6 de julho de 2017

"O Catequista" enaltece comunista, glorifica assassina e dissemina fantasia


“O Catequista” é um blog de apologética católica que eu não costumo mencionar aqui, porque literalmente está mais para um blog de “humor católico” com considerações rasas e superficiais que não chegam nem a ser argumentos do que propriamente para um “site de apologética”, e eu não duvido que até eles mesmos se considerem assim. Mesmo assim, é bom mostrarmos o nível que esses apologistas conseguiram chegar no grau máximo e supremo da distorção histórica, arte na qual eles são profissionais (além do humor, é claro).

O artigo trata-se do "homem que não vendeu sua alma", referindo-se a Thomas More. Ou melhor, “São” Thomas More, já que ele virou “santo” por uma única razão: ter sido executado a mando de Henrique VIII, que o site (assim como quase todos os outros de apologética católica) falsamente alega ter sido um rei protestante, fraude essa que eu já desmascarei neste artigo. O engraçado é que Henrique VIII assassinou milhares de protestantes por “heresia”, e quanto a estes nada é dito, muito menos que sejam “santos”. Ao contrário, são tratados como hereges satânicos que mereciam morrer. Mas com Thomas More é diferente, afinal, era católico fiel a Roma, então sua morte é um passaporte de santidade direto ao Céu.

Mas, afinal de contas, quem foi Thomas More?

More era o chanceler do Reino de Henrique VIII, mas ficou conhecido mundialmente por sua famosa obra “Utopia”, que você provavelmente já deve ter pelo menos ouvido falar. A Utopia era o livro mais famoso da época (MAUROIS, 1959, p. 188), e o historiador Roland Mousnier resume o seu conteúdo:

“O humanista inglês Thomas More (1480-1533), membro do Conselho Privado de Henrique VIII e chanceler da Inglaterra, publica em 1516 a Utopia, inspirada na evolução capitalista inglesa e na República de Platão (...) A Utopia é uma ilha longínqua, cujo regime é uma ditadura comunista: todos os bens são comuns, os cidadãos não têm o direito de se deslocarem, pois se assim procedessem seria impossível controlar o trabalho e o consumo. Todos os funcionários são eleitos e os utopistas são consultados em todas as questões importantes, mediante referendos. Uma religião do Estado impõe a crença comum num Ser supremo e um culto cívico. O clero, também eleito, escolhe os trabalhadores, os cidadãos letrados, que executam os trabalhos intelectuais e fornecem os candidatos a funcionários. O governo dirige a economia mediante um plano de produção e detém o monopólio do comércio exterior. Os utopistas auxiliam os seus vizinhos a ‘utopizar-se’ e transformam-nos em Estados protegidos. Tudo é válido no combate aos inimigos: põe-se a prêmio a cabeça de seus chefes e provocam-se revoltas(MOUSNIER, Roland. História Geral das Civilizações: Os Séculos XVI e XVII – Tomo IV, 1º Volume. São Paulo: Difusão Europeia do Livro, 1960, p. 55-56)

O historiador francês André Maurois acrescenta que “More anelava a morte do espírito de cavalaria; anunciava o comunismo, o desprezo do ouro, o trabalho obrigatório para todos” (MAUROIS, André. História da Inglaterra. Rio de Janeiro: Pongetti, 1959, p. 188). Sua obra “utópica” lançou as sementes daquilo que mais tarde viria a ser o comunismo e influenciou diversos comunistas, como de fato continua influenciando a muitos até os dias de hoje. Se alguém ainda não sabe, trata-se de um regime político de opressão e cerceamento das liberdades individuais que resultou em 100 milhões de mortes só no século passado, mas que os apologistas católicos não acham tão ruim assim, afinal de contas a Igreja o canonizou como um “mártir”.

A lição que fica é bastante simples: um cara pode ser o precursor de um regime facínora e ditatorial que resultou em milhões de mortes no mundo todo e que supostamente é condenado pela própria Igreja Romana, mas se morreu como católico, tá valendo! O cara não apenas é perdoado das aberrações que ensinou em vida sem jamais ter se arrependido, como ainda tem um passaporte garantido direto pro Céu, uma canonização infalível e um poder de onipresença e onisciência para neste momento ouvir e atender as preces de todos os católicos que a ele rezam em todas as partes do mundo e ao mesmo tempo. E pior: o próprio site católico em questão se diz contra o comunismo, o que mostra que ou eles não conhecem nada do personagem que retratam no artigo, ou são completamente desonestos. Já as autoridades da Igreja que o canonizaram não podem alegar ignorância pois o conheciam perfeitamente bem, e mesmo assim fizeram do comunista um “santo”, só porque se opôs a Henrique VIII!

O site de “catequistas” não apenas aprova Thomas More, mas vai além, o chamando de “grandioso em todos os sentidos” (sim, isso é uma transcrição ipsis litteris das palavras deles!). Se ele era grandioso em todos os sentidos, então presume-se que em sua maior e mais importante obra que o tornou conhecido no mundo todo também foi. Talvez eles não saibam disso, afinal, acho que não consta no filme que eles divulgam sobre More, que é a única coisa que eles conhecem deste senhor.

As coisas poderiam terminar apenas mal se fosse só por isso, mas os catequistas, não satisfeitos, insistem em vomitar mais asneira. Dessa vez atacam covardemente um rei de apenas nove anos de idade que reinou até os seus onze quando morreu doente. A razão? Era protestante, é claro! O site católico o descreve como “um moleque enfermiço e boçal que nada mais foi que um joguete na mão dos protestantes”. Sim, eles escarnecem de uma criança de nove anos por ser doente, doença aliás que acabou com a sua vida prematuramente. São realmente canalhas, não tendo limites morais para atacar qualquer coisa que relacionem ao protestantismo, no alto do seu fanatismo cego.

Talvez o que incomode mesmo os apologistas católicos seja o fato de Eduardo VI nunca ter assassinado ninguém, nem empregado perseguições sumárias, nem levantado massacres como os reis católicos da época faziam. E isso explica a parte mais assustadora e chocante do artigo: a glorificação que eles fazem de uma assassina sanguinária, a rainha Maria I (não sem razão, conhecida como “Maria, a Sanguinária”). Em seu reinado os protestantes foram perseguidos, chacinados e torturados nas mãos dessa louca, que nas palavras do site católico, era “uma princesinha”! Por quê? Claro: porque era católica! Eles chamam de “princesinha” uma assassina maníaca pior que Jezabel, porque, na lógica deles, vale literalmente tudo se o rei ou rainha em questão servir à "Santa Igreja" para eliminar a "heresia".

Para quem não sabe, foi no reinado dessa rainha inescrupulosa e sanguinária (mas não muito diferente dos outros reis e rainhas católicos da época) que John Foxe escreveu o famoso “Livro dos Mártires”, onde narra os horrores vividos pelos protestantes ingleses em seus dias, além de uma descrição das perseguições históricas desde o início do Cristianismo. Mas aqui não precisamos sequer lançar mão deste livro, que será rechaçado a priori pelos apologistas católicos por se tratar de um autor protestante, então fiquemos com o que diz um dos maiores historiadores da história da Inglaterra:

“A crueldade das suas perseguições contra os protestantes, que lhe valeu o cognome de Maria a Sanguinária, pode sem dúvida em parte ser explicada por uma perturbação que tocava a loucura. Filipe não lhe aconselhava tais rigores. Queimar hereges, pensava ele, era excelente na Espanha e nos Países Baixos; na Inglaterra a prudência exigia alguma paciência. Maria não teve nenhuma. A 20 de Janeiro de 1555, fora estabelecida a lei contra a heresia; a 22, as comissões começaram a funcionar; a 3 de Fevereiro, o primeiro padre casado foi queimado em Smithfield. Cerca de trezentos mártires protestantes pereceram nas chamas. Esse suplício era tão horroroso que os assistentes, para abreviá-lo, traziam saquinhos de pólvora que amarravam ao pescoço das vítimas. Os próprios carrascos, também repugnados, não se opunham” (MAUROIS, André. História da Inglaterra. Rio de Janeiro: Pongetti, 1959, p. 209)

Os líderes reformistas na Inglaterra também não foram poupados:

“Alguns desses mortos foram sublimes. O velho Latimer, que tinha sido um grande pregador protestante, foi queimado em Oxford ao mesmo tempo que o doutor Ridley. Teria podido facilmente salvar a vida abjurando, mas, quando se abriu a discussão com os doutores que precedia sempre o suplício, respondeu que lera os Evangelhos sem neles encontrar a missa. ‘Ficai absolutamente tranquilo, Master Ridley, disse ele ao companheiro de suplício no momento em que as correntes do carrasco os atavam ambos ao poste, ficai tranquilo pois acenderemos hoje, com a graça de Deus, uma tal chama na Inglaterra que nunca mais se extinguirá’” (MAUROIS, André. História da Inglaterra. Rio de Janeiro: Pongetti, 1959, p. 209)

De fato, a perseguição de Maria Sanguinária teve um aspecto que a tornava ainda pior que Henrique VIII, o católico-nacionalista – ela tinha o costume de assassinar as pessoas do povo, e não apenas os líderes religiosos e gente da elite:

“As vítimas católicas de Henrique VIII pouco haviam comovido a massa do povo inglês, porque muitas delas tinham sido monges ou frades, tidos como seres de exceção; as vítimas de Maria foram, excluídos alguns eclesiásticos, homens e mulheres do povo” (MAUROIS, André. História da Inglaterra. Rio de Janeiro: Pongetti, 1959, p. 209)

Além de todos os que foram cruelmente assassinados no reinado de Maria Tudor pela única e exclusiva razão de serem protestantes, e, portanto, taxados de “hereges”, dois mil pastores protestantes foram expulsos ou tiveram que fugir do país (MAUROIS, 1959, p. 215). Na opinião desses cretinos travestidos de “apologistas católicos”, eles devem ter fugido sem razão, ou talvez para verem a final da Champions League. O mais assustador de tudo é pensar que eles sabem perfeitamente bem das atrocidades cometidas por essa rainha, e é exatamente por isso que eles a defendem. Tudo o que tinha como propósito destruir, aniquilar e exterminar o protestantismo (como a Inquisição e a noite de S. Bartolomeu) eles defendem com todo o entusiasmo do mundo, porque, para eles, matar “hereges” era um bem praticado em favor do triunfo da fé católica, tal como entendiam todos os papas e bispos da Igreja Romana ao longo de todo o período medieval e da Idade Moderna. Tem a intolerância no DNA, como regra de fé no lugar da Bíblia.

Antes de concluir, não poderia deixar de fora um artigo relacionado do mesmo site, embora essa falsidade eu já tenha refutado neste artigo mais antigo. Vejamos o print hilário:


É inacreditável como, em pleno século XXI, ainda existe gente tão ingênua e bobinha. Eu simplesmente não consigo acreditar que isso seja realmente ingenuidade, embora isso seja preferível à única alternativa que resta, a de desonestidade. Tentar enganar os leitores com um conto de fadas em que a Igreja Romana não era nada apegada ao poder e não entrava no “jogo político”, mas apenas cuidava das “questões espirituais” com toda a sinceridade do mundo, é uma coisa muito feia. No meu artigo antigo eu mostro como isso na verdade se deu: Catarina (a mulher de Henrique VIII, que sairia prejudicada com o divórcio) era tia de Carlos V, o mais poderoso imperador da época, que governava sobre todo o Sacro Império Romano-Germânico e também sobre a Espanha, então o país mais poderoso da Europa.

Este poderoso imperador ficou furioso com a notícia do divórcio e exigiu do papa as devidas providências. O papa teve que optar entre desagradar o rei da Inglaterra ou o imperador do Sacro Império, da Espanha e com domínio sobre os Países Baixos, e não teve muito o que pensar. Era óbvio que optaria pelo mais poderoso: Carlos V. Negou, assim, o divórcio ao rei inglês, não porque quisesse, mas porque foi forçado a isso diante das circunstâncias. No meu artigo antigo eu mostro como a Igreja Romana fazia vista grossa aos próprios papas que eram imorais, depravados, assassinos, pedófilos, estupradores, sodomitas, adúlteros e incestuosos, não tendo moral nenhuma e nem lógica alguma em condenar um divórcio de Henrique VIII. Mas para além disso há outra prova concreta de que o papa não estava disposto a rejeitar o divórcio de Henrique se não fosse obrigado pelas circunstâncias: o fato de já ter aceitado numerosos outros casos semelhantes:

“O divórcio civil não existia e, além disso, teria sido inútil a um rei piedoso; era-lhe necessário pedir a Roma a anulação do seu casamento. Parecia fácil de obter, pois o papa mostrara até então, em tais matérias, quando se tratava de soberanos, uma condescendência sem limites. Demais, existia a rigor um caso plausível de anulamento: Catarina tinha sido mulher do irmão de seu esposo. Era verdade: uma bula pontífica declarara válido o segundo matrimônio(MAUROIS, André. História da Inglaterra. Rio de Janeiro: Pongetti, 1959, p. 194)

A própria Catarina (sua mulher, de quem ele queria se divorciar) já tinha sido esposa de outro homem, e, mesmo contra as normas eclesiásticas (o direito canônico proibia que um homem se casasse com a mulher do seu irmão), o papa havia legitimado o segundo casamento. Então, por que com Henrique VIII não poderia haver exceção? Como se não bastasse, Henrique IV (rei da França, décadas mais tarde) teve quarenta mulheres (amantes), o que era fato notório e conhecido, e mesmo assim a Igreja Romana jamais o depôs por causa disso, como fez com Henrique VIII (MAUROIS, 1959, p. 191). Por isso, como aponta o historiador católico Cesare Cantú, foi só depois de ser instado pelos embaixadores de Carlos V (ou seja, quando pressionado politicamente) que o papa anulou a sentença de divórcio (CANTÚ, Cesare. História Universal – Vigésimo Segundo Volume. São Paulo: Editora das Américas, 1954, p. 118).

Os papas nunca excomungaram Catarina de Médici pelo extermínio de dezenas de milhares de protestantes na Noite de São Bartolomeu, também nunca excomungaram qualquer rei católico espanhol durante a Inquisição que eles defendem que “foi culpa do Estado”, também nunca excomungaram a quantidade inumerável de reis católicos imorais e assassinos da época, também nunca excomungaram os reis dos vários países católicos que permitiam a escravidão e praticavam o tráfico negreiro, também nunca excomungaram os que chacinaram crianças e bebês nas Cruzadas após salvo-conduto (pelo contrário, lhes deram indulgência plenária!), mas excomungou Henrique VIII por causa de um “simples” divórcio em comparado a estas monstruosidades sem fim. E ainda tem gente besta e ingênua o bastante pra pensar que os papas pautavam suas atitudes em pressupostos morais!

Essa era a realidade da Igreja Romana: uma Igreja que decidia tudo pela politicagem, sem nenhum compromisso com Deus, pela fé ou pela verdade. Uma Igreja que já havia se prostituído há tempos, caindo na maior e mais profunda apostasia e depravação moral, que levava em seu peito não as marcas de Cristo, mas a sinagoga de Satanás. Seria muito bom se tudo isso fosse apenas um passado distante e já esquecido no tempo, mas os “catequistas” fazem questão de reviver esse espírito, enaltecendo um dos maiores precursores ideológicos do comunismo, glorificando uma assassina maníaca sanguinária e inventando fábulas e fantasias de uma Igreja Romana honesta e sincera, que só existiu na cabeça dos que são tão ingênuos ao ponto de acreditar. 

Paz a todos vocês que estão em Cristo.

Por Cristo e por Seu Reino,

-Meus livros:

- Veja uma lista de livros meus clicando aqui.

- Confira minha página no facebook clicando aqui.

- Acesse meu canal no YouTube clicando aqui.


-Não deixe de acessar meus outros blogs:

LucasBanzoli.Com (Um compêndio de todos os artigos já escritos por mim)
Apologia Cristã (Artigos de apologética cristã sobre doutrina e moral)
O Cristianismo em Foco (Artigos devocionais e estudos bíblicos)
Desvendando a Lenda (Refutando a imortalidade da alma)
Ateísmo Refutado (Evidências da existência de Deus e veracidade da Bíblia)
Fim da Fraude (Refutando as mentiras dos apologistas católicos)

200 comentários:

  1. Tu ainda vai voltar a escrever sobre a inquisição?

    ResponderExcluir
  2. É um católico quem vos fala: li esse texto com um profundo pesar, de fato, sei muito bem que não são poucos católicos que já te xingaram, ataques ad hominem sem nenhuma utilidade, o que deve ser desaprovado, veementemente. De outro lado, venho percebendo - aqui estou falando com um profundo respeito pela pessoa, pois não acredito que vc diga essas coisas de má-fé -, que vc está acusando os católicos por conceitos que não adotamos, vide: vc ainda insiste em dizer que, nós católicos, MENTIMOS ao aduzirmos que Henrique VIII era protestante, não obstante, vc nos acusa de mentirosos sendo que não sabe sequer o nós dizemos ser protestante. Há 3 classificações: 1) infiéis: são os não batizados, como os muçulmanos, as testemunhas de Jeová e etc. 2) hereges: os batizados que proferem algo em desacordo com a doutrina católica, como é o caso dos protestantes. 3) cismáticos: os que rejeitam a obediência ao papa, como os sedevacantes. Henrique VIII, além de não obedecer ao papa, ele defendia a dissolubilidade do matrimônio, o que o torna um herege, e daí nós jogamos como um protestante. Sei bem que vc já criticou que a Igreja Católica não pode determinar conceitos, pois bem, mas nós não mentimos, apenas dizemos aquilo que aprendemos. A mentira é quando dizemos algo em desacordo com aquilo que sabemos não ser verdade, eu, particularmente, tenho profunda convicção que Henrique era protestante, minha consciência não me acusa dizendo: "ei, vc sabe que está mentindo".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, em primeiro lugar recomendo postar tudo em um comentário só ao invés de em vários diferentes, exceto se ficarem longos demais para serem postados em um só. Sobre este em específico, eu já o havia respondido anteriormente no artigo em questão sobre Henrique VIII onde você comentou a mesma coisa, não sei se você chegou a ler, em todo o caso segue a mesma resposta:

      Henrique VIII não concordava nem com um ponto dos cinco solas, discordava de todos do início ao fim. E o problema maior não é alterar a concepção de "protestantismo", mas imputar a nós evangélicos os crimes cometidos por esse rei e colocá-los nas cotas de "crimes protestantes" que eles inventaram nos sites deles. Isso que é o mais grave. E o leigo que lê esses artigos, por ignorância e desconhecimento histórico, acaba comprando a ideia e achando que os reformadores mataram um tantão de gente e que o protestantismo (o nosso, e não qualquer coisa que alguém possa chamar assim) cometeu "massacres". E então o próximo passo é igualar isso à Inquisição e assim minimizar seus impactos (mas isso é um outro assunto).

