A Igreja Católica está acima da Bíblia? Cinco sofismas papistas refutados!


Nas últimas semanas voltou à tona uma velha discussão sobre quem detém a autoridade suprema – se é a Bíblia, ou se é a Igreja. Lógico que quem propõe o argumento de que é a Igreja são os papistas, querendo dizer, é claro, a Igreja deles, ou seja, a Igreja Católica Romana. Tudo começou quando um padre relativamente desconhecido começou a espalhar asneiras de que a Igreja Romana tem autoridade acima da Bíblia, e ganhou mais popularidade depois que o Malafaia lhe deu uma resposta em seu canal no YouTube (veja aqui). Depois disso, as redes sociais foram inflamadas por um verdadeiro festival de ataques romanistas contra a autoridade da Bíblia “refutando” Malafaia, com até o padre Paulo Ricardo (aquele mesmo do "evangélicos são otários" por irem direto a Deus) gravando vídeos em que repete todos aqueles mesmos argumentos bobinhos, velhos, ultrapassados e já refutados de sempre.

Aqui eu não vou me aprofundar na questão mais do que o necessário, pelo simples fato de que isso já foi exaustivamente feito em meu livro que aborda o tema – "Em Defesa da Sola Scriptura". Também já foi abordado em inúmeros artigos ao longo dos mais de 500 já publicados por mim neste blog e no Apologia Cristã, os quais podem ser conferidos nesta lista temática de artigos. Então deixarei este espaço para fazer uma breve e resumida consideração acerca dos sofismas e armadilhas papistas mais conhecidos.


Sofisma 1 – A Igreja que é superior à Bíblia, porque definiu o cânon da Bíblia

Este é o sofisma mais comum. Ele já parte de duas falsas premissas, a saber: (1) que essa Igreja que definiu o cânon bíblico era a Igreja Romana em particular, e (2) que essa Igreja tenha “criado” um cânon, em vez de ter apenas reconhecido um. Estes outros sofismas também serão refutados aqui, mas por ora vamos dar essa colher-de-chá e abrir a concessão de que essa Igreja era mesmo a Igreja Romana e tenha mesmo criado o cânon, para o bem do argumento. O ponto em questão é que nem isso provaria a superioridade da Igreja sobre a Bíblia. Algumas analogias nos ajudam a exemplificar isso com base no mundo real, e eu irei passar algumas aqui.

Primeiro, por mais que a Constituição esteja acima de qualquer indivíduo e de qualquer grupo de indivíduos (até mesmo do presidente da república e do congresso nacional), são os membros da Assembleia Constituinte que se reúnem para escrever uma Constituição. E mesmo assim, após tê-la escrito, reconhecem que a mesma tem autoridade acima deles, e é por isso que eles não podem sair por aí pisando na Constituição ou praticando coisas em contradição a ela. A Constituição não é “auto-criada”, ela é formulada pela Assembleia, e mesmo assim todo mundo reconhece que sua autoridade está acima de todos, que devem se submeter a ela em obediência incondicional enquanto a Constituição durar. Se a lógica romanista de “a Igreja criou o cânon e por isso é superior à Bíblia” estivesse certa, os membros da Assembleia Constituinte poderiam tranquilamente se considerar acima da Constituição mesmo depois de a mesma ser formulada – o que, de fato, os tornaria acima da lei. Da mesma forma que a lei está acima dos que a formularam, a Escritura tem autoridade acima de qualquer um que tenha reconhecido seu cânon.

Segundo, ainda que seja de conhecimento universal que o presidente da república tenha mais autoridade no país do que um cidadão comum como eu e você, somos nós que elegemos o presidente e o colocamos lá. Ou seja, o fato de nós (menor autoridade) elegermos o presidente (maior autoridade) não nos torna superiores ao presidente, da mesma forma que a Igreja do século IV ter reconhecido o cânon da Bíblia não a torna acima da Bíblia. O curioso é que essa mesma analogia pode ser usada dentro do contexto da própria Igreja Católica: por mais que os cardeais elejam o novo papa, esse papa que é eleito detém autoridade superior aos cardeais dentro do conceito católico. Por que a mesma lógica não pode ser aplicada na relação Igreja-Bíblia?

Esses são apenas alguns exemplos práticos dentre analogias que poderiam ser acumuladas aos montões, que provam como o argumento romanista tem mais buracos que queijo suíço, e de fato não prova nada do que pretende. Essa é a razão pela qual todos os Pais da Igreja defendiam o conceito básico de Sola Scriptura (a Escritura como autoridade suprema) desde muito antes do século IV e também depois, como você pode ver neste artigo. Como dizia Agostinho: “Quem é que se submete a divina Escritura, senão aquele que a lê ou ouve piamente, submetendo a ela como a autoridade suprema?(Do Sermão do Monte, Livro I, 11).


Sofisma 2 – A Igreja que decretou o cânon é a Igreja Católica Romana

Os católicos assumem que o cânon bíblico foi criado no final do século IV pelos concílios de Hipona (393) e Cartago (397). Isso não sou eu que afirmo, são os próprios apologistas católicos. O problema é que nenhum desses concílios era um concílio romano, e nem mesmo um concílio universal liderado pelo papa (e, diga-se de passagem, nenhum dos sete concílios ecumênicos foram convocados ou presididos por um papa). Em vez disso, eram meros sínodos locais, situados no norte da África, com jurisdição regional e limitada apenas àquelas regiões para aquela época. Não eram, portanto, concílios da Igreja Romana.

O curioso é observar que, pouco mais de um século antes do concílio de Cartago que os católicos como o padre Paulo Ricardo afirmam que definiu o cânon, reuniu-se um outro concílio de Cartago, no mesmo lugar, com a mesma jurisdição, também convocado e presidido por bispos africanos (neste caso, sob a presidência de Cipriano), que decretou o seguinte:

Pois nenhum de nós coloca-se como um bispo de bispos, nem por terror tirânico alguém força seu colega à obediência obrigatória; visto que cada bispo, de acordo com a permissão de sua liberdade e poder, tem seu próprio direito de julgamento, e não pode ser julgado por outro mais do que ele mesmo pode julgar um outro. Mas esperemos todos o julgamento de nosso Senhor Jesus Cristo, que é o único que tem o poder de nos designar no governo de Sua Igreja, e de nos julgar em nossa conduta nela” (Concílio de Cartago, ano 256)

Isso foi definido, obviamente, para destruir as pretensões do bispo romano (Estêvão), que estava querendo impor sua jurisdição sobre as igrejas africanas e foi por isso severamente repreendido neste concílio, na mesma época em que Cipriano, que liderou o concílio, dizia que esse bispo de Roma era “amigo de hereges e inimigo dos cristãos” (Ep. 74). Os teólogos católicos, é claro, não subscrevem esse sínodo e nem o consideram um concílio da Igreja Romana, por se tratar de supostos “erros” de igrejas norte-africanas. Quando, porém, apenas um século mais tarde se reúne um outro sínodo local em Cartago, eles não apenas o subscrevem, como ainda tem a petulância de tomar para si o concílio, como se tivesse sido um concílio da Igreja Romana presidido pelo papa – o que nunca foi. Se isso não é arrogância e desonestidade intelectual, eu não sei o que é.

Em síntese: se alguém merece levar o crédito pela definição do cânon bíblico, esse alguém não é a Igreja Romana, mas as igrejas africanas com autonomia administrativa e jurisdicional, as quais não mais existem desde que foram destruídas nas invasões árabes da época de Maomé em diante. Qualquer outra Igreja que tente usurpar esses concílios e colocá-los em sua própria conta, seja a Igreja Romana ou a Igreja Ortodoxa, ou qualquer outra, estará usando de sofisma e desonestidade para vanglória própria, a fim de ganhar um argumento que já perdeu.


Sofisma 3 – A Igreja “criou” o cânon

É argumentado por eles que a Igreja Romana “criou” o cânon no século IV, como se não existisse Bíblia até então. Inclusive eles frequentemente lançam “desafios” tais como: “Como podia haver Sola Scriptura, se durante três séculos não existia Bíblia?” (e outras barbaridades do tipo). Isso porque, para eles, um livro bíblico não podia ser considerado de fato “Escritura” até que algum concílio se reunisse no final do século IV dizendo isso. Por exemplo, o evangelho de Lucas não seria considerado um evangelho autêntico, canônico e parte integrante das Escrituras até que os bispos de Hipona se reunissem mais de trezentos anos depois de sua redação. Isso é absurdo, irracional e insensato.

Poderia passar aqui milhares de trechos patrísticos que desfazem essa visão defeituosa, mas aqui citarei apenas um texto simples de Policarpo, escrevendo ainda no início do segundo século (c. 110) sua carta aos filipenses, onde diz:

“Creio que sois bem versados nas Sagradas Letras e que não ignorais nada; o que, porém, não me foi concedido. Nessas Escrituras está dito: ‘Encolerizai-vos e não pequeis, e que o sol não se ponha sobre vossa cólera’. Feliz quem se lembrar disso. Acredito que é assim convosco” (Aos Filipenses, 12:1)

Policarpo diz que está citando um trecho das Escrituras, e então faz referência a Efésios 4:26. Isso significa que a carta de Paulo aos efésios já era considerada Escritura canônica há muito, muito tempo antes de qualquer concílio se reunir para tratar a questão do cânon no século IV. Quando aqueles concílios se reuniram com este propósito, não foi na intenção de “criar” um cânon do zero, mas apenas de reconhecer os livros que já eram considerados inspirados.

Em nenhum momento Policarpo postulou: “Vou ter que esperar por séculos até um concílio se reunir e decidir se essa carta aqui de Paulo é Escritura ou não”. Ao contrário, já disse desde aquela época que era Escritura a despeito de qualquer concílio. E qualquer um que se dê ao trabalho de ler os Pais dos séculos I, II, III e IV, muito antes dos concílios do final do quarto século, constatará que eles já consideravam os livros do Novo Testamento como Escritura, já aceitavam os quatro evangelhos, já mencionavam os livros como inspirados e autoritativos, etc. Orígenes inclusive chega a citar uma lista idêntica de livros tidos como canônicos duzentos anos antes de Hipona e Cartago.

Por fim, essa inspiração ocorreu simultaneamente à escrita dos livros, e não quatrocentos anos mais tarde. O evangelho de Mateus não se tornou inspirado somente a partir do momento que os prelados de Hipona decidiram isso; ao contrário, já era inspirado logo ao escrever. Da mesma forma que Newton não “criou” a gravidade, mas apenas a reconheceu, os bispos não “criaram” um cânon de livros inspirados, mas apenas o reconheceu, esclarecidos pelas evidências internas dos livros e pelo testemunho do Espírito Santo, como todo evangélico crê.


Sofisma 4 – Igreja é a hierarquia eclesiástica romana

Esse conceito totalmente errôneo do que vem a ser a Igreja já foi refutado por mim aqui, aqui e principalmente neste artigo, que é o mais importante do blog. Neles eu mostro o conceito legítimo de ekklesia à luz da Bíblia, que significa nada a mais que o povo de Deus, isto é, os cristãos de todos os lugares, e não uma instituição religiosa, não a hierarquia em exclusividade. O Bruno Lima tem um artigo melhor ainda, cheio de citações patrísticas, que você pode ler clicando aqui. Este foi, aliás, um dos principais pontos de divergência entre os reformadores do século XVI e os papistas, pois enquanto estes identificavam a Igreja como sendo a hierarquia e nada mais, aqueles entendiam a Igreja em seu significado bíblico e histórico, ou seja, como uma referência a todo o povo de Deus em qualquer era, que guardasse os mandamentos de Deus e seguisse o testemunho de Jesus (Ap 12:17).

