Maria é mãe de Deus (Theotókos)?


No tópico “Breve resumo de heresias católicas (P4)”, eu expus, dentre outros temas, o do dogma católico mariano de que Maria é “mãe de Deus”. Na caixa de comentários, algumas questões foram levantadas, tais como:

Se Nestório cometeu heresia e por isso foi condenado pela Igreja.

Se Lucas 1:43 constitui uma base ou afirmação de que Maria seja mãe de Deus.

Se existem evidências históricas remetentes aos apóstolos de que Maria seja mãe de Deus.

Irei, portanto, resumir cada um destes três pontos abordados.

Sobre a primeira questão, não, Nestório não era um “herege”. Ao contrário, ele tentou restaurar o princípio bíblico de que Maria é “Christotokos” (mãe de Cristo), enquanto havia pessoas que ensinavam que ela era “Theotókos” (mãe de Deus). Para ele, a questão não era tão simples quanto dizer que (1) Jesus é Deus; (2) Maria é mãe de Jesus; então (3) Maria é mãe de Deus. Prova disso é que, usando silogismos semelhantes, poderíamos concluir que Jesus “pecou”, pois (1) todos os homens pecam; (2) Jesus foi homem; logo (3) Jesus pecou. É óbvio que as Escrituras afirmam que Jesus foi sem pecado, mas um silogismo semelhante ao utilizado pelos católicos poderia nos demonstrar o contrário.

Além disso, eles se utilizam de outros silogismos semelhantes, para provar igualmente os outros dogmas marianos. Por exemplo: (1) O puro não pode nascer do impuro; (2) Jesus era puro; portanto (3) Maria é imaculada. Se lermos Jó 14:4, vemos que a premissa nº 1 está correta. Contudo, isso não significa que a conclusão (3) é certa, visto que, por essa mesma lógica, Maria (pura) também não poderia nascer de alguém impuro; logo, pelo mesmo silogismo chegamos à conclusão de que a mãe de Maria também é imaculada.

Mas não para por aqui. Se a mãe de Maria é imaculada e o puro não pode nascer do impuro, então a avó de Maria também é imaculada. E assim por diante: bisavó, tataravó... até chegar em Eva... todos sem mácula! É evidente, portanto, que aqueles que chegam à “conclusão” de que Maria é mãe de Deus pelo simples silogismo demonstrado acima incorrem na mesma falácia apresentada nos outros pontos.

Além disso, silogismos semelhantes ao utilizado pelos católicos também podem ser usados para se voltar contra eles mesmos. Por exemplo: (1) Maria não é mãe do Pai; (2) O Pai é Deus; logo (3) Maria não é mãe de Deus. E também: (1) Maria não gerou o Espírito Santo; (2) O Espírito Santo é Deus; portanto (3) Maria não é mãe de Deus. Curiosamente, os silogismos utilizados pelos fanáticos marianos voltam-se contra eles mesmos quando os analisamos cuidadosamente.

E era exatamente essa a questão que Nestório abordava: dizer que Maria é ou não é mãe de Deus não é tão simples assim quanto aquele silogismo, mas devemos entrar em termos mais profundos se quisermos chegar a uma conclusão mais segura. Pois, aparentemente, não há qualquer problema com o silogismo católico; porém, quando analisamos mais de perto, descobrimos como Nestório que:

(1)Só se é mãe daquilo que gera.
(2)Maria não gerou a divindade de Cristo, mas a humanidade.
(3)Logo, Maria é mãe de Jesus enquanto homem, e não de Deus.

Em outras palavras, Maria é mãe somente da humanidade de Cristo, e não de sua divindade, que já existia muito antes de Maria. Logo, a conclusão que chegamos é que Maria é mãe de Cristo (Christotokos), e não mãe de Deus (Theotókos), como dizem os católicos.

Sobre Nestório ter sido acusado de “heresia” pelo Concílio de Éfeso (431 d.C), devemos, em primeiro lugar, ressaltar que a infalibilidade não provém dos concílios, mas da Bíblia. Se os concílios fossem infalíveis e inerrantes, então não haveria discussão sobre quais são os concílios válidos, pois todos seriam válidos igualmente. Prova disso é que os católicos romanos aceitam 21 concílios, enquanto os ortodoxos adotam apenas sete.

Ademais, se os concílios fossem infalíveis (independente de serem ecunêmicos ou locais), então teríamos que adotar o cânon bíblico com sete livros a mais, adotado em Hipona e Cartago, que difere tanto de protestantes como de católicos, visto que Cartago adicionou um livro a mais, não presente nas versões católicas aprovadas em Trento, que é o livro de 1ª Esdras[1]. Vale ressaltar que anteriormente o Concílio de Laodiceia já havia, em 364 d.C, deixado de fora todos os apócrifos, à exceção de Baruque[2].

Além disso, temos que lembrar que houve concílios que são mutuamente excludentes por pregarem doutrinas contrárias entre si. Muitos deles pregaram doutrinas duvidosas que não são aceitas nem pela Igreja Católica Romana atual, muito menos pelas igrejas evangélicas. Por exemplo, o cânon I de Niceia (considerado ecunêmico) determina que “eunucos podem ser recebidos entre os clérigos, mas não serão aceitos aqueles que se castram. Quero ver que igreja protestante (ou mesmo católica) que adota essa postura hoje!

Os evangélicos também não aceitam o Cânon III de Niceia, que proíbe o clero de ter mulher em sua casa, exceto sua mãe, irmã e pessoas acima de qualquer suspeita[3]. E a lista vai longe! Portanto, o evangélico que afirma que Nestório é “herege” simplesmente por ter sido condenado pelo Concílio de Éfeso dá um tiro no próprio pé, pois eles mesmos não seguem muitas ordenanças presentes nos concílios ecunêmicos e que vão frontalmente contra os seus ensinos (e o mesmo vale para o lado romanista).

Tertuliano foi considerado “herege” pela Igreja da época, foi excomungado, se uniu aos montanistas e depois criou o seu próprio segmento religioso, e nem por isso católicos e evangélicos deixam de citar abundantemente os escritos do grande teólogo Tertuliano em todos os seus ensinos. Sendo assim, condenar Nestório como herege pelo simples fato de que parte da Igreja da época e um concílio assim o consideravam, é no mínimo um ato de imaturidade, cometido por “apologistas” principiantes e amadores, que pensam que a Igreja no século V (época de Nestório) pregava todas as doutrinas harmônicas da mesma forma que se encontram nas Escrituras!

Além disso, fica patente o fato de que a Igreja não tinha uma posição "oficial" com relação a isto, e que as opiniões eram divididas isso podemos evidenciar no próprio Concílio de Éfeso. O bispo Celestino, de Roma, se juntou ao lado de Cirilo, que tomou conta do Concílio, abrindo as discussões sem esperar a chegada da já muito atrasada comitiva de bispos orientais de Antioquia, que eram a favor de Nestório. Sendo assim, eles condenaram Nestório sem dar a devida oportunidade para a defesa e para ouvir ambos os lados.  

Contudo, conforme o Concílio progredia, João I de Antioquia e os bispos orientais chegaram e ficaram furiosos ao saber que Nestório já havia sido condenado. Eles se reuniram num sínodo próprio e depuseram Cirilo. Ambos os lados apelaram ao imperador e ele inicialmente ordenou que ambos fossem exilados. Porém, Cirilo eventualmente retornou após subornar vários membros da corte imperial[4]! Essa história não é contada por eles, pois eles só contam meia parte da história, ocultando verdades fundamentais que desmentem a manobra deles.

Sobre a segunda questão, Lucas 1:43 não fala absolutamente nada sobre Maria ser “mãe de Deus”. Afirmar isso é ir além daquilo que está escrito (1Co.4:6). O texto bíblico diz apenas “mãe do meu Senhor”, e não mãe de Deus. No grego, a palavra utilizada para “Senhor” é “Kyrios” (kuriou). Este termo, aplicado a Jesus em Lucas 1:43, não é usado para se referir somente a Deus. Vejamos algumas referências a "Senhor" (kuriou) no Novo Testamento sem ser especificamente a Jeová:


Os donos de propriedades são chamados Senhor (Mt. 20:8, kurios é "dono" — NVI).

Os donos de casas foram chamados Senhor (Mc. 13:35, dono = kurios).

Os donos de escravos foram chamados Senhor (Mt. 10:24, senhor = kurios).

Os maridos foram chamados Senhor (1 Pe. 3:6, senhor = kurios).

Um filho chamou o seu pai Senhor (Mt. 21:30, senhor = kurios).

O Imperador romano era chamado Senhor (Actos 25:26, Sua Majestade = kurios).

As autoridades romanas foram chamadas Senhor (Mt. 27:63, senhor = kurios).

Portanto, se alguém alega que Lucas 1:43 é alguma "prova" de que Maria é "mãe de Deus", demonstra no mínimo uma grande imaturidade e patente falta de conhecimento bíblico. 

E, finalmente, sobre a terceira questão, não existe nenhuma evidência (repito: nenhuma evidência!) histórica que remete aos apóstolos e que nos diga explicitamente que Maria era mãe de Deus. A primeira e maior fonte histórica que remete aos apóstolos que possuímos hoje é o Novo Testamento, o qual faz 39 menções de Maria como sendo “mãe de Jesus” (Christotokos), mas absolutamente nenhuma de que seja “mãe de Deus” (Theotókos).

O primeiro que pregou Theotókos foi Irineu de Lyon, já no final do século II d.C. O parecer na Igreja não era uniforme com relação a isso, e não temos nenhuma evidência apostólica, ou do século I para início do segundo século AD, que demonstre que os cristãos da época criam em Theotókos. O único registro histórico conservado por um historiador da Igreja primitiva de um discurso feito por um apóstolo neste sentido foi o que Eusébio de Cesareia registrou do apóstolo Tadeu, que disse que Jesus depôs a sua divindade ao se fazer humano:


"E Tadeu respondeu: Agora guardarei silêncio. Mas amanhã, já que fui enviado para pregar a palavra, convoca em assembleia todos teus concidadãos, e eu pregarei diante deles, e neles semearei a palavra da vida: sobre a vinda de Jesus: como foi; e sobre sua missão: por que o Pai o enviou; e sobre seu poder, suas obras e os mistérios de que falou no mundo: em virtude de que poder realizava isto; e sobre a novidade de sua mensagem, de sua humildade e humilhação: como se humilhou a si mesmo depondo e reduzindo a sua divindade, e como foi crucificado e desceu ao Hades, e fez saltar o ferrolho que desde sempre prevalecia e ressuscitou mortos, e como, tendo descido só, subiu a seu Pai com uma grande multidão" (História Eclesiástica, Livro I, 13:20)
Significado de Depor

v.t. e v.i. Pôr de parte, pôr no chão, deixar alguma coisa que se trazia.

Portanto, para o apóstolo Tadeu (que conviveu com Cristo), Jesus depôs (abandonou) a sua divindade ao se tornar homem, sendo crucificado e morto pelos romanos. Daí podemos perceber que Deus não morreu na cruz (pois Deus possui a imortalidade – 1Tm.6:16), mas o homem Cristo Jesus que morreu na cruz, pois Deus não morre! E, da mesma forma que Deus não morre porque é imortal, Deus não tem mãe porque é eterno.

Por isso, sempre pergunto aos católicos: “Deus morreu na cruz”? As respostas são sempre divididas, na maioria das vezes dúbias e contraditórias, e não poucas vezes confusas. A verdade é que eles próprios resistem a dizer que Deus morreu na cruz, pois afirmar que Deus morre é o cúmulo da blasfêmia, nem o diabo crê numa coisa dessas. Mas, se Deus não morre, isso significa que Jesus morreu na cruz como homem. E, se o Jesus que andou aqui na terra era homem como todos nós, então Maria é mãe do Jesus humano, e não de Deus.


Deus morreu na cruz? Deus pode ter mãe? A resposta para ambas as perguntas é um sonoro: "Não"! Desta forma, vemos que as alegações católicas de respaldo para o dogma mariano de que Maria é mãe de Deus não passam de engodos, com apenas “aparência de sabedoria” (Cl.2:23), mas que, ao analisarmos mais de perto, vemos que não passam de “fábulas engenhosamente inventadas” (2Pe.1:16).

Paz a todos vocês que estão em Cristo.

Por Cristo e por Seu Reino,
Lucas Banzoli (apologiacrista.com)



-Meus livros:

-Veja uma lista completa de livros meus clicando aqui.

- Acesse o meu canal no YouTube clicando aqui.


-Não deixe de acessar meus outros sites:
Apologia Cristã (Artigos de apologética cristã sobre doutrina e moral)
O Cristianismo em Foco (Reflexões cristãs e estudos bíblicos)
Estudando Escatologia (Estudos sobre o Apocalipse)
Desvendando a Lenda (Refutando a Imortalidade da Alma)
Ateísmo Refutado (Evidências da existência de Deus e veracidade da Bíblia)


-Notas e referências:

[1] Para ler mais sobre isso, clique aqui ou aqui.

[2] Cânon 60 do Concílio de Laodiceia, 364 d.C.

[3] Leia o Concílio de Niceia completo aqui.

[4] John I., McEnerney. St. Cyril of Alexandria Letters 31-110. [S.I.]: Catholic University of America Press, 1998. 204 p. 151. Vol. 77.

Comentários

  1. Respostas
    1. BEM EXCLARECIDO MESMO; QUEM NASCEU DE MARIA FOI UM HOMEM, E NAO DEUS, JESUS É DEUS DESDE A ETERNIDE, QUEM É ETERNO JESUS OU MARIA? QUEM CRIOU QUEM? EM ISAÍAS 45,20 FALA QUE OS QUE CODUZEM EM PROSSIÇAO, IMAGENS DE ESCULTURA NADA SABE. O PAPA E OS PADRES E OS QUE LHES SEGUEM NADA SABEM, DIZ A BIBLIA

      Excluir
  2. Muito bom Lucas, já desconfiava das manobras feitas para destruir Nestório.

    Na verdade, Maria jamais foi mãe de Deus. Maria gerou uma pessoa, que veio ao mundo como veio todos os homens. Maria gerou um filho...

    Observe o que o Anjo disse a ela no momento da anunciação,

    Lucas 1

    31 "E eis que em teu ventre conceberás e darás à luz um filho

    Agora observe você que assustador para os católicos, o mesmo anjo diz alguns versículos depois para Maria

    36 E eis que também Isabel, tua prima, concebeu um filho"

    João Batista e Jesus nasceram como filhos, eram gente, pessoas geradas no planeta terra!

    Outra coisa, atente aqui quando mudo o nome de Jesus para o de Deus, e repara se não fica totalmente sem contexto. Observe voce que Deus foi embalsamado,

    Lucas 12 de 1 a 7

    "Deram-lhe, pois, ali, uma ceia; Marta servia, sendo Lázaro um dos que estavam com ele à mesa.

    Então, Maria, tomando uma libra de bálsamo de nardo puro, mui precioso, ungiu os pés de Jesus e os enxugou com os seus cabelos; e encheu-se toda a casa com o perfume do bálsamo.

    Por que não se vendeu este perfume por trezentos denários e não se deu aos pobres?

    DEUS, entretanto, disse: Deixa-a! Que ela guarde isto para o dia em que me embalsamarem"

    Olhe como embalsamaram Deus. E ainda trocando o nome de Jesus pelo de Deus,

    João 19 de 38 a 42

    Depois disso José de Arimatéia pediu a Pilatos o corpo de DEUS. José era discípulo de DEUS, mas o era secretamente, porque tinha medo dos judeus. Com a permissão de Pilatos, veio e levou embora o corpo.

    Ele estava acompanhado de Nicodemos, aquele que antes tinha visitado DEUS à noite. Nicodemos levou cerca de trinta e quatro quilos de uma mistura de mirra e aloés.

    Tomando o corpo de DEUS, os dois o envolveram em faixas de linho, juntamente com as especiarias, de acordo com os costumes judaicos de sepultamento.
    No lugar onde DEUS foi crucificado havia um jardim; e no jardim, um sepulcro novo, onde ninguém jamais fora colocado.

    Por ser o Dia da Preparação para os judeus e visto que o sepulcro ficava perto, colocaram DEUS ali

    1 a 0 pra Nestório!





    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perfeita as suas explanações, Alon!

      Aguardo com entusiasmo a criação do seu novo blog sobre este tema, para poder recomendá-lo aqui também.

      Abraços!

      Excluir
    2. Mas e a divindade de Jesus enquanto habitava na Terra? Eu não acredito que Jesus deixou de ser Deus para se tornar homem, mas se despiu de seus privilégios! Afirmando que Maria não é mãe de Deus vcs estão afirmando que Jesus não era Deus em carne ( Deus se fez carne jo1) não deixou de ser Deus, mas "Deus" se tornou carne!!

      Excluir
    3. Leia este artigo:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2012/11/jesus-cristo-veio-100-em-carne-ou-era.html

      Excluir
    4. Imaculada Santíssima Maria: Deuteronômio 28,15. Mas se NÃO obedeceres à voz do Senhor, teu Deus, se não praticares CUIDADOSAMENTE """""TODOS""""" os seus MANDAMENTOS e TODAS AS SUAS LEIS que hoje te prescrevo, virão sobre ti e te alcançarão todas estas maldições:
      (...)
      18. será """"maldito o fruto de tuas entranhas,"""""

      São Lucas 1,28. Entrando, o anjo disse-lhe: Ave, cheia de graça, o Senhor é contigo.
      (...)
      30. O anjo disse-lhe: Não temas, Maria, pois encontraste graça diante de Deus.
      (...)
      41. Ora, apenas Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança estremeceu no seu seio; e """"Isabel ficou cheia do Espírito Santo."""""
      42. E exclamou em alta voz: Bendita és tu entre as mulheres e """""bendito é o fruto do teu ventre."""""""

      Excluir
    5. Você realmente acha que Maria é a única a cumprir positivamente Deuteronômio 28?

      Sério, eu to rindo de você até agora...

      Vai ler Deuteronômio 28 inteiro e veja se aquelas maldições caíram em todos os israelitas:

      http://www.bibliaonline.com.br/nvi/dt/28

      Excluir
  3. Caro Lucas,

    Por gentileza, teria alguma fonte segura para me indicar sobre a igreja Nestoriana ou do Oriente, como também é conhecida? Gostaria de pesquisar mais sobre esta antiga denominação cristã, que segundo lí em um artigo muito superficial de determinado site, foi fundada pelo apóstolo Tomé. Obrigado e que Deus o abençoe!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Irineto.