      Deixa eu dar um exemplo pra ficar mais claro. Suponhamos que a Igreja Universal do Edir Macedo começasse a exterminar populações inteiras e cometesse um genocídio em sabe-se lá que lugar, então eu dissesse que "universal" significa "católico" e portanto concluísse que "os católicos massacraram aquelas pessoas” e ainda incluísse esses episódios na lista de crimes da Igreja Católica. Ou então imagine se a Igreja Católica Ortodoxa, ou os sedevacantistas, tivessem também cometido assassinatos em massa e eu jogasse isso na conta dos católicos romanos acusando-os de serem membros de uma igreja assassina em função do que fizeram esses outros "católicos", e usasse isso para convencer leigos em história e pessoas bastante ingênuas e desinformadas.

      Isso seria honesto de minha parte? Lógico que não, e os apologistas católicos seriam os primeiros a me acusar de desonesto e canalha, e estariam certos se eu realmente fizesse isso. E é exatamente o que eles fazem conosco neste caso de Henrique VIII. Redefinem o significado de "protestantismo" por uma concepção particular do que venha a ser, e então imputam esses crimes a nós e enganam os incautos que acessam os sites deles cheios de boa-fé. Colocam os supostos "crimes" de Lutero e Calvino, e então botam Henrique VIII no meio como protestante e até como reformador. E isso quando não mentem ainda mais descaradamente como o Fernando Nascimento fez, dizendo que esse rei inglês obrigava os católicos a assistirem os cultos protestantes!

      Eu só acuso a Igreja Romana do que a Igreja Romana realmente fez, não jogo nela a culpa por coisas de outros “catolicismos” nem redefino o termo “católico” para responsabilizá-la por mais coisas, mas eles precisam fazer isso para acusar o protestantismo, lamentavelmente. É de boa-fé o que eles fazem? É honesto ou digno? Que os leitores julguem e tirem as suas próprias conclusões.

      Excluir
    2. Todo católico é um filho de Satanas, é mentiroso, é assassino, é um idólatra e feiticeiro( por que invoca os mortos). Afinal o catolicismo e a forma de satanismo mais depurada, sendo católico, a Bíblia torna algo sem nenhum valor: porquanto tem a Mentira, a Idolatria, a Feitiçaria e toda ação demoníaca a seu favor. A apologética católica é uma aberração face a ética e a lógica.

      Excluir
  3. Outro ponto que me causou uma tristeza é vc ter dito que São Tomas More era comunista. Vc sabia, Lucas, que a Igreja Católica possui inúmeros documentos contra o comunismo? Vc sabia que quem propaga a doutrina materialista e ateia do comunismo é excomungado latae setentiae? Vc sabia que quem apoia o comunismo, mas não defende essa doutrina materialista e anticristã está em pecado grave? Isso eu bem sei que vc sabe, vejamos só, quem é que não conhece Olavo de Carvalho? Ele é um católico conhecido por atacar o comunismo. Então, vc pode me dizer: "pois bem, sua Igreja é uma hipócrita, diz que condena o comunismo mas canonizou um homem que apoia o comunismo". Já te adianto que ele não foi comunista, afirmar isso seria uma profunda incongruência, veja bem se é possível que um homem comunista seja canonizado, ainda mais no passado, está fora de cogitação! Uma historiadora já deu bem claro a confusão que alguns fazem sobre o santo: "Como Fátima Vieira observa, durante muito tempo pensou-se que More propôs a abolição da propriedade privada, “e por isso foi muitas vezes descrito como um protocomunista”, mas a académica defende que não se pode olhar para Rafael Hitlodeu como um porta-voz de More. “Essa ideia da ausência de propriedade privada de que Rafael Hitlodeu fala ao descrever a ilha da Utopia, não é necessariamente uma proposta defendida por Thomas More”, diz. “A ideia de olhar para o livro e associar-se ao pensamento comunista é típica do século XIX e do século XX, mas é errada porque se está a confundir a ideia de utopia – a ideia de pensar uma alternativa – com as idealizações dessa utopia.” (link 1) Veja que o problema é quando se analisa More por Hitlodeu, este sim era um protocomunista, mas More divergia deste, veja o que Hitlodeu dissera: " “O único meio de distribuir os bens com igualdade e com justiça e de fazer a felicidade do gênero humano é a abolição da propriedade. Enquanto o direito de propriedade for o fundamento do edifício social, a classe mais numerosa e mais estimável não terá por quinhão senão miséria, tormentos e desespero”. São Tomás More replica: “Longe de compartilhar tuas convicções, julgo, ao contrário, que o país onde se estabelecesse a comunhão de bens seria o mais miserável de todos os países. Como então produzir para as necessidades do consumo? Todos fugiriam do trabalho e deixariam de se preocupar com a própria subsistência, pois cada um confiaria tranquilamente no zelo dos outros. E, no caso de sobrevir a miséria sem que fosse lícito aos cidadãos dispor de alguma coisa como propriedade particular, que se seguiria senão incessante, esfomeada e ameaçadora rebelião? Os homicídios ensanguentariam a tua república. Que barreira se oporia à anarquia? Os magistrados teriam apenas autoridade nominal; estariam destituídos de tudo que impõe temor e respeito. Não chego mesmo a conceber a possibilidade de governo nesse povo de niveladores que repelisse toda espécie de superioridade” (link 2)
    Link 1: https://www.publico.pt/culturaipsilon/noticia/500-anos-depois-o-sentido-de-utopia-nao-se-perdeu-1718282
    Link 2:https://pt.aleteia.org/2016/01/11/300-anos-antes-de-marx-sao-tomas-more-ja-apontava-por-que-o-socialismocomunismo-fracassaria/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Igreja Católica ter “vários documentos contra o comunismo” não significa nada, primeiro porque eu não disse que a ICAR é comunista mas sim que ela canonizou um comunista (da mesma forma que ela também já canonizou assassinos e pessoas que nunca existiram, e isso não significa necessariamente que ela seja a favor do assassinato ou de “fantasmas”...), e segundo porque ela também tem vários documentos contra o capitalismo também, como eu mostro neste artigo:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2015/04/a-igreja-catolica-contra-o-capitalismo.html

      É preciso tirar da cabeça essa ideia fantasiosa criada por olavetes, de que a Igreja Romana é “capitalista de direita”, o que ela não é e nunca foi. O próprio Paulo Leitão (um dos apologistas católicos mais conhecidos) tem um vídeo do programa dele onde prova, pelos documentos da Igreja, que Roma condena o capitalismo da mesma forma que o comunismo:

      https://www.youtube.com/watch?v=lMNdE5oVuiM

      A tese de que a ICAR é a favor do capitalismo é um revisionismo moderno criado recentemente por católicos de direita que não aceitam a realidade do que a Igreja é. E se o papa autorizou a beatificação de Óscar Arnulfo Romero, o maior nome da teologia da libertação (comunista), por que não poderia ter canonizado também um comunista há séculos atrás?

      https://brasil.elpais.com/brasil/2015/02/03/internacional/1422976165_889510.html

      Sobre Thomas More ter sido ou não ter sido um precursor do comunismo, a esmagadora maioria dos estudiosos dirá que sim, e mesmo os que não acham que ele foi comunista concordarão que ele, para dizer o mínimo, chegou muito perto disso, e enormemente distante do capitalismo. Eu poderia passar a opinião de vários historiadores para contrapor a que você usou, mas em vez disso usarei aqui as palavras do próprio Thomas More no seu livro, que são autoexplicativas e suficientemente claras:

      “Embora essas instituições possam parecer superiores (como na verdade são), ainda assim, aqui, afigurar-se-iam inapropriadas porque aqui vigor o regime da propriedade privada, ao passo que lá tudo é desfrutado em comum” (MORUS, Thomas. Utopia. Brasília: Editora da Universidade de Brasília, 2004, p. 39-40)

      “Onde existe a propriedade privada, onde o dinheiro é a medida de todas as coisas, não é possível governar de forma justa e próspera” (MORUS, Thomas. Utopia. Brasília: Editora da Universidade de Brasília, 2004, p. 41-42)

      Excluir
    2. “O mais sábio entre os homens percebia claramente que o único caminho para o bem estar de todos repousa sobre a igualdade na posse dos bens, e eu duvido que essa igualdade possa ser obtida onde a propriedade pertence a particulares. Por mais que os bens sejam abundantes, uma vez que cada homem procura agarrar o mais que pode para seu uso exclusivo, inevitavelmente uns poucos acabarão por possuir tudo, enquanto os demais ficarão na indigência. O resultado é, geralmente, o surgimento de dois tipos de pessoas cuja sorte deveria ser intercambiada: os ricos que são avaros, imorais e inúteis; e os pobres, que são irresponsáveis e tímidos, mas que trabalham duro, mais para o bem público do que para si mesmos” (MORUS, Thomas. Utopia. Brasília: Editora da Universidade de Brasília, 2004, p. 42-43)

      “Assim sendo, estou plenamente convencido de que, a menos que a propriedade privada seja completamente abolida, não é possível haver distribuição justa de bens e nem a humanidade pode ser governada adequadamente. Se a propriedade privada permanecer, a grande e melhor parte da humanidade continuará oprimida por um fardo pesado e inevitável de angústia e sofrimento” (MORUS, Thomas. Utopia. Brasília: Editora da Universidade de Brasília, 2004, p. 43)

      Eu poderia encher isso aqui de citações, mas além de tornar o texto demasiadamente cansativo ainda teria que praticamente copiar o livro todo do cara. De fato, os posicionamentos do livro são tão contundentes que Marx não precisava fazer mais do que parafraseá-lo ou transcrever seus trechos em suas obras. Dizer que a “Utopia” não influenciou pessoas na mentalidade revolucionária, comunista e anti-capitalista é uma atitude leviana e pouco honesta intelectualmente falando. Simplesmente alegar que o modus operandi de More era diferente não justifica nada, porque os próprios comunistas tem metodologias diferentes entre si (trotskismo, stalinismo, maoísmo, bolcheviques vs mencheviques, etc). A metodologia diferente não torna alguém um “não-comunista”, apenas mostra um tipo diferente de comunismo em relação aos demais.

      E é esquisito você mencionar Olavo de Carvalho como exemplo de católico anti-comunista, o que ele de fato é, mas se esquece de mencionar também que na opinião dele o papa Francisco é o falso profeta e um comunista infiltrado na Igreja, um “antipapa” nas palavras dele, e a CNBB é um “antro de comunistas”, sobrou até para o cardeal Odilo Scherer, coitado... até ele sabe que a Igreja Romana (pelo menos a de nossos dias) é bem diferente do conceito utópico e revisionista que os tridentinos tem da mesma.

      Excluir
  4. Em resumo, nós, católicos, temos profunda convicção de que More não foi comunista, e quando vc nos diz que: "Se alguém ainda não sabe, trata-se de um regime político de opressão e cerceamento das liberdades individuais que resultou em 100 milhões de mortes só no século passado, mas que os apologistas católicos não acham tão ruim assim, afinal de contas a Igreja o canonizou como um “mártir”. Será mesmo, Lucas, que vc está dizendo com convicção, vc nos afirma que não achamos ruim as mortes causadas pelo comunistas? E por acaso foi More quem matou esses 100 milhões? Que tristeza tais acusações, vc simplesmente diz que nós não achamos ruim as mortes causadas pelo comunista...

    Se te apetecer acusar o catolicismo, mas com base nos nossos conceitos, ao invés de dizer que mentimos e defendemos comunista, indico 2 sites: um para vc ler os livros católicos (http://alexandriacatolica.blogspot.com.br/) e o outro é o do vaticano, lá tem a aba de busca, basta digitar o termo que deseja: http://w2.vatican.va/content/vatican/pt.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sobre o comunismo de More, respondi no comentário acima.

      “Será mesmo, Lucas, que vc está dizendo com convicção, vc nos afirma que não achamos ruim as mortes causadas pelo comunistas?”

      Mas onde foi que eu aleguei isso?

      “E por acaso foi More quem matou esses 100 milhões?”

      E Marx matou pessoalmente 100 milhões? Não. Mas ele é responsável mesmo assim, porque plantou as sementes da ideologia e influenciou multidões depois dele, da mesma forma que More. Ideias tem consequências, e a História está aí para nos mostrar isso.

      Excluir
    2. Lucas, todo regime não Democrático, é tirânico.Melhor! É bem mais tirânico que a Democracia-Capitalismo. Em síntese, comunismo, nazismo e fascismo são regimes onde a maioria trabalha como escrava para uma Elite onde apenas os mandões e apaniguados do Poder usufruem do suor alheio. Enfim, o nazismo e o fascismo fazem o tipo ideal para o Catolicismo porquanto ambos os regimes reconhecem a supremacia religiosa papista. Já o comunismo sendo inimigo da religião, e, obviamente dum Déspota fantasiado de "deus" como o papa de Roma, certamente o romanismo o rejeitará... Mera ou simplesmente por não acreditar neste palhaço fantasiado de vestes talares para atrair a atenção dos boçais transformados em zumbis por esta padraiada MALDITA e MENBDAZ.

      Excluir
    3. Interessante teu último comentário. Por analogia, Lutero foi o responsável pela bagunça provocada pelo protestantismo, várias igrejas com várias "verdades". Somente através da Igreja Verdadeira pode-se tentar anular esse efeito devastador na Igreja de Cristo. Converte-se ao católico então, irmão.

      Excluir
    4. Melhor existir "várias igrejas" do que uma única que seja apóstata, assassina, prostituída, um antro de pedofilia, que apoiou e tolerou a escravidão, que praticava a tortura e massacres sistemáticos, que está cheia de sangue nas mãos, que inventa tradições fantasmagóricas inexistentes para falsear doutrinas, que se coloca arrogantemente acima de todas as demais como a única certa e fora da qual não há salvação, que vendia indulgências para o perdão dos pecados, que explorava os mais pobres, que falsificava relíquias, que patrocinou Inquisição, cruzadas e caça às bruxas, e que até hoje conta com uma legião de apologistas fanáticos e cegos que não tem outro objetivo na vida senão atacar, difamar e caluniar a fé alheia.

      Excluir
  5. A PAZ irmão. Lucas é desespero total dos católicos estão atirando por todo lado pra ver se consegue deter o avanço protestante, esses caras são tão canalhas, inescrupulosos que se esquecem que o própio rei tinha uma certa ojeriza pelos Luteranos e Calvinistas, um dos personagens que o própio Henrique mandou matar queimado vivo foi o Luterano JOHN LAMBERT fora outros protestantes se quiser mencionar outros pode falar irmão para esclarecimento maior da nossa comunidade.chora católicos aceite a verdade que é melhor ou voces acham que nós evangélicos estamos mortos.Abraço Lucas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rafael, o catolicismo não é algo natural. Mas sobrenatural, oriundo do Inferno; diretamente comandado por Satanás. Não se iluda! O catolicismo esta levando vantagem irmão. A maioria das igrejas evangélicas estão sendo dirigidas por impostores ("pastores"), comandados por Roma. Ou você duvida que a maioria das nossas congregações, são comandadas por uma cúpula vendida ao ecumenismo? MAS, fica firme, em Apocalipse 17.16 está dito que a grande meretriz papista vai ser totalmente destruída e queimada pelos dez reis que reinarão juntamente com a Besta. E isto é pra JÁ...

      Excluir
    2. Um qualquer, continue escrevendo. Não some não. Gente inteligente e de visão precisa escrever, e muito!

      Alon

      Excluir
  6. Irmão Lucas, de fato tem como provar que 1572, na França foram mortos 30 ou foi 70 mil protestantes ....quais as fontes confiáveis?já que a ICAR diz abertamente que só foram 2 mil pessoas no máximo , é verdade isso e dá onde eles tiraram essa ideia? será que é pra amenizar o impacto negativo que eles causaram?Abs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não há um consenso sobre isso, porque não há uma lista com o nome de todos os mortos, ou uma espécie de "contagem oficial". Da mesma forma que é difícil computar o tanto exato e preciso de mortos numa guerra de grande escala nos dias de hoje, quanto mais há quinhentos anos atrás. Mas os livros falam de algo em torno de 10 mil a 100 mil pessoas assassinadas, embora um outro que li fale em "pelo menos três mil". Menos do que isso, é completamente absurdo diante dos relatos da época.

