24 de março de 2017

Maria era uma mulher qualquer?


Antes de ler este artigo, recomendo que leia este outro que trata de questões importantes e intimamente relacionadas a este aqui. É onde eu mostro o que os evangélicos creem sobre Maria e o que não creem à luz da Bíblia, e desmascaro o truque católico que consiste em dizer que nós “odiamos Maria” só porque não cremos nos ridículos e tardios dogmas marianos inventados por Roma:


No presente artigo eu irei desmantelar outra acusação papista, a de que nós afirmamos que Maria era uma “mulher qualquer”. Geralmente essa acusação é fruto de um espantalho criado em debates quando o debatedor protestante não disse nada disso. Por exemplo, quando um evangélico afirma que Maria era um ser humano e não uma deusa, e então o papista enraivecido e espumando pelos dentes esbraveja impropérios contra o crente e o acusa de dizer que Maria era uma “mulher qualquer”.

Mas afinal: Maria era uma mulher qualquer? Minha resposta é: Sim. E não.

Deixe-me explicar. O ponto crucial por detrás dessa acusação não está em Maria, mas no “qualquer”. O “qualquer” é a ênfase da frase. Então é preciso primeiro definir o que é “qualquer”, o que o debatedor entende pelo termo, para não trocar alhos com bugalhos. Quando um protestante alega que Maria era uma “mulher qualquer”, ele não está dizendo que Maria era uma ordinária, uma desprezível ou insignificante, como entende o debatedor católico, distorcendo o termo propositalmente. Ele está meramente sustentando que Maria não era “mais” mulher do que as outras mulheres, isto é, que ela era apenas uma mulher e não uma deusa ou semideusa, como pensam os católicos.

Ou seja, o “qualquer” não está em um sentido pejorativo, não está diminuindo a pessoa de Maria, está apenas ressaltando que ela era tão humana quanto qualquer outra mulher. Na Bíblia, todas as mulheres foram igualmente criadas à imagem e semelhança de Deus como criaturas dEle. Todos os seres humanos têm igual valor diante de Deus, e se alguém nega isso não estará passando longe do pensamento nazista que sustentava que existia tipos de pessoas superiores e outros tipos de pessoas inferiores. Deus ama igualmente a todos os homens, mulheres e quem quer que seja, independentemente de raça, nação, época ou papel que desempenha na vida. Fora disso não é Cristianismo: é idolatria, quando se coloca um ser humano acima de todos os demais, às vezes até dividindo o foco com Deus.

Essa questão foi debatida nas Escrituras algumas vezes. Certa vez uma mulher (qualquer?) no meio da multidão disse a Jesus:

“Bem-aventurado o ventre que te trouxe e os peitos em que mamaste!” (Lucas 11:27)

O que foi que Jesus respondeu? Se ele fosse católico, saberíamos muito bem como seria a resposta, e exaltaria Maria ainda mais. Mas o que ele realmente respondeu foi:

Mas ele disse: Antes, bem-aventurados os que ouvem a palavra de Deus e a guarda” (Lucas 11:28)

Note que Lucas, o evangelista, introduz a resposta de Jesus com um “MAS”, para deixar claro que ele estava contrapondo o que foi afirmado pela mulher. E quando cita a resposta de Jesus, inicia com um “ANTES”, colocando qualquer pessoa que ouve a palavra de Deus como bem-aventurado antes que Maria. Aquela mulher da multidão achava que Maria era especial e mais importante que todas as outras por ter dado à luz a Jesus – este é exatamente o mesmo argumento católico! –, mas Jesus a contradiz e coloca qualquer pessoa que guarda a palavra de Deus acima.

Ou seja: se Maria era bem-aventurada, era por guardar a Palavra de Deus, sendo portanto tão bem-aventurada quanto qualquer outra pessoa que também guarda a Palavra, e não de uma forma privilegiada e superior só por ter sido a sua mãe. Essa é uma mensagem dura, é verdade. É uma afronta aos ouvidos dos católicos mais fanáticos, que exaltam Maria indevidamente com exatamente o mesmo argumento usado pela mulher da multidão a quem Jesus contrariou. Mas é a verdade, custe o que custar: Jesus não coloca Maria em um pedestal por ter sido sua mãe. O “pedestal” é guardar a Palavra de Deus, e nisso todos os que praticam estão juntos.

