22 de janeiro de 2015

Paulo Leitão falsificando textos tirados de seu focinho para provar que Pedro foi papa

(Foto do leitão)


Houve uma época em que o problema dos papistas era a distorção de textos, que é quando se tem uma referência certa, porém se interpreta o texto de forma leviana e descontextualizada. Hoje, nem textos eles tem mais. Como os que eles usavam antigamente já foram sistematicamente derrubados pela interpretação criteriosa e séria, eles se viram obrigados a inventar textos novos, que só existem na cabeça deles. Ontem o Alon, vasculhando o facebook de um Leitão, descobriu uma citação que veio totalmente sem referência, atribuída supostamente a Eusébio de Cesareia. O texto em questão dizia:

"Pedro, de nacionalidade galileia, o primeiro pontífice dos cristãos, tendo inicialmente fundado a Igreja de Antioquia, se dirige a Roma, onde, pregando o Evangelho, continua vinte e cinco anos Bispo da mesma cidade" (Eusébio, Bispo de Cesareia 263-340 d.C)

Ele postou este texto na caixa de comentários deste artigo, perguntando de onde que vem esta referência. Note que o texto não tem, de fato, referência nenhuma. Dizer que a referência é “Eusébio, bispo de Cesareia” é o mesmo que citar a frase “a inveja nunca é plena, mata a alma e a envenena” e colocar como referência: “Bíblia Sagrada”. Como não há a referência de qual livro, capítulo ou versículo em que a tal citação se encontra, o leitor é deixado à esmo, tendo que crer na validade desta citação simplesmente por... fé. E pior: fé no Paulo Leitão! É para você ver o nível da apologética católica.

É claro que o Paulo Leitão tirou essa citação de algum lugar: do focinho dele.

Então entrou um católico daquele do tipo fanático, que vocifera e cospe saliva da boca nos debates, tentando defender a honra do seu ídolo Leitão (como se ele tivesse alguma a ser defendida) e citou como referência:

(Eusébio Bispo de Cesareia – Crônicas de Eusébio 263-340 d.C – Página 261, parágrafo 2)

Essa referência é tão ridícula e pouco confiável que teria sido melhor se ele mantivesse a citação apenas pela fé dos leitores, pelo menos desta forma teria alguma chance dela ser verdadeira. Com essa referência podemos ter certeza de que a citação é mesmo falsa. Em primeiro lugar, as crônicas são de Jerônimo e não de Eusébio:


O original de Eusébio se perdeu, e o que sabemos vem da tradução latina de Jerônimo e de uma tradução armênia. O problema é que Eusébio era um historiador do terceiro século, e Jerônimo, que não era nenhum historiador, viveu entre o quarto e quinto século, muito tempo depois de Eusébio. Se você for conferir no link acima, que é uma transcrição desta obra, verá que a dita referência não existe, exceto em uma nota de rodapé que diz:


“(5) In the PL, not in the Ms. there follows: Peter the Apostle founded the Church at Antioch, and there securing his (episcopal) throne, he sat (reigning as bishop) for 25 years”

Ou seja: a citação existe em um manuscrito mas nem em outro, implicando que se trata de uma interpolação posterior feita ao texto de Eusébio, e não de algo dito pelo próprio Eusébio. Essa interpolação posterior pode ter sido feita pelo próprio Jerônimo ou por copistas latinos de séculos posteriores. Há dificuldades em encontrar o texto autêntico da Crônica de Jerônimo em latim, porque há muitos manuscritos antigos, adições e interpolações, o que provoca a existência de muitas variantes. Na edição crítica moderna baseada no texto da Patrologia Latina, sem as muitas interpolações e adições que esta edição tem esta adição não consta[1].

Um teólogo da Universidade de Oxford, o erudito Edward Burton (1794–1836), especialista no estudo da patrística, era do grupo dos que creem que foi o próprio Jerônimo quem acrescentou esta parte. Em seu livro "A description of the antiquities and other curiosities of Rome", ele escreve:

“Lemos na Crônica de Eusébio, no ano 43, que Pedro, depois de fundar a Igreja de Antioquia, foi para Roma, onde pregou o Evangelho por vinte e cinco anos e foi bispo daquela cidade. Mas esta parte da Crônica não existe no grego, nem no Armênio, e supõe-se ter sido uma das adições feitas por Jerônimo. Eusébio não diz o mesmo em qualquer outra parte dos seus escritos, embora ele mencione São Pedro, indo para Roma no reinado de Cláudio: mas Jerônimo diz-nos que ele veio no segundo ano deste imperador, e manteve a Sé vinte e cinco anos. Por outro lado, Orígenes, que é citado pelo próprio Eusébio, diz que Pedro foi para Roma no final da sua vida: e Lactâncio coloca isto no reinado de Nero, e acrescenta que ele sofreu o martírio não muito tempo depois. Portanto o testemunho dos Padres se não desmente expressamente a sua longa permanência em Roma, está pelo menos dividido. Eusébio, de fato, diz na sua história, como já observamos, que Pedro foi para Roma no reinado de Cláudio: mas essa passagem, se lida com atenção, parece implicar que ele não ficou lá por muito tempo. Os Atos dos Apóstolos também tornam impossível que ele tenha residido lá durante os dezoito primeiros anos após a Ressurreição, enquanto o segundo ano de Cláudio (que é o tempo mencionado por Jerônimo da sua ida para Roma ) calha com o nono ano depois da Ressurreição, ou AD 42. A história contida nos Atos pode talvez lhe permitir ter ido a Roma algum tempo no reinado de Cláudio, mas a sua visita deve ter sido curta: se seguirmos Eusébio, ela deve ter sido antes dos eventos registrados no capítulo 18 dos Atos”

Independentemente de quando e por quem este acréscimo foi feito, o que importa é que ele não foi feito por Eusébio, nem por qualquer um do século III d.C.

Se a citação fosse mesmo de Eusébio, seria imprescindível que ele a tivesse colocado em sua enorme e principal obra sobre a história da Igreja: a “História Eclesiástica”, que é uma obra gigantesca, dividida em dez livros, onde Eusébio registra toda a história da Igreja até então. Mas nem essa citação, nem qualquer coisa parecida com os tais “vinte e cinco anos” consta em qualquer um dos livros da História Eclesiástica de Eusébio!