      Mas o mais importante não é o tanto numérico de pessoas que morreram, mas sim a alegria e celebração do papa em comemoração ao massacre, que recebeu a notícia com festa (literalmente), mandou cunhar uma moeda em honra ao acontecimento, ordenou que se pintasse quadros dos massacres, disse que o massacre valia para ele mais do que cinquenta batalhas de Lepanto, mandou cunhar uma moeda comemorativa, enfim, fez de TUDO para mostrar o quanto isso foi bom para ele e para a Igreja. Tivesse morrido mais gente, e ele teria celebrado mais, quanto mais melhor. Mesmo se a tese de que "pouca gente" morreu (ainda assim pelo menos três mil) estiver certa, o fato é que dependesse da vontade do papa e teria sido assassinado muito mais.

      Muito mais do que o número de pessoas que morreram, o que está em jogo aqui é a moralidade do papa e da Igreja Romana da época, que era muito menos que desprezível.

      Excluir
    2. Paula, segundo o ex padre Aníbal Pereira dos Reis, a igreja católica é culpada, direta ou indiretamente da morte de cerca de meio Bilhão de pessoas desde a época de Constantino quando ela começou a matar, até os dias modernos através das mais variadas matanças e perseguições, guerras, revoltas, revoluções e toda sorte de conspirações contra não católicos (judeus, árabes,protestantes, ciganos, ateus, maçons, espíritas, ortodoxos, budistas, maçons etc.etc. Infelizmente a humanidade costuma se esquecer desta realidade brutal ouvindo apenas os padres a MENTIR.

      Excluir
  7. A PAZ LUCAS! GOSTARIA QUA VOCE ME ESCLARECESSE UMA COISA, QUANDO UM JUSTO MORRE, E VERDADE QUE A ALMA DELE VAI PARA UM LUGAR CHAMADO DE PARAISO? E QUE QUANDO UM IMPIO MORRE A ALMA DESTE IMPIO VAI PARA UM LUGAR DE TORMENTOS? GOSTARIA QUE VOCE ME ESCLARECESSE ESTE ASSUNTO, E ME INDICAR LIVROS QUE FALAM DESTE TEMA. FIQUE NA PAZ IRMAO. OBRIGADO!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não, não existe alma sobrevivendo fora do corpo, a alma é o que o ser humano é, e não algo que ele possua dentro de si e que vá para algum outro lugar na morte. Na morte todos voltam ao pó da terra ("do pó viestes, ao pó voltarás"), e no dia da ressurreição voltam à vida para serem julgados por seus atos e condenados ou à vida eterna, ou à morte eterna. Eu tenho três livros sobre o tema totalizando 1.200 páginas escritas e mais uns duzentos artigos, você pode conferi-los nessas páginas especialmente:

      http://www.lucasbanzoli.com/2017/04/0.html

      http://www.lucasbanzoli.com/2015/07/artigos-sobre-imortalidade-da-alma.html

      Recomendo ainda o livro do Samuele Bacchiocchi ("Imortalidade ou Ressurreição?"), e o do Oscar Cullmann ("Imortalidade da Alma ou Ressurreição dos Mortos?"). Dois capítulos do livro do Bacchiocchi você pode encontrar online, onde ele faz uma abordagem sem igual sobre o conceito de nephesh e psiquê no Antigo e Novo Testamento:

      http://www.verdadeonline.net/textos/cap2-ivimortal.htm

      http://www.verdadeonline.net/textos/cap3-ivimortal.htm

      A página do Azenilto Brito sobre o tema também é excelente:

      http://www.c-224.com/A-IMORTALIDADExxz.html

      E o meu blog na área:

      http://desvendandoalenda.blogspot.com.br

      Abs!

      Excluir
  8. vc ja leu os livros do daniel mastral? o que achou? vale a pena ou ele viaja na maionese? obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os livros "Filho do Fogo" (vol. 1 e 2) são excelentes, os outros eu não li ainda, então não posso comentar. Abs!

      Excluir
  9. Pra mim a honraria “grandioso em todos os sentidos” deveria pertencer a madre Tereza de Calcutá.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza ela era mais "grandiosa" que Thomas More, embora até a seu respeito haja sérias contestações:

      https://www.youtube.com/watch?v=-ByxoHjRpUI

      Excluir
    2. Lucas, e São Francisco de Assis, você acredita que ele também foi um personagem criado pela ICAR? (Obs. NÃO sou católico)

      Excluir
    3. Não, ele foi o que dizem dele, o mito na verdade é que a ICAR tenha aprovado os preceitos franciscanos de pobreza, quando na verdade ela apenas “tolerou” S. Francisco, em função de que já havia numerosos movimentos de pobreza para se combater (valdenses, albigenses, a “seita dos doze apóstolos”, etc), então para evitar mais um desses grupos o papa preferiu tolerar a existência de um deles dentro da Igreja e por ela “controlado”, de modo a surgir como alternativa aos outros movimentos tidos como “heréticos”. Mas isso NUNCA significou que o papa ou a Igreja Romana fossem a favor dos princípios de pobreza pregados por ele, tanto é que os papas eram os mais ricos e soberanos da época, e a Igreja a instituição mais rica em disparado, e assim continuou por longo tempo.

      A prova disso é que depois que Francisco de Assis morreu, seus seguidores foram forçados a mudar os preceitos originais para continuar sobrevivendo em paz, e os que se recusaram a fazer isso e continuaram pregando a pobreza foram severamente perseguidos (eles são conhecidos pelo nome de “fraticelli”), inclusive pela Inquisição, tratados como hereges e tudo mais. Só eram tolerados os que abandonaram os ideais de pobreza de S. Francisco. A noção de que a Igreja Católica apoiou os franciscanos e os recebeu de braços abertos é um delírio do revisionismo católico moderno, especialmente nestes tempos em que é quase senso comum que Francisco estava certo, e portanto, que os papas adornados em ouro e vivendo no mais alto luxo medieval estavam errados.

      Excluir
    4. Deus me livre! Madre Tereza? Mais um embuste católico romano!


      Excluir
  10. A falta de moral desse site (O Catequista) é repugnante.

    ResponderExcluir
  11. Os católicos deram um azar tremendo; bateram de frente com um protestante formado em história!

    Parabéns por mais esse excelente artigo, Lucas Banzoli Soares

    Alon

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado caro amigo Alon Edson Tuck Franco.

      Excluir
  12. Artigo muito esclarecedor. Parabéns.

    ResponderExcluir
  13. Lucas, pensar palavrão ou coisas torpes sem querer é pecado?
    Eu tento controlar meus pensamentos mas, as vezes na distração, eu acabo pensando algo que não devia, simplesmente surge (como aquelas pessoas que "blasfemam" contra o Espírito Santo em pensamento sem querer assim que ouvem dizer que esse pecado é imperdoável, sabe?)
    Eu não falo palavrão pois sei que é pecado e acredito q n fico pensando por vontade própria, é algo q as vezes surge como a letra de uma música ou alguma lembrança e tenho medo de estar pecando quando isso acontece, acontecia muito enquanto eu lia a Bíblia, parece q a minha mente me força a pensar essas coisas
    Agradeço pela resposta, abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tecnicamente falando os pensamentos pecaminosos são pecados sim, mas Deus leva muito mais em conta o seu poder de resistir e a sua força de vontade de não levar essas coisas a efeito, porque Ele conhece o nosso coração e sabe das nossas intenções mais do que nós mesmos. Todos nós convivemos com uma carne que nos incita ao pecado diariamente, se Deus fosse condenar alguém por essas tentações carnais seríamos todos condenados ao inferno, mas ele prioriza em vez disso o nosso coração, a nossa boa ou má intenção de lutar contra essas tentações e esses pensamentos quando eles vêm, e também a nossa capacidade de nos humilhar e pedir perdão e nos arrepender com sinceridade se pecamos de alguma forma. Se formos assim, não há razão para se sentir de consciência culpada, ainda que estes pensamentos "não-intencionais" continuem vindo. Abs!

      Excluir
  14. Amigo gostaria de compartilhar uns fatos da minha vida pessoal contigo,e te fazer uma pergunta que ainda não consegui uma resposta,na sua opinião alguém que já teve uma experiência com Deus pode vir a se afastar e se tornar marxista e ateu?Porque dois de meus melhores amigos: Bruno Bueno e Felipe Rodrigues, da época em que frequentava a AD Bom Retiro,seguiram esse caminho quando deixaram a igreja,o Bruno quando foi estudar psicologia,justamente começou a se inclinar para o comunismo.Quero te contar essa história,até para te pedir orações pela vida deles,e escutar alguém mais experiente que eu na fé,para receber um aconselhamento sobre como agir com eles.Eu quando cheguei a São Paulo não era evangélico ainda,quando morava no Rio de Janeiro frequentava a Igreja Católica com meus avós,ás vezes meus pais iam também,mas os mais religiosos eram meus avós,no entanto a minha tinha Marilene,irmã da minha mãe já era evangélica da Assembléia de Deus e inclusive trabalha na CPAD, ela me presenteava com vários livros dessa editora e me falava muito sobre Jesus,até que resolvi visitar a AD Bom Retiro e ali me batizei e passei a frequentar o grupo de jovens,fiz parte dos Kings Kids,um grupo de adolescentes que fazia evangelismo nas ruas,nesse grupo estavam os dois amigos que citei,o Bruno era o mais ativo,chegou a ser uma espécie de líder do grupo,falava bastante,era bem extrovertido,se destacava,eu notava que ele tinha um grande interesse pelo evangelho e pela palavra de Deus,era um novo convertido assim como eu,diferente do Felipe,que apesar de ser filho de pastores,era relapso,não comparecia tanto aos ensaios do grupo e muitas vezes faltava a Escola Dominical,dizia não gostar das músicas gospel,seu maior interesse era o heavy metal,não se interessa tanto pela igreja.Já o Bruno,eu ficava surpreendido com o tanto que ele falava nas aulas de Escola Dominical,demonstrava ter um verdadeiro amor ao evangelho,até mais do que eu,eu sempre fui mais tímido e introvertido,não fazia muitas intervenções durante a ED.O Bruno já tinha um jeito afeminado,mas eu não maldava esse fato,pensava apenas que fosse mais educado,como era bem estudioso,inteligente,imaginei que fosse isso,no entanto ele começou a sentir desejos homossexuais,não sabia como lidar aquilo,até então já tinham passado 2 anos que estavamos frequentando a igreja,chegamos na mesma época,estávamos batizado,tanto os pais dele como os meus,já eram diáconos da igreja,acontece,que quando ele contou isso para os pais,não foi bem compreendido,tentou a libertação na igreja,mas não houve efeito,e acabou saindo de vez da igreja,o que foi reforçado pelos escândalos envolvendo a liderança da igreja,a venda do terreno,que foi comprado com o dinheiro doado pelos fiéis,o pastor vendeu e dividiu o dinheiro dos filhos,e ele que pregava tanto a moralidade sexual,acabou se divorciando e arrumando uma esposa mais nova,e seu filho fez o mesmo,então ele se revoltou ainda mais com a hipocrisia de seus líderes,e agregado a isso seus próprios pais também se divorciaram,aí ele foi cursar psicologia,lá foi doutrinado pelo marxismo, e se assumiu de vez como gay e se tornou militante LGBT,ele se diz ateu em relação ao cristianismo,mas simpatiza com as religiões afros,já que seu namorado que mora com ele frequenta a umbanda,fico muito triste com o que aconteceu com ele,um potencial enorme de servo de Deus foi perdido,me dói ver alguém que pregava o amor de Cristo hoje defendendo a causa LGBT,a liberação das drogas,a umbanda,eu ainda tentei conversar com ele pelo Facebook umas vezes,somos amigos por lá

    ResponderExcluir
  15. eu ainda tentei conversar com ele pelo Facebook umas vezes,somos amigos por lá,mas não consegui mais falar com ele depois de uma conversa sobre relacionamentos amorosos,ele disse que achava que a heterossexualidade para as mulheres era ´´opressiva´´ e que toda mulher deveria ser ao menos bissexual,e em uma conversa sobre história,disse que nenhuma escravidão que houve se comparada a escravidão que os negros sofreram aqui na América,eu disse que não é bem assim,que escravidão sempre existiu desde o Egito,a Grécia,a Roma antiga,que o homem europeu ocidental cristão não inventou a escravidão,mas preferi não continuar discutindo,para reconvertê-lo só com muita oração,com argumentos lógicos não será mais possível,então te peço ajuda em oração pela vida do Bruno,já o Felipe não é homossexual,no entanto quer ´´pegar todas as garotas´´,a promiscuidade heterossexual é um pecado tão grave quando a homossexualidade,nem é militante de esquerda,apesar de abominar o Bolsonaro e defender a legalização da maconha e também fumá-la,mas ele também odeia o comunismo e o PT,está mais para libertário do Livres(PSL),com ele consigo conversar mais,até almoçamos juntos durante o mês passado,mas me dói ver ele perdido e longe de Deus também,por isso também peço por favor que ores muito pela vida dele,não quero que se percam cada vez mais.

    ResponderExcluir
  16. Lucas, mas você não acha que o "Catequista" faz é exatamente o que todos (protestantes, ateus, católicos...) fazem: engrandecer (se necessário, com mentiras) seus feitos e denegrir o rival com intuito de validar sua mensagem?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, com a diferença de que quem tem a verdade, não precisa mentir. Este é o caso do protestantismo. Eu não duvido que se o protestantismo fosse falso haveria gente defendendo o protestantismo com mentiras da mesma forma que os ateus e católicos e etc fazem, mas isso simplesmente não é necessário quando temos a verdade do nosso lado. Além disso os protestantes sempre foram muito mais sinceros e honestos do que qualquer outro religioso do mundo que eu conheça; nunca vi algum protestante negar que Lutero tenha ficado ferozmente contra os judeus, ou negado que Jerônimo defendia a virgindade perpétua de Maria, ou fazendo de conta que não existem escândalos em meios religiosos protestantes atuais, etc. Nós não fazemos malabarismos para mascarar de todos os modos aquilo que é a realidade dos fatos, quando estes fatos são claramente contra alguma coisa relacionada ao protestantismo. Diferentemente dos outros, que sempre buscam algum subterfúgio para não admitir suas próprias calamidades. E isso não é porque os protestantes sejam seres superiores, mas apenas porque não estão presos a uma mentalidade estúpida de "Igreja (instituição) infalível", ou seja, estão abertos a reconhecer os erros de denominações evangélicas, diferente daqueles que pensam que sua própria instituição é infalível, que é a única certa, que fora dali vão todos pro inferno, e que o líder máximo não pode errar em matéria de fé e moral. Aí a consequência só pode ser um show de malabarismos e horrores sem fim para justificar o injustificável e defender o indefensável.

      Excluir
  17. Pela história que te contei,achas que é sim possível,uma pessoa com formação protestante e a ativa dentro da igreja,se perder e se tornar super mundana?Até conhecer esses amigos eu achava que não era possível alguém criado dentro da igreja se tornar homossexual militante LGBT e marxista como no caso do Bruno e um filho de pastor como o Felipe se tornar consumidor de maconha e mulherengo promíscuo,mas agora eu oro muito e peço sua ajuda para que venhas orar também para que eles se reconvertam

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha, infelizmente coisas assim existem sim e acontecem mesmo, eu como arminiano de 5 pontos creio na possibilidade da perda da salvação, e portanto é perfeitamente possível que um cristão sincero e uma vez regenerado venha a cair em ciladas malignas, o que inclui essa questão do esquerdismo político e suas ideologias nefastas. É claro que na grande maioria dos casos as pessoas que aderem a essa ideologia nunca foram cristãos sinceros, mas apenas de aparência, e jamais tiveram um encontro com Deus, nem um coração transformado, mas se é isso o que também se aplica ao caso específico desses seus amigos aí eu não posso dizer porque não os conheço. De qualquer forma, sempre vale a pena as nossas orações, pois da mesma forma que eles caíram, também podem voltar à sã doutrina, com a graça de Deus. Abs!

      Excluir
  18. Olá irmão. Quando os calvinistas dizem que Deus decretou a Queda, costumamos dizer que Deus apenas permitiu para ter um relacionamento verdadeiro com o homem. Mas, na minha opinião, no Novo Céu e na Nova Terra não vai ter possibilidade do ser humano pecar. Será que isso não vai mudar o relacionamento de Deus com o ser humano? Poderíamos montar o argumento da seguinte forma:

    1. Só há relacionamento verdadeiro quando existe possibilidade de pecar;
    2. No Novo Céu e na Nova Terra não vai existir possibilidade de pecar;
    3. Logo, no Novo Céu e na Nova Terra não vai haver relacionamento verdadeiro.

    Ficarei grato se vc puder tirar essa dúvida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No Céu não haverá "livre-arbítrio" da forma que conhecemos hoje, ou seja, não haverá a mínima vontade ou interesse pelo pecado, e consequentemente não haverá alguém pecando, pois só pecamos porque sentimos vontade disso. Essa presente vida é onde reside a possibilidade de escolhermos entre lutar contra o pecado ou se entregar a ele, o que implica em escolher ficar do lado de Deus ou contra. Isso não significa que no Céu seremos "robôs" com ações pré-determinadas, mas apenas que não pecaremos pela mesma razão de que ninguém come cocô (teremos aversão total ao pecado e nenhuma vontade de praticá-lo). Abs.