Outro texto onde este pensamento se torna ainda mais claro está em Marcos 3:32-35, que diz:

"E a multidão estava assentada ao redor dele, e disseram-lhe: Eis que tua mãe e teus irmãos te procuram, e estão lá fora. E ele lhes respondeu, dizendo: Quem é minha mãe e meus irmãos? E, olhando em redor para os que estavam assentados junto dele, disse: Eis aqui minha mãe e meus irmãos. Porquanto, QUALQUER que fizer a vontade de Deus, esse é meu irmão, e minha irmã, e minha mãe" (Marcos 3:32-35)

Aqui Jesus não apenas privilegia sua família espiritual em detrimento de sua família natural – e incluindo explicitamente a sua mãe nesse conjunto – mas também usa o termo “qualquer”, tão opressivo aos tridentinos. Sim, o que Jesus estava dizendo é que QUALQUER um que fizer a vontade de Deus é o seu irmão, sua irmã e sua mãe. Se Jesus diz que qualquer um pode ser como Maria se fizer a vontade de Deus, então Maria é como qualquer um que fizer a vontade de Deus. Isso é lógica simples e básica. Espiritualmente falando, Maria era uma mulher “qualquer”, igualada a todos os outros que fizessem a vontade de Deus.

Isso não é diminuir Maria, mas elevar todos os outros em igual dignidade. Na cabeça do apologista católico, só se pode honrar Maria se rebaixa todos os outros. Na Bíblia, Maria está no mesmo grupo dos outros que buscam a Deus, não porque ela seja desprezível, mas porque os outros são tão importantes quanto ela em sentido espiritual perante Deus. Enquanto o católico rebaixa todo mundo para elevar Maria de uma forma idólatra, a Bíblia eleva todos, sem exceção, que fazem a vontade de Deus, aos olhos de Deus. Ela não exalta uma para rebaixar os demais; ela exalta os demais igualando todos sob a misericórdia e o amor de Deus.

Mas eu havia dito que a resposta era “sim” e “não”, e até agora só disse a parte do “sim”. Vamos então à parte do “não”: Maria não era uma mulher qualquer, se o termo “qualquer” estiver sendo usado em um sentido pejorativo, ou seja, se estiver falando de uma mulher ordinária, desprezível, insignificante ou sem valor. Ainda que estes não sejam significados intrínsecos ao termo “qualquer”, é essa a imagem que muitos associam quando ouvem essa palavra, ao menos em língua portuguesa. Óbvio que Maria não seria “qualquer” neste sentido. Nenhum protestante afirmaria uma coisa dessas, porque não é a crença evangélica, nem a crença bíblica a respeito de qualquer mulher temente a Deus.

E aqui está o problema: neste sentido pejorativo do “qualquer”, que está na mente do apologista católico que lança a acusação, nem Maria seria uma mulher qualquer, nem mulher cristã alguma seria! É curioso observar que, via de regra, sempre quando um católico tenta retrucar isso pergunta ao protestante: “A sua mãe também é uma mulher qualquer?”. Ou seja, ele acha que Maria não pode ser uma mulher qualquer porque a mãe da outra pessoa também não é uma mulher qualquer. Seguindo essa lógica à risca, nenhuma mulher, ou pelo menos nenhuma mãe, seria uma “mulher qualquer”. Mas se ninguém for “qualquer”, então não tem sentido invocar que Maria não era uma mulher qualquer, porque ninguém seria! A intenção do apologista católico é colocar Maria em um pedestal muito acima de todas as outras, e sua tentativa de contra-argumentação vai exatamente no sentido oposto a essa tentativa, igualando todas as mulheres e não restando nenhuma para ser a “qualquer”, de modo a deixar Maria no topo.

Se o “qualquer” está em um sentido pejorativo, que diminui a pessoa a quem o termo é referido, então a única conclusão a que chegamos é que para o católico todas as mulheres são “mulher qualquer”, exceto Maria. Porque a intenção do católico ao acusar o protestante de dizer que Maria era uma mulher qualquer nunca é de elevar a dignidade de todas as outras mulheres junto com Maria (como a Bíblia faz), mas somente de exaltar a pessoa de Maria em detrimento de todas as outras. Ou seja, ele implicitamente está sustentando a tese de que Maria não é “qualquer”, mas todas as outras (o que deve incluir até as outras mulheres importantes na Bíblia e sua própria mãe, pasme!) são “qualquer”!

