25 de dezembro de 2014

Quando Jesus disse a Pedro: "em ti edificarei a minha igreja", ele estava se referindo à Igreja Católica Romana!



Lembrei-me hoje do canal no YouTube do saudoso Carlos Alberto Durgam (já falecido), que promovia debates entre evangélicos e católicos pelo Skype há alguns anos, e postava os vídeos no YouTube. Um dos vídeos mais divertidos do canal dele é um que mostra a reação de certas pessoas à frase: “A Igreja Católica é a Igreja fundada por Cristo”:


O vídeo é, obviamente, uma brincadeira, mas tem um fundo de realidade. Isso porque os papistas que vociferam vez após vez dizendo que “a Igreja Católica é a Igreja de Cristo! É a Igreja de Cristo! É a Igreja de Cristo! É a Igreja de Cristoooooo!!!!! (...)” só fazem isso sob a premissa de que a Igreja de Mt.16:18 é uma “instituição”, e que esta “instituição” é a instituição “Romana”. É isso que faz o vídeo ficar mais engraçado, na parte em que ele diz que “quando Jesus disse a Pedro: ‘em ti edificarei a minha igreja’, ele estava se referindo à Igreja Católica Romana!!!”.

Eu nem vou entrar no mérito da questão se a pedra era Pedro ou sua confissão de fé em Cristo, pois já dediquei um capítulo inteiro de meu livro "A História não contada de Pedro" para abordar a questão, refutando os factóides romanistas e provando que, com toda a probabilidade do mundo, a pedra em questão era a confissão de Pedro no verso 16 que remete a “Cristo, o filho do Deus vivo”, em conformidade com inúmeras passagens que declaram o Messias como o fundamento e a rocha onde a Igreja está edificada (você pode ver o mesmo estudo neste artigo). Mas focarei aqui apenas na questão da “Igreja”, do verso 18.

A triste verdade é que toda a argumentação católica parte de pressupostos, e estes pressupostos são tomados como verdade a priori, ao invés de ser a posteriori. Em outras palavras, ao invés dos católicos primeiro provarem que essa Igreja é a Católica Romana e depois usarem este versículo sustentando a tese de que essa igreja foi fundada por Cristo, eles fazem exatamente o contrário: partem do princípio de que a Igreja tem que ser a Romana, e a partir daí usam versículos como Mt.16:18 para “provar” que esta igreja foi fundada por Cristo, que é a coluna e sustentáculo da verdade, etc.

Em termos simples, eles querem provar que a Igreja Romana é a certa porque foi fundada por Cristo, e que Cristo fundou a Igreja Romana porque é a Igreja certa. O argumento é totalmente circular, muito parecido com todas as demais falácias constantemente aplicadas por eles, ao maior estilo: “creia na tradição, e quem prova isso é a tradição”, ou então: “o papa é infalível, porque o papa disse que é infalível”. Eles não percebem que toda a estrutura argumentacional deles está sustentada sob o frágil fundamento na areia, constituído por teses a priori, que eles já tomam como verdade antes mesmo de provarem que é verdade, e em cima dessas verdades previamente definidas formulam seus argumentos circulares que só provam algo para quem não entende nada de lógica ou tem uma grande dificuldade de raciocínio.

Vamos dar um exemplo prático: por que cremos que a Bíblia é verdadeira e autêntica? É porque Paulo escreveu sobre isso em 2ª Timóteo 3:16? Não, isso seria argumentar em círculos. Seria dizer que a Bíblia é verdadeira porque a Bíblia diz que é verdadeira, o que não se diferenciaria em nada do argumento muçulmano de que o Alcorão é sagrado porque ele diz que é sagrado. É necessário provar por evidências externas de que a Bíblia é verdadeira, e só depois disso argumentar alguma coisa pela Bíblia, e é aí que entra 2Tm.3:16 – a posteriori, e não a priori.

É por isso que os apologistas cristãos tem se dedicado ao máximo em mostrar as evidências de que a Bíblia é verdadeira, seja através de provas históricas, ou arqueológicas, ou científicas, ou por diversos outros campos da razão humana. Em meu site Apologia Cristã eu dedico vários artigos de “Veracidade Bíblica” com esta finalidade, que se complementam aos argumentos da ressurreição de Jesus e da autenticidade do Novo Testamento. Também com esta finalidade escrevi o livro "As Provas da Existência de Deus" e estou escrevendo um outro livro com mais de mil páginas refutando o livro “Deus, um Delírio”, de Richard Dawkins (o maior best-seller da história do ateísmo).