      Até onde eu sei, a Igreja Nestoriana foi fundada por Nestório, no século V, de quem provém o próprio nome.

      De fato, não há muitas boas fontes sobre isso na internet. É por isso que é mais aconselhável pesquisar em Encilopédias que resumem os acontecimentos do que em sites que geralmente mostram uma visão tendenciosa voltada a dizer que "Nestório era um herege" e "criou uma seita", e partindo desta premissa eles já estão tendenciados a criar uma imagem falsa de Nestório e do nestorianismo. Na internet, a Enciclopédia mais conhecida é a da Wikipédia. Embora ela seja contestada (e com razão), fez um bom trabalho neste quesito, sendo fiel à história:

      http://pt.wikipedia.org/wiki/Nest%C3%B3rio

      http://pt.wikipedia.org/wiki/Nestorianismo

      http://pt.wikipedia.org/wiki/Igreja_do_Oriente

      Fique com Deus!

      Excluir
    2. Irmãos, ainda não tive a oportunidade de ler, mas há um livro que parece tratar disso. Vejam na descrição dele:

      "Neste livro, o autor procurou contemplar, equilibradamente, a diversidade das confissões cristãs, principalmente as históricas. Nesse sentido, a obra tenta resgatar a rica tradição das igrejas cristãs orientais: um pouco da história dos patriarcados orientais antigos, após o cisma de 1054, o surgimento de novos patriarcados da igreja ortodoxa no segundo milênio; a antiquíssima Igreja Assiríaca ou nestoriana; as igrejas não-calcedonianas, armênia, siríaca, copta, etíope e sírio malankhar e as igrejas católicas orientais: maronita, melquita, síria-malabar, copta católica e armênia católica. O penúltimo capítulo traz apontamentos sobre a presença dessas igrejas orientais no Brasil."

      http://www.fonteeditorial.com.br/fonte-editorial-catalogo/curso-de-historia-da-igreja/

      Excluir
  4. Para aqueles que insistem que Maria gerou Deus...

    Deus foi considerado “fora de Si” por Sua mãe e Seus irmãos (Marcos 3), por quem também foi desacreditado; foi visto como enganador; foi abandonado por Seus seguidores e quase apedrejado certa ocasião; foi chamado de “beberrão” e de “endemoninhado”, além de “embusteiro”. Finalmente, foi crucificado como malfeitor.

    ResponderExcluir
  5. Percebeu o que apresentei acima, Lucas? Deixa eu destrinchar:
    .
    Eu aprendi que Jesus não era um Deus quando aqui andou, que Maria gerou uma pessoa, um homem, e não um androide católico. Jesus era um ser humano, nascido de mulher:
    .
    “Mas, quando chegou a plenitude do tempo, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher...”,, Gálatas 4:4
    .
    Jesus era um Deus ou um homem?
    .
    “Pois, assim como a mulher proveio do homem, também o homem nasce da mulher... “, 1 Coríntios 11:12
    .
    Por que as pessoas enrolam quando tentam dizer que Jesus era Deus enquanto aqui andou? Por que não explicam o que querem dizer? Acham mesmo que essa pode ser a descrição de Deus nascendo?
    .
    “A mulher que está dando à luz sente dores, porque chegou a sua hora; mas, quando o bebê nasce, ela esquece a angústia, por causa da alegria de ter nascido no mundo um menino”, João 16:21
    .
    Outra coisa, Deus é o Pai, o Filho é o Filho. Quando os católicos afirmam que Jesus era Deus, na verdade querem dizer que ele era além do normal. Que ele não era humano, e que não veio a semelhança de Adão. A Bíblia diz o contrário em 1Co 15:45,
    .
    “Assim está também escrito: O primeiro homem, Adão, foi feito em alma vivente; o último Adão em espírito vivificante”.
    .
    O que o texto diz é o seguinte:
    .
    O Último também foi homem, 100% homem! Ele foi chamado de Adão sem cerimônia nenhuma!
    .
    Maria, mãe de Deus, dizem os católicos! Isso, porque Jesus era Deus quando aqui esteve, insistem eles. O que eles tentam dizer, jeitosamente, é que Jesus era um ser diferente dos humanos, nascido da divina Maria! Eles não tem papas na língua, afirmam na cara dura que Jesus era um Deus!
    .
    Bem, vou resumir meu comentário feito ontem. E ainda substituindo o nome de Jesus pelo de Deus. Pois bem, Maria e os “primos” de Deus foram atrás dele para o prender. Acreditem se quiserem: A família de Deus foi prender ele,
    .
    Marcos 3:21 “E, quando os seus ouviram isto, saíram para o prender; porque diziam: Está fora de si”. Ob serve quem chega logo depois deste texto,
    .
    31 Chegaram, então, seus irmãos e sua mãe; e, estando fora, mandaram-no chamar.
    .
    Os próprios familiares disseram que Deus estava fora de si, e mãe estava junto!
    .
    Interessante que eles iam todo ano a Jerusalém no Templo para sacrificar a Deus! Quem vai explicar essa agora?
    .
    Mas não é só isso não. Observem o que os fariseus disseram de Deus no versículo 22:
    .
    “… Ele Tem Belzebu, e pelo príncipe dos demônios expulsa os demônios”.
    .
    Olha no 30 O que eles dizem de Deus, “Tem espírito imundo”.
    .
    Mas aqui é que é pior. Os fariseus, que não saiam do Templo de Jerusalém onde adoravam a Deus dizem sobre Deus,
    .
    Lucas 7:34, “...Eis aí um homem comilão e bebedor de vinho”.
    .
    E os animais ainda chamaram Deus de embusteiro,
    .
    “.., lembramo-nos de que aquele embusteiro, vivendo ainda, disse: Depois de três dias ressuscitarei”, Mateus 27:63
    .
    Na verdade, Jesus veio como o Filho, um humano, nascido a semelhança de Adão para ser nosso perfeito substituto. Ninguém, em sã consciência, que visse realmente algo diferente e sobrenatural em Jesus, sua não humanidade, mas vendo-o como um HÉRCULES DA MITOLOGIA ROMANA, metade deus e metade humano, jamais usar ia esses adjetivos par a fazer referência a ele. O que católicos e alguns protestantes querem é transformar Jesus numa entidade que baixou do céu a terra. Isso é uma blasfêmia descarada que não quer confessar que ele veio em carne.
    .
    O que pretendem não é divinizar Jesus, mas sim transformar ele numa entidade católica romana!
    .
    Depois aparecem alguns evangélicos aqui com a maior cara de pau do mundo querendo negar a afirmação católica de que Maria não foi jamais mãe de Deus!
    .
    Todos, absolutamente todos os versículos que direta ou indiretamente afirmam alguma vez que Jesus, quando aqui andou , foi Deus, resume-se numa palavra só,
    .
    “... Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo...”, 2 Coríntios 5:19

    ResponderExcluir
  6. Portanto, meu caro Lucas Ba nzoli, Jesus era gente, um homem, e nao um extra terrestre católico mariano.

    Atos 2:22 “... Jesus de Nazaré era um homem

    Observe o que disseram algumas pessoas que ficaram admiradas com Jesus depois dele ter feito um milagre,

    Mateus 9:8 “E as multidões, vendo isso, temeram, e glorificaram a Deus, que dera tal autoridade aos homens.”

    Atos 2:22 “ [ Jesus ], um homem aprovado por Deus

    No entanto, o que distingue Jesus de outras pessoas, meu caro mano Lucas, é que ele foi escolhido para a missão. O Filho de Deus é a pedra angular do propósito do Pai e motivo de sua criação inteira. Como tal, sua vocação é única. Nos conselhos de Deus só Ele foi escolhido desde o início para ser a solução de Deus para o pecado, a expressão da sua misericórdia e soberano proposito da ordem criada. Além disso, sua obediência sem paralelo a este chamado ainda mais o distingue. A um custo imenso para si mesmo, ele deixou de lado sua glória, vontade própria e todo o direito que lhe é devido, abrindo espaço para o Pai executar seu trabalho através dele. E tudo ele fez como um homem, um homem que aqui nasceu e foi criado. Somente dessa forma, ele é um modelo credível e sumo sacerdote misericordioso, que pode inteiramente se relacionar com os nossos sofrimentos e limitações. Apesar de Deus não poder ser tentado pelo pecado (Tiago 1:13 e Hebreus 4:15), ele fez isso tudo de seu Filho, que foi tentado e não pecou. Jesus passou por uma genuína experiência humana.

    As funções de Jesus para com a humanidade foi fazer ate aquele momento o que só Deus pode fazer, a salvação dos pecadores. Jesus foi o agente de Deus através de quem ele interagiu com o homem. Ninguém jamais poderá negar que Jesus foi o mediador entre Deus e os homens - Ele reencarnou-se, e não o pai. Por isso, se mantemos um conceito de Jesus, quando ele aqui andou, como sendo Deus, com a mesma substancia do Deus Pai, destruimos toda a obra de redenção.

    Portanto, a mais alta expressão do amor de Deus para nós é a doação de seu Filho (João 3:16). O amor do Filho para o Pai é mostrado na sua oferta obediente de si mesmo (João 14:31). E para quem insiste na divindade mística, trasncedental, celestial ao extremo, que exclui o Jesus descendente de Davi, e admite ter sido elinteiramente o mesmo logos eterno na terra, digo: o sangue de Jesus ainda é o resgate exigido e fornecido por Deus pelos nossos pecados. Como que a supremacia do Filho poderia ser revelada em nós através de meios como estes se ele fosse o Deus Todo-Poderoso?

    O problema e que ninguem acredita!



    ResponderExcluir
  7. Estão fugindo da passagem óbvia,
    .
    Lucas 18
    .
    18 E perguntou-lhe um certo príncipe, dizendo: Bom Mestre, que hei de fazer para herdar a vida eterna?
    .
    19 Jesus lhe disse: Por que me chamas bom, [ eu, Jesus ]? Ninguém há bom, senão um, que é Deus.
    .
    Não podia ter sido pior!
    .
    Esse versiculo é tão claro que nem precisa de interpetação. É igual aquele outro que os católicos torcem até não poder mais,
    .
    "... E não a conheceu ATE QUE ela deu a luz ao menino..."
    .
    Nem precissa de explicação.
    .
    São os dois versículos mais claros das Escrituras!
    .
    Quado Jesus diz que bom é só Deus, ele esta afirmando que Deus é um e Ele é outro. O outro, que veio na qualidade de velho homem, e não na qualidade de Deus.
    .
    Como o velho homem, o ultimo Adão, ele teve que morrer para ser nosso substituto,
    .
    Rom 6:6 - Sabendo isto, que o nosso homem velho foi com ele crucificado, para que o corpo do pecado seja desfeito, para que não sirvamos mais ao pecado.
    .
    Mesmo assim, aparecem por aqui os românticos católicos, que sonham com altares e santos, e clamam com os olhinhos virados: Ó, aquele negócio ali é divino, Ó, aquele pedaço de pau ali também é divino. Ó, Maria concebida sem pecado, que gerou o Deus divino...
    .
    Jesus ficou parecendo uma coisa, um manipulado, uma consequencia da mulher divina que deu a luz ao androide católico.
    .
    Jesus era macho, corajoso, gente de verdade. Um homem que sabia o que era sofrer, trabalhador, obediente aos seus pais pela lei; homem calejado e experimentado nas coisas da vida, alguem que não correu da raia. Mas vem esse monte de maricas católicos e evangélicos por aí e transforma Jesus num ser flutuante católico cheia de divindade, até nas unhas! Acho até que as unhas de Jesus eram de aço sagrado! O fígado devida ser banhado a ouro e mirra. Bexiga? Não tinha, pois divinos não urinam! Isso so católicos adoram , afinal de contas Maria, dizem, eles, não nasceu com o pecado original.
    .
    Tem muito evangélico aí no mundo da lua católica!
    .
    Isaias 53
    .
    Observe se essa é a descrição de Deus,
    .
    “… não tinha beleza nem formosura e, olhando nós para ele, não havia boa aparência nele, para que o desejássemos.
    .
    3 Era desprezado, e o mais rejeitado entre os homens, homem de dores, e experimentado nos trabalhos; e, como um de quem os homens escondiam o rosto, era desprezado, e não fizemos dele caso algum.

    Mas é a de Jesus!

    ResponderExcluir
  8. Parece que muitos entendem que Jesus levava com ele uma vantagem oculta, que o fazia especial, diferente dos humanos. Pode até ser que muitos imaginem que Deus patrocinou uma super producao recheada de efeitos especiais, onde Jesus, o mocinho, venceria a qualquer custo sem nem mesmo pagar o preco, sendo que as aflicos, suplicas, abandono no Getesemani e abandono no calvario nao passou de encenacao...

    Estão enganados!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boas colocações, Alon. Acrescento ainda que uma das maiores razões para perserverarmos nessa vida rumo ao Alvo e corrermos a boa corrida da fé lutando o bom combate até o último momento, é olhando pra trás e buscando inspiração Naquele que já venceu. É saber que um dia nasceu um homem na igualdade de todos nós, e que em pele e ossos conseguiu vencer o pecado, o mal, o maligno, as tentações, e essa vitória dEle é aquilo que hoje nos dá esperanças para vencermos também.

      Mas se Jesus não abriu mão da Sua glória, dos atributos da Sua divindade, de "si mesmo" para se tornar humano igual a nós em todos os aspectos, então ele teria este diferencial da divindade que distinguiria absolutamente nós (humanos) e Ele (Deus), enquanto ele esteve aqui na terra. E, desta forma, não teríamos nenhum exemplo plenamente humano para buscarmos inspiração, pois o único que venceu o pecado por completo não teria sido completamente humano, mas uma mistura de divino-humano.

      O que estou tentando explicar é que somente aceitando o fato de que Jesus realmente foi homem, igual a todos nós, enquanto esteve aqui na terra, durante seus 33 anos de vida terrestre, é que a obra da redenção é plenamente explicada. O próprio Deus se tornando plenamente humano como qualquer um de nós homens, para poder nos ensinar e nos provar que é possível viver longe do pecado, do mal e vencer o diabo como homens nessa vida, para nos servir de exemplo como alguém que, mesmo sendo igual a todos nós, jamais pecou.

      Mas se ele conservou toda a sua natureza e atributos divinos, então haveria sempre essa distinção que nos afastaria dEle: a divindade. E ainda estaríamos a espera de alguém plenamente humano que vivesse sem provar o pecado e vencendo o diabo e a morte para nos passar este exemplo. Vejo que apenas aceitando a plenitude da humanidade de Cristo na terra é que podemos compreender e aceitar, tanto na teoria como na prática, o plano de salvação de Deus para com o homem, e o nosso aprendizado com ele.

      Que Deus lhe abençoe.

      Excluir
    2. Perfeito!

      Voce não podia ter sido mais claro!

      Excluir
  9. Lucas, você e muitos outros cristãos sabem que a maioria dos comentaristas bíblicos tradicionalistas interpretaram Jeremias 26:3 de uma forma que o texto possa identificar Jesus, o Messsias davídico, como Yahweh
    .
    “Nos seus dias Judá será salvo, e Israel habitará seguro; e este será o seu nome, com o qual Deus o chamará: o Senhor justiça nossa”.
    .
    O texto não quer dizer que o Messias seja o Senhor, o Deus Todo Poderoso, mas que o Messias suportou o nome do Senhor para ser a justiça do Senhor em Israel.
    .
    Em uma linguagem muito semelhante, Jeremias prediz também que o mesmo nome e significado será transmitido em Jerusalém na época. Ele afirma:
    .
    "Naqueles dias Judá será salvo e Jerusalém habitará seguramente; e este é o nome com o qual Deus a chamará: “O Senhor é a nossa justiça", Jeremias 33:16.
    .
    E agora José?
    .
    Obviamente esta mesma identificação não significa que a cidade de Jerusalém é literalmente o Senhor.
    .
    Certamente, o Deus todo poderoso, o Pai, com toda a sua natureza divina celestial, não entrou no corpo de Jesus, mantendo toda sua natureza mística transcendental, fazendo de Jesus meio homem e meio deus, o Hércules do Catolicismo. Na verdade, o que a Bíblia escancara diante do leitor o tempo todo, é que: o Senhor Deus de Israel estava no céu enquanto o seu Filho nascia e vivia aqui na terra. Por isso a Bíblia diz que Ele veio na qualidade de Adão!
    .
    Até hoje, depois de quase quatro anos de debate sobre essa questão, os tagarelas que transformaram Jesus numa entidade, ainda não responderam o que querem dizer quando afirmam que Jesus, quando aqui andou, era Deus. Tudo que sabem fazer é acusar alguns de negarem a sua divindade.

    ResponderExcluir
  10. Eu não consigo assimilar a ideia de que quando um cristão mostra na Escritura que Jesus Cristo é o Senhor está tentando provar que Jesus é o Pai!!!
    .
    O problema é que ninguém responde, só enrolam. As Escrituras fazem distinção entre as duas pessoas, especialmente as que dizem que Jesus é o "Filho de Deus". Mas sempre aparece alguém estrábico, geralmente católico apaixonado mariano, e algumas vezes alguns evangélicos, que dizem que Jesus Cristo não é apenas o Filho de Deus, mas Ele próprio é também Deus. No fim das contas o que sobra é um monte de frustração para aqueles que querem se relacionar com Cristo. Eles não podem, afinal de contas quem pode seguir e ser igual a Deus?
    .
    Por aí você pode observar, Lucas, como a cristologia tradicional tem fortes tendências para o docetismo, o que tem levado inúmeros cristãos à crença menos complicada para Jesus Cristo, ou seja: Jesus foi Deus e homem enquanto aqui andou. Sendo Deus e homem, ele resistiu as tentações, suportou sofrimento e vergonha, e, por ser Deus e homem, viveu uma vida sem pecado. Afinal, Deus é perfeito, não pode ser tentado, e, portanto, não pode pecar (cf. Mt 5,48; Jam 1,13). Bem mais fácil crer dessa forma, não é meu irmão?
    .
    Talvez seja por ter essa visão equivocada é que muitos cristãos acham difícil se relacionar com este Jesus. Em resposta ao desafio de segui-Lo, eles dizem, "Como você pode seguir a Deus, afinal de contas Ele é perfeito!"
    .
    Por outro lado,Lucas, se Jesus não era Deus, mas totalmente parecido conosco, de modo que ele teve de lutar e perseverar com a maior determinação de sua vontade, dependendo totalmente de Deus, como todos os seus filhos, então quem sabe a cristandade não passe a olhar Jesus de outra forma? Ora, Se visualizamos Jesus como alguém que recebeu forças do Espírito Santo a fim de resistir à tentação, evitar o mal, e realizar a sua missão de oferecer para nós tão grande salvação, essa percepção pode despertar uma apreciação renovada e duradoura para Jesus como Senhor e Salvador. Quem não pode relacionar-se mais facilmente a um Cristo como este?
    .
    Ao ver Jesus Cristo como um homem, enquanto aqui andou, Ele se torna para nós um modelo ainda maior. Assim, sua história é reforçada, em vez de diminuída. E para aqueles que se opõem à encarnação tradicional, ou seja, o nascimento do homem Jesus, similar ao nascimento dos outros homens, os nascidos de mulher, quero dizer aqui que, o Deus em Cristo, como diz Paulo, passa a ser uma história mais crível. Tudo o que se diz sobre Jesus, a pessoa que se movimentava entre os homens, que é declarado por muitos como sendo Deus, pode se resumir na Palavra de que “Deus estava em Cristo, reconciliando consigo mesmo o mundo...”, 2 Co 5:19. Muitos textos bíblicos que foram interpretadas para significar que Jesus era Deus realmente quer dizer não mais do que Deus estava em Jesus. Assim, Deus residida em Jesus através do Espirito Santo, mas Jesus não era mais que um homem, ou seja, um ser humano.
    .
    Aqui há algo extremamente importante para o cristão entender, Lucas. Se alguns estão tentando mostrar na Bíblia que Jesus Cristo é Deus, devem ser extremamente claros. Se não estão tentando provar que Jesus é Deus, o Pai, mas que Jesus realmente possuía a natureza de Deus enquanto aqui andou, que provem! O problema vai ser esse: Se Jesus não tinha a natureza de Deus, mas a de Adão, sendo homem como nós, e não divino, logo, Ele não era Deus, ou um Deus.E isso não interessa ao catolicismo,Lucas, pois se Maria gerou um ser humano, então a divindade da própria fica ameaçada, e isso os católicos não permitirão.