Alguns textos deixam mais à tona este conceito, como, por exemplo, os que dizem que a Igreja se reunia em certa casa para cultuar a Deus:

“Saúdem os irmãos de Laodiceia, bem como Ninfa e a igreja que se reúne em sua casa(Colossenses 4:15)

“À irmã Áfia, a Arquipo, nosso companheiro de lutas, e à igreja que se reúne com você em sua casa(Filemom 1:2)

“As igrejas da província da Ásia enviam-lhes saudações. Áquila e Priscila os saúdam afetuosamente no Senhor, e também a igreja que se reúne na casa deles(1ª Coríntios 16:19)

“Saúdem Priscila e Áquila, meus colaboradores em Cristo Jesus. Arriscaram a vida por mim. Sou grato a eles; não apenas eu, mas todas as igrejas dos gentios. Saúdem também a igreja que se reúne na casa deles(Romanos 16:3-5)

Como está claro através destes textos e de muitos outros que poderiam ser citados, não eram aquelas pessoas que se reuniam na igreja, mas a igreja que se reunia naquelas casas. Ou seja, a Igreja eram os próprios crentes que adoravam a Deus. Eles se reuniam em casas, hoje também em templos, mas eram eles, e não a instituição em si, que eram considerados “a Igreja”. E é esse o problema do apologista católico que argumenta que “a Igreja escreveu a Bíblia” ou que “a Bíblia é filha da Igreja” (sobre o qual já escrevi aqui). Isso porque, para o papista, Igreja = Igreja Católica Romana. E para a Bíblia, Igreja = o povo de Deus.

Então os romanistas perdem tempo querendo impor a “Igreja acima da Bíblia”, quando o que deveriam fazer na verdade é provar que essa Igreja é a Igreja Romana. Os católicos ortodoxos orientais usam exatamente esse mesmo argumento dos romanos, mas para favorecer a igreja deles, em detrimento da romana e das protestantes. Na verdade, ambos sustentam o mesmo conceito errôneo de “Igreja=hierarquia”, cada qual sustentando sua própria hierarquia é claro, e sob o mesmo pressuposto da “sucessão apostólica”, que os ortodoxos também têm. Por isso essa discussão acerca da Igreja é infrutífera, a não ser que se prove antes que por “Igreja” se entende necessariamente a “Igreja Romana” em detrimento de todas as outras, o que é impossível de ser feito sem cair em sofismas e falácias ainda mais delirantes, geralmente apelando a argumentos circulares autorefutantes, como já denunciei aqui.


Sofisma 5 – Os Pais da Igreja defendiam a autoridade da Igreja acima da Bíblia

Junto com os sofismas tradicionais mais conhecidos, os apologistas católicos que nunca leram os Pais da Igreja irão citar vários trechos copiados da internet, alguns adulterados e outros tirados vergonhosamente do contexto, para dizer o oposto do pensamento patrístico que nunca exigiu submissão incondicional à Roma para ser considerado “católico”. A Igreja Católica antiga, longe de significar uma comunidade local em particular (como a Romana, ou a de Constantinopla, ou qualquer outra), significava apenas “universal” (católico=universal, no grego), no sentido de que a Igreja cristã não era nacionalista como o Judaísmo, mas universal, ou seja, aberta a todos os povos, tribos, línguas e nações, com o objetivo de anunciar o evangelho e converter toda criatura.

Essa era a “Igreja Católica” mencionada nos Pais da Igreja, antes deste termo ser surrupiado por papas arrogantes e inescrupulosos, que começaram a exigir que todo “católico” fosse também “romano” para ser considerado “católico”, o que para início de conversa já era uma contradição com o próprio termo católico, que denota universalidade antes que algo particular. Essa usurpação e soberba de Roma, ao exigir a submissão de todas as outras igrejas locais, foi a causa maior do chamado “Cisma do Oriente”, que eu já abordei neste artigo. É importante ter isso em mente para não ser tapeado por algum papista charlatão que use um texto patrístico que fale em “Igreja Católica” (universal) e automaticamente o aplique à Igreja Romana. Esta última é uma Igreja tão “católica” quanto a Universal do Edir Macedo. Tem “católico/universal” apenas no nome, não no conceito.

Seria impossível abordar num espaço tão limitado como esse todos os textos usados pelos papistas, além de inteiramente desnecessário, visto serem eles tratados em profundidade em muitos outros dos mais de quinhentos artigos já publicados, muitos deles reunidos nesta lista temática. Por isso eu vou aqui apenas indicar alguns links de artigos que já refutam os textos mais famosos usados por eles:






Para ler mais sobre Escritura, tradição, cânon e patrística, confira nossa lista temática de artigos, clicando aqui. Tem mais alguma dúvida? Escreva-me nos comentários! 

Paz a todos vocês que estão em Cristo.

Por Cristo e por Seu Reino,

-Meus livros:

- Veja uma lista de livros meus clicando aqui.

- Confira minha página no facebook clicando aqui.

- Acesse meu canal no YouTube clicando aqui.


-Não deixe de acessar meus outros blogs:

LucasBanzoli.Com (Um compêndio de todos os artigos já escritos por mim)
Apologia Cristã (Artigos de apologética cristã sobre doutrina e moral)
O Cristianismo em Foco (Artigos devocionais e estudos bíblicos)
Desvendando a Lenda (Refutando a imortalidade da alma)
Ateísmo Refutado (Evidências da existência de Deus e veracidade da Bíblia)
Fim da Fraude (Refutando as mentiras dos apologistas católicos)

Comentários

  1. Se a icar está "acima" da Bíblia, naturalmente a autoridade papal também estará. Kkkkkkkkkkkkkkkk
    Católicos... Católicos...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É exatamente este o ponto, que eu falhei em me esquecer de abordar no artigo: o objetivo deles em dizer que a Igreja (deles) está "acima" da Bíblia não é outro senão o de reforçar que a autoridade do papa é superior às Escrituras e que isso significa que ele pode mudar o que está na Bíblia ao seu bel prazer, principalmente através de "interpretações" mirabolantes e totalmente sem nexo, tentando impor uma heresia católica para dentro das Escrituras mediante eisegese (que é o oposto da exegese, que respeita as normas hermenêuticas). Basicamente, é um passe livre para sair por aí ensinando doutrinas enganosas e perniciosas sem qualquer fundamento, sem precisar prestar contas a ninguém por ser pretensamente "superior"...

      Excluir
  2. Lucas, eu estava pesquisando em alguns sites conhecidos relacionados a certas práticas depravadas (não especificarei quais, pois o perigo já está em praticamente todo lugar) e veja que interessante o que eu encontrei no caminho:

    https://www.lifesitenews.com/news/study-female-students-more-promiscuous-at-catholic-colleges

    Como já dito no título, parece que as moças em faculdades católicas são altamente mais propensas ao "hook-up" que aquelas que estudam em faculdades seculares. E depois ainda há quem diga que isso é o "baluarte do conservadorismo no mundo". Uma piada (e tragédia), não?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas se o próprio Vaticano é um dos grandes focos de download de conteúdo pornográfico no mundo (link abaixo), o que esperar das faculdades católicas?

      https://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2013/04/enquanto-isso-na-grande-meretriz.html

      Excluir
  3. Respostas
    1. O que vale é a intenção, não é mesmo?

      Excluir
    2. De boas intenções o inferno está cheio.

      Excluir
    3. Quando eu vou me tornar moderador?

      Excluir
    4. Se conseguir ser o "First" nos próximos 500 artigos sem falha você vira moderador.

      Excluir
    5. "De boas intenções o inferno está cheio"
      Mas não dizes tu que inferno não há?

      Excluir
    6. 500 é demais, se você escrever 1 por semana será quase 10 anos. É demais. Que tal 50 artigos?

      Excluir
    7. "Mas não dizes tu que inferno não há?"

      O que não há é o inferno ETERNO. E bom, acho que todo mundo entendeu que eu citei um provérbio popular, e não uma convicção teológica, da mesma forma que se eu digo "tira o seu cavalinho da chuva" não quer dizer que você tenha um cavalinho, e se eu digo "nem que a vaca tussa" não significa que eu creio que vacas tossem...

      "500 é demais, se você escrever 1 por semana será quase 10 anos. É demais. Que tal 50 artigos?"

      Combinado.

      Excluir
  4. Estamos vivendo "o princípio das dores" ou ainda falta algum tempo para chegarmos nesse período?

    ResponderExcluir
  5. Grande Lucas!

    Queria saber se você já cogitou publicar algum dos livros seus que estão disponíveis aqui em mídia digital.
    Queria também saber se você possui artigos refutando típicos sofismas ateus (apesar desse site ser visado em defender o protestantismo e combater falácias católicas).
    E também queria saber o que você acha sobre o Conde Loppeux? Sei que ele parece ter feito uns dois vídeos sobre seus artigos, mas nem dei o luxo de ver, o cara não se faz digno de discussão só usando de calúnias e palavrões em meio a argumentações.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Victor. Sobre a questão de publicar livros em versão impressa, eles já estão disponíveis no Clube dos Autores, que entregam por correio dentro de duas semanas (os links de cada livro estão na segunda tabela do link abaixo):

      http://www.lucasbanzoli.com/2017/04/0.html

      Publicar em uma editora com livraria física exige dinheiro, o mais barato que já encontrei fazia por oito mil reais (a AD Santos, aqui em Curitiba), e eu não tenho oito mil sobrando no momento. Por isso seria mais pra frente mesmo, por enquanto eu não me preocupo com isso, o que importa é que as pessoas leiam e com download gratuito ou compra do impresso no Clube dos Autores isso já é possível.

      Sobre refutar o ateísmo, eu tenho dois livros sobre o tema e um blog inteiro sobre isso. Veja aqui:

      http://ateismorefutado.blogspot.com.br

      Sobre o que eu penso do Conde Loppeux:

      https://heresiascatolicas.blogspot.com/2016/03/por-que-eu-nao-respondo-ao-conde.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2016/08/o-brasileiro-e-sindrome-da-incultura.html

      Sobre o tal vídeo que ele teria feito sobre mim, eu também não vi e nem vou perder tempo vendo, mas um leitor que viu o vídeo me trouxe os tais "argumentos" dele e eu refutei aqui:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2017/09/a-fabula-da-unidade-catolica-e.html?showComment=1504984831510#c7277456217414718554

      Abs!

      Excluir
  6. Olá, Lucas. Gostaria de perguntar para você se essa citação é verdadeira:

    "Reconhecemos - como devemos - que muito do que eles (os católicos -> isto foi colocado por um católico) dizem é verdade: que o papado
    possui a Palavra de Deus e o ofício dos Apóstolos, e que recebemos as Sagradas
    Escrituras, o Batismo, o Sacramento e o púlpito deles. O que saberíamos nós
    acerca disso se não fosse por eles?"

    (Sermão sobre o Evangelho de São João, capítulos 14 a 16, pregado
    em 1537; "Obras de Lutero", vol. 24, Sn. Louis, Mo.:Concórdia, 1961,p. 304).

    E se for, por que Lutero escreveu isso? Era por que ele ainda não tinha largado todos os dogmas católicos (coisa da qual só largou posteriormente)?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, me desculpe a demora em responder, porque passei um tempão checando na internet se achava esse livro de Lutero para encontrar o contexto da citação, e depois de muito pesquisar eu finalmente achei esse livro em inglês. Como eu não tenho tempo disponível para fazer uma tradução palavra por palavra, vou colocar aqui a tradução do Google que embora imperfeita dá pra entender do que está falando. Se você tiver facilidade em entender o inglês eu posso passar o texto em inglês também. Abaixo consta a sequência da tal citação. Me desculpe por selecionar um trecho tão longo, mas achei importante para esclarecer todo o pensamento de Lutero.

      ***

      Bem, o que devemos fazer nessas circunstâncias? No rosto de tal excomunhão, é difícil permanecer firme e pregar. Mas se deixarmos isso nos intimidar, e se fizermos o que querem que façamos - retrair ou cessar a nossa pregação, quando sabemos que é verdade e a Palavra de Deus - gostaríamos que o profeta Jeremias fizesse. Então a Palavra de Deus acenderia em nós um fogo que derreteria e queimaria nossos corações. Nenhum homem poderia suportar isso, e eu preferiria morrer dez mortes do que carregar minha consciência de tal maneira; pois isso logo me mataria de qualquer maneira.

      Mas o que é agora nossa defesa? E qual é o terreno em que podemos segurar a nossa contra essa ofensa e continuar a desafiar essas pessoas? Não é mais do que a declaração magistral que São Paulo emprega em Rom. 9: 7: "Nem todos são filhos de Abraão porque são seus descendentes". Nem todos os que carregam o nome são israelitas; ou, como diz o ditado: "Nem todos os que carregam facas longas são cozinheiros". Assim, nem todos os que reclamam o título de "igreja" são a igreja. Muitas vezes, há uma grande diferença entre o nome e a realidade. O nome é geral. Todos são chamados de pessoas de Deus, filhos de Abraão, discípulos e membros de Cristo; mas isso não significa que todos eles sejam o que o nome significa.