Em suma: é preciso primeiro estabelecer firmemente os fundamentos. Primeiro provamos que a Bíblia é verdadeira, por argumentos fora da própria Bíblia. Somente depois que provamos a autenticidade da Bíblia é que usamos a própria Bíblia para estabelecer doutrinas, refutar heresias, e assim por diante. Tragicamente, os católicos não costumam seguir este mesmo princípio de estabelecer fundamentos. Eles não foram educados assim. Eles partem de premissas não provadas e que são tomadas como verdades a priori, e em cima dessas premissas formulam seus argumentos que só poderiam mesmo ser puramente circulares, constituindo falácias clássicas.

É por isso que a coisa mais natural do mundo é vermos debates neste estilo:

Católico – O papa é infalível!

Evangélico – Como você sabe que o papa é infalível?

Católico – Porque o papa disse que é infalível! [isso aconteceu em 18 de julho de 1870, no Concílio Vaticano I, por autoridade do papa Pio IX]

Evangélico – E como você sabe que o que o papa disse é a verdade?

Católico – Porque ele é infalível!

A mesma coisa ocorre na questão da tradição (curvem-se os mortais), ou melhor, Tradição, com “T” maiúsculo mesmo, como eles fazem questão de ressaltar, tamanha a importância e obsessão por aquilo que é, na prática, a única regra de fé de onde eles tiram suas doutrinas antibíblicas:

Católico – Você, seu herege protestante, filho da serpente, me mostre onde a Sola Scriptura está na Bíblia! Agoraaaa!!!! [geralmente é algo mais histérico que isso]

Evangélico – Primeiro: acalme-se. Segundo: de onde você tirou a ideia de que a Sola Scriptura tem que estar na Bíblia?

Católico – Porque vocês, filhos do bêbado do Lutero, dizem que tudo tem que estar na Bíblia!!!

Evangélico – E quando foi que Lutero disse isso? Em qual livro ele disse?

Católico – Em muuuuitos!

Evangélico – Pode me citar um?

Católico – Ele escreveu um monte de vezes sobre isso!

Evangélico – Que bom. Mas eu só pedi um.

Católico – Hmm... é... [consultando o site Veritatis Splendor] hmmm... deixa eu ver... [consultando o site Montfort] hmmmmm..... ^^ (......) você sabe que ele disse isso, seu herege! Essa é a Sola Scriptura, seu rebelado!

Evangélico – De que lugar você tirou a ideia de que a Sola Scriptura é o princípio segundo o qual “tudo tem que estar na Bíblia”?

Católico – Ué... e não é?

Evangélico – Não. Estude mais. Isso é um espantalho criado por vocês, que desfigura ridiculamente o verdadeiro conceito reformado de Sola Scriptura. Vocês atacam aquilo que não conhecem. Primeiro se informe melhor sobre o que é a Sola Scriptura, e só depois ataque histericamente a Sola Scriptura. Não queira passar vergonha atacando o que desconhece.

Católico – O que é Sola Scriptura, então?

Evangélico – Sola Scriptura é o princípio de que, hoje, a única forma confiável que temos de saber o que os apóstolos originalmente ensinaram foi por aquilo que eles escreveram, que foi preservado incorruptivelmente com o passar dos séculos[1]. E os escritos onde eles escreveram, e que se preservaram, é o que chamamos de Escrituras. Como na época não existia mp3 nem vídeo, é somente através daquilo que eles deixaram por escrito que podemos chegar com confiança à mensagem original. A tradição oral se perdeu com o tempo, como em um telefone sem fio, passando por acréscimos e distorções, o que fica totalmente comprovado pelas inúmeras tradições divergentes na Igreja já no final do século I, e início do II. Ninguém sabia quem tinha a tradição certa. Tente saber se era Policarpo ou Aniceto quem estava com a “tradição certa” sobre o dia da páscoa! [veja mais sobre isso em meu livro: "Em Defesa da Sola Scriptura"]

Católico – Mas nós cremos que a tradição foi preservada incorruptivelmente também, e portanto constitui uma outra regra de fé!

Evangélico – Quais evidências você tem disso?

Católico – Evidências? Hmmm... sabemos que a tradição é verdadeira porque a tradição nos diz que a tradição é verdadeira.

Evangélico – Isso é um argumento circular. Seria o mesmo que dizer que você crê no Alcorão porque o Alcorão diz que o Alcorão é verdadeiro. Quais evidências externas você tem de que a tradição oral foi preservada incorruptivelmente?

Católico – A minha igreja diz isso, a Igreja de Cristo!!!