Imaginem Eusébio dizendo nas “Crônicas” que Pedro ficou 25 anos em Roma, e depois escrevendo isso aqui na História Eclesiástica:

“Pedro, segundo parece, pregou no Ponto, na Galácia e na Bitínia, na Capadócia e na Ásia, aos judeus da diáspora; por fim chegou a Roma e foi crucificado com a cabeça para baixo, como ele mesmo pediu para sofrer”(História Eclesiástica, Livro III, 1:2)

Eusébio diz que os lugares onde Pedro mais pregou foi na Galácia, na Bitínia, na Capadócia e na Ásia, e para piorar de vez a situação ele diz ainda que Pedro só chegou a Roma no fim da sua vida, para ser martirizado. Na cabeça do católico fanático, foi este mesmo Eusébio que disse que Pedro ficou 25 anos em Roma!

Não satisfeito com isso, o romanista ainda esbraveja citando outra fonte, mais confiável, da mesma citação. Ele diz:

“Aconselho aos dois ‘entendidos’ lerem História Eclesiástica: ‘Pedro, de nacionalidade galileia, o primeiro pontífice dos cristãos, tendo inicialmente fundado a Igreja de Antioquia, se dirige a Roma, onde, pregando o Evangelho, continua vinte e cinco anos Bispo da mesma cidade’”

É impossível não rir com esse comediante católico. Ele primeiro diz que a citação está nas Crônicas de Eusébio, mas é um acréscimo posterior espúrio. Depois então ele diz que a citação está na “História Eclesiástica”, mas não cita nem o livro, nem o capítulo e nem o verso onde se encontra. E o mais engraçado é que ele ainda diz:

Aconselhoaos dois ‘entendidos’ lerem História Eclesiástica...”

Primeiramente, ele não precisa aconselhar nada, pois já li os dez livros da História Eclesiástica de Eusébio muitos anos antes dele recomendar isso. Em segundo lugar, se ele aconselha a leitura deste livro, presume-se que ele o leu, senão não estaria aconselhando. Mas, se ele realmente leu os dez livros em questão, surge a pergunta que não quer calar: por que raios não citou a referência? Será que é muito difícil para alguém que supostamente leu a obra possa citar o capítulo em questão, ou pelo menos dar a ideia de em qual dos dez livros que está?

A verdade, pura e simples, é que ele nunca leu nada. Ele não passa de um vagabundo qualquer que copiou essa citação dos vários sites católicos na internet que atribuem essa citação falsamente à “História Eclesiástica” de Eusébio, curiosamente também sem citar referência nenhuma, como por exemplo:





Na verdade há dezenas de sites católicos dizendo a mesma coisa: que esta citação está na História Eclesiástica de Eusébio. Basta fazer uma pesquisa rápida no Google. Curiosidade: nenhum destes sites católicos cita qualquer referência mais precisa, como o livro, capítulo ou verso em questão, onde a tal “citação” se encontra. Curiosidade número 2: o comentarista católico que comentou aqui no blog, passando a mesma citação, também citou a mesma passagem, e – vejam só que coincidência – também sem nenhuma referência exata, somente dizendo que está lá na “História Eclesiástica”. Acho que ninguém precisa ser um grande detetive para entender que o comentarista católico nunca leu droga nenhuma de livro: ele apenas copiou descaradamente as citações falsas presentes nos blogs católicos que ele buscou no Google. Uma lástima.

É claro que a citação em questão está sem referência porque ela não existe em parte nenhuma da História Eclesiástica de Eusébio. Eu acabei de subir na minha conta do 4Shared os dez volumes da História Eclesiástica para que qualquer pessoa possa fazer o download dos livros:


Após fazer o download rápido, basta ir no “localizar” e digitar qualquer parte ou palavra presente na tal citação, e verá que a citação não existe. Ela é completamente inventada, ou tirada mais uma vez do focinho do Paulo Leitão.


Mas o debatedor católico furioso e desesperado em provar o papado de Pedro em Roma por 25 anos não desiste, e começa a disparar textos isolados que já foram comentados amplamente em meu livro "A História não contada de Pedro". Ele cita:

“Santo Ireneu (130 - 202), bispo de Lião referiu: ‘Para a maior e mais antiga a mais famosa Igreja, fundada pelos dois mais gloriosos Apóstolos, Pedro e Paulo’. E ainda ‘Os bem-aventurados Apóstolos [no plural] portanto, fundando e instituindo a Igreja, entregaram a Lino o cargo de administrá-la como bispo; a este sucedeu Anacleto; depois dele, em terceiro lugar a partir dos Apóstolos[no plural], Clemente recebeu o episcopado.’ E acrescentou: ‘Mateus, achando-se entre os hebreus, escreveu o Evangelho na língua deles, enquanto Pedro e Paulo evangelizavam em Roma e aí fundavam a Igreja’”

Se estes textos significam que Pedro era papa e que esteve em Roma por 25 anos, então Paulo também foi papa e esteve em Roma por 25 anos. Ou será que o doente não viu ali os nomes: Pedro e Paulo?

Ele finge não entender que Inácio está se referindo a uma sucessão temporal, e não a uma sucessão episcopal. Isso fica muito claro e evidente na História Eclesiástica de Eusébio, que diz:

“Depois do martírio de Paulo e de Pedro, Lino foi designado como primeiro bispo de Roma. Ele é mencionado por Paulo quando escreve de Roma a Timóteo, na despedida ao final da carta”(História Eclesiástica, Livro III, 2:1)

Eusébio deixa claro que Lino, e não Pedro, é que foi o primeiro bispo de Roma. Pedro, portanto, nunca foi “papa”. E esse episcopado do primeiro bispo de Roma (Lino) se deu, temporalmente, após a época do martírio de Paulo e de Pedro. Seria como dizer:

“Depois que Dom Pedro II foi exilado, Deodoro da Fonseca foi designado como primeiro presidente do Brasil”

Isso explica as citações que dizem, por exemplo, que Clemente foi o terceiro bispo de Roma “depois dos apóstolos”. Eusébio e Inácio sempre colocavam no plural, referindo-se a Paulo e a Pedro, porque estavam tratando de uma sucessão temporal, e não que Paulo e Pedro fossem dois papas reinando em Roma. Significa apenas que, depois da época do martírio dos dois apóstolos, Clemente é o terceiro bispo de Roma, porque Lino é o primeiro e Anacleto é o segundo. Note como Eusébio deixa claro que a sucessão episcopal começa com Lino, e não com Pedro:

“Paulo também atesta que Clemente - instituído terceirobispo da Igreja de Roma - foi seu colaborador e companheiro de luta”(História Eclesiástica, Livro III, 4:9)

Ensinando para os católicos:

Lino
Anacleto
Clemente

Se Pedro tivesse sido o primeiro bispo de Roma, então Eusébio estaria tendo sérios problemas mentais: ele não estaria conseguindo contar até três! Clemente seria o quarto, e não o terceiro, se Pedro tivesse sido o primeiro! Será que Eusébio não sabia contar até três? Ou será que o episcopado de Pedro em Roma é uma demência que contraria não apenas a Bíblia, mas também a história?