      Pois o nome "igreja" inclui muitos sem-fim e patifes que se recusaram a obedecer a Palavra de Deus e agiram de maneira contrária. No entanto, eles foram chamados de herdeiros e sucessores dos santos patriarcas, sacerdotes e profetas. Com certeza, eles tinham a lei e promessa de Deus, o templo e o sacerdócio. Na verdade, eles deveriam ter sido o povo de Deus; mas eles praticaram a idolatria tão livremente sob a capa do nome "igreja" que Deus foi forçado a dizer: "Este não será mais o meu templo e o sacerdócio. O meu povo não será mais o meu povo. Mas para aqueles que não são os meus povos, será dito: "Vocês são filhos do Deus vivo" (Êxodo 1:10; 2:23).

      Assim, também somos obrigados a dizer: "Eu acredito e estou certo de que a Igreja cristã permaneceu mesmo no papado. Por outro lado, eu sei que a maioria dos papistas não são a Igreja cristã, mesmo que dê a todos a impressão de que são. Hoje, nossos papas, cardeais e bispos não são apóstolos e bispos de Deus; eles são do diabo. E o povo deles não é o povo de Deus; eles são do diabo. E, no entanto, alguns dos papistas são verdadeiros cristãos, mesmo que eles também tenham sido desviados, como Cristo anunciou em Matt. 24:24. Mas pela graça de Deus e com Sua ajuda, eles foram preservados de uma maneira maravilhosa.

      Excluir
    2. Portanto, esse orgulho arrogante e prepotente está longe de ter alguma validade: "Nós, o papa, os bispos e todos os que estão sujeitos a nós, são a Igreja cristã; pois fomos nomeados para Cristo e somos sucessores e herdeiros dos santos apóstolos e pais. Por isso, temos boas razões para excomungar você que nos resiste e acredita ou ensina de outra forma”. Sim, queridos senhores, não nos irritamos com o nome, mas depois disso, deixe-nos ver se você realmente é e está à altura do que você afirma ser. Pois ser chamado por um nome e ser o que esse nome implica são duas coisas diferentes. Eu certamente me chamaria de rei ou de imperador se o nome fosse o suficiente e as pessoas tivessem que estar sujeitas a mim por esse motivo. O provérbio diz que chamamos a muitas pessoas de um homem piedoso e de muitas pessoas um canalha e cometem injustiça em ambos os casos.

      Pois é costume de todo o mundo usar nomes bonitos e palavras grandiosas e altas quando realmente não se encaixam. Se estivesse escrito na testa de todos o que ele é, ele não manteria esse nome muito longo. Por isso, eu digo que devemos manter e chamar atenção a distinção feita por São Paulo: que nem todos os chamados povo de Deus ou a igreja são o povo de Deus ou a igreja. A partir disso, podemos obter instrução e força para não nos ofender com a sua proibição e condenação, mas para responder: "Felicito-me se eles me excomungarem; pois essa proibição não é nada além de uma inapropriada, assim como todas as suas vantagens e toda a sua atividade são falsas. O próprio Cristo me avisou de antemão e exortou-me a não me preocupar com isso".

      "Sim", você pergunta, "mas o que você tem a dizer sobre isso? Afinal, foi a Igreja cristã que o excomungou”. Eu respondo: “Não, isso não fez; pois, apesar de se orgulhar do nome, isso não a faz igreja. O que eu me importo se aqueles que não usam nada além do mero nome me excomungam? Mas se aqueles que realmente são a igreja de Cristo fossem excomungar-me, eu realmente teria que cair a seus pés, implorar misericórdia e fazer obediência implícita".

      Agora você pergunta: "Mas como eu sei qual é a verdadeira igreja e qual não é?" Resposta: "Como eu disse, tudo depende do conhecimento correto da essência da igreja e da diferenciação adequada entre o nome e a essência da igreja". O próprio Cristo dará esta identificação distintiva e autorizada nas seguintes palavras: “E eles farão isso porque não conheceram o Pai, nem eu" (João 16: 3). Com essa pedra de toque, posso julgar de forma fácil e confiável quem é e quem não é a igreja. Pois pode-se ver sem dificuldade quem conhece o Pai e Cristo e que não os conhece; na verdade, essas pessoas se identificam. Aqui estou trazendo à corte o papa, seus bispos e todos os que se chamam a igreja e perguntando: "Você também acredita em Cristo, que você tenha perdão de pecados e salvação somente por meio do Seu sangue e que esta fé se conforma a vontade de Deus Pai? Você é batizado? Você recebe o sacramento; e você espera a vida eterna nesta fé?”

      Excluir
    3. "Sim", eles dizem, "nós certamente acreditamos". Mas para ver se eles realmente acreditam nisso, eu pergunto: "Por que, então, você ensina que nós, os adultos, perdemos muito o batismo e que todos devem agora expulse seus pecados e seja salvo por boas obras?” Agora eles têm a insolência de pregar e escrever que Cristo morreu e expiou apenas pelo pecado original e que devemos inventar maneiras de expiar nossos pecados reais. Assim descobrimos que eles se afastaram da fé e estão levando o povo longe de Cristo para suas próprias obras, dizendo-lhes para entrarem num claustro ou para uma peregrinação a Roma ou a São Iago di Compostelle, para levar uma vida austera e ascética, ou para escolher a Virgem Maria ou este ou aquele santo como intercessor, para ser salvo por isso. Assim, eles não fazem de Cristo senão um juiz severo e furioso que deve ser temido como aquele que quer nos lançar no inferno. Eles retratam o Cristo assentado em seu lugar de julgamento em um arco-íris, com sua mãe Maria e João Batista dos dois lados como intercessores contra Sua terrível ira.

      Isso equivale a uma completa remoção de Cristo; significa que Ele não é apenas não conhecido, mas simplesmente é mantido completamente fora da vista, enterrado e coberto de terra, para que eu não o veja mais como aquele que nasceu, sofreu, morreu e ressuscitou para mim - como dizem os filhos no Credo -, mas apenas como aquele que quer me julgar de acordo com a minha vida e as minhas obras, quer tenha pago pelo pecado ou não. Se eu o vejo com tal luz, não posso fugir para ele, mas devo fugir dele e procurar refúgio com Maria e outros santos em vez de com Cristo e Sua redenção. Eis que são as pessoas que querem ser chamadas de Igreja cristã, mas separam completamente Cristo. Espera-se que os obedecer e temer o seu mandato de excomunhão em vez do próprio Cristo.

      Portanto, este seja para você a pedra de toque, a regra, o decréscimo e o nível pelo qual você os condena como não conhecendo nem Cristo nem o Pai e como não sendo nem capaz nem disposto a ouvi-Lo. Pois o papa, é claro, ressente-se fortemente de nossos ataques à sua própria doutrina feita pelo homem de nossas obras e atos; ele não tolerará que alguém pregue a pura doutrina de Cristo. Nós, por outro lado, não permitiremos que ninguém suprima este Cristo e o substitua por nossas obras. Aqui começa a disputa. Eles procedem a nos condenar e excomungar em nome da igreja. Mas nos opomos a isto e dizemos: "Não é a igreja de Cristo que está tomando essa ação; é a noiva do diabo e a multidão do anticristo. Pois a verdadeira igreja, que conhece Cristo, certamente não irá excomungar ninguém por causa da Palavra do Senhor, uma vez que esta própria igreja prega, crê e escuta com prazer esta Palavra”.

      ***

      Excluir
    4. Em resumo:

      1) Lutero não estava dizendo que a Igreja Católica é a “Igreja verdadeira”. Ele apenas mencionou que recebeu as Escrituras e o batismo e os sacramentos através deles, porque até mesmo o próprio Lutero era um monge católico e teve contato com essas coisas através da Igreja Católica, que já tinha ou fazia essas coisas antes dele. Se ele vivesse no Oriente, por exemplo, e tivesse contato com essas mesmas coisas (os sacramentos, o batismo, as Escrituras, etc), diria o mesmo em relação à Igreja Ortodoxa.

      2) Então ele mostra que isso não serve para legitimar a excomunhão do papa em relação a ele e aos protestantes (que era o que os papistas pretendiam com isso), porque batizar, ter os sacramentos, a Bíblia, etc, isso não faz de uma Igreja uma igreja necessariamente verdadeira, porque a igreja verdadeira é onde a Palavra de Deus é pregada.

      3) Então ele diz que se a verdadeira igreja (ou seja, os cristãos que guardam e observam os mandamentos de Deus) o excomungasse, ele iria se humilhar e buscar o perdão, mas se uma igreja desviada e apóstata como a papista faz isso não tem peso nenhum, porque já virou uma “igreja do diabo” ou “sinagoga de Satanás”, que não tem mais moral pra excomungar ninguém.

      4) Ele refuta aquele ponto de vista de que por se dizer a “Igreja Católica”, os papistas eram realmente a “Igreja”. Mostra que apenas sustentar esse nome não significa nada, que o que realmente importa é se eles seguem esse conceito, ou seja, se praticam o evangelho, se são fieis à Palavra, se não distorcem a doutrina. Mas apenas se dizer a “Igreja verdadeira” enquanto corrompe o evangelho não a torna uma igreja de fato.

      5) O ponto central de tudo o que Lutero dizia era esse: uma igreja não se torna legítima por batizar pessoas, por dar os sacramentos, por possuir as Escrituras, por se dizer a “Igreja de Cristo” ou por outros fatores externos do tipo. Ela é verdadeira somente se é obediente à Palavra de Deus, mediante a doutrina pura de Cristo. Mas se apresenta esses aspectos externos corrompendo o conteúdo e pervertendo a doutrina, é apenas uma “igreja do diabo” disfarçada de igreja cristã.

      Abs!

      Excluir
  7. Lucas me veio uma dúvida sobre as Escrituras...a expressão examinai as Escrituras não está no imperativo e sim no indicativo, logo a igreja nasce primeiro? por que a expressão está no indicativo e não imperativo?Abraço e fica com Deus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa discussão do imperativo ou acusativo é infrutífera e inútil. Ela não tem nada a ver com "a Igreja nascer primeiro", aliás nem existia "igreja" na época em que Jesus disse isso, mas já havia as "Escrituras", que Jesus cita no verso. O que Cristo estava colocando é o seguinte: vocês (judeus) gostam de examinar as Escrituras, então como não percebem que ela aponta a mim como o Messias? Ou seja, Jesus não estava criticando o fato dos judeus examinarem as Escrituras, mas sim indignado por eles não perceberem que as Escrituras apontavam a si mesmo. Não era o exame que estava sendo condenado, mesmo porque não existia nenhum "magistério infalível" na época para interpretar as Escrituras "infalivelmente" (segundo o conceito católico), mas sim a cegueira espiritual dos judeus.

      Excluir
  8. Faça um dia um artigo sobre o grande cisma do ocidente!

    ResponderExcluir
  9. Pois é, Lucas, ja haviam canonizado a carta aos Efésios antes do tempo de Policarpo:

    “Creio que sois bem versados nas Sagradas Letras e que não ignorais nada; o que, porém, não me foi concedido. Nessas Escrituras está dito: ‘Encolerizai-vos e não pequeis, e que o sol não se ponha sobre vossa cólera’. Feliz quem se lembrar disso. Acredito que é assim convosco” (Aos Filipenses, 12:1)

    Os católicos vão ler isso, mas mesmo assim continuarão declarando que refutaram tudo!

    Nem Deus aguenta com essa turma!

    Magnífico artigo. Parabéns

    Alon

    ResponderExcluir
  10. Lucas mudando de assunto deste artigo...queria que me respondesse a duas perguntas que estão me deixando confuso.É verdade que os países europeus mais cultos e ricos até o século XVIII eram católicas, com exceção da Holanda e Inglaterra?e outra é se de fato as obras de Max Weber foi uma das maiores críticas ao capitalismo calvinista que ele mostra, que o processo de racionalização da vida social aplicada ao calvinismo, acabou gerando a expansão do secularismo e da cultura burocrática racional capitalista moderna?Abs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pra mim o catolicismo nunca foi sinônimo de avanço cultural, basta examinar a idade média para qualquer um chegar a essa conclusão.

