que nunca Jesus falou que ele era verdadeiramenteuma estrada ou rodovia, porém deixou explicito sim em São João 6, 54 - 56

6:54: Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna; e eu o ressuscitarei no ultimo dia. 
6:55: Porque minha carne verdadeiramente é comida, e o meu sangue verdadeiramente é bebida. 
6:56: Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele” 

E então ele termina o comentário inteligente dele desta forma super genial:

“Vcs chegam a ser ridiculosssssss”

É sério. Está lá, ele que escreveu, com todos os “ssssssss”, inclusive. Vamos trabalhar melhor com este argumento super bombástico que o nosso amigo com o nick de Papalfa(???) postou na tentativa de refutar o artigo. Ele(a) começa dizendo que eu fiz malabarismos para refutar a transubstanciação. Então ele(a) mostra como que se faz uma exegese séria, responsável e decente. Para ele, o que Jesus disse sobre ser a porta (Jo.10:9), sobre ser o caminho (Jo.14:6) e sobre ser a luz (Jo.9:25) não deve ser interpretado literalmente, pela única razão de que Jesus não disse que é “verdadeiramente” uma porta, “verdadeiramente” um caminho e “verdadeiramente” uma luz. Mas quando Jesus falou sobre comer sua carne ele disse o “verdadeiramente”, então é literal.

Então é assim: tudo aquilo que Jesus disse na Bíblia, mas sem usar o “verdadeiramente”, é alegórico. Devemos crer no sentido literal somente naquilo que Jesus disse usando o “verdadeiramente”. Se Jesus diz que ele é a porta, isso não significa que ele é uma porta, mas se ele diz que verdadeiramente é a porta, aí sim, olha a porta aí! Certo. Eu fico pensando como deve ser a vida deste sujeito. Use a imaginação e faça um teste. Como ele(a) deve estar na quarta série, enquanto joga futebol no recreio um aluno amiguinho dele(a) lhe diz:

– Papalfa(???), passa a bola!

Mas ele não passa e perde a bola. Depois este amiguinho, ao final do recreio, lhe diz:

– Papalfa(???), por que você não passou a bola? Eu estava livre!

– Você não estava falando sério. Não era literal.

– Mas por que, Papalfa(???)?

– Porque você só disse que queria que eu passasse a bola. Você não disse que queria que eu verdadeiramente passasse a bola. Se você tivesse dito “verdadeiramente”, eu ia saber que era literal. Sem o “verdadeiramente” não dá para saber o que é literal e o que não é.

Legal o(a) nosso amiguinho(a) Papalfa(???), não? Uma lógica retumbante. Um show. Ainda bem que ele não faz malabarismos.

Mas espere. Tem um problema, Papalfa(???). Um trágico problema. Você não deve saber, mas em João 15:1 Jesus emprega o termo grego alethinos, que significa “verdadeiro”, ao dizer:

“Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o lavrador” (João 15:1)

De acordo com a Concordância de Strong, alethinos significa:

228 αληθινος alethinos
de 227; TDNT - 1:249,37; adj
1) que tem não apenas o nome do objeto em consideração e semelhança com ele, mas que participa da essência do mesmo, correspondendo em todos os sentidos ao significado da ideia transmitida pelo nome. Real, genuíno, verdadeiro.
1a) oposto ao que é fictício, imitação, imaginário, simulado ou pretendido.
1b) contrasta a realidade com sua aparência.
1c) oposto ao que é imperfeito, frágil, incerto.
2) verdadeiro, verídico, sincero.

Mesmo assim, eu suponho (apenas suponho) que o(a) Papalfa(???) não creia que Jesus literalmente é uma videira, já que ele disse que é uma videira alethinos. Mas quando o evangelista usa uma palavra que é um sinônimo de alethinos e que provém da mesma palavra alethes que alethinos provém, e que tem o mesmo significado segundo os léxicos do grego, então “tem que ser literal”. Então tá.

Vamos mais além. Paulo diz em 1ª Timóteo 5:3:

“Honra as viúvas que verdadeiramentesão viúvas”

Vamos trocar o “verdadeiramente” pelo “literalmente”, como o(a) amiguinho(a) Papalfa(???) quer:

“Honra as viúvas que literalmentesão viúvas”

Será que Paulo estava dizendo que existiam viúvas que não eram literalmente viúvas? Que o marido delas não havia morrido direito? Não, não, é claro que não. “Verdadeiramente” está, obviamente, em sentido espiritual. Refere-se, diante do contexto, às viúvas que são piedosas (1Tm.5:4; v. tb. 1Tm.5:5). O “verdadeiramente” não traz ao texto o sentido de literalidade que ele tanto quer. Ou tome João 8:36, que o(a) Papalfa(???) também não deve conhecer:

“Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres”

Será que Jesus estava falando de uma prisão literal? É claro que não. Ele estava falando da prisão espiritual, da prisão do pecado. O “verdadeiramente” não traz magicamente um sentido literal ao texto, como o(a) Papalfa(???), que não faz malabarismos, quer.

Um texto judaico diz que “o homem que não aceita crítica não é verdadeiramente grande”. Papalfa(???) deve pensar que o autor do referido texto estava falando sobre ser grande em sentido literal, como Oscar Schmidt. Pois é. Mas de todos os exemplos do “verdadeiramente” em sentido espiritual, não há qual supere aquele que diz para “verdadeiramente” comer a carne de outra pessoa, o que, se fosse literal, seria nada a menos que um convite ao abominável canibalismo. Graças a Deus que o “verdadeiramente” é alegórico. Não queremos canibalistas por perto.

Paz a todos vocês que estão em Cristo.

Por Cristo e por Seu Reino,
Lucas Banzoli (apologiacrista.com)


-Meus livros:

-Veja uma lista completa de livros meus clicando aqui.

- Acesse o meu canal no YouTube clicando aqui.


-Não deixe de acessar meus outros sites:
Apologia Cristã (Artigos de apologética cristã sobre doutrina e moral)
O Cristianismo em Foco (Reflexões cristãs e estudos bíblicos)
Estudando Escatologia (Estudos sobre o Apocalipse)
Desvendando a Lenda (Refutando a Imortalidade da Alma)
Ateísmo Refutado (Evidências da existência de Deus e veracidade da Bíblia)

12 comentários:

  1. Excelente análise, Lucas! Que bom que você está de volta, seja bem-vindo!

    ResponderExcluir
  2. Oi lucas, tudo bem ?
    Muito boa analise...

    Agora que vc vai acabar esse livro, vc poderia escrever um livro sobre os apocrifos, sobre como a Biblia chegou até nós, se a ICAR que selecionou os livros, o que é essa bendita septuaginta, se ela foi usada pelos apostolos e por Jesus, refutar a lista de textos apocrifos citados no NT

    Alias vc tb poderia escrever um livro sobre historia da igreja usando a patristica, mostrando como era a igreja primitiva.... citando desde a didaque ate os pais da igreja em ordem crescente e era tudo catolico romano mesmo....

    T+++
    Matheus...

    ResponderExcluir
  3. kkkkkkkkk esses assuntos já bombam nas comunidades catolicas e o rafael fez até livro sobre isso....
    como ateus são apenas 3% da população, refutar catolicos é mais importante que refutar ateu kkkkk

    E como só vc sabe sobre esse assunto, só vc é capaz de escrever livros sobre isso.. kkk

    T+++
    Matheus...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sei, mas eu não escrevo para converter os 3% de ateus, mas para fortalecer a fé dos 97% de não-ateus.

      Excluir
  4. hauahuhauhuah [rindo do comentário acima]
    Lucaaaas *O* A-DO-RO seu senso de humor.... Tudo o que você disse é verdadeiramente verdade! (y)
    "doutrina herética" hauhauha Como assim? Somos nós mesmo que temos uma doutrina herética? Metido sobre como eles conseguem ser tão cegos... Tinha que ter "papa/papal" no nome....

    ResponderExcluir
  5. Lucas, eu estava verdadeiramente com saudades de suas postagem.


    Sandro

    ResponderExcluir
  6. Kkkkkk Coitado desse Papalfa, lançou rojão e recebeu bomba atômica. Uma sugestão é desmascarar os frequentes disparates e balelas do Paulo Ricardo, o guru dos católicos romanos tradicionalistas. Bom retorno!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já tenho alguns artigos refutando certas bestialidades deste padre, por exemplo:

      http://apologiacrista.com/index.php?pagina=1079634538

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2014/01/o-terceiro-tiago-o-irmao-de-jesus.html

      Há muita coisa que ele prega que também já foi tratada aqui, sem citar pessoalmente o nome dele, mas refutando os seus argumentos. O padre Paulo não é mais que um papagaio dos apologistas católicos americanos, tudo o que ele fala já é conhecido de todo mundo, pode ver no menu da direita que tudo o que ele fala já foi rebatido, mesmo sem citá-lo pessoalmente. Mas se você quiser que eu refute algum vídeo ou artigo dele em especial (algum em que ele diga algo de novo e que ainda não foi refutado aqui) sinta-se livre e a vontade para postar um link aqui, que eu postarei uma refutação aqui nos próximos dias.

      Abraços!

      Excluir

Seu comentário será publicado após passar pela moderação. Ofensas, deboches, divulgação de páginas católicas (links), control c + control v e manifestações de fanatismo não serão aceitos. Todos os tipos de perguntas educadas são bem-vindas e serão respondidas cordialmente. Caso o seu comentário ainda não tenha sido liberado dentro de 24h, é possível que ele não tenha chegado à moderação, e neste caso reenvie o comment.