Ele também cita um texto de Clemente, que diz:

“Em torno desses homens [no plural], que se comportaram piamente, reuniu-se uma grande multidão de eleitos, os quais, depois de terem sofrido por inveja muitos ultrajes e tormentos, tornaram-se entre nós belíssimo exemplo” [Clemente Romano - Ano 96 DC]

É a mesma coisa que vale para o texto de Inácio, que já vimos anteriormente. Clemente também fala de “Paulo e Pedro”, e não somente de Pedro, como se tivesse falando de papado. É também interessante notar que quase sempre as referências antigas, de Eusébio principalmente, eram a “Paulo e Pedro”, colocando Paulo à frente de Pedro. Isso seria realmente estranho caso Pedro fosse o único papa de Roma. Paulo não apenas estaria caindo de paraquedas nestas citações, como ainda estaria caindo na frente do suposto “primeiro” papa!

O debatedor romanista cita, por fim, um texto de Doroteu, que vem sem referências e mais uma vez fazendo acepção ao aspecto temporal já mencionado anteriormente, e por fim cita um texto de Optato de Milevo, também sem referências, e já no século IV. Este é o nível da atual apologética católica, onde citações sem referências são a regra e onde a fé no Paulo Leitão é suficiente para crer na veracidade dos textos. Eles trocaram a sola fide em Jesus pela sola fide no focinho do Leitão. Este é um problema sério, amigos.

Paz a todos vocês que estão em Cristo.

Por Cristo e por Seu Reino,
Lucas Banzoli (apologiacrista.com)


-Meus livros:

-Veja uma lista completa de livros meus clicando aqui.

- Acesse o meu canal no YouTube clicando aqui.


-Não deixe de acessar meus outros sites:
Apologia Cristã (Artigos de apologética cristã sobre doutrina e moral)
O Cristianismo em Foco (Reflexões cristãs e estudos bíblicos)
Estudando Escatologia (Estudos sobre o Apocalipse)
Desvendando a Lenda (Refutando a Imortalidade da Alma)
Ateísmo Refutado (Evidências da existência de Deus e veracidade da Bíblia)


49 comentários:

  1. Lucas, to indo trabalhar agora....depois leio seu texto....tem como responder meu email ? ele chegou ?
    T++
    Matheus...

    ResponderExcluir
  2. Lucas, bom demais seu artigo... Voce arrebentou!

    Só mais um detalhezinho; Em 60 dC o chefe em Roma não era Pedro. Quando Paulo chegou em Roma ele mandou chamar os maiorais ali,
    .
    Atos 28:17 E aconteceu que, três dias depois, Paulo convocou OS PRINCIPAIS dos judeus, e, juntos eles, lhes disse: Homens irmãos, não havendo eu feito nada contra o povo, ou contra os ritos paternos, vim contudo preso desde Jerusalém, entregue nas mãos dos romanos
    .
    Agora veja você que Paulo lhes prega Cristo o dia inteiro, começando por Moisés
    .
    E, havendo-lhe eles assinalado um dia, muitos foram ter com ele à pousada, aos quais declarava com bom testemunho o reino de Deus, e procurava persuadi-los à fé em Jesus, tanto pela lei de Moisés como pelos profetas, desde a manhã até à tarde, v 23
    .
    Esses Judeus nada sabiam sobre Jesus e o catolicismo ainda quer fazer os outros acreditar que Pedro ja estava ali por quase duas décadas!!!
    .
    Essa conversa de Paulo com os judeus aconteceu perto de 60 dc. E pior, depois que eles ouviram Paulo eles foram embora, alguns rejeitando e alguns crendo,
    .
    “E alguns criam no que se dizia; mas outros não criam”, v 24
    .
    Isso não parece reação de quem já estava ouvindo Pedro pregar por 18 anos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perfeito, Alon! Isso me lembrou deste artigo:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2013/10/a-missao-secreta-de-pedro.html

      Excluir
    2. Eu acabei de ler com calma esse artigo seu. Simplesmente estarrecedoras as informações que você trás contra o primado de Pedro em Roma. Não acredito que será possível a nenhum católico, mesmo os
      Mais teimosos, ler este artigo e continuar crendo que Pedro exerceu algum pontificado em Roma por 25 anos. Eu faço um desafio ao Macabeus e ao Paulo Leitão: tentem refutar parágrafo por parágrafo do que aqui foi exposto se forem capazes.

      Excluir
    3. O negócio do Paulo Leitão é fazer aqueles programinhas medíocres dele na famosíssima "TV Potiguar", ele não tem capacidade argumentativa ou raciocínio lógico, é mais fácil o Macabeus aprender português do que o Leitão aprender a pensar.

      Excluir
    4. Quem é ABC perto da Potiguar ? hahaha, esse católico é de parabólica ou é de TV assinatura ?

      Excluir
    5. Eu acho que é de outro planeta :)

      Excluir
  3. Lucas, a contradição é medonha. O que mais surpreende é que estes anciãos judeus principais alegaram que sabiam muito pouco sobre Cristo. Tudo o que sabiam era que “quanto a esta seita, sabemos que em toda a parte se fala contra ela” (versículo 22). Em seguida, Paulo começou a explicar-lhes os ensinamentos básicos de Cristo e alguns acreditavam, mas a maioria não. Qual a questão levantada aqui? Se Pedro, que era um judeu fortemente partidário, tinha constantemente pregado em Roma por tantos anos antes da chegada de Paulo, e ainda estava lá, como explicar que esses LÍDERES judeus soubessem tão pouco sobre Jesus e o caminho?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E eles dizem que por esta época Roma já era a "sede" do Cristianismo! HAHA

      Excluir
    2. Veja você que a tradição confirma a libertação de Paulo depois de dois anos preso em sua própria casa em Roma. No entanto, se a tradição está certa, ele foi novamente levado para Roma cerca de quatro anos mais tarde (perto de 65 dC), sendo, depois disso, martirizado .
      .
      Desta vez parece que ele teve que comparecer diante do trono de César e foi condenado a morrer. Paulo descreve essas circunstâncias longamente em II Timóteo. Em relação ao seu julgamento, observe o que ele disse em II Timóteo 4:16, “Ninguém me assistiu na minha primeira defesa, antes todos me desampararam. Que isto lhes não seja imputado".
      .
      Isso significa que, se acreditamos que Pedro estava lá, então ele abandonou Paulo, sem contar que não apareceu em sua casa nos dois anos que Paulo ali ficou pregando o evangelho. Imagina você que covardia de Pedro. Já não bastava ter negado a Cristo e agora deixa Paulo sozinho no seu julgamento? Certamente Pedro não abandonou Paulo; Pedro não estava em Roma.