      Excluir
    2. Sobre Max Weber, ta sendo propagado pelo Conde Loppeux no youtube

      Ele foi refutar um sociólogo que trabalha no programa "os pingos nos is" da Jovem Pan, Claudio Tognolli e disse que nenhum protestante ou sociólogo brasileiro jamais leram a obra completa de Max Weber, somente leram resumos da obra. Ele é um dos únicos que já leu a obra por inteiro e diz que a obra é uma crítica ao protestantismo, que somente pensava em dinheiro por dinheiro, desvinculado de valores morais e éticos. É o que ele afirma aí no vídeo.

      https://www.youtube.com/watch?v=HCVb_mCc_iE

      Excluir
    3. Cuidado, Lucas, corrige o "Marx" da penúltima linha que é um erro dos infernos!

      Excluir
    4. Texto corrigido sem o erro ortográfico (obrigado Raul por me avisar desse erro dos infernos xD):

      É falso, no século XVIII os países protestantes já estavam muito à frente dos países católicos, os únicos países católicos que tinham um pib per capita decente para competir com os protestantes (e mesmo assim a um grau abaixo deles) era a Bélgica e a França. Ambos tinham muitos protestantes, a primeira era democrática e se opunha ao espírito católico da época, e a segunda tinha forte influência iluminista (anticatólica). Os países católicos mesmo, em sentido tradicional, todos acabaram no mais assombroso retrocesso (Itália, Espanha, Portugal, Estados pontíficos, etc).

      A obra de MAX não é uma "crítica ao capitalismo calvinista", de onde você tirou isso?

      Excluir
  11. Lucas estava lendo um texto da Paula Rosiska,que é uma professora de português e escreve bastante sobre educação,me identifico com seus textos,ela é editora do Reaçonaria,que é um site conservador que também acompanho,aqui ela escreve sobre uma visita feita a Fátima,Portugal no site Senso Incomum,ela menciona não ser religiosa,tanto é que diz no texto que nunca leu nada de teologia,é totalmente leiga nesse assunto,mas menciona ter ficado emocionada ao visitar a cidade:´´Então a imagem saiu da capela cercada de rosas brancas. E cada vez que cantavam “Ave, Ave, Maria”, todos levantavam as velas. Naquela noite escura, pareciam estrelas (os copos coletores são de plástico transparente, de diversas cores). Vi mais e mais gente chegando. Alguns, sem pernas, se arrastavam entre a cruz e a imagem ao fundo, e outros iam ajoelhados. Arrogante, eu via a cena e pensava: “Jesus e Maria são tudo o que essa gente tem”, até que olhando para a cruz, veio-me a bomba: “você É essa gente”. Chorei (até hoje choro ao relatar isso) e agradeci muito a Deus por enviar Jesus e Maria para nos consolar, apesar dos nossos pecados. Sou uma leiga de fé capenga, mas naquele dia, tive o insight mais claro da minha vida. Nunca estudei uma linha de teologia, os rituais litúrgicos não fazem o menor sentido para mim, mas durante alguns minutos entendi tudo. E chorava aos soluços, agradecendo a Deus pelo amor que jamais mereci e sempre recebi.

    Agora se completam 100 anos da primeira aparição em Fátima. E, muito mais do que os segredos e as polêmicas em torno das revelações, posso dizer com franqueza que foi naquele lugar sagrado que compreendi o essencial: o amor de Deus também era para mim.
    http://sensoincomum.org/2017/05/13/fatima-na-visao-de-uma-leiga/ .Qual sua opinião sobre o texto?Para mim é fato que não houve aparição nenhuma,para mim os padres locais mandaram as crianças dizerem que viram Nossa Senhora em 1917,em um momento que a Igreja vivia uma crise em Portugal,foi o ano da Revolução Russa e eles já temiam a ameaça comunista,mas eu pergunto como pode a Paula Rosiska,uma pessoa que nem religiosa é,ela menciona no texto que rituais litúrgicos não fazem o menor sentido para ela,e é uma pessoa culta,esclarecida,além de ser professora de português,entende bastante de teatro,cinema,adoro seus textos,como pode ela acreditar nisso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Há duas coisas a se pensar aqui:
      1- se ela não é na verdade uma católica simulando isso tudo para tentar passar uma ideia de comoção por presenciar a fé nesses "santos (estátuas de gesso) ou milagrosas aparições (demoniaca ou inventada) de Maria, que de alguma forma validaria o catolicismo romano.
      Prestando atenção minunciosamente no texto dela, em dado momento ela menciona que esta agradecia por Deus ter enviado à nós Jesus e MARIA.
      Repare bem no típico discurso herético católico para quem não é "religiosa". Como se Maria pudesse ser comparada, seja em qual esfera for a Cristo.


      2- caso não seja isso um embuste arquitetado, ela mesma disse que não entende muita coisa, não só de teologia como obviamente de Escritura. A sua ignorância total sobre a Palavra explica por si só esse "testemunho" e essa comoção total dela diante de um ato idolatra totalmente repugnavel ao Criador.

      Lembrando que ela escreve pro Senso Incomum (ótimo por sinal) cujo maior porta-voz em seu discurso vive alegando que o mundo esta conspirando contra Igreja (romana, óbvio)
      Sei não se isso não é teatro e propaganda pró catolicismo.

      Excluir
    2. Nunca perdi tempo estudando essa "aparição" de Fátima, primeiro porque é ridículo demais para ser levado em consideração, segundo porque a própria Bíblia diz que o falso profeta faria cair fogo do céu à vista dos homens, o que para mim é muito mais relevante do que "aparições" isoladas em uma época em que não existia nenhuma forma de provar (câmera, filmadora, celular ou qualquer coisa que pudesse ser usada para registrar o evento). Curioso que hoje que temos tudo isso ela não aparece pra fazer "o sol dançar", só aparece quando não tem como provar...

      De todo modo, gente que se importa com essa polêmica já escreveu livros inteiros refutando esse besteirol, inclusive um padre chamado Mário de Oliveira, que escreveu o livro "Fátima nunca mais":

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2015/02/padre-desmascara-as-de-fatima-e-diz.html

      Apenas algumas considerações breves com o meu conhecimento de leigo no assunto:

      1) Se o sol tivesse realmente "dançado", isso teria sido perceptível em todas as partes do mundo onde fosse dia e o sol estivesse visível (ou seja, em metade do planeta, basicamente). No entanto, isso só aconteceu em um lugar, em Portugal (por coincidência, um país de fanáticos católicos naquela época), e dizem que alguns viram também na Espanha (que por coincidência também era um país de fanáticos católicos, puxa vida!).

      2) Em se tratando da história da Igreja Romana, de todo o contexto envolvido e do desespero deles em salvar uma fé que já ia morrendo em todo lugar, eu não duvido nada que tenham convencido fanáticos católicos a fingir que viram algo. Dizem que estavam ali 70 mil pessoas, embora nunca tenham provado esse número, mas mesmo que fossem mesmo 70 mil, isso é nada em comparado ao poder de manipulação que a Igreja Católica exercia sobre as massas naquela época.

      3) Como já ressaltei aqui, o diabo pode até fazer fogo cair do céu, veja no livro de Jó o quanto ele mexe na natureza, fez surgir catástrofes naturais, o que significa que ele tem poder de fazer isso com a permissão de Deus. Embora neste caso eu esteja certo de que ele não agiu assim, porque se se fosse o caso todo mundo teria que ver (e não só um país católico), então no máximo ele causou alucinações nos indivíduos ali presentes para que pensassem que estavam vendo "o sol bailar". Vale reforçar que estamos tratando de pessoas que já sofriam forte carga de lavagem cerebral vinda da própria Igreja através dos padres, altamente pré-dispostas a "ver" qualquer coisa, para a qual estariam facilmente induzidas.

      4) Pesquise sobre o que aconteceu com as crianças que supostamente teriam tido contato com "Fátima". É criminoso e assustador. Denuncia mais fortemente que qualquer outra coisa a completa fraude.

      Leia mais sobre isso aqui:

      http://conhecereis-a-verdade.blogspot.com.br/2011/05/sobre-fabula-de-fatima.html

      Abs!

      Excluir
    3. Olá! Fátima é um embuste total e tosco, entrei em contato com o padre Mario de Oliveira e ele mesmo me enviou os dois livros, muito bons por sinal e tudo baseado na Documentação Crítica de Fátima. Quem desejar o contato dele pode me enviar um email.
      jonatansampaiometal@gmail.com

      Excluir
    4. Muito bom saber que esse padre ainda está na ativa, porque a perseguição que ele sofre por desmascarar essa fraude e ainda mais sendo um padre não deve ser pouca coisa.

      Excluir
    5. Se a aparição de Fátima foi real, factual, óbvia, tratou-se da aparição de Satanás na forma de uma mulher. Se foi uma armação, tratou-se duma inspiração de Satanás na mente dum falsário conluiado com os padres.

      Excluir
  12. Lucas porque os pais da igreja não trataram muito ou escreveram muito sobre o tema da Justificacão ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Porque isso ainda não era um problema na Igreja da época, a qual acreditava da mesma forma que os reformadores:

      http://respostascristas.blogspot.com.br/2016/04/justificacao-somente-pela-fe-sola-fide.html

      http://respostascristas.blogspot.com.br/2016/04/justificacao-somente-pela-fe-sola-fide_29.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2012/08/somente-fe.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2016/05/agostinho-e-justificacao-pela-fe.html

      Excluir
  13. Lucas o que acha do novo formato dos DOIS DEDOS DE TEOLOGIA, do Yago Martins? ele já tem mais de 168 mil inscritos e já é Pastor da Igreja Batista Regular do Ceará, já faz 2 anos, com apenas 25 anos...é um jovem promissor no meio protestante e os vídeos dele ajuda muito no esclarecimento teológico...não acha Lucas?Abs.

    ResponderExcluir
  14. Segundo Flavio Josefo, Esdras compilou o primeiro cânon do Antigo Testamento

    Os católicos teriam de acreditar numa suposta tradição oral vindo dos tempos de Esdras para interpretar as escrituras, pelo próprio raciocínio que colocam.

    Estranho é que quando se trata do Antigo Testamento, os católicos não reconhecem nenhuma tradição. Aceitam apenas o que foi registrado por Escrito.

    Nesse sentido, na visão católica, Esdras apenas reconheceu o que os profetas, Moises e outros escreveram como verdadeiro por testemunhos da época, fontes internas, etc.

    Os católicos contra o judaísmo, rejeitam qualquer tradição

    Contra o protestantismo, somente aceitam a tradição

    Coerência nao é com eles.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Intrigante! Se a tradição católica é pura e imaculada, por que a judaica também é?

      Excluir
    2. Bem ressaltado, essa é mais uma das contradições católicas. Eles exigem que os protestantes sigam toda a suposta "tradição oral apostólica" que teria sido guardada "incorruptivelmente" pela Igreja Romana, mas rejeitam a mesma tradição oral sob o prisma ortodoxo e também toda a tradição oral judaica que igualmente teria sido supostamente "preservada incorruptivelmente de boca a boca" desde os tempos de Moisés. Na verdade, o fato dela afirmar taxativamente que a tradição oral dos outros é falsa e corruptível só prova que os protestantes estão totalmente certos em pensar que a dela também é.

      Excluir
  15. A ICAR já autoproclamou-se infalível, única, imaculada. Agora ela é superior Bíblia. Qual será a próxima quimera?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vão falar que a Santíssima trindade, na verdade, é o Santíssimo quarteto, e incluirão Maria como parte de Deus.

      Excluir
    2. Já tem os que dizem que Maria é co-participante da Santíssima Trindade, uma expressão mais suave pra não se falar em "quarteto", o que seria, digamos, escandaloso demais...

      Excluir
    3. Na próxima ela declarará a verdade: ser a obra prima de Satanás na Terra apoiando diretamente o Anticristo.