Neste caso, o apologista católico em questão não poderia ser diferenciado de um misógino de mais alto grau, alguém que rebaixa o valor de todas as outras mulheres como sendo “mulher qualquer” em um sentido pejorativo e diminutivo, e tudo isso apenas para exaltar unicamente Maria em detrimento de todas as outras. Se isso não for misoginia e idolatria do mais alto grau, eu não sei mais o que é. O contraste continua sendo gritante: o católico diminui sua mãe, sua irmã, sua tia, sua esposa, sua professora, Débora, Ana, Rute, Ester, etc, como sendo apenas um monte de “mulher qualquer” em sentido pejorativo, para conseguir exaltar unicamente Maria. E se ele negar isso e disser que também considera todas as outras como não sendo “mulher qualquer”, então o argumento se perde e se torna inócuo e sem sentido. Se não existe mulher qualquer, então dizer que Maria também não era uma qualquer tem peso zero a fim de exaltá-la acima de todas.

Portanto, o apologista católico está em um beco sem saída: ou ele sustenta abertamente que todas as mulheres são desprezíveis à exceção de Maria, ou abre mão do seu próprio argumento de exaltação a Maria por meio de uma calúnia antiprotestante inventada pela sua cabeça fanática. Sim, Maria era uma “mulher qualquer”, no sentido de ser tão digna, elevada e valorizada por Deus quanto qualquer outra mulher que faça a vontade de Deus; e não, ela não era uma “mulher qualquer” no sentido pejorativo de diminuir o indivíduo, e nesta mesma acepção não existiria alguma mulher que fosse “qualquer”, pelo menos não entre mulheres cristãs tementes a Deus. Todas as mulheres são preciosas aos olhos de Deus e por isso não merecem esse rótulo pejorativo de "qualquer", ainda que os apologistas católicos o imponham a todas elas à exceção de Maria.

De todo modo, mesmo refutado, será muito difícil senão impossível para um fanático aceitar a dignidade de todas as mulheres aos olhos de Deus sem colocar a deusa-mãe muito acima de todas as criaturas vivas, pela mesma razão de que seria praticamente impossível convencer um antigo pagão romano a este respeito em relação a Ísis, a deusa-mãe da mitologia egípcia adorada em todo o mundo greco-romano, que também era conhecida por ser a “Rainha dos Céus” e a "mãe de Deus", que também tinha imagens com seu filho pequeno no colo para as quais as multidões de idólatras se prostravam diariamente, que também recebia preces de todas as gentes e culto em todas as partes. Qualquer semelhança é mera coincidência.

Ou não. 

Paz a todos vocês que estão em Cristo.

Por Cristo e por Seu Reino,

-Meus livros:

- Veja uma lista de livros meus clicando aqui.

- Confira minha página no facebook clicando aqui.

- Acesse meu canal no YouTube clicando aqui.


-Não deixe de acessar meus outros blogs:

LucasBanzoli.Com (Um compêndio de todos os artigos já escritos por mim)
Apologia Cristã (Artigos de apologética cristã sobre doutrina e moral)
O Cristianismo em Foco (Artigos devocionais e estudos bíblicos)
Desvendando a Lenda (Refutando a imortalidade da alma)
Ateísmo Refutado (Evidências da existência de Deus e veracidade da Bíblia)
Fim da Fraude (Refutando as mentiras dos apologistas católicos)

66 comentários:

  1. Avalie esta imagem. https://jamescungureanu.files.wordpress.com/2014/10/anti-catholic.jpg

    ResponderExcluir
  2. E legumes/verduras? Você gosta?

    ResponderExcluir
  3. Paz, vão te refutar como sempre: "Esta na Tradição" (A "bola magica" como irmão citou nos artigos da Tradição). Ou vão correr chorando pros aliados altamente capacitados e de argumentos sólidos como a condessa (Como os católicos tem uma certa dificuldade de interpretar um texto, deixa avisar que isso foi uma ironia)

    ResponderExcluir
  4. Concordo plenamente Lucas, eu só vejo os católicos tratando Maria como uma deusa, enaltecendo-a, mas nunca conseguiram provar biblicamente.
    Na minha humilde opinião, o catolicismo só emburrece as pessoas, idade média que o diga.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, talvez seja por isso que muitos deles queiram literalmente voltar à Idade Média (o que aliás será um tema bem interessante para escrever no futuro, porque eles simplesmente NÃO SABEM como era a Idade Média).