      Excluir
    3. E mais um detalhe, Lucas, e dessa vez em Mateus 16. Observa você que os discípulos não entenderam na declaração de Jesus a Pedro em Mateus 16 que ele era a rocha. E tanto é verdade que após esse incidente eles disputaram a respeito de quem seria o maior entre eles. (Mar 9:33-35; Luc 22:24-26). Não haveria nenhuma base para tal disputa caso se tivesse dado a Pedro a primazia como a rocha sobre a qual devia ser edificada a Igreja.

      Excluir
  4. Sem falar que eles usam Hb 9,11 para dizer que o TABERNÁCULO mais excelente e mais perfeito, não construído por mãos humanas é o ventre de Maria.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem lembrado. Essa é uma das interpretações mais toscas que eu já vi os papistas fazendo. É tão tosca que o próprio VERSÍCULO SEGUINTE explica qual é esse tabernáculo:

      “Quando Cristo veio como sumo sacerdote dos benefícios agora presentes, ele adentrou o maior e mais perfeito tabernáculo, não feito pelo homem, isto é, não pertencente a esta criação. Não por meio de sangue de bodes e novilhos, mas pelo seu próprio sangue, ELE ENTROU NO SANTO DOS SANTOS, uma vez por todas, e obteve eterna redenção” (Hebreus 9:11-12)

      E como se isso não estivesse suficientemente claro, o autor de Hebreus ainda prossegue dizendo:

      “Portanto, era necessário que as cópias das coisas que estão nos céus fossem purificadas com esses sacrifícios, mas as próprias coisas celestiais com sacrifícios superiores. Pois Cristo não entrou em santuário feito por homens, uma simples representação do verdadeiro; ELE ENTROU NO PRÓPRIO CÉU, para agora se apresentar diante de Deus em nosso favor” (Hebreus 9:23-24)

      A resposta é lógica: este santuário perfeito diz respeito ao tabernáculo celestial, que está no Céu, onde Cristo entrou após sua ascensão aos céus. Essa interpretação católica de que este tabernáculo é Maria é tão ridícula que nem o catecismo nem qualquer outra fonte oficial da Igreja afirma tal coisa. Na verdade ela foi inventada por um cidadão chamado Antônio, que tinha um fake chamado "DEMAPRO", que fez livre-exame no livro de Hebreus e chegou a esta conclusão. Quando o livre-exame é feito pelos protestantes os católicos vociferam, mas quando o livre-exame é feito por um católico para exaltar e glorificar a pessoa de Maria distorcendo horrivelmente os textos bíblicos eles gostam e aplaudem. Não dá para entender este povo.

      Abraços.

      Excluir
    2. Pois é, mas Paulo disse que nós temos um altar e os que servem a Maria não podem comer dele,

      Hebreus 13:10, Temos um altar, de que não têm direito de comer os que servem ao tabernáculo.

      Já que o negócio é brincadeira, então...

      Excluir
    3. "Mas, vindo Cristo, o sumo sacerdote dos bens futuros, por um maior e mais perfeito tabernáculo, não feito por mãos, isto é, não desta criação".

      O contexto não fala do menino Jesus nascendo, mas de Jesus como sumo sacerdote!

      Agora eles estão tentando dizer que Maria não é desta criação!

      Excluir
  5. É inacreditável, mas é verdade. Nunca vi torcer tanto um texto bíblico na minha vida como torceram Hebreus 9:11.

    https://pt-br.facebook.com/CAIAFARSA/posts/698583876930009

    ResponderExcluir
  6. Essa foi de enlouquecer... Juro que não tinha visto isso. Francamente!

    O VENTRE DE MARIA É O PERFEITO TABERNÁCULO! que loucura meu Deus do céu!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Daqui a pouco eles vão dizer que Maria é mais que Jesus.

      Ah, esqueci, já disseram:

      http://images.orkut.com/orkut/photos/PQAAADP9IcboIpKWoAEtonrcqSvrFG4dhVphe_6N6ufJ7Jv06bm8uqD6U-8RZeON3ur0CngYYpmeENXkHEjrKaREu5MAm1T1UEjQKGcElMWoeNYZmpXJMaMCwQuw.jpg

      Excluir
  7. Agora veja a proeza do outro, o Macabeus

    “ALERTA: TODOS OS CRISTÃOS.

    SÃO PEDRO: EXERCEU SEU MINISTÉRIO EM ROMA, DESDE OS TEMPOS DE CLÁUDIO. EUZÉBIO DE CESAREIA RELATA ISSO.

    Claudio: foi imperador romano de (41 – 53 DC), ou seja, desde Claudio, SÃO PEDRO JÁ ERA BISPO DE ROMA.

    "Um documento diz que Fílon, nos tempos de Cláudio, chegou a Roma para conversar com Pedro, que então estava pregando aos dali. Isto na verdade pode não ser inverossímil, já que a própria obra de que falo - composta por ele mais tarde, passado muito tempo - contém claramente as regras da Igreja, observadas ainda em nossos dias."(H-E, verso I, capítulo XVII, Livro II)

    Agora vamos para a Bíblia
    .
    Antes de chegar a Roma o Senhor diz a Paulo,
    .
    “E na noite seguinte, apresentando-se-lhe o Senhor, disse: Paulo, tem ânimo; porque, como de mim testificaste em Jerusalém, assim importa que testifiques também em Roma”, Atos 23:11.
    .
    Isso os católicos não conseguem explicar. Nessas alturas Pedro já estava em Roma por quase 16 anos, mas mesmo assim Deus envia Paulo para pregar ali o evangelho. Ele já tinha isso em mente, pois disse algo na abertura da carta aos romanos,
    .
    Romanos 1:15, E assim, quanto está em mim, estou pronto para também vos anunciar o evangelho, a vós que estais em Roma.
    .
    Paulo escreveu em 58 que estava pronto para ANUNCIAR o evangelho em Roma? E Pedro que já exercia seu pontificado ali, nunca anunciou?
    .
    Continua
    .
    Paulo chega a Roma, mas Pedro não apareceu para recebê-lo,
    .
    “E de lá, ouvindo os irmãos novas de nós, nos saíram ao encontro à Praça de Ápio e às Três Vendas, e Paulo, vendo-os, deu graças a Deus e tomou ânimo”, Atos 28:15
    .
    O que Paulo fez três dias depois?
    .
    Ele “ convocou os principais dos judeus, e, juntos eles, lhes disse: Homens irmãos, não havendo eu feito nada contra o povo, ou contra os ritos paternos, vim contudo preso desde Jerusalém, entregue nas mãos dos romanos; Os quais, havendo-me examinado, queriam soltar-me, por não haver em mim crime algum de morte. Mas, opondo-se os judeus, foi-me forçoso apelar para César, não tendo, contudo, de que acusar a minha nação. Por esta causa vos chamei, para vos ver e falar; porque pela esperança de Israel estou com esta cadeia. Então eles lhe disseram: Nós não recebemos acerca de ti carta alguma da Judéia, nem veio aqui algum dos irmãos, que nos anunciasse ou dissesse de ti mal algum" Atos 28:17-31.
    .
    Ninguém apareceu entre eles DA JUDEIA para falar sobre Paulo? Ninguém anunciou Paulo? Cadê o Pedro da Judeia ?
    .
    Agora ouçam o que os judeus ensinados por Pedro durante quase 20 anos disseram a Paulo sobre a Igreja,
    .
    “No entanto bem quiséramos ouvir de ti o que sentes; porque, quanto a esta seita, notório nos é que em toda a parte se fala contra ela”.