      Excluir
  19. Lucas,o conde Loppeux falou uma coisa engraçada a respeito de nós evangélicos ridicularizando,falando que o protestantismo vai dissolver por ele ter chegado a conclusão que muitos dos evangélicos são desigrejados que estão numa faixa de aprox. 7 milhões no Brasil e o cara não se liga se formos falar dos católicos que são mais de 100 milhões dos quais só 10 a 15 milhões de praticantes e o restante é tudo nominal e vem dizer que o protestantismo tá diluído, é brincadeira ou não é Lucas? sabendo que os nominais católicos nem se quer tem conhecimento de fato das doutrinas romanas e no mais ele se esquecem os sem instituição e que são é evangélicos tem muito mais conhecimento das doutrinas Bíblicas do que os católicos nominais ...no final irmão eles perdem pra nós em conhecimento mesmo sem ter uma filiação religiosa e também em termos de praticantes que nós damos uma 'surra' nos católicos que que somos praticantes sem medo de errar aprox. uns 50 milhões, só não somos maioria em números é só questão de tempo.esse Loppeux só fala asneiras que é própio do catolicismo , ou seja, não fazem ninguém pensar, de fato esses romanos só tem visão de cavalo mesmo só pensa de um jeito no papa por exemplo como norma de fé e moral é de dar dó , mas fazer o que é própio deles difamarem.Fica com Deus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você tem toda a razão, sobre isso eu já explanei neste artigo:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2017/04/a-igreja-catolica-e-o-baluarte-do.html

      Abs!

      Excluir
  20. Querido Lucas,me responda uma pergunta Orígenes era a favor do UNIVERSALISMO. ou seja, no dia do juízo todos serão salvos, restaurados e reconciliados por Deus, isso procede?já que segundo uma amiga minha muito devota católica disse que Orígenes atribuiu esse conceito baseado na carta de Pulo aos Filipenses 2.10 que fala todo joelho se dobrará, que segundo minha amiga Orígenes diz que isso implica em confissão dos pecados onde todos serão salvos, mas foi isso mesmo que ele falou?e se falou não é contrário as Escrituras e as pessoas condenadas onde fica nessa história?fiquei sabendo por ela que o própio Orígenes foi excomungado e se foi , qual foi sua excomunhão?Lucas é tanta coisa que a pessoa fica que perdida sabe....é tantas opiniões diferentes que a pessoa que quer seguir fielmente termina ficando no beco quase que sem sa´da, meu Deus me ajude nessa caminhada.Abraço meu querido irmão e fica na paz do Senhor Jesus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele era universalista sim, da mesma forma que Clemente de Alexandria, por volta da mesma época. Mas sua excomunhão foi por outra razão (por ter sido ordenado sacerdote sendo castrado), não pelo universalismo. Abs.

      Excluir
  21. Lucas, em um de seus comentários abaixo ... vc fez referir ao papa que fez essa tal festa em comemoração ao massacre no dia de são Bartolomeu é o mesmo que queria tomar toda a Inglaterra e queria tirar a rainha protestante e implantar o catolicismo a qualquer custo foi mesmo assim? quem era esse papa na época?Abs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não, o papa que "depôs" Isabel foi Pio V, e o da noite de S. Bartolomeu foi Gregório XIII. Abs.

      Excluir
  22. Oq acha do movimento "Católicas pelo Direito de Decidir"?
    Percebo que ultimamente a igreja católica tem sido uma forte instituição
    usada para implementar a agenda global (que inclui as ideias da esquerda).
    Não sei se nas igrejas evangélicas tem sido assim, mas na igreja católica,
    inclusive por intermédio do Papa, essas ideias vem sendo propagadas...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Movimento ridículo, na verdade, contra o próprio consenso da Igreja Romana, pelo menos até agora. O papa tem sido bastante esquerdista em diversos assuntos mas até o momento ainda não abriu mão na questão do aborto. Abs.

      Excluir
  23. Olá Lucas, você já leu o livro "O guia politicamente incorreto da História do Brasil" escrito pelo Leandro Narloch? Caso tenha lido, o que achou eu certa vez tentei ler, mas um amigo meu me disse que é tudo mentira e erros históricos, não cheguei a ler, mas li os nomes dos capítulos numa página, e assim que eu cheguei no tópico "O que Não te contaram sobre a monarquia brasileira" me deu uma pulga atrás da orelha e minha consciência me disse que era melhor não ler. Caso já tenha lido o que você achou? É um livro que fala justamente de um Revisionismo Histórico da História do Brasil. E como não gosto do Revisionismo histórico (pois no final é tudo mentira e distorção de fatos) resolvi não ler, gosto muito de história, desde que seja em fatos verídicos e registros comprovando aquilo, não em achismo e palpite.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu baixei essa obra de um site que em sua descrição dizia o seguinte:

      "ESSA É UMA OBRA DE QUALIDADE DUVIDOSA, FRUTO DE DESONESTIDADE INTELECTUAL, UM LIVRO DE HISTÓRIA ESCRITO POR UM NÃO HISTORIADOR. O LELIVROS E TODA UMA CLASSE INTELECTUAL NÃO RECOMENDA A LEITURA DE TAL LIVRO. USE POR SUA CONTA CONTA E RISCO, O USO DE CETICISMO É INDICÁVEL E NECESSÁRIO"

      De todo modo, o livro tem coisas interessantes sim, e nem tudo é falso, o problema é que o autor assumidamente escreveu o livro para polemizar, e não para contar as "verdades históricas" que foram deixadas de lado e ignoradas por todos os historiadores. Ou seja, basicamente o trabalho dele consiste em recortar trechos e fragmentos de livros duvidosos que digam qualquer coisa contra uma "tese tradicional" e então bater o martelo em torno daquele ponto como se já tivesse encerrado o assunto (por isso que é considerado desonestidade intelectual). É uma tática boa para se vender livros a leigos, mas irrelevante e descartável a estudiosos sérios.

      Abs.

      Excluir
  24. Lucas , O que você acha de João Calvino ? Você acha que ele é um herói da fé e deve ser admirado ou é simplesmente mais um " herege" por ter ensinado a predestinação ? E verdade que Arminio fez sérios elogios a Calvino ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nenhuma das duas coisas, foi um líder protestante importante na Reforma, não um "herege", mas também jamais um "heroi" pelo que fez a Serveto. Armínio o elogiava bastante, mesmo porque na época a divergência entre "calvinismo vs arminianismo" não tinha as proporções que tem hoje; o protestantismo é muito mais do que isso.

      Excluir
  25. Lucas, você já assistiu o documentário "Marcha para Sião"? Se sim, qual é a sua opinião?

    ResponderExcluir
  26. o que vc acha disso?

    ERROS CIENTÍFICOS NA BÍBLIA

    Noé envia uma pomba para ver se havia terra seca, porém, volta sem achar nenhuma. Então sete dias depois volta novamente e retorna com uma folha de oliveira, mas como uma oliveira pode sobreviver a inundação? Mesmo se alguma semente sobrevivesse, não germinaria e dar folhas num período de sete dias, alias, também não dá para dizer que a oliveira sobreviveu a inundação já que seria um sinal da existência da terra seca, se assim fosse, não serviria de sinal porque poderia trazer uma folha sem a terra seca. Até dá para ponderar que a terra não teria secado dentro dos sete dias, assim, a probabilidade é de ter secado três dias depois da pomba voltar, ou mais, ou menos que isso, portanto, uma oliveira não germinaria e daria folhas dentro desses dias, nem sete, seis, cinco ou quatro ,e longe está de ter germinado num período de três dias.

    Génesis 8

    6 E aconteceu que ao cabo de quarenta dias, abriu Noé a janela da arca que tinha feito.
    7 E soltou um corvo, que saiu, indo e voltando, até que as águas se secaram de sobre a terra.
    8 Depois soltou uma pomba, para ver se as águas tinham minguado de sobre a face da terra.
    9 A pomba, porém, não achou repouso para a planta do seu pé, e voltou a ele para a arca; porque as águas estavam sobre a face de toda a terra; e ele estendeu a sua mão, e tomou-a, e recolheu-a consigo na arca.
    10 E esperou ainda outros sete dias, e tornou a enviar a pomba fora da arca.
    11 E a pomba voltou a ele à tarde; e eis, arrancada, uma folha de oliveira no seu bico; e conheceu Noé que as águas tinham minguado de sobre a terra.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O problema dele é considerar todo o dilúvio sob uma ótica puramente naturalista. Ora, o próprio dilúvio em si não foi "natural", não aconteceu ocasionalmente pelas forças da natureza, tanto é que nunca mais se repetiu. Foi um ato de intervenção divina na natureza. Literalmente, um milagre. E não há nada que impeça Deus de continuar agindo mesmo depois que as águas pararam de cair. Reduzir os eventos bíblicos à ótica da natureza, deixando Deus de lado ou partindo do pressuposto de que Ele não exista, é inferir "erros" na Bíblia a priori, pois a mesma parte do princípio de que Deus existe e interfere na natureza quando bem entender.

      Excluir
  27. Olá, Lucas Banzoli. Vc poderia falar sobre o debate entre Luiz Camargo versus Conde?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não conheço o primeiro, não vejo há anos nenhum vídeo do segundo e nem sabia que havia esse "debate", nem sobre qual assunto (e pra ser sincero, também não me interesso nem um pouco). Abs.

      Excluir
  28. Lucas gostaria de deixar aqui meu testemunho. Fui um cristão que quase se converteu a catolicismo pelos pensadores neo conservadores ,mas o catolicismo NUNCA consegui explicar me a relação da graça de Deus e do homem na salvação para mim aquelas missas, aquelas indulgências não refletiam aquilo que Cristo e os apóstolos chamavam de GRAÇA
    Enão eu conheci seu site e devorei seus artigos e também os livros e sermões de : Lutero , Calvino , Jonh Wesley , Surpugeon e Lucas banzoli . Finalmente eu entedo o que a Graça Lucas Muito obrigado por seus livros e artigos. Gosta de 3 sugestões a você ( que pretensão desse recem convertido !) 1 : Você já pensou em criar uma aba só com testemunhos desse site acho que isso estimulará a novos cristão que saiam dessa seita e vejam histórias parecidas com a deles .2) Que tal escrever mais sobre a graça de Deus e a sua incombatibilidade com catolicismo. 3 ) Escreva mais sobre a Sola fide e Sola gratia . Abraços que o Deus eterno te abençoe e te dote de sabedoria!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gostei bastante da ideia dos testemunhos! Não precisaria ser necessariamente ex-católico, acho que se qualquer pessoa que desejar postar seu testemunho puder, será muito mais interessante. Pense nisso, Lucas, há algo assim no site: protestantismo.com.br

      Abs.

      Excluir
    2. Olá, fico feliz pela sua conversão, glória a Deus por isso! Sobre suas questões:

      1) Eu não tenho o costume de fazer isso pois priorizo os estudos teológicos em vez dos casos de conversão, porque embora estes casos sejam muito bons para efeitos de marketing, eles são teologicamente irrelevantes (eu não vejo o apóstolo Paulo tentando converter os pagãos ou judeus com os testemunhos de outros convertidos, por exemplo, mas sempre pregando a viva e eficaz palavra de Deus).

      2) É realmente uma falha minha eu ter escrito tão pouco sobre isso, mas este tema tem me tocado bastante nos últimos tempos, principalmente desde o mês passado quando li um livro chamado "Roma, sempre a mesma", escrito no início do século passado por um ex-padre (livro, aliás, que pretendo disponibilizar aqui digitalizado para todos terem acesso).

      3) Sobre a Sola Fide já tenho alguns artigos, e abaixo recomendo outros em outros blogs tratando do mesmo tema:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2012/08/somente-fe.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2014/01/a-sola-fide-na-biblia-justificacao.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2014/01/tiago-ensinava-justificacao-pelas-obras.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2016/05/agostinho-e-justificacao-pela-fe.html

      http://respostascristas.blogspot.com.br/2016/04/justificacao-somente-pela-fe-sola-fide.html

      http://respostascristas.blogspot.com.br/2016/04/justificacao-somente-pela-fe-sola-fide_29.html

      http://conhecereis-a-verdade.blogspot.com.br/2013/04/sola-fide-em-tomas-de-aquino_19.html

      http://conhecereis-a-verdade.blogspot.com.br/2013/03/a-doutrina-de-sola-fide-como-entenderam.html

      http://conhecereis-a-verdade.blogspot.com.br/2012/05/sola-fide-justificacao-pela-fe-na.html

      http://conhecereis-a-verdade.blogspot.com.br/2010/07/clemente-romano-e-sola-fide.html

      Abs!

      Excluir
  29. Lucas, seria bom um post (não sei se você já o tem) sobre como o protestantismo atualmente é visto pela icar, baseado no catecismo, cv ii, papa franscisco etc, e em oposição à opinião geral que os papistas ignorantes que anchem grupos de debate e administram blogs e páginas por aí têm.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seria interessante, sim. Algo menos amplo sobre isso eu postei neste artigo:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2015/12/catecismo-catolico-refuta-apologetica.html

      Abs

      Excluir
  30. Lucas, seu sobrenome realmente é Banzoli? Nunca vi ninguém com um sobrenome assim. Ele é de outro país?

    Caso não seja seu sobrenome verdadeiro, por que vc o escolheu?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É Banzoli sim, é um sobrenome que em italiano é "Banzola", mas quando os antepassados vieram ao Brasil erraram na hora de dar o nome na imigração e aí ficou "Banzoli" (pensando bem, foi até melhor assim... xD).

      Excluir
  31. Essa frase é verdadeira?

    “Nosso Senhor nos concede tudo o que lhe pedimos na Santa Missa : o que mais vale é que nos dá ainda o que nem se quer cogitamos pedir-lhe e que, entretanto, nos é necessário”. São Jerônimo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo o que não possui fontes não pode ser levado a sério até que as fontes sejam devidamente apresentadas.

      Excluir
    2. Eu já vi você disendo que o trinitarianismo é uma doutrina central, então por quê você defende o Alon Franco?

      Excluir
    3. Avalie: https://youtu.be/NnqA2KCm7mg
      ⊂_ヽ
        \\ _
         \( •_•) D
          > ⌒ヽ E
         /   へ\ I
         /  / \\ X
          ノS  ヽ_つ E
        / / E
        / / U
       ( (ヽ L
       | |、\I.
       | 丿 \ ⌒)K
       | |  ) /E
      ノ )  Lノ__
      (/___

      Excluir
    4. "Eu já vi você disendo que o trinitarianismo é uma doutrina central, então por quê você defende o Alon Franco?"

      Eu defendo o Alon Franco no anti-trinitarianismo?

      "Avalie: https://youtu.be/NnqA2KCm7mg"

      Respondi sobre isso aqui:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2017/07/o-catequista-enaltece-comunista.html?showComment=1500656439263#c9022401612098686658

      Excluir
  32. Oi Lucas, qual sua opinião sobre as pastorais católicas? O que você acha de um protestante participar do serviço cristão prestados por elas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Respondi aqui:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2017/07/o-catequista-enaltece-comunista.html?showComment=1500655668738#c4916514021189702448

      Abs!

      Excluir
  33. https://youtu.be/NnqA2KCm7mg
    Lucas, vc acha que esse tipo de vídeo pode ser um prato cheio pros católicos acusarem Lutero?
    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele não disse nenhuma grande novidade. "Lutero falava palavrão" (veja a forma com que seus oponentes se referiam a ele); "Lutero se voltou ferozmente contra os judeus" (veja a forma com que a Igreja Romana da época tratava os judeus); etc. E essas coisas todas tem que ser analisadas dentro de seu contexto histórico maior, o que o James Swan (estudioso especialista em Lutero) faz com maestria em seu blog (em inglês):

      http://beggarsallreformation.blogspot.com.br/2005/12/martin-luther-topical-master-index-for.html

      Excluir
  34. Lucas, eu gostaria que você me indicasse livros e artigos falando sobre o Socialismo e Comunismo. Qual a relação entre eles e o Cristianismo e entre eles mesmo (semelhanças e diferenças entre Comunismo e Socialismo). E se pudesse também eu gostaria que você me indicasse livros e artigos sobre o Feminismo, a identidade de gênero e como refuta-los. Muito obrigado meu irmão. Abraços...

    Silas Cândido aqui.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com todo o respeito, eu não sou a pessoa mais adequada a se perguntar sobre esses temas políticos. Embora eu tenha uma posição definida sobre cada um deles, de acordo com o prisma conservador, como teólogo eu dou preferência total aos livros de teologia ou de história (com ênfase à "história cristã"), porque se eu fosse ler livros de política isso iria me fazer abandonar ou atrasar por um tempo o meu foco principal, do qual eu não quero me apartar. Ainda mais levando em consideração que tem tanta gente falando de política, mas muito pouco de teologia séria ou de história eclesiástica. Abs!

      Excluir
  35. Lucas, qual sua opinião sobre a ICAB (Igreja Católica Apostólica Brasileira)?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É a mesma coisa da outra, só que sem a infalibilidade papal e o celibato obrigatório.

      Excluir
  36. Muitos ateus dizem que a bíblia ou a religião não são verdades absolutas porque em seus textos é possível se extrair várias interpretações. Como você vê isso? É possível em um texto bíblico se extrair várias interpretações verdadeiras, ou só é possível aplicar uma
    interpretação dentre várias? Creio que interpretar a bíblia é um dos exercícios mais difíceis de se fazer...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não existem "várias interpretações verdadeiras", se uma é verdadeira então as outras são falsas por definição, mas o que pode haver (em alguns casos) são "várias interpretações possíveis", ou seja, interpretações que se encaixam exegeticamente, algumas mais prováveis e outras menos, ainda que só uma delas seja a "verdadeira". Mas nos temas mais importantes, nas doutrinas relevantes para a salvação, a Bíblia é suficientemente clara, sem qualquer necessidade de se pensar que precisamos do auxílio de um magistério mágico ou de uma entidade infalível. Essa era também a crença dos Pais da Igreja, muito antes dos reformadores.