Evangélico – E com que base ela diz isso?

Católico – Ora... na tradição!

É basicamente esse o raciocínio circular que vemos aflorando nos debates, e é essa mesma deturpação que os católicos fazem em cima de Mateus 16:18. Como eu disse no início, não vou nem discutir se a pedra é Pedro ou não. Eu já fiz isso. Mas suponhamos, para o bem do argumento, que fosse Pedro mesmo: o que isso prova? Os católicos lêem a Bíblia com uma lente de aumento romana. Onde está escrito: “edificarei minha Igreja”, eles lêem: “edificarei minha igreja Católica Romana”. Não é nem preciso dizer que os católicos Ortodoxos, que tem muitas doutrinas divergentes com Roma, fazem exatamente a mesma coisa. Eles também têm o mesmo texto, mas onde está escrito: “edificarei minha igreja”, eles lêem: “edificarei minha igreja Ortodoxa”.

Não há diferença no argumento em si, porque a falha é a mesma. Os dois chegam a conclusões diferentes usando a mesma estrutura argumentacional, simplesmente porque partem de pressupostos distintos. Um toma como verdade a priori que a igreja verdadeira é a Romana. O outro toma como verdade a priori que a igreja verdadeira é a Ortodoxa. Nenhum dos dois chega a esta conclusão por este ou qualquer outro texto bíblico. Eles chegam a esta conclusão de antemão, no início, a priori, antes de começar a construir o argumento. Argumentando deste jeito, poderíamos colocar qualquer igreja do mundo em Mt.16:18 – basta usar a imaginação.

O que os evangélicos, em geral, fazem? Eles tomam a igreja deles como uma verdade a priori e as metem para dentro do texto de Mateus 16:18? Não. Se alguma igreja ou pastor faz isso, é um louco, e está delirando mais fortemente do que aqueles que fazem isso para provar uma igreja católica. Eu nunca vi alguém dizer, por exemplo, que Jesus fundou a igreja Bola de Neve em Mateus 16:18, ou qualquer outra denominação protestante. Isso porque os evangélicos não entendem que a Igreja, que Jesus e a Bíblia tanto se referiam, diz respeito a uma instituição religiosa A ou B, de forma que tenhamos que nos digladiar para descobrir qual placa ela é.

Ao contrário: os evangélicos crêem que a Igreja de Cristo é o Seu Corpo, formado por cada cristão que adora a Jesus em espírito e em verdade, independentemente da congregação, denominação ou instituição em que cultue a Deus. Onde estiver um crente que busque a santificação, que mantenha um relacionamento diário com Deus em oração, que devote sua vida a Ele e que seja cheio da presença do Espírito Santo, ali está a Igreja, e ali as portas do inferno não prevalecerão. A Igreja é a reunião de todos os joelhos que não se dobraram diante de Baal, de toda a língua que confessa que Jesus Cristo é seu Senhor e Salvador, de todo o coração que O busca na esperança de encontrá-lo. Essa é a Igreja. Esses são os verdadeiros cristãos.

E este conceito é tomado como verdade a priori? Não. Ele está muito bem claro e explícito em diversas passagens bíblicas. Assim como na questão da pedra, eu não entrarei aqui em detalhes sobre isso porque já escrevi um artigo enorme apenas para tratar especificamente disso, que você pode conferir clicando aqui. O que tem que ficar claro é que católicos e evangélicos trabalham em âmbitos diferentes. O católico já tem uma verdade pré-definida, e insere essa verdade a priori em seus argumentos e nos textos bíblicos. O evangélico, por outro lado, estuda a Bíblia, pensa racionalmente e então chega a uma conclusão, que será usada na análise dos textos. A diferença metodológica é gigantesca.

Paz a todos vocês que estão em Cristo.

Por Cristo e por Seu Reino,
Lucas Banzoli (apologiacrista.com)


-Meus livros:

-Veja uma lista completa de livros meus clicando aqui.

- Acesse o meu canal no YouTube clicando aqui.


-Não deixe de acessar meus outros sites:
Apologia Cristã (Artigos de apologética cristã sobre doutrina e moral)
O Cristianismo em Foco (Reflexões cristãs e estudos bíblicos)
Estudando Escatologia (Estudos sobre o Apocalipse)
Desvendando a Lenda (Refutando a Imortalidade da Alma)
Ateísmo Refutado (Evidências da existência de Deus e veracidade da Bíblia)





[1] As provas de que o Novo Testamento se preservou incorruptível com o passar dos séculos podem ser conferidas no capítulo 7 do meu livro "As Provas da Existência de Deus" (download gratuito).