    ResponderExcluir
  8. ... Continua...

    Os textos seguintes mostram que tudo o que eles ouviram de Paulo eles ouviram pela primeira vez, pois alguns creram e alguns não creram. Isso não é reação de gente que ouviu algo de Pedro. Está em Atos capítulo 28 do verso 23 ao 27. O Ano é 61 ou 62 dC,

    “E, havendo-lhe eles assinalado um dia, muitos foram ter com ele à pousada, aos quais declarava com bom testemunho o reino de Deus, e procurava persuadi-los à fé em Jesus, tanto pela lei de Moisés como pelos profetas, desde a manhã até à tarde. E alguns criam no que se dizia; mas outros não criam. E, como ficaram entre si discordes, despediram-se, dizendo Paulo esta palavra: Bem falou o Espírito Santo a nossos pais pelo profeta Isaías, Dizendo: Vai a este povo, e dize: De ouvido ouvireis, e de maneira nenhuma entendereis; E, vendo vereis, e de maneira nenhuma percebereis. Porquanto o coração deste povo está endurecido,e com os ouvidos ouviram pesadamente,e fecharam os olhos,para que nunca com os olhos vejam, Nem com os ouvidos ouçam,Nem do coração entendam,E se convertam,E eu os cure”.
    .
    Paulo não usaria o contexto de Isaías se não tivesse pregado a esse povo pela primeira vez: “...Vai a este povo, e dize: De ouvido ouvireis, e de maneira nenhuma entendereis; E, vendo vereis, e de maneira nenhuma percebereis”.
    .
    Está saltando diante dos olhos até dos mais ignorantes que estes judeus nunca ouviram nada de Pedro. E por que? Porque Pedro não estava em Roma e nunca foi bispo ali!
    .
    Paulo fica mais dois anos em sua própria casa pregando o reino de Deus e muitos se chegavam a ele,
    .
    “E Paulo ficou dois anos inteiros na sua própria habitação que alugara, e recebia todos quantos vinham vê-lo”, v 30
    .
    ... Pedro nunca apareceu!

    ResponderExcluir
  9. Bíblia, Lucas, meu negócio é com a Bíblia, suficiente para desmontar qualquer artimanha que se levante contra a sã doutrina!

    ResponderExcluir
  10. Lucas, me desculpe ser tão insistente... Mas são os detalhes, aqueles velhos detalhes que amassam os católicos. Observe esse versículo,

    23 Assim combinaram encontrar-se com Paulo em dia determinado, indo em grupo ainda mais numeroso ao lugar onde ele estava. Desde a manhã até a tarde ele lhes deu explicações e lhes testemunhou do Reino de Deus, procurando convencê-los a respeito de Jesus, com base na Lei de Moisés e nos Profetas.


    Desde a manhã até a tarde Paulo "... procurava convencê-los...". Os católicos já se perguntaram se havia mesmo necessidade desse enorme esforço de Paulo para Judeus que já tinham sido ministrados por Pedro? Não tem como escapar! Se Pedro estava ali a quase duas décadas esses judeus não poderiam ser tão ignorantes sobre o que Paulo dizia. Mas não é o que parece.

    24, 25 "Alguns foram convencidos pelo que ele dizia, mas outros não creram. Discordaram entre si mesmos e começaram a ir embora...”

    “Uns creram e outros não creram... “. Esse é o padrão de quem ouve pela primeira vez!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alon, meu amigo, cada dia mais eu me espanto com o obscurantismo e doença mental que este indivíduo esquizofrênico, vulgo Macabeus, sofre. Eu acho que o caso dele é mais sério do que parece. No começo a gente brincava sobre ele ser um demente, mas eu já cogito fortemente essa possibilidade. Ele tem dois sérios problemas: não sabe ler um texto, e também não sabe interpretá-lo. Ele tira partes isoladas dos meus textos, e em cima destes trechos selecionados e arrancados grosseiramente do contexto ele vai lá e monta um texto bárbaro, repleto de baixarias, grosserias e todo um linguajar típico de quem parece estar com sangue nos olhos enquanto escreve, e distorce absolutamente tudo o que eu escrevi no texto. É simplesmente estarrecedor.

      Leiamos este texto de Eusébio:

      "Um documento diz que Fílon, nos tempos de Cláudio, chegou a Roma para conversar com Pedro, que então estava pregando aos dali. Isto na verdade pode não ser inverossímil, já que a própria obra de que falo - composta por ele mais tarde, passado muito tempo - contém claramente as regras da Igreja, observadas ainda em nossos dias" (HE, verso I, capítulo XVII, Livro II)

      O cidadão começa pegando um texto desses, que mostra Pedro visitando Roma no tempo de Cláudio, e daí conclui que Pedro ficou 25 anos por ali como papa! Me diga se isso não é insanidade. Não, não é, é pior: é um papista fanático!

      A alienação mental do indivíduo e a lavagem cerebral que ele sofreu é tão grande que ele chega ao ponto de citar um trecho que eu JÁ REFUTEI no artigo e ele continua o citando como fonte verídica! O animal é tão irracional que citou até o link de onde essa citação “existe” nas Crônicas “de Eusébio” (http://www.ccel.org/ccel/pearse/morefathers/files/jerome_chronicle_03_part2.htm), sendo que NESTE MESMO LINK que ele citou não há REFERÊNCIA NENHUMA aos 25 anos de Pedro em Roma no corpo de texto. A referência foi DEIXADA DE FORA, e tratada apenas em uma NOTA DE RODAPÉ, onde os editores dizem EXPLICITAMENTE que tal trecho não está presente em um manuscrito e que, portanto, é fruto de um acréscimo posterior. Mesmo assim o animal continua usando este texto e com aquela fonte!