    ResponderExcluir
  11. Lucas, Quem espalhou a velha heresia de que Jesus era o próprio Deus, com toda sua divindade, foi o "Modalismo", refutado bravamente por alguns dos primeiros pais da igreja, especialmente Tertuliano. Modalismo é a crença de que Jesus e o Pai, literalmente, são a mesma pessoa e que não há distinção entre eles.
    .
    Um exemplo dessa lógica enganosa é quando ouvimos a declaração retumbante: "Se Jesus fosse o Deus Todo-Poderoso, ele não teria orado para si mesmo”.
    .
    Aqui há outro exemplo, que separa Jesus de Deus. Após a Sua morte a Escritura diz:"... Este Jesus, a quem Deus ressuscitou”. (Atos 2:32). Assim, o Deus Todo-Poderoso (o Pai) e Jesus são claramente duas pessoas distintas.
    .
    Gostaria mesmo de saber qual será o primeiro que teria a coragem de dizer que Maria ficou grávida, literalmente, do Deus todo Poderoso de Israel!
    .
    Se os católicos disserem que sim, então Deus também era Filho de José,
    .
    Joao 1:45 - Filipe achou Natanael, e disse-lhe: Havemos achado aquele de quem Moisés escreveu na lei, e os profetas: Jesus de Nazaré, filho de José.
    .
    Olha também de quem Deus era filho,
    .
    1 LIVRO da geração de Jesus Cristo, filho de Davi, filho de Abraão.
    .
    Repito: Quando a Bíblia afirma, em todo o ministério terreno de Jesus, que ele era Deus, esta dizendo que: “Deus estava em Cristo reconciliando consigo mesmo o mundo”.
    .
    Como os católicos gostam muito de lateralizar descaradamente alguns textos, provavelmente usem este para dizer que o Deus todo poderoso, secretamente e literalmente, estava dentro de Jesus, e não através do Espirito Santo.




    ResponderExcluir
  12. E aqui vai os últimos posts, como lhe prometi
    .
    Bem, Lucas, fico me perguntando porque, Jesus, ao questionar sobre quem os homens diziam que ele era, não obteve as respostas que muitos católicos e evangélicos oferecem hoje, que ele era Deus,
    .
    O diálogo está em Mateus 16
    .
    13 E, chegando Jesus às partes de Cesaréia de Filipe, interrogou os seus discípulos, dizendo: Quem dizem os homens ser o Filho do homem?
    .
    14 uns dizem é João o Batista; outros, Elias; e outros, Jeremias, ou um dos profetas.
    .
    15 Disse-lhes ele: E vós, quem dizeis que eu sou?
    .
    Opa, finalmente alguém vai dizer que ele era Deus!
    .
    “Tu és o Cristo [ o ungido, o Messias ] FILHO do Deus vivo”
    .
    O que o Papa do Catolicismo diz hoje? Que Maria foi mãe de Deus!
    .
    Qual leitor poderia afirmar que Felipe falava de Deus quando encontrou Natanael para lhe dar a grande noticia?
    .
    Joa 1:45 - Filipe achou Natanael, e disse-lhe: Havemos achado aquele de quem Moisés escreveu na lei, e os profetas: Jesus de Nazaré, filho de José.

    ResponderExcluir
  13. E o que foi que Moisés escreveu sobre Jesus?
    .
    Deu 18:15 - O Senhor teu Deus te levantará um profeta do meio de ti, de teus irmãos, como eu; a ele ouvireis
    .
    Profeta como eu? Foi isso que Moisés disse? Quem fala assim de Deus?
    .
    Observe de onde Jesus viria: “... do meio de ti [Israel], de teus irmãos...”.
    .
    Quem morreu por nós foi um homem e não um Deus. Ele suou, jejuou, orou, obedeceu , tinha residência fixa, tinha parentes, sobrinhos, primos, pai e mãe. Dizem os católicos que Deus tinha até Tia!!!
    .
    Quem morreu por nós tinha uma profissão, era carpinteiro, nascido numa pequena vila chamada Belém, sendo criado na cidade de NAZARÉ. Ele era uma pessoa como as outras, ou seja, era humano, era gente. Ele era o Filho de Deus, o Messias prometido!
    .
    Que divindade poderia ser atribuída a um homem? Como chamar de divino Deus aquele que veio a semelhança dos homens, sendo descendente de Davi, tendo as mesmas características do ser humano, sendo igual a eles? Como poderíamos falar de divindade em alguém que foi chamado de segundo Adão? Como um homem nascido de mulher ( Gal 4:4 ) poderia ser divino? Ele veio com as sequelas dos caídos sendo o nosso perfeito substituto. E era tanto gente, humano, que a Bíblia diz que foi o único sem pecado ( não haveria necessidade desta ênfase se ele fosse Deus). Esse morador de Nazaré foi levado a um madeiro e ali crucificado, pagando pelos meus pecados e os seus.

    ResponderExcluir
  14. Jesus representava o velho homem. Ele veio na qualidade de velho homem, e não na qualidade de Deus. Como o velho homem, o ultimo Adão, ele teve que morrer para ser nosso substituto,
    .
    .
    Rom 6:6 - Sabendo isto, que o nosso homem velho foi com ele crucificado, para que o corpo do pecado seja desfeito, para que não sirvamos mais ao pecado.
    .
    Jesus tinha o corpo de Adão, que foi desfeito na cruz! O velho homem em Jesus foi crucificado e morto!
    .
    Nen hum ser humano, desde Adão até hoje, que são os nascidos de mulher, podem ser divinizados! Não se pode chamar Adão de Deus!
    .
    Na verdade, não interessa aos católicos o Jesus apresentado acima. Os católicos, quando definem Jesus como Deus, a intenção é fazer dele uma entidade, uma visão, um ser do alto, literalmente falando. Talvez acreditem que ele foi um místico católico gerado pela Maria divina. Vai ver que acreditam que quando a Bíblia diz que ele foi amamentado, foi só de mentirinha,. Afinal de contas, divinos não amamentam e nem precisam de leite. E quando a Bíblia diz que Jesus foi circuncidado, será que acreditam que foi um truque para enganar os humanos e dizer que ele também era humano não sendo humano? E o sangue, será que era catchup?
    .
    Talvez os católicos imaginam que por ter sido gerado pela santíssima virgem ele andou sobre as aguas, mandou parar a tempestade, se transfigurou e etc. Se tem alguém aqui que acredita que os católicos insistem na divindade de Jesus por outro motivo, se enganam, eles querem é salvar a divindade de Maria! Com essa parafernália herética toda, os católicos, camufladamente insinuam que Jesus, quando aqui andou, era um astro, um ser do outro mundo, um exterminador do futuro, o Super Homem disfarçado de Clark Kent. A verdade é que Jesus não caiu do céu, nem foi achado se debatendo entre escombros para alguém criar.
    .
    Isso tudo é que significa divindade para este povo, principalmente se for virgem, ai sim é mais divino ainda.
    .
    Aqueles que conhecem bem os católicos, sabem muito bem das manobras que fazem para deturpar o sentido de divindade. Jesus não era divino, pois ele veio na condição de Adão, tendo as reações em seu corpo de todos os seres humanos, sentindo as sequelas dos caídos. Jesus foi um homem gerado de mulher, nascido sob a lei (Gal 4:4), como todos os outros, não pode ser divino, tanto que ele morreu para pertencermos sim, ao divino, o outro,
    .
    Romanos7:4 Assim, meus irmãos, também vós estais mortos para a lei pelo corpo de Cristo, para que sejais de OUTRO, daquele que ressuscitou dentre os mortos, a fim de que demos fruto para Deus.
    .
    Esse outro é o Novo Homem, criando em Deus, o que Maria jamais pode fazer,
    .
    Efe 2:15 -
    Na sua carne desfez a inimizade, isto é, a lei dos mandamentos, que consistia em ordenanças, para criar em si mesmo dos dois um novo homem, fazendo a paz,
    ;
    Efe 4:24 -
    E vos revistais do novo homem, que segundo Deus é criado em verdadeira justiça e santidade
    .
    A MORTE NÃO TEM MAIS DOMINIO SOBRE ELE!


    ResponderExcluir
  15. Obrigado, Lucas. Fica na paz de Deus

    ResponderExcluir
  16. Jesus teve 2 pais e por isso 2 naturezas a humana e a divina. Se maria abrigou em seu ventre a natureza divina então o que vem de deus é divino e é Parte de Deus, portanto também Deus.
    Se Jesus tem 50% Deus então não seria correto afirmar que Maria gerou também a Deus?
    Eu entendo a Santissima Trindade como uma comunhão perfeita de 3 individuos, ainda que distintos com a mesma natureza (divina); como se fosse um garfo que se divide em 3 mas é formado do mesmo material, e sendo Jesus divino e constituido pelo Espirito Santo que é provindo do pai este mesmo Jesus é parte de Deus, entende?
    Maria representa o exemplo de santidade que a humanidade , pois Maria é 100% humana, deve seguir.
    Não bota-se Maria em um pedestal acima de Deus mas coloca-se ela como um exemplo humano de santidade a ser seguido, pois se esvaziando dela mesma fez em totalidade da vontade do Pai. Por isso Maria é um exemplo tão grande dentro da Igreja Catolica.
    Grato pelo espaço pra escrever amigo, que as bençãos da Santissima Trindade caiam sobre vóssas vidas.
    : )

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Danvet, a paz.

      Não foi Maria quem se esvaziou de si mesma, mas Jesus, que "sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus, mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens" (Fp.2:6,7). O mair exemplo de santidade não foi Maria, mas Cristo. Só Ele a Bíblia diz que é totalmente santo:

      "Quem te não temerá, ó Senhor, e não magnificará o teu nome? PORQUE SÓ TU ÉS SANTO; por isso todas as nações virão, e se prostrarão diante de ti, porque os teus juízos são manifestos" (Apocalipse 15:4)

      Prova disso é que nem Maria, nem qualquer outra criatura, foi achada DIGNA de abrir os selos, mas apenas Jesus Cristo, o Cordeiro que foi morto e ressuscitou:

      Apocalipse 5
      2 E vi um anjo forte, bradando com grande voz: Quem é digno de abrir o livro e de desatar os seus selos?
      3 E ninguém no céu, nem na terra, nem debaixo da terra, podia abrir o livro, nem olhar para ele.
      4 E eu chorava muito, porque ninguém fora achado digno de abrir o livro, nem de o ler, nem de olhar para ele.
      5 E disse-me um dos anciãos: Não chores; eis aqui o Leão da tribo de Judá, a raiz de Davi, que venceu, para abrir o livro e desatar os seus sete selos.

      Jesus não era "50% humano e 50% divino" aqui na terra como você disse, ele não tinha uma natureza dividida nem era apenas "metade humano", ele era plenamente humano, como o autor de Hebreus escreveu:

      "Por essa razão era necessário que ele se tornasse semelhante a seus irmãos EM TODOS OS ASPECTOS, para se tornar sumo sacerdote misericordioso e fiel com relação a Deus e fazer propiciação pelos pecados do povo" (Hebreus 2:17)

      Por isso, embora eu creia na divindade de Cristo e na Santíssima Trindade como todo e qualquer cristão, é errôneo afirmar que Maria GEROU Deus, ou uma natureza divina. Esse é um erro que se chega ao não diferenciar o Jesus humano que andou entre nós do Jesus divino no Céu, em coisas que abrangem desde o nascimento até a própria morte, sendo que Deus não pode morrer, pois é naturalmente imortal (1Tm.6:16). Da mesma forma, Deus não pode ter mãe, pois é eterno e não-gerado. Maria é, portanto, mãe de "Jesus Cristo, HOMEM" (1Tm.2:5), não "mãe de Deus".

      Obrigado pelo seu comentário e que Deus lhe abençoe.

      Excluir
  17. Paulo foi categorico; Que SENDO, em forma de Deus , não teve por usurpação ser igual a Deus,

    Mas esvaziou-se a si mesmo, TOMANDO a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens;

    E, ACHADO na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz.

    Sendo em "forma de Deus"

    Tomando a "forma de Servo"

    Achado na "forma de homem".

    Sendo, tomando e achado, ninguém nega a forma de servo e de homem, mas quando chega na forma de Deus, por desespero, fazem de tudo para nega-la.

    Agora é verdade que Jesus abriu mão de seus atributos divinos, embora "sendo" Deus, por amor a humanidade, esvaziou-se da glória de Deus, foi um servo e um homem por natureza, sendo obediente até a morte e morte de cruz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ninguém nega a "forma de Deus" que Paulo diz no texto, de fato isso sugere ainda mais fortemente que Cristo era humano na terra, já que Paulo diz:

      Sendo em "forma de Deus" - no Céu

      Tomou a "forma de Servo" - na Terra

      Ou seja, o apóstolo nada a mais está dizendo senão que Jesus é Deus, e que se esvaziou de seus atributos (ou natureza) divinos para se tornar plenamente humano, encontrado em forma humana enquanto aqui esteve. A sua teoria de que Cristo abriu mão de seus atributos da divindade mas não da própria divindade é falha é antilógica, porque são os atributos de uma coisa ou ser que fazem ele ser o que é. Um atributo básico da luz é iluminar. Se ela não mais ilumina, não é mais luz. Se Jesus esvaziou-se de Seus atributos em Sua encarnação, Ele não era mais Deus.

      Ademais, fica difícil imaginar que Cristo tenha se esvaziado da Sua glória continuando com a natureza divina, pois isso seria o mesmo que dizer que Deus existe sem glória, ou que a glória pode não fazer parte de Deus, que a glória não faz parte da essência da natureza da divindade, o que na minha opinião é um absurdo. Ou Jesus esvaziou-se a si mesmo (por completo) ou ele não se esvaziou de nada. Esses "meios-termos" que vocês encontram simplesmente não fazem sentido.

      Um abraço.

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  18. Olá Lucas, o que faz Jesus ter uma natureza divina é os atributos de Deus ou ser o filho de Deus?

    Um forte abraço.

    Neilom Soares.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Neilom. A natureza divina é caracterizada pelos seus atributos e não pode subsistir sem eles, conforme o exemplo que eu passei acima. Sinceramente não vejo muito sentido em dizer que Jesus tem uma natureza divina porque ele é o filho de Deus. Seria o mesmo que dizer que Jesus é Deus porque ele é Deus! Na minha visão são os atributos que definem o que é a pessoa. Eu sou o que sou porque tenho determinados atributos e características que me definem, e não simplesmente por ser filho do meu pai e da minha mãe.

      Sendo assim, não consigo conceber a possibilidade de Cristo ter aberto mão dos atributos divinos mas não da própria natureza, uma vez sendo que a natureza é definida pelos atributos. Se os atributos da divindade foram abandonados, é porque a própria divindade o foi. Ou senão abriríamos espaço para a ideia da existência de um Deus sem onipotência, sem onisciência e sem onipresença, por exemplo. Se alguém dizer que crê em Deus mas que esse Deus que ele crê não é onipresente, não é onisciente, não é onipotente, não é eterno, não é atemporal, não é a Causa Primeira, enfim, não tem nenhum atributo da divindade, é óbvio que ela não crê em Deus, crê em alguma outra coisa, pois Deus não existe sem os Seus atributos que fazem dEle ser aquilo que é.

      Portanto, concordo com você quando diz que Jesus abriu mão de seus atributos da divindade quando se fez homem, só não consigo conciliar isso com a ideia de que ele permanecia com uma natureza 100% divina porém totalmente desprovida daquilo que caracteriza tal natureza. É este o ponto da questão.

      Um forte abraço.

      Excluir
  19. Olá Lucas, eu entendo que quando Jesus esvaziou-se da glória de Deus, isso se refere aos seus atributos e não a sua divindade.

    O que faz Jesus ser de natureza humana é o fato de Ele ser nascido de mulher.

    Sua natureza humana procede de Maria, enquanto sua natureza divina, rpocede de Deus, o Pai

    Eu e vc somos de natureza humana por termos vindo de humanos.

    Jesus é o filho de Deus por natureza, enquanto nós, o somos por adoção

    De quem Jesus herdou a natureza humana?

    Jesus foi categórico; Eu e o Pai somos um, isso faz dEle, igual ao Pai, em; Essência, carater e natureza.

    Lucas, um forte abraço.



    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Neilom, a paz de Cristo.