      Excluir
  16. Lucas os católicos usam o texto de Jó 14-4 que diz que é impossível o impuro sair do puro para falar de imaculada conceição de Maria. Eu sei refutar isso, senão Ana tb teria que ser imaculada. Mas o que o livro de Jó quer dizer com esse versículo de impuro não sair do puro, obrigado. Jó está falando do que aí?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Primeiro é preciso entender que nem tudo o que está em Jó são prescrições (verdades absolutas), muita coisa é apenas descrição, ou seja, que não significa necessariamente que aquilo que foi dito é a verdade, significa apenas que foi realmente dito por aquele personagem bíblico. Por exemplo, quando a Bíblia narra as negações de Pedro ou o adultério de Davi, ela não está aprovando ou incitando essas coisas, está apenas registrando o que aconteceu. No próprio livro de Jó vemos muitas vezes ele acusando a Deus ou murmurando, e os "amigos" dele formulando teses absurdas onde culpavam a suposta pecaminosidade de Jó pelas suas desgraças. Em síntese, é errôneo imputar algo da descrição de uma fala de um personagem no livro como sendo uma prescrição bíblica com valor de verdade absoluta para todas as pessoas em todas as eras. Eu faço essa diferenciação entre prescrição e descrição no meu livro "Exegese de textos difíceis da Bíblia", e também em um capítulo de meu livro "Deus é um delírio?", refutando textos descritivos que Dawkins usa como se fossem prescrições para acusar a Bíblia de coisas horrorosas.

      Ainda que isso fosse uma verdade (e nem toda descrição é uma inverdade, é claro), quem disse que Jó tinha em mente a questão do pecado original? Isso nem passava pela cabeça deles naquela época; Jó era da época patriarcal, nem Estado de Israel havia ainda, quanto menos o conceito póstumo de "pecado original". E biblicamente falando, os cristãos são "puros" por terem sido lavados e cobertos pelo sangue de Cristo que nos purifica de todo pecado (o que não significa que somos imaculados em sentido absoluto), e neste sentido somos chamados de "santos" e "justos" (ainda que tenhamos pecado, como Maria também tinha, e Ana, e etc).

      Excluir
    2. Entendi. Mas ainda não entendi o que Jó quis dizer quando disse que o puro não habita no impuro. Que puro é esse? E que impuro é esse? São pessoas?

      Excluir
    3. Pelo contexto, Jó parece estar falando da insignificância do homem:

      “Brota como a flor e murcha. Vai-se como a sombra passageira; não dura muito. Fixas o olhar num homem desses? E o trarás à tua presença para julgamento? Quem pode extrair algo puro da impureza? Ninguém!” (Jó 14:2-4)

      Ele acentua o quanto o homem é insignificante em comparado a Deus, é apenas uma flor que murcha rápido, uma sombra passageira, algo que não dura, e por isso Deus nem mesmo iria “fixar os olhos” nele. Daí vem a famosa declaração de que ninguém pode extrair algo puro da impureza, que pelo contexto está falando da própria natureza humana, que é naturalmente caída, depravada, impura, e portanto nada poderia ser extraída de “puro” nela. O homem, portanto, é um ser pequeno, passageiro e impuro. É claro que pode-se dizer que essa é uma filosofia melancólica de um Jó aflito e angustiado, mas encontra certo eco nas palavras de Paulo, citando os Salmos:

      “Como está escrito: ‘Não há nenhum justo, nem um sequer; não há ninguém que entenda, ninguém que busque a Deus. Todos se desviaram, tornaram-se juntamente inúteis; não há ninguém que faça o bem, não há nem um sequer’. ‘Suas gargantas são um túmulo aberto; com suas línguas enganam’. ‘Veneno de serpentes está em seus lábios’. ‘Suas bocas estão cheias de maldição e amargura’. ‘Seus pés são ágeis para derramar sangue; ruína e desgraça marcam os seus caminhos, e não conhecem o caminho da paz’. ‘Aos seus olhos é inútil temer a Deus’” (Romanos 3:10-18)

      Excluir
    4. Lucas,o que eu percebo que na Bíblia Deus fala, o homem fala e o inimigo também. Quando Deus fala é a verdade absoluta já os demais...

      Excluir
  17. Lucas nem precisamos citar tanto o exemplo judaico,basta falar de outras vertentes religiosas por exemplo, o Budismo, no seu bojo doutrinário não mudou em mas de 2.300 anos de história e sem falar também que não existem ramificações entre eles são unidos e mesmo assim suas doutrinas são nefastas e espúrias, ou seja,o catolicismo em fazendo comparações infantis com suas doutrinas e o tempo de história milenar como se isso fosse dar credibilidade a ICAR como a única detentora hierárquica da verdade... a ICAR é cheia de retalhos do começo ao fim tanto suas doutrinas e sua instituição que se corrompeu e se tornou irreversível a sua situação de pureza doutrinária, não acha Lucas?Forte abraço meu amigo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito bem colocado. Por isso que unidade doutrinária somente não significa nada. Eu sempre insisto aqui em dizer que os kardecistas são muito mais "unos" que os católicos neste quesito, você não vê discordâncias doutrinárias entre eles, não vê eles batendo boca uns com os outros como você vê entre católicos, e nem por isso eles estão com a verdade. Ser unido no erro não é mérito nenhum. Antes de tudo, está a verdade. Já dizia Lutero: "A paz, se possível, mas a verdade a qualquer preço".

      Excluir
  18. Olá Lucas, eu sou pós-tribulacionista como vc, e eu acredito que os escolhidos de Mateus 24 se refira a Igreja. Mas um pré-tribulacionismo está me perguntando com que base bíblica eu afirmo ser a Igreja. Como responder a ele?
    Valew.w.w

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu falo sobre isso neste artigo:

      http://lucasbanzoli.no.comunidades.net/cristaos-passarao-pela-tribulacao

      O termo "eleitos" (εκλεκτους), no NT, sempre se refere à Igreja. E no mesmo capítulo, Jesus usa esse mesmo termo se referindo ao arrebatamento, e eu nunca vi um pré-tribulacionista dizer que apenas judeus serão arrebatados:

      "E ele enviará os seus anjos com grande som de trombeta, e estes reunirão os seus eleitos [εκλεκτους] dos quatro ventos, de uma a outra extremidade dos céus" (Mateus 24:31)

      Excluir
  19. Olá, amigo Lucas.O que está acontecendo com o SPFC?rapaz, o único que no meu ver se salva é o Hernanes poxa... e olha se não fosse a contratação dele o tricolor estaria no meu entendimento mais perdido.O Pratto parece que desaprendeu a jogar, o peruano Cueva decepção já que na seleção estar fazendo a diferença, mas pelo jeito ele quer sair do SPFC, o goleiro meu Deus...ninguém da jeito, Sidão tem que ir embora urgentemente, ele é muito fraco, não serve pra vestir a camisa tricolor e o pior de tudo que no meu entender o ponto mais fraco do time é fator emocional, é só ver as competições anteriores como Libertadores,Copa do Brasil e a sul- americana que o SPFC tinha tudo pra ganhar e até conquistar títulos não acha Lucas? Qual a sua crítica maior com relação ao nosso TRICOLOR?Abraço meu irmão em Cristo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigo, pra mim, é ruindade mesmo. Segunda divisão em 2018. :(

      Excluir
    2. O problema é que o nosso time não tem zaga e nem laterais, e se colocassem os nossos três goleiros para jogarem ao mesmo tempo no gol ainda assim passaria menos segurança do que o Cássio ou o Vanderlei sozinhos. O Edimar é uma assombração, a expressão máxima do apequenamento que o SPFC vem tendo nos últimos anos. Até quem sabia jogar não sabe mais, talvez por desmotivação ou outros interesses maiores (Cueva e Rodrigo Caio, por exemplo). Esperaram para contratar o Lugano quando já estava com 34 anos após rejeitar contratá-lo mais cedo, vendem metade do time no meio da temporada, não tem jogada ensaiada, padrão de jogo, tática e nem mesmo um time titular definido após nove meses de temporada. Cada bola lançada na área é um Deus nos acuda, os nossos zagueiros parecem anões de jardim em qualquer lance de escanteio do time adversário não importa qual seja. E também é um time velho do meio pra frente sem contra-ataque, o Pratto é esforçado mas não tem drible, Jucilei e Petros ocupam o mesmo espaço no campo e não combinam bem juntos (o primeiro piorou o futebol depois da chegada do segundo), e só o Hernanes carregando o time nas costas jogo após jogo não dá. Chegou a um patamar que às vezes penso ser até melhor cair logo pra aprender a lição, da mesma forma que o Corinthians caiu em 2007 e depois disso voltou ganhando tudo.

      Excluir
  20. Eu li recentemente nos comentários que o Conde andou falando muito em você, Lucas, aí fui até aquele canal e vi um certo vídeo lá, não tive boa-vontade alguma de assistir inteiro (apenas um pouquinho), aí li a descrição e os comentários, e adivinha: parece que agora estão atacando o Rodrigo Silva também...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paz, pelo que entendi essa condessa tem uma forte atração pelo irmão Lucas, mas pelo visto, como o Lucas não dá bola pra ele, ele deve estar querendo chamar a atenção do Rodrigo pra ver se ganha atenção e uma chupeta com nutella.

      Excluir
    2. Sessão perca-de-tempo ou lixo cultural assistir tal conde. Quem quiser servi-se de insensatez taí um prato cheio.

      Excluir
    3. Um ignóbil como esse conde não tem capacidade de refutar nem ele mesmo quanto mais alguém como dr Rodrigo Silva.

      Excluir
    4. E o Rodrigo recebe vários comentários odiosos de neo-ateus nos vídeos dele, também.

      Excluir
    5. Não vi esse vídeo, mas li os comentários

      Ele tava falando que a arqueologia neo testamentária do Dr Rodrigo Silva se baseia na crença adventista.

      Eu nunca vi e nunca vou ver qualquer arqueólogo, seja ateu, católico, judeu ou de qquer linha afirmar que a sede do cristianismo primitivo (do primeiro século) era em Roma. Não tem nem como. Teriam que reescrever a história.

      Tb teria que mudar o que afirmava Flavio Josefo, que dava muito mais crédito a Tiago, irmão de Jesus do que a Pedro, no cristianismo primitivo. Só falta ele falar que Josefo era adventista também rs

      Excluir
    6. Mesmo não sendo adventista, eu não vejo problema nenhum no básico da teologia do Rodrigo Silva. Inclusive ele é muito criticado por parte dos adventistas que não vêem com bons olhos seu jeito amistoso com católicos romanos.

      Excluir
    7. Esse povo ataca qualquer um que não seja do grupo deles, até católicos que não sejam fanáticos tradicionalistas o suficiente. Beira a patologia. Agora querem saber mais de arqueologia do que um cara com dois doutorados e um pós-doutorado que é o maior especialista na área aqui no Brasil e que fala acadiano, grego e hebraico melhor do que esses caras falam o português. E o que eles sabem? O dono do canal tem uns livros que ele faz questão de colocar atrás dele para passar a imagem de um "cara que estuda", quando ele próprio já admitiu que nunca leu a maior parte desses livros e nunca vai ler. Apenas repete o esterco do senso comum católico tradicionalista sem nunca citar as fontes de nada que diz, tentando compensar a falta de conteúdo e sobriedade com insultos e palavrões sem fim. Os seguidores do sujeito são mais ignorantes ainda, tem um verdadeiro horror a livros de história e são a escória da humanidade. E são essas mesmas pessoas que se acham os "intelectuais" que vão "revolucionar" a nossa geração. São uma piada pronta, isso sim.

      Excluir
    8. Qual Rodrigo Silva, o arquélogo adventista?

      Excluir
  21. Senão Lucas, qual crítica ele se referiu?pelo o que eu li, ele não faz só elogios.Se de fato estavam bem avançados poderia fazer algumas citações de historiadores que falam que o nível cultural e educacional até o século XVIII das nações e os estados protestantes tinham de fato se desenvolvido bastante...será que não foi só exclusividade de estados protestantes alemães?outra coisa como assim os Países citados Itália, Espanha, Portugal e estados pontíficos eram tão retrógrado assim? será que não foi um exagero da sua parte?Fica com Deus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não vou fazer citações aqui, perderia o maior tempo abrindo todos os arquivos de citações e procurando uma a uma pra depois montar um textão; compensa muito mais esperar o livro ficar pronto e então estará tudo lá. Não falta muito, apenas um mês e meio, vem muita coisa interessante por aí, muito mais do que apenas um monte de citações. Abs.