      Excluir
  37. Oi Lucas. Aqui é um reenvio. Você aprova um protestante participar de alguma pastoral da ICAR ou de alguma ação social espírita?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu penso que se a intenção é a ajuda social, pode-se fazer isso entre os próprios evangélicos que tem um monte de ações sociais em todo lugar, não é necessário se juntar aos espíritas ou católicos para isso. Se o propósito da "ação" fosse SOMENTE a ajuda social até não teria problema, mas sabemos que muitas vezes isso é apenas um meio utilizado para se levar a religião para as pessoas alcançadas, e é aí que reside o problema.

      Excluir
  38. Lucas agostinho defendia a predestinação calvinista ? Se sim isso não tornaria agostinho mais próximo de nos do que dos católicos ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele passou a defender isso na parte final da sua vida. Mas ele não pode ser classificado nem como "católico romano" nem como "calvinista", pois seu conjunto de crenças se diferenciava substancialmente de ambos os sistemas teológicos atuais.

      Excluir
  39. Lucas, suponha que você tenha um amigo católico romano (!) e você o convide para um culto em sua igreja. Ele diz "Vou a sua igreja se você for a uma missa na minha". O que você faria?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não iria. Nunca vi algum apóstolo ou pessoa piedosa nas Escrituras usando este artifício como "método evangelístico". Já pensou se Paulo aceitasse participar das cerimônias pagãs em honra aos deuses do paganismo, só para depois um pagão aceitar participar de um culto cristão? Só de pensar na ideia já é surreal. Não vejo muita diferença para o catolicismo romano de hoje, quase tão paganizado quanto.

      Excluir
  40. Lucas, você entende Gêneses 1-3 como literal ou figurado?

    ResponderExcluir
  41. Olá Lucas. De uns dias desse pra cá eu estou assistindo alguns videos no youtube sobre construções megalíticas da antiguidade, como, por exemplo, o Sacsayhuaman, Stonehenge e outras mais. Diante da complexidade dessas construções, eu não acho muito provável que pessoas normais assim como nós, mesmo em grande quantidade, possa realizar tal façanha. Então me veio à mente uma explicação que eu acho mais plausível: os gigantes da antiguidade (os nefilins ou descendentes deles). Vou pegar como exemplo os monumentos de Stonehenge. Supondo que pessoas normais conseguissem mover os blocos de 26 toneladas que tem lá, como eles iriam conseguir colocar os blocos de cima, apoiados em outros dois blocos fincados no chão? Não descarto a possibilidade de ser pessoas normais, mas eu acho mais lógico que isso seja obra dos gigantes do passado. Olha essa imagem. Incrível! https://www.google.com.br/search?q=stonehenge&source=lnms&tbm=isch&sa=X&ved=0ahUKEwjwlcC6pZTVAhVIGpAKHeFFAawQ_AUICigB&biw=1366&bih=662#imgrc=7LVHnodJOMoVqM:

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É muito interessante, nunca havia pensado por este ângulo. É por isso que alguns afirmam que certas construções antigas foram feitas por "aliens", porque entendem ser impossível que um ser humano comum as tenha feito. Mas essa é uma explicação muito mais razoável, porque de fato não era um humano "comum", e há provas concretas da existência dos gigantes, diferentemente dos aliens:

      http://arqbib.atspace.com/gigante.html

      Abs!

      Excluir
  42. Lucas, muito bom o seu texto, mas eu acrescentaria alguns detalhes:

    More era um entusiasta do ofício de tortura e tinha, na própria casa, uma câmara de tortura onde ele mantinha alguns prisioneiros, que ele mesmo torturava, dos quais se incluíam protestantes: um deles, que mais tarde foi executado antes de Henrique VIII se converter, conseguiu fugir da casa; More fazia uma piada nefasta dizendo que "foi tão leve na tortura" que a vítima conseguiu romper as barras dá dela é fugir. Boa parte desse passado recebeu whitewashing depois dá canonização dele. Posso te passar material depois.

    Sobre o divórcio de Henrique, é válido notar que na época em que o Papa negou o pedido (que a princípio iria ter o apoio do Rei Franscisco dá França, pelo acordo em Field of The Golden Cloth), ele era mantido prisioneiro do Imperador, como desfecho do Saque de Roma, onde ele se tornou prisioneiro do exército para mais tarde pagar um resgate pela liberdade. Não surpreende que ele tenha feito exatamente o que Charles V queria

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado pelas observações, seus acréscimos foram muito úteis. Seja sempre bem-vindo aqui para continuar postando aqui novos comentários inteligentes. Abs!

      Excluir
  43. A ditadura da opinião... tão conhecida hoje em dia (comum no Brasil)... já existia desda Idade Média. Onde só a opinião da ICAR valia e era "infalível". Caso alguém questiona-se... poderia perecer no fogo da "Santa" Inquisição. Visto isso, ainda têm lunáticos achando que o protestantismo gerou o comunismo/socialismo/ateísmo e etc. Só rindo para não chorar.

    ResponderExcluir
  44. Lucas, como vai?Eu fiquei sabendo por uma amiga minha sobre a perseguição contra os evangélicos na Rússia e que logo vão aprovar no congresso proibindo práticas de evangelização fora dos templos e até a proibição de construção de templos e fechamento...isso procede Lucas?pelo o que parece que os evangélicos estão com seus dias contados, já que as Testemunhas Jeová o congresso não sei se é verdade foram banidos na Rússia.é verdade que a Igreja Ortodoxa e o Presidente Vladimir Putin estar por detrás disso Irmão?Fica com Deus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu acho difícil, pois os evangélicos existem a muito tempo na Russia, antes mesmo da revolução. Eu acho que é pq o presidente da Russia quer criar uma doutrina patriótica por causa das coisas que estão acontecendo no país e testemunha de Jeová não serve a o estado.

      Excluir
    2. Até onde eu sei, só os Testemunhas de Jeová é que estão sendo perseguidos na Rússia. Não creio que o Putin vá entrar em uma cruzada contra todos os evangélicos. Mas o tempo dirá...

      Excluir
    3. Conheço a política russa e posso dizer um pouco sobre o que está ocorrendo:

      1-O Ministério da Justiça Russo que alegou que os Testemunhas de Jeová eram radicais. A decisão da Suprema Corte Russa remete apenas ao T.J.
      2°-O que ocorre por lá, é sim,uma restrição à abertura de igrejas,como se abrisse uma loja. Ou seja, a banalização.
      3°'Não existe perseguição aos evangélicos. O que existe, é que 80% da população,sendo Ortodoxa,obviamente possuem suas divergências com as demais vertentes cristãs. Que eu saiba,na Rússia há mais evangélicos que católicos;
      4°-Putin é Ortodoxo sim,como por meio do Governo dele,houve uma ascenção da Igreja Ortodoxa na Russia(atualmente sua taxa de aprovação beira 81%).Agora,dizer que os evangélicos estão com os dias contados é demais kkkkk.

      PS:Parece que no dia 17,as Testemunhas de Jeová perderam o recurso,o que já passa a valer a decisão da Corte mais alta da Rússia. Eles tentarão apelar para os Órgãos Internacionais,mas acho que não vai dar em nada.

      Excluir
  45. Olá, Lucas.Lucas me tire uma dúvida sobre a questão da divindade de Cristo.é correto afirmar que Maria foi mãe de Deus que no grego os católicos chamam de Teotokos.não é errado afirma que Maria era mãe de Jesus só humano? já que a natureza de Cristo não se separa e no calvário o Cristo que morreu foi humano ou divino?nós evangélicos poderíamos falar que quem morreu na cruz foi o Jesus Deus homem e não Jesus homem...por que essa mentalidade de falar Cristo homem é características do herege ÁRIO.O que me diz a essas duas perguntas?Abs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "...nós evangélicos poderíamos falar que quem morreu na cruz foi o Jesus Deus homem e não Jesus homem"

      Como assim Deus morre?

      "Ora, ao Rei dos séculos, IMORTAL, invisível, ao único Deus sábio, seja honra e glória para todo o sempre. Amém" (1 Timóteo 1:17)

      Deus não morre, Deus não passa a existir, Deus não nasce depois de nove meses, Deus não tem "mãe". O homem Jesus sim.

      Excluir
  46. Paz, Irmão, de vez em quando sua orelha não queima? Respondendo ao Yahoo Resposta encontro um fã da condessa que pelo jeito te odeia com todas as forças, dá uma olhada https://br.answers.yahoo.com/question/index?qid=20170720192325AALydO5

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esses caras são literalmente LOUCOS. O fanatismo já corroeu o cérebro deles. Pelo menos servem para uma coisa: nos divertir.

      Excluir
  47. Lucas; mudando um pouco de assunto, eu gostaria de saber a sua opinião sobre o professor Fábio Sabino.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não vou dizer que ele é um "herege", porque herege é um termo aplicado a supostos cristãos, e o Fábio Sabino é assumidamente um não-cristão, que já disse inclusive que Jesus era filho do diabo, que Paulo era um mentiroso e falso apóstolo, dentre outras maluquices do tipo. O único objetivo do "ministério" dele é atacar a Bíblia a todo e a qualquer custo. Ou melhor: ganhar dinheiro vendendo seus dvd's e livros por um preço muito acima da faixa, em cima dos trouxas que caem nesses embustes. Não tem critério e nem rigor científico, dá razão a qualquer tese mirabolante ou a qualquer coisa pouco provável e consistente para já sair atirando para todos os lados. E eu nem vou comentar sobre os "debates" dele por hangout, onde ele é o debatedor, o moderador e o juiz ao mesmo tempo, que grita o tempo todo e não deixa os outros falarem, senão aquilo que ele quer ouvir.

      Você postou um outro comentário aqui sobre o Felipe Aquino que eu não publiquei por vir com um link católico (coisa proibida pelas regras do blog), mas respondendo por aqui mesmo: aqueles vídeos dele não tem nada a ver comigo, não foram uma resposta a mim, inclusive eram vídeos feitos muitos anos antes de eu escrever sobre o tema. O que acontece é que um desocupado qualquer saiu por aí caçando qualquer vídeo na internet que "me refutasse", mesmo sem ter nada a ver com o que eu dizia no texto, juntou tudo numa salada de frutas sem pé nem cabeça e postou lá como uma suposta "refutação" a mim. Eu nem aguentei assistir de tão ridículo que é. Abs.

      Excluir
    2. Pois é. Em relação ao Fábio Sabino, acredito que muitos leigos se incoomadam com ele por causa forma como ele analisa os textos bíblicos. Ele procura fazer uma análise exegética através dos textos mais próximos dos originais, e isso acaba atraindo muita gente que tem uma predisposição cética e que busca qualquer material que "refute" aquilo que o cristianismo ensina ou que mostre alguma verdade não revelada sobre o texto bíblico.
      Fabio Sabino afirma que sua teologia não tem influência de qualquer ideologia. Ele afirma que as suas análises são imparciais, o que é falso, pois a sua teologia parte de um princípio liberal, que é carregado de pré conceitos.
      O mais interessante é que esse sujeito já foi da assembléia de Deus e afirma ter saoído da igreja por causa do "sistema religioso". ABS.

      Excluir
    3. Exato, alguém que tem por objetivo "destruir a Bíblia" e as bases da fé cristã não é alguém "imparcial", mas alguém tão parcial quanto aqueles que a defendem ferrenhamente. Na verdade, como você bem colocou, a própria corrente liberal na qual ele foi ensinado e que agora transmite adiante parte deste pressuposto, de que a Bíblia mente, engana, é corrompida, adulterada, falsa, etc. Então ele busca qualquer bobeira para fundamentar essas acusações e acaba ludibriando os mais leigos com o conhecimento de grego que ele possui, o que para alguns denota alguma "autoridade" por si só, como se pelo fato de saber grego já significasse que soubesse do que está falando ou que devesse ser levado mais a sério do que os outros, independentemente dos argumentos apresentados, que são sempre bastante rasos, forçados e tendenciosos. Abs.

      Excluir
    4. Desde muito tempo caras muito mais qualificados que o Sabino já tentaram e não conseguiram. Um picareta que nem ele não vai conseguir.

      Excluir
  48. Márcia Araújo-Jundiaí21 de julho de 2017 14:58

    Lucas, a paz de Cristo querido.queria que fizesse uma sistematização das 5 Solas da reforma mesmo que de forma resumida em seu blog será muito útil pra nossa comunidade...já que tem evangélicos que acessam muito seu blog, digo isto por que este ano é o ano da Reforma e os católicos de plantão o Cris Macabesta , o conde Leonardo, Maurício Ribeiro, Cláudio Campos estão detonando o conceito verdadeiro das 5 Solas da Reforma.Abs e fica na graça de Cristo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As cinco solas são bastante simples, você pode ver um resumo aqui:

      http://www.monergismo.com/textos/cinco_solas/cinco_solas_reforma_erosao.htm

      O desenvolvimento delas (com argumentos, refutações, etc) você pode ver nos temas deste blog (por exemplo, o meu livro sobre a Sola Scriptura, os artigos sobre a Sola Fide, etc), ou nessa lista temática:

      http://www.lucasbanzoli.com/2015/07/artigos-sobre-catolicismo.html

      Abs!

      Excluir
  49. Olá Lucas. Recentemente eu tenho lido sobre, e assistido alguns videos do Daniel B. Wallace, e vi que ele concorda com o Bart D. Ehrman, de que verdadeiramente os escribas fizeram alterações na Bíblia. Ouvir isso de um especialista como ele é espantoso. Quando isso é dito por um liberal, costumamos ignorar. Mas quando é dito por um cristão verdadeiro, ficamos de orelha em pé. Eu creio que Deus deu livre-arbítrio ao homem. Caso contrário, Ele é que é o autor do mal, e não o diabo. Mas será que Deus deu um livre-arbítrio total e exaustivo ao ser humano, de modo a deixar hereges ou pagãos desfigurarem a Santa Palavra dEle? Talvez seja esse o motivo de algumas supostas contradições da Bíblia. Porque na verdade existe muitas passagens difíceis de se entender. Eu fico pensativo sobre isso. Não que eu esteja perdendo a minha fé, ou que não creia que a Bíblia é a palavra de Deus. Eu creio. Mas dá pra ficarmos pensativos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Responderei em breve em forma de vídeo, achei a sua pergunta pertinente para tal. Quando postá-lo, porei o link aqui no comentário. Abs.

      Excluir
    2. Valeu irmão. Agradeço muito. Deus te abençoe.

      Excluir
    3. Aqui está:

      https://www.youtube.com/watch?v=KncIpLC0Mho&feature=youtu.be

      Abs!

      Excluir
    4. Muito bom. Vídeo bastante esclarecedor. Depois do que você disse, eu tive pensando: se os monges católicos adulteraram maldosamente a Bíblia, então por que, por exemplo, não colocaram os evangelhos gnósticos que dizem que Maria permaneceu virgem, que foi assunta aos céus em corpo, entre outras coisas do tipo? Nesse caso, qual seria a finalidade da "adulteração"? Imaginar alguém que faça uma adulteração que não traga nenhum benefício não faz sentido. Se eles tivessem falsificado com más intenções, teriam colocado coisas que apoiavam suas crenças, como imaculada conceição, assunção, etc. O que acha? Muito obrigado pelos esclarecimentos. Abs!

      Excluir
    5. Exatamente... se tivessem adulterado a Bíblia de forma proposital e intencionada teriam obviamente incluído as doutrinas peculiares ao catolicismo romano, teriam exaltado o papado, teriam glorificado Maria tal como nos livros de Afonso de Ligório e de S. Luís de Montfort, teriam dado uma ênfase total à Igreja de Roma em detrimento a todas as demais, teriam botado purgatório, limbo, imaculada conceição, assunção de Maria, batismo infantil, culto aos mortos e oração aos mortos, intercessão dos santos e todas as outras doutrinas de forma tão clara que sequer haveria debate hoje, nem mesmo existiria a Reforma, e muito menos haveria milhões de pessoas se convertendo no mundo todo apenas por ler a Bíblia. Abs!

      Excluir
    6. Anônimo, eles não falsificaram mais porque quando o catolicismo apareceu a Escritura já estava pronta. Não seria fácil incluir outros livros no meio daqueles já canonizados. Porém, isso não impediu que palavras e nomes fossem trocados, e foi isso que fez o catolicismo. Eles adulteraram manuscritos inserindo algumas palavras e tirando outras. O problema é que muitas, se nao todas as alterações, foram descobertas e refutadas.

      Excluir
    7. Al Franco, poderia citar alguns exemplos dessas alterações?

      Excluir
    8. Com todo prazer. Vou reunir aqui alguns e envio para você em breve. Pode até demorar um pouquinho, mas nunca deixei ninguém sem resposta.

      Al Franco

      Excluir
    9. Al Franco, então isso significa que:

      1. Você e o Lucas Banzoli divergem sobre isso, pois, pelo que parece, você crê que os católicos fizeram falsificações intencionais;

      2. A Bíblia não é infalível, nem inerrante, pelo mesmo motivo já dito (falsificações intencionais).

      Os dois pontos estão corretos?