      Eu particularmente hesito em fazer uso da passagem de João 17:11 (que Jesus e o Pai são um) mesmo quando quero provar a divindade de Cristo a algum espírita ou testemunha de Jeová que não crê nisso, porque diante do contexto me parece claro que Cristo nessa ocasião não fazia referência à essência do ser, mas sim à união de parecer entre ambos. Por isso que ele diz em seguida:

      "Para que todos sejam um, Pai, como tu estás em mim e eu em ti. Que eles também estejam em nós, para que o mundo creia que tu me enviaste" (João 17:21)

      Se nós também somos um com Cristo e Deus, então parece-me óbvio que Jesus não estava falando de essência aqui (ou senão teríamos a mesma essência divina de Deus!), mas sim de união de parecer em um só pensamento. Doutra forma não faria sentido dizer que estava rogando "para que SEJAM um, assim como somos um" (Jo.17:11). Que sentido teria orar para que SEJAM "um em essência", se todos os humanos tem a mesma essência humana de qualquer jeito?

      Portanto, ainda que eu creia na divindade de Cristo, não creio que seja intelectualmente honesto fazer uso dessa passagem para provar isso, já que ela não está falando de essência, diante de todo o contexto.

      Ademais, o texto de Filipenses diz que Jesus se esvaziou de algo, mas de que algo? Ele não diz que "se esvaziou de SUA GLÓRIA", mas sim que se "esvaziou-se a SI MESMO" (Fp.2:7) Esse "SI MESMO" obviamente não se refere apenas a "glória", mas à natureza do ser, a SI PRÓPRIO. Por isso parece-me claro aqui que o que Cristo se esvaziou ao se tornar humano foi a sua própria natureza e não simplesmente a glória que tinha com o Pai.

      Jesus tem uma natureza humana herdada de Maria, concordo. Mas Jesus não é filho de Deus no MESMO SENTIDO de que é filho de Maria. Ele não nasceu literalmente de Deus, ou senão creríamos como os arianos dizem, que Jesus foi um ser CRIADO pelo Pai. Na encarnação Jesus não foi "criado" por Deus para ter uma natureza divina mesclada com uma natureza humana que foi gerada pelo Espírito Santo no ventre de Maria. Ele, ao contrário, esvaziou-se a si mesmo (sua natureza) e tomou natureza humana, como diz Filipenses 2:7. Se Jesus mantivesse os mesmos atributos da divindade que tinha antes da encarnação com o Pai, aí sim eu poderia crer que ele jamais esvaziou-se a si mesmo e manteve a sua natureza original, mas como a Bíblia é clara em negar essa ideia e você mesmo admite isso, pra mim é evidente que essa natureza foi realmente esvaziada.

      Isso explica o fato de a Bíblia dizer que Cristo se TORNOU humano. Ele não apenas se "revestiu" de um corpo (mas mantendo a natureza original consigo no interior), como já vi alguns dizerem, ele realmente se TORNOU HOMEM, e não se TORNA algo a não ser que ABANDONE o que era antes. Cristo não abandonou somente a sua glória, ele abandonou a sua natureza, pois o que aqui esteve por 33 anos não foi um Deus sem glória, mas um ser humano.

      Um forte abraço!

      Excluir
    2. LUCAS!!!!

      Acabei de receber duas jovens koreanas aqui na porta de casa que MAL FALAVAM PORTUGUÊS E ELAS COMEÇARAM A FALAR DA "DEUSA MÃE".Pensei que iriam falar de Maria,mas falaram da "mulher oriental de Jesus"....aí eu só fiz rir...acontecimentos hilários à parte....esse ainda é um tema bastante controverso!A humanidade e divindade de Cristo foi questionada e refutada e tem que continuar sendo feita por nós!

      Excluir
    3. Por mais incrível que pareça, há alguns anos atrás a minha avó também recebeu duas asiáticas que mal sabiam falar português e estavam ensinando que Deus tinha esposa, e que se existe Deus Pai tem que existir uma Deusa-Mãe, e outras coisas do tipo. Naquela época eu ri e achei uma história maluca, mas agora que você contou uma história idêntica é realmente de se impressionar que tenha gente nesse mundo que pense dessa forma, e pior, que querem convencer os demais de que Deus possui literalmente uma mãe ou uma esposa. Impressionantemente os católicos não estão muito longes disso, pois ironicamente também ensinam que Deus possui mãe e que Maria é também a "esposa do Espírito Santo" (lembro-me também do famoso professor católico Orlando Fedelli ensinando que Maria era esposa de Deus Pai, porque era mãe de Jesus que é o Deus Filho, então consequentemente ela era mãe do Deus Filho e esposa do Deus Pai!).

      Excluir
  20. Eu não me referi a Jo 17.11 e sim a Jo 10.30.

    Mas valeu pela atenção, respeito sua opinião, porém não concordo, Jesus abandoria sua natureza divina se o mesmo fosse uma criação,mas como as escrituras deixa claro e evidente que Ele não foi criado e sim gerado no ventre de Maria, por obra sobrenatural do Espírito Santo e sendo posteriormente chamado de filho do altíssimo, isso faz dEle, um ser de natureza divina e de natureza humana.
    Volto a repetir, Jesus esvaziou de sua glória e não de sua natureza, pois Paulo diz que Ele "sendo" em forma de Deus, aqui Paulo fala que Ele não deixou de ser, mesmo "tomando" a forma de servo e "achado" na forma de homem.
    um forte abraço.
    Muito obrigado pela atenção.
    Seu blog e excelente, seus artigos é muito rico, que Deus continue te abençoandop sempre.
    Fica na paz .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Neilom. Como Jesus disse em João 10:30 exatamente o mesmo que ele posteriormente repetiu em João 17:11, creio que as duas passagens tem o mesmo sentido e não sentidos diferentes. Ademais, Deus Pai não tinha uma natureza 100% humana no Céu, então Ele possuir a mesma essência de Jesus na terra (que era 100% homem) seria estranho. Só daria certo no caso de Cristo ter sido apenas 100% divino e 0% humano, ou senão qualquer herege gnóstico (que nega a humanidade de Cristo) poderia usar essa passagem para provar que "Jesus não era humano" porque ele e o Pai tinham uma mesma essência na terra e por isso Jesus não era homem. É por isso que devemos fazer um correto uso da exegese, analisando o contexto das passagens em que a mesma mensagem é repetida, partindo do princípio protestante de que a Bíblia interpreta a própria Bíblia.

      Não creio que Jesus abandonando a Sua natureza na encarnação se tornaria uma criação, Jesus é eterno e isso não impede que ele tenha temporariamente esvaziado a si mesmo ao se tornar humano. O fato de Jesus ter sido chamado de Filho de Deus enquanto aqui esteve não faz dele participante de uma mesma essência com o Pai enquanto homem, da mesma forma que nós também somos chamados de "filhos de Deus" e não temos natureza divina, ou da mesma forma que Pedro diz que somos através do Espírito Santo "participantes da natureza divina" (2Pe.1:4), mas isso não implica que sejamos metade homens e metade Deus, ou totalmente homens e totalmente Deus. Na glorificação sim Jesus deixou o estado de "esvaziado" (Fp.2:6) para se tornar novamente participante da mesma essência do Pai, ele mesmo disse em tal ocasião que "FOI-ME DADO todo o poder no céu e na terra" (Mt.28:18). Ou seja, ele estava RESTITUINDO aquilo que já lhe pertencia antes como Deus.

      Sobre ter se esvaziado apenas da glória, já lhe referi anteriormente de que no texto em questão não aparece "glória", mas "si mesmo", que se identifica com a natureza do ser e não com apenas um atributo dele, como a glória. Se Cristo abriu mão e esvaziou-se apenas de sua glória celestial, então ele não TORNOU-SE humano, ele apenas se revestiu de um corpo físico externo, como ensinavam os gnósticos. Só se TORNA algo se se abandona um estado anterior, e se no caso a única coisa que foi abandonada foi a glória, então Jesus não era humano.

      O que Paulo disse sobre ser em forma de Deus eu interpreto como mostrado acima, que o apóstolo estava ressaltado a divindade de Cristo no Céu, como ele era co-eterno com o Pai, e então decidiu esvaziar a si mesmo (sua natureza) e se tornar humano. Não diz que a forma de Deus prosseguiu mesmo depois de ter se esvaziado dela.

      Mesmo assim, respeito a sua opinião e posição sobre este assunto, sei que este é um tema muito complexo e que poderia tomar rumos intermináveis. O mais importante, creio eu, é rejeitar os dois extremos equivocados que podem se chegar. O primeiro é de negar a trindade e a divindade de Cristo no Céu como as testemunhas de Jeová fazem, ensinando que Jesus é um ser criado pelo Pai, e o segundo extremo é aquele que nega a plena humanidade de Cristo, como os gnósticos que foram repreendidos pelo apóstolo João que teve que ressaltar com firmeza e por diversas vezes que o Verbo se fez carne e habitou entre nós. Se não caímos nestes dois extremos e estamos em um ponto de equilíbrio, creio que temos muito mais em comum do que em discordâncias.

      Um grande abraço.

      Excluir
    2. Caro Lucas, Jesus veio como 100%homem e 100% Deus, se você acha isso ilógico, também deve achar que Deus sendo um só possa se manisfestar como: Pai, Filho e Espírito Santo.

      Excluir
    3. Não tem nada a ver com ser lógico ou ilógico, mas com ser bíblico ou não-bíblico. E Theotókos é claramente não-bíblico. E ninguém aqui está arrematando contra a doutrina da Trindade, mas sim que a existência da Trindade bíblica em nada sugere que essa Trindade tenha uma Rainha ou Mãe de Deus, ou que Cristo não tenha se esvaziado ao se tornar humano e que a encarnação tenha sido um enfeite, como criam os gnósticos.

      Excluir
  21. Lucas, algumas tradução traz a expressão; Subsistindo e Sendo.

    Essas expressões nos dão a ideia de que Ele não deixou der "ser", aquilo que Ele é por natureza, pois tanto a forma de Servo e a de Homem, eu as vejo por natureza, assim como a sua forma de Deus.
    O fato de sermos filho de Deus, não implica que sejamos de natureza divina, por justamente sermos seus filhos não por natureza(que é o caso de Jesus) e sim por adoção, enquanto somos filhos de Deus, Jesus é "o" filho de Deus.

    Sobre o texto de João 10.30, eu entende que nesse texto Jesus não estava falando de unidade (como é o caso de João 17.11) e sim de essência e natureza de Deus, prova disso é os Judeus pegarem em pedra, para apedreja-lo, por o entenderem, que Ele estava se fazendo de Deus.

    Eu vejo uma grande distinção entre atributo e natureza, ambos não são a mesma coisa, a tributo tem a ver com faculdade, enquanto natureza tem a ver com essência, quando Jesus diz que é lhe dado todo o poder, diz respeito que naquela ocasião ele toma posse novamente daquilo que Ele esvaziou, que é seus atributos.

    Eu acredtio piamente na trindade, na divindade e na humanidade do verbo.

    Tbm acredito que temos muito mais em comum do que em discordãncias.

    Abraços.
    Fica com Deus.

    Neilom Soares.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Neilom, a paz.

      Não creio que o simples fato de a Bíblia trazer o "sendo" ou "subsistindo" signifique que não deixou de ser algo, porque em minha visão se refere ao estado anterior da encarnação, e os versos prosseguem dizendo o que aconteceu DEPOIS dela. Ou seja, se o "sendo" e "subsistindo" se referissem ao estado da encarnação, eu até concordaria com a sua interpretação, mas como se refere ao estado anterior não creio que uma coisa implique na outra. Se eu dissesse que "Neilom, sendo corinthiano, mudou de time e se tornou são-paulino", isso significa que Neilom continua sendo corinthiano mesmo depois de se tornar são-paulino? Não. O "sendo" apenas retrata aquilo que era antes e não o que se TORNOU posteriormente. O que mata a charada não é o "sendo", mas o "esvaziou-se", que demonstra que Cristo esvaziou-se de si mesmo, i.e, de sua própria natureza, do "sendo", para se "tornar" outra coisa, ou seja, um homem.

      Sobre o texto de João 10:30, mantenho minha posição por uma simples razão: ninguém pode garantir que a interpretação que os judeus deram à passagem não possa estar errada. Os judeus interpretavam errado quase TUDO o que Jesus dizia; quando Cristo falava que era para comer a carne do Filho do homem eles pensavam que era para dilacerá-lo literalmente, quando dizia que tinha que nascer de novo achavam que era para voltar ao ventre da mãe, e assim por diante. Em vista de tantas interpretações erradas que eles tinham daquilo que Jesus dizia, como você pode ter certeza que eles acertaram na interpretação daquilo que Jesus disse em João 10:30? É por isso que a regra de interpretação bíblica (hermenêutica) ensina que a Bíblia explica a própria Bíblia (neste caso, João 17:11 explica João 10:30), e não que "a interpretação judaica é a certa e encerra-se a questão".

      Sobre a questão de atributo e natureza, creio que ficaríamos a eternidade aqui debatendo sobre isso, pois embora eu assuma que exista diferença entre ambas as coisas, creio que a segunda não subsiste sem a existência da primeira. Como já foi dito, um atributo básico da luz é iluminar. Se ela não mais ilumina, não é mais luz. Se Jesus esvaziou-se de Seus atributos em Sua encarnação, Ele não era mais Deus. É aí que reside a nossa divergência. Para você, Jesus poderia ter se esvaziado de seus atributos sem mudar em absolutamente nada a sua essência (natureza); para mim isso é impossível, pois são os atributos que definem a natureza.

      No mais, desejo tudo de bom a você, um forte abraço e que Deus lhe abençoe!

      Excluir
  22. Olá Lucas, o versículo 6 ensina que Jesus “existiu na forma de Deus” O termo “existiu” (sendo, huparchon) não é o termo usual para sendo (hon). Como um particípio presente, ele denota continuação de uma condição antecedente. Em outras palavras, Jesus é e sempre tem sido “em forma de Deus”. “Isso descreve aquilo que um homem é em sua própria essência e que não pode ser mudado. Isso descreve aquela parte de um homem que, em quaisquer circunstâncias, permanece o mesmo” (Barclay 35). Paulo começa afirmando que Jesus é inalteravelmente Deus. Seja o que for que Jesus esvaziou, não foi sua essência divina. Portanto, qualquer posição que ensine que Jesus deixou sua divindade não está sendo fiel a este texto.

    Abraços, fica na paz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Neilom, a paz. Como já disse, compreendo a sua interpretação e o respeito, mas não concordo com ela. Huparchon nunca significou ou implicou em algo que se estende desde o passado até o presente e futuro, essa é uma análise extremamente tendenciosa do seu significado original. De acordo com o léxico da Concordância de Strong, significa:

      5225 υπαρχω huparcho
      de 5259 e 756; v
      1) começar por baixo, fazer um começo.
      1a) iniciar.
      2) vir a, portanto estar lá; estar pronto, estar à mão.
      3) estar.

      Ela significa simplesmente "estar". O texto poderia ter sido traduzido simplesmente por "estando em forma de Deus...", mas preferiram traduzir por "sendo em forma de Deus", o que dá no mesmo, já que o particípio no grego está no tempo presente, ou seja, Paulo estava se referindo à condição divina de Cristo antes da encarnação, e não NA encarnação. Na encarnação, ao contrário, é dito que ele se ESVAZIOU (Fp.2:7). Se esvaziou de que? Pelo contexto é óbvio: de "si mesmo" (v.7), isto é, da condição divina que acabara de ser ressaltada no verso 6. Vale ressaltar também que essa mesma palavra no grego é utilizada em textos como Lucas 8:23, que diz:

      "Enquanto navegavam, ele adormeceu. Abateu-se sobre o lago um forte vendaval, de modo que o barco estava SENDO [huparchon] inundado, e eles corriam grande perigo" (Lucas 8:23)

      Duvido que neste texto Barclay, ou seja lá quem for, interprete que o huparchon signifique uma condição ANTECEDENTE ("estavam") e ao mesmo tempo FUTURA ("estarão"), como se o barco estivesse sendo inundado no passado e continuará sendo inundado para sempre num futuro contínuo. Mas quando a mesma palavra grega entra em cena em Fp.2:6, aí a interpretação do significado dela "muda". Eu vejo isso como uma análise bem tendenciosa dessa palavra, não de sua parte, mas de quem propôs originalmente esse argumento bem conhecido, mas muito pouco fundamentado.

      Um abraço e que fique com Deus!

      Excluir
  23. Em um debate com uns católicos eu fiz uma pergunta a eles, e eles ficaram loucos.
    A pergunta foi em base nesses versiculos.

    ''O próprio Espírito testemunha ao nosso espírito que somos FILHOS DE DEUS''
    ( Romanos 8:16 ).

    ''Vejam como é grande o amor que o Pai nos concedeu: sermos chamados FILHOS DE DEUS, O QUE DE FATO SOMOS''
    ( 1 João 3:1 ).

    Mostrei que as escrituras nos diz que somos filhos de Deus.
    Ai argumentei baseado em cima desse versiculo de João e fiz a pergunta.

    ''Contudo, aos que o receberam, aos que creram em seu nome, deu-lhes o direito de se TORNAREM FILHOS DE DEUS''
    ( João 1:12 ).

    A Escritura mostra que os servos de Cristo são filhos de Deus.
    Maria se declara como serva em Lucas 1:46-47.
    ''Disse então Maria: A minha alma engrandece ao Senhor,
    E o meu espírito se alegra em Deus meu Salvador''
    ( Lucas 1:46-47 ).

    Então se a escritura mostra que os servos de Cristo são filhos de Deus e Maria se declara como serva.
    Então pela lógica:

    Maria é mãe de Deus, ou é filha de Deus?
    Maria é mãe de Deus, ou Deus é Pai de Maria?

    Ai começou os ataques, disseram que tudo eu invento, me chamaram disso e daquilo, teve um que me chamou até de Satanico.




    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, Herik, e a confusão mariólatra não termina aqui, pois pela mesma "lógica' empregada pelos católicos então a mãe de Maria é avó de Deus, a avó de Maria é bisavó de Deus, a bisavó de Maria é tataravó de Deus, e assim por diante até chegarmos em Eva, que não mais sabemos se é uma criação de Deus e filha dEle ou se é uma parente de Deus em um grau bem distante!

      Excluir
  24. Olá Lucas, a paz de Cristo.

    O verbo "estar", é presente do indicativo?

    Se for, Paulo refere há algo que é, e não há algo foi.

    "Estar" não indica, passado e sim presente.

    Portanto, ele está dizendo que Jesus é Deus, na sua forma de home e de servo.

    Um forte abraço.

    Fica com Deus.