      Excluir
  5. Os protestantes não tem uma autoridade central. E se eu disser que sou protestante, odeio Maria e que Lucas Banzoli não representa nem a mim nem aos protestantes em geral?
    Refutei seu artigo e todo o seu sitezinho, mas duvido que você vai aprovar meu comentário...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente não era para aprovar comentários retardados como esse, você está certo. Mas eu abri uma exceção para mostrar a todos o quão estupidamente pensam as criaturas que são desmascaradas aqui todos os dias, o quão baixo e risível são. A criatura é tão deplorável que ASSUME que se finge de protestante para dizer que “odeia Maria”. É esse o nível da escória refutada aqui. Isso por ser tão óbvio que nenhum protestante DE VERDADE diria uma coisa dessas. Você não consegue achar nem um. Procure em toda a internet, se infiltre em pregações nos cultos, vasculhe todo o material possível e imaginável, que não irá encontrar nada além dessa sua medíocre declaração. Em mais de duas décadas frequentando igrejas evangélicas e ouvindo pregações de todos os tipos eu nunca ouvi nada que chegasse perto disso. Mas a dissimulação, falsidade, mentira e calúnia fazem parte do repertório papista típico de sempre. Vocês não vivem sem isso. A mentira é parte da essência de vocês.

      Quanto ao seu argumento, não sei se foi pra rir ou pra chorar. Quer dizer que nada do que um protestante diz é válido para os protestantes em geral, pela falta de uma autoridade central que vocês têm através do papa? Ora, então devo presumir que tudo o que o papa fala representa o pensamento católico como um todo, já que é ele a tal da “autoridade central” que você conclama, não é mesmo?

      Então pode começar a explicar o porquê que vocês não se sentem “representados” pelo papa Francisco em questões como aquecimento global, ordenação de diaconisas, comunhão a divorciados, ou quando ele diz que o Islã é uma religião de paz, ou quando ele diz que não existe terrorismo islâmico, ou quando ele apoia a globalização, o bolivarianismo, fala em “Pátria Grande” e recebe um crucifixo com uma foice marxista pelas mãos de um comunista, ou quando ele consulta Leonardo Boff para escrever sua nova encíclica, ou quando ele critica o capitalismo chamando-o de “selvagem” e diz que o dinheiro é “esterco do diabo”, ou quando ele se reúne com o fundador da Teologia da Libertação que por sua vez diz que existe um “novo clima” no Vaticano, ou quando ele autoriza a beatificação de Óscar Arnulfo Romero, o maior nome da teologia da libertação, e de Dom Hélder Câmara, comunista de carteirinha e patrono da esquerda católica no Brasil, ou quando ele reconhece o “Estado da Palestina”, em uma ação hostil e unilateral contra Israel... pera aí, quer mesmo que eu continue?

      Excluir
    2. A coisa chegou a tal ponto que o mestre da Virgínia “excomungou” o papa via Facebook (ou melhor, comunicou que o mesmo “já estava” excomungado!), confira:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2015/09/olavo-de-carvalho-excomunga-o-papa.html

      E sites de apologética católica denunciam que ele é um “antipapa”(!), confira:

      http://www.rainhamaria.com.br/Pagina/17128/Provas-definitivas-que-Francisco-e-um-Antipapa-que-quebra-dogmas-verdades-de-fe-contidas-na-Sagrada-Escritura-e-na-Tradicao-da-Igreja

      http://www.amormariano.com.br/artigos/mais-heresias-do-antipapa-francisco/

      O primeiro diz ter “provas definitivas que Francisco é um Antipapa, que quebra dogmas, verdades de fé contidas na Sagrada Escritura e na Tradição da Igreja”, e o segundo mostra as “heresias do antipapa Francisco”. Veja só que fantástico e maravilhoso é possuir uma AUTORIDADE CENTRAL, puxa vida cara, estou quase chorando de tanta emoção, acho até que vou me tornar zumbi (quero dizer, católico fanático) para ter essa tão importante, esplêndida e deslumbrante AUTORIDADE CENTRAL que resolve todos os problemas em um passe de mágica e com certeza fala em nome de todos os católicos do mundo todo, não é mesmo?

      Ah, já sei, deixa eu adivinhar o que o fanático vai me responder: que o papa só fala em nome da Igreja quando é em “ex cathedra”, ou seja, quando é para proclamar um novo dogma oficial, OU SEJA, QUASE NUNCA! Isso implicaria que o papa falou em nome da Igreja apenas uma vez no último século inteiro, quando proclamou o dogma da assunção em 1950. Nossa, que importante ter uma autoridade central, faz realmente toda a diferença, cara!!! Com argumentos tão extraordinários que, como você mesmo diz, “refuta todo o meu artigo e o meu sitezinho”, como é que eu e tantos outros leitores (inclusive os que abandonaram essa seita e se converteram a Cristo) não nos tornamos católicos logo? #Mistério.