      Veja só até que ponto que a paranóia do sujeito chega: ele cita como “prova” do lado dele um texto tirado DE UMA FONTE QUE DIZ QUE AQUELE TEXTO NÃO É LEGÍTIMO! Ou ele não leu a fonte, ou é um abestado mesmo. Para provar que aquele texto é verdadeiro, o cara me cita um link que diz que aquela referência é falsa! Esse Macabeus é mesmo o máximo!

      (...)

      Excluir
    2. E pra fechar com chave do ouro, o lunático ainda me cita um texto que diz que Lino foi o primeiro bispo de Roma depois de Paulo e Pedro, e daí conclui que PEDRO FOI O PRIMEIRO PAPA. Cara, eu não sei dizer o quanto eu ri disso. Eu já provei no próprio artigo (que ele não leu) que a referência diz respeito ao aspecto temporal e não ao episcopal, mas vamos fazer de conta que fosse mesmo uma sucessão episcopal ali. O que isso significaria? Significaria, simplesmente, que PAULO TAMBÉM FOI BISPO DE ROMA (PAPA), porque Paulo é citado junto com Pedro por Eusébio!

      E agora, meu Deus do Céu? Será que temos DOIS PAPAS, Pedro e Paulo? Temos dois bispos dividindo um mesmo “trono” em Roma? HAHAHAHA esse Macabeus me diverte! Macabeus, não some não, o mundo precisa de gente como você para a vida continuar divertida!

      E para acabar de uma vez, o sujeito me diz que Lino foi o SEGUNDO bispo de Roma, mas a anta ignora que o texto de Eusébio diz que Lino foi bispo DEPOIS DE PAULO E PEDRO, então ele teria sido o TERCEIRO e não o SEGUNDO! E aí vem a pergunta que não quer calar: quando foi que Eusébio ou qualquer outro Pai da Igreja disse que Lino foi o TERCEIRO bispo de Roma? Nenhum, em lugar nenhum. Macabeus não sabe contar até três. Ele não sabe que Paulo (1) + Pedro (2) para chegar em Lino dá 3, e não 2, como nas listas papais. É realmente uma lástima discutir com quem não sabe contar até três. Tantos católicos inteligentes para debater, e eu tenho a lástima de ter que lhe dar com um bobão desses. Lamentável. O indivíduo precisa urgentemente de atendimento psiquiátrico, e principalmente de um bom professor particular de português (ou de qualquer outra matéria).

      Excluir
  11. Lucas, Leitão para provar que Pedro esteve em Roma, alega:

    1 Pedro 5, 13. A igreja escolhida de Babilônia saúda-vos, assim como também Marcos, meu filho.
    Está é a principal prova de que Pedro esteve em Roma, visto que Roma era tira como a babilônia na época pela semelhança que tinha com a babilônia (Ap 17,5; 18, 10).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu escrevi sobre isso no capítulo 16 do meu livro "A História não contada de Pedro", você pode fazer o download aqui:

      http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2013/10/meu-novo-livro-historia-nao-contada-de.html

      Caso não consiga baixar o livro, me envie um e-mail para lucas_banzoli@yahoo.com.br que eu lhe envio por anexo.

      Excluir
  12. Afinal, a tradicional origem apontada do evangelho de Marcos, escrito perto do ano 60 d.c em Roma. com o testemunho de Pedro, é verídica ou não?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é possível saber ao certo, o que existem são teorias. Essa teoria que você chama de tradicional evoluiu com o passar dos séculos, ela não nasceu pronta. As primeiras informações que temos a este respeito são de Papias de Hierápolis, que escreveu no ano 117 d.C (data aproximada) isso:

      "O presbítero dizia também o seguinte: Marcos, que foi o intérprete de Pedro, escreveu fielmente, embora desordenadamente, tudo o que recordava sobre as palavras e as ações do Senhor. De fato, ele não tinha ouvido o Senhor, nem o havia seguido. Mais tarde, como já disse, ele seguiu a Pedro, que lhe dava instruções conforme as necessidades, mas não como quem compõe um relato ordenado das sentenças do Senhor. Assim, Marcos em nada errou, escrevendo algumas daquelas coisas da forma como as recordava. Com efeito, sua preocupação era uma só: não omitir nada do que tinha ouvido, nem falsificar nada do que transmitia"

      Veja aqui:

      http://arminianismo.com/index.php/categorias/obras/patristica/193-papias-de-hierapolis/640-papias-de-hierapolis-fragmentos-de-papias

      Veja que Papias apenas diz que Marcos escreveu baseado no testemunho de Pedro, ele não fala nada sobre quando ou onde que Marcos escreveu. É só em Irineu, já na segunda metade do século II d.C, que temos a informação de que Marcos escreveu depois da morte de Pedro, ou seja, alguns anos antes de 70 d.C, e mesmo assim ele não cita o lugar. O lugar só é citado em Eusébio (séc. III), pelo entendimento da época de que Babilônia era um código para Roma, porque é assim no livro do Apocalipse. Isso eu já comentei no meu livro sobre o tema, no capítulo 16 (ainda não transcrevi este capítulo para cá). Portanto, ao meu ver, a tradição que diz que Marcos escreveu em Roma é uma tradição tardia que se sustenta sob o frágil alicerce de que Babilônia, naquele contexto de 1Pedro, era um código para Roma, o que as evidências racionais negam.

      Abraços.

      Excluir
    2. Agradeço pelo esclarecimento. Faço uma sugestão de fazer um texto sobre o tão polêmico, entre os católicos romanos, concílio Vaticano II. Em que pontos foi um progresso e em quais foi um retrocesso à luz da Bíblia.

      Excluir
  13. Paulo Porcão é tão cômico quanto o autointitulado Inri Cristo, Toninho do diabo & cia... Só mais um idiota...

    ResponderExcluir
  14. Gostaria muito que um católico me arrumasse um texto de qualquer pai da Igreja esclarecendo onde estava Pedro quando Paulo ficou dois anos em Roma, preso em sua residência. Imaginem só, Paulo fica 24 meses em Roma, mas não recebeu a visita do pontífice que ali presidia a Igreja!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É que Pedro tava de mal do Paulo pq ele o reprendeu. HAAHAHAHAHAHA

      Excluir
  15. E mais uma Dr Lucas; acabei de descobrir que Jesus jamais disse: "tu és Pedro", em Mateus 16, mas sim, "tu dissestes". O autor do artigo alega que a citação tradicional foi um acréscimo feito, e que não constaria no original. Agora, tem um detalhe muitíssimo importante. Nenhum dos outros três evangelhos repete a frase inteira. Joao omite a passagem e Lucas também. Marcos para a frase em "tu és o Cristo" (Marcos 8:27-30). Ele simplesmente não registra a frase supostamente falada por Jesus sobre Pedro e Pedra. Isso e Multo estranho para uma notícia extremamente importante, como deseja os católicos. Veja você que o "anúncio do primado de Pedro" feito pelo Salvador do mundo, só foi registrado por um evangelista e mesmo assim está sob suspeita de fraude.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você se lembra de qual artigo era? Tem link? Essa informação me parece bem interessante...