    Neilom Soares.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Neilom, a paz. Sim, Paulo não coloca o verbo no passado, mas o situa no presente. Contudo, Paulo não escreve enquanto Cristo esteve encarnado, mas depois da sua ressurreição e ascensão, o que invalida o argumento. Algo que "é" [presente] pode não ter "sido" [passado]. E, como foi mostrado por mim anteriormente, "huparchon" não implica em algo que sempre foi num passado, que é no presente e que será no futuro, mas em algo que é no presente momento sem demais implicações. Doutra forma, o barco que "estava SENDO [huparchon] inundado" (Lc.8:23) estava sendo inundado desde um passado remoto anterior àquele momento presente até para sempre. Abraços.

      Excluir
  25. Infelizmente, os desvios doutrinários e teológicos começarem muito cedo. O conceito de Ortodoxia era um tanto arbitrário, já que se desenvolvia em meio a especulações diante da necessidade de responder as controvérsias da época. Dessa maneira, o mesmo pai que pregou coisas bíblicas também cometeu heresias que foram consideradas ortodoxas no desenvolvimento doutrinário ao longo do tempo. Veja o que ele disse:

    Gregório Nazianzeno
    Ep. 101 (Carta para presbítero Cledônio)

    "Quem não afirma que a Santa Maria é Mãe de Deus (Theotókos), está separado da Divindade. Se alguém não puder afirmar que Ele passou pela Virgem com por um canal, e que não foi ao mesmo tempo divinamente e humanamente formado nela (divinamente pois não houve intervenção de um homem; e humanamente, pois foi de acordo com as leis da gestação), está da mesma forma separado de Deus. Se alguém disser que a humanidade foi formada primeiro e depois então foi revestido da divindade, este também deve ser condenado.” (tradução livre do texto do site http://www.newadvent.org/fathers/3103a.htm)


    ResponderExcluir
  26. Deus tem o poder sobre a terra e todasas coisas.. deste mundo ele vai volta pra presta contas com o seu povo

    ResponderExcluir
  27. Lucas, mais um argumento cai por terra,

    http://jesushomem.wordpress.com/2014/03/22/este-e-o-deus-verdadeiro/

    Abraçoes

    Alon

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alon, veja só isso:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2014/12/pasme-catolico-admite-abertamente-que.html

      Abraços.

      Excluir
  28. Lucas e Neilom, estava lendo os comentários de voces dois relacionado a Filipenses 2:5-8. Voces tem certeza mesmo de que o Jesus em forma de Deus era o Jesus do céu, mas quando foi achado na forma de homem, fala de sua chegada na terra? Onde então estava sua divindade?

    Se voces interpretam que esse "esvaziou-se" de sua essência”, Jesus o fez quando estava no céu, e que, "tornando-se em forma de homem", foi quando ele chegou a terra, porque Paulo nos diz para fazer a mesma coisa?

    Paulo nos encoraja a ter a mesma atitude de Cristo. Veja: “De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus, mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; e, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz”.

    Aqui fala da atitude do Messias como um sentimento, e que devemos ter o mesmo sentimento (!!!) Quem sente é Jesus, O CRISTO, o Ungido, o Messias - é dele que o texto trata. A passagem sugere que essa foi uma mudança racional, uma decisão tomada pelo Salvador que parece ter sido feita aqui mesmo na terra e não no céu. O texto não quer dizer que “ele foi feito à semelhança dos homens, sendo encontrado em forma de homem” porque alterou sua essência de um ser espiritual em um ser humano.

    A passagem não diz nada sobre o céu ou uma vida passada para Jesus, mas sim refere-se a "Cristo" - "o Filho de Deus", um título que ele recebeu apenas a partir de seu nascimento (Sl 2:7; Lucas 1: 32-35 e Mat 1:18.

    Neilom, aproveite e leia no meu site dois artigos muito interessantes: "TUDO foi Criado por Ele" e "Quem é o Alfa e o Ômega?"

    http://jesushomem.wordpress.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia a todos, um feliz 2015.

      Grande abraço Lucas.

      Caro Alon, andei dando uma olhada no que vc me pediu( os dois artigo do teu site), achei interessante a sua interpretação do texto de Paulo aos colossenses porém existe uma grande falha no que tange a expressão "todas as coisas", onde vc diz que a mesma se refere:

      " Ele está falando sobre a nova criação, a criação da estrutura de autoridade no reino de Cristo, a nova criação que é a reconciliação do velho"

      Alon, quando Paulo diz: Porque nele foram criadas todas as coisas que há nos céus e na terra, visíveis e invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades. Tudo foi criado por ele e para ele".

      O que está relacionado( sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades), é apenas um "acréscimo" a "todas as coisas". A ênfase dada ao que foi por ele relacionado é para mostrar que até os poderes é "obra de suas mãos", ademais o contexto de toda as escrituras não deixam dúvidas da obra de Criação de Cristo. Mesmo que sua interpretação esteja correta, este texto não refuta a divindade de Cristo.

      Quanto ao que vc escreveu sobre o "Alfa e o ômega", no seu artigo, ele é por demais fácil de refutação, mesmo que nos originais não conste o que vc relatou, mesmo assim, João está a falar de Cristo, senão vejamos:

      E nos fez reis e sacerdotes para Deus e seu Pai; a ele glória e poder para todo o sempre. Amém.
      Eis que vem com as nuvens, e todo o olho o verá, até os mesmos que o traspassaram; e todas as tribos da terra se lamentarão sobre ele. Sim. Amém.
      Eu sou o Alfa e o Ômega, o princípio e o fim, diz o Senhor, que é, e que era, e que há de vir, o Todo-Poderoso.

      Apocalipse 1:6-8

      Pois se vc notar, João está falando de Jesus que "virá nas nuvens" e no versículo oito, tbm diz que Ele virá( o que há de vir), ora, sem sombras de dúvidas, quem "virá é Jesus", Ele é o que "há de vir".

      "...Eis que é vindo o Senhor com milhares de seus santos;

      Judas 1:14

      Eu vou ler mais os seus artigos.

      Um forte abraço.

      Excluir
  29. Olá Lucas Banzoli,Alon e Neilom

    Boa tarde

    Se interpretarmos que Jesus "esvaziou-se" de sua essência considerando a essência o ser em si então Jesus que seria a essência esvaziaria a si próprio ou seja a sua essência? Se Ele se esvaziou em essência então nada restou nele então Ele foi aniquilado. Agora considerando que Jesus tinha uma glória isso seria um dos atributos dele. Aí é que entra uma questão interessante : A essência é algo que é a base substancial dos atributos ou a essência é a soma dos atributos formando o ser em questão? Se Jesus tem um essência então isso reflete um substância sólida e isso embora não seja o assunto aqui reforça a idéia que o ser humano tem uma alma imortal ou seja uma essência em si. Em João 17: 5 Jesus pede a glória que Ele tinha ou seja então Jesus perdeu um dos atributos dele que no caso é a glória então significa que Jesus tendo um essência tinha um glória que permearia toda a estrutura dele e o manteria como um característica ímpar na Eternidade pré-criação.

    Em relação a forma em Filipenses 2:6 e no verso 7 a palavra grega para forma é "morphe" indicando uma natureza que no caso é a Divina e no verso 8 a a palavra forma é "schema" indicando um forma externa mas na essência tem algo Divino.No verso 7 quando Jesus se esvazia não de si em essência senão Ele se auto-destruiria mas perdendo a glória que o revestia possibilitando assim toda uma estrutura Divina pré-criação a palavra "forma" indica que ele se tornou como um servo porém mantendo a natureza Divina e assumindo no verso 8 a forma de homem aí entra o aspecto humano dele então temos que natureza Divina e natureza humana juntas.
    Um outro ponto é que quando Jesus desceu do Santo Céu Ele tinha uma essência e se tal essência se transformou em essência totalmente só humana mesmo assim tem que haver uma continuidade pois se o esvaziamento fosse essencial não seria possível a própria transformação de Jesus enquanto essência em Jesus como totalmente humano mesmo sem considerá-lo um ser Divino pois não teríamos uma continuidade no processo e para ter a continuidade a essência tem que existir e tem que ser um essência Divina pois a humana Ele ainda iria adquirir.

    Um abraço e felicidades

    Luiz Fernando

    ResponderExcluir
  30. Alon, não se incomode. O Luiz vê uma “alma imortal” em tudo, parece até um robô projetado com inteligência artificial para ver uma “alma” em tudo o que é canto. Daqui a pouco ele vai dizer que Deus não poderia ter criado o mundo se não tivesse uma alma, ou vai fazer igual ao Benny Hinn e dizer que cada membro da Trindade tem corpo, alma e espírito. Eu nem sei mais que loucura que está por vir, já me cansei, nem discuto mais com ele. Publiquei este comentário para ver se você tem mais paciência que eu e está disposto a debater com o sujeito, já que o Neilom sumiu. Eu não perderia meu tempo, mas você quem sabe...

    ResponderExcluir
  31. Luiz, não sei como alguém que é considerado semente da mulher, descendente de Davi e Abraão poderia ter vivido antes de nascer em Belém. Isso é uma contradição medonha. Aproveite e dê uma olhada no meu artigo “A Glória de Antes” e “A Semente da Mulher”, lá no meu site:

    http://jesushomem.wordpress.com/

    Interessante que hoje milhões dentro do cristianismo não mais creem na mortalidade da alma, arrebatamento pré-tribulacional e predestinação, como ocorria a três décadas passadas. Podemos também encontrar hoje uma boa parte de cristãos que não creem mais na pré-existência de Jesus, e apesar não serem em grande número, podem acreditar que daqui a 20 anos serão maioria. É sempre assim ... Tradição demora para ser quebrada, mas um dia ela se desfaz em pedaços!

    ResponderExcluir
  32. Olá Alon

    Boa noite

    Eu fiz uma observação a respeito do esvaziamento de Jesus e não teve refutação. Repare que Jesus se esvaziou só Deus poderia fazer isso. Se Jesus se esvaziou a si mesmo significa que esse processo foi pleno senão poderia significar que ele se esvaziou somente um parte e a outra parte que restou seria uma quantidade de parte divina,então só faz sentido se ele tivesse se esvaziado 100%.

    O fato de milhões não crerem na imortalidade da alma não prova que a mesma não é uma doutrina cristã pois eu posso argumentar que a maioria das denominações cristãs creem e os mortalistas mesmo assim não acreditarão nisso. O que importa são os argumentos bíblicos e isso os mortalistas até hoje não conseguiram refutar portanto o argumento que " milhões dentro do cristianismo" não é argumento definitivo para refutar a doutrina totalmente bíblica da imortalidade da alma. Um dos textos que mostra imortalidade da alma é Atos 17:16.

    Se daqui a alguns anos uma maioria acreditará nisso ou seja na não pré-existência de Jesus então estaria se formando um outra tradição.

    Vou dar uma olhada no seu artigo com calma.

    Um abraço e felicidades

    Luiz

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Voce disse: “Eu fiz uma observação a respeito do esvaziamento de Jesus e não teve refutação. Repare que Jesus se esvaziou só Deus poderia fazer isso. Se Jesus se esvaziou a si mesmo significa que esse processo foi pleno senão poderia significar que ele se esvaziou somente um parte e a outra parte que restou seria uma quantidade de parte divina, então só faz sentido se ele tivesse se esvaziado 100%”.

      Se esvaziou 100%? Então ele era plenamente humano sem nada de divindade?

      Não entendi. Você está querendo afirmar que Jesus não se esvaziou por completo apenas para salvar sua divindade ou você diz que ele se esvaziou por completo e a parte divina sumiu?
      Uma pergunta: Jesus morreu mesmo ou uma parte dele continuou viva em ouro lugar enquanto ele estava no túmulo?

      É o que parece, pois se ele era o eterno, então seu sacrifício foi uma farsa. Outra coisa, ele diz em Apocalipse 2:8 que “estava morto e reviveu, mas eis agora estou vivo para sempre”. Observe que sua morte contrasta com estar vivo para TODO SEMPRE, o que deve significar que quando ele morreu ele morreu mesmo, e não que a parte eterna dele ficou vagando por aí por que era divina.

      Quer saber de uma coisa, meu caro, vocês transformaram Jesus numa coisa do outro mundo, acabando com seu sacrifício na cruz. Por isso esse povo, seja evangélico ou católico, vivem atrás de mediadores aqui da terra. Todos tem seus ídolos! Se Jesus era Deus, imaginam, quem pode seguir seus passos? Então chega a hora de dizer ao Pai que aqui também tem gente divina. Leia meu artigo na primeira página do site que você vai entender o perigo de se transformar um ser humano em Deus.

      Francamente... Aquela velha história se ser igual a Deus ainda continua. Eles querem mostrar a Deus seus poderes através de suas mandingas; suas rosas ungidas, paletós ungidos, voz ungida e sobrenatural, objetos sagrados, gente sagrada e etc...

      A oferta do diabo ainda continua ecoando... “VOCES SERÃO COMO DEUS”.

      Acabou mesmo a fé genuína NA PESSOA DE JESUS!

      Excluir
    2. Luiz Fernando, voce está equivocadíssimo. Não entre para o grupo daqueles que não confessam que Jesus veio como um ser humano. É típico do Cristianismo tradicional não confessar que Jesus veio em carne. Ele veio do espaço, dizem muitos. Era o Thor, murmuram outros. Era o homem que veio do céu para a maioria. Imaginem só um MESSIAS pré-existente?

      A Bíblia garante que a raiz dele está em Davi. O evangelista Lucas quando volta na genealogia de Cristo chega até Adão e Miquéias 5:2 esclarece que sua origem é Belém: “E tu, Belém Efrata, posto que pequena entre os milhares de Judá, DE TI ME SAIRÁ o que governará em Israel”.

      Me causa risos imaginar alguém que é “semente da mulher” ter existido antes do seu nascimento!

      Chora quem quiser, mas sua origem é deste mundo, como bem atesta a tradução da NTLH:
      1 João 4:2 “É assim que vocês poderão saber se, de fato, o espírito é de Deus: quem afirma que Jesus Cristo veio como um ser humano tem o Espírito que vem de Deus”.

      Fica na paz

      Excluir
  33. Alguém poderia me responder onde estava o Deus filho no Velho Testamento? Parece que não havia nenhuma pessoa distinta do Pai. Veja:

    “Porque, quando Deus fez a promessa a Abraão, como não tinha outro maior por quem jurasse, jurou por si mesmo”, Hb 6:13.

    Nenhum Deus além do Pai, nem antes e nem depois dele; nem mesmo no céu, como confirma Isaías,

    “Vós sois as minhas testemunhas, diz o Senhor, e meu servo, a quem escolhi; para que o saibais, e me creiais, e entendais que eu sou o mesmo, e que antes de mim deus nenhum se formou, e depois de mim nenhum haverá”, Isaías 43:10.

    Samuel nunca ouviu falar em outro Deus como a segunda pessoa da trindade: “Portanto, grandioso és, ó Senhor Deus, porque não há semelhante a ti, e não há outro Deus senão tu só, segundo tudo o que temos ouvido com os nossos ouvidos”, 2 Samuel 7:22.

    Moisés diz a mesma coisa; nenhum Deus Filho no céu, só o Pai: “Por isso hoje saberás, e refletirás no teu coração, que só o Senhor é Deus, em cima no céu e em baixo na terra; nenhum outro há”, Deut 4:39.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Alon, atente para essas passagens bíblicas que lhe mostrarei agora, vejamos:

      Depois apareceu-lhe o Senhor nos carvalhais de Manre, estando ele assentado à porta da tenda, no calor do dia
      E levantou os seus olhos, e olhou, e eis três homens em pé junto a ele. E vendo-os, correu da porta da tenda ao seu encontro e inclinou-se à terra,

      Gênesis 18:1-2

      O autor do Genesis é "enfático", ao dizer que( "...apareceu-lhe o Senhor,...") o Senhor apareceu a Abraão, ele diz que Abraão viu "três varões", e ao avista-los correu ao encontro deles e inclinou-se dizendo:

      "E disse: Meu Senhor, se agora tenho achado graça aos teus olhos, rogo-te que não passes de teu servo".

      Gênesis 18:3

      Note o que disse Abraão( meu Senhor) quando o mesmo se inclina, ao invés dele dizer; "Meus Senhores", no plural, ele diz; "Senhor" no singular, mas vamos mais adiante.

      "Então viraram aqueles homens os rostos dali, e foram-se para Sodoma; mas Abraão ficou ainda em pé diante da face do Senhor."

      Gênesis 18:22

      Olha que interessante, os dois "Anjos"( V. Gn. 19.1) foram para Sodoma e Moisés, escreve que Abraão, "ficou na presença do Senhor". Vamos prosseguir.

      "Longe de ti que faças tal coisa, que mates o justo com o ímpio; que o justo seja como o ímpio, longe de ti. Não faria justiça o Juiz de toda a terra?

      Gênesis 18:25

      Que Maravilha que Moisés registra, veja o que ele registrou, Olha Abraão falando; "...o Juiz de toda a terra."

      Agora para não deixar nenhuma dúvida, aqui vai o tiro de misericórdia;

      "Então o Senhor fez chover enxofre e fogo, do Senhor desde os céus, sobre Sodoma e Gomorra;"

      Gênesis 19:24

      "...o Senhor fez chover enxofre e fogo, do Senhor desde os céus,..."

      Um "Senhor"(Jeová) aqui embaixo, que apareceu a Abraão, fez chover fogo e enxofre do "Senhor"(Jeová), que estava lá em cima.

      Sendo assim, aqui está uma prova irrefutável da pré-existência de Cristo e o que ainda melhor, A SUA DIVINDADE.

      Alon, um forte Abraço.

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    3. Meu caro Alon, a palavra Senhor ali, ambas no Hebraico é Jeová, sendo assim, o que estava com Abraão na terra era Deus e o que estava "...desde os céus,....", tbm é Deus.

      Portanto é mais uma manifestação das pessoas da trindade.

      Para Paulo, Jesus tbm é Deus, olha ele fazendo referência da citação do profeta, vejamos;

      E toda a língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para glória de Deus Pai.

      Filipenses 2:11

      Essa passagem declara que todo joelho um dia confessará que Jesus é "Senhor", uma citação de lsaías 45:23, que se refere a Yahveh, um nome de uso exclusivo de Deus.



      Um forte abraço.

      Excluir
    4. Neilom, eu já ouvi até muitos afirmar que os três seres que visitaram Abraão tipificava a trindade, o Pai, o Filho e o Espírito Santo. Imagina você, o Pai, Filho e o Espírito Santo comendo com Abraão? Não é bacana?

      Deus, Jesus e o Espírito Santo jantando com Abraão!!!