      Volte sempre quando nos quiser fazer rir novamente. E de preferência traga a sua “autoridade central” junto HAHAHA

      Excluir
    3. Mais um argumento furado pra refutar: a "igreja certa" obrigatoriamente possui uma autoridade central. Quanta ignorância! Só você mesmo Lucas pra aguentar tanta asneira.

      Excluir
    4. E por que o nobre anônimo ao invés de ficar lendo sitezinhos "heréticos" não vai ler o catecismo ou escutar apenas a "autoridade central e infalível" da igreja dele?

      Excluir
    5. Eu realmente não faço ideia de onde esses caras tiram esses "argumentos". É muita criatividade para uma mente só. Alguém tem que estar por detrás disso...

      Excluir
    6. E os católicos acreditam que o Papa é escolhido pela direção do Espírito Santo.

      Excluir
    7. Não pode ser. O cara achou que isso é argumento? kkkkkkkkkkkkk. O filme "O livro de Eli" demonstra isso claramente. O cara mau queria ter a única bíblia para manipular a população e ter somente ele o entendimento único. E Eli queria distribuir a bíblia para todo mundo. Todo o sonho de um tirano é que ele não seja questionado.

      Excluir
    8. Eu já assisti esse filme: "O livro de Eli", excelente exemplo amigo.

      Católicos Romanistas: O Papa é um ser "infalível" que tem autoridade central.

      Protestantes: As Escrituras Sagradas são infalíveis e esta que possui autoridade e não um Papa.

      Tal distinção mostra o porquê do protestantismo ter produzido liberdade, desenvolvimento cientifico, paz, riqueza. Enquanto no catolicismo: Inquisição, Preconceitos contra Judeus, Morte aos Hereges, Contra o Lucro e o Capitalismo, Contra os grandes cientistas e a liberdade individual.

      Excluir
    9. Muito bem ressaltado o contraste. Poderia até aumentar na conta do catolicismo: analfabetismo, atraso, intolerância, fanatismo e oposição total a qualquer coisa que sirva ao desenvolvimento da civilização humana.

      Excluir
  6. Lucas, olá como está meu irmão?Lucas não consigo entender a "loucura" Católica que Maria foi sempre foi vigem e faz disso o cavalo de batalha, como que essa falácia levasse a salvação...Meu Deus que cegueira irritante desses idólatras contaminado pelo demônio, através do seu veneno mais ferrenho que é a mentir, não é por acaso que ele arrastou consigo 33% dos anjos.Até os Pais da Igreja cometeram erros e muitos eram contraditórios com relação até sobre este assunto e nem por isso perderam a salvação por não acreditarem nesse falso dogma.como por ex: Tertuliano, Crisóstomos, Cirilo de Jerusalém, Anselmo, Orígenes e dentre outros entede?Infelizmente os Católicos muitos ludibriados acreditam nos Pais da Igreja como norma de salvação , dos quais alguns Pais que citei nem acreditavam na perpétua virgindade de Maria.será que por causa disso estão perdidos? que Deus tenha misericórdia desses pobres Católicos que muitos vão ser salvos , por que tem muitos lá sinceros, mas equivocados e o Deus vai tirá- lo é nisso que acredito.só por que ,Lucas por nós conhecermos Maria como uma mulher comum, isso é motivo de nós odiarmos Maria, por não chamarmos de Santíssima é motivo de sermos desrespeitosos com ela, por não chamarmos de medianeira, advogada, "Rainha do céu" e da Paz, Mãe é motivo de nós Evangélicos odiarmos, esses Católicos fanáticos não sabe distinguir que ela é meramente humana do qual Cristo e nem os Apóstolos não deu a ela nenhum Status de superioridade e primazia a ela...só Cristo é Divino ,mas eles entendem que não a adoram , mas a prática é outra tratando como deusa essa que é a verdade nua e crua e isso que nos mostra , ou seja, idolatria pura, pronto falei...não é isso mesmo querido irmão?Abs! Lucas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente, Elberth! Vale acrescentar que mesmo os Pais da Igreja que criam na virgindade perpétua de Maria (contrariando outros que criam no contrário) não tomavam isso como um DOGMA, ou seja, não tomavam isso como um ponto de fé tão importante ao ponto de ser necessário para a salvação. Por isso quando um papista alega que "tal Pai da Igreja aceitava o DOGMA da virgindade perpétua" ele nada mais faz do que mentir, pois mesmo os que aceitavam isso, não aceitavam como dogma (e muitos o negavam até mesmo como doutrina!). O que a Igreja Romana fez em tempos posteriores foi DOGMATIZAR os falsos ensinos que já haviam começado a surgir antes, inclusive aquilo que antes era tomado como mera especulação teológica por Pais mais tardios (ex: purgatório) e o que era fortemente contestado ou mesmo descrido pela totalidade dos Pais da Igreja (ex: imaculada conceição).