      Excluir
    2. Chegando em casa passo pra você por email.

      Excluir
  16. Lucas, poderia citar o capítulo e o verso da declaração de Ireneu de Lyon? Não estou achando.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A qual citação de Irineu você se refere?

      Excluir
    2. A citação é essa: “Santo Ireneu (130 - 202), bispo de Lião referiu: ‘Para a maior e mais antiga a mais famosa Igreja, fundada pelos dois mais gloriosos Apóstolos, Pedro e Paulo’. E ainda ‘Os bem-aventurados Apóstolos [no plural] portanto, fundando e instituindo a Igreja, entregaram a Lino o cargo de administrá-la como bispo; a este sucedeu Anacleto; depois dele, em terceiro lugar a partir dos Apóstolos [no plural], Clemente recebeu o episcopado.’ E acrescentou: ‘Mateus, achando-se entre os hebreus, escreveu o Evangelho na língua deles, enquanto Pedro e Paulo evangelizavam em Roma e aí fundavam a Igreja’”

      Excluir
    3. Todas as citações são do livro "Contra as Heresias", de Irineu. A primeira está no Livro 3, no Capítulo 3 e no Verso 2. A segunda está no mesmo Livro e Capítulo, só que no Verso 3. Você pode ver ambas neste link:

      http://www.newadvent.org/fathers/0103303.htm

      E a terceira citação está no Livro III, Capítulo 1, e Verso 1, disponível aqui:

      http://www.newadvent.org/fathers/0103301.htm

      Abraços.

      Excluir
  17. Lucas, o que é uma sucessão temporária? Se sucessão de Lino foi temporária, então a de todos os outros também foram? Eu não entendem muito bem isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não disse sucessão "temporária", eu disse sucessão "temporal". Significa simplesmente que, naquela ocasião, Eusébio não estava listando Pedro e Paulo como bispos de Roma antes de Lino, mas sim que Pedro e Paulo estiveram em Roma (para ali morrer) antes de Lino ser designado o primeiro bispo de Roma:

      “Depois do martírio de Paulo e de Pedro, Lino foi designado como primeiro bispo de Roma. Ele é mencionado por Paulo quando escreve de Roma a Timóteo, na despedida ao final da carta” (História Eclesiástica, Livro III, 2:1)

      Seria como dizer:

      “Depois que Dom Pedro II foi exilado, Deodoro da Fonseca foi designado como primeiro presidente do Brasil”

      Isso não significa que Dom Pedro II tenha sido o primeiro presidente e Deodoro o segundo, mas sim que Deodoro foi o PRIMEIRO, e que isso se deu TEMPORALMENTE depois da época em que Dom Pedro II foi exilado. É simples de entender. Se Eusébio cresse que Pedro tinha sido BISPO de Roma, ele teria dito isso explicitamente, tal como ele fez ao dizer que Pedro foi bispo de Antioquia. Mas isso nunca acontece, ao contrário, Lino é apresentado como sendo o primeiro, e Clemente como sendo o TERCEIRO (Eusébio seguia a ordem de Lino o primeiro, Anacleto o segundo e Clemente o terceiro, o que significa que a sucessão iniciou-se com Lino e não com Pedro).

      Abraços.

      Excluir
  18. Então, sucessão "temporal", significa que Pedro não estava lá para ter sucessores, mas morrer lá e fazer seguidores de Cristo, é isso?

    ResponderExcluir
  19. Lucas, como você responderia a esse argumento:

    O texto de Euzébio onde diz:
    “DEPOIS, DEPOIS, DEPOIS, DEPOIS, DEPOIS, DEPOIS, DEPOIS, DEPOIS, DEPOIS do martírio de Paulo e Pedro, o primeiro a ser eleito ao episcopado da igreja de Roma foi LINO.”

    O termo DEPOIS SIGNIFICA: Suceder, posterior, em seguida, a seguir etc.

    Seria o mesmo que eu dizer:
    "Depois da morte de Airton Senna o primeiro a ser campeão da (formula 1º) foi Michael Schumacher"

    É simples entender o texto de Euzébio de Cesareia, DEPOIS que Paulo e Pedro foram bispos de Roma, Lino foi o primeiro a sucedê-los. QUAL A DIFICULDADE EM ENTENDER ISSO?
    LINO FOI O PRIMEIRO Bispo, depois dos apostolos PEDRO, pois os sucessores são mencionados COMO PRIMEIRO DEPOIS DOS APOSTOLOS.

    Como fica essa citação aqui?

    “[...]quanto a Lino, cuja presença junto dele [do Apóstolo Paulo] em Roma foi registrada na 2ª carta a Timóteo [cf. 2Tm 4,21], DEPOIS DE PEDRO foi o primeiro A OBTER ALI O EPISCOPADO, conforme mencionamos mais acima.” (Eusébio Bispo de Cesaréia – HE,IV,8 – 317 d.C).

    PEDRO E PAULO são citados por muitos pais da IGREJA, mas o mesmo Eusebio, deixa claro que FOI A PEDRO a quem O BISPADO PERTENCIA.

    “[...]quanto a Lino, cuja presença junto dele [do Apóstolo Paulo] em Roma foi registrada na 2ª carta a Timóteo [cf. 2Tm 4,21], DEPOIS DE PEDRO foi o primeiro A OBTER ALI O EPISCOPADO, conforme mencionamos mais acima.” (Eusébio Bispo de Cesaréia – HE,IV,8 – 317 d.C).
    Epifânio (315-403 d.C.), Bispo de Constância :

    “A sucessão de BISPOS EM ROMA é nesta ordem: PEDRO e Paulo, Lino, Cleto, Clemente etc…” (ii. 27 – Sales, St. Francis de, The Catholic Controverse, Tan Books and Publishers Inc., USA, 1989, pp. 280-282.)

    Doroteu de Tiro:
    “Lino foi Bispo de Roma após O SEU PRIMEIRO GUIA, PEDRO.“ (In: Syn.)

