17 de julho de 2013

O processo de canonização dos santos é infalível?


Como cristão evangélico, seria redundantemente óbvio se eu dissesse que não. Primeiro, porque o paralelismo bíblico deixa claro que os santos biblicamente somos nós, os vivos, e não alguém que já morreu:

"Vocês não sabem que os santos hão de julgar o mundo? Se vocêshão de julgar o mundo, acaso não são capazes de julgar as causas de menor importância?" (1ª Coríntios 6:2)

Quando Paulo diz aos coríntios que os santos haveriam de julgar o mundo, ele não se referia a pessoas já falecidas e canonizadas por alguma instituição religiosa particular, mas sim aos próprios coríntios, o "vocês" a quem ele dirigia aquela carta, ou seja, aos vivos. Se fosse nos dias de hoje, um católico dizendo que os santos julgarão ao mundo certamente faria referência aos santos mortos beatificados pela Igreja Romana, e não aos vivos, que nem ao menos passaram por qualquer processo de canonização para virarem "santos"! Este contraste entre a doutrina católica e a Bíblia é tão gritante que, se fôssemos levar em conta o critério católico para ser santo, todos nós deveríamos ser canonizados, pois a Bíblia diz: "sede santos, porque eu sou Santo"(1Pe.1:16), e: "sem santidade ninguém verá ao Senhor" (Hb.12:14).

Mas de nada adianta um cristão passar um conceito bíblico a um católico, que mais dá valor a palavra papal do que à Palavra de Deus. Por isso, neste artigo não usarei meus argumentos. Irei apenas repassar as palavras do professor Orlando Fedeli, um famoso católico já falecido (ainda não canonizado) que era o dono do site católico Montfort. Assim, pela palavra de um católico famoso talvez os católicos abram os olhos para a verdade. Se não caírem em si nem pela Bíblia e nem pela palavra dos próprios católicos mais inteligentes e instruídos, não sei mais o que pode ser feito. O texto a seguir do prof. Orlando Fedeli é uma resposta a um Frei católico que disse:

Caro Orlando,

Como você ousa dizer que um papa e um beato da Igreja Católica era um herege?
Ainda mais sabendo que sua beatificação aconteceu no pontificado do grande João Paulo II; sendo prefeito da Congregação para doutrina da fé, o Cardeal Ratzinger, atual papa Bento XVI.

O senhor deve saber que para alguém ser declarado "beato" tem que passar por provas de ortodoxia e ele foi aprovado!

Deve saber, ademais, que falar mal ou denegrir a imagem moral dos santos e beatos da Igreja Católica é pecado, contido aliás no segundo mandamento. Tenha mais respeito com os santos e beatos, mesmo que pensem diferente de você, e tenha respeito com a autoridade católica que proclamou beato a João XXIII (cujo corpo está incorrupto) e o propôs como modelo de seguimento a Jesus Cristo.
Lave a boca, e retrate-se publicamente, seu insolente orgulhoso, disfarçado de humilde servo da Igreja!

Beato João XXIII, rogai por nós!


Como resposta, o professor católico utilizou os seguintes argumentos (as partes mais interessantes estarão em negrito e o conteúdo original da carta pode ser acessado clicando aqui).


RESPOSTA DO PROFESSOR ORLANDO FEDELI

Quanto ao núcleo central de sua carta, seu erro inicial é imaginar que a proclamação de alguém como Beato implica necessariamente na infalibilidade desse julgamento. Ora, tal não é verdade. O processo de beatificação não é infalível. Mais ainda, no novo processo em que o exame de não-culto é somente "de visu", isto é, a olho, e o exame "De scriptis" se limita ao que foi publicado de modo impresso, não se examinando manuscritos. No novo processo foi abolido também o chamado "advogado do diabo", isto é, o acusador, de modo que o novo processo se faz examinando uma biografia positiva do Servo de Deus, cuja causa está em exame.
   
Frei, o senhor me acusa de ter cometido pecado ao contar fatos a respeito de João XXIII, pois me escreveu: 
   
"Falar mal ou denegrir a imagem moral dos santos e beatos da Igreja Católica é pecado, contido aliás no segundo mandamento"
   
Curioso...

Hoje, se afirma que a Igreja é Santa e pecadora, mas não se podem contar fatos históricos a respeito de quem defendeu o modernismo. A Igreja pode ser denegrida e até se pede perdão por supostos pecados dela. Mas de João XXIII não se podem contar fatos...