      E é realmente assim, para eles ou nós aceitamos que Maria é a deusa-mãe do pseudocristianismo romano pagão, ou então nós "a odiamos". É o mesmo de sempre. Eles não têm repertório, então preferem repetir toda hora as mesmas asneiras e mentiras. Eles nem chamam Deus de "Santíssimo", mas se não chamarmos Maria de "Santíssima" aí só pode ser porque nós "odiamos Maria"...

      Abs!

      Excluir
  7. Qual seria seu Dream Team protestante para discutir teologia contra os católicos de internet? :)?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Respondi abaixo. Só acho que o William Lane Craig não iria perder tempo discutindo com católicos de internet, mas enfim... :)

      Excluir
  8. PS: 11 teólogos protestantes para formar o Dream Team.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 1) William Lane Craig
      2) Norman Geisler
      3) William Webster
      4) Keith Thompson
      5) John Piper
      6) James Swan
      7) James White
      8) Hugo (Conhecereis a Verdade)
      9) Elisson Freire
      10) Bruno Lima
      11) Eu, ofc :)

      *Obs: a lista não está necessariamente do melhor para o pior, eu só fui citando os nomes que me veio à cabeça na hora.

      Excluir
    2. Lucas, quais desses autores tem livros traduzidos para o português fora o Craig , Geiser e Piper. Tem os livros de apologetica em português do White, Webster , Thompson?Eu gostaria muito de ler os argumentos e teses deles

      A apologética protestante no EUA parece bem forte. Aqui no Brasil eu acho que tem poucos apologistas

      Excluir
    3. Não tem, porque não são autores muito conhecidos, eles são conhecidos apenas no círculo apologético mesmo. Mas você pode ler os artigos deles nos sites deles e usar algum tradutor eletrônico se precisar.

      O do James White:

      http://www.aomin.org

      O do Keith Thompson:

      http://www.reformedapologeticsministries.com

      O do William Webster:

      http://www.christiantruth.com

      O do James Swan:

      http://beggarsallreformation.blogspot.com.br

      A apologética lá é mais forte pelo simples fato de que nos EUA a maioria das pessoas é evangélica. Aqui a coisa ainda é muito desproporcional, infelizmente.

      Excluir
  9. Muito bom, principalmente o final. Já percebeu Lucas que a deusa-mãe parece quase onipresente pelo mundo antigo? Ísis, Diana, Aserá, Ishtar, Semíramis, Freyja, Astarte, Maria (do Catolicismo), etc. Já pensou na possibilidade de isso não ser mera coincidência (como se um certo "alguém" de fora tivesse dado essa deusa à humanidade)?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, isso é proposital. O Mastral (ex-satanista) explica isso no livro dele. O diabo usa imagens femininas (como as que você citou) porque elas criam mais empatia com as pessoas do que as imagens masculinas. Passam um ar de leveza, de doçura, de inocência. Ou seja, é mais fácil de conquistar e manter as pessoas no engano. Pode ver que todos os católicos chamam Maria de "mãe", mas não conheço nenhum que chame José de "pai" (ou qualquer outro personagem homem da Bíblia). As imagens de santos, quase em sua totalidade são de deusas femininas (Nossa Senhora disso, Nossa Senhora daquilo, Nossa Senhora daquilo outro, etc). Sempre foi assim, desde o início, desde muito antes do catolicismo romano surgir. Satanás apenas muda de nome, mas o objeto de adoração é o mesmo, até as imagens em si são praticamente idênticas, seus títulos, a forma de culto, etc. Ele nunca abriu mão da idolatria clássica, apenas se atualiza conforme o tempo.

      Excluir
    2. Não precisa nem estudar muito história pra perceber claramente que a devoção a Maria é resultado da convivência do cristianismo com as religiões pagãs que o circundavam.

      Excluir
    3. Tem como me informar onde tem esse livro?

      Excluir
    4. Chama-se "Filho do Fogo", tem em dois volumes, isso eu acho que está no volume 2. Se procurar na internet achará facilmente onde comprar ou até pra baixar. Eu postei no meu outro site um trecho:

      http://lucasbanzoli.no.comunidades.net/por-detras-do-catolicismo

      Excluir
  10. Ela não era uma qualquer, reclama o católico, ela foi mãe de Deus!