      Neilom, tem gente que ainda acredita nessa coisa. Se você fala eles ficam emocionados e choram, se arrepiam todos. Veja você que dizem até que Jesus desceu do céu pela primeira vez na ocasião da torre de babel, quando Deus o chama e diz: “Eia, desçamos e confundamos ali sua língua...”. Pois é, Deus falava com Jesus de Nazaré, né?

      Depois foi Jacó que lutou uma luta espetacular com um anjo, o qual muitos dizem que era Jesus. E Melquisedeque, que alguns malucos insistem que também era Jesus? Aliás, Jesus era até uma pedra, aquela que seguia os Israelitas, lembra? E agora vem você me dizendo que um dos anjos que jantou com Abraão e fez fogo descer do céu era o carpinteiro, filho de Maria. Meu Deus do céu, como pode uma coisa dessas!!!

      Afinal de contas, Neilom, quantas vezes o verbo se fez carne?

      Excluir
    5. Neilom disse: “Um "Senhor"(Jeová) aqui embaixo, que apareceu a Abraão, fez chover fogo e enxofre do "Senhor"(Jeová), que estava lá em cima”.

      Neilom, além de errar quando sugere que o anjo que fez descer fogo do céu, era Jesus, você também erra feio quando o chama de Jeová. Esse nome pertence ao Pai, e não ao Filho. NUNCA existiu dois Jeová, dois Deus.

      Poderia você admitir que tem no céu, dois pais? Quantos pais tinham, e tem no céu, o povo de Israel? Obviamente que um só Pai, consequentemente um só Deus, como declara Paulo:

      “Todavia para nós há um só Deus, o Pai, de quem é tudo e para quem nós vivemos; e um só Senhor, Jesus Cristo, pelo qual são todas as coisas, e nós por ele”, 1 Corintios 1:8.

      Voce precisa se livrar do fermento católico, Neilom

      Abraços

      Excluir
    6. Caro Alon, quem escreveu foi Moisés, e ele é enfático ao dizer;

      "...apareceu-lhe o Senhor,..."

      Gênesis 18:1

      "...disse o Senhor a Abraão,..."

      Gênesis 18:13

      Então viraram aqueles homens os rostos dali, e foram-se para Sodoma; mas Abraão ficou ainda em pé diante da face do Senhor.

      Gênesis 18:22

      Vc quer mais clareza do que isso?

      Veja:

      "...Abraão ficou ainda em pé diante da face do Senhor."

      Abraços.


      Excluir
    7. Alon, a doutrina da trindade não sugere três Deus, e sim um, que subsiste em três pessoas, distintas; Pai, Filho e Espírito Santo.

      O Pai é Deus, o Filho é Deus e o Espirito Santo é Deus.

      Quero só te lembrar, que Jesus teve um Pia biológico e este não foi José.

      Jesus não foi criado, foi gerado.

      Abraços.

      Excluir
    8. Olá Alon, estava eu aqui pensando e meditando, nessas expressões:

      "...um só Espírito, ..."

      Efésios 4:4

      "Um só Senhor, ..."

      Efésios 4:5

      "Um só Deus,..."

      Efésios 4:6


      "...um só Espírito, ..."


      Com os argumentos do Alon, podemos chegar a conclusão, que como há, "um só Espírito", logo, Deus não é Espirito e o Espirito não é Deus, Por que só existe um Espírito, sendo assim não podemos dizer que Deus é Espírito e vice e versa.

      "Um só Senhor, ..."

      Aqui tbm não é diferente, se existe "um só Senhor", e Jesus é este Senhor, logo, Deus não pode ser Senhor e o Senhor, não é Deus, pois existe só um Senhor, e Ele é Cristo.

      "Um só Deus,..."

      E para concluir. Se existe "um só Deus", o Senhor não é Deus e muito menos o Espirito é Deus, por que Deus é "um só", E
      e Ele não pode ser Senhor e muito menos Espírito, por que só Existe, "um só Espírito e um só Senhor."

      Alon, meu nobre amigo, sugiro que vc reveja seus conceitos.

      Excluir
    9. Meu presado, é um só Deus mesmo. O só Senhor do seu texto, se voce quiser, pode aplicá-lo a Jesus. Porém, Deus mesmo, Todo Poderoso e criador dos céus e da terra e tudo que neles há, somente um, o Pai. Jesus fez parte da humanidade sendo ele um ser humano. Depois da ressurreição ele nao foi transformado em um Deus, mas num homem glorificado. Entendeu, Neilom?

      Ele está assentado ao lado do Pai como nosso Sumo Sacerdote. Sumo Sacerdotes não são DEUSES, mas são separadas dentre seres humanos,

      Hebreus 5:1 PORQUE todo o sumo sacerdote, tomado dentre os homens, é constituído a favor dos homens nas coisas concernentes a Deus, para que ofereça dons e sacrifícios pelos pecados

      Entendeu, o irmão gêmeo do Luiz Fernando?

      Excluir
    10. Vou usar seus versículos. Veja se são dois DEUS ou u só

      "Um só Senhor... Um só Deus e Pai de todos", Efésios 4:5,6

      "Todavia para nós há um só Deus, o Pai... e um só Senhor, Jesus Cristo...”, 1 Coríntios 8:6

      Manda mais , Neilom, preciso de pelo menos mais duas horas de debates para completar algumas coisas no meu site. O Luiz Fernando já me mostrou argumentações que nunca vi; são veneno puro, nocivas e perigosas aos cristãos mais desavisados. O camarada teve a ousadia de dizer que Jesus não era humano, mas um andróide. Os textos dele já me renderam mais dois artigos.

      Sou muito grato... Escreve mais

      Excluir
    11. Meu Caro Alon, mas é claro que é só um Deus, quem está aqui falando que é dois ou três?Vc precisa conhecer melhor essa doutrina, ela jamais afirma ou ensina, "três Deus".


      "Todavia para nós há um só Deus, o Pai... e um só Senhor, Jesus Cristo...”

      Aqui é outra referência, onde fala que Deus, o Pai, é uma pessoa, e Jesus Cristo, o Filho, é outra. Jamais essa referência exclui Jesus da divindade,pelo fato de Paulo ter dito; "um só Deus", como tbm não exclui o Pai, do Senhorio, pelo fato de Paulo ter dito; "um só Senhor", ambos, são Deus e Senhor.

      No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.

      João 1:1

      Porque três são os que testificam no céu: o Pai, a Palavra, e o Espírito Santo; e estes três são um.

      1 João 5:7

      Vc não está me entendendo, ou finge não me entender, me desculpe, estou com essa dúvida.

      Um forte Abraço.

      Excluir
    12. Quem está em dúvida sou eu. Não sei mesmo como voces podem admitir que um homem que comia e bebia, fazia suas necessidades fisiológicas, dormia e acordava, era divino. Um verdadeira piada o que nosso amigo disse aqui: "Jesus tinha uma parte humana e uma divina, a humana foi a que morreu".Traduzindo: Jesus não morreu, mas ficou vivo enquanto era sepultado.

      Que coisa mais sem sentido essa proposta de voces. Estão destruindo a obra de redenção.O que deveria ter sido feito por um homem a nossa semelhança, acabou sendo feito por um andróide!

      Esse foi o Jesus de voces que aqui andou: A PROVA DE BALA!

      Excluir
    13. Caro Alon, se veio em carne, logicamente, todas as necessidades humanas, Jesus teve que passar, afinal de contas, Ele é um ser humano, mesmo sendo divino.

      O que vc não entende(fico na dúvida, pois acho que vc entende, só não aceita), é que Jesus "foi gerado," e não criado, quando gerado, foi gerado de DEUS, no ventre de um ser humano, para que assim, o mesmo adquirisse a natureza humana, "sem perder a divina", haja vista, ser gerado de Deus.
      Alon, ser humano que gera ser humano, é impossível que o mesmo não seja um ser humano.
      Sendo assim, o que Deus gerou, foi Deus, mesmo sendo ser humano, pois é dito que Deus se fez carne.
      Deus, gera Deus, num ventre humano e o resultado foi, um ser, com duas natureza, humana e divina. Jesus é homem. Jesus é Deus.

      Todo aquele que crê que Jesus é o Cristo é nascido de Deus, e todo aquele que ama o Pai ama também ao que dele foi gerado.

      1 João 5:1

      "...ao que dele foi gerado."

      Sabemos também que o Filho de Deus veio e nos deu entendimento, para que conheçamos aquele que é o Verdadeiro. E nós estamos naquele que é o Verdadeiro, em seu Filho Jesus Cristo. Este é o verdadeiro Deus e a vida eterna.

      1 João 5:20

      " Este é o verdadeiro Deus e a vida eterna."

      "Deus nunca tia sido homem, hoje Ele é homem, sem jamais deixar de ser Deus."(Neilom Soares).

      Abraços Alon.

      Excluir
    14. Alon, eu vou para por aqui, é sempre um prazer enorme, debater este assunto com vc. Quando eu tiver algo novo, retorno aqui.
      Lucas, estou sempre lendo os teus artigos(que por sinal, são excelentes), andei sumido, devido as correrias e os contra tempo, esse mês estou de férias, sobra um tempinho para ler os teus artigos e entrar aqui e tecer alguns comentários.
      Um forte abraço.

      Excluir
    15. Sinta-se à vontade, Neilom. Sempre que quiser comentar aqui, as "portas" estão abertas :)

      Abraços e boas férias pra você.

      Excluir
  34. Olá Alon

    Boa noite

    Alon um Feliz Ano Novo para você

    Em Filipenses 2:6-8 fala da pré-existência de Jesus e Jesus não sendo um anjo só poderia ser Deus. Ele esvaziou-se de Sua glória e não de sua essência.
    Jesus jamais poderia ter se esvaziado em sua essência 100% senão Ele teria se aniquilado.Ele se esvaziou da glória dEle porém a essência permaneceu. Não confunda a glória com a essência. Somente Deus poderia realizar esse ato de esvaziamento como foi.Será que Moisés, Abrãao, Maria, ou talvez Enoque poderiam como 100% humanos tentarem se esvaziar como Jesus fez?
    Boa pergunta. O corpo de Jesus depois que morreu sofreu algum tipo de corruptiblidade?Se o corpo dEle tivesse algum tipo de corruptibilidade jamais Ele teria sido ressucitado Ele teria sido totalmente derrotado e consumido pelo pecado .Se Ele fosse 100% humano simplismente Ele não agüentaria e jamais ressucitaria. Sem a natureza Divina o corpo de Jesus sendo somente 100% humano absorveria o pecado totalmente e seria 100% consumido pelo mesmo.

    Apocalipse 2:8 significa que Ele morreu, mas na parte Divina dEle jamais morreu.Por isso tanta ênfase no aspecto humano dEle por isso tanta ênfase na entrada dEle na História enquanto humano. Todas as passagens que falam de Jesus enquanto humano não são para negar a Divindade dEle mas para reafirmar a complexa interação dos dois Santos Aspectos.

    Os textos que falam da vinda de Jesus na História enfatizam a natureza humana dEle, então se Jesus fosse somente 100% humano não haveria necessidade de tanta enfâse repare três passagens: 1 João 4:2, 1João 4;3 , 1 Timóteo 3:16, 2 João 1:7 nessas passagens é enfatizado que Jesus veio ou seja se manifestou em carne ora se Jesus tivesse manifestado somente uma natureza 100% humana não haveria necessidade de tanta ênfase a ênfase é precisamente pelo fato de Jesus já ter uma natureza Divina que iria interagir poderosamente com a Humana e não somente humana.

    Seria totalmente impossível a "semente" de Gênesis 3:15 ter sido um ser somente 100% humano, não teria a menor possibilidade de tal ser vencer as obras do diabo. Jesus derrotou o diabo em harmonia com Deus e tal harmonia era especial. A relação de Jesus com Deus era especial e para que isso fosse possível se faz necessário algo Transcendente em ambos.

    Se Jesus foi somente 100% humano não teria necessidade da ação do Espírito Santo bastaria José que era somente100% humano ter relações com Maria que era somente 100% humana para gerar um ser somente 100% humano.

    Hebreus 6:13 - Jesus como "Filho de Deus" tal título só poderia existir pois algo de Divino existisse em Jesus. Repare em Lucas 6:5. temos que Jesus é citado como "Filho do Homem" ao mesmo tempo é 'Senhor" significando Deus.

    Isaías 43:10 é uma referência a deuses que não existem, deuses "estranhos" como Isaías 43:12 ou seja é algo direcionado a "deuses estranhos" conforme temos em Gênesis 35:4 e 2 Crônicas 14:3 eram deuses objetos de idolatria. Na verdade tal passagem enfatiza até a Divindade de Jesus pois em relação aos deuses esses não tinham nada de Transcendência.

    2 Samuel 7:22 - O mesmo raciocínio é só ler o versículo imediatamente seguinte e veremos a referência a "deuses".

    Deut. 4:39 - Novamente o mesmo raciocínio veja Deut. 4:7 e 4:28 a Bíblia faz uma clara citação de deuses que não existem.

    Portante está muito claro nas 4 passagens que se trata da relação de Deus com outros deuses e da relação entre Deus e Jesus.

    Um abraço e felicidades

    Luiz

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luiz Fernando disse: "Seria totalmente impossível a "semente" de Gênesis 3:15 ter sido um ser somente 100% humano, não teria a menor possibilidade de tal ser vencer as obras do diabo. Jesus derrotou o diabo em harmonia com Deus e tal harmonia era especial. A relação de Jesus com Deus era especial e para que isso fosse possível se faz necessário algo Transcendente em ambos".

      Luiz, voce está confessando descaradamente que Jesus não veio em carne!

      Voce transformou Jesus num andróide católico!

      Excluir
    2. Luiz, então voce acredita que os versículos estão fazendo um contraste entre Deus e os deuses estranhos, certo?

      E aqui nestas duas passagens?

      1 Timóteo 2:5, Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem.

      Mateus 19:16,17, E eis que, aproximando-se de Jesus um jovem, disse-lhe: Bom Mestre, que bem farei para conseguir a vida eterna? E ele disse-lhe: Por que me chamas bom? Não há bom senão um só, que é Deus. Se queres, porém, entrar na vida, guarda os mandamentos

      Excluir
    3. Outra coisa, Luiz, se havia dois Deus, ou dois JEOVA, como diz o Neilom, o Jeova Filho e Jeova pai, por Deus não jurou pelo Filho?

      “Porque, quando Deus fez a promessa a Abraão, como NÃO TINHA OUTRO maior por quem jurasse, jurou por si mesmo”, Hb 6:13.

      Excluir
    4. Caro Luiz, excelentes argumentos. Permita-me trazer mais ao seus argumentos.

      O Apóstolo João quando escreve;

      No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.
      Ele estava no princípio com Deus.

      João 1:1-2

      E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade.

      João 1:14

      Note que João diz que "o verbo se fez carne", as palavras de João são tão claras, que ele demonstra com elas, que este verbo existia e se fez carne, ou seja, é algo que era de uma forma e se fez de outra forma, se não fosse assim, não teria sentido João dizer que o "tal se fez".

      Abraços.

      Excluir
    5. Errado outra vez!

      O verbo não era uma pessoa!

      http://jesushomem.wordpress.com/category/pre-existencia-de-cristo/no-principio-era-o-verbo/

      Outra coisa, vai la e leia de novo o artigo sobre o Alfa e o Òmega, pois para me dar a resposta que voce me deu me faz acreditar que voce, ou não leu, ou leu muito rápido.

      Excluir
    6. Isso aqui é mais perigoso do que dez bombas atômicas sendo detonadas de uma só vez na cidade de São Paulo:

      "Seria totalmente impossível a "semente" de Gênesis 3:15 ter sido um ser somente 100% humano, não teria a menor possibilidade de tal ser vencer as obras do diabo. Jesus derrotou o diabo em harmonia com Deus e tal harmonia era especial. A relação de Jesus com Deus era especial e para que isso fosse possível se faz necessário algo Transcendente em ambos".

      Lucas, tem como voce comentar algo aqui?

      Excluir
    7. Eu fiquei tão chocado quanto você quando vi ele dizer isso...

      Excluir
    8. Parece que Deus nos enganou dando a Jesus uma vantagem oculta!

      É isso que esse cidadão misterioso está querendo dizer.

      Excluir
    9. Ele está confessando descaradamente que Jesus não veio em carne!

      Excluir
  35. Olá Alon

    Quem crê que Jesus era na terra 100% Deus e 100% crê que Jesus veio em carne pois se Ele era 100% logo tal humaniddae foi em carne isso é óbvio. Não tem como negar que Jesus veio em carne e eu até coloquei as passagens. Ele realmente veio em carne e jamais , jamais negando a Divindade dEle.

    As passagens citadas claramente são um contraste com outros deuses isso não tem como refutar, analise o contexto. Isaías 43:10 com Isaías 43:12, 2 Samuel 7:22 com o verso 23 e Deut. 4:39 com Deut. 4:7 e Deut. 4:28.

    1 Timóteo 2:5 - Você esqueceu do verso 6 - Fala do Sacrifício de Jesus para a redenção e foi o aspecto humano dEle que morreu e nunca,nunca o Divino. repare que no final do verso 5 é citada a expressão "homem" que está diretamente ligada à obra de redenção dEle logo Ele veio em carne para morrer como homem com ambas as naturezas.Foi enfatizado a natureza humana dEle ligada ao Santo Sacríficio de Jesus lembrando sempre que o Santo Corpo de Jesus não viu a corrupção pois a natureza Divina atuou logo esta em ação nEle o tempo todo.

    Se só Deus é bom, então Jesus não era bom? Como fica então João 10:11 e João 10:14 em que Jesus se declara " Bom Pastor" ?Jesus era tão bom quanto Deus isso acontece pois ambos tinham ( e tem) uma natureza Divina. Jesus nunca negou que existe um só Deus, um só Deus em três Santíssimas Pessoas. Em Marcos 10:17 diz que o jovem "ajoelhou-se" perante Jesus.

    São 3 Santíssimas Pessoas cada uma tem uma função, Deus Pai veio na Terra morrer por nós? Deus Pai não é Todo Poderoso? Por que Ele não veio na terra morrer então?Só Jesus tendo natureza Divina poderia salvar a humanidade.

    Em Hebreus 6:13 Deus fez um ato Divino, Jesus fez outros atos Divinos. A Santa Doutrina Cristã da Santíssima Trindade em essência um não é maior o que o outro,pois cada um tem uma função específica. Em Gênesis 14 a ação foi de Deus o que isso tem haver no fato de Jesus não ser Divino? Aconteceu uma Cristofania em Gênesis 18:1. Você confunde as Santas Pessoas com Deus.

    Um Jesus somente 100% humano teria sido um Jesus limitado e insuficiente pois teria pecado não seria um salvador.