      Excluir
    10. Anônimo, eu entendo da seguinte forma. Toda falsificação tenta parecer o mais fiel possível com a original. Quanto mais próximo, melhor. Eles não inseriram livros inteiros ou fizeram alterações grosseiras porque qualquer um que lesse iria perceber a deformação causada. Foram sutis, mas mesmo assim, foram percebidos, mesmo que com alguma demora.

      Excluir
  50. Olá Lucas, Eu ouvi um padre católico afirmar que "os católicos deveriam afasta-se da cultura protestante" e me parece ser esse o seu pensamento em relação aos católicos (Me desculpe se eu estiver errado). Logo eu te pergunto: Você acredita sinceramente que o melhor caminho é esse? Você crê na possibilidade de convivência sem concessões? É utópico pensar em entendimento e respeito mútuo? Você crê que a defesa da sã doutrina é tão importante que se faz necessário "cada qual pro seu lado"? obrigado amigo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não disse "cada um pro seu lado" neste sentido de não se respeitar e nem conviver juntos, mas sim "cada um pro seu lado" no que se refere às doutrinas, aos pontos de fé. Não sei por que alguns pensam que para haver convivência e respeito é necessário que se façam concessões teológicas ao lado contrário, isso é um completo devaneio, é perfeitamente possível que duas correntes teológicas distintas convivam em harmonia em uma mesma sociedade sem que seja necessário que uma delas seja exterminada (seja através da espada, como nos velhos tempos, ou através das "concessões", como nos tempos modernos). Eu posso ser amigo de um católico, conviver com um católico e respeitar um católico mesmo sem concordar uma uma vírgula da teologia dele (e vice-versa), da mesma forma que eu posso conviver com um corinthiano sendo são-paulino (sem precisar torcer para o Corinthians), ou com um esquerdista sendo conservador (sem precisar aderir a pautas esquerdistas), e assim por diante. O respeito não implica em concordância, na verdade é justamente o contrário, só é necessário haver tolerância e respeito com o contraditório, pois ninguém fala em "respeitar" ou "tolerar" aquilo que já concorda. Abs!

      Excluir
  51. Lucas, eu te aconselho a fazer um artigo sobre as mulheres da Galileia mencionadas nas Escrituras. Uma delas, mãe de Tiago, estava na cena da crucificação. Ela é CITADA AO LADO DE MARIA MADALENA em Marcos 15:40

    "Também ali estavam algumas mulheres olhando de longe, entre elas Maria Madalena, Maria, mãe de Tiago, o menor, e Jose, e Salomé".

    O verso seguinte avisa de onde ela era: DA GALILEIA!

    "... as quais (Maria Madalena, Maria, mãe de Tiago, o menor, e José, e Salomé) o seguiam e o SERVIAM quando ele estava na Galiléia; e muitas outras que tinham subido com ele a Jerusalém".

    Maria mãe de Tiago é da Galileia, não de Emaus!

    Isso fala mais alto do que qualquer documento do século 1.

    Interessante que a mãe de Jesus é vista AO LADO DE MARIA MADALENA em João 19:25:

    "Estavam em pé, junto à cruz de Jesus, sua mãe, a irmã de sua mãe, Maria, mulher de Cleofas, e Maria Madalena.
    João:19:25.

    Onde está Maria MÃE DE TIAGO em João?

    aqui ELA FOI CITADA COMO MÃE DE JESUS, mas em Marcos como mãe de Tiago para identifica-lá como a mesma pessoa.

    Esse Tiago é filho de MARIA com José!

    Se ele é citado como filho de Maria, então não pode ser filho de José de um casamento anterior.

    Ja tive que ler vários absurdos proposto pelo catolicismo. Um deles alega até que Maria ficou viúva de Jose, mas como José tinha um irmão chamado Cleofas, este, para cumprir a lei do levirato, casou-se com a mãe de Jesus e trouxe os filhos do casamento anterior. Ou seja, agora o catolicismo matou também a mulher de Cleofas para deixar ele viúvo e casar com Maria.

    As esposas dessa gente morrem fácil demais. Quem era a mulher anterior de José? Se José teve filhos de um casamento anterior, obviamente tinha uma esposa. Quem é ela? Não sei, só o catolicismo sabe. Eles mataram ela também!

    No fim das contas ficou todo mundo viuvo, e morto?

    E por fim, mataram também a mulher de Pedro!

    Eles matam quem eles quiseram para sustentar suas doutrinas

    A genealogia de Jesus em Mateus e Lucas não acha espaço para José ter outro casamento. Ele é citado em linha direta com Maria quando começa em Abraão (Mateus 1:1 e 16). Além disso, nós contamos quatorze gerações até o Cristo.

    "De sorte que todas as gerações, desde Abraão até Davi, são catorze gerações; e desde Davi até a deportação para Babilônia, catorze gerações; e desde a deportação para Babilônia até o Cristo, catorze gerações", Mateus:1:17

    Não há uma geração entre José e Maria. José só passou a ter filhos depois que tomou por esposa Maria.

    Desenvolve isso e faça um artigo mais amplo, se lhe interessar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você tem muito mais capacidade de desenvolver esse assunto do que eu, se quiser eu posso publicar no blog. Abs!

      Excluir
    2. Então fica como resposta para o apologista catolico o contexto de Marcos 15:40,41, que aponta MARIA, mãe de Jesus, também como mãe de Tiago. Se ele não crer o problema não vai ser meu. Já perdi muito tempo com esse povo. São quase 15 anos jogando pérolas aos porcos. Meu tempo é precioso, tenho mais o que fazer.

      Eu vou deixar ela (Maria) sozinha dentro da passagem. É necessário fazer isso, pois eles só entendem se desenhar:

      "Também ali estavam algumas mulheres olhando de longe, entre elas Maria, mãe de Tiago ... a qual o seguia e o SERVIA quando ele estava na Galiléia...".

      Mais pérolas... vão pisar nessas também!

      Alon








      Excluir
  52. Olá, Lucas.irmão tira uma dúvida que é qual a diferença entre Escritura e Inspiração?faço essa pergunta porque os católicos nos acusam de nós 'não sabermos fazer a distinção entre o que é inspirado e escrito'.já que nós evangélicos acreditamos que somente no que estar escrito é suficiente pra nossa salvação.Abs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dizer que existe diferença entre "Escritura" e "inspiração" implica em sustentar que há coisas não-inspiradas na Escritura, ou seja, partes inteiramente humanas sem qualquer desígnio divino, como se fosse só mais um livro como qualquer outro. Isso é um absurdo e é refutado pelo próprio apóstolo Paulo:

      “TODA A ESCRITURA É DIVINAMENTE INSPIRADA, e proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça; Para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra” (2ª Timóteo 3:16-17)

      Abs.

      Excluir
  53. Lucas, a paz irmão.queria saber se procede que na época quando Calvino morreu os Calvinistas na França era de 35 por cento em 1564?Os Protestantes tava com essa força nessa época na França?quem falou sobre isso foi o Pastor Batista de linha Reformada Calvinista Franklin Ferreira.na época da Revolução Francesa tinha muitos Protestantes?é verdade que na Revolução morreram aprox.80 mil evangélicos e Universidades, escolas, Igrejas foram destruídas?Qual foi o verdadeiro motivo dessa Revolução?Fica na graça de Jesus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sei qual o percentual ao certo porque nunca vi um percentual em um livro, mas pelo o que eles descrevem, dificilmente teria chegado a 35%, os protestantes na França sempre foram minoria, nunca foram tão representativos assim. Sobre a Revolução Francesa, esses dados são impossíveis, visto que a revolução matou entre 17 e 40 mil pessoas ao todo, então não teria a mínima chance de ter matado 80 mil só de protestantes. Abs!

      Excluir
  54. Lucas, o que vc acha dos livros do Pastor Silas Malafaia (caso você já tenha lido algum)? Aguardo a sua resposta. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nunca li um livro teólogico dele, só um sobre evolucionismo vs criacionismo há muito tempo atrás. Aqui em casa chegam livros dele todos os meses porque meus pais são colaboradores do ministério dele e por isso ele envia esses livros "de graça", mas eu nunca me motivei a ler, porque o título é sempre coisas como "Os passos para o sucesso", "O segredo da prosperidade", "Você nasceu pra vencer", e coisas do tipo (não que os títulos sejam exatamente esses, não me lembro como eram ao certo, mas eram deste teor, o que já me desanima de antemão). Abs!

      Excluir
  55. O padre Paulo Ricardo é um bom humorista: https://www.facebook.com/pg/caiafarsadocaiafarsa/videos/?ref=page_internal

    Rindo até 2020 kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas eu concordo totalmente com ele: a Bíblia é "CAMPO INIMIGO" dos católicos mesmo, ou algum outro livro já trouxe tanta gente ao protestantismo quanto ela? É por isso que eles a perseguiram, a esconderam e a proibiram por tanto tempo, e até hoje não recomendam a leitura senão com a lavagem cerebral prévia dos padres. Ele está certíssimo!

      Excluir
    2. Agora que vc aprovou o meu comentário e que eu entrei no link que eu tinha mandado, é que vi que apareceu todos os videos da página, e não o que eu tinha em mente. O que eu queria que vc vesse é o video: "Veja o que este padre falou sobre Maria !!!" e tem 3:43 minutos. Uma das coisas que ele diz, é que Maria "tem uma presença em todos os lugares, mas não por onipresença". Assista todo o video. Vc vai rir.

      Excluir
    3. Esse padre é o mestre supremo na arte de enganar otários, como alguém em sã consciência consegue dar ouvidos a isso? O cara literalmente afirma sentenças expressamente contraditórias com uma linha de raciocínio ridícula e uma filosofia esdrúxula, sem falar de uma teologia sem fundamento que sequer se dedica a abrir a Bíblia, e ainda tem gente tonta que cai numa dessas, eu não me conformo. "Não é onipresente, mas está em todos os lugares", isso é o mesmo que dizer: "Abra mão de pensar e apenas confie em mim".

      Excluir
  56. Olha isso, Lucas. Agora já não é mais Maria que os católicos invocam. Até João Paulo II. E diz que é "efetivo". Se é efetivo, então não precisam de Jesus. http://cleofas.com.br/invocar-a-joao-paulo-ii-e-efetivo-contra-o-diabo-diz-famoso-exorcista/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkkkkkkkk

      Depois dessa, eu já estou pensando seriamente em deixar de orar a Deus para rezar ao João Paulo II, quem sabe é mais eficaz (#sqn).

      Excluir
    2. kkkkk verdade. Você já prestou atenção que os católicos se assemelham muito ao espiritismo? Da mesma forma que os espíritas invocam espíritos de pessoas falecidas, os católicos fazem o mesmo quando invocam os santos mortos. Os católicos não tem moral pra criticar os espíritas, pois eles fazem o mesmo. Os espíritas dizem que eles falam com o espírito dos seus familiares. Já os católicos dizem que falou com uma pessoa da família, em que essa pessoa pedia missa. Os espíritas fazem oferenda às entidades para receber "proteção", e os católicos fazem promessas e dão ofertas aos santos para conseguirem "proteção".Qual a diferença? Nenhuma. Na minha opinião, o catolicismo pode ser considerado uma religião espírita. Pra deixar os apologistas católicos espumando pela boca, de raiva, você poderia escrever um artigo mostrando toda a semelhança entre o catolicismo e o espiritismo. Um bom tema seria: CATOLICISMO, UMA RELIGIÃO ESPÍRITA. Ou um outro tema da sua preferencia, que tratasse de pontos como esses que eu já falei.

      Um grande abraço.

      Excluir
    3. Muito bem observado, é assim mesmo. E obrigado pela boa sugestão de artigo, irei elaborar algo logo que possível. Abs!

      Excluir
  57. Lucas, o "não há um justo" de Romanos 3 ainda serve para o cristão convertido? Se sim, então o "não há quem busque a Deus" tbm se refere aos convertidos? Ou essas passagens apenas se referem a não convertidos (até porque o cristão busca a Deus)?
    Agradeço a resposta, abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Diz respeito à condição de qualquer pessoa à parte da justiça de Cristo que nos é imputada (ou seja, à nossa própria natureza "per se"). Até mesmo o cristão, se não fosse pela justiça de Cristo que nos é imputada e pela constante presença do Espírito Santo em nosso ser, não passa de um grande pecador ímpio sem qualquer interesse pelas coisas de Deus. É só com a graça de Deus que as coisas mudam. Abs!

      Excluir
  58. Olá, meu irmão em Cristo.Lucas é verdade que o Pai da Igreja chamado Taciano acreditava na imortalidade relativa, ou seja, que a alma do incrédulo morre junto com o corpo e que na ressurreição ressuscitam os dois juntos e vão para o inferno e lá no inferno morreria na imortalidade? se for verdade ele era muito 'louco'.Abs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Louco por que? Só porque contraria as teses tradicionais provenientes de sincretismo pagão? E não era só Taciano que pensava assim, mas todos os primeiros Pais.

      Excluir
    2. Isso que você chama de "sincretismo pagão" não tem nada a ver com a doutrina bíblica da imortalidade da alma. O que Platão e outros criam era em uma alma eterna. Isso sim é absurdo, pois eternidade é um dos atributos incomunicáveis de Deus. Eles criam na pre-existência das almas. Diante de ensinamentos tão heréticos, não é de admirar que os primeiros Pais tenham mostrado resistência até mesmo a ideia da alma sobreviver à morte do corpo, mesmo sem referencia a eternidade das mesmas. Mas os Pais do século II em diante já compreendiam bem a visão bíblica, diferenciando do paganismo.

      Até mais irmão!!!

      Excluir
    3. Primeiro que não existe uma "doutrina bíblica da imortalidade da alma", porque se existe uma doutrina que pode ser considerada antibíblica, é essa. 1.200 páginas de livros que escrevi, centenas de artigos, de teses e milhares de textos bíblicos que eu já mostrei e publiquei em diversas ocasiões são nada em comparado com tudo o que poderia ser desenvolvido sobre esse tema que é um dos maiores engodos já inventados.

      Segundo: nenhum Pai da Igreja dos que eu cito em meu livro "Os Pais da Igreja contra a Imortalidade da Alma" (na lista de mortalistas) era contra apenas o conceito platônico de alma pré-existente; em vez disso, se posicionavam contra o próprio conceito de imortalidade da alma em si, como por exemplo afirmando que só entraríamos na vida eterna depois da ressurreição, que os ímpios deixariam de existir, que no ato de morrer as almas não seriam elevadas ao céu, que na morte a alma se dissolve com o corpo, que na ressurreição a alma ressuscita assim como o corpo, que o reencontro entre os cristãos depois da morte seria na ressurreição e não antes, dentre diversas outras afirmações categóricas que não tem nada a ver com a pré-existência das almas. Este é apenas um espantalho tosco criado para uma refutação artificial e fantasiosa ao mortalismo bíblico. Fossem aqueles Pais contra apenas isso, e eles teriam dito de forma bem clara que não existe pré-existência e pronto, não precisariam dizer mais nada. Felizmente você reconhece que "os primeiros Pais mostraram resistência até mesmo á ideia da alma sobreviver à morte do corpo", então não está tão distante da verdade como a maioria.

      Excluir
    4. Pai da Igreja Taciano? Por acaso é irmão do Cassiano?

      https://youtu.be/PJRwfZxXGWI

      Excluir
    5. Exato, é esse aí mesmo, o irmão do Cassiano...

      Excluir
  59. Lucas Banzoli é verdade que na época de Inácio de Antioquia,já existia o conceito de 'Bispo Monárquico',ou seja, não era mais um colegiado de bispos independentes que dirigiam a igreja mas, um bispo?digo isto porque tem um primo meu que é Teólogo católico e ele me disse esse pensamento de BISPO MONÁRQUICO,OU SEJA, O PAPA essa definição já era bem difundida.isso é verdade?o que de fato Inácio quis dizer com o termo BISPO MONÁRQUICO?Abraço e fica na graça de Deus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Veja aqui:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2014/02/inacio-de-antioquia-reconhecia-um.html

      Abs!

      Excluir
  60. Lucas, por que o arianismo foi tão combatido no início do cristianismo, inclusive com convocação de concílios enquanto os dogmas marianos foram aceitos aparentemente sem restrições? (Obs NÃO sou católico)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Porque os dogmas marianos não existiam "no início do Cristianismo". Foram criações tardias, de época bem posterior a esses Pais da Igreja que combateram o arianismo no século IV. E a Igreja dessa época (dos dogmas marianos) já estava corrompida o suficiente para aceitar a intromissão de doutrinas tão falsas e descaradas, porque já era literalmente um fantoche do diabo, uma marionete que o maligno usava para os seus próprios fins.

      Excluir
  61. Olá Lucas, você já deixou claro sua opinião sobre a "teologia da prosperidade" (contra), entretanto, a meu ver, o natural de qualquer cristão é prosperar porque, em tese, ele leva uma série de vantagens em relação ao não cristão: O cristão é (ou deve ser) trabalhador. O cristão não gasta seu dinheiro com vícios. O cristão é inteligente e gosta de estudar -
    exemplo Banzoli :). O cristão tem paz no coração (portanto rende melhor). O cristão é humilde e aceita hierarquia. O cristão é honesto e transmite confiança. O cristão é cortês e exala o bom cheiro de Cristo (...) Pra mim essas, e muitas outras, são características imprescindíveis a qualquer pessoa que honre o nome de Cristo e tais características dão vantagem (inclusive econômica) sobre quem não as possui. Você concorda? obrigado amigo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo totalmente com você, o que eu me refiro é a acumular essas riquezas conquistadas na terra para si próprio, quando o meu entendimento é em ajudar os mais necessitados com esse "excedente". Eu não teria nada contra acumular tudo para mim somente, se o mundo todo fosse rico e próspero. Mas no mundo em que vivemos, acumular tudo para mim quando há tanta gente passando fome eu acho imoral. E é por isso que a Bíblia bate tanto na tecla de não acumular tesouros na terra, sobre dividir com os pobres, etc. O mundo da época não era muito diferente do nosso neste quesito. Abs.