    Ai o vizinho dele lhe pergunta: como era mesmo o nome da MÃE de Deus? O católico responde orgulhoso: MARIA.

    Maria de que, insiste o vizinho. Ai o catolico diz assim:Maria do Rosário, filha de Dn Ana.

    ResponderExcluir
  11. De manhã eu postei um comentário aqui, pequeno mas bem direto, refutando o seu texto. Embora o comentário em questão não fosse tão grande, ele trouxe uma profunda reflexão filosófica sobre o protestantismo. Ou seja: você foi refutado em apenas poucas linhas de argumentação.
    Até agora você não aprovou meu comentário. Provavelmente você está doidinho consultando os seus mestres da fé, mas percebeu que eles também não podem responder tais reflexões.
    Será o fim do Heresias Católicas? Este é o momento no qual o Lucas percebeu que o protestantismo é do diabo e só o catolicismo salva? Ou talvez ele usará este blog para mostrar aos protestantes que o catolicismo é verdaddiro?
    Saberemos quando ele perceber que está errado, ou seja, no mínimo em um mês.
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem é essa figura tenebrosa, Lucas?

      Excluir
    2. Oi Lucas.
      Após uma profunda reflexão filosófica sobre o protestantismo o nobre anônimo concluiu que o mesmo é do diabo é SÓ o catolicismo salva. Após uma breve leitura da Bíblia conclui que SÓ CRISTO salva e que o catolicismo com dois mil anos ainda não entendeu algo tão simples.

      Excluir
    3. "Quem é essa figura tenebrosa, Lucas?"

      É o mesmo que postou o quinto comentário neste artigo. Ele deve ter postado este outro antes da minha resposta ou então não percebeu que foi respondido.

      "Após uma profunda reflexão filosófica sobre o protestantismo o nobre anônimo concluiu que o mesmo é do diabo é SÓ o catolicismo salva. Após uma breve leitura da Bíblia conclui que SÓ CRISTO salva e que o catolicismo com dois mil anos ainda não entendeu algo tão simples"

      É exatamente isso. Pra eles é a religião deles que salva. É o papa, é a Igreja, é o purgatório, os sacramentos, Maria, tudo, menos Jesus. Jesus no catolicismo é só mais um acessório, um detalhe na doutrina deles.

      Excluir
  12. Vc nao consome leite, legumes/verduras e frutas.
    O que você come?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Há há há, paz, vendo sobre esse assunto, lembrei-me de uma reportagem que um cara só se alimentava de luz do Sol, o irmão também esta nesse caminho?

      Excluir
    2. Ainda não cheguei neste nível hardcore, mas quem sabe um dia...

      Excluir
  13. Lucas, existe algum tradutor confiável na internet? Estou te perguntando porque sites estrangeiros como o do Keith Thompson quando traduzidos no Google Tradutor, o texto é sem nexo e concordância alguma. Poderia me indicar algum?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O próprio Bruno Lima é muito bom no inglês e já fez várias traduções no blog dele, aliás os últimos artigos sobre o cânon (que eu recomendei há dias atrás) é em grande parte tradução de um livro do William Webster sobre o tema, mais alguns acréscimos da parte dele. Mas isso não se pode fazer sempre porque demanda muito tempo, e tradutores pagos (que vivem disso) costumam cobrar caro. O tradutor do Google pode não ser impecável, mas pra quem só quer entender o sentido do texto ajuda sim e bastante, entendendo o contexto do que está sendo dito. Pelo menos é melhor do que pagar um tradutor. Isso pra quem não conhece o idioma, evidentemente.

      Excluir
  14. O que você acha da Bíblia de Estudos Reforma (comemoração dos 500 anos da revolução protestante)? Existe alguma Bíblia com citações dos pais da Igreja?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tenho essa Bíblia, então não posso comentar sobre ela. Na descrição diz que vem com citações dos Pais da Igreja, mas deve ser uma quantidade bem pequena, porque o volume de escritos patrísticos é infinitamente maior que o tanto de escritos da própria Bíblia, então uma tarefa como essa seria virtualmente impossível caso a intenção fosse mostrar tudo o que os Pais da Igreja comentaram sobre determinada questão ou determinado versículo.

      Excluir
    2. Depende da sua orientação protestante. Os calvinistas usam a Bíblia de Estudos Genebra. Pentecostais a Bíblia de Estudo Pentecostal. Se quer algo neutro, escolha a Thompson. Se quiser a ideia clássica da Reforma escolha essa produzida pela SBB.