Hoje, se contestam os milagres de Cristo e a sua Ressurreição -- por exemplo, o Cardeal Kasper -- mas não se podem contar fatos históricos sobre João XXIII. Nos seminários do Brasil -- e o senhor estuda num seminário -- se ensina normalmente que o Gênesis relata mitos sobre Adão, e que os fatos narrados na Bíblia foram mitificados. Ensina-se nos seminários que a pessoa de Cristo foi mitificada, e quase nada do que se atribui a Ele, nos Evangelhos, é verdadeiro.

Entretanto, o senhor me exige que mitifique a figura de João XXIII, ocultando fatos reais que ele praticou.

Eu não o conheço Frei, mas é muito possível que o senhor acredite, como a grande maioria dos seminaristas que a criação de Adão, tal como a conta a Sagrada Escritura, é um mito. Seria um milagre que o senhor, sendo seminarista, fosse defensor da Inquisição, e das Cruzadas.

O senhor me diz que é pecado falar mal de quem foi canonizado pela Igreja.
   
O senhor defende São Pedro Arbuès que foi Inquisidor?

Que acha o senhor de São Luís Rei, que mandou queimar a língua de um blasfemador com ferro em brasa, ou que mandou executar na Sexta-Feira Santa um culpado para vingar a pena de morte infinitamente mal aplicada a Cristo nesse dia?
   
Que acha o senhor da frase de São Bernardo que, pregando a Segunda Cruzada em Vezélay, citou a Sagrada Escritura dizendo: "Maldito aquele que não ensangüentar a sua espada" (Jer. XVII, 5).
    
Haveria tanto a lhe dizer...
   
O senhor me garante como prova da santidade de João XXIII, que o corpo dele está incorrupto.
    
É verdade, o corpo dele está incorrupto e exposto debaixo de um altar na Basílica de São Pedro, em Roma.
    
Como o corpo de São Pio X. Só que o corpo de São Pio X  permaneceu incorrupto por milagre enquanto o corpo de João XXIII permanece sem corrupção quimicamente!!!
   
Quimicamente, sim!!!
   
Pio XII foi embalsamado pelo seu médico oficial -- um oculista homeopata -- o Dr. Galleazzi-Lizzi, que vendeu por 400.000 dólares fotos escandalosas do Papa moribundo e o diário de sua doença fatal, violando o segredo médico, ao contar as misérias humanas próprias de um agonizante.
   
O método de embalsamamento usado em Pio XII se revelou à altura desse homeopata inescrupuloso: o cadáver de Pio XII explodiu ao ser levado de Castel Gandolfo para Roma.
   
É o que conta o escritor Antonio Spinola em seu livro Pio XII, l´ultimo Papa, Mondadori, Milano, 1992, (página 372). Lá diz ele:
    
"O carro fúnebre que percorreu a Via Appia Nuova, estava já para ultrapassar as abóbadas da Porta de São João, quando se ouviu junto ao féretro um grande estouro. O cadáver, inabilmente embalsamado, havia explodido no caixão, de modo que, apenas chegado a São Pedro, foi necessário submetê-lo secretamente e à toda pressa durante a noite aos tradicionais experimentados métodos de embalsamamento, para consertar, do melhor modo possível, os estragos provocados pelas experimentações do inábil Arquiatra. Alguns guardas nobres desmaiaram pelos miasmas que se desprendiam do cadáver"  (A. Spinola , Pio XII, l´ultimo Papa, Mondadori, Milano, 1992, p. 372). 
   
João XXIII temia que com seu cadáver ocorresse o mesmo, e, por isso, deixou, instruções e ordens para que seu cadáver fosse embalsamado com todas as garantias.
   
A Rádio Vaticana publicou um documento sobre isso. Veja, Frei Rodrigo, como seu engano sobre o milagre da conservação do corpo de João XXIII é desfeito:

http://www.vaticanradio.org/portuguese/brasarchi/2001/RV22/01_22_58.htm

Portanto, caro Frei Rodrigo, o cadáver de João XXII não permaneceu incorrupto por santidade, mas por ajuda da Química moderna. Apresentar seu corpo intacto, sem informação de que foi preservado quimicamente, induz as pessoas ingênuas a pensar que lá se deu um milagre, o que é falso.
   
Isso não é correto.
   
Há outros pontos que poderiam ser tratados, por exemplo, os elogios de João XXIII a Benito Mussolini, o Duce do fascismo.
   
João XXIII, quando ainda era Arcebispo, embora apenas em carta particular à sua família, elogiou o Duce e o governo de Mussolini, considerando-o guiado por Deus -- o que não é pouco --- embora, depois, se tenha se mostrado contrário ao fascismo. 
   