      Excluir
  62. Lucas porque seu artigo semanal está demorando tanto ? E possível ser moralista e calvinista ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Lucas porque seu artigo semanal está demorando tanto?"

      Em parte por causa das provas finais do semestre na faculdade, em parte porque decidi voltar a focar mais nos vídeos do que nos artigos novamente (embora isso seja temporário como todas as vezes que eu decido fazer vídeos), e em parte por uma razão mais pessoal (mas que não é nada ruim).

      "É possível ser moralista e calvinista?"

      Levando em consideração a sua correção abaixo ("mortalista" em vez de "moralista"), com certeza. E se fosse "moralista" também, é claro ;p

      Excluir
  63. Correção : Mortalista e calvinista ?

    ResponderExcluir
  64. Alon, politicamente, você é de direita ou de esquerda?

    Você é a favor ou contra o porte de armas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não gosto e nem discuto política. Me considere de direita.

      Sou extremamente contra o porte de armas.

      Excluir
    2. A propósito, Anônimo, por quê perguntou?

      Excluir
  65. Lucas Banzoli, veja aqui uma adulteração descarada feita nas Escrituras pelo Catolicismo Romano. A confissão é de um papa:

    https://religiaopura.com.br/papa-confessa-no-seu-livro-que-o-texto-de-mateus-2819-veio-da-cidade-de-roma-e-foi-inventado-pela-igreja-catolica/

    Alon

    ResponderExcluir
  66. Lucas, a paz de Cristo.Banzoli é verdade que o iluminismo existiu foi por causa da Reforma devido a divisão entre católicos e evangélicos , qual foi de fato o real motivo do iluminismo?já que os católicos falam isso que a culpa do iluminismo e o comunismo de terem se estalado pelo mundo foi por causa por causa da Reforma. tire essa dúvida?Fica com Deus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sobre essa aberração de relacionar comunismo e ateísmo ao protestantismo, já refutei aqui:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2015/12/o-protestantismo-e-o-pai-do-comunismo-e.html

      Sobre o iluminismo especificamente, onde foi que ele teve a sua maior expressão, que se tornou mais conhecido e que teve maior impacto? Na França, um dos maiores países católicos da época. Isso já deveria bastar para calar a boca desse bando de doentes.

      Excluir
  67. Olá, Lucas.Lucas é verdade que os católicos dizem que os cristãos nos primeiros séculos prestavam culto ou veneração as imagens dos santos nas catacumbas?o que aconteceu mesmo? será que já nesse tempo os cristãos estavam se afastando das verdades do evangelho?AbS Luquinhas e fica com o nosso Senhor Jesus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não, não haviam imagens de escultura nas catacumbas, apenas desenhos.

      Excluir
  68. Lucas, no seu dia-a-dia, alguma vez você foi reconhecido por algum católico fanático e foi xingado, discriminado ou passou por alguma situação constrangedora pelo fato de possuir um blog anticatólico? Se sim gostaria de relatar?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nah, primeiro porque eu não sou nenhuma pessoa famosa, e mesmo que fosse eu duvido que algum católico mesmo que fanático faria uma coisa dessas, porque esses tridentinos raivosos são "corajosos" apenas atrás de um computador, mas na vida real não tem vida social e muito menos tem peito para intimidar alguém, são como cães que latem atrás da grade mas que sem ela não ousam partir para cima de ninguém (como no vídeo abaixo, que exemplifica muito bem esse tipo de gente):

      https://www.youtube.com/watch?v=Vu38lbNXDsI

      Excluir
  69. Lucas, Certa vez, vi um preletor afirmar que os discípulos de Jesus andavam armados, citando o evento onde Pedro corta o orelha do servo do sumo sacerdote e que portanto, segundo o raciocínio dele, o porte de arma tem o apoio da Bíblia. O que você acha?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas isso é ignorar a própria reação que Jesus teve quando Pedro fez isso:

      "Então Jesus disse-lhe: Embainha a tua espada; porque todos os que lançarem mão da espada, à espada morrerão" (Mateus 26:52)

      Talvez Pedro tenha interpretado errado as palavras de Jesus em Lucas 22:36, e por isso andou com uma espada naquela ocasião, mas se ele não poderia usar a espada (nem para proteger Jesus), então é porque as palavras de Jesus eram em sentido espiritual e Pedro erroneamente as interpretou em sentido literal. O que não significa ser a favor ou contra o porte de armas nos dias de hoje, que é um assunto de ordem política que não tem absolutamente nada a ver com teologia, é bom não misturar as coisas. Eu pessoalmente sou contra o desarmamento em um país tão atrasado e com níveis de criminalidade tão altos como o Brasil, mas eu não vou distorcer a Bíblia para tentar fundamentar esse meu entendimento político.

      Excluir
  70. Lucas, me tire uma dúvida. em João capitulo 5, versículo 4, fala de um anjo que agitava a água em um tanque chamado betesda e o primeiro que descia depois do movimento das águas ficava curado. O autor estava descrevendo uma lenda existente na época ou tal evento ocorria literalmente como foi descrito? Se for literal, por que somente o primeiro era curado? Obrigado amigo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu entendo como sendo literal pois não vejo evidências textuais de que o autor estivesse apenas retratando uma crendice dos judeus e não uma realidade, e dificilmente uma crendice popular iria ter um status tão elevado ao ponto de tanta gente se reunir naquele lugar buscando a cura, se as curas não existissem mesmo (ainda mais em se tratando de um povo que já naquela época não era conhecido por ser supersticioso). Exceto se o texto for um enxerto posterior, o que o Jamieson-Fausset-Brown Bible Commentary mostra ser possível, visto que Jo 5:4 não está presente em alguns bons manuscritos antigos, mas o próprio autor alega ser mais forte as evidências da autenticidade:

      http://biblehub.com/john/5-4.htm

      O porquê que só uma pessoa era curada e só de vez em quando, talvez estivesse atrelado à própria cura de Cristo, de um paralítico que não podia de modo algum ser o primeiro a entrar no tanque, mas Jesus o curou mesmo assim, corroborando o fato de que ele veio para os "últimos" e não para os "primeiros", e que todos podem alcançar a cura se tiverem fé, em vez de apenas alguns de vez em quando. Ao curar aquele que não tinha nenhuma possibilidade de conseguir a cura "sozinho" (isto é, sendo o primeiro a entrar no tanque), Jesus se coloca acima do tanque, acima do anjo que agitava as águas, acima das limitações humanas, e do lado dos mais desfavorecidos.

      Abs.

      Excluir
  71. Olá Lucas, eu certa vez enquanto via um dos seus artigos, vi num site católico que citou as Bruxas de Salém, na qual os puritanos (protestantes calvinistas ingleses) perseguiram sem prova alguma, só uns falsos testemunhos, eles se utilizaram desse caso para justificar a tal "Inquisição protestante", sendo que a própria Igreja Católica perseguiu e acusou muito mais gente acusada de bruxaria que os protestantes, o que você acha do caso das Bruxas de Salém, e como você reage quando um apologista católico cita esse caso da tal "Inquisição protestante"? Abraços a paz esteja com você

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Apenas vinte "bruxas" foram mortas pelos protestantes em Salém. Não vinte milhões, nem vinte mil, mas vinte mesmo. E quem diz isso não sou eu, mas este site católico apologético e antiprotestante:

      http://portalconservador.com/o-julgamento-das-bruxas-de-salem/

      Em contrapartida, se pesquisar em qualquer livro de história verá que (pelo menos) milhares de bruxas foram mortas nos países católicos, que por sinal já caçavam as "bruxas" antes dos protestantes, que infelizmente em parte acabaram comprando o pensamento supersticioso dos católicos de sua época e pensando que bruxas existiam e que por isso tinham que ser perseguidas.

      Mas não houve nem em Salém e nem em qualquer outro lugar um tribunal eclesiástico julgando alguém por crimes de heresia em países protestantes, nem a bruxaria era julgada em tribunais eclesiásticos, e a bem da verdade, nos países católicos geralmente também não (é por isso que eu distingo sempre a "Inquisição", que lidava com a heresia, e a "caça as bruxas", que era tratada por tribunais civis e não eclesiásticos). Consequentemente, não há sentido em falar em "Inquisição protestante". Inquisição foi uma instituição do catolicismo romano que consistia em um tribunal eclesiástico que julgava a heresia. No protestantismo não havia tribunais eclesiásticos julgando "crimes de heresia", e consequentemente, não havia "Inquisição". Até hoje não existiu um único católico que fosse capaz de dar o nome de algum católico que foi morto pelo crime de heresia em um tribunal protestante. Por quê? Porque não existem.

      Sobre os outros episódios que eles atribuem à uma suposta "Inquisição protestante", são todas fraudes descaradas que já foram desmascaradas por mim em muitos artigos, como por exemplo esses aqui:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2015/12/a-terrivel-monstruosa-e-abominavel.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2017/05/o-saque-de-roma-e-o-exemplo-da.html

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2017/06/mais-uma-da-fabrica-de-mentiras-da.html

      Abs.

      Excluir
  72. Anônimo 29 de julho de 2017 00:01

    Al Franco, então isso significa que:

    1. Você e o Lucas Banzoli divergem sobre isso, pois, pelo que parece, você crê que os católicos fizeram falsificações intencionais;

    2. A Bíblia não é infalível, nem inerrante, pelo mesmo motivo já dito (falsificações intencionais).

    Os dois pontos estão corretos?

    ........................................................................................

    Você é quem está totalmente incorreto!

    Eu vou aqui apenas deixar para vossa pessoa um resumo do que venho pesquisando, mas meu tempo está escasso. Por esse motivo tenho demorado nas respostas. Elas vão sair em forma de artigo no meu site.

    O maior problema hoje está nas traduções. Muitas delas foram descaradamente alteradas. Sem falar nos originais, que infelizmente foram terrivelmente sabotados. Eu poderia aqui usar alguns exemplos fora do catolicismo, mas como o assunto é catolicismo, então vou lhe dar as três maiores e mais terríveis falsificações já feitas com a Palavra de Deus para favorecer os principais dogmas romanistas.

    Veja essa tradução da ACF de Mateus 1:25

    “E não a conheceu até que deu à luz seu filho, o primogênito; e pôs-lhe por nome Jesus”.

    Agora veja a tradução da Ave Maria

    “E, sem que ele a tivesse conhecido, ela deu à luz o seu filho, que recebeu o nome de Jesus”.

    Se você me disser que algumas outras traduções católicas traduzem igual a ACF, eu simplesmente vou lhe dizer: Não quero saber!

    A outra é a clássica passagem de Mateus 16:18,19, mas primeiro eu quero que você leia os outros dois evangelistas falando a mesma coisa, omitindo, porém, a sentença sobre Pedro:

    Lucas 9

    18 E aconteceu que, estando ele só, orando, estavam com ele os discípulos; e perguntou-lhes, dizendo: Quem diz a multidão que eu sou?

    19 E, respondendo eles, disseram: João o Batista; outros, Elias, e outros que um dos antigos profetas ressuscitou.

    20 E disse-lhes: E vós, quem dizeis que eu sou? E, respondendo Pedro, disse: O Cristo de Deus.

    21 E, admoestando-os, mandou que a ninguém referissem isso

    Agora veja Marcos 8

    27 E saiu Jesus, e os seus discípulos, para as aldeias de Cesaréia de Filipe; e no caminho perguntou aos seus discípulos, dizendo: Quem dizem os homens que eu sou?

    28 E eles responderam: João o Batista; e outros: Elias; mas outros: Um dos profetas.

    29 E ele lhes disse: Mas vós, quem dizeis que eu sou? E, respondendo Pedro, lhe disse: Tu és o Cristo.

    30 E admoestou-os, para que a ninguém dissessem aquilo dele.

    Observe a alteração em Mateus. Veja como o fluxo é quebrado. Os versos de 17 a 19 nunca deveriam estar ali.

    13 E, chegando Jesus às partes de Cesaréia de Filipe, interrogou os seus discípulos, dizendo: Quem dizem os homens ser o Filho do homem?

    14 E eles disseram: Uns, João o Batista; outros, Elias; e outros, Jeremias, ou um dos profetas.

    15 Disse-lhes ele: E vós, quem dizeis que eu sou?

    16 E Simão Pedro, respondendo, disse: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo.

    17 E Jesus, respondendo, disse-lhe: Bem-aventurado és tu, Simão Barjonas, porque to não revelou a carne e o sangue, mas meu Pai, que está nos céus.

    18 Pois também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela;

    19 E eu te darei as chaves do reino dos céus; e tudo o que ligares na terra será ligado nos céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos céus.

    20 Então mandou aos seus discípulos que a ninguém dissessem que ele era Jesus o Cristo.
    Por que Marcos e Lucas omitiriam TRÊS versículos?

    Continua...

    ResponderExcluir
  73. Mateus 16: 15-16 é uma repetição literal anterior de Marcos e Lucas. Mas Mateus 16: 17-19 acrescenta toda essa parafernália católica romana sobre Pedro ter as chaves do reino e ser também a pedra. Se Jesus dá o poder de ligar e desligar a TODOS os doze em 18:18, então ele não deu a Pedro exclusivamente em 16:19. Aliás, em Mateus 18:18 Jesus dá autoridade e responsabilidade não a uma única pessoa, mas a toda a igreja - Vai lá e leia o contexto.

    Marcos e Lucas apresentam versões da mesma história, versões que omitem Jesus dizendo qualquer coisa a Pedro sobre ser a rocha. Está na cara que a intenção católica, desde séculos passados, foi a criação de um modelo petrino de igreja que se tornou excessivamente institucionalizado e patriarcal.

    Esta falsa evidência do papel de liderança de Pedro entre os apóstolos não aparece nos relatos dos outros evangelhos e interrompe o fluxo natural da passagem. Vai lá em Atos 15 que você vai encontrar Tiago exercendo autoridade máxima. O autor de Atos 15 não parece saber sobre o que foi escrito em Mateus 16: 18-19, não é? Em Gálatas 2: 11-14 Pedro cede à autoridade a outros sem problema algum!!!

    Por quê Paulo não tem nenhum problema em repreender o homem que supostamente foi dada por Jesus as chaves do reino?

    Gálatas também 2: 6 registra: "Quanto àqueles que pareciam ser importantes - o que quer que tenham sido, não faz diferença para mim, Deus não julga pela aparência externa - esses homens não adicionaram nada me acrescentaram".

    O que? Como ele pode falar assim daquele que Jesus deu as chaves do reino dos céus? Esta é mais uma passagem que demonstra a mentira de Mateus 16: 18-19. Paulo declarou duas vezes que ele era igual a todos os outros apóstolos: “Porque penso que em nada fui inferior aos mais excelentes apóstolos" (2 Coríntios 11: 5). Como? Tinha mais de um que podia ser chamado de excelente? Mas não era só Pedro? Olha o que ele diz em 2 Corintios 2:12: “ Fui néscio em gloriar-me; vós me constrangestes. Eu devia ter sido louvado por vós, visto que em nada fui inferior aos mais excelentes apóstolos, ainda que nada sou”. Tudo isso revela que Mateus 16: 18-19 foi um acréscimo posterior nas Escrituras, se não Paulo jamais falaria dessa forma.

    Outra coisa, Sr Anônimo, é duvidoso que Jesus tenha usado a palavra " igreja", já que ainda não existia; Ou existia? Mateus 16:18 diz que ele edificaria (futuro) a Igreja, não é? E por que apenas dois capítulos depois, em 18:17, diz que se um irmão tiver algo contra o outro deve levar o caso a Igreja? De um capítulo a outro Jesus edificou sua Igreja? Isso é uma provável adição tardia também. Além disso, a frase "portões do inferno" não aparece em nenhum outro lugar da Bíblia.

    Agora deixa eu dar uma pancada no nariz do Macabeus. Jesus repetidamente afirmou que ele retornaria dentro de sua geração ("alguns dos que estão aqui") - É assim que o Macabeus crê. Portanto, não haveria tempo nem necessidade de uma Igreja. Também não haveria necessidade de sucessão apostólica. Portanto, Mateus 16:18-19 não pode fazer sentido para ninguém, muito menos para os preteristas.

    E a terceira adulteração encontra-se em Mateus 28:19

    Confira aqui

    https://nascidodemulher.wordpress.com/2014/03/01/adulteracaoemmateus2819/

    Existem muitas outras, mas não vou acumular mais nada aqui, pois a maioria fala sobre a Trindade. Existem outras sobre a divindade de Maria, papado, mediação dos santos e etc., e algumas adulterações feitas no Velho Testamento, nos Livros canônicos, sem falar nos dez mandamentos, que o catecismo católico alterou na cara de todos, omitindo o segundo mandamento.

    Tenho pelo menos sete artigos para serem construídos, onde vou responder tudo isso a vocês. E vai ser através do site. Por aqui vou enviar apenas alguns resumos, mesmo assim quando tiver tempo.




    ResponderExcluir
  74. Olá Al Franco:

    "Você é quem está totalmente incorreto!"