    Um abraço

    Luiz








    ResponderExcluir
  36. Meu irmão, peço a Deus, misericórdia, por você. Você se equivocou em dizer que a igreja católica diz que Maria é mãe de Deus. Pois professamos: Maria filha de Deus Pai, Mãe de Deus Filho e esposa de Deus Espírito Santo. Não há heresia na fé Católica. Existem interpretações externas infundadas e individualista. A concelho você ler Scott Ham. Ex-pastor que, com seus escritos, mais de 7 mil pastores se converteram ao Catolicismo. Fique com Deus. Que Deus tenha misericórdia de você. E que Maria te abrace também como filho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu me equivoquei em dizer que a Igreja Católica diz que Maria é mãe de Deus? kkkkkkkkkkk

      É triste discutir com gente que não conhece a doutrina da própria igreja. Deixa eu te ensinar um pouquinho de catecismo católico:

      "§966 Em vosso parto, guardastes a virgindade; em vossa dormição, não deixastes o mundo, Ó MÃE DE DEUS: fostes juntar-vos à fonte da vida, vós que concebestes o Deus vivo e, por vossas orações, livrareis nossas almas da morte"

      "§963 Com efeito, a Virgem Maria é reconhecida e honrada como A VERDADEIRA MÃE DE DEUS e do Redentor"

      Acho melhor eu tomar cuidado, porque senão daqui a pouco você vai me dizer também que a Igreja Católica nunca disse que Pedro foi o primeiro papa.

      O livro do Scott Ham é tão ridículo, bobo e fácil de ser refutado que não convence nem uma criancinha que faz escolinha dominical na igreja. Ele converteu sete mil pastores? De onde você tirou isso? Você pode me passar a lista com o nome de cada um destes supostos sete mil pastores, juntamente com a congregação em que eles atuavam como pastores?

      Acho melhor eu tomar cuidado redobrado, porque daqui a pouco você vai me dizer que o Scott Ham é tão fantástico que me converteu também.

      Que Deus tenha misericórdia de você, e que JESUS te abrace como filho.

      Excluir
  37. Muito bom, Lucas! Deus continue te abençoando.

    ResponderExcluir
  38. Em Lucas 1:43, os católicos dizem que o pronome de tratamento (senhor) é um "S" maiusculo. Portanto, eles concluem que Maria é mae de Deus, por causa do "s" maiusculo. COmo voce responderia, Lucas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em grego não existia distinção entre letras maiúsculas e minúsculas. Portanto, quem afirmou essa asneira não sabe nada de grego, e pensa que a Bíblia foi originalmente escrita em português...

      Excluir
    2. Se você quiser pode consultar:

      http://biblia.gospelprime.com.br/receptus/lucas/1/

      Excluir
    3. Daí uma dúvida, é dito que a diferenciação surgiu no período helenístico, e o evangelho de Lucas é escrito em grego Koiné, também chamado de Grego helenístico, então na época que o evangelho foi escrito já não havia, realmente, distinção de maiúsculas e minúsculas?

      Excluir
    4. Complementando minha dúvida. Inclusive, o novo testamento em grego, versão Westcott / Hort (1881) é dito em letra maiúscula: "καὶ πόθεν μοι τοῦτο ἵνα ἔλθῃ ἡ μήτηρ τοῦ Κυρίου μου πρὸς ἐμέ"; Veja o Κυρίου, olhe o K maiúsculo. A versão Hort é uma tradução do grego original, isso está dando muita confusão...

      http://bibliaemgrego.blogspot.com.br/2010/03/novo-testamento-em-grego.html

      "O Novo Testamento no Grego Original é o nome de uma versão grega do Novo Testamento publicado em 1881. É também conhecida como O Texto de Westcott e Hort..." https://pt.wikipedia.org/wiki/O_Novo_Testamento_no_Grego_Original

      Excluir
    5. Veja a minha resposta na sua outra pergunta em torno da mesma questão (no final da página). Abs.

      Excluir
  39. Olá, Lucas, Ao Ler sua Postagem me Veio a Mente o Concílio Éfesos, que afirma que a Natureza Divina e a Natureza Humana, se encontram em Perfeita Unidade ( União Hipostática), de modo que ambas as Naturezas pertencem a Uma Única Pessoa que é Jesus Cristo, uma Vez que uma Mãe dá a Luz a Uma Pessoa e não a uma Natureza, Então é Correto Afirmar que Maria gerou uma Natureza Humana porém ela é Mãe de uma PESSOA, que Sustenta a Natureza Humana (CARNE) e Natureza DIVINA (DEUS). Portanto No Concílio Éfesos definiram Maria Como Mãe de DEUS.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não concordo com o que diz esse Concílio de Éfeso, ele não é infalível e nem a autoridade final em matéria de fé.

      Excluir
    2. Bom, Mas faz sentido, talvez, o Concílio de Éfesos possa estar certo, pois se não há comunicação entre na Natureza Divina com a Natureza Humana de Cristo, não tem lógica dizer que Cristo é Deus encarnado na História da Humanidade, a humanidade de Cristo que é Instrumento Unido e Próprio, do Agente Principal da Salvação que é o Próprio Deus. Talvez atribuir o Título a Maria de Mãe Deus, não é dar a ela um stato superior a de Cristo, e sim atribuir-lhe o que é Próprio: Jesus é Deus em sua Humanidade.

      Excluir
    3. Cristo é Deus encarnado porque, como Deus, decidiu se tornar humano como nós, por isso o termo "Deus em carne", e não por manter uma suposta natureza divina misturada com a natureza humana na terra enquanto homem. Maria só gerou a natureza humana de Cristo e só se é mãe daquilo que gera; portanto, ela é mãe do homem Jesus, e não "mãe de Deus". Para ser legitimamente mãe de Deus teria que ter gerado a natureza divina de Cristo que já existia antes dela.

      Excluir
    4. Bom, É certo dizer que Maria Gerou a Natureza Humana de Cristo, mais ela deu a Luz a Uma Pessoa, se você perguntar para sua mãe, ela deu a Luz a o quê ??, ela possivelmente vai te responder a UMA PESSOA, e não a uma NATUREZA, além disse a Escrituras podem explicar aoo que Concílio Éfesos, disse, quando Isabel diz: "Donde me vem esta honra de vir a mim a mãe de meu Senhor?", é claro dizer que quando Isabel exclama essas Palavras, não houve possibilidade de passar pela sua mente, que ela estava se Referindo ao SENHOR apenas na Carne, E sim a uma pessoa em sua Natureza Divina e Humana, E as Naturezas não estão Misturadas como "CAFÉ e LEITE", estão Unidas Porém não Confundidas.

      Excluir
    5. E onde a Bíblia diz que Isabel tinha em mente o Deus Todo-Poderoso, em vez de Jesus em carne? Como é que você consegue ler a mente de Isabel? Me diz que mágica você usa, eu também quero isso pra mim.

      De que parte da Bíblia você tirou que em Cristo havia duas naturezas? De que parte da Bíblia você tirou que elas estão unidas porém não confundidas? Em que parte da Bíblia você tirou que elas "não estão misturadas", mas estão juntas assim mesmo? Como é que você não percebe que apenas estás citando um monte de "teologismos" patrísticos sem nenhum fundamento bíblico, ou seja, que apenas repete o que disseram pra você que é a verdade, em vez de você mesmo pesquisar a verdade por conta própria e chegar às suas próprias conclusões?

      Excluir
  40. O que significou Maria, a santa em vida, a mãe de Jesus no Evangelho.

    Parte 1 de 4

    Evidentemente a jovem Maria foi uma bem-aventurada, mas jamais além disso, pois o próprio Jesus diminuiu o valor exagerado à sua mãe exatamente para evitar a idolatria à uma vivente:

    No mais, está absolutamente claro que Jesus tentou demover a ampla idolatria que se daria em torno de Maria e, mostrou, em passagens bíblicas explícitas, que não se preocupassem com sua mãe, e sim com seus preceitos, revelados pelo Espírito Santo de Deus. Senão vejamos:

    Jesus nunca a chamou Maria de mãe, e sim de mulher:

    “Disse-lhe Jesus: Mulher, que tenho eu contigo? Ainda não é chegada a minha hora”. .A tradução correta em João, 2.4 na Tradução Almeida

    Mas a turma do www.veritatis.com.br, “ladinamente”, corrompeu a tradução da frase para “Senhora, que temos nós com isso?” Farisaísmo puro.

    Mas uma vez Jesus tenta evitar idolatrias a Maria, equiparando todos nós cristãos de verdade, à Maria:

    “Quem é minha mãe? Quem são meus irmãos? São todos aqueles que ouvem a minha palavra e a praticam”. Jesus, em Lucas, 8.21.

    Maria se confessou bem-aventurada? Vamos ver Jesus nos equiparando à bem-aventurança de Maria:

    “Bem aventurados o ventre que te trouxe e os peitos que te amamentaram...”. Mas Jesus retrucou:
    “Antes, bem-aventurados os que ouvem e praticam a Palavra de Deus”. Mateus, 11.28.

    Está claro que Jesus quis dizer, tanto em Lucas, 8.21, como em Mateus, 11.28: “Perante Deus não vos preocupeis com minha mãe, mas, sim, em guardar e praticar os meus preceitos”.
    Novamente Jesus nomeando todos os seus de Bem-aventurados, assim como Maria:
    “Bem-aventurados os mansos, os misericordiosos, os pacíficos...”

    É notável que o apóstolo Paulo, em nenhuma das duas várias encíclicas citou por uma só vez o nome de Maria. Vamos ao nascimento de Jesus:

    “Ora, o nascimento de Jesus se deu assim: estando Maria, sua mãe, casada com José, sem que antes tivessem coabitado, achou-se grávida pelo Espírito Santo, mas seu esposo José, não a querendo difamar, sendo justo resolveu deixá-la secretamente”. Mateus, 1, 18 e 19.

    A Palavra bíblica COBITAR significa fazer sexo, portanto está escrito que antes de coabitar maritalmente com seu marido José, achou-0se grávida por obra do espírito Santo.

    Enquanto José meditava em não morar mais com sua mulher Maria, ele foi avisado em sonhos:

    “José, filho de Davi, não tenha receio em receber em sua casa a sua mulher Maria, porque o que foi nela gerado não foi por obra de homens, mas pelo poder do Espírito Santo de Deus. Ela dará à luz a um filho ao qual você colocará o nome de Jesus, porque ele salvará o seu povo dos pecados deles. Mateus, 1.20 e 21. CONTINUE A LER na parte 2

    O anjo avisa ao marido José que Maria estava cumprindo uma maravilhosa Missão ao gerar Jesus. Veja que o anjo diz a José SUA MULHER, pois Maria não foi escolhida por Deus apenas em Continue a ler na parte 2

    ResponderExcluir
  41. O que significou Maria, a santa em vida, a mãe de Jesus no Evangelho.
    Parte 2 de 4

    decorrência de sua pureza e virtudes, mas também POR SER UMA MULHER CASADA, e depois do nascimento de Jesus, viveu seus amor completo, pois se havia se casado com o jovem José, por certo se amavam, e Está Escrito que depois do casamento, os pares formam UMA SÓ CARNE:

    “Portanto deixará o homem o seu pai e a sua mãe, e apegar-se-á à sua mulher, E SERÃO AMBOS UMA CARNE. Gênesis 2:24

    Despertado do sono José, fez como lhe ordenara o anjo do Senhor e passaram a morar juntos, afinal, era sua mulher legítima. Quanto a conviverem como casados, que de fato o eram, o Evangelho nos revela que não mantiveram relações conjugais até quando Jesus nasceu. Portanto, conforme a vontade de Deus, Maria permaneceu virgem até o nascimento de Jesus.

    “Contudo, José não a conheceu até que deu à luz um filho, e pôs-lhe o nome de Jesus”. Mateus, 1.24

    ...Não temas em receber tua mulher...” Mateus, 1.20. Estas Palavras foram Escritas por Deus, autorizando a vida conjugal de casados de José e Maria.

    O ANJO DEVOLVEU MARIA, a esposa de José, a ele, pois a parte maior da missão de Maria já tinha sido cumprida, e a partir dessa permissão passaram a ser um só corpo e uma só carne, segundo as leis do Senhor para o casamento.

    No Evangelho de Mateus Está Escrito:

    “Contudo, José não a conheceu ATÉ que deu à luz um filho, e pôs-lhe o nome de Jesus”. Mateus, 1.24.

    O clero católico tenta mudar, de todos os modos possíveis, o significado imutável da palavra ATÉ. Mas a palavra ATÉ significa que José e Maria só mantiveram relações sexuais depois que Jesus nasceu, observando, é claro, o período natural que a saúde da mulher requer.

    Aqui o Evangelho nos mostra que José e sua esposa Maria se conheceram na inteira plenitude do casamento, pois a revelação acima “sem que antes tivessem coabitado”, deduz facilmente que depois do nascimento de Jesus coabitaram maritalmente. Diferente disso, só na cabeça dos místicos da fantasia.

    O clero, tenta, por todos os meios, separar a jovem Maria de seu marido, apesar de Deus ter escolhido uma família de casados para abrigar a Jesus e, por isso, tentam mudar o sentido bíblico da palavra coabitar. Veremos, na própria Palavra Escrita, o que significa coabitar:

    “ Tornou Adão a coabitar som sua mulher, e ela deu à luz um filho, de nome Set”. Gênesis, 4.25.

    “E coabitou Caim com sua mulher e ela concebeu a Enoque”. Gênesis, 4.17.

    “Se um homem se casar com uma mulher, e depois de coabitar com ela, a aborrecer...”. Deuteronômio, 13.13.

    “À noite, conduziu Lia, sua filha, e a entregou a Jacó, e coabitaram”. Gênesis, 29.23.


    Continue a ler na página 3

    ResponderExcluir
  42. O que significou Maria, a santa em vida, a mãe de Jesus no Evangelho.
    Parte 3 de 4

    Portanto, Maria deixou sua família e uniu-se a José, seu marido, e bem pode ter tido vários filhos e filhas, pois por duas vezes foi colocada no Evangelho circulando em companhia de crianças. Ora, quem circula com as crianças é a mãe e não a tia, como quer o clero católico.

    É absolutamente, certo segundo as provas no Evangelho que a palavra bíblica conhecer uma mulher é relacionar-se intimamente com ela, e não poderia ser diferente com José e Maria, pois eram legitimamente casados e se amavam, fugiram juntos para o Egito, voltaram juntos e está escrito que viveram juntos no mínimo por doze anos. Aliás, o Senhor Deus escolheu Maria para gerar a Jesus, o Salvador, por duas razões: A primeira por ser muito virtuosa e por ser virgem; e a segunda por ser uma mulher casada. Foi assim que Jesus valorizou a família, a célula da sociedade.

    Maria foi escolhida para gerar Jesus, e não teve outros encargos religiosos, pois a evangelização ficou por conta dos discípulos de Jesus. O Evangelho não indica nenhum fato relacionado à Maria como útil evangelizadora. Não foi esta a missão de Maria. Depois de gerar a Jesus, maravilhoso encargo, tornou-se uma dona de casa, dedicada ao seu amado José e a cuidar de seu filho Jesus. Esse foi o encargo de Maria que o cumpriu com alegria e dedicação. Esta era a sua missão. Por isso mesmo foi uma santa EM VIDA.

    O Evangelho não nos revela, com exatidão, se Maria teve outros filhos ou não, mas quando o Evangelho cita os filhos de Maria, ela bem pode ter tido outros filhos, mas praticam erro grave aqueles que alegam que Maria jamais teve outros filhos, pois os filhos citados no Evangelho poderiam ser primos, mas também filhos. Em hebraico não existe a palavra primos. O erro grave está aí, quando há afirmação sinequanon que eram somente primos e não irmãos, revelando hipocrisia por usar parcialidade na tradução bíblica.

    Outro grave erro é querer ser mais real que o rei ao afirmar que Maria se casou com um velho incapaz para o casamento, que, por isso, teria sido apenas um tutor para Maria como me sugeriu um bispo católico. Isso é coisa absolutamente ridícula e sem nexo algum. Os pais de Maria eram de Deus, humildes e puros de coração, não imporiam um ancião impotente à sua amada filha,

    Os fariseus modernos novamente agridem o Evangelho, pois não há indício algum de tal tolice. Com essa descabida mentira, os fariseus tentam desvincular Maria das relações conjugais do santo casamento, tentando atribuir ao velho José a impotência sexual que o impediria de ser um marido de fato. Mas que coisa mais desnaturada e tola! Coisas da doutrina católica, sempre lotada de erros!

    Se Maria tivesse se casado com um velho, teria de ser por dinheiro, pois dificilmente uma jovenzinha poderia amar a um velhote impotente de graça. Ou alguém pode achar que Maria se casou por dinheiro?

    “José, não temas em receber Maria, tua mulher, na tua casa”. Mateus, 1.29.

    Maria, em um cântico colocado em Lucas, é, de fato e de direito bem-aventurada. Mas Jesus usou a mesma bem-aventurança para bendizer qualquer pessoa que pratique seus preceitos de coração.
    Apesar de o clero afirmar que Maria nasceu sem pecado, ele mesma também nomeou-se uma pecadora, pois o Evangelho nos revela que o único ser que não pecou foi Jesus: Continue a ler na parte FINAL

    ResponderExcluir
  43. O que significou Maria, a santa em vida, a mãe de Jesus no Evangelho.

    Parte Final

    “A minha alma engrandece ao Senhor, e o meu espírito se alegrou em Deus, meu Salvador”. Lucas, 1.46.
    Não nego que Maria foi uma santa em vida, mas a ser a mãe de Deus jamais poderia, pois a cria não pode ser a mãe do Criador. SOBRETUTO, em Hebreus 2:9 Está Escrito que Jesus foi colocado na Terra MENOR QUE OS ANJOS de Deus, e só isso arrasa com a tese louca de que Maria foi a mãe de Deus, pois se Jesus viesse à Terra como Deus, veja só as incríveis impossibilidades disso:

    “Tu o fizeste um pouco menor do que os anjos, De glória e de honra o coroaste, E o constituíste sobre as obras de tuas mãos”. Hebreus 2:7

    “...vemos, todavia, aquele que, POR UM POUCO, TENDO SIDO FEITO MENOR QUE OS ANJOS, Jesus, por causa do sofrimento da morte, foi coroado de glória e honra, para que, pela graça de Deus, provasse a morte por todo homem”. Hebreus, 2.9.