      Excluir
  22. Lucas você acha que nos protestantés devemos a começar a nos impor na cultura ? Eu recentemente li sobre o período glorioso do Neo Calvinismo holandes e sobre o puritanismo americano ( você devia escrever sobre esses 2 períodos ) . Você acha que está na hora de um avivamento protestanto no Brasil aos modes do avivamento inglês de Jonh wesley ? O que mais vejo são protestantés elogiando o Velho Da Virgínia e ficando submissos aos católicos mas que nunca leram as institutos ou qualquer livro de Lutero . Afinal eu acho que você vai concordar que Phil Schefer e mil vezes mais honesto que O.C

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, isso que você falou é em grande parte devido à profunda ignorância que grande parte dos protestantes tem em relação ao legado da Reforma, então acabam dando ouvidos ao primeiro charlatão mentiroso que aparece por aí difamando o protestantismo e enaltecendo o catolicismo com argumentos pitorescos, como o Vampirão da Virgínia que você mencionou e outros gurus. Em parte isso é devido ao fato de muitos protestantes (especialmente os pentecostais) darem ênfase demais ao lado espiritual e virarem as costas aos estudos como se fosse coisa da "letra que mata", e em parte os tradicionais também são culpados, pois quase sempre se preocupam apenas em discutir calvinismo e bater em arminianos e pentecostais em vez de estudar a Reforma de fato e aprender um mínimo de apologética para refutar o catolicismo (que é de onde vêm a esmagadora maioria dos ataques recebidos, já que os católicos são maioria aqui).

      Excluir
  23. Lucas. Gostaria que você me informasse se a Igreja ortodoxa também se considera superior a Bíblia porque superior a ICAR e aos protestantes ela já se considera. Obrigado amigo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sou a melhor pessoa para responder sobre os ortodoxos, aliás um rapaz ortodoxo chamado Rodrigo Barros que de vez em quando comenta aqui seria bem mais apto para lhe responder sobre isso, mas até onde eu sei a crença deles é que a Escritura e o magistério tem o mesmo peso, ou seja, nenhum dos dois é superior ou inferior ao outro (enquanto os papistas colocam o magistério acima da Bíblia, e os protestantes colocam a Bíblia acima do magistério).

      Excluir
    2. Essa questão é boa, e apesar da resposta simplificada do Lucas, os protestantes acreditam que a informação necessária e suficiente que o próprio Deus queria que fosse documentada está na Bíblia. O documento original é a Bíblia. Qualquer outro, mesmo que os católicos briguem ou os ortodoxos considerem, não pode estar à frente da Bíblia. Somente a palavra direta de Deus mesmo que está. Não há discussão para isso.

      Excluir
  24. querido Lucas, volte a fazer vídeos.só o ano que vem é?Deus te abençoe.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, ou no final do ano, talvez. Mas não faço vídeos seriamente, apenas como passatempo de vez em quando, mesmo porque não sei falar bem, meu forte é a escrita mesmo.

      Excluir
    2. E na escrita você é realmente forte. Para a sua idade, a clareza dos argumentos e a facilidade na leitura mostram haver bastante qualidade. Parabéns. Que Deus continue te enchendo de sabedoria e capacidade.

      Excluir
  25. Seu livro sobre a Reforma vai ter quantas páginas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nunca sei quantas páginas um livro vai ter antes de escrevê-los, já teve livros que pensei que iriam ficar grandes mas ficaram curtos, e outros que pensei que ficariam pequenos e tive que dividir em mais de um volume de tão grande que ficou. No caso específico desse livro, pela quantidade muito grande de citações que já recolhi, eu planejei dividir em três volumes, cada um abordando um aspecto diferente da Reforma, porque só de citações recolhidas já deu mais de 300 páginas...

      Excluir
    2. E como vc vai escrever tudo isso em menos de 2 meses?

      Excluir
    3. Menos de dois meses é para ficar pronto o volume 1. Os outros ainda vão demorar de um a dois meses cada, eu acho.

      Excluir
    4. então não vai ficar tudo pronto antes dos 500 anos da reforma como vc tinha prometido =(

      Excluir
    5. Eu disse que escreveria um livro até o dia da Reforma, não disse que escreveria todos os três volumes até lá.

      Excluir
  26. Estes argumentos católicos são auto-refutantes. Se a Igreja é superior a Bíblia por ter "determinado" o cânon (o termo mais preciso seria reconhecido), o fiel romanista que determinou que sua Igreja é a verdadeira seria uma autoridade maior do que a própria Igreja.

    É simplesmente estúpido perguntar para um protestante "como você sabe qual é o cânon?" ou "como você sabe que a Bíblia é a palavra de Deus?" na tentativa de estabelecer a autoridade de uma Igreja em particular, pois o mesmo argumento pode ser feito "como você sabe que a sua Igreja é a correta?". É um argumento estúpido repetido a exaustão por romanistas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ótima observação Bruno, sempre enriquecendo com comentários lúcidos. Abs!

      Excluir
  27. A ideia de existir uma religião com um magistério infalível e superior a mensagem que Deus deixou (Bíblia) é tão absurda que qualquer um que pare pra pensar com honestidade e sem fanatismo irá discordar. Acredito que nem os fariseus chegaram a tanto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem colocado. Nem os fariseus em toda a sua arrogância, prepotência, hipocrisia e tradicionalismo chegavam ao ponto de se autoproclamarem "infalíveis", e muito menos a se colocarem acima da Palavra de Deus (embora suas tradições orais a anulassem na prática, como Jesus disse). O catolicismo romano é um farisaísmo piorado à sua enésima potência.

      Excluir
  28. Lucas, por que ninguém consegue refutar você? Me ensine o segredo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O segredo é estar do lado da verdade. Fica sempre mais fácil.

      Excluir
    2. É sempre correto ter interpretações independente de denominações?

      Excluir
    3. Sim. A não ser que por milagre você tenha estudado todas as doutrinas uma a uma e descoberto que coincidentemente uma única denominação acerta em todas elas e não erra em nenhuma. Neste caso até eu estou curioso em saber que denominação é essa...

      Excluir
  29. A crença de que a ICAR está acima da PALAVRA DE DEUS não é apenas um conceito errado fundamentado em ignorancia, é uma verdadeira blasfêmia contra o proprio Deus.
    Para termos uma boa noção disso, basta fazermos o seguinte raciocinio; sempre que uma pessoa afirma algo sobre outra que não pode provar se diz que é a palavra de uma contra a outra. Agora imagine que estão à sua frente o Senhor Deus e o "infalivel" papa, e Deus diz: é assim, e assim e assim... E depois o "infalivel" contraria: não, é a assim, assim e assim. então temos a palavra de Deus contra a palavra do papa, qual é mais digna de confiança? Para os católicos a do papa claro, afinal de contas ele é não é Infalível?
    Para mim, essa é uma das maiores blasfêmias da história humana! como disse alguem ai em cima, nem mesmo os fariseus chegaram a tanto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só um acéfalo vai engolir essa de papa infalível. Área NENHUMA do conhecimento humano possui alguém infalível e querer que a ICAR seja exceção a regra só na cabeça de quem se recusa a pensar.

      Excluir
    2. Bem colocado. Não há autoridade humana infalível nenhuma para definir nada em qualquer área do conhecimento humano, mas na teologia tem que ter, senão somos "malditos relativistas subjetivistas filhos da serpente"...

      Excluir
  30. Católicos pegam estes cânones de Cartago e Hipona e tomam a decisão para si e também tomam como base que se não fosse por estes dois cânones, não haveria bíblia para a humanidade, ou com relação ao cristianismo, nós não teríamos o Novo Testamento ou não saberíamos quais evangelhos são verdadeiros ou falsos (alegam que existiam mais dos que os 4 evangelhos aceitos e decidiram pelos 4 somente no século 4).

    Como você já colocou, eles apenas reconheceram os livros já aceitos pela comunidade cristã.

    Tem outra questão. Igrejas Orientais (nestorianas e outras igrejas) tem cânones próprios das Escrituras como um todo (do Novo Testamento também, a Peshitta).

    Nunca tiveram qualquer relação institucional seja com a Igreja Católica ou Ortodoxa. Eles viviam isolados do resto das igrejas pq estavam sob dominação persa, enquanto as outras viviam sob domínio do Império Romano. Mesmo assim, aceitam quase as mesmas escrituras do Novo Testamento. Os 4 evangelhos, Atos e cartas paulinas. O cânon tem 22 livros. Não tem 2 Pedro, 2 e 3 João, Judas e Apocalipse, mas consideram de forma secundária, não como apócrifos. Dizem que não tinham contato com estas escrituras quando fecharam este cânon.

    Sendo assim, pode-se negar várias crenças católicos tendo como base este cânon.

    Ainda sobre isso de que viviam de forma isolada, dizem que o concílio de Efeso (431 D.C) que supostamente condenou o nestorianismo num concílio ecumênico, nunca existiu. Era um concílio local das igrejas ocidentais. Nenhum representante deles esteve presente. Assim como existe revisionismo em relação às escrituras patrísticas, também existe em relação a concílios locaias transformando em decisão ecumênica.

    ResponderExcluir
  31. LUCAS SOARES MARTINS14 de setembro de 2017 10:59

    Lucas podemos afirmar categoricamente, historicamente que a Igreja Católica, só se tornou romana com a união do estado com a religião no ano 380 d.c, com o Imperador Flávio Teodósio I?e senão porque?Abraço xará.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não. Ela só se torna romana no século XI, e mesmo assim só no Ocidente. A Igreja Católica (universal) não é, nunca foi e nunca será romana.

      Excluir
  32. Eu vejo que um dos grandes erros do homem é tornar a instituição maior que os seus membros, e mesmo que a Bíblia. Os católicos são 100% assim, e alguns protestantes também. Quantas vezes eu ouvi "antes de ser cristão eu sou presbiteriano." Ouvi isso de pastores, líderes e tal. Desse ponto em diante a pessoa passa a idolatrar a instituição,e não a Deus. O erro está aí.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perfeita a sua reflexão. De fato, foi esse o maior erro da Igreja Romana, enaltecer a sua instituição particular acima de tudo, até mesmo da Palavra de Deus e do próprio Senhor, e alguns evangélicos estão querendo copiar esse erro terrível ao engrandecer a sua denominação acima das demais, às vezes quase chegando ao ponto de sustentar expressamente a mesma bobagem romanista, de que "não existe salvação fora dessa igreja".

      Excluir
  33. Olá, Lucas.Banzoli explique o texto do evangelho de Lucas 7.33-34, o texto dá há entender cristo sendo em favor do consumo de bebidas fermentada com moderação contrário o costume de João Batista...qual é o contexto?Abs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O texto não diz se o vinho era fermentado ou não, então é especulação.

      Excluir
  34. O fato da ICAR ter criado a Inquisição já faz cai por terra a ideia de que essa instituição é "infalível" ou "santa".

    ResponderExcluir
  35. Lucas será que o padre Paulo Ricardo iria responder essas perguntas:

    "Mas vc quer dar crédito a esses bispos da igreja primitiva que definiram os 27 livros do novo testamento, mas quando se trata de algo que te desagrada vc não aceita-os? Não é uma incoerência?"

    Não, porque eu não reconheço os 27 livros do Novo Testamento como canónicos porque alguns supostos bispos no passado os definiram como tal. Na verdade, nem sequer sei do que você está a falar. Que bispos foram esses que definiram os 27 livros do Novo Testamento? Quando e onde foi isso? Como é que esses supostos bispos chegaram à conclusão que deviam "definir" precisamente esses 27 livros? Tiveram uma revelação? Uma visão? Fizeram um sorteio? Como foi?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Como é que esses supostos bispos chegaram à conclusão que deviam "definir" precisamente esses 27 livros? Tiveram uma revelação? Uma visão? Fizeram um sorteio? Como foi?"

      Pior que muitos católicos que já ouvi acreditam que o magistério (o papa) faz as tais decisões ex-cathedra através de "revelações místicas." Isso aí ta mais pra ocultismo

      Por exemplo. Alguns católicos falam que se não fosse pela igreja católica, os protestantes teriam de crer na trindade, porque somente no século 4 a trindade foi revelada no concílio de Niceia através de uma experiência mística que os bispos tiveram ali rs E são muitos os que acreditam nisso.