"Benditos nós na Itália. Desta vez é preciso mesmo dizê-lo: há uma mão que guia o Duce pelo bem dos italianos. Eu creio que Deus queira recompensar governantes e súditos pela paz feita com a Igreja (...) E é preciso que sejamos reconhecidos a Mussolini. Quantos homens de Estado houve na Itália antes dele! Os Papas sempre estiveram dispostos à conciliação, mas sempre faltou o homem capaz de corresponder a eles da parte do Estado" (Mons. Roncalli -- João XXIII, Carta à família, em 25-XII-39, apud Hebblethwaite, Giovanni XXIII, Rusconi Milano, 1989, p. 230).

E comentou o historiador, o ex padre Peter Hebblethwaite:  
   
"Certamente [Roncalli] não foi jamais assim filo facista (...) nesta data, porém, não é mais um antifascista tão nítidamente como antes. (...) aceita o fascismo, porque é difícil realisticamente se pensarem outras soluções" (Hebblethwaite, Giovanni XXIII, Rusconi Milano, 1989, p. 227) 
    
Veja você, prezado Frei Rodrigo, que surpresa: João XXIII apoiando o Duce fascista, elogiando Benito Mussolini!

João XXIII então apresentou Mussolini como homem guiado por Deus!

Suponho que o senhor seja democrata, não é Frei Rodrigo? Que tal saber então que o beato João XXIII elogiou o Duce fascista? Creio que sua devoção joanina não esperava por essa.
   
Quanto ao Modernismo de João XXIII, isso é mais do que conhecido.
   
Ele foi extremamente ligado ao líder dos Modernistas italianos, o Padre Ernesto Buonaiutti, desde os tempos em que ambos eram seminaristas. Buonaiutti foi padrinho de Roncalli em sua ordenação. Como ele foi também amigo do modernista Padre Lambert Beauduin, e do grão mestre da maçonaria Barão Yves Marsaudon, a quem o então Cardeal Roncalli aconselhou permanecer na Maçonaria.
   
Por fim, foi João XXIII que fez o acordo de Metz com a URSS, e convocou e incentivou o Concílio Vaticano II cujos resultados são patentes. Por exemplo, nos seminários franciscanos onde se ensina, por vezes, a Teologia da Libertação.
   
De modo que, Frei Rodrigo, como católico, e como professor de História, sou obrigado a contar a verdade. E a verdade não suja a boca de ninguém. A verdade liberta, disse-nos nosso Divino mestre.
   
Mas, Frei, a heresia modernista suja as almas, ofende a Deus e chama a Igreja de pecadora.
   
Espero que este não seja o seu caso.
   
Poderia lhe dar muitas outras provas sobre erros de João XXIII e de seu envolvimento com os modernistas, inclusive do processo que ele sofreu acusado de Modernismo em 1914. Mas por hoje, chega, que estou respondendo somente à sua carta, e não escrevendo uma biografia de João XXIII.
   
Que Deus o esclareça, e pois que o mundo precisa de bons sacerdotes, que Nossa Senhora alcance para o senhor as graças mais necessárias para ser um frade santo. Sem ilusões e sem mitos.
  
In Corde Jesu, semper,
Orlando Fedeli.  


Comentários:

De acordo com o que podemos constatar acima por um católico romano, podemos dizer que:

1º O processo de canonização dos santos não é infalível. Sendo assim, os católicos podem estar perdendo tempo rezando a um monte de santos que, na verdade... não são santos! Não seria mais fácil dirigir, então, as orações a Jesus Cristo, do que confiar em um julgamento humano falível que está sujeito a erros e a canonizações falsas?

Alguns santos foram inquisidores, outros foram assassinos e outros mandaram queimar a língua de hereges em ferro em brasa!

O papa João XXII teve seu corpo "incorrupto" quimicamente. Que belo "milagre"!

O canonizado papa João XXII apoiou e elogiou Mussolini, o fascista italiano!

João XXII era amigo de modernistas e de grã-mestres da maçonaria.

João XXII fazia acordos com a comunista URSS.

Por fim, devemos ressaltar a marcante "união" católica, que só existe externamente, quando eles vão acusar os evangélicos de divisão mascarando todas as verdadeiras divisões existentes entre eles mesmos, com um Frei católico debatendo com um professor católico em um tom nem um pouco amistoso. Mas quando eles debatem com protestantes fingem-se de supra-sumos da unidade!