    Optato de Milevo:
    “Você não pode negar que sabe que NA CIDADE DE ROMA A CADEIRA EPISCOPAL FOI PRIMEIRO INVESTIDA POR PEDRO, na qual Pedro, cabeça dos Apóstolos, a ocupou.” (De Sch. Don. )

    Cipriano (martirizado em 258), Bispo de Cartago (norte da África):
    “Com um bispo falso apontado eleito por hereges, eles se atrevem a navegar e levar cartas de cismáticos e blasfemos para A CÁTEDRA DE PEDRO E À IGREJA PRINCIPAL, EM QUE A UNIDADE SACERDOTAL TEM A SUA FONTE; eles nem pensaram que estes são romanos, cuja fé foi elogiada na pregação pelo Apóstolo, e entre os quais não é possível a perfídia ter entrada.” (Cipriano, Carta 59 (54), 14)

    Santo Agostinho (354 – 430):
    “A PEDRO SUCEDEU LINO.” (Ep. 53, ad. Gen.)

    Eusébio de Cesareia (263-340 d.C.) Bispo de Cesareia:
    “Depois do martírio de Pedro e Paulo, o primeiro a obter o episcopado na Igreja de Roma foi Lino. Paulo, ao escrever de Roma a Timóteo, cita-o na saudação final da carta [cf. 2Tm 4,21].” (Eusébio Bispo de Cesaréia – HE,III,2 – 317 d.C).

    “Pedro, de nacionalidade Galileia, o primeiro pontífice dos cristãos, tendo inicialmente fundado a Igreja de Antioquia, se dirige a Roma, onde, pregando o Evangelho, continua vinte e cinco anos Bispo da mesma cidade.” (Crônicas de Eusébio Página 261 parágrafo 2)

    “[...]quanto a Lino, cuja presença junto dele [do Apóstolo Paulo] em Roma foi registrada na 2ª carta a Timóteo [cf. 2Tm 4,21], depois de Pedro foi o primeiro a obter ali o episcopado, conforme mencionamos mais acima.” (Eusébio Bispo de Cesaréia – HE,IV,8 – 317 d.C).

    “[...]Alexandre recebeu o episcopado em Roma, sendo o quinto na sucessão de Pedro e Paulo” (Eusébio Bispo de Cesaréia – HE,IV,1 – 317 d.C).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, a paz.

      Se eu dissesse:

      "Depois do exílio de Dom Pedro II, Marechal Deodoro foi eleito o primeiro presidente da República", significa que Dom Pedro II foi o primeiro presidente da República ou que Marechal Deodoro que foi?

      Então, por que dizer que "depois do martírio de Pedro E DE PAULO, Lino foi eleito o primeiro bispo de Roma" significaria que Pedro (e não Paulo) foi o primeiro, e Lino foi o segundo (e não o terceiro)?

      A lógica é simples de se entender: se Eusébio estivesse falando de BISPADO ali, então teríamos que PAULO TAMBÉM FOI BISPO DE ROMA, porque eu não sei se algum católico percebeu, mas Eusébio não cita somente Pedro, ele cita PAULO e Pedro, inclusive citando Paulo à frente de Pedro! Portanto, se essa passagem está falando de BISPADO, consequentemente Lino teria sido o TERCEIRO, e não o SEGUNDO, como consta nas listas católicas de sucessão dos bispos de Roma, porque Paulo teria sido o primeiro e Pedro o segundo, seguindo a lógica de Eusébio NA INTERPRETAÇÃO CATÓLICA.

      Ou o texto está falando de SUCESSÃO TEMPORAL, e neste caso não há NADA de bispado de Pedro, ou então está falando de SUCESSÃO EPISCOPAL, e neste caso Paulo também é considerado um bispo de Roma, jogando Lino para o terceiro lugar e não para o segundo. De um jeito ou de outro, é a doutrina católica que é colocada em xeque, pois eles se veriam forçados a admitir que Paulo também foi bispo de Roma (papa).

      É interessante notar que Eusébio NUNCA mencionou de forma explícita que Pedro foi bispo de Roma. Ele somente citava Pedro em determinados contextos onde Lino é apresentado como sendo o primeiro, fato este ocorrido depois da época em que Pedro e Paulo foram martirizados em Roma. Em compensação, Eusébio diz explicitamente que Pedro foi bispo de Antioquia. E quando Eusébio segue a lista de sucessão de bispos romanos, ele diz:

      “Paulo também atesta que Clemente - instituído terceiro bispo da Igreja de Roma - foi seu colaborador e companheiro de luta” (História Eclesiástica, Livro III, 4:9)

      Ensinando para os católicos:

      1º Lino
      2º Anacleto
      3º Clemente

      Se Pedro tivesse sido o primeiro bispo de Roma, então Eusébio estaria tendo sérios problemas mentais: ele não estaria conseguindo contar até três! Clemente seria o quarto, e não o terceiro, se Pedro tivesse sido o primeiro! Será que Eusébio não sabia contar até três? Ou será que o episcopado de Pedro em Roma é uma demência que contraria não apenas a Bíblia, mas também a história?

      Quanto ao suposto texto onde Eusébio coloca Pedro “25 anos em Roma”, ele estranhamente não se encontra na História Eclesiástica, que é de longe a obra principal e mais importante dele, mas é um acréscimo espúrio às “Crônicas”, que na verdade foram organizadas por Jerônimo, e cuja tradução difere-se da versão armênia. O Hugo, do “Conhecereis a Verdade”, explicou sobre isso neste artigo (leia os comentários do mesmo):

      http://conhecereis-a-verdade.blogspot.com.br/2009/09/evidencia-de-que-pedro-tenha-sido-o_5882.html

      Em relação ao texto de Cipriano, que fala da “Cátedra”, ele analisado em seu contexto é um GOLPE DE MORTE na fantasia do primado do bispo de Roma. O Gustavo, do “E-Cristianismo”, escreveu brilhantemente sobre isso neste artigo:

      http://www.e-cristianismo.com.br/pt/apologistas/248-cipriano-de-cartago-e-a-catedra-de-pedro

      Os outros textos, como o de Agostinho, são de data tardia, de época em que a crença de que Pedro exerceu um bispado em Roma depois de ter tido um bispado em Antioquia já estava nascendo. Isso contraria todas as evidências mais recentes, como eu demonstrei neste artigo:

      http://lucasbanzoli.no.comunidades.net/index.php?pagina=1085794693

      Grande abraço.

      Excluir

Seu comentário será publicado após passar pela moderação. Ofensas, deboches, divulgação de páginas católicas (links) e manifestações de fanatismo não serão aceitos. Todos os tipos de perguntas educadas são bem-vindas e serão respondidas cordialmente. Caso o seu comentário ainda não tenha sido liberado dentro de 24h, é possível que ele não tenha chegado à moderação, e neste caso reenvie o comment.