6 comentários:

  1. Prezado Lucas!

    Me ajude a refutar rapidamente os argumentos dessa católica:

    "Nos Evangelhos de: Lucas 9,32; Marcos 16,7; e 8,29; Lc 12,41; João 6,7 e outras passagens dos quatro evangelhos, mostram com transparencia a liderança, o primado de Pedro no colégio apostólico. Quando a Igreja foi manifestada ao mundo, no dia de pentecostes,é Pedro quem toma a palavra para falar a multidão: Pedro, então, pondo-se de pé em companhia dos doze, com voz forte ( Pedra, homem forte, homem decidido, pedra sólida, rocha, coluna) lhes disse: Homens da Judéia... ( Atos 2,14. E daí em diante vemos Pedro na liderança da igreja nascente, sempre respeitado por todos. ( Confira, Atos 2,38; 3,6.12; 4,8; 5,8.29). Desde os primórdios da Igreja o santos grandes padres: Santo Inácio de Antioquia ( + 107), São Justino ( + 160), São Basílio Magno (330-369), Santo Irineu(140-200), Santo Agostinho( 350-430), e outros, consagraram a máxima: Onde está Pedro está a Igreja; onde está a Igreja está Cristo. São Pedro Crisólogo(+450) disse: No interesse da paz e da fé , não podemos discutir sobre questões relativas a fé sem o consentimento do Bispo de Roma( o Papa). São João Crisóstomo(+407) Bispo de Constantinopla disse: Pedro, na verdade, ficou para nós como a Pedra sólida sobre a qual se apóia a fé, e sobre a qual está edificada a Igreja. Tendo confessado ser Cristo o Filho de Deus vivo, foi lhe dado ouvir: SOBRE ESTA PEDRA= a da sólida fé= edificarei a minha Igreja( Mt 16,18. Tornou-se em fim Pedro o ALICERCE FIRMÍSSIMO E FUNDAMENTO DA CASA DE DEUS,quando após negar Cristo e cair em si, foi buscado pelo Senhor e por Ele honrado com as palavras: apascenta as minhas ovelhas( os fiéis da Igreja, João 21,15s). Cuida das minhas ovelhas(os fiéis da Igreja). Dizendo isto, o Senhor nos estimulou a conversão, e também a que de novo se edificasse solidamente sobre Pedro aquela fé, a de que ninguém perde a vida e a salvação, neste mundo, quando faz penitencia sincera e se corrige de seus pecados. Rodrigo se voce no seu passado, fosse um católico verdadeiro, se apaixonaria por essa Igreja, e se interessaria em aprender cada vez mais, em saber cada vez mais, conhecer cada vez mais as riquezas dessa Igreja."

    Obs.: Não corrigi os erros de ortografia, pois só copiei os argumentos dela.

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. “Nos Evangelhos de: Lucas 9,32; Marcos 16,7; e 8,29; Lc 12,41; João 6,7 e outras passagens dos quatro evangelhos, mostram com transparencia a liderança, o primado de Pedro no colégio apostólico”

      Nenhum destes textos diz que “Pedro exercia o primado e liderança no colégio apostólico”. O autor da pérola citou textos aleatórios sem ler. Vejamos um por um:

      “Pedro e os seus companheiros estavam dominados pelo sono; acordando subitamente, viram a glória de Jesus e os dois homens que estavam com ele” (Lucas 9:32)

      Onde é que este texto diz que “Pedro exercia o primado e liderança no colégio apostólico”? Lugar nenhum.

      Próximo:

      “Vão e digam aos discípulos dele e a Pedro: Ele está indo adiante de vocês para a Galileia. Lá vocês o verão, como ele lhes disse” (Marcos 16:7)

      Onde é que este texto diz que “Pedro exercia o primado e liderança no colégio apostólico”? Lugar nenhum.

      Próximo:

      “E vocês?, perguntou ele. Quem vocês dizem que eu sou? Pedro respondeu: Tu és o Cristo” (Marcos 8:29)

      Onde é que este texto diz que “Pedro exercia o primado e liderança no colégio apostólico”? Lugar nenhum.

      Próximo:

      “Pedro perguntou: Senhor, estás contando esta parábola para nós ou para todos?” (Lucas 12:41)

      Onde é que este texto diz que “Pedro exercia o primado e liderança no colégio apostólico”? Lugar nenhum.

      E o último:

      “Filipe lhe respondeu: Duzentos denários não comprariam pão suficiente para que cada um recebesse um pedaço!” (João 6:7)

      Onde é que este texto diz que “Pedro exercia o primado e liderança no colégio apostólico”? Lugar nenhum. Nem de Pedro o texto fala!