Lembrando que tudo isso foi dito por um estudioso católico, poderíamos acrescentar muitos outros fatos, como, por exemplo, o de santos que nunca existiram, tais como Santo Expedito, acerca de quem o padre Charles Foucauld se referiu dizendo: "A mensagem dele esmagando o corvo não me parece muito cristã. E, para mim, ele é lendário, não existiu de fato... mas se você disser que ele não existiu, o pessoal que o procura pode ficar bravo" (Anuário dos santos católicos, editora Paulus).

Outro santo que jamais existiu é a tal da "Santa Verônica", que deriva das palavras Vera Icon, que significa "retrato verdadeiro" e fazia menção às cópias dos retratos de Jesus Cristo. Com o tempo, passaram a chamar de Veronicoe, e a Igreja Romana passou a construir várias lendas baseadas no mal uso do nome Veronicae. Outro alvo de devoções católicas é São Jorge, sobre quem não existe nem a mínima prova de sua existência. O mesmo poderia ser dito sobre Santa Catarina, Santo Aleixo, São Cristovão, Santa Filomena, dentre outros...

E é desta forma que eles conseguem enganar os mais incautos e perpetuar as mentiras e heresias que conduzem a Roma.

Paz a todos vocês que estão em Cristo.

Por Cristo e por Seu Reino,
Lucas Banzoli (apologiacrista.com)


-Meus livros:

-Veja uma lista completa de livros meus clicando aqui.

- Acesse o meu canal no YouTube clicando aqui.


-Não deixe de acessar meus outros sites:
Apologia Cristã (Artigos de apologética cristã sobre doutrina e moral)
O Cristianismo em Foco (Reflexões cristãs e estudos bíblicos)
Estudando Escatologia (Estudos sobre o Apocalipse)
Desvendando a Lenda (Refutando a Imortalidade da Alma)
Ateísmo Refutado (Evidências da existência de Deus e veracidade da Bíblia)

8 comentários:

  1. Lucas, veja o Gledson Meireles em busca de Ibope : http://anatotelopes.blogspot.com.br/2014/04/porque-nao-e-certa-canonizacao-dos.html#gpluscomments

    Será que estamos diante de um novo Macabeus?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. http://static.tumblr.com/xmd3you/J10lvnzkt/grinsmall.jpg

      Excluir
  2. quem cre em mim ainda que morra vivera eternamente

    ResponderExcluir
  3. eles perdem tempo rezando a santos,e vc perde tempo olhando para els
    es,vai orar irmão e viver o evangelho,porque muitos dele preticam mas do que falam

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Refutei este tipo de pensamento extremista que dispensa a necessidade de teologia e apologética em meu artigo mais recente:

      http://heresiascatolicas.blogspot.in/2016/08/qual-importancia-da-teologia-e-da.html

      Excluir
  4. Olá Lucas ! Sou católico e entendo a sua posição e visão quanto a tudo afinal você defende sua fé e se torna um formador de opinião entre seu povo. Meu nome é Fábio e tenho um irmão Padre... Minha vida realmente mudou quando após quaresma de São Miguel Arcanjo (meu coração sentiu um conforto que nunca havia sentido) ... Fui conduzido pela Santíssima Maria e hoje ensino meus dois filhos sobre as vidas que se dedicaram a Deus como por Exemplo a vida de Santa Therezinha do Menino Jesus e da Sagrada Face. Sou Devoto de Maria a tento copiar em tudo na minha vida o exemplo de São José (pai adotivo de Jesus Cristo).
    Acredito este é o papel da vida dos Santos... lhe mostrar exemplos de caminhos a Santidade...
    Ah !! Como em tudo feito por nós humanos.. muitas pessoas da Igreja Católica são imperfeitas... como nós somos Eu e Você...
    Desejo paz a você que seu coração se encha de Amor e que Maria toque sua Alma... a partir de hoje sua vida fará parte de minhas orações todos os dias 03h junto com o terço da misericórdia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, minha vida não mudou ao ir a uma "quaresma de São Miguel Arcanjo", não fui conduzido pela "Santíssima Maria", não sigo o exemplo de vida de "Santa Terezinha" e da "Sagrada Face" (seja lá o que isso signifique), não sou "devoto de Maria", não desejo o amor de gente morta e infelizmente não sei rezar o "terço da misericórdia", mas humildemente te desejo paz e bem.

      Excluir

Seu comentário será publicado após passar pela moderação. Ofensas, deboches, divulgação de páginas católicas (links), control c + control v e manifestações de fanatismo não serão aceitos. Todos os tipos de perguntas educadas são bem-vindas e serão respondidas cordialmente. Caso o seu comentário ainda não tenha sido liberado dentro de 24h, é possível que ele não tenha chegado à moderação, e neste caso reenvie o comment.