    No que eu estou incorreto? E qual o problema em Mateus 1.25? Você não crê no nascimento virginal de Jesus?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "1. Você e o Lucas Banzoli divergem sobre isso, pois, pelo que parece, você crê que os católicos fizeram falsificações intencionais;

      2. A Bíblia não é infalível, nem inerrante, pelo mesmo motivo já dito (falsificações intencionais).
      Os dois pontos estão corretos?"

      Olá, Anônimo. Parece que você busca, com essa questão, uma contradição que comprove a falibilidade da Bíblia, ou talvez a incoerência de opiniões entre os dois. Afirmar que os dois pontos estão corretos não significa contradição plena, apenas parcial. Eu acredito que os católicos fizeram alterações propositais, porém, para azar deles, existiam outros documentos que demonstraram essas adulterações. Portanto, para fazer caber as mentiras da religião católica, alguns poucos textos foram adulterados. Quanto à primeira pergunta, quando se fala em inerrância da Bíblia, se diz sobre a informação, a mensagem, os dados, ou seja, a coisa imaterial que está descrita ali. Essa é inerrante. A transferência dessa informação para o mundo físico pode conter um ou outro erro aqui e ali que, com toda a persecução à Bíblia, demonstrou ser mínima, mas tão mínima, a ponto de ser desconsiderada como erro.

      Excluir
    2. Olá Gustavo. Está havendo um engano. Eu sou cristão assim como você, o Lucas, o Alon e muitos outros, e creio que a Bíblia é a Palavra de Deus. Não pense que eu sou um ateu ou liberal. Perguntei se os dois pontos estão corretos para mim entender o que o Alon queria dizer no primeiro comentário, sobre as falsificações que os católicos tinha feito. Nunca passou pela minha cabeça, que os católicos tinham feito adulterações na Bíblia. O mínimo que eu já tinha ouvido falar, era sobre letras trocadas nos primeiros manuscritos. Sempre imaginei que tinha sido erros acidentais dos copistas, e não que versículos inteiros, ou grupo de versículos, tinham sido inseridos deliberadamente. Na resposta do Lucas ele disse que se os católicos tivessem falsificado de forma intencionada eles teriam colocado doutrinas peculiares do catolicismo. Já o Alon disse que eles só não falsificaram mais porque quando o catolicismo surgiu a Bíblia já estava pronta e assim seria difícil colocar outros livros. Esse "não falsificaram mais porque ..." dá a ideia de algo intencional. Então eu fiquei meio sem entender e perguntei se eles divergiam nesse ponto. Mas mesmo se divergissem, não vejo problema nisso. Isso é normal. Quanto ao ponto dois "A Bíblia não é infalível, nem inerrante, pelo mesmo motivo já dito (falsificações intencionais)" eu não tô querendo provar que a Bíblia é falsa. Esse ponto não representa minha opinião. Apenas fiquei admirado com o que o Alon disse, de que 3 versículos em Mateus 16 foram acrescentados. Então eu imaginei: "será que a Bíblia é falível"? "possui adulterações"? Então perguntei se o Alon cria que a Bíblia é falível. Eu queria saber a opinião dele. Mas eu não AFIRMEI nada. Foram apenas PERGUNTAS. Quando se pergunta, é porque quer entender algo. "Parece que você busca, com essa questão, uma contradição que comprove a falibilidade da Bíblia". Não foi isso. Abs!

      Excluir
    3. Tranquilo. Me desculpe por parecer ter te acusado de algo. Eu também já tive bastantes dúvidas nesse sentido e com o tempo e estudo pude perceber que a Bíblia é mesmo inerrante. Que Deus te abençoe. Grande abraço.

      Excluir
    4. Sem problemas, meu irmão. Tudo resolvido, graças a Deus.

      Abraços!

      Excluir
  75. Anônimo que se faz de besta, não há problema algum com a tradução correta de Mateus 1:25 da ACF. O problema está com a tradução católica.

    E para sua tristeza, eu creio piamente no Nascimento Virginal, que Jesus foi concebido por obra e graça do Espírito Santo, mas tenho certeza que você não crê que ele veio em carne, que sua origem é deste mundo.

    Você crê nisso? Poderia dizer que JESUS VEIO EM CARNE? Escreve ai:JESUS VEIO EM CARNE

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alon, repito o que eu disse ao Gustavo. Está havendo um engano. Primeiramente, eu não entendi o que você quis dizer sobre a falsificação em Mateus 1.25. Quando você disse "vou lhe dar as três maiores e mais terríveis falsificações já feitas com a Palavra de Deus para favorecer os principais dogmas romanistas", e em seguida compara esse texto com uma tradução católica, eu não tava entendendo o que você quis dizer com isso. Achei que você estava chamando o nascimento virginal de Jesus de dogma romanista, e achei também que você não cria no mesmo. Foi um engano.

      "Anônimo que se faz de besta"

      São palavras duras, meu irmão. Pelo menos pra mim. Aqui no Rio Grande do Norte onde eu moro, dizer que determinada pessoa "se faz de besta", está chamando ela de hipócrita. Não sei se foi essa a sua intenção. Não sei o que essa frase significa aí onde você mora. Mas aqui, são palavras pesadas.

      "E para sua tristeza, eu creio piamente no Nascimento Virginal, que Jesus foi concebido por obra e graça do Espírito Santo"

      Para minha triteza? Eu também creio assim. Não vou ficar triste em saber que alguém também crer no mesmo que eu.

      "mas tenho certeza que você não crê que ele veio em carne"

      Creio nisso também. Eu não sou gnóstico.

      "Escreve ai:JESUS VEIO EM CARNE"

      Com prazer:
      JESUS VEIO EM CARNE, JESUS VEIO EM CARNE, JESUS VEIO EM CARNE,...

      Nós ambos entendemos mal um ao outro. Enfim, acho que tudo ficou esclarecido. Abs

      Excluir
    2. Anônimo, te peço mil desculpas pelas palavras fora de lugar. O sentido aqui é outro bem simples.

      Na verdade, minha resposta foi dirigida a outra pessoa atrás do anonimato. Essa pergunta já me foi feita antes, mas com tom de afirmação. Achei que veio da mesma pessoa, que por sinal é um tremendo mau caráter. Me desculpe mais uma vez.

      Bem, com relação as Escrituras não há necessidade de dúvidas da sua confiabilidade e infalibilidade. O problema está com as cópias das cópias das cópias. Porém, as falsificações envolvem apenas o catolicismo romano, que adulterou, pelo menos, umas 50 passagens para favorecer seu dogmas. Felizmente, como disse o Ricardo Soares, elas foram descobertas e refutadas.

      Vou lhe dar abaixo mais um exemplo...

      Excluir

    3. Em 1 Coríntios 15:3,7 o registro claramente diz que Jesus apareceu PRIMEIRO para Pedro após a ressurreição:

      Porque primeiramente vos entreguei o que também recebi: que Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras,

      E que foi sepultado, e que ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras.
      E que foi visto por Cefas, e depois pelos doze.

      Depois foi visto, uma vez, por mais de quinhentos irmãos, dos quais vive ainda a maior parte, mas alguns já dormem também.

      Depois foi visto por Tiago, depois por todos os apóstolos

      O detalhe importante no verso acima é que Paulo diz que Jesus aparece para Cefas (Pedro) antes de aparecer aos discípulos. No entanto, Pedro jamais viu o Senhor ressurreto antes dele se manifestar aos discípulos pela primeira vez.

      Lucas diz que quando Pedro foi ao sepulcro, depois de ser avisado pelas mulheres, apenas viu as vestes de Jesus (Lucas 24:12). No verso 24, na conversa com Jesus após a ressurreição, um dos discípulos de Emaús deixa claro que Pedro não viu Jesus: “E alguns dos que estavam conosco foram ao sepulcro, e acharam ser assim como as mulheres haviam dito; porém, a ele NÃO VIRAM.”

      Isso aconteceu antes da primeira aparição do Senhor aos discípulos, aquela sem Tomé. E entre a primeira e a segunda manifestação de Jesus aos discípulos, Jesus também não apareceu a Pedro em particular.

      E apesar dos discípulos do caminho de Emaús sugerir que Jesus apareceu para Simão, isso não é verdade. Eles não falaram a palavra Simão, como está no texto que conhecemos. Depois de o Senhor desaparecer da vista deles, eles voltam a Jerusalém e encontram os onze, e dizem: “Ressuscitou verdadeiramente o Senhor, e já apareceu a Simão”, Lucas 24:34.

      Continua...

      Excluir
    4. Por que eles chegariam aos discípulos dizendo que Jesus apareceu a Simão com Simão presente? Em outras palavras, pergunto: Simão estava ali antes deles chegarem e eles é que avisam aos onze – e os que estavam com eles – que Jesus apareceu a Simão? Simão Pedro não havia dito nada antes deles chegarem? Quando eles viram Jesus aparecer para Simão se estavam a caminho de Emaús e fizeram caminho de volta para Jerusalém imediatamente após o encontro com Jesus?

      Eles não estiveram com Pedro. Além disso, Pedro só saiu do local em que estava para ir ao sepulcro. Os discípulos de Emaús estavam presentes nessa hora, pois eles disseram a Jesus enquanto estavam no caminho com ele que “alguns dos que estavam conosco foram ao sepulcro… porém, a ele não o viram”.

      Se Pedro, de fato, tinha visto Cristo ressuscitado antes, e discutido com os discípulos, então sua resposta quando Cristo apareceu entre eles em Lucas 24:37 não refletiu isso porque eles estavam “aterrorizados e assustados“. Marcos 16:12 a 13 reforça seu senso de descrença, o que desacredita ainda mais uma aparição anterior para Pedro. Veja: “E depois manifestou-se de outra forma a dois deles, que iam de caminho para o campo. E, indo estes, anunciaram-no aos outros, mas nem ainda estes creram”.

      Portanto, Simão não viu mesmo o Senhor antes da primeira aparição dele aos discípulos. Os dois discípulos de Emaús não disseram de forma alguma a palavra Simão, mas “nós”. Esse é o texto original: “Ressuscitou verdadeiramente o Senhor, e já apareceu a nós”. Ou pode ser, “foi visto por nós”.

      Uma explicação dessa discrepância é que o nome “Simão” usado em Lucas 24:34 é de fato uma modificação do original que foi introduzido por estudiosos ativistas ou o clero, uma hierarquia que procurava concentrar o poder em um papado baseado na linhagem de Pedro. Se Jesus apareceu primeiro para as mulheres e depois para os dois a caminho de Emaús, enquanto a Pedro não era mostrado tal preferência especial, então o clero precisava tomar uma providência.

      O Grego Simon “Σίμων” (Strong G4613) difere apenas pelas letras iniciais de “ἡμων” (Strong’s G2257) comumente traduzido como ‘nós‘. Portanto, uma tradução de Lucas 24:34 usando esta variante, tem que ser: “Ressuscitou verdadeiramente o Senhor, e já apareceu a nós”, que se encaixa perfeitamente com o fluxo da história.

      Eu acredito que a Apologética Católica, do passado e do presente, achou que o mundo é feito de idiotas. Eles esperavam que ninguém percebesse a corrupção textual

      Excluir
    5. Alon, numa boa, não sei se você está passando algum problema, algum tipo de instabilidade, que todos, inclusive eu, já passaram, mas ultimamente você tem sido desrespeitoso com alguns aqui. Eu me senti assim, agora esse cara, que quer ficar no anonimato. Ás vezes vale a pena ser mais cordial, ou ser agressivo apenas com alguém que veio aqui desrespeitar. Nem sempre palavras duras são a solução. Até mais.

      Excluir
    6. "Anônimo, te peço mil desculpas pelas palavras fora de lugar"

      Alon, sem problemas, irmão. Tudo resolvido. Me perdoe também pelo mal entendido. No início, eu pensei que você não cria no nascimento virginal de Jesus. Foi um equívoco da minha parte.

      "agora esse cara, que quer ficar no anonimato"

      Foi mal, Gustavo. É que eu frequentemente faço comentários, então nem sempre eu me identifico. As vezes tô sem tempo, e faço o comentário rápido sem me identificar. Acho melhor eu começar a me identificar toda vez. É melhor. Meu nome é João Moura. Moro aqui no Rio Grande do Norte.

      Abraços a todos.

      Excluir
  76. LIVRO: INTRODUÇÃO AO CRISTIANISMO DO CARDEAL JOSEPH RATZINGER, (PAPA BENTO 16) 1ª EDIÇÃO, 1968, PÁG. 82-83:

    "The basic form of our (Matthew 28:19 Trinitarian) profession of faith took shape during the course of the second and third centuries in connection with the ceremony of baptism. So far as its place of origin is concerned, the text (Matthew 28:19) came from the city of Rome." The Trinity baptism and text of Matthew 28:19 therefore did not originate from the original Church that started in Jerusalem around AD 33. It was rather as the evidence proves a later invention of Roman Catholicism completely fabricated. Very few know about these historical facts." --- Introduction to Christianity By Joseph Ratzinger. page 82-83. THE 1968 EDITION.

    Tradução:

    "A forma básica da nossa profissão de fé trinitariana (Mateus 28:19) tomou forma durante o curso dos séculos segundo e terceiro em conexão com a cerimônia de batismo. Medida em que o seu lugar de origem está em causa, o texto (Mateus 28:19) veio da cidade de Roma."

    O batismo da Trindade e texto de Mateus 28:19, portanto, não se originou a partir da Igreja original, que começou em Jerusalém por volta do ano 33. Era um pouco como a evidência demonstra uma invenção posterior do catolicismo romano completamente inventada. Muito poucos sabem sobre estes fatos históricos." --- Introdução ao Cristianismo por Joseph Ratzinger. página 82-83

    Clique abaixo para conferir o texto ao lado na Edição 1969 em inglês, diretamente traduzida do original publicado em 1968 no alemão.

    (O texto ao lado começa na última linha da página 82)

    http://books.google.pt/books?id=LJlkwvExekkC&pg=PA82...

    Como é próprio do maligno, o vaticano já providenciou cortes em edições posteriores!

    Alon

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Como é próprio do maligno, o vaticano já providenciou cortes em edições posteriores!"

      Essa é a desculpa esfarrapada para a realidade não bater com o espantalho criado pelos caluniadores de Ratzinger. No contexto, o então PADRE Joseph Ratzinger (ele ainda nem bispo era) falava da gênese do "Símbolo Apostólico", isto é, do Credo.

      Nenhuma edição do livro online pela internet traz a versão apresentada por ti, apenas blogues protestantes antitrinitários.

      Excluir
    2. "Clique abaixo para conferir o texto ao lado na Edição 1969 em inglês, diretamente traduzida do original publicado em 1968 no alemão."

      Bom, o link não condiz com a transcrição do texto apresentada no comentário. Na verdade, o comentário foi copiado sem ser conferido, do site: http://ecodoverbo.blogspot.com.br/2014/01/papa-bento-xvi-afirma-mateus-2819-e.html

      Aliás... Em nenhuma edição encontrada online do livro do então PADRE (ele não era cardeal quando escreveu) Joseph Ratzinger é encontrado um texto semelhante ao do comentário.

      No contexto Ratzinger estava falando da gênese do Símbolo Apostólico, que é o Credo. Ele não estava falando como era ou não o versículo, ou se houve ou não acréscimo em Mt 28,19. A "desculpa" para nenhum livro na face da Terra ter a "citação" que só é encontrada em sites protestantes, é a seguinte:

      "Como é próprio do maligno, o vaticano já providenciou cortes em edições posteriores!"

      Poupem-nos. Só querem, como que no grito, arrumar um pressuposto antitrinitário desonestamente através da descontextualização do livro de Ratzinger.

      Att, Carlos.

      Excluir
    3. Sério? Você se chama Carlos?

      Você veio com uma fome e tanta não é? Eu tirei todo o texto de um site católico, ou um Facebook católico, não me lembro. E estranhamente desapareceu o link e o texto. Sumiu da Internet!

      Acabei vendo postagem similar em outros dois sites evangélicos.

      Mas o mais interessante nisso tudo e sua valentia na postagem e a pressa na liberação da mesma. Parece até dono de site!

      Faz o seguinte, vai refutando as outras fontes de vários escritores de renome, um pai da Igreja e alguns outros escritos importantes, todos confirmando que houve um acréscimo em Mateus 28:19.

      Vai aqui no meu site e Leia tudo, e refute.

      https://nascidodemulher.wordpress.com/2014/03/01/adulteracaoemmateus2819/

      Olhe as outras publicações no fim da página. Há mais de 50 fontes confirmado a adulteração de Mateus 28:19.

      Enquanto isso eu vou dar uma olhada no livro do Ratzinger e depois lhe dou um retorno. Se não der para trabalhar com ele, eu uso outras fontes.

      Alon

      Excluir
  77. E aí Lucas. E o seu livro sobre a Reforma Protestante? Ainda está escrevendo? Sabe mais ou menos quando vai concluir?

    João Moura

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu ainda estou reunindo material (ou seja, lendo vários livros) até o final de setembro. Escrever geralmente é a parte mais rápida, então acho que dá pra escrever em outubro e terminar até o dia 31. Embora com o tanto de material reunido eu tenha decidido dividir o livro em três volumes, pois um só ficaria exorbitantemente grande. O primeiro será publicado no dia 31/10, e os outros dois eu pretendo publicar nos dois meses seguintes, se tudo der certo. Abs!

      Excluir
  78. Apenas notificando: esta página já atingiu o limite de 200 comentários, então irei encerrar o espaço de novos comentários neste post. Se quiserem continuar qualquer discussão ou se alguém tiver um comentário novo a fazer sobre o artigo, podem fazer em qualquer outro post do blog, especialmente no artigo mais recente. Abs.

    ResponderExcluir