      Depois falam que evangélicos acreditam em tudo o que ouvem, sem questionar.

      E também já ouvi eles zombando da religião islâmica pq é baseado em experiências místicas - Maomé recebeu uma revelação do além, supostamente do anjo Gabriel. Só que acreditam nas mesmas crenças.

      Excluir
    2. A ICAR sempre foi fideísta, adepta da fé cega no magistério, no papa infalível, no poder mágico dos sacramentos, nas palavras invocadas pelo padre na transubstanciação ou perdão dos pecados, enfim, uma religião tão "mística" e fideísta quanto o islamismo, se não for mais.

      Excluir
  36. Lucas bem antes do concílio de Niceia já existia 86 mil citações do NT que já circulava nas comunidades cristãs, ou seja, não foi A ICAR que escolheu, decidiu ou definiu quais livros eram verdadeira, simplesmente reconheceu os escritos por sua natureza de produção que já eram entendidos como inspirados desde o momento que foram produzidos, ou seja, os sínodos e concílios posteriores da igreja apenas ratificaram o reconhecimento dos credos dos primeiros cristãos é verdade que até mesmo os gnósticos admitiam isso?Abs.

    ResponderExcluir
  37. Olá, Lucas sabe me dizer que na época de Moisés o rei do Egito era RAMSÉS II ou foi TUTMOSIS III que foi afogado no MAR VERMELHO?Abs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi Tutmosis III, embora os filmes retratem erroneamente Ramsés II, porque ignoram a cronologia bíblica.

      Excluir
  38. Oi Lucas. Concordo com você quando entende ser correto possuir opinião pessoal sobre a Palavra de Deus. O problema é tom pejorativo que se dá a expressão "opinião pessoal" como algo necessariamente contraditório. Os pais da igreja tinham seu entendimento e não viam problema nenhum em expor o que pensavam. Na Bíblia temos o registro de Gamaliel expondo seu parecer sobre os primeiros cristãos. O próprio Cristo nunca censurou o ato de possuir uma opinião. Ele censurou entendimentos EQUIVOCADOS ou maliciosos dos fariseus. A ICAR foi a genitora da idéia de ser infalível e exclusiva detentora da hermenêutica sagrada. Obrigado amigo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exato, para eles basta dizermos qualquer coisa e eles já rechaçam como sendo "opinião pessoal", independentemente das evidências e da força dos argumentos, como se apenas uma "pessoa infalível" devesse ser levada em consideração (ainda que este "ser infalível" não tenha nenhum argumento que preste). É uma visão risível e pateticamente distorcida do que vem a ser a realidade. E o pior é que eles tropeçam no próprio laço deles, pois também tem a OPINIÃO de que a Igreja deles é a certa e de que o papa é infalível, como nós temos de que não (com a diferença de que nós temos a força dos argumentos, e eles apenas a fé cega no "papa infalível").

      Excluir
  39. Banzoli, é verdade que Armínio fazia diferença entre salvo e eleito? Ou seja, todo eleito é salvo, mas nem todo salvo é eleito. Ele cria assim?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só se a eleição no caso for a eleição para o ministério, e não a eleição para a salvação.

      Excluir
    2. O que ouvi falar era eleição pra salvação. Tipo assim: Deus previu quem ia permanecer e então elege a pessoa. Qual era a posição de Armínio sobre isso?

      Excluir
    3. Você também crê assim?

      Excluir
    4. Não, eu creio na eleição corporativa.

      Excluir
  40. É verdade Lucas que Tomás de Aquino disse que se um padre vomitar a hóstia ele tinha que engolir novamente? que bizarrice é essa dos loucos católicos.Deus te abençoe.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nunca vi ele dizer isso, embora não expresse mal o conceito que eles tem.

      Excluir
  41. Hey, Lucas, vc já leu "confissões do demônio a um sacerdote"?

    "O TERÇO – é a oração mais forte e mais nobre. Uma única Ave-Maria tem poder, poder… Uma única Ave-Maria até o purgatório, o lugar do sofrimento… Quando um homem diz: Ave-Maria – a Grande Mulher se alegra, e como se alegra – e nós huuu levamos um susto, susto, susto!"

    "Você sabe que na hora da morte d´Aquele ainda ganhamos uma alma? O sacerdote respondeu: –A alma do bom ladrão você não ganhou. E o demônio: – Sabe por quê? Por causa D´ELA que estava aos pés da cruz. (Havia um motivo, mas o sacerdote não anotou e esqueceu)."

    Por que não haveríamos de acreditar na palavra do demônio??
    HAHAHAHAHAHAHAHA

    ResponderExcluir
  42. Lucas Banzoli, os papistas estão reclamando pelos seus artigos longos (kkkkk)... O que você tem a dizer sobre isso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fazer o que, quem mandou eles serem intelectualmente preguiçosos e terem horror à leitura? Se não leem um blog, o que dirá dos livros?

      Excluir
  43. Margarida dos Santos15 de setembro de 2017 19:28

    Olá,Lucas.Quem é o autor do site conhecereis a verdade?muito bom o blog eu tenho aprendido e muito, esclarecedor nos seus questionamentos históricos, assim como o seu Lucas.Que Deus levante mais homens de Deus pra nos ajudar a nossa comunidade protestante.Deus te abençoe.

    ResponderExcluir
  44. SE o protestantismo 'deve' a Bíblia que possui ao catolicismo (como querem seus apologistas) por que o mesmo catolicismo não admite deve o Antigo Testamento ao judaísmo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eles acham que a Igreja Católica é a "dona" do AT também. Não é brincadeira.

      Excluir
  45. Lucas Banzoli admiro seu trabalho de demonstrar as heresias católicas e provar que a verdade está no protestantismo,não sei se discordas de mim,mas eu penso que a simples adesão as doutrinas protestantes, a conversão a Igreja Evangélica não salva ninguém, penso que a salvação vai além disso,até porque ao analisar a história dos países protestantes,do principal deles EUA,mesmo em seus primórdios,antes do secularismo dominar o país, já eram cometidas injustiças, pessoas que possuem Deus no coração não iriam escravizar e exterminar povos indígenas, por mais que eles fossem uns "pagãos impuros",pelo contrário deveriam trata-los com amor,para que os índios vissem Jesus no coração dos ingleses e assim se convertessem ao evangelho,do mesmo modo não teriam escravizado e segregado negros,nesse aspecto ainda foram piores que os católicos portugueses e espanhóis ,porque proibiram as uniões inter-raciais,coisa que os ibéricos nunca fizeram,apesar de por outro lado,os negros terem se convertido de verdade por lá, abandonaram suas antigas crenças nos orixas,não há "macumba"por lá, a não ser o voodoo de Nova Orleans, mas isso pode ser explicado,porque aquela região recebeu colonização francesa,e os franceses eram católicos, então as religiões afros se sincretismo com o catolicismo,já que no catolicismo há culto a imagens, então eles podem chamar Ogum de São Jorge,Iansa de Santa Bárbara,etc.Mas mesmo posteriormente a essa época colonial racista,vejo uma falha na moral,porque eu noto que a Igreja Protestante luta tanto para preservar a moral e os bons costumes, condenar o uso de bebidas alcoólicas,drogas,banalização de sexo,eu acho isso excelente,Cristo nos chama para viver uma vida separada do mundo,com moral,ética,no entanto eu vejo que o LSD,uma das drogas mais fortes que há, foi desenvolvida nos EUA pela CIA nos anos 50,que chegou a fazer experimentos em seus agentes e popularizada durante a era hippie nos anos 60,aliás os EUA tiveram era hippie, Woodstock,com pregação de sexo,drogas e rock and holl,ideologia que é a negação do que Cristo ensinou,fora isso a Revista Playboy foi criada por lá, assim como Hollywood passou a fazer cada vez mais filmes com cenas de sexo,e aí infelizmente eu sou obrigado a dar ração para os ateus sovieticos nesse aspecto moralista, porque lá na URSS não tinha hippies, nem rock,Woodstock,nem drogas,possuíam uma ideologia conservadora nos costumes ,apesar do marxismo ateísta e até hoje são assim,o Putin proíbe a ideologia de gênero e a Parada Gay, uma exposição como a que aconteceu no Santander, jamais aconteceria por lá!

    ResponderExcluir
  46. Eu converso muito com uma russa cristã ortodoxa,que defende o Putin e fala que os presidentes dos EUA mesmo o Trump são uns frouxos, porque acha que vai combater o crime e a imoralidade de portando mexicanos,quando antes da migração intensa,que só se intensificou a partir dos anos 80,com a prosperidade da Era Reagan,ainda nos 60,quando a imigração mexicana era bem baixa,eles já faziam woodstock na base do sexo,LSD, droga criada por eles mesmos e o rock and holl, então o problema não são os mexicanos,o correto é cristianizar de verdade,conseguir eliminar a ideologia de genero,devem ora por muito isso,para que se produção um verdadeiro avivamento,e não ficar só com discurso de Trump popularista, moralista,na minha opinião ele não é um cristão de verdade, tanto que é que foi divorciado 2 vezes, vivia saindo com as prostitutas que trabalhavam nos casinos dele ,seus casinos possuem entretenimento adulto,e segundo eu li no Blog do Julio Severo,ele só vai a Igreja durante o Natal,é um protestante não praticante,mas o que eu quis dizer é que o protestantismo foi ineficiente em não combater a ideologia hippie que transformou os jovens cristãos americanos em drogados e promíscuos,as mulheres ficarem com o suvaco peludo igual das feministas mais radicais,então se o país fosse cristão,como a URSS e os países da cortina de ferro não permitiram, e como os países islâmicos não permitem até hoje,eu infelizmente repetir o que Jesus disse em Lucas 16:8,"Os filhos das trevas são mais prudentes que os filhos da luz"

    ResponderExcluir
  47. Por isso eu me envergonho de dizer que eu sou protestante para uma Rússia,porque na Rússia,a moral cristã é muito mais respeitada que no Ocidente católico-protestante,lá de fato se valoriza a família não há propagandas gays na TV, nem personagens trans nas novelas,é um país conservador da verdade,e a própria URSS também era,apesar do ateísmo estar oficializado como "religião oficial",minha amiga tem 34 anos ,viveu pouco a URSS,mas me contou que apesar do totalitarismo,as pessoas passaram a ter uma educação de qualidade,irem a faculdade,coisa que não acontecia antes da Revolução, onde mais da metade da população era analfabeta, e a moralidade sexual era respeitada,não existia pornografia na URSS, nem filmes onde o sexo era banalizado, aqui nos anos 70,a dita conservadora ditadura militar,produziu as pornochanchadas através da Embrafilme!Nesse aspecto a esquerda ateísta conseguiu ser mais conservadora que a direita cristã

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas tem uma diferença crucial: a URSS e outros países totalitários conseguiram essas coisas pela força, pela violência, pela ameaça, e assim qualquer um consegue o que quiser. Conseguir o "bem" desse jeito pra mim é pior do que o mal. O protestantismo oferece um ambiente de pluralidade, democracia e liberdade que não se encontra em outros lugares, é lógico que muitos irão se aproveitar dessa liberdade para praticar coisas ruins e pregar ideologias erradas, mas isso é muito melhor do que cercear a liberdade de expressão e de consciência para conseguir impor uma ideologia à força, independentemente de qual seja. Como disse o Karnal certa vez e eu concordo: "A democracia no seu pior cenário ainda é melhor que a ditadura no seu melhor".

      Excluir
  48. É correto afirmar que o exclusivismo católico é em relação à salvação - fora da Igreja Romana não há salvação - e o exclusivismo de algumas denominações evangélicas é em relação à doutrina, admitindo-se salvação fora de seus limites? Porque existem denominações exclusivistas dentro do protestantismo...mas eu vejo que o exclusivismo de alguns evangélicos é mais em relação a doutrina, por exemplo, acreditam realmente que a doutrina que professam foi diretamente revelada de Deus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De forma geral sim, mas ultimamente tem surgido umas seitas que realmente acreditam que fora dali não há salvação. São poucas e eu não vou citar nomes porque não sei se é assim em todos os lugares e eu posso estar cometendo uma injustiça, mas tem igreja que chama de "apóstata" quem sai daquela denominação para ir congregar em outra evangélica.