      Excluir
  15. Pelo que eu vi essa Bíblia da Reforma tem citações, mas quero saber sua opinião sobre ela.

    ResponderExcluir
  16. Então sua alimentação é na base do McDonalds?

    ResponderExcluir
  17. Alon, você é calvinista?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desculpe responder por ele, mas ele tem um blog refutando o calvinismo...

      https://sempredestinacao.wordpress.com

      Excluir
  18. O que você acha da Bíblia de estudo de Genebra?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É um clássico, mas como é fortemente calvinista, não posso dizer que gosto ou que recomendo... mas se você for calvinista é lógico que irá curtir.

      Excluir
  19. Oi Banzoli, viu que o Logos Apologética fez um artigo recente contra vc? Não porei o link aqui para não fazer propaganda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Faça artigos sobre o catolicismo no Brasil. Utilize como fonte Joaquim Nabuco. Ele denunciou a "preguiça" católica em não apoiar o fim do escravismo.

      Excluir
    2. Não sou advogado do Lucas mas penso que, mantendo o respeito e a dignidade humana, o Logos Apologética tem o direito de discordar dele em qualquer tema. O nosso amigo Banzoli não é nenhuma autoridade infalível.

      Excluir
    3. Vi. É só um bobão querendo atenção. Já refutei ele duas vezes sobre o tema das universidades e ele nunca mais tocou no assunto. Mas como um certo sujeito obriga ele a escrever qualquer baboseira pra tentar "me refutar", ele tem que escrever, não tem jeito. Em alguns dias eu faço uma nova refutação sem dificuldades.

      Excluir
    4. "Faça artigos sobre o catolicismo no Brasil. Utilize como fonte Joaquim Nabuco. Ele denunciou a "preguiça" católica em não apoiar o fim do escravismo."

      Vou escrever sobre isso no meu livro sobre a Igreja Católica e a escravidão. Acho que fica pronto até metade do ano.

      Excluir
  20. Qual pior católico que você já debateu na internet?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Difícil dizer. São muitas opções, muitos concorrentes fortes. Mas acho que seria o Rafael Rodrigues, embora com ele não haja exatamente "debate", já que ele foge de todos depois que é refutado.

      Excluir
  21. o alon não é brincadeira não

    https://nascidodemulher.wordpress.com/2017/03/26/desci-do-ceu-2/

    ResponderExcluir
  22. Rindo eternamente com a parte que católicos pensam que Maria é uma deusa ou semideusa. O solo em que Jesus pisou é sagrado então, consequentemente, o ventre em que ele foi gerado também. Para alguém tão puro e sem pecado como Jesus ser criado, sua mãe tinha que ser sem pecado também, ou então Jesus não seria puro. Só vim expressar minha opinião!
    Salve Maria!
    Ass: uma adolescente católica Mariana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. “Rindo eternamente com a parte que católicos pensam que Maria é uma deusa ou semideusa”

      Eu já vi pessoas rindo, mas nunca “rindo eternamente”. Talvez você esteja com algum problema, eu posso lhe recomendar um médico.

      “O solo em que Jesus pisou é sagrado então, consequentemente, o ventre em que ele foi gerado também. Para alguém tão puro e sem pecado como Jesus ser criado, sua mãe tinha que ser sem pecado também, ou então Jesus não seria puro”

      Muito bonito! Só esqueceu de dizer que, já que na visão de vocês Maria também é pura e sem pecado, então para alguém tão pura e sem pecado como Maria ser criada, sua mãe teria que ser sem pecado também, ou então Maria não seria pura. Ou seja, a sua lógica a leva a concluir que a mãe de Maria também era sem pecado, e assim sucessivamente. Ninguém teria pecado. Que beleza! Eu nem vou dar a sugestão de que Deus poderia fazer Jesus nascer sem pecado sem implicar que Maria fosse imaculada, porque quem sou eu para ousar dizer que um Deus todo-poderoso seria capaz de fazer uma coisa dessas, quando uma adolescente mariana me diz o contrário?

      Excluir

Seu comentário será publicado após passar pela moderação. Ofensas, deboches, divulgação de páginas católicas (links) e manifestações de fanatismo não serão aceitos. Todos os tipos de perguntas educadas são bem-vindas e serão respondidas cordialmente. Caso o seu comentário ainda não tenha sido liberado dentro de 24h, é possível que ele não tenha chegado à moderação, e neste caso reenvie o comment.