      Diante disso tudo, o autor do texto católico em questão:

      (1) Citou referências aleatórias sem ler os textos, achando que ninguém iria conferir as citações. Ou:

      (2) Copiou um textão da internet através de pesquisa do Google sem ler o próximo texto que copiou. Ou:

      (3) Acha que qualquer texto que se refira a Pedro prova o primado de Pedro. Ou:

      (4) Não sabe ler (o que eu acho mais provável).

      Excluir
    2. Continuando...

      “Quando a Igreja foi manifestada ao mundo, no dia de pentecostes, é Pedro quem toma a palavra para falar a multidão”

      E no Concílio de Jerusalém, mais importante que o pentecostes, é Tiago quem tem a palavra final. E daí? Pedro falar alguma coisa não prova que Pedro é o líder dos apóstolos. Falácia total.

      Continuando...

      “Desde os primórdios da Igreja o santos grandes padres: Santo Inácio de Antioquia ( + 107), São Justino ( + 160), São Basílio Magno (330-369), Santo Irineu(140-200), Santo Agostinho( 350-430), e outros, consagraram a máxima: Onde está Pedro está a Igreja; onde está a Igreja está Cristo. São Pedro Crisólogo(+450) disse: No interesse da paz e da fé , não podemos discutir sobre questões relativas a fé sem o consentimento do Bispo de Roma( o Papa). São João Crisóstomo(+407) Bispo de Constantinopla disse: Pedro, na verdade, ficou para nós como a Pedra sólida sobre a qual se apóia a fé, e sobre a qual está edificada a Igreja.”

      Aqui só temos um monte de textos sem nenhuma referência e que já foram refutados aqui:

      http://www.christiantruth.com/articles/mt16.html

      Continuando...

      “Tendo confessado ser Cristo o Filho de Deus vivo, foi lhe dado ouvir: SOBRE ESTA PEDRA= a da sólida fé= edificarei a minha Igreja( Mt 16,18. Tornou-se em fim Pedro o ALICERCE FIRMÍSSIMO E FUNDAMENTO DA CASA DE DEUS”

      Refutado aqui:

      http://heresiascatolicas.blogspot.in/2014/01/estudo-exegetico-completo-sobre-mateus.html

      Continuando...

      “Quando após negar Cristo e cair em si, foi buscado pelo Senhor e por Ele honrado com as palavras: apascenta as minhas ovelhas( os fiéis da Igreja, João 21,15s). Cuida das minhas ovelhas(os fiéis da Igreja)”

      Refutado aqui:

      http://heresiascatolicas.blogspot.in/2013/10/pedro-pastoreie-as-minhas-ovelhas.html

      Continuando...

      “Rodrigo se voce no seu passado, fosse um católico verdadeiro, se apaixonaria por essa Igreja, e se interessaria em aprender cada vez mais, em saber cada vez mais, conhecer cada vez mais as riquezas dessa Igreja”

      A única coisa que quem estuda a história dessa igreja descobre é que ela sempre foi uma igreja apóstata, prostituída, assassina, pérfida e satânica, sobre a qual recai o sangue de todos os santos e mártires (Ap.17:6).

      Abs!

      Excluir
    3. Muito obrigado, Lucas! Suas respostas são sempre excelentes. Um "tapa na cara" dos católicos. Deus lhe abençoe sempre!

      Excluir
  2. Oi, Lucas!

    Só pra lembrar, quando vc puder, gostaria que me desse umas dicas em relação ao meu comentário acima. Sei que vc anda bastante ocupado.

    Que Deus te abençoe!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu ia responder hoje mas acabei tendo que fazer umas coisas mais urgentes e por isso vou deixar para amanhã. Vou responder parte a parte dos argumentos, mas já adianto que você pode encontrar a refutação a todos eles em meu livro sobre o tema ("A História não contada de Pedro"), que você pode baixar aqui:

      https://mega.nz/#!CsoG2BKQ!CFdtSKiZL_xtE5qi5tVHuw8L0h2Nz69co2bG8oLhxqw

      Abs!

      Excluir

Seu comentário será publicado após passar pela moderação. Ofensas, deboches, divulgação de páginas católicas (links) e manifestações de fanatismo não serão aceitos. Todos os tipos de perguntas educadas são bem-vindas e serão respondidas cordialmente. Caso o seu comentário ainda não tenha sido liberado dentro de 24h, é possível que ele não tenha chegado à moderação, e neste caso reenvie o comment.