      Excluir
    2. Vc já citou em algum artigo que considera a ccb e adventista como exclusivistas - eu só cito essas aqui pq vc já citou antes em algum lugar - vc atualmente ainda considera essas duas denominações como evangélicas?

      Excluir
    3. Lucas, Pra mim a salvação é um ato UNILATERAL e misericordioso de nosso Senhor Jesus Cristo, INDEPENDENTE da vertente cristã que adotamos. Qualquer um que reivindique pra sua instituição religiosa (seja ICAR, protestantes, ortodoxo, copta) NÃO ENTENDEU o que Cristo falou quando disse ELE é o caminho, ELE é a verdade, ELE é a vida. A salvação não consiste em pertencer a uma igreja como querem os apologistas católicos e muito menos conhecer a verdadeira ortodoxia como pensam alguns protestantes. Paulo conhecia a ortodoxia e considerou como esterco. Ananias e Safira estavam na igreja certa (inclusive com fundação apostólica como exige a ICAR) e não foram salvos. A mulher samaritana que nem estava na "igreja certa" e nem possuía ortodoxia encontrou-se com Cristo. O problema, na minha opinião, é dar atributos de divindade a uma instituição (católicos) ou a ortodoxia (protestantes). Precisamos urgentemente de um reavivamento onde igreja e ortodoxia não substitua o Senhorio de Cristo. Obrigado amigo.

      Excluir
    4. "Vc já citou em algum artigo que considera a ccb e adventista como exclusivistas - eu só cito essas aqui pq vc já citou antes em algum lugar - vc atualmente ainda considera essas duas denominações como evangélicas?"

      Eu não falava dessas duas denominações especificamente, embora elas sejam exclusivistas na doutrina, mas os considero evangélicos sim. Sobre o outro comentário feito eu concordo com o ponto, mas cabe ressaltar que a ortodoxia também tem sua relevância para um relacionamento saudável com Deus (se tomar "ortodoxia" no sentido de "doutrina verdadeira", e não apenas de seguir algo que creem tradicionalmente como sendo a verdade). Sobre isso eu já escrevi aqui:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2016/08/qual-importancia-da-teologia-e-da.html

      Excluir
  49. O que você acha de piadas sobre catolicismo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tenho nada contra piadas sobre qualquer religião que seja.

      Excluir
  50. Já pensou em opinar sobre cada grupo religioso do cristianismo? Tipo testemunhas de Jeová, weslleyanos, valdenses, franciscanos, jesuítas e etc...

    ResponderExcluir
  51. https://youtu.be/sgMpsvq1Zk8
    A oração Ave Maria na Bíblia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Puxa vida, está provado! Salve Maria!

      Excluir
    2. Salve Roma!! Salve Babilônia

      Excluir
  52. Lucas , eu estava lendo a didaqué quando percebi uma coisa. Na didaque fala EXPLICITAMENTE que cabe a Igreja local escolher os bispos e diáconos . Isso é ,a igreja escolhe os presbíteros e esses exercem autoridade sobre a Igrega . Você particulamente acha essa uma boa forma de governo da igreja ? Soube que a igreja presbiteriana adota algo parecido .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho uma boa forma de governo quando não há um bispo ou pastor ordenando novos sacerdotes, porque o modelo que Paulo passa a Tito não é esse molde "comunitário", mas o da ordenação pessoa a pessoa (Tito 1:5).

      Excluir
    2. Eu sou da presbiteriana exatamente por isso, embora discorde de alguns pontos de sua teologia.

      Excluir
  53. Sim Lucas,você tem razão ao dizer que a URSS conseguiu evitar a influencia da cultura hippie e da ideologia:sexo,drogas e rock and holl através do totalitarismo,eu admiro a democracia dos EUA,a liberdade econômica,apesar da segregação racial que durou até os anos 60 e do forte racismo,na minha opinião,pior que o racismo praticado no Brasil,muitos negros lá são de classe alta e até ricos,coisa que não ocorre no Brasil,a não ser que sejam jogadores de futebol ou artistas e lá há muitos negros empresários,aqui o excesso de intervencionismo na economia e de esquerdismo os impede de prosperar.Mas ainda assim eu me envergonho de que protestantes tenham exterminado os índios e praticado essa segregação,além de terem permitido a entrada dessa cultura hedonista que começou com os hippies e depois se estendeu para outras tribos.

    ResponderExcluir
  54. Eu não digo que os EUA deveriam reprimir os hippies, mas penso que se o evangelho estivesse bem firme na maior parte dos jovens durante os anos 60,eles não iam se interessar por fumar maconha,tomar LSD e ficarem pelados em Woodstock no meio da lama praticando o "amor livre",por exemplo o Japão não é um país cristão e não possui uma sociedade hedonista como os EUA.

    ResponderExcluir
  55. Lucas, sobre Neflins...porque hoje não há relatos deles entre nós? E porque antigamente eles existiram? Eu vi na internet que futuramente eles vão voltar na forma de ET's, mas eu não sei...Então porque nos dias de hoje não vemos eles? Eles são espirituais e depois de materializam na forma de gigantes?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Há provas da existência dos gigantes sim, veja aqui por exemplo:

      http://arqbib.atspace.com/gigante.html

      Não vemos mais eles pela mesma razão que não vemos mais cananeus: morreram todos. Só não sei da onde que tiraram que "vão voltar na forma de ET's". Os nefilins eram seres humanos, e não demônios para se materializarem deste ou daquele jeito.

      Excluir
  56. Lucas veja esse video de 8 minutos onde um apologista catolico explica mt 16:18 e cita ate evangélicos como DA carson.O que vc acha?

    https://www.facebook.com/OtradutorCatolico/videos/1871962596389038/?fref=gc&dti=378390948977961&hc_location=ufi

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso só prova que assumir que Pedro é a pedra de Mateus 16:18 não prova nada em favor do catolicismo romano. Esses teólogos que ele cita continuam protestantes, não se tornaram católicos por causa disso e nem mesmo creem no primado de Pedro e dos pontífices romanos no sentido de jurisdição/chefia que a Igreja Romana impõe. Lógico que há muitos outros (a maioria, eu diria) que rejeitam que Pedro seja a pedra de Mateus 16:18, mas mesmo que tenha sido, isso de modo algum significa que ele era o "chefe dos apóstolos", e muito menos significa que os bispos romanos sejam seus sucessores e que herdem toda a autoridade petrina. Cabe lembrar que de acordo com a Igreja antiga, Pedro havia sido bispo de Antioquia, e portanto os bispos de Antioquia são sucessores de Pedro, e nem por isso os católicos admitem a supremacia da Igreja antioquena (que hoje faz parte da comunhão das igrejas ortodoxas).

      Excluir
  57. Olá, Banzoli. Vc conhece o site "Brasil Paralelo"? É um site de forte influência católica na qual usa o termo "Cruzada" com certo "orgulho" (como se as cruzadas fosse algo positivo). Bem, o site se trata de um conjunto de professores, escritores, historiadores, jornalistas, entre outros na qual o principal objetivo é ensinar as pessoas sobre a História do Brasil. E adivinhe que também está lá... o Astrólogo da Virgínia, Claro! Depois disso, com certeza os *olavetes* estarão se carregando com mais embustes... vá se preparando. Hahahaha.

    Link: https://www.brasilparalelo.com.br/serie-brasil/?utm_source=adwords_search&utm_medium=cpc&utm_campaign=serie_brasilV4&gclid=CjwKCAjwl_PNBRBcEiwA4pplRVgUsvYKHCiIKcZhTgk2MlbttyUW9dRcOVBV0UeyamJ6FPKpLQAonBoCYU8QAvD_BwE

    Não perda também as utopias presentes nesse site Pró-Monarquia. O link segue-se abaixo:

    https://www.digasimamonarquia.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara você no Brasil Paralelo não tem só Olavetes tem : Liberais , Libertários , Ancaps,Republicanos conservadores -liberais . Sim ,essa série vaI ser um grande puxa saco da monarquia e sim, o Velho da Virgínia vaI tá lá falando mas,o Brasil paralelo abriu os olhos de muitas pessoas para o marxismo cultural . Cara nosso grande problema é que nós, protestante ,não temos orgulho de nossos representantes na política e grandes pensadores . Raramente vi protestantas discutindo sobre Abraao Kuper , Herman Dooyeweerd , Francis Schefer , William Wilberforce , Gary North. E só para fechar a lista o que os Olavetes não falam e que o maior REPRESENTANTE do Conservadorismo Moderno e de que o Velho se inspirou muito , E um ANGLICANO chamado ROGER SCRUTON !!!

      Excluir
    2. Infelizmente no Brasil você só aprende "conservadorismo" com esses embustes no meio (saudosismo da monarquia, da ditadura militar, do catolicismo romano, etc), não tem jeito. Lastimavelmente, não estamos nos EUA para aprender um conservadorismo autêntico e "puro". Então o jeito é separarmos nós mesmos o joio do trigo quando vemos coisas do tipo (em vez de engolir tudo como verdadeiro a priori).

      Excluir
    3. Para Anônimo - Eu não disse que lá só tem *olavetes*. Eu disse que é um site com forte influência católica.

      E eu só disse que vários olavetes iriam se carregar com novos embustes porque o seu Mestre (Olavo de Cavalho) estará também fazendo parte desse Grupo (Brasil Paralelo). Assim sendo, espero ter esclarecido o meu comentário. :)

      Excluir
  58. Vc não vai responder minhas 10 citações dos pais da igreja que eu te pasei sobre a intercessão dos mortos? voce quer que eu te passe de novo?obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou responder sim, apenas tinha esquecido naquele dia. Não precisa passar as citações, já tenho elas aqui.

      Excluir
  59. Você já leu o livro "Manual de Defesa dos Livros Deuterocanônicos" do Rafael Rodrigues? Se sim, o que achou?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tenho tempo pra perder lendo porcarias dessa categoria. Tanto livro bom pra ler, de tantos teólogos importantes, de historiadores conceituados, de obras acadêmicas, e vou desperdiçar o tempo que poderia estar usando lendo esses bons livros para ler um apologista brasileiro amador e fracassado que correu de debates com protestantes sobre o próprio tema que escreveu? E a julgar pelos trechos do livro que ele postou no site dele, além de ruim, é plágio descarado do conteúdo presente em sites americanos que ele pensava que ninguém daqui iria ler e perceber isso.

      Excluir
    2. Eu não sei se você sabe, mas boa parte dos escritos católicos de apologia no Brasil são meras traduções de sites americanos. Não há criatividade alguma. Infelizmente.

      Excluir
  60. Lucas quando Pedro na sua carta faz referencia a Babilonia no qual ele chama de vossa co-eleita , o mesmo estava se referindo a Roma?Abs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não. Escrevi sobre isso aqui:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2015/03/pedro-escreveu-sua-primeira-epistola-em.html

      Excluir
    2. Algo que não consta no texto, mas importante é que Pedro era o apóstolo da circuncisão e a maioria dos judeus continuou vivendo fora da terra Israel, na Babilônia, mesmo depois da construção do segundo templo.

      O texto mais importante do judaísmo atual é o Talmude da babilônia (século 5 D.C), que rege a vida de judeus que viviam fora da terra de Israel.

      Alguns católicos argumentam que o termo Babilônia para região que ficava na mesopotâmia não era mais utilizado no século 1. Um erro histórico grotesco.

      Excluir
  61. Olá, Lucas Banzoli. Você conhece alguma das obras do Prof. Mortimer J. Adler?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Prof. Mortimer J. Adler é um teórico em educação a qual já lecionou na Universidade de Chicago e é conhecido pelo mundo afora pelas suas grandes obras Didáticas e Filosóficas como: "Aristóteles para Todos - Uma introdução simples a um pensamento complexo", "Como falar, Como Ouvir", "A Arte da Leitura - Diálogos sobre livros", "Como Ler Livros - O guia clássico para a leitura inteligente", "Como Pensar Sobre as Grandes Ideias - A partir dos grandes livros da civilização ocidental".

      Excluir

Postar um comentário

Comente abaixo. Sua participação é importante e será publicada após passar pela moderação. Todos os tipos de comentários ou perguntas educadas são bem-vindas e serão respondidas cordialmente, mas ofensas, deboches, divulgação de páginas católicas (links), control c + control v e manifestações de fanatismo não serão aceitos.