    A maioria dos pastores evangélicos não aceitam que Jesus na Terra foi colocado por Deus pai menor que os anjos, mas se Está Escrito é Verdade Incontestável, de outra forma, o Espírito de Deus teria errado quando fez o apóstolo Paulo escrever, e apontar erros do Espírito Santo de Deus é altissimamente temerário. Então, Jesus foi colocado na Terra menos que os anjos e ponto final.
    Por certo, hoje, Jesus é superior aos anjos e está à direita de Deus por ter cumprido sua Missão com altos méritos,, mas ele foi feito menor que os anjos, temporariamente, no minúsculo tempo da vida se comparado com a Eternidade, para experimentar o sofrimento e para morrer no lugar do homem pecador. Nós não subimos acima dos anjos, mas Jesus desceu e se tornou menor que os anjos para nos alcançar! E foi nesse tempo curtíssimo que Maria gerou a Jesus homem, não a Jesus Deus, mesmo porque NINGUÉM jamais poderia ter tentado a Deus no deserto. não teria como Deus nascer pela vagina de uma mulher, ninguém jamais poderia ter cuspido em deus;ter esbofeteado; não teria como ter dilarerado o peito de deus com uma lança. Deus não precisaria que alguém o ajudasse a tranportar a cruz; ninguém conseguiria ter chicoteado deus; ter injuriado Deus; nem ter zombado de Deus; nem ter dilacerado a fronte de Deus com uma coroa de espinhos; nem ter desnudado Deus; nem ter crucificado Deus, nem ter sepultado Deus. também Deus jamais poderia ter sido morto ou ressuscitado.


    POR TUDO ISSO, Jesus teve de ser colocado menor que os anjos para que pudesse SOFRER E PARA QUE PROVASSE A MORTE, pois Deus não pode sofrer nem ser provado na morte,]. E isso tudo nos leva ao julgamento que a frase “Maria mãe de Deus” é a MAIS RIDÍCULA DO MUNDO.
    Waldecy Antonio Simões walasi@uol.com.br

    www.segundoasescrituras.com.br Neste site há vários arquivos que completam o presente:
    (Todos livres para publicações)
    119 - O Tratado sobre as leis de Deus
    146 - Colossenses 2:16 fácil de entender
    148 - A maioria dos pastores evangélicos interpretam errado a Carta aos Gálatas
    150 - Absolutamente nada funciona sem leis
    151 - O fim da lei é Cristo, interpretado errado
    152 - Segundo Jesus, as boas obras são parte imprescindível para a salvação
    153 - Recado curto mostrando a verdade do sábado
    154 - As sete verdades sobre o sétimo dia
    156 - Raízes da Igreja

    ResponderExcluir
  44. Olá a todos e a todas

    Boa noite

    Se Jesus não tivesse na terra como Deus não existiria nem salvação e nem redenção. Por que Deus Pai não se fez carne? Em II Corintíos 4:4 fala que Cristo é imagem de Deus então isso caracteriza que somente Cristo poderia vir a terra e Ele aceitou isso só Ele poderia se fazer carne. Se Deus tivesse vindo em carne então Jesus teria ficado como Deus no Céu visto que ambos tem natureza Divina.
    Em João fala que o Verbo, indicando ação, se fez carne ou seja uma santa ação de Jesus em santa harmonia com Deus Pai e Deus Espírito Santo e Jesus aceitou a santa missão e só Deus poderia fazer isso.
    Outra coisa se Jesus na terra não foi Deus como ficaria então Mateus 16:18? Quem é a Rocha de Mateus 16:18? A Rocha é Deus que é na passagem Jesus e é impossível que Jesus sendo só e somente 100% Humano fosse a Rocha da Igreja só Deus pode ser a Rocha da Igreja.
    Considerando que Jesus no Céu era 100% Divino e se Ele se esvaziou de si mesmo então toda a essência dEle sumiria pois teria que ser um esvaziamento total pois as ações de Deus não são incompletas, então Ele simplesmente sumiria ou desapareceria e nunca teria nascido pois não existira um ser para vir a exisitir para uma missão na terra uma vez que Ele como um todo teria se esvaziado a tal ponto de não existir mais.
    Em que sentido Ele é menor que os anjos? A Resposta está em Hebreus 2:9 que foi por causa da sua "paixão da morte" ou seja por causa do corpo dEle que morreu. Na terra Jesus foi 100% Humano e 100% Divino os anjos são 100% Divinos e a Bíblia faz questão de usar a expressão " um pouco menor" em Hebreus 2:7,9 para indicar a questão do aspecto Humano dEle no corpo que morreu. Lembrando sempre que o aspecto Divino estava também no corpo dEle pois o Corpo dEle não viu a corruptibilidade mas se manteve graça a ação Divina.
    Então considerar que Jesus é menor um pouco em relação aos anjos por ser somente humano não exclui o fato dEle ter uma Natureza Divina na terra e se Jesus tivesse sido só humano o correto seria estar escrito " sendo menor " e não " um pouco menor".

    Luiz



    ResponderExcluir
  45. Bom dia a todos, excelente as explanações e exegese, mas também na mesma medida, completamente sem utilidade nenhuma na vida prática, Numa discussão acadêmica, seria bastante interessante. Aliás, apenas para salientar, na visão do autor, o que ele considera como silogismo, pois me parece não atender as condições para que as premissas sejam consideradas um silogismo. Novamente reiterando meu apreço ao escritor e comentaristas, finalizo, dizendo, ou melhor afirmando que o mundo precisa de testemunhos de fé, como os de Maria e de José, e não palavras, e explicações Teo-filosóficas baseadas na Bíblia, um livro cuja a origem é a inspiração divina e não em conhecimentos racionais e históricos. Trazendo para nossos dias, é como se tentássemos ganhar um jogo de futebol, com os comentaristas esportivos, e não com o jogo em si. Que a paz de Deus, que supera a nossa razão, nos abençoe e nos conduza ao reto caminho de Deus Nosso Senhor.

    ResponderExcluir
  46. Os nestorianos existem ainda hj em dia.
    Eles dizem que o concilio de Efeso não foi ecumenico, mas apenas um concilio dentro do mundo ocidental (igreja catolica e ortodoxa). Não estiveram presentes pq viviam no mundo persa e tinham sua propria jurisdição. (nestorio não era da igreja deles, mas eles receberam esse nome pq tinham uma crença semelhante sobre a natureza de Jesus).

    http://peshitta.org/for/showthread.php?tid=3121&highlight=Ephesus

    ResponderExcluir
  47. Uma dúvida, foi dito que a palavra "Senhor" apresenta vários significados, e o autor do texto demonstrou todos os significados, eis: donos de propriedade; donos de casa; donos dos escravos; maridos; filho chamando o pai; imperador romano; autoridades romanas. Quando Isabel diz "mãe do meu Senhor" ela está criando uma nova possibilidade de uma parente distante chamar um parente (Jesus) de Senhor? Ou melhor, qual era a ligação de Isabel com Jesus a ponto de ela chamar ele de Senhor? Digo isso porque se aplicássemos naqueles significados, ficaria as seguintes hipóteses: Isabel era inquilina de Jesus e então ela chamava ele de Senhor; Jesus era o dono de casa; Isabel era escrava de Jesus; Isabel era esposa de Jesus (?); Isabel era filha de Jesus; Jesus era um imperador romano; Jesus era autoridade romana.
    Outra dúvida, consultando a bíblia Ferreira de Almeida, em todas as passagens citadas por vc o termo "senhor" está em minúsculo. E quando se consulta Lc. 1:43 está Senhor, em maiúsculo. Poderia, por gentileza, me tirar a dúvida?






    7º As autoridades romanas foram chamadas Senhor (Mt. 27:63, senhor = kurios).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jesus era o Senhor por ser o Messias, e, portanto, uma autoridade acima de Isabel. É verdade que ele não havia nascido ainda e que neste sentido não era "conhecido" por Isabel (pessoalmente falando), mas ela já devia conhecer as profecias veterotestamentárias quanto ao Messias e sabia que se tratava de Jesus, pois o anjo havia aparecido a ela lhe dizendo que seu filho prepararia o caminho para este Messias que agora estava no ventre de sua prima Maria. Então ela não precisava conhecer Jesus pessoalmente para reconhecer isso.

      Em relação à questão do maiúsculo ou minúsculo, ela não faz sentido já que no grego original não havia essa distinção, como ocorre no grego moderno (isso é reconhecido por todos os estudiosos do grego). Sempre quando uma palavra aparece em maiúscula ou minúscula em alguma tradução vernácula, é por opção do tradutor sob a interpretação pessoal dele. Você pode ver nestes endereços abaixo o Novo Testamento em grego e notar como não havia maiúsculas:

      http://biblia.gospelprime.com.br/receptus/

      http://www.sacrednamebible.com/kjvstrongs/index2.htm

      Abs.

      Excluir
    2. Ok, estou começando a entender, o termo "Senhor" usado por Isabel era sinônimo de Messias, correto?
      Só que Messias não era sinônimo de Deus, pois se fosse sinônimo de Deus estaríamos dizendo que o termo senhor era, por consequência, sinônimo de Deus, correto? Se assim for, o termo Messias é usado como uma autoridade acima dos homens, mas abaixo de Deus? Digo, o termo "Messias" é supradivino, isto é, acima dos homens, mas abaixo de Deus. Está correto meu raciocínio. Então, por exemplo, quando eu ler Messias na bíblia eu interpreto como Jesus-homem, né?

      Excluir
    3. Sim, o Messias profetizado era um homem como nós, só que sem pecado.

      Excluir
  48. Banzoli como vai? Aqui é José Domingos do blog e canal Exateus!

    Está rolando como sempre uma "treta" entre o Conde Loppeux e o Douglas Levita! Não sei se conhece o trabalho do Douglas Levita que tem um canal cristão na Internet! Pois bem, nessas tretas, num assunto relacionado a Maria mãe de Deus, um católico postou uma pretensa refutação a este seu artigo! Não sei se você já conhece essa pretensa refutação, eis aí o conteúdo, se puderes dá uma analisada para nós, o comentador foi um tal de Karolus Magnus:

    "Além disso, silogismos semelhantes ao utilizado pelos católicos também podem ser usados para se voltar contra eles mesmos. Por exemplo: (1) Maria não é mãe do Pai; (2) O Pai é Deus; logo (3) Maria não é mãe de Deus. E também: (1) Maria não gerou o Espírito Santo; (2) O Espírito Santo é Deus; portanto (3) Maria não é mãe de Deus. Curiosamente, os silogismos utilizados pelos fanáticos marianos voltam-se contra eles mesmos quando os analisamos cuidadosamente."

    O primeiro exemplo do Lucas Banzoli não prova que a Virgem não é mãe de Deus. Devemos perguntar ao Banzoli: só o Pai é Deus? O mesmo vale para o Espírito Santo... A única coisa que a "lógica banzólica" faz é provar o que é evidente e nunca foi contestado, ou seja, que *Maria não é mãe do Pai nem do Espírito Santo*.

    Porém, não foi o Pai nem o Espírito Santo quem encarnou, mas o FILHO. E, se o Filho é Deus, Maria é mãe de Deus, porque o Filho se fez carne em seu ventre. Negar isso é destruir desde a raiz a Cristologia verdadeira.

    Outro sofisma do Banzoli:

    "(1)Só se é mãe daquilo que [se] gera.
    (2)Maria não gerou a divindade de Cristo, mas a humanidade.
    (3)Logo, Maria é mãe de Jesus enquanto homem, e não de Deus."

    A conclusão do Banzoli é equivocada; ele deveria concluir: "Logo, Maria é mãe de Jesus enquanto homem, e não enquanto Deus." O que significaria dividir o próprio Jesus Cristo, o que é coisa do Anticristo, segundo S. João.

    O VERBO SE FEZ CARNE! Maria é mãe do Verbo que se fez carne! Ou seja: Maria é mãe de uma PESSOA que já existia desde toda a Eternidade, ela não é mãe de uma natureza, de uma etérea "humanidade"; assim como nossas mães, embora não sejam elas que geram as nossas *almas*, não obstante são nossas mães, porque nós, embora tenhamos alma e corpo (aquela gerada por Deus, este gerado por nossos pais), somos uma ÚNICA pessoa humana.

    Quando o Banzoli diz que a Virgem "não é mãe de Cristo enquanto Deus", ele nega que o VERBO SE FEZ CARNE, porque esse Verbo é antes de tudo uma Pessoa Divina.

    É óbvio que a Virgem não gerou a divindade de Cristo (tal como nossas mães não geraram nossas almas), porém depois da ENCARNAÇÃO já não se pode separar a humanidade de Cristo de sua divindade, porque *o Verbo se fez carne no seio de Maria*... Quem fizesse essa separação, "dividindo" Jesus Cristo, cedo ou tarde acabaria por negar ou a natureza humana de Cristo (monofisismo) ou a Sua natureza divina (adocionismo ou nestorianismo), e por conseguinte negaria também a Redenção, já que o Redentor deveria ser perfeitamente Deus e perfeitamente Homem.

    As naturezas humana e divina unem-se perfeitamente na PESSOA de Jesus Cristo. A Virgem, sendo mãe de Jesus, o Verbo encarnado, é portanto mãe de Deus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. “O primeiro exemplo do Lucas Banzoli não prova que a Virgem não é mãe de Deus. Devemos perguntar ao Banzoli: só o Pai é Deus? O mesmo vale para o Espírito Santo... A única coisa que a "lógica banzólica" faz é provar o que é evidente e nunca foi contestado, ou seja, que *Maria não é mãe do Pai nem do Espírito Santo*”

      Não muda nada. Maria não é mãe do Pai, o Pai é Deus, logo, Maria não é mãe de Deus. Maria não é mãe do Espírito Santo, o Espírito Santo é Deus, logo, Maria não é mãe de Deus. Por essa ótica dos silogismos, a afirmação lógica de que “Maria não é mãe de Deus” seria tão verdadeira quanto a afirmação de que “Maria é mãe de Deus”. É evidente que isso implicaria em contradição, mas é só pra mostrar como as coisas não são tão simples como colocar tudo em um silogismo simplista e tirar uma conclusão precipitada. Ele bem que poderia trocar a afirmação final dele, de que “Maria não é mãe do Pai nem do Espírito Santo”, para “Maria não é mãe de DEUS nem de DEUS”, já que é assim que ele entende, pois é exatamente isso que ele faz com Jesus (substituindo “Jesus” por “Deus”, para dar sentido ao argumento).

      “Porém, não foi o Pai nem o Espírito Santo quem encarnou, mas o FILHO. E, se o Filho é Deus, Maria é mãe de Deus, porque o Filho se fez carne em seu ventre. Negar isso é destruir desde a raiz a Cristologia verdadeira”

      Pelo contrário, é justamente pelo Filho ter se FEITO CARNE que Maria não pode ser “mãe de Deus”. Maria não gerou o Deus Eterno, não foi mãe de um Ser onipotente, onisciente e onipresente (ou seja, de Deus), mas sim mãe de um homem, Jesus, embora fosse a encarnação de Deus, mas ainda assim um homem.

      “A conclusão do Banzoli é equivocada; ele deveria concluir: "Logo, Maria é mãe de Jesus enquanto homem, e não enquanto Deus." O que significaria dividir o próprio Jesus Cristo, o que é coisa do Anticristo, segundo S. João”

      Onde João fala em “dividir Jesus”? Esse cara ou não conhece a Bíblia, ou mente descaradamente pensando que nós não a conhecemos. O que Jesus diz que é “coisa do anticristo” é NEGAR QUE JESUS VEIO EM CARNE, que na prática é justamente o que ele faz (2Jo 1:7).

      “O VERBO SE FEZ CARNE! Maria é mãe do Verbo que se fez carne! Ou seja: Maria é mãe de uma PESSOA que já existia desde toda a Eternidade, ela não é mãe de uma natureza, de uma etérea "humanidade"; assim como nossas mães, embora não sejam elas que geram as nossas *almas*, não obstante são nossas mães, porque nós, embora tenhamos alma e corpo (aquela gerada por Deus, este gerado por nossos pais), somos uma ÚNICA pessoa humana”

      Esse é um dualismo platônico completamente inexistente na Bíblia, que não concebe essa dicotomia de “corpo e alma” como sendo uma gerada por Deus e outra pelo homem; ao contrário, a alma é simplesmente o que o ser humano é, ou para ser mais preciso, o resultado da ligação entre o corpo formado do pó da terra e o fôlego da vida (respiração) – Gênesis 2:7. Portanto a analogia aqui é completamente equivocada, e não serve para atestar Maria como a geradora ou mãe de uma divindade que já existia antes dela.

      “Quando o Banzoli diz que a Virgem "não é mãe de Cristo enquanto Deus", ele nega que o VERBO SE FEZ CARNE, porque esse Verbo é antes de tudo uma Pessoa Divina”

      Já falei sobre isso, quem nega que Jesus veio em carne é ele, que pensa que Cristo era um tipo de androide que apenas se fingia de homem mas que na verdade era Deus disfarçado. O resto é repetição daquilo que já foi refutado antes.

      Excluir
  49. Obrigado Lucas! Também tinha percebido esses mesmos erros do argumento dele! Essa do platonismo é boa! É o novo argumento deles e o velho dos espíritas rss! Só tá faltando eles utilizarem o argumento da reencarnação! rss!

    Abraços! Fica na Paz do Senhor!

    ResponderExcluir
  50. Lucas

    Entrei em atrito com o Conde boca de Latrina, mas já ansiava por isso! Respondo um vídeo dele destinado ao Douglas Levita em que ele faz ataques a minha pessoa e também a sua! Utilizei trechos desse artigo nesse vídeo! Referenciando você! Pois ele te ataca justamente por causa desse artigo! O vídeo:

    https://www.youtube.com/watch?v=5zin57q06Hs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito bom seu vídeo, acabou com ele sem precisar descer ao nível baixo, sujo e rasteiro dele. Parabéns!

      Excluir
    2. Obrigado Irmão! Elogio vindo da sua parte, sindo que o trabalho foi bem feito! Que Deus continue te dando força! Você tem sido uma benção para nós evangélicos!

      Excluir
    3. Eu que agradeço, Deus lhe abençoe igualmente! Abs!

      Excluir
  51. Maria não era e nunca foi mãe de Cristo, ela foi mãe de Jesus de Nazaré!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Comente abaixo. Sua participação é importante e será publicada após passar pela moderação. Todos os tipos de comentários ou perguntas educadas são bem-vindas e serão respondidas cordialmente, mas ofensas, deboches, divulgação de páginas católicas (links), control c + control v e manifestações de fanatismo não